Aula 7 semana

614 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
614
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
135
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 7 semana

  1. 1. Jorge Ávila PROJETO E GERENCIAMENTO DE REDE
  2. 2. Análise da rede existente  Antes de passar para a próxima etapa, ou seja, para o projeto lógico, você deve analisar a rede já existente e como ela funciona e descobrir o que é importante para o cliente, o que não pode deixar de funcionar, o que está causando problemas e deve ser melhorado ou extinguido na nova rede.
  3. 3. Análise da rede existente  Avaliação da topologia física;  Avaliação da topologia lógica;  Avaliação das aplicações envolvidas;  Protocolos;  Esquema de endereçamento;  Limitações da rede;  Disponibilidade da rede;  Desempenho da rede;  Gerenciamento da rede;  Segurança da rede;  Tráfego da rede; A análise da rede existente é extremamente importante quando o projeto é de expansão da rede atual, por razões óbvias.
  4. 4. Avaliação da topologia física:  Deve-se montar um mapa da rede atual indicando os segmentos, equipamentos, comunicações externas tipos de cabos e tamanhos.  Ainda na topologia deve-se informar geograficamente onde estão todas as conexões sejam elas LAN, MAN ou WAN e com que a rede se comunica.
  5. 5. Avaliação da topologia lógica  Deve-se informar também:  O fluxo de informações;  As conexões LAN e WAN informando quais são os equipamentos;  Recursos;  Servidores existentes;  Endereçamento;  Largura de banda e tecnologia nos enlaces.
  6. 6. Avaliação das aplicações envolvidas  Tipos de aplicação, número de usuários, número de clientes e servidores e tráfego. Protocolos  Quais são os protocolos, tipos de protocolos e áreas da empresa que os utilizam
  7. 7. Esquema de endereçamento  Deve-se dar uma visão geral das rede e sub-redes documentando o esquema de endereçamento, mapeando os IPs de todos os nós para que seja possível analisar as faixas de Ips usadas, evitando assim problemas na inserção de novas sub-redes ou até mesmo a ligação com redes externas.
  8. 8. Limitações da rede  Deve-se identificar os problemas, os gargalos da rede usando ferramentas de gerência de performance Disponibilidade da rede  Deve-se calcular a disponibilidade da rede a avaliar o percentual obtido. A partir do resultado, deve-se tentar descobrir quais são as causas da indisponibilidade da rede.  Essas descobertas serão essenciais para o bom funcionamento da nova rede.  Muitas vezes os problemas estão ocultos e continuam presentes mesmo com a reestruturação da rede, se não forem descobertos a tempo.  Se não existe uma medição frequente da disponibilidade, esta deve ser feita nesta fase do projeto, mesmo que o tempo seja curto.
  9. 9. Desempenho da rede  Deve-se medir e avaliar todos os critérios de desempenho citados anteriormente: capacidade, utilização máxima, carga oferecida, integridade, atraso, variação do atraso e tempo de resposta. Gerenciamento da rede  Devem-se verificar quais são os softwares, protocolos, equipamentos e serviços de gerência que são utilizados.  Além disso, deve-se avaliar que medidas são tomadas em relação aos resultados obtidos pelas ferramentas de gerenciamento
  10. 10. Segurança da rede;  Deve-se avaliar o nível de segurança utilizado, quais são as ferramentas de segurança, tanto de software quanto de hardware, e se essas ferramentas estão sendo eficazes. É interessante verificar a política de segurança da empresa (se houver) para avaliar a análise de risco feita, as ameaças e as vulnerabilidades. Tráfego da rede  Efetuar a medição do throughput (taxa de transferência real) da rede com fio e sem fio.
  11. 11. Exercício 1) Quais os objetivos da análise técnica em um projeto de redes? 2) O que é escalabilidade de uma rede de computadores? 3)Se uma rede fica 1 hora fora do ar por dia qual a porcentagem de disponibilidade ela terá? Será uma disponibilidade satisfatória ou não? 4)O que significa MTBF e MTTR e para que eles servem em uma rede de computadores? 5) Quais os requisitos para um bom desempenho de uma rede? 6)Qual os cuidados que se deve ter com Segurança em uma Rede de Computadores? 7)Explique o modelo FCAPS de Gerenciamento de uma rede. 8)O que seria Usabilidade da Rede? 9)quando o projeto é de expansão da rede atual quais análises teremos que ter com a rede? 10) Quais as análises que se tem que se tomar para a avaliação da Topologia Lógica da rede?
  12. 12. Projeto Lógico  Esta fase é totalmente dependente da fase de Análise, pois o Projeto Lógico será totalmente baseado nas topologias analisadas.  A partir delas é feito um desenho lógico da rede.  Divide-se o desenho em rede local com fio, rede local sem fio e WAN.
  13. 13. Projeto lógico da LAN com fio  O desenho da LAN é baseado nas características da rede como quantidade de hosts, necessidade ou não de servidores, expectativa de crescimento.  O preço e a qualidade dos equipamentos irão depender do nível de disponibilidade da rede.  Redes pequenas e sem estimativa de grande extensão requer desenhos mais simplificados, com equipamentos que respeitem as necessidades do projeto, mas que não sejam extremamente superiores e caros
  14. 14. Projeto lógico da LAN com fio  Já em uma rede maior, com mais equipamentos, mais exigente quanto à disponibilidade e mais escalável, devemos ter mais cautela, pois a probabilidade de termos problemas é maior.  Neste caso é melhor seguir uma estrutura hierárquica que separa a rede em três camadas: Acesso, Distribuição e Core.
  15. 15. Projeto lógico da LAN com fio
  16. 16. Projeto lógico da LAN com fio  Camada de Acesso: é a camada que tem ligação direta com os usuários. Ela se caracteriza por pequenas LANs, utilizando switches simples.  Camada de Distribuição: é a camada que faz o intermédio entre a de Acesso e a Core. É esta camada que garante a segurança, o roteamento entre redes virtuais, a filtragem de endereços e portas, o domínio de broadcast e mecanismos de Qualidade de Serviço (QoS).
  17. 17. Projeto lógico da LAN com fio  Camada Core: é o canal de backbone da rede. É nesta camada que podemos garantir a redundância, tolerância a falhas, confiabilidade, gerenciabilidade e baixa latência.  Devido a todas essas garantias a Camada Core requer mais recursos, portanto só deve ser utilizada caso haja real necessidade.  Caso contrário esta camada pode ser dispensada.
  18. 18. Projeto lógico da LAN sem fio  A topologia da rede wireless está inclusa na LAN com fio. Para caracterizá-la, o projeto deve citar os equipamentos como pontos de acesso, antenas e quaisquer equipamentos de conexão wireless além de especificar o ponto onde ficará a conexão com a rede cabeada.
  19. 19. Projeto lógico da WAN  Para definir a topologia da WAN devemos levar em consideração tanto a rede WAN privada (no caso de haver comunicação com filiais, fábricas ou postos da mesma empresa), quanto à rede WAN pública, como o link de internet ou comunicação com localidades externas.

×