SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Página1-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA P R E
HISTÓRIA
MANIFESTAÇÕES CULTURAIS
S E E D
ALUNO:________________________________________ ANO BASE 2014
1. CULTURA, ARTE E ARTEFATOS
A manifestação artística é uma necessidade do
homem, e tudo que sabemos sobre o homem em suas
primeiras épocas. O ser humano sempre procurou
representar, por meio de imagens, a realidade em que
vive – pessoas, animais, objetos e elementos da
natureza, e os seres que imagina divindades, etc.
A arte é uma forma de linguagem, uma forma
de expressão utilizada pelo homem desde os tempos
mais remotos até nossos dias.
Todos os grupos humanos, desde a pré-história,
produziram algo a que pode se chamar arte.
2. A CULTURA PRÉ-HISTÓRICA
O homem pré-histórico legou-nos importantes e
interessantes testemunhos da sua cultura, através de
gigantescos monumentos de pedra. As primeiras
manifestações artísticas foram encontradas no
Paleolítico Superior ou Idade da Pedra Lascada.
Os primeiros homens escavaram, gravaram ou
pintaram nas paredes rochosas dos seus abrigos ou
produziram pequenas estatuetas ou incisões, além de
utensílios de pedra talhada.
Segundo alguns historiadores, “a arte desta
época é frequentemente animalista e o naturalismo,
exceto algumas estatuetas que representam corpos
femininos muito estilizados, e as figuras de animais
são mais simbólicas”1
. São formas geométricas,
silhuetas de animais desenhada com os dedos nas
paredes argilosas úmidas e por mão pintadas sobre um
fundo vermelho ou negro.
Analisando esta arte, afirma-se que ela é
caracterizada, principalmente pela intensidade
dramática do movimento; o artista não procurava dar
as formas reais, mas esquemas, por sinais e símbolos,
e outros meios de expressão artística é a cerâmica e
utensílios.2
O “artista” pintava os seres do modo como o via
de uma determinada perspectiva, reproduzindo a
natureza tal qual sua vista captava.
Uma possível explicação para tal manifestação
é a de que essa arte era realizada por caçadores, e que
fazia parte do processo de magia por meio do qual
procurava-se interferir na captura de animais, ou seja,
o pintor-caçador do Paleolítico supunha ter poder
sobre o animal desde que possuísse a sua imagem.
Acreditava que poderia matar o animal verdadeiro
desde que o representasse ferido mortalmente num
desenho.
1
Fonte: www.eba.ufmg.br
2
Fonte: www.eba.ufmg.br
O homem da Pré-história criou ritos mágicos
para auxiliá-lo a vencer a natureza e o medo do
desconhecido. Esses ritos buscavam favorecer a caça,
trazer chuva, estações propícias, fartura de alimentos.
Foram os ritos mágicos favorecedores da caça
que provavelmente deram início às primeiras
manifestações artísticas, desenhadas e pintadas nas
paredes e no teto de cavernas, com carvão, tintas
minerais e vegetais, representando animais como o
mamute, o touro, o javali, à rena e o cavalo.3
Nas pinturas rupestres, características do
período paleolítico, os artistas reproduziam a natureza
tal qual sua visão captava. Assim, eles utilizavam
imagens carregadas de traços fortes que expressam a
ideia de vigor para representar os animais que temiam,
ou os grandes animais que caçavam, como o bisão. Daí
esse estilo ser conhecido como naturalista.
Lascaux, pintura rupestre
Tanto na pintura quanto na escultura, nota-se a
ausência de figuras masculinas. Predominam figuras
femininas, com a cabeça surgindo como
prolongamento do pescoço, seios volumosos, ventre
saltado e grandes nádegas. Elas representavam a
3
Fonte:
http://historiadascivilizacoes.blogspot.com.br/2008/05/cu
ltura-na-pr-histria.html
Página2-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
fecundidade, a natureza fértil; gravura em pedra, osso,
marfim; cerâmicas pintadas ou decoradas com
motivos geométricos. Destaca-se: Vênus de
Willendorf.
Vénus de Willendorf
No Neolítico, com a sedentarização, cultivo da
terra e pela manutenção de manadas, ocasionou um
aumento rápido da população e o desenvolvimento das
primeiras instituições, como família e a divisão do
trabalho, desenvolveu a técnica de tecer panos, de
fabricar cerâmicas e construiu as primeiras moradias,
constituindo-se os primeiros arquitetos do mundo.
Dominou-se o fogo e teve início ao trabalho com
metais.
Estas mudanças tiveram um forte reflexo na
arte: seu poder de observação foi substituído pela
abstração e racionalização, surge um estilo
simplificador e geometrizante, começaram as
representações da vida coletiva4
. A arte deixa de ser
natural e passa a ser mais geométrica e simples.
O homem neolítico começa a produzir a
cerâmica, o que revela sua preocupação com a beleza
e não apenas com a utilidade do objeto, também
esculturas de metal.
Nesse período surgem os grandes monumentos
de pedra – os menires - (pedra comprida, em língua
bretã - monumento megalítico que consiste num único
bloco de pedra fincado no solo em sentido vertical) e
dolmens (mesa de pedra, também em língua bretã -
duas ou mais pedras grandes fincadas verticalmente no
chão, como se fossem paredes, e uma grande pedra era
colocada horizontalmente sobre elas, parecendo um
teto). Para alguns, parecem ter significado religioso,
legando-se ao culto dos mortos.
Dolmens ou Nuragues
Atividades
1) Entre as esculturas do Paleolítico, nota-se o
predomínio de figuras femininas e ausência de
figuras masculinas. O fato de elas serem
representadas com ancas largas e seios grandes
levam os historiadores a supor a sua ligação
(A) à valorização da sexualidade
(B) à valorização do erotismo
(C) à necessidade de sobrevivência
(D) *ao culto da fertilidade
(E) ao padrão estético de beleza da época
2) Complete as lacunas e responda à questão abaixo.
4
Fonte: www.historiadaarte.com.br
I. Nas pinturas rupestres, características do período
________________, os artistas reproduziam a
natureza tal qual sua visão captava. Assim, eles
utilizavam imagens carregadas de traços fortes que
expressam a ideia de vigor para representar os animais
que temiam, ou os grandes animais que caçavam,
como o bisão. Daí esse estilo ser conhecido como
______________.
(A) Paleolítico – realista
(B) *Paleolítico – naturalista
(C) Neolítico – abstrato
(D) Neolítico – naturalista
(E) Mesolítico – realista
Página3-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
3) Sobre a arte no período Neolítico, considere as
afirmativas abaixo.
I. A pintura neolítica mostra figuras humanas
estilizadas, ou seja, não naturalistas, representadas em
traços pouco esquemáticos.
II. Na arquitetura do período Neolítico, destacam-se
habitações rudimentares construídas em formato
circular, utilizando-se pedras empilhadas conhecidas
como Nuragues.
III. A hipótese mais aceita sobre a construção os
monumentos megalíticos no Neolítico é a da
motivação religiosa, sendo o mais famoso deles o de
Stonehenge, na Grã-Bretanha.
Quais estão corretas?
(A) Apenas I.
(B) Apenas II.
(C) Apenas I e II.
(D) Apenas I e III.
(E) *I, II e III.
3. CULTURA NA ANTIGUIDADE ORIENTAL
A cultura dos povos da Antiguidade Oriental foi
caracterizada pelo pragmatismo. Ou seja, quando o
comportamento, a produção intelectual ou artística de
um povo é determinada por sua utilidade. A
mentalidade estava voltada exclusivamente para a
praticidade e, do ponto de vista artístico, realizaram
obras que pudessem ter utilidade.
A produção de objetos de luxo — braceletes,
colares, ou vestimentas com tecidos finos — serviam
para a distinção social e ao mesmo tempo utilizavam-
se de referências religiosas ou militares, ou seja,
possuíam uma utilidade ideológica.
Uma das característica marcante na arquitetura
de egípcios e mesopotâmicos, era a sua grandiosidade
o que, de certa forma, refletindo a força do Estado
Teocrático.
As principais obras foram Palácios e Templos,
que representavam o poder da elite dessas duas
regiões: a nobreza e os sacerdotes, que representavam
o poder da elite dessas duas regiões: a nobreza e os
sacerdotes.
Em certas regiões do Oriente Médio
construíram-se templos em homenagem a várias
divindades; e, também no Oriente, nasceu, sobre
placas de argila, a escrita pictográfica.
Dentre o legado cultural dos mesopotâmicos
podemos enumerar a construção de obras hidráulicas
(principalmente os sumérios); criação da escrita
cuneiforme (sumérios); no campo do direito,
o Código de Hamurabi (o primeiro código jurídico da
história); as lendas do herói Gilgamesh, que depois
passaram à Bíblia
Na Astronomia, a criação de um calendário e o
relógio de sol; na Astrologia, os doze signos do
Zodíaco; na Matemática, círculo de 360 graus,
operações (adição, subtração, multiplicação e divisão),
raiz quadrada e cubica e, finalmente, na Arquitetura,
os Zigurates - construções arquitetônicas em forma de
pirâmides. Eram grandiosos templos, na forma de
sacadas e com escadarias nas laterais. Nos zigurates ou
ao seu redor desenvolvia-se a atividade comercial.
Torre de Babel
Os zigurates foram uma das principias criações
arquitetônicas dos sumérios, com destaque para o da
cidade de Ur, e os Jardins Suspensos estão associados
à cultura babilônica.
A arte mesopotâmica é vasta. Porém pouco se
conservou devido desgaste e desaparecimento de
grande parte dessa cultura por causa da conturbada
história política da região e do frágil material utilizado
nas construções e do longo tempo decorrido desde a
sua produção até os dias atuais.
Página4-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
Detalhe da Porta de Ishtar em Babilônia5
No Egito antigo, seu legado cultural está
relacionado a adoção de técnicas hidráulicas; na
religião, a ideia de vida pós-morte e a necessidade de
conservação dos corpos (mumificação).
A Arquitetura era religiosa-funerária – as
pirâmides (túmulos dos faraós e nobres), construções
monumentais que atraem e fascinam qualquer
indivíduo até hoje, inclusive pelo misticismo que as
envolvem. Serviram de túmulos para alguns faraós; os
Hipogeus, túmulos subterrâneos, cobertos pela terra e
Mastabas, construções retangulares muito simples,
onde as pessoas com posição social de destaque eram
sepultadas. As grandes obras foram construídas com
pedras, o que em parte explica sua longa duração;6
adotaram a escrita hieroglífica.
Arte volta para a glorificação dos deuses e dos
faraós. Escultura – pretendia-se obter a eternização do
homem. A estatuária desenvolveu um processo de
representação que pudesse preservar a imagem do
Faraó ou de nobres.
A arte egípcia pode ser definida como a arte das
convenções, pois obedecia a uma série de padrões e
regras, o que limitava a criatividade e a imaginação
pessoal do artista.
A mais importante delas era a Lei da
Frontalidade, marca da pintura egípcia. Em função
5
Reconstituída com peças originais existentes no Museu
de Berlim.
dessa característica, não se valorizava a criatividade
do artista, uma vez que ele deveria “apenas” dominar
as técnicas de execução.
A religião orientou não só a vida social, como a
vida cultural egípcia. Os temas tratados na pintura
referiam-se à religião, como a representação dos
rituais de mumificação, representados no Livros dos
Mortos.
Persas
As principais contribuições persas consiste no
desenvolvimento de técnicas de construção de
estradas; nas artes, construções em plataformas e
terraços com tijolos esmaltados e coloridos e, no
campo religioso, os conceitos ético-religioso do
dualismo (Masdeísmo ou Zoroastrismo, fundada por
Zoroastro, que viveu entre 628 e 551 a.C.
A arte dos persas assimila elementos dos povos
conquistados, porém inova ao desenvolver a cerâmica
vitrificada, que cobria os muros externos dos palácios.
Fenícios
Os Fenícios deixaram como legado cultural
informações sobre a Engenharia naval; o
aperfeiçoamento do Alfabeto, considerada a principal
contribuição para o Ocidente e conhecimentos acerca
da Ciências náutica e da siderúrgica.
Tiveram na vocação marítima um marco para
sua arte. Hábeis comerciantes, eles sintetizavam e
reproduziam a arte dos povos com os quais
negociavam, definindo o sincretismo artístico. O
grande legado cultural dos fenícios foi a criação de um
alfabeto fonético, elaborado a partir da necessidade de
se fazerem registros das mercadorias.
Hebreus
Possivelmente, os hebreus foram, dentre os
povos da antiguidade oriental, aqueles que mais
6
http://artenahistoria.wordpress.com/category/arte-na-
antiguidade-oriental/
Página5-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
influenciou na formação de nossa civilização
Ocidental. Sua mitologia religiosa, foi resultado de
uma processo de adaptação "convenientemente" de
outras culturas anteriores (mesopotâmios e egípcios,
por exemplo). Esse legado religioso vem há dois mil
anos, influenciando decisivamente os destinos de
diversas civilizações do Ocidente.
O Cristianismo, fundamento da Civilização
Ocidental, é a continuação, o complemento e o
aperfeiçoamento da religião de Moisés, dos reis e dos
profetas de Israel.7
Na vida privada e na vida pública, o Decálogo
tem ditado normas e costumes. O direito, a música, a
literatura, as artes plásticas do Mundo Ocidental,
encontram-se impregnadas dos ensinamentos
monoteístas judaico.
Na pintura, na época renascentista, encontramos
diversas passagens do Antigo Testamento desde as
toscas representações das catacumbas até as
maravilhosas pinturas das catedrais da Idade Média.
Outro exemplo claro da influência judaica é a
Literatura. A principal fonte de estudo da história
judaica é a Bíblia em seu Antigo Testamento.
Por tudo isso, o estudo da Civilização Hebraica
é indispensável e confirma plenamente a afirmação de
que uma das grandes utilidades da História é a melhor
compreensão do presente através do estudo do
passado.
Herdamos ainda, conceito de Ética: extraído,
principalmente dos Dez Mandamentos, que
influenciou o mundo inteiro.
Atividades
1) Considere as afirmativas abaixo.
I – Como principal realização da arquitetura
sumeriana, podemos destacar os zigurates.
II – Da Babilônia, temos uma original criação em arte
paisagística, que corresponde aos Jardins Suspensos.
III – A mais célebre estela mesopotâmica é de
Hamurabi, que, gravada em escrita hieroglífica,
representa a sistematização do direito assírio.
Quais estão corretas?
(A) Apenas I.
(B) Apenas III.
(C) *Apenas I e II.
(D) Apenas I e III.
(E) I, II e III.
2) Observe a imagem abaixo e julgue os itens a
seguir:
I. A imagem acima é a representação gráfica de um
Zigurate, sustentado por muralhas de tijolos de barro
7
http://www.historia.templodeapolo.net/
cru com terraços em vários níveis, acessados por meio
de escadarias.
II. Na cidade de Ur, da antiga Mesopotâmia, se
conservam as ruínas de um Zigurate, construído pelos
sumérios, que data de 2.800 a.C., e cuja finalidade, na
época, era de templo.
III. O estado de conservação dos Zigurates é precário,
devido, entre outros motivos, ao material utilizado na
sua construção.
Quais estão corretas?
(A) Apenas I.
(B) Apenas III.
(C) Apenas I e II.
(D) Apenas II e III.
(E) *I, II e III.
3) Civilização guerreira, mostra em sua arte de
baixos relevos realistas, cenas de caça e de
batalhas. Esse conceito refere-se à civilização dos
(A) babilônicos
(B) sumérios
(C) caldeus
(D) *assírios
(E) fenícios
4) Considere as afirmativas abaixo sobre a arte
mesopotâmica.
I. Os persas constituíram uma civilização guerreira e
conquistadora, cuja arte em túmulos, joias e grandes
palácios demonstra o esplendor de seu organizado
império.
II. O principal legado cultural deixado pela civilização
fenícia foi a criação de um alfabeto fonético, elaborado
Página6-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
a partir da necessidade de se fazerem registros das
mercadorias.
III. Além da construção do Templo do Rei Salomão e
das Muralhas de Jericó, o grande legado da civilização
hebraica foi o desenvolvimento do monoteísmo
religioso, traduzido na Torá (Antigo Testamento da
Bíblia).
Quais estão corretas?
(A) apenas II.
(B) apenas I e II.
(C) apenas I e III.
(D) apenas II e III.
(E) *I, II e III.
5) Leia as penas abaixo.
6º - Se alguém furta bens de Deus ou da Corte deverá
ser morto; e mais quem recebeu dele a coisa furtada
também deverá ser morto.
195º - Se um filho espanca seu pai se lhe deverão
decepar as mãos.
196º - Se alguém arranca o olho a um outro, se lhe
deverá arrancar o olho.
A compilação destas leis deu origem ao primeiro
sistema jurídico escrito que se conhece. Marque a
alternativa que indica, respectivamente, o nome do
Código, a civilização que a criou e o tipo de escrita
empregada:
(A) Código de Sargão II – babilônicos –
hieroglífica.
(B) Código de Nabucodonosor – caldeus –
cuneiforme.
(C) Código de Hamurabi – egípcios – hieroglífica.
(D) *Código de Hamurabi – babilônicos –
cuneiforme.
(E) Código de Nabucodonosor – amoritas –
cuneiforme.
6) Sobre a arte egípcia, marque (V) para as
alternativas verdadeiras e (F) para as falsas.
( ) A arte egípcia pode ser definida como a arte das
convenções, pois obedecia a uma série de padrões e
regras, o que limitava a criatividade e a imaginação
pessoal do artista.
( ) A pintura egípcia tinha como marca a Lei da
Frontalidade, pela qual o tronco das figuras era
representado de frente, enquanto a cabeça, as pernas e
os pés eram vistos de perfil.
( ) Embora a arte egípcia estivesse intimamente ligada
à religião, na pintura, não havia essa relação, pois as
pinturas tratavam apenas de temas pagãos.
( ) Nas representações pictóricas, via de regra, a cor da
pele do homem era diferente – mais escura – da cor da
pele da mulher.
( ) Particulariza a arte egípcia o anonimato dos artistas,
pois a obra deveria revelar o perfeito domínio das
técnicas de execução, e não o estilo de quem as
executava.
(A) F - V - F - F - V
(B) *V - V- F- V - V
(C) V - V - F - V - F
(D) F - F - F - V – V
(E) V - V- F - F – V
7) Os estados teocráticos da Mesopotâmia e do
Egito evoluíram acumulando características
comuns e peculiaridades culturais.
Os egípcios desenvolveram a prática de embalsamar o
corpo humano e colocar as vísceras nos vasos canopos
porque:
(A) Se opunham ao politeísmo dominante na época.
(B) Os seus deuses, sempre prontos para castigar os
pecadores, desencadearam o dilúvio.
(C) *depois da morte a alma podia voltar ao corpo
mumificado.
(D) Construíram templos, para realização de cultos
e para moradia do faraó, na eternidade.
(E) Os camponeses constituíam categoria social
inferior.
8) Sobre a pintura egípcia, todas as alternativas
estão corretas, exceto a alternativa:
(A) A arte egípcia pode ser definida como a arte das
convenções, pois obedecia a uma série de padrões
e regras, o que limitava a criatividade e a
imaginação pessoal do artista.
(B) A pintura egípcia tinha como marca a lei da
frontalidade, pela qual o tronco das figuras era
representado de frente, enquanto a cabeça, as
pernas e os pés eram vistos de perfil.
(C) Nas representações pictóricas, via de regra, a cor
da pele do homem era diferente – mais escura –
da cor da pele da mulher.
Página7-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
(D) Particulariza a arte egípcia o anonimato dos
artistas, pois a obra deveria revelar o perfeito
domínio das técnicas de execução, e não o estilo
de quem as executava.
(E) Embora a arte egípcia estivesse intimamente
ligada à religião, na pintura, não havia essa
relação, pois as pinturas tratavam apenas de
temas pagãos.
9) Em relação à arte do Egito antigo, considere as
afirmativas abaixo.
I - Visava à valorização individual do artista.
II - Manifestava as ideias estéticas como
representações da natureza, evitando a representação
da figura humana.
III - Estava destinada à glorificação do faraó e à
representação da vida além-túmulo.
Quais estão corretas?
(A) Apenas II.
(B) *Apenas III.
(C) Apenas I e II.
(D) Apenas I e III.
(E) Apenas II e III.
4. CULTURA NA ANTIGUIDADE OCIDENTAL
Os gregos – juntamente com os romanos -
lançaram as bases da civilização ocidental,
contribuindo para a formulação dos valores éticos e
políticos.
A arte grega esteve voltada para o ser humano e
para a vida presente. Para os gregos o conhecimento,
expressado pela razão, estava acima da crença em
qualquer divindade. Desse modo, o impulso dado às
ciências não deve ser atribuído a importância e à
valorização do homem.
Assim como a dignidade e o valor do homem
centralizavam os conceitos gregos, a figura humana
era o principal motivo da arte grega. Enquanto a
filosofia destacava a harmonia, a ordem e a clareza de
pensamento, a arte e arquitetura refletiam um respeito
semelhante ao equilíbrio. Entre os legados
arquitetônicos gregos, destaca-se o Parthenon, tempo
construído na Acrópole, que utiliza a ordem dórica na
sua estrutura.
A arte grega esteve voltada para o ser humano e
para a vida presente. Para os gregos o conhecimento,
expressado pela razão, estava acima da crença em
qualquer divindade. Considerando o homem o centro
do Universo e contemplando a natureza, o artista grego
se empolgava pela vida e tentava, através da arte,
exprimir suas manifestações.
Na sua constante busca pela perfeição, o artista
grego criou uma arte de elaboração intelectual em que
predominavam o ritmo, o equilíbrio e a harmonia
ideal. A arte grega tem como características o
racionalismo, o amor pela beleza e o interesse pelo
homem, melhor definido por Protágoras, para quem “o
homem é a medida de todas as coisas”.
A arte grega, no período clássico atingiu a
perfeição idealizada, surgindo grandes obras de
técnica muito apurada. A escultura do período atingiu
a perfeição na representação das formas humanas,
sendo o Discóbolo, do escultor Míron uma das obras
imortais dessa fase da história da arte grega. O período
clássico, também conhecido como “século de ouro”,
corresponde ao período em que a Grécia estava em seu
esplendor. Nesse período, a arte atingiu a perfeição
idealizada, surgindo grandes obras, fruto da técnica
apurada.
As principais construções arquitetônicas dos
gregos tinham como marca a funcionalidade e o
objetivo de acomodar grandes públicos.
As colunas e entablamento eram construídos
segundo os modelos das ordens dórica, jônica e
coríntia. Os gregos tratavam os monumentos como
grandes esculturas, construídas com as mesmas
normas de simetria e proporções ideais.
Os ritos públicos aconteciam em frente aos
templos. A “ordem dórica” se refere aos componentes
padronizados da Grécia continental. A “ordem jônica”
se difundiu mais nas povoações gregas da Ásia Menos
e do Egeu. A “ordem coríntia” se desenvolveu bem
mais tarde e passou a ser amplamente usada em
exteriores na época dos romanos.
Página8-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
Doríforo, de Policleto Discóbolo, Mirón
Na Grécia a pintura apareceu como elemento de
decoração da arquitetura. A pintura grega, porém,
encontrou também uma forma de realização na arte da
cerâmica.
Os vasos gregos são conhecidos não só pelo
equilíbrio da forma, mas também pela harmonia entre
o desenho, as cores e o espaço utilizado para a
ornamentação. A pintura de vasos de cerâmica foi
muito praticada em toda a Grécia. Pintavam-se desde
personagens míticos até cenas de batalha ou da vida
cotidiana.
O teatro. O teatro surgiu na Grécia no século
XVI de a.C. As peças teatrais eram dedicadas a
representações religiosas, sempre apresentadas ao ar
livre. A palavra teatro é de origem grega, “théatron”, e
significa “lugar onde se vê”.
Frequentar, ir ao teatro era algo necessário e por
essa razão, o governo proporcionava aos mais
necessitados a condição de comparecer aos
espetáculos, mesmo porque eram os ricos quem
patrocinavam as apresentações. Era um exercício de
cidadania.
O drama sempre foi uma das atividades
cultivadas pelos gregos. Os maiores dramaturgos
viveram em Atenas, na época de Péricles Destacam-
se: Esquilo, Sófocles e Eurípedes.
Na comédia, destaca-se Aristófanes, que
ridicularizou as ideias revolucionárias e criticou os
costumes da época.
Máscara do teatro grego
A Filosofia. A palavra filosofia tem origem
grega e significa” amor à sabedoria”. Os primeiros
filósofos da humanidade, boa parte deles gregos,
tinham um interesse especial pela natureza e pelo
sentido da vida. Muitos anos depois eles passaram a se
interessar pelos problemas sociais e pela política.
Foi a partir dos estudos e reflexões de grandes
filósofos como Sócrates e seu discípulo Platão que boa
parte do pensamento político, social e filosófico que
conhecemos hoje.
A cultura helenística pretendia não apenas
representar o corpo humano, mas também suas
emoções, suas dores e angústias. Por isso, muitas
vezes, as expressões humanas parecem caricaturais e
exageradas.
A arte helenística corresponde à cultura iniciada
sob o poder de Alexandre e seguida até o domínio da
Grécia pelos romanos. A partir da conquista
macedônica, em fins do século IV a.C., os artistas
Página9-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
gregos procuraram criar obras cada vez mais realistas.
Eles pretendiam não apenas representar o corpo
humano, mas também suas emoções, suas dores e
angústias. Por isso, muitas vezes, as expressões
humanas parecem caricaturais e exageradas.
A partir da conquista macedônica, em fins do
século IV a.C., os artistas gregos procuraram criar
obras cada vez mais realistas. Eles pretendiam não
apenas representar o corpo humano, mas também suas
emoções, suas dores e angústias. Nesse sentido, as
esculturas apresentam preferência por temas trágicos e
emocionantes, cujas esculturas apresentavam
movimento e ação.
A arte romana sofreu duas grandes
influências: a da arte etrusca, popular e voltada para a
expressão da realidade vivida, e a da grego-helenística,
orientada para a expressão de um ideal de beleza. A
arte romana tem pouca originalidade. Os romanos
"copiaram" muitos aspectos da arte, pintura e
arquitetura grega.
Mesmo com toda influência e admiração nas
concepções grega-helenística a respeito da arte, os
romanos não abdicaram de um interesse muito
próprio: retratar os traços particulares de uma pessoa.
A arte dos romanos revela-nos um povo
possuidor de um grande espírito prático: por toda parte
em que estiveram, estabeleceram colônias,
construíram casas, templos, termas, aquedutos,
mercados e edifícios governamentais.
Os balneários (casas de banhos) romanos
espalharam-se pelas grandes cidades. Eram locais
onde os senadores e membros da aristocracia
romana iam para discutirem política e ampliar
seus relacionamentos pessoais.
A pintura romana sempre esteve estreitamente
ligada à arquitetura, e sua finalidade era quase
exclusivamente decorativa.
A língua romana era o latim, que depois de
um tempo espalhou-se pelos quatro cantos do
império, dando origem na Idade Média, ao
português, francês, italiano e espanhol.
A literatura. A maior contribuição romana à
história da cultura foi no setor literário. A mais
conhecida obra literária dos romanos é Eneida do
poeta Virgílio.
Outro importante poeta foi Ovídio, autor
Metamorfoses e a Arte de Amar; e Horácio, protegido
de Augusto, escreveu as Odes.
No campo cientifico, o desenvolvimento
que os romanos alcançaram foi bastante limitado.
Foi na ciência do direito que se revelou o
gênio dos romanos antigos. O primeiro código
escrito de leis elaborado em Roma, foi a Lei das
Doze Tábuas, promulgado em 450 a.C.
O Direito Romano dividia-se em três partes:
 Jus Civile (Direito Civil) Era a lei de Roma
e de seus cidadãos, incluindo os costumes e
as leis escritas.
 Jus Gentium (Direito dos Povos) – Era a lei
comum a todos os homens, sem levar em
consideração a sua nacionalidade; essa
legislação autorizava a escravidão, a
propriedade privada, os contratos e as
transações de compra e venda.
 Jus Naturale (Direito Natural) – Segundo
esse direito, todo os homens têm, por
natureza, certos direitos que os governos
não têm autoridade para negar.
A arte cristã. Em 313, Constantino legalizou o
cristianismo. Isto permitiu a expansão da nova
religião. No ano de 391, Teodósio oficializou-o como
a religião do Império.
Surgem os primeiros templos cristãos.
Externamente, os templos mantiveram as
características da arquitetura romana – destinava-se à
administração da justiça e chegaram mesmo a
conservar o seu nome - basílica.
As paredes eram pintadas e revestida de
mosaicos que ensinavam os mistérios da fé aos novos
cristãos e contribuíam para o aprimoramento de sua
espiritualidade. Além disso, o espaço interno foi
organizado de acordo com as exigências do culto.
Atividades
1) Na construção da sociedade ocidental, há um
destaque, dado por muitos historiadores, aos
feitos da civilização grega, nos setores mais
diversos da sua vida. Muitos feitos culturais dos
gregos:
(A) *permanecem atuantes na contemporaneidade,
contribuindo para o pensamento ocidental,
inclusive na formulação de seus valores éticos e
políticos.
Página10-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
(B) Distanciam-se totalmente dos princípios dos
nossos tempos, não sendo retomados pelos
pensadores do mundo atual.
(C) Estão restritos aos tempos da Antiguidade
clássica, onde predominavam os interesses da
aristocracia comercial de Atenas.
(D) São diferentes dos feitos dos romanos e dos de
outros povos da Antiguidade, pela
universalização das suas práticas democráticas e
estéticas.
(E) Ficaram restritos às conquistas estéticas da
arquitetura e da escultura, onde se salientava a
harmonia das formas como princípio estético.
2) Das civilizações da Antiguidade, a hebraica e a
grega legaram elementos culturais significativos,
que influenciaram a formação da sociedade
ocidental. Sobre essas civilizações, todas as
afirmativas estão corretas, EXCETO:
(A) Sócrates, Platão e Aristóteles, expoentes da
filosofia grega, procuraram compreender a
organização do mundo, do homem e da natureza,
a partir da razão.
(B) A religião hebraica, por ser a única monoteísta
entre as religiões orientais, serviu como
importante referência para o cristianismo.
(C) O povo hebreu tem seu registro principal na
Bíblia.
(D) *os gregos deram impulso às ciências, graças ao
papel que os sábios sacerdotes desenvolveram no
interior dos mosteiros.
(E) O teatro, desenvolvido sob as modalidades de
tragédia e comédia, teve forte expressão entre os
gregos.
3) Sobre a arte grega, marque V para as alternativas
verdadeiras e F para as falsas.
( ) Assim como a dignidade e o valor do homem
centralizavam os conceitos gregos, a figura
humana era o principal motivo da arte grega.
( ) Enquanto a filosofia destacava a harmonia, a ordem
e a clareza de pensamento, a arte e arquitetura
refletiam um respeito semelhante ao equilíbrio.
( ) A arte grega, secular e funcional, privilegiava a
inovação e a eficiência, destacando-se, nesse
sentido, construções arquitetônicas que
acomodavam grandes públicos.
( ) Entre os legados arquitetônicos gregos, destaca-se
o Parthenon, tempo construído na Acrópole, que
utiliza a ordem dórica na sua estrutura.
A sequência corretas de preenchimento de parênteses,
de cima para baixo, corresponde à alternativa:
(A) V-F-F-V
(B) *V-V-F-V
(C) V-F-V-F
(D) F-V-V-F
(E) F-V-F-V
4) A arte grega, no período .......................... atingiu
a perfeição idealizada, surgindo grandes obras de
técnica muito apurada. A escultura do período
atingiu a perfeição na representação das formas
humanas, sendo o Discóbolo, do
escultor........................., uma das obras imortais
dessa fase da história da arte grega.
(A) Arcaico – Policleto
(B) Homérico – Fídias
(C) *clássico - Mirón
(D) Pós-clássico - Mirón
(E) Helenístico – Policleto
5) Sobre a pintura grega, considere as afirmativas
abaixo.
Página11-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
I – A pintura clássica grega era muito utilizada em
cerâmicas, como na ânfora, representada ao lado.
II – As cenas retratadas nas pinturas gregas estavam,
geralmente, vinculadas à mitologia.
III – A pintura grega mostrava cenas realistas,
reproduzidas com um rigor quase fotográfico.
Quais estão corretas?
(A) Apenas I.
(B) Apenas II.
(C) Apenas III.
(D) *Apenas I e II.
(E) Apenas II e III.
6) Observe o desenho das colunas gregas abaixo.
A associação correta entre a representação da coluna e
sua respectiva ordem corresponde à alternativa:
(A) I – ordem jônica; II – ordem coríntia; III – ordem
dórica.
(B) I – ordem coríntia; II – ordem jônica, III – ordem
dórica.
(C) I – ordem dórica; II – ordem coríntia; III – ordem
jônica.
(D) *I – ordem dórica; II – ordem jônica; III – ordem
coríntia.
(E) I – ordem jônica; II – ordem dórica; III – ordem
coríntia.
7) Os traços mais característicos da cultura
helenística são identificados
[A] Nas preocupações éticas e espirituais ligadas aos
castigos e recompensas de uma vida futura.
[B] Nas tentativas de compreensão e organização do
mundo, do homem e da natureza a partir da razão.
[C] Na valorização e crença da inteligência e na
beleza do homem, segundo o nível social a que
pertencia.
[D] *na preferência por temas trágicos e
emocionantes, cujas esculturas apresentavam
movimento e ação.
[E] No amor à liberdade, à igualdade, e à
fraternidade, princípio que seria adotado pelos
ideólogos da Revolução Francesa.
8) Observe a imagem e analise as informações sobre
a arte helenística.
I – A arte helenística corresponde à fusão entre a
cultura ocidental e a oriental, promovida por
Alexandre Magno, no período que sucede ao
classicismo grego.
II – Os traços mais característicos da arte helenística
são identificados nas preocupações éticas e
espirituais ligadas aos castigos e recompensas de
uma vida futura.
III – A arte helenística é marcada pela preferência por
temas trágicos e emocionantes, cujas esculturas
apresentavam movimento e ação.
IV – Entre as esculturas de destaque da arte helenística
destaca-se a imagem ao lado, “Laoconte e seus
filhos atacados pelas serpentes”.
Quais estão corretas?
(A) Apenas II e III.
(B) Apenas I, II e III.
(C) *Apenas I, III e IV.
(D) Apenas II, III e IV.
(E) I, II, III e IV.
9) Os traços mais característicos da cultura
helenística são identificados
Página12-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
(A) Nas preocupações éticas e espirituais ligadas aos
castigos e recompensas de uma vida futura.
(B) Nas tentativas de compreensão e organização do
mundo, do homem e da natureza a partir da razão.
(C) Na valorização e crença da inteligência e na
beleza do homem, segundo o nível social a que
pertencia.
(D) *na preferência por temas trágicos e
emocionantes, cujas esculturas apresentavam
movimento e ação.
(E) No amor à liberdade, à igualdade, e à
fraternidade, princípio que seria adotado pelos
ideólogos da Revolução Francesa.
5. CULTURAL NA IDADE MÉDIA
A arte bizantina. A Arte bizantina tinha um
objetivo: expressar a autoridade absoluta do
imperador, considerado sagrado, representante de
Deus e com poderes temporais e espirituais.
Para que a arte atingisse melhor esse objetivo,
uma série de convenções foram estabelecidas, tal
como na arte egípcia. Uma delas foi
a frontalidade, pois a postura rígida da figura leva o
observador a uma atitude de respeito e veneração pelo
personagem representado. Tudo que poderia ser
representado estava rigorosamente determinado.
As personalidades oficiais e os personagens
sagrados passaram também a ser retratados de forma a
trocar entre si seus elementos caracterizadores. Assim,
a representação de personalidades oficiais sugeria que
se tratava de personagens sagrados. Suas cabeças eram
aureoladas, símbolo usado para caracterizar as figuras
sagradas, como Cristo.
Esse caráter majestoso da arte bizantina pode
ser observado também na arquitetura como nos
mosaicos e nas pinturas que decoram o interior das
igrejas.
Direito. No século VI, Justiniano codificou
o Direito Romano. Organizou-se Corpo de Direito
Civil (Corpos Júris Civilis). É o famoso Código
de Justiniano.
Cultura Medieval. Grande parte da produção
artística medieval foi influenciada pelo cristianismo.
O cristianismo nutriu grande parte das expressões
culturais que marcaram as sociedades europeias da
Idade Média.
Além da autoridade espiritual, muitos
sacerdotes da Igreja tinham poder
temporal (decorrente da posse de bens materiais),
pois haviam enriquecido à custa de doações feitas
pelos fiéis, que acreditavam obter, com isso, possíveis
recompensas no céu.
A igreja católica conseguiu impor os valores do
cristianismo em várias esferas da vida pública e
privada. A maioria dos europeus acreditava na
presença constante de Deus; os trabalhos e atividades
tinham que ser abençoados pelos sacerdotes e grande
parte das festas e distrações precisavam de um motivo
religioso para acontecerem.
A cultura medieval se espelhou rapidamente e o
pensamento da igreja passou a ser conhecido
como teocentrismo cultural, ou seja, o mundo era
subordinado as leis de Deus.
A arte medieval sofreu muita influência da
igreja, que dizia o que era ou não era bom, gerando
assim uma grande quantidade de obras religiosas. Os
templos (igrejas, catedrais) e os demais edifícios
tinham planta de cruz latina ou em basílica.
A arquitetura religiosa foi a mais expressiva
das manifestações artísticas medievais. Na arquitetura
destacam-se dois estilos:
 Românico (entre séculos XI e XIII), o mais
antigo, caracteriza-se por traços simples com
grossos pilares, tetos e arcos em abóbada,
janelas estreitas e muros rústicos reforçados
(mosteiros e basílicas). Suas características
marcantes são a monumentalidade da
construção e a horizontalidade.
Os castelos seguiram um estilo voltado para o
aspecto de defesa. As paredes eram grossas e
existiam poucas e pequenas janelas. As igrejas
deveriam ser fortes e resistentes para barrarem
a entrada das “forças do mal”, enquanto os
castelos deveriam proteger as pessoas dos
ataques inimigos durante as
guerras. Predominou principalmente na França,
Inglaterra e Alemanha.
 Gótico (entre os séculos XIII e XVI).
Caracteriza-se por sua leveza, elegância e traços
verticais. As construções (igrejas, mosteiros,
castelos e catedrais) seguiram, no geral,
algumas características em comum. Nas
construções góticas, janelas enormes e
luminosos vitrais, arcos em forma de ogiva,
torres esguias e pontiagudas. É uma arquitetura
de luz, lucidez e lógica. Isto reflete uma nova
concepção teológica – a da escolástica. Um
exemplo deste estilo é a igreja de São Miguel,
em Lucca.
Página13-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
Com relação às esculturas e pinturas, dos
séculos XII e XIII (românica), podemos destacar o
caráter didático-religioso. Numa época em que poucos
sabiam ler, a Igreja utilizou as esculturas, vitrais e
pinturas, principalmente dentro das igrejas e catedrais,
para ensinar os princípios da religião católica. Os
temas mais abordados foram: vida de Jesus e dos
santos, passagens da Bíblia e outros temas cristãos.
Giotto é considerado um dos maiores pintores da Idade
Média. A atenção do pintor não era tanto nas
paisagens, mais sim, na representação de Santos e
divindades.
Pintura de Giotto
Com relação às esculturas góticas, prevaleceu o
realismo. Os artistas procuravam transmitir um
aspecto real e humano às figuras retratadas (anjos,
santos e personagens bíblicos). Quanto à pintura,
destacaram as iluminuras, os vitrais, painéis
e afrescos. Apesar da predominância da temática
religiosa, nota-se, no século XV, características
renascentistas - busca do realismo, expressões
emotivas e diversidade de cores.
Música. Na música sacra destacou-se o papa
Gregório Magno, que introduziu o canto gregoriano,
caracterizado por uma melodia simples cantada em
uníssono por várias vozes outro destaque foi o monge
Guido d'Arezzo que deu nome ás sete notas musicais.
Na música popular, destacaram-se as canções dos
trovadores8
e menestréis9
.
Literatura. A produção literária medieval foi,
durante a Alta Idade Média, privilégio dos clérigos
que liam e escreviam em latim. A literatura medieval
deu origem a formas e temas que viriam marcar
profundamente a evolução da mentalidade ocidental.
Destacam-se dois estilos:
 Poesia Épica (trovadoresca) exaltava a coragem
dos cavaleiros em prol do cristianismo.
Produzida em línguas vulgares, ou seja, faladas
no cotidiano, em contraposição ao latim,
a língua erudita. Ela exprime os sofrimentos de
amor; a canção de gesta, que enaltece os feitos
e as aventuras épicas da cavalaria; a poesia
goliarda, manifestação boêmia dos estudantes
da época, que criticavam todas as instituições;
 Poesia Lírica. Exaltava o amor cortês dos
cavaleiros por suas damas.
Dentre os principais nomes da literatura
medieval temo Dante Alighieri, autor de Divina
Comédia, onde critica a Itália de seu tempo, revela
questões de fé, de política e de poesia, realizando na
literatura a síntese das concepções escolásticas e
Giovane Boccaccio, italiano, autor de Contos de
Canterbury.
A Educação. Era o clero católico. No século IX,
fundaram-se escolas junto as catedrais. Logo em
seguida, vieram as universidades. Sendo que algumas
delas são conhecidas até hoje, com exemplo: Oxford e
Cambridge.
A ciência e a filosofia estavam entrelaçadas. A
influência árabe e grega foram muito forte para o
progresso da matemática, astronomia, biologia e
medicina. Um dos grandes nomes da ciência medieval
foi o monge franciscano Roger Bacon (1214-1294),
que introduziu a observação da natureza e o uso de
experimentação com métodos científicos.
Na filosofia, destacaram-se santo Agostinho e
Tomás de Aquino. A principal preocupação deles era
tentar harmonizar a fé cristã com a razão. A filosofia
de Santo Agostinho ficou conhecida por
Patrística. Suas principais obras foram Confissões e
Cidade de Deus.
Já São Tomás de Aquino, conseguiu
reconstruir, dentro da visão cristã, boa parte das teorias
de Aristóteles. Nascia a Escolástica. Constrói-se uma
concepção mais otimista e empreendedora do homem:
o progresso do ser humano dependia não só da vontade
divina, mas do esforço do próprio homem. Sua
principal obra é Suma teológica.
8
Eram os compositores e poetas que criavam obras de
caráter popular.
9
Era o cantor do trovador. Visto que sempre o
acompanhava.
Página14-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
Atividades
1) Embora a idade média seja conhecida como
“idade das trevas”, que tipos de avanços
ocorreram nesse período?
a) Avanço do cristianismo como força unificadora
da Europa.
b) Desenvolvimento da língua e literatura europeia.
c) Criação de universidades, igrejas e da arte gótica.
d) *o nascimento e união da cultura do império
romano com os ideais gregos.
2) As universidades tinham forte influência da
igreja, prova disto era o fato das aulas serem
ministradas em latim e uma das matérias de
estudo ser teologia. Por isso quais alguns dos
privilégios que as universidades gozavam?
(A) Isenção de impostos e contribuições.
(B) Seus alunos tinham a dispensa do serviço militar.
(C) O direito a julgamento especial em foro
acadêmico para seus membros.
(D) *Os alunos mesmo estudando eram obrigados
aprestar o serviço militar.
3) Marque a alternativa correta: Na literatura, as
poesias tiveram seu auge. As mais destacadas
foram a épica e a lírica. Dê a definição de cada
uma respectivamente:
[A] *A poesia épica mostra as ações corajosas dos
cavaleiros e a poesia lírica mostra o sentimento e
o amor cortês do cavaleiro em relação à sua
amada dama.
[B] A poesia épica destaca o amor e os sentimentos
do cavaleiro em relação à sua dama e a poesia
lírica exalta os atos de bravura dos cavaleiros.
[C] A poesia épica valoriza o sentimento de lealdade
dos cavaleiros ao seu senhor e a poesia lírica
mostra o sentimento de desesperança dos
camponeses.
[D] A poesia épica retrata o poder total dos reis sobre
nobres, cavaleiros e plebeus. A poesia lírica
mostra a reação negativa das damas em relação
aos seus cavaleiros.
4) Na arquitetura, que estilos tiveram maior destaque:
[A] Gótico e romântico.
[B] *Românico e gótico.
[C] Épico e gótico.
[D] Rústico e românico.
6. CULTURA RENASCENTISTA
O termo Renascimento é um termo vago e
impreciso, admitindo várias interpretações. Isto torna
dificultoso o estudo desse movimento cultural.
Entende-se por Renascimento o período que se
segue à Idade Medieval, marcado pelo reanimar das
letras e artes num reencontro com a Antiguidade
Clássica. A inspiração dos renascentistas em ideais
greco-romanos não significa uma mera imitação. O
Renascimento subestima e desconhece a cultura
medieval. Para muitos, todo o período medieval foi
uma época de trevas e ignorância.
O Renascimento Cultural ou Renascença, como já
vimos, foi o surgimento de uma cultura leiga,
antropocêntrica e humanista, em oposição à cultura
eminentemente religiosa e teocêntrica do mundo
medieval.
Este momento marcou-se pela evolução que
evidenciou a substituição do pensamento teocêntrico e
simbólico medieval por uma mentalidade humanista,
racional e crítica que desabrochou no recuperar do
espírito clássico na Itália e nos descobrimentos
expansionistas na Ibéria.
O renascimento apresentou um novo conjunto
de temas e interesses aos meios científicos e culturais
de sua época. O renascimento não pode ser visto como
uma radical ruptura com o mundo medieval. Para o
renascentista, a razão era uma manifestação do espírito
humano que colocava o indivíduo mais próximo de
Deus. Outro aspecto fundamental das obras
renascentistas era o privilégio dado às ações humanas,
ou humanismo.
Os principais aspectos do Renascimento foram:
 O racionalismo e o abandono do mundo
sobrenatural;
Página15-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
 Experimentalismo: o conhecimento deve ser
demonstrado através de experiências;
 O antropocentrismo, onde o homem é o centro
de tudo;
 O universalismo, caracterizado pela descoberta
do mundo;
 O naturalismo, acentuando o papel da natureza;
 O individualismo, valorizando o talento e o
trabalho;
 O humanismo.
O movimento Renascentista está relacionado ao
afluxo ao mundo urbano, o consequente dinamismo
socioeconômico, as ligações internacionais e a
promoção duma nova ordem social europeia, em que
a Igreja partilhava do poder laico da nobreza, e agora
da burguesia. O Renascimento Cultural é um produto
das transformações europeias no alvorecer da Idade
Moderna.
Face a expansão marítima, a Europa passou a
conhecer às novidades geográficas e novas culturas. A
esse intercâmbio cultural e comercial mundial
aliaram-se num período para a hegemonia europeia
sobre o mundo. A par da prosperidade dos novos
Impérios, a ciência, a arte e a filosofia floresciam.
Na Itália, as repúblicas e ducados, viviam uma
economia privilegiada, suportada em
desenvolvimento do comércio internacional, que fez
surgir a burguesia.
Ao se impor como classe dominante, torna
hegemônico seu estilo de vida, dirigido ao trabalho, ao
luxo e ao intelecto. Esse é o paradigma do novo
Homem Renascentista. Com a nascente burguesia,
gerou-se o mecenato. Muitos burgueses, ao
entusiasmarem-se com as temáticas do Renascimento,
financiavam muitos artistas e cientistas.
Além disso, podemos ainda destacar a busca por
prazeres (hedonismo) como outro aspecto
fundamental que colocava o individualismo da
modernidade em voga.
Foi na Itália onde mais se valorizou a
redescoberta clássica, resgatando-se peças e obras
desse tempo, imitando-se o espírito cultural de então.
Os artistas renascentistas impuseram-se como
intelectuais, em vez de simples artesãos, pelo seu
talento técnico, compreensão e inovação artística.
A profissionalização desses renascentistas foi
responsável por um conjunto extenso de obras que
acabou dividindo o movimento em três períodos:
Trecento, Quatrocento, Cinquecento.
No Trecento (século XIV), podemos destacar o
legado literário de Petrarca (“De África” e “Odes a
Laura”) e Dante Alighieri (“Divina Comédia”), bem
como as pinturas de Giotto di Bondoni (“O beijo de
Judas”, “Juízo Final”, “A lamentação” e “Lamento
ante Cristo Morto”), Giovanni Boccaccio que
escreveu Decameron.
Lamentação de Cristo, 1303-06. Giotto.
No Quatrocento (século XV), o Renascimento
contou com a obra artística do italiano Leonardo da
Vinci (Mona Lisa), Sandro Botticelli (1444/1510),
Maquiavel (fundador da ciência política com sua obra
O Príncipe) e as críticas ácidas do escritor holandês
Erasmo de Roterdã (Elogio à Loucura), considerado o
"príncipe dos humanistas". Atuação dos Médicis, que
financiaram os artistas.
Já no Cinquecento (século XVI), movimento se
expandiu pela Europa.
Em Portugal, destaque para Gil Vicente (Auto
da Barca do Inferno) e Luís de Camões (Os Lusíadas)
e na Espanha (Miguel de Cervantes, “Dom Quixote de
la Mancha”).
Na Alemanha, os quadros de Albrecht Dürer
(“Adão e Eva” e “Melancolia”) e Hans Holbein
(“Cristo Morto” e “A virgem do Burgomestre
Meyer”).
Na França, seus grandes representantes foram
François Rabelais (“Gargântua e Pantagruel”) e
Montaigne (Ensaios) e na Inglaterra, Thomas Morus
(Utopia) e
Shakespeare, autor de magníficos textos teatrais.
O grande mecenas do período foi o papa Júlio II
que pretendia reforçar a grandiosidade e o poder de
Roma.
Os grandes destaques italianos foram Rafael
Sânzio e Michelangelo (1475/1564), pintor da capela
Sistina e foi o grande escultor da Renascença.
Página16-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
“O casamento dos Arnolfini”
No campo científico, o racionalismo contribuiu
para a valorização da matemática, da experimentação
e da observação sistemática da natureza. Podemos
destacar o rebuliço da teoria heliocêntrica defendida
pelos estudiosos Nicolau Copérnico, Galileu Galilei e
Giordano Bruno, considerado herege foi queimado na
fogueira em 1600.
Nos idos dos Quinhentos (Cinquecento), o
espírito renovador renascentista começa a ameaçar o
poder da Igreja Católica. Neste contexto se dá o
movimento de Reforma Religiosa (Protestante). Para
punir aqueles que se afastaram do rebanho católico, a
Igreja Católica reforma a se própria e toma ações
repressivas sobre os dissidentes.
O Renascimento entra em decadência após a perda
de prestígio econômico das cidades italianas, em
decorrência das Grandes Navegações -que muda o
eixo econômico do Mediterrâneo para o Atlântico; e
da Contra Reforma Católica que limitou a liberdade de
expressão.
Atividades
1) Com relação às artes e às letras de seu tempo, os
humanistas dos séculos XV e XVI afirmavam:
a) Que a literatura e as artes plásticas passavam por
um período de florescimento, dando continuidade
ao período medieval.
b) *que a literatura e as artes plásticas, em profunda
decadência no período anterior, renasciam com o
esplendor da Antiguidade.
c) Que as letras continuavam as tradições
medievais, enquanto a arquitetura, a pintura e a
escultura rompiam com os velhos estilos.
d) Que as artes plásticas continuavam as tradições
medievais, enquanto a literatura criava novos
estilos.
e) Que o alto nível das artes e das letras do
período nada tinha a ver com a Antiguidade
nem com o período medieval.
2) Durante o Renascimento, houve um notável
desenvolvimento da produção literária, além das
artes plásticas. Indique a alternativa em que obra
e autor estão corretos:
a) O Príncipe – Shakespeare
b) *Dom Quixote - Miguel de Cervantes
c) Os Lusíadas - Erasmo de Roterdã
d) Hamlet - Dante Alighieri
e) Utopia - François Rabelais
3) Leia o texto abaixo e depois responda o que se
pede.
"Se volveres a lembrança ao Gênese, entenderás
que o homem retira da natureza seu sustento e a
sua felicidade. O usuário, ao contrário, nega a
ambas, desprezando a natureza e o modo de vida
que ela ensina, pois outros são no mundo seus
ideais."
(Dante Alighieri, A DIVINA COMÉDIA,
Inferno, canto XI, tradução de Hernâni Donato).
Esta passagem do poeta florentino exprime:
a) Uma visão já moderna da natureza, que aqui
aparece sobreposta aos interesses do homem.
b) Um ponto de vista já ultrapassado no seu
tempo, posto que a usura era uma prática
comum e não mais proibida.
c) Uma nostalgia pela Antiguidade greco-
romana, onde a prática da usura era
severamente coibida.
d) *uma concepção dominante na Baixa Idade
Média, de condenação à prática da usura por
ser contrária ao espírito cristão.
e) Uma perspectiva original, uma vez que
combina a prática da usura com a felicidade
humana.
4) No contexto do Renascimento, é correto
afirmar que o Humanismo:
1. Apoiava-se em concepções nascidas na
Antiguidade Clássica.
2. Teve em Erasmo de Rotterdam um de seus
principais expoentes.
3. Influenciou concepções que desencadearam a
"Reforma Religiosa".
Página17-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
4. Inspirou uma verdadeira revolução cultural,
iniciada na Itália.
5. Contribuiu para o desenvolvimento dos
estudos científicos.
[A] Se apenas 1 e 2 forem incorretos;
[B] Se apenas 2 e 3 forem incorretos;
[C] Se apenas 2, 3 e 4 forem incorretos;
[D] *Se todos forem corretos;
[E] Se todos forem incorretos.
5) As alternativas abaixo apresentam de modo
correto características do Renascimento, exceto
uma. Assinale-a.
[A] O retorno aos valores do mundo clássico, na
literatura, nas artes, nas ciências e na filosofia.
[B] A valorização da experimentação como um dos
caminhos para a investigação dos fenômenos da
natureza.
[C] A possibilidade de uma estreita relação entre os
diferentes campos do conhecimento.
[D] O fato de ter ocorrido com exclusividade nas
cidades italianas.
[E] O uso da linguagem matemática e da
experimentação nos estudos dos fenômenos
da natureza.
6)
A história da cultura renascentista nos ilustra com
clareza todo o processo de construção cultural do
homem moderno e da sociedade contemporânea. Nele
se manifestam, já muito dinâmicos e predominantes,
os germes do individualismo, do racionalismo e da
ambição ilimitada, típicos de comportamentos mais
imperativos e representativos do nosso tempo.
(SEVCENKO, Nicolau. O Renascimento. São Paulo:
Atual, 1987.)
Sobre a cultura renascentista, a que se refere Nicolau
Shevchenko, assinale V (Verdadeiro) para as
afirmações verdadeiras e F (Falso) paras as afirmações
falsas.
1. ( ) O Renascimento marcou a transição da
mentalidade medieval para a mentalidade
moderna, ao traduzir novas concepções que
tinham como referência o humanismo, enquanto
base intelectual que procurava definir e afirmar o
novo papel do homem no universo.
2. ( ) Em meio à desorganização administrativa,
econômica e social, principais características da
cultura renascentista, praticamente apenas a
Igreja Católica conseguiu manter-se como
instituição, conquistando assim grandes poderes
e ampliando sua influência sobre a sociedade.
3. ( ) Ao formular princípios como o humanismo,
o racionalismo e o individualismo, o movimento
renascentista estabeleceu as bases intelectuais do
mundo moderno.
4. ( ) A cultura renascentista consagrou a vitória
da razão abstrata, instância suprema de toda a
cultura moderna, pautada no rigor das
matemáticas que passaram a reger os sistemas de
controle do tempo, do espaço, do trabalho e do
domínio da natureza.
5. ( ) Em meio a esse processo, transformações
socioeconômicas culminaram na substituição de
pequenas oficinas de artesãos por fábricas, assim
como as ferramentas simples foram trocadas
pelas novas máquinas que então haviam surgido.
Assinale a alternativa que contém a sequência correta,
de cima para baixo.
[A] V F V V F
[B] V V F V V
[C] F F V V F
[D] F V F V V
[E] V V F F V
7) O mundo moderno está associado, na sua origem,
à cultura renascentista. Invenções e descobertas
só puderam ser realizadas porque os intelectuais
renascentistas reuniram tradições clássicas
ocidentais e orientais, a fim de dar novo sentido à
ideia de HOMEM e NATUREZA. Assinale a
afirmativa que pode ser corretamente associada
ao Renascimento.
[A] O livro da natureza foi escrito em caracteres
matemáticos. (Galileu)
[B] O homem é imagem e semelhança de Deus. (Jean
Bodin)
[C] O mundo é perfeito porque é uma obra divina e,
assim, só pode ser esférico. (Marsílio Ficino)
[D] A perspectiva é o fundamento da relação entre
espaço humano e natureza divina. (Alberti)
[E] A proporção é a qualidade matemática
inadequada à representação do mundo natural.
(Leonardo da Vinci)
8) A Renascença ou Renascimento foi um
movimento artístico e científico ocorrido na
Europa entre os séculos XV e XVI. Sobre esse
movimento, identifique a(s) afirmativa(s)
verdadeira(s):
1. ( ) A utilização de métodos experimentais e de
observação da natureza e do universo orientou a
ação dos cientistas durante o Renascimento. O
período demarca, ainda, o início de um processo
de maior valorização da razão humana e do
indivíduo.
Página18-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos
2. ( ) O Renascimento, baseado na ideologia ab-
solutista, foi um movimento de valorização do
mundo rural. Essa característica pode ser
entendida pela forte influência dos mecenas, uma
vez que todos eles eram vinculados à agricultura.
3. ( ) O Renascimento surge no período de transição
da sociedade medieval para a sociedade moderna
e representa uma nova visão de mundo. Suas
principais características eram o racionalismo e o
antropocentrismo.
4. ( ) Uma das mudanças propiciadas pela cultura
renascentista foi a valorização da natureza, em
contraste com as explicações sobrenaturais sobre
o mundo.
9) Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas
suas referências ao Renascimento:
1. ( ) O significado do termo Renascimento está
associado à ideia de um novo nascimento da
cultura europeia, nas suas variadas
manifestações, especialmente nas artes.
2. ( ) Os pensadores renascentistas limitaram-se a
imitar os modelos das civilizações grega e
romana.
3. ( ) Entre os renascentistas mais conhecidos nas
artes plásticas destacaram-se Miguel Ângelo,
Leonardo da Vinci e Rafael.
4. ( ) Entre os escritos renascentistas destacaram-
se "O Elogio da Loucura" (Erasmo de
Rotterdam), "O Príncipe" (Nicolau Maquiavel) e
"A Utopia" (Thomas Morus).
5. ( ) Fenômeno marcante da cultura renascentista
foi seu caráter universalista. O deísmo, porém, foi
um dos ideais almejados, pois dava acesso à
sabedoria e à santidade.
6. ( ) O renascimento religioso, identificado na
Europa por vários historiadores, foi associado à
Reforma Protestante e à Contra Reforma
Católico.
10) O Renascimento, amplo movimento artístico,
literário e científico, expandiu-se da Península
Itálica por quase toda a Europa, provocando
transformações na sociedade. Sobre o tema, é
correto afirmar que:
a) O racionalismo renascentista reforçou o princípio
da autoridade da ciência teológica e da tradição
medieval.
b) Houve o resgate, pelos intelectuais
renascentistas, dos ideais medievais ligados aos
dogmas do catolicismo, sobretudo da concepção
teocêntrica de mundo.
c) Nesse período, reafirmou-se a ideia de homem
cidadão, que terminou por enfraquecer os
sentimentos de identidade nacional e cultural, os
quais contribuíram para o fim das monarquias
absolutas.
d) O humanismo pregou a determinação das ações
humanas pelo divino e negou que o homem
tivesse a capacidade de agir sobre o mundo,
transformando-o de acordo com sua vontade e
interesse.
e) Os estudiosos do período buscaram apoio no
método experimental e na reflexão racional,
valorizando a natureza e o ser humano.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

História da arte - Pré História
História da arte -  Pré HistóriaHistória da arte -  Pré História
História da arte - Pré HistóriaAna Paula Tavares
 
A Arte na Pré-História
A Arte na Pré-HistóriaA Arte na Pré-História
A Arte na Pré-HistóriaGiorgia Marrone
 
Introdução à História da Arte - Pré História e Egito
Introdução à História da Arte - Pré História e EgitoIntrodução à História da Arte - Pré História e Egito
Introdução à História da Arte - Pré História e Egitoalinewar
 
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTEAPOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTEVIVIAN TROMBINI
 
Pré história - história e arte
Pré história - história e artePré história - história e arte
Pré história - história e arteLú Carvalho
 
Arte pre histórica
Arte pre históricaArte pre histórica
Arte pre históricawdeiaw
 
Arte linha tempo_01_história da arte
Arte linha tempo_01_história da arteArte linha tempo_01_história da arte
Arte linha tempo_01_história da arteSor Sergio Flores
 
A arte na Pré-História - aula 2
A arte na Pré-História - aula 2A arte na Pré-História - aula 2
A arte na Pré-História - aula 2VIVIAN TROMBINI
 
A arte na pré história
A arte na pré históriaA arte na pré história
A arte na pré históriaMarcioveras
 
Atividades com pintura artes1o ano 2009
Atividades  com pintura artes1o ano 2009Atividades  com pintura artes1o ano 2009
Atividades com pintura artes1o ano 2009beljinaldo
 
Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré históricaGraziih Gomes
 
Arte na pré história - Pinturas Rupestres
Arte na pré história - Pinturas Rupestres Arte na pré história - Pinturas Rupestres
Arte na pré história - Pinturas Rupestres TaiFilosofa
 
Arte do Paleolitico
Arte do PaleoliticoArte do Paleolitico
Arte do PaleoliticoCPH
 
Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.Rafael Serra
 

Mais procurados (20)

História da arte - Pré História
História da arte -  Pré HistóriaHistória da arte -  Pré História
História da arte - Pré História
 
A Arte na Pré-História
A Arte na Pré-HistóriaA Arte na Pré-História
A Arte na Pré-História
 
Arte na Pré História
Arte na Pré HistóriaArte na Pré História
Arte na Pré História
 
Introdução à História da Arte - Pré História e Egito
Introdução à História da Arte - Pré História e EgitoIntrodução à História da Arte - Pré História e Egito
Introdução à História da Arte - Pré História e Egito
 
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTEAPOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
 
Pré história - história e arte
Pré história - história e artePré história - história e arte
Pré história - história e arte
 
Arte pre histórica
Arte pre históricaArte pre histórica
Arte pre histórica
 
Arte linha tempo_01_história da arte
Arte linha tempo_01_história da arteArte linha tempo_01_história da arte
Arte linha tempo_01_história da arte
 
Surgimento da arte
Surgimento da arteSurgimento da arte
Surgimento da arte
 
A arte na Pré-História - aula 2
A arte na Pré-História - aula 2A arte na Pré-História - aula 2
A arte na Pré-História - aula 2
 
A arte na pré história
A arte na pré históriaA arte na pré história
A arte na pré história
 
Arte na pré história
Arte na pré históriaArte na pré história
Arte na pré história
 
A arte na pré história
A arte na pré históriaA arte na pré história
A arte na pré história
 
Atividades com pintura artes1o ano 2009
Atividades  com pintura artes1o ano 2009Atividades  com pintura artes1o ano 2009
Atividades com pintura artes1o ano 2009
 
Historia da arte unip
Historia da arte unipHistoria da arte unip
Historia da arte unip
 
Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
 
Arte na pré história - Pinturas Rupestres
Arte na pré história - Pinturas Rupestres Arte na pré história - Pinturas Rupestres
Arte na pré história - Pinturas Rupestres
 
Arte do Paleolitico
Arte do PaleoliticoArte do Paleolitico
Arte do Paleolitico
 
48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte
 
Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.
 

Destaque

Destaque (13)

Prova arte grega
Prova arte gregaProva arte grega
Prova arte grega
 
Evolução dos automóveis e aviões
Evolução dos automóveis e aviõesEvolução dos automóveis e aviões
Evolução dos automóveis e aviões
 
1° prova artes 8 ano
1° prova artes 8 ano1° prova artes 8 ano
1° prova artes 8 ano
 
Prova de arte
Prova de arteProva de arte
Prova de arte
 
Diagnostica arte 9 ano (1)
Diagnostica arte 9 ano (1)Diagnostica arte 9 ano (1)
Diagnostica arte 9 ano (1)
 
Avaliação filosofia 1o_bimestre_1oano_2012
Avaliação filosofia 1o_bimestre_1oano_2012Avaliação filosofia 1o_bimestre_1oano_2012
Avaliação filosofia 1o_bimestre_1oano_2012
 
Atividades de artes luz e cores
Atividades de artes   luz e coresAtividades de artes   luz e cores
Atividades de artes luz e cores
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médio
 
Prova de artes 3º ano
Prova de artes   3º anoProva de artes   3º ano
Prova de artes 3º ano
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
 
Simulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arteSimulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arte
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° ano
 

Semelhante a 2014 cultura 1

Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisasfmeno
 
Apostila 6º ano Arte Pré-Histórica.pdf
Apostila 6º ano Arte Pré-Histórica.pdfApostila 6º ano Arte Pré-Histórica.pdf
Apostila 6º ano Arte Pré-Histórica.pdfcoralinecsa
 
A Arte Pré-Histórica - Coleção Praticar a Arte - Professor Fabrício Secchin -...
A Arte Pré-Histórica - Coleção Praticar a Arte - Professor Fabrício Secchin -...A Arte Pré-Histórica - Coleção Praticar a Arte - Professor Fabrício Secchin -...
A Arte Pré-Histórica - Coleção Praticar a Arte - Professor Fabrício Secchin -...WeslleyDias8
 
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdfHistória da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdfliliruizm
 
Artes pre-historia-e-m
Artes pre-historia-e-mArtes pre-historia-e-m
Artes pre-historia-e-mElianebel
 
aartenapr-histria-110317205222-phpapp02.pdf
aartenapr-histria-110317205222-phpapp02.pdfaartenapr-histria-110317205222-phpapp02.pdf
aartenapr-histria-110317205222-phpapp02.pdfReudsonMaiaMaia1
 
Apostila de historia da arte nova
Apostila de historia da arte novaApostila de historia da arte nova
Apostila de historia da arte novaLuis Silva
 
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 6 ano A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 6 ano A e B 1ºBEscola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 6 ano A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 6 ano A e B 1ºBPriscila Barbosa
 
Apostila 1º bimestre 3º ano
Apostila 1º bimestre 3º anoApostila 1º bimestre 3º ano
Apostila 1º bimestre 3º anoAlcir Costa
 
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]Viviane Marques
 
Aula 3 - H Arte I
Aula 3 - H Arte IAula 3 - H Arte I
Aula 3 - H Arte ICamila
 

Semelhante a 2014 cultura 1 (20)

Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
 
Apostila 6º ano Arte Pré-Histórica.pdf
Apostila 6º ano Arte Pré-Histórica.pdfApostila 6º ano Arte Pré-Histórica.pdf
Apostila 6º ano Arte Pré-Histórica.pdf
 
A Arte Pré-Histórica - Coleção Praticar a Arte - Professor Fabrício Secchin -...
A Arte Pré-Histórica - Coleção Praticar a Arte - Professor Fabrício Secchin -...A Arte Pré-Histórica - Coleção Praticar a Arte - Professor Fabrício Secchin -...
A Arte Pré-Histórica - Coleção Praticar a Arte - Professor Fabrício Secchin -...
 
Aula 1 art em
Aula 1   art emAula 1   art em
Aula 1 art em
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdfHistória da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
 
Artes pre-historia-e-m
Artes pre-historia-e-mArtes pre-historia-e-m
Artes pre-historia-e-m
 
Pre historia
Pre historiaPre historia
Pre historia
 
Artes antigas
Artes antigasArtes antigas
Artes antigas
 
aartenapr-histria-110317205222-phpapp02.pdf
aartenapr-histria-110317205222-phpapp02.pdfaartenapr-histria-110317205222-phpapp02.pdf
aartenapr-histria-110317205222-phpapp02.pdf
 
Apostila de historia da arte nova
Apostila de historia da arte novaApostila de historia da arte nova
Apostila de historia da arte nova
 
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 6 ano A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 6 ano A e B 1ºBEscola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 6 ano A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 6 ano A e B 1ºB
 
Curso de historia da arte
Curso de historia da arteCurso de historia da arte
Curso de historia da arte
 
Apostila 1º bimestre 3º ano
Apostila 1º bimestre 3º anoApostila 1º bimestre 3º ano
Apostila 1º bimestre 3º ano
 
HistóRia Da Arte
HistóRia Da ArteHistóRia Da Arte
HistóRia Da Arte
 
ELETIVA_ARTE_NA_HISTORIA_11.08.pptx
ELETIVA_ARTE_NA_HISTORIA_11.08.pptxELETIVA_ARTE_NA_HISTORIA_11.08.pptx
ELETIVA_ARTE_NA_HISTORIA_11.08.pptx
 
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
 
Textos historia da arte Ensino Medio
Textos historia da arte Ensino MedioTextos historia da arte Ensino Medio
Textos historia da arte Ensino Medio
 
Aula 3 - H Arte I
Aula 3 - H Arte IAula 3 - H Arte I
Aula 3 - H Arte I
 

Mais de Jorge Marcos Oliveira (20)

Texto sobre corrupção
Texto sobre corrupçãoTexto sobre corrupção
Texto sobre corrupção
 
19 de novembro
19 de novembro19 de novembro
19 de novembro
 
Memória das praças praça valadão
Memória das praças   praça valadãoMemória das praças   praça valadão
Memória das praças praça valadão
 
Um sonho e um pesadelo
Um sonho e um pesadeloUm sonho e um pesadelo
Um sonho e um pesadelo
 
Carnaval antigo
Carnaval antigoCarnaval antigo
Carnaval antigo
 
Aribé banese
Aribé baneseAribé banese
Aribé banese
 
Preseed 2014-revisão 23
Preseed 2014-revisão 23Preseed 2014-revisão 23
Preseed 2014-revisão 23
 
Preseed 2014-revisão 20
Preseed 2014-revisão 20Preseed 2014-revisão 20
Preseed 2014-revisão 20
 
Preseed 2014-revisão 18
Preseed 2014-revisão 18Preseed 2014-revisão 18
Preseed 2014-revisão 18
 
Preseed 2014-revisão 18
Preseed 2014-revisão 18Preseed 2014-revisão 18
Preseed 2014-revisão 18
 
Preseed 2014-revisão 16
Preseed 2014-revisão 16Preseed 2014-revisão 16
Preseed 2014-revisão 16
 
Preseed 2014-revisão 18
Preseed 2014-revisão 18Preseed 2014-revisão 18
Preseed 2014-revisão 18
 
Preseed 2014-revisão 17
Preseed 2014-revisão 17Preseed 2014-revisão 17
Preseed 2014-revisão 17
 
Preseed 2014-revisão 15
Preseed 2014-revisão 15Preseed 2014-revisão 15
Preseed 2014-revisão 15
 
Preseed 2014-revisão 14
Preseed 2014-revisão 14Preseed 2014-revisão 14
Preseed 2014-revisão 14
 
Preseed 2014-revisão 13
Preseed 2014-revisão 13Preseed 2014-revisão 13
Preseed 2014-revisão 13
 
Preseed 2014-revisão 13
Preseed 2014-revisão 13Preseed 2014-revisão 13
Preseed 2014-revisão 13
 
Preseed 2014-revisão 12
Preseed 2014-revisão 12Preseed 2014-revisão 12
Preseed 2014-revisão 12
 
Preseed 2014-revisão 11
Preseed 2014-revisão 11Preseed 2014-revisão 11
Preseed 2014-revisão 11
 
Preseed 2014-revisão 10
Preseed 2014-revisão 10Preseed 2014-revisão 10
Preseed 2014-revisão 10
 

Último

Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasCasa Ciências
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfdottoor
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 

Último (20)

Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 

2014 cultura 1

  • 1. Página1-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA P R E HISTÓRIA MANIFESTAÇÕES CULTURAIS S E E D ALUNO:________________________________________ ANO BASE 2014 1. CULTURA, ARTE E ARTEFATOS A manifestação artística é uma necessidade do homem, e tudo que sabemos sobre o homem em suas primeiras épocas. O ser humano sempre procurou representar, por meio de imagens, a realidade em que vive – pessoas, animais, objetos e elementos da natureza, e os seres que imagina divindades, etc. A arte é uma forma de linguagem, uma forma de expressão utilizada pelo homem desde os tempos mais remotos até nossos dias. Todos os grupos humanos, desde a pré-história, produziram algo a que pode se chamar arte. 2. A CULTURA PRÉ-HISTÓRICA O homem pré-histórico legou-nos importantes e interessantes testemunhos da sua cultura, através de gigantescos monumentos de pedra. As primeiras manifestações artísticas foram encontradas no Paleolítico Superior ou Idade da Pedra Lascada. Os primeiros homens escavaram, gravaram ou pintaram nas paredes rochosas dos seus abrigos ou produziram pequenas estatuetas ou incisões, além de utensílios de pedra talhada. Segundo alguns historiadores, “a arte desta época é frequentemente animalista e o naturalismo, exceto algumas estatuetas que representam corpos femininos muito estilizados, e as figuras de animais são mais simbólicas”1 . São formas geométricas, silhuetas de animais desenhada com os dedos nas paredes argilosas úmidas e por mão pintadas sobre um fundo vermelho ou negro. Analisando esta arte, afirma-se que ela é caracterizada, principalmente pela intensidade dramática do movimento; o artista não procurava dar as formas reais, mas esquemas, por sinais e símbolos, e outros meios de expressão artística é a cerâmica e utensílios.2 O “artista” pintava os seres do modo como o via de uma determinada perspectiva, reproduzindo a natureza tal qual sua vista captava. Uma possível explicação para tal manifestação é a de que essa arte era realizada por caçadores, e que fazia parte do processo de magia por meio do qual procurava-se interferir na captura de animais, ou seja, o pintor-caçador do Paleolítico supunha ter poder sobre o animal desde que possuísse a sua imagem. Acreditava que poderia matar o animal verdadeiro desde que o representasse ferido mortalmente num desenho. 1 Fonte: www.eba.ufmg.br 2 Fonte: www.eba.ufmg.br O homem da Pré-história criou ritos mágicos para auxiliá-lo a vencer a natureza e o medo do desconhecido. Esses ritos buscavam favorecer a caça, trazer chuva, estações propícias, fartura de alimentos. Foram os ritos mágicos favorecedores da caça que provavelmente deram início às primeiras manifestações artísticas, desenhadas e pintadas nas paredes e no teto de cavernas, com carvão, tintas minerais e vegetais, representando animais como o mamute, o touro, o javali, à rena e o cavalo.3 Nas pinturas rupestres, características do período paleolítico, os artistas reproduziam a natureza tal qual sua visão captava. Assim, eles utilizavam imagens carregadas de traços fortes que expressam a ideia de vigor para representar os animais que temiam, ou os grandes animais que caçavam, como o bisão. Daí esse estilo ser conhecido como naturalista. Lascaux, pintura rupestre Tanto na pintura quanto na escultura, nota-se a ausência de figuras masculinas. Predominam figuras femininas, com a cabeça surgindo como prolongamento do pescoço, seios volumosos, ventre saltado e grandes nádegas. Elas representavam a 3 Fonte: http://historiadascivilizacoes.blogspot.com.br/2008/05/cu ltura-na-pr-histria.html
  • 2. Página2-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos fecundidade, a natureza fértil; gravura em pedra, osso, marfim; cerâmicas pintadas ou decoradas com motivos geométricos. Destaca-se: Vênus de Willendorf. Vénus de Willendorf No Neolítico, com a sedentarização, cultivo da terra e pela manutenção de manadas, ocasionou um aumento rápido da população e o desenvolvimento das primeiras instituições, como família e a divisão do trabalho, desenvolveu a técnica de tecer panos, de fabricar cerâmicas e construiu as primeiras moradias, constituindo-se os primeiros arquitetos do mundo. Dominou-se o fogo e teve início ao trabalho com metais. Estas mudanças tiveram um forte reflexo na arte: seu poder de observação foi substituído pela abstração e racionalização, surge um estilo simplificador e geometrizante, começaram as representações da vida coletiva4 . A arte deixa de ser natural e passa a ser mais geométrica e simples. O homem neolítico começa a produzir a cerâmica, o que revela sua preocupação com a beleza e não apenas com a utilidade do objeto, também esculturas de metal. Nesse período surgem os grandes monumentos de pedra – os menires - (pedra comprida, em língua bretã - monumento megalítico que consiste num único bloco de pedra fincado no solo em sentido vertical) e dolmens (mesa de pedra, também em língua bretã - duas ou mais pedras grandes fincadas verticalmente no chão, como se fossem paredes, e uma grande pedra era colocada horizontalmente sobre elas, parecendo um teto). Para alguns, parecem ter significado religioso, legando-se ao culto dos mortos. Dolmens ou Nuragues Atividades 1) Entre as esculturas do Paleolítico, nota-se o predomínio de figuras femininas e ausência de figuras masculinas. O fato de elas serem representadas com ancas largas e seios grandes levam os historiadores a supor a sua ligação (A) à valorização da sexualidade (B) à valorização do erotismo (C) à necessidade de sobrevivência (D) *ao culto da fertilidade (E) ao padrão estético de beleza da época 2) Complete as lacunas e responda à questão abaixo. 4 Fonte: www.historiadaarte.com.br I. Nas pinturas rupestres, características do período ________________, os artistas reproduziam a natureza tal qual sua visão captava. Assim, eles utilizavam imagens carregadas de traços fortes que expressam a ideia de vigor para representar os animais que temiam, ou os grandes animais que caçavam, como o bisão. Daí esse estilo ser conhecido como ______________. (A) Paleolítico – realista (B) *Paleolítico – naturalista (C) Neolítico – abstrato (D) Neolítico – naturalista (E) Mesolítico – realista
  • 3. Página3-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos 3) Sobre a arte no período Neolítico, considere as afirmativas abaixo. I. A pintura neolítica mostra figuras humanas estilizadas, ou seja, não naturalistas, representadas em traços pouco esquemáticos. II. Na arquitetura do período Neolítico, destacam-se habitações rudimentares construídas em formato circular, utilizando-se pedras empilhadas conhecidas como Nuragues. III. A hipótese mais aceita sobre a construção os monumentos megalíticos no Neolítico é a da motivação religiosa, sendo o mais famoso deles o de Stonehenge, na Grã-Bretanha. Quais estão corretas? (A) Apenas I. (B) Apenas II. (C) Apenas I e II. (D) Apenas I e III. (E) *I, II e III. 3. CULTURA NA ANTIGUIDADE ORIENTAL A cultura dos povos da Antiguidade Oriental foi caracterizada pelo pragmatismo. Ou seja, quando o comportamento, a produção intelectual ou artística de um povo é determinada por sua utilidade. A mentalidade estava voltada exclusivamente para a praticidade e, do ponto de vista artístico, realizaram obras que pudessem ter utilidade. A produção de objetos de luxo — braceletes, colares, ou vestimentas com tecidos finos — serviam para a distinção social e ao mesmo tempo utilizavam- se de referências religiosas ou militares, ou seja, possuíam uma utilidade ideológica. Uma das característica marcante na arquitetura de egípcios e mesopotâmicos, era a sua grandiosidade o que, de certa forma, refletindo a força do Estado Teocrático. As principais obras foram Palácios e Templos, que representavam o poder da elite dessas duas regiões: a nobreza e os sacerdotes, que representavam o poder da elite dessas duas regiões: a nobreza e os sacerdotes. Em certas regiões do Oriente Médio construíram-se templos em homenagem a várias divindades; e, também no Oriente, nasceu, sobre placas de argila, a escrita pictográfica. Dentre o legado cultural dos mesopotâmicos podemos enumerar a construção de obras hidráulicas (principalmente os sumérios); criação da escrita cuneiforme (sumérios); no campo do direito, o Código de Hamurabi (o primeiro código jurídico da história); as lendas do herói Gilgamesh, que depois passaram à Bíblia Na Astronomia, a criação de um calendário e o relógio de sol; na Astrologia, os doze signos do Zodíaco; na Matemática, círculo de 360 graus, operações (adição, subtração, multiplicação e divisão), raiz quadrada e cubica e, finalmente, na Arquitetura, os Zigurates - construções arquitetônicas em forma de pirâmides. Eram grandiosos templos, na forma de sacadas e com escadarias nas laterais. Nos zigurates ou ao seu redor desenvolvia-se a atividade comercial. Torre de Babel Os zigurates foram uma das principias criações arquitetônicas dos sumérios, com destaque para o da cidade de Ur, e os Jardins Suspensos estão associados à cultura babilônica. A arte mesopotâmica é vasta. Porém pouco se conservou devido desgaste e desaparecimento de grande parte dessa cultura por causa da conturbada história política da região e do frágil material utilizado nas construções e do longo tempo decorrido desde a sua produção até os dias atuais.
  • 4. Página4-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos Detalhe da Porta de Ishtar em Babilônia5 No Egito antigo, seu legado cultural está relacionado a adoção de técnicas hidráulicas; na religião, a ideia de vida pós-morte e a necessidade de conservação dos corpos (mumificação). A Arquitetura era religiosa-funerária – as pirâmides (túmulos dos faraós e nobres), construções monumentais que atraem e fascinam qualquer indivíduo até hoje, inclusive pelo misticismo que as envolvem. Serviram de túmulos para alguns faraós; os Hipogeus, túmulos subterrâneos, cobertos pela terra e Mastabas, construções retangulares muito simples, onde as pessoas com posição social de destaque eram sepultadas. As grandes obras foram construídas com pedras, o que em parte explica sua longa duração;6 adotaram a escrita hieroglífica. Arte volta para a glorificação dos deuses e dos faraós. Escultura – pretendia-se obter a eternização do homem. A estatuária desenvolveu um processo de representação que pudesse preservar a imagem do Faraó ou de nobres. A arte egípcia pode ser definida como a arte das convenções, pois obedecia a uma série de padrões e regras, o que limitava a criatividade e a imaginação pessoal do artista. A mais importante delas era a Lei da Frontalidade, marca da pintura egípcia. Em função 5 Reconstituída com peças originais existentes no Museu de Berlim. dessa característica, não se valorizava a criatividade do artista, uma vez que ele deveria “apenas” dominar as técnicas de execução. A religião orientou não só a vida social, como a vida cultural egípcia. Os temas tratados na pintura referiam-se à religião, como a representação dos rituais de mumificação, representados no Livros dos Mortos. Persas As principais contribuições persas consiste no desenvolvimento de técnicas de construção de estradas; nas artes, construções em plataformas e terraços com tijolos esmaltados e coloridos e, no campo religioso, os conceitos ético-religioso do dualismo (Masdeísmo ou Zoroastrismo, fundada por Zoroastro, que viveu entre 628 e 551 a.C. A arte dos persas assimila elementos dos povos conquistados, porém inova ao desenvolver a cerâmica vitrificada, que cobria os muros externos dos palácios. Fenícios Os Fenícios deixaram como legado cultural informações sobre a Engenharia naval; o aperfeiçoamento do Alfabeto, considerada a principal contribuição para o Ocidente e conhecimentos acerca da Ciências náutica e da siderúrgica. Tiveram na vocação marítima um marco para sua arte. Hábeis comerciantes, eles sintetizavam e reproduziam a arte dos povos com os quais negociavam, definindo o sincretismo artístico. O grande legado cultural dos fenícios foi a criação de um alfabeto fonético, elaborado a partir da necessidade de se fazerem registros das mercadorias. Hebreus Possivelmente, os hebreus foram, dentre os povos da antiguidade oriental, aqueles que mais 6 http://artenahistoria.wordpress.com/category/arte-na- antiguidade-oriental/
  • 5. Página5-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos influenciou na formação de nossa civilização Ocidental. Sua mitologia religiosa, foi resultado de uma processo de adaptação "convenientemente" de outras culturas anteriores (mesopotâmios e egípcios, por exemplo). Esse legado religioso vem há dois mil anos, influenciando decisivamente os destinos de diversas civilizações do Ocidente. O Cristianismo, fundamento da Civilização Ocidental, é a continuação, o complemento e o aperfeiçoamento da religião de Moisés, dos reis e dos profetas de Israel.7 Na vida privada e na vida pública, o Decálogo tem ditado normas e costumes. O direito, a música, a literatura, as artes plásticas do Mundo Ocidental, encontram-se impregnadas dos ensinamentos monoteístas judaico. Na pintura, na época renascentista, encontramos diversas passagens do Antigo Testamento desde as toscas representações das catacumbas até as maravilhosas pinturas das catedrais da Idade Média. Outro exemplo claro da influência judaica é a Literatura. A principal fonte de estudo da história judaica é a Bíblia em seu Antigo Testamento. Por tudo isso, o estudo da Civilização Hebraica é indispensável e confirma plenamente a afirmação de que uma das grandes utilidades da História é a melhor compreensão do presente através do estudo do passado. Herdamos ainda, conceito de Ética: extraído, principalmente dos Dez Mandamentos, que influenciou o mundo inteiro. Atividades 1) Considere as afirmativas abaixo. I – Como principal realização da arquitetura sumeriana, podemos destacar os zigurates. II – Da Babilônia, temos uma original criação em arte paisagística, que corresponde aos Jardins Suspensos. III – A mais célebre estela mesopotâmica é de Hamurabi, que, gravada em escrita hieroglífica, representa a sistematização do direito assírio. Quais estão corretas? (A) Apenas I. (B) Apenas III. (C) *Apenas I e II. (D) Apenas I e III. (E) I, II e III. 2) Observe a imagem abaixo e julgue os itens a seguir: I. A imagem acima é a representação gráfica de um Zigurate, sustentado por muralhas de tijolos de barro 7 http://www.historia.templodeapolo.net/ cru com terraços em vários níveis, acessados por meio de escadarias. II. Na cidade de Ur, da antiga Mesopotâmia, se conservam as ruínas de um Zigurate, construído pelos sumérios, que data de 2.800 a.C., e cuja finalidade, na época, era de templo. III. O estado de conservação dos Zigurates é precário, devido, entre outros motivos, ao material utilizado na sua construção. Quais estão corretas? (A) Apenas I. (B) Apenas III. (C) Apenas I e II. (D) Apenas II e III. (E) *I, II e III. 3) Civilização guerreira, mostra em sua arte de baixos relevos realistas, cenas de caça e de batalhas. Esse conceito refere-se à civilização dos (A) babilônicos (B) sumérios (C) caldeus (D) *assírios (E) fenícios 4) Considere as afirmativas abaixo sobre a arte mesopotâmica. I. Os persas constituíram uma civilização guerreira e conquistadora, cuja arte em túmulos, joias e grandes palácios demonstra o esplendor de seu organizado império. II. O principal legado cultural deixado pela civilização fenícia foi a criação de um alfabeto fonético, elaborado
  • 6. Página6-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos a partir da necessidade de se fazerem registros das mercadorias. III. Além da construção do Templo do Rei Salomão e das Muralhas de Jericó, o grande legado da civilização hebraica foi o desenvolvimento do monoteísmo religioso, traduzido na Torá (Antigo Testamento da Bíblia). Quais estão corretas? (A) apenas II. (B) apenas I e II. (C) apenas I e III. (D) apenas II e III. (E) *I, II e III. 5) Leia as penas abaixo. 6º - Se alguém furta bens de Deus ou da Corte deverá ser morto; e mais quem recebeu dele a coisa furtada também deverá ser morto. 195º - Se um filho espanca seu pai se lhe deverão decepar as mãos. 196º - Se alguém arranca o olho a um outro, se lhe deverá arrancar o olho. A compilação destas leis deu origem ao primeiro sistema jurídico escrito que se conhece. Marque a alternativa que indica, respectivamente, o nome do Código, a civilização que a criou e o tipo de escrita empregada: (A) Código de Sargão II – babilônicos – hieroglífica. (B) Código de Nabucodonosor – caldeus – cuneiforme. (C) Código de Hamurabi – egípcios – hieroglífica. (D) *Código de Hamurabi – babilônicos – cuneiforme. (E) Código de Nabucodonosor – amoritas – cuneiforme. 6) Sobre a arte egípcia, marque (V) para as alternativas verdadeiras e (F) para as falsas. ( ) A arte egípcia pode ser definida como a arte das convenções, pois obedecia a uma série de padrões e regras, o que limitava a criatividade e a imaginação pessoal do artista. ( ) A pintura egípcia tinha como marca a Lei da Frontalidade, pela qual o tronco das figuras era representado de frente, enquanto a cabeça, as pernas e os pés eram vistos de perfil. ( ) Embora a arte egípcia estivesse intimamente ligada à religião, na pintura, não havia essa relação, pois as pinturas tratavam apenas de temas pagãos. ( ) Nas representações pictóricas, via de regra, a cor da pele do homem era diferente – mais escura – da cor da pele da mulher. ( ) Particulariza a arte egípcia o anonimato dos artistas, pois a obra deveria revelar o perfeito domínio das técnicas de execução, e não o estilo de quem as executava. (A) F - V - F - F - V (B) *V - V- F- V - V (C) V - V - F - V - F (D) F - F - F - V – V (E) V - V- F - F – V 7) Os estados teocráticos da Mesopotâmia e do Egito evoluíram acumulando características comuns e peculiaridades culturais. Os egípcios desenvolveram a prática de embalsamar o corpo humano e colocar as vísceras nos vasos canopos porque: (A) Se opunham ao politeísmo dominante na época. (B) Os seus deuses, sempre prontos para castigar os pecadores, desencadearam o dilúvio. (C) *depois da morte a alma podia voltar ao corpo mumificado. (D) Construíram templos, para realização de cultos e para moradia do faraó, na eternidade. (E) Os camponeses constituíam categoria social inferior. 8) Sobre a pintura egípcia, todas as alternativas estão corretas, exceto a alternativa: (A) A arte egípcia pode ser definida como a arte das convenções, pois obedecia a uma série de padrões e regras, o que limitava a criatividade e a imaginação pessoal do artista. (B) A pintura egípcia tinha como marca a lei da frontalidade, pela qual o tronco das figuras era representado de frente, enquanto a cabeça, as pernas e os pés eram vistos de perfil. (C) Nas representações pictóricas, via de regra, a cor da pele do homem era diferente – mais escura – da cor da pele da mulher.
  • 7. Página7-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos (D) Particulariza a arte egípcia o anonimato dos artistas, pois a obra deveria revelar o perfeito domínio das técnicas de execução, e não o estilo de quem as executava. (E) Embora a arte egípcia estivesse intimamente ligada à religião, na pintura, não havia essa relação, pois as pinturas tratavam apenas de temas pagãos. 9) Em relação à arte do Egito antigo, considere as afirmativas abaixo. I - Visava à valorização individual do artista. II - Manifestava as ideias estéticas como representações da natureza, evitando a representação da figura humana. III - Estava destinada à glorificação do faraó e à representação da vida além-túmulo. Quais estão corretas? (A) Apenas II. (B) *Apenas III. (C) Apenas I e II. (D) Apenas I e III. (E) Apenas II e III. 4. CULTURA NA ANTIGUIDADE OCIDENTAL Os gregos – juntamente com os romanos - lançaram as bases da civilização ocidental, contribuindo para a formulação dos valores éticos e políticos. A arte grega esteve voltada para o ser humano e para a vida presente. Para os gregos o conhecimento, expressado pela razão, estava acima da crença em qualquer divindade. Desse modo, o impulso dado às ciências não deve ser atribuído a importância e à valorização do homem. Assim como a dignidade e o valor do homem centralizavam os conceitos gregos, a figura humana era o principal motivo da arte grega. Enquanto a filosofia destacava a harmonia, a ordem e a clareza de pensamento, a arte e arquitetura refletiam um respeito semelhante ao equilíbrio. Entre os legados arquitetônicos gregos, destaca-se o Parthenon, tempo construído na Acrópole, que utiliza a ordem dórica na sua estrutura. A arte grega esteve voltada para o ser humano e para a vida presente. Para os gregos o conhecimento, expressado pela razão, estava acima da crença em qualquer divindade. Considerando o homem o centro do Universo e contemplando a natureza, o artista grego se empolgava pela vida e tentava, através da arte, exprimir suas manifestações. Na sua constante busca pela perfeição, o artista grego criou uma arte de elaboração intelectual em que predominavam o ritmo, o equilíbrio e a harmonia ideal. A arte grega tem como características o racionalismo, o amor pela beleza e o interesse pelo homem, melhor definido por Protágoras, para quem “o homem é a medida de todas as coisas”. A arte grega, no período clássico atingiu a perfeição idealizada, surgindo grandes obras de técnica muito apurada. A escultura do período atingiu a perfeição na representação das formas humanas, sendo o Discóbolo, do escultor Míron uma das obras imortais dessa fase da história da arte grega. O período clássico, também conhecido como “século de ouro”, corresponde ao período em que a Grécia estava em seu esplendor. Nesse período, a arte atingiu a perfeição idealizada, surgindo grandes obras, fruto da técnica apurada. As principais construções arquitetônicas dos gregos tinham como marca a funcionalidade e o objetivo de acomodar grandes públicos. As colunas e entablamento eram construídos segundo os modelos das ordens dórica, jônica e coríntia. Os gregos tratavam os monumentos como grandes esculturas, construídas com as mesmas normas de simetria e proporções ideais. Os ritos públicos aconteciam em frente aos templos. A “ordem dórica” se refere aos componentes padronizados da Grécia continental. A “ordem jônica” se difundiu mais nas povoações gregas da Ásia Menos e do Egeu. A “ordem coríntia” se desenvolveu bem mais tarde e passou a ser amplamente usada em exteriores na época dos romanos.
  • 8. Página8-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos Doríforo, de Policleto Discóbolo, Mirón Na Grécia a pintura apareceu como elemento de decoração da arquitetura. A pintura grega, porém, encontrou também uma forma de realização na arte da cerâmica. Os vasos gregos são conhecidos não só pelo equilíbrio da forma, mas também pela harmonia entre o desenho, as cores e o espaço utilizado para a ornamentação. A pintura de vasos de cerâmica foi muito praticada em toda a Grécia. Pintavam-se desde personagens míticos até cenas de batalha ou da vida cotidiana. O teatro. O teatro surgiu na Grécia no século XVI de a.C. As peças teatrais eram dedicadas a representações religiosas, sempre apresentadas ao ar livre. A palavra teatro é de origem grega, “théatron”, e significa “lugar onde se vê”. Frequentar, ir ao teatro era algo necessário e por essa razão, o governo proporcionava aos mais necessitados a condição de comparecer aos espetáculos, mesmo porque eram os ricos quem patrocinavam as apresentações. Era um exercício de cidadania. O drama sempre foi uma das atividades cultivadas pelos gregos. Os maiores dramaturgos viveram em Atenas, na época de Péricles Destacam- se: Esquilo, Sófocles e Eurípedes. Na comédia, destaca-se Aristófanes, que ridicularizou as ideias revolucionárias e criticou os costumes da época. Máscara do teatro grego A Filosofia. A palavra filosofia tem origem grega e significa” amor à sabedoria”. Os primeiros filósofos da humanidade, boa parte deles gregos, tinham um interesse especial pela natureza e pelo sentido da vida. Muitos anos depois eles passaram a se interessar pelos problemas sociais e pela política. Foi a partir dos estudos e reflexões de grandes filósofos como Sócrates e seu discípulo Platão que boa parte do pensamento político, social e filosófico que conhecemos hoje. A cultura helenística pretendia não apenas representar o corpo humano, mas também suas emoções, suas dores e angústias. Por isso, muitas vezes, as expressões humanas parecem caricaturais e exageradas. A arte helenística corresponde à cultura iniciada sob o poder de Alexandre e seguida até o domínio da Grécia pelos romanos. A partir da conquista macedônica, em fins do século IV a.C., os artistas
  • 9. Página9-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos gregos procuraram criar obras cada vez mais realistas. Eles pretendiam não apenas representar o corpo humano, mas também suas emoções, suas dores e angústias. Por isso, muitas vezes, as expressões humanas parecem caricaturais e exageradas. A partir da conquista macedônica, em fins do século IV a.C., os artistas gregos procuraram criar obras cada vez mais realistas. Eles pretendiam não apenas representar o corpo humano, mas também suas emoções, suas dores e angústias. Nesse sentido, as esculturas apresentam preferência por temas trágicos e emocionantes, cujas esculturas apresentavam movimento e ação. A arte romana sofreu duas grandes influências: a da arte etrusca, popular e voltada para a expressão da realidade vivida, e a da grego-helenística, orientada para a expressão de um ideal de beleza. A arte romana tem pouca originalidade. Os romanos "copiaram" muitos aspectos da arte, pintura e arquitetura grega. Mesmo com toda influência e admiração nas concepções grega-helenística a respeito da arte, os romanos não abdicaram de um interesse muito próprio: retratar os traços particulares de uma pessoa. A arte dos romanos revela-nos um povo possuidor de um grande espírito prático: por toda parte em que estiveram, estabeleceram colônias, construíram casas, templos, termas, aquedutos, mercados e edifícios governamentais. Os balneários (casas de banhos) romanos espalharam-se pelas grandes cidades. Eram locais onde os senadores e membros da aristocracia romana iam para discutirem política e ampliar seus relacionamentos pessoais. A pintura romana sempre esteve estreitamente ligada à arquitetura, e sua finalidade era quase exclusivamente decorativa. A língua romana era o latim, que depois de um tempo espalhou-se pelos quatro cantos do império, dando origem na Idade Média, ao português, francês, italiano e espanhol. A literatura. A maior contribuição romana à história da cultura foi no setor literário. A mais conhecida obra literária dos romanos é Eneida do poeta Virgílio. Outro importante poeta foi Ovídio, autor Metamorfoses e a Arte de Amar; e Horácio, protegido de Augusto, escreveu as Odes. No campo cientifico, o desenvolvimento que os romanos alcançaram foi bastante limitado. Foi na ciência do direito que se revelou o gênio dos romanos antigos. O primeiro código escrito de leis elaborado em Roma, foi a Lei das Doze Tábuas, promulgado em 450 a.C. O Direito Romano dividia-se em três partes:  Jus Civile (Direito Civil) Era a lei de Roma e de seus cidadãos, incluindo os costumes e as leis escritas.  Jus Gentium (Direito dos Povos) – Era a lei comum a todos os homens, sem levar em consideração a sua nacionalidade; essa legislação autorizava a escravidão, a propriedade privada, os contratos e as transações de compra e venda.  Jus Naturale (Direito Natural) – Segundo esse direito, todo os homens têm, por natureza, certos direitos que os governos não têm autoridade para negar. A arte cristã. Em 313, Constantino legalizou o cristianismo. Isto permitiu a expansão da nova religião. No ano de 391, Teodósio oficializou-o como a religião do Império. Surgem os primeiros templos cristãos. Externamente, os templos mantiveram as características da arquitetura romana – destinava-se à administração da justiça e chegaram mesmo a conservar o seu nome - basílica. As paredes eram pintadas e revestida de mosaicos que ensinavam os mistérios da fé aos novos cristãos e contribuíam para o aprimoramento de sua espiritualidade. Além disso, o espaço interno foi organizado de acordo com as exigências do culto. Atividades 1) Na construção da sociedade ocidental, há um destaque, dado por muitos historiadores, aos feitos da civilização grega, nos setores mais diversos da sua vida. Muitos feitos culturais dos gregos: (A) *permanecem atuantes na contemporaneidade, contribuindo para o pensamento ocidental, inclusive na formulação de seus valores éticos e políticos.
  • 10. Página10-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos (B) Distanciam-se totalmente dos princípios dos nossos tempos, não sendo retomados pelos pensadores do mundo atual. (C) Estão restritos aos tempos da Antiguidade clássica, onde predominavam os interesses da aristocracia comercial de Atenas. (D) São diferentes dos feitos dos romanos e dos de outros povos da Antiguidade, pela universalização das suas práticas democráticas e estéticas. (E) Ficaram restritos às conquistas estéticas da arquitetura e da escultura, onde se salientava a harmonia das formas como princípio estético. 2) Das civilizações da Antiguidade, a hebraica e a grega legaram elementos culturais significativos, que influenciaram a formação da sociedade ocidental. Sobre essas civilizações, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: (A) Sócrates, Platão e Aristóteles, expoentes da filosofia grega, procuraram compreender a organização do mundo, do homem e da natureza, a partir da razão. (B) A religião hebraica, por ser a única monoteísta entre as religiões orientais, serviu como importante referência para o cristianismo. (C) O povo hebreu tem seu registro principal na Bíblia. (D) *os gregos deram impulso às ciências, graças ao papel que os sábios sacerdotes desenvolveram no interior dos mosteiros. (E) O teatro, desenvolvido sob as modalidades de tragédia e comédia, teve forte expressão entre os gregos. 3) Sobre a arte grega, marque V para as alternativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) Assim como a dignidade e o valor do homem centralizavam os conceitos gregos, a figura humana era o principal motivo da arte grega. ( ) Enquanto a filosofia destacava a harmonia, a ordem e a clareza de pensamento, a arte e arquitetura refletiam um respeito semelhante ao equilíbrio. ( ) A arte grega, secular e funcional, privilegiava a inovação e a eficiência, destacando-se, nesse sentido, construções arquitetônicas que acomodavam grandes públicos. ( ) Entre os legados arquitetônicos gregos, destaca-se o Parthenon, tempo construído na Acrópole, que utiliza a ordem dórica na sua estrutura. A sequência corretas de preenchimento de parênteses, de cima para baixo, corresponde à alternativa: (A) V-F-F-V (B) *V-V-F-V (C) V-F-V-F (D) F-V-V-F (E) F-V-F-V 4) A arte grega, no período .......................... atingiu a perfeição idealizada, surgindo grandes obras de técnica muito apurada. A escultura do período atingiu a perfeição na representação das formas humanas, sendo o Discóbolo, do escultor........................., uma das obras imortais dessa fase da história da arte grega. (A) Arcaico – Policleto (B) Homérico – Fídias (C) *clássico - Mirón (D) Pós-clássico - Mirón (E) Helenístico – Policleto 5) Sobre a pintura grega, considere as afirmativas abaixo.
  • 11. Página11-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos I – A pintura clássica grega era muito utilizada em cerâmicas, como na ânfora, representada ao lado. II – As cenas retratadas nas pinturas gregas estavam, geralmente, vinculadas à mitologia. III – A pintura grega mostrava cenas realistas, reproduzidas com um rigor quase fotográfico. Quais estão corretas? (A) Apenas I. (B) Apenas II. (C) Apenas III. (D) *Apenas I e II. (E) Apenas II e III. 6) Observe o desenho das colunas gregas abaixo. A associação correta entre a representação da coluna e sua respectiva ordem corresponde à alternativa: (A) I – ordem jônica; II – ordem coríntia; III – ordem dórica. (B) I – ordem coríntia; II – ordem jônica, III – ordem dórica. (C) I – ordem dórica; II – ordem coríntia; III – ordem jônica. (D) *I – ordem dórica; II – ordem jônica; III – ordem coríntia. (E) I – ordem jônica; II – ordem dórica; III – ordem coríntia. 7) Os traços mais característicos da cultura helenística são identificados [A] Nas preocupações éticas e espirituais ligadas aos castigos e recompensas de uma vida futura. [B] Nas tentativas de compreensão e organização do mundo, do homem e da natureza a partir da razão. [C] Na valorização e crença da inteligência e na beleza do homem, segundo o nível social a que pertencia. [D] *na preferência por temas trágicos e emocionantes, cujas esculturas apresentavam movimento e ação. [E] No amor à liberdade, à igualdade, e à fraternidade, princípio que seria adotado pelos ideólogos da Revolução Francesa. 8) Observe a imagem e analise as informações sobre a arte helenística. I – A arte helenística corresponde à fusão entre a cultura ocidental e a oriental, promovida por Alexandre Magno, no período que sucede ao classicismo grego. II – Os traços mais característicos da arte helenística são identificados nas preocupações éticas e espirituais ligadas aos castigos e recompensas de uma vida futura. III – A arte helenística é marcada pela preferência por temas trágicos e emocionantes, cujas esculturas apresentavam movimento e ação. IV – Entre as esculturas de destaque da arte helenística destaca-se a imagem ao lado, “Laoconte e seus filhos atacados pelas serpentes”. Quais estão corretas? (A) Apenas II e III. (B) Apenas I, II e III. (C) *Apenas I, III e IV. (D) Apenas II, III e IV. (E) I, II, III e IV. 9) Os traços mais característicos da cultura helenística são identificados
  • 12. Página12-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos (A) Nas preocupações éticas e espirituais ligadas aos castigos e recompensas de uma vida futura. (B) Nas tentativas de compreensão e organização do mundo, do homem e da natureza a partir da razão. (C) Na valorização e crença da inteligência e na beleza do homem, segundo o nível social a que pertencia. (D) *na preferência por temas trágicos e emocionantes, cujas esculturas apresentavam movimento e ação. (E) No amor à liberdade, à igualdade, e à fraternidade, princípio que seria adotado pelos ideólogos da Revolução Francesa. 5. CULTURAL NA IDADE MÉDIA A arte bizantina. A Arte bizantina tinha um objetivo: expressar a autoridade absoluta do imperador, considerado sagrado, representante de Deus e com poderes temporais e espirituais. Para que a arte atingisse melhor esse objetivo, uma série de convenções foram estabelecidas, tal como na arte egípcia. Uma delas foi a frontalidade, pois a postura rígida da figura leva o observador a uma atitude de respeito e veneração pelo personagem representado. Tudo que poderia ser representado estava rigorosamente determinado. As personalidades oficiais e os personagens sagrados passaram também a ser retratados de forma a trocar entre si seus elementos caracterizadores. Assim, a representação de personalidades oficiais sugeria que se tratava de personagens sagrados. Suas cabeças eram aureoladas, símbolo usado para caracterizar as figuras sagradas, como Cristo. Esse caráter majestoso da arte bizantina pode ser observado também na arquitetura como nos mosaicos e nas pinturas que decoram o interior das igrejas. Direito. No século VI, Justiniano codificou o Direito Romano. Organizou-se Corpo de Direito Civil (Corpos Júris Civilis). É o famoso Código de Justiniano. Cultura Medieval. Grande parte da produção artística medieval foi influenciada pelo cristianismo. O cristianismo nutriu grande parte das expressões culturais que marcaram as sociedades europeias da Idade Média. Além da autoridade espiritual, muitos sacerdotes da Igreja tinham poder temporal (decorrente da posse de bens materiais), pois haviam enriquecido à custa de doações feitas pelos fiéis, que acreditavam obter, com isso, possíveis recompensas no céu. A igreja católica conseguiu impor os valores do cristianismo em várias esferas da vida pública e privada. A maioria dos europeus acreditava na presença constante de Deus; os trabalhos e atividades tinham que ser abençoados pelos sacerdotes e grande parte das festas e distrações precisavam de um motivo religioso para acontecerem. A cultura medieval se espelhou rapidamente e o pensamento da igreja passou a ser conhecido como teocentrismo cultural, ou seja, o mundo era subordinado as leis de Deus. A arte medieval sofreu muita influência da igreja, que dizia o que era ou não era bom, gerando assim uma grande quantidade de obras religiosas. Os templos (igrejas, catedrais) e os demais edifícios tinham planta de cruz latina ou em basílica. A arquitetura religiosa foi a mais expressiva das manifestações artísticas medievais. Na arquitetura destacam-se dois estilos:  Românico (entre séculos XI e XIII), o mais antigo, caracteriza-se por traços simples com grossos pilares, tetos e arcos em abóbada, janelas estreitas e muros rústicos reforçados (mosteiros e basílicas). Suas características marcantes são a monumentalidade da construção e a horizontalidade. Os castelos seguiram um estilo voltado para o aspecto de defesa. As paredes eram grossas e existiam poucas e pequenas janelas. As igrejas deveriam ser fortes e resistentes para barrarem a entrada das “forças do mal”, enquanto os castelos deveriam proteger as pessoas dos ataques inimigos durante as guerras. Predominou principalmente na França, Inglaterra e Alemanha.  Gótico (entre os séculos XIII e XVI). Caracteriza-se por sua leveza, elegância e traços verticais. As construções (igrejas, mosteiros, castelos e catedrais) seguiram, no geral, algumas características em comum. Nas construções góticas, janelas enormes e luminosos vitrais, arcos em forma de ogiva, torres esguias e pontiagudas. É uma arquitetura de luz, lucidez e lógica. Isto reflete uma nova concepção teológica – a da escolástica. Um exemplo deste estilo é a igreja de São Miguel, em Lucca.
  • 13. Página13-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos Com relação às esculturas e pinturas, dos séculos XII e XIII (românica), podemos destacar o caráter didático-religioso. Numa época em que poucos sabiam ler, a Igreja utilizou as esculturas, vitrais e pinturas, principalmente dentro das igrejas e catedrais, para ensinar os princípios da religião católica. Os temas mais abordados foram: vida de Jesus e dos santos, passagens da Bíblia e outros temas cristãos. Giotto é considerado um dos maiores pintores da Idade Média. A atenção do pintor não era tanto nas paisagens, mais sim, na representação de Santos e divindades. Pintura de Giotto Com relação às esculturas góticas, prevaleceu o realismo. Os artistas procuravam transmitir um aspecto real e humano às figuras retratadas (anjos, santos e personagens bíblicos). Quanto à pintura, destacaram as iluminuras, os vitrais, painéis e afrescos. Apesar da predominância da temática religiosa, nota-se, no século XV, características renascentistas - busca do realismo, expressões emotivas e diversidade de cores. Música. Na música sacra destacou-se o papa Gregório Magno, que introduziu o canto gregoriano, caracterizado por uma melodia simples cantada em uníssono por várias vozes outro destaque foi o monge Guido d'Arezzo que deu nome ás sete notas musicais. Na música popular, destacaram-se as canções dos trovadores8 e menestréis9 . Literatura. A produção literária medieval foi, durante a Alta Idade Média, privilégio dos clérigos que liam e escreviam em latim. A literatura medieval deu origem a formas e temas que viriam marcar profundamente a evolução da mentalidade ocidental. Destacam-se dois estilos:  Poesia Épica (trovadoresca) exaltava a coragem dos cavaleiros em prol do cristianismo. Produzida em línguas vulgares, ou seja, faladas no cotidiano, em contraposição ao latim, a língua erudita. Ela exprime os sofrimentos de amor; a canção de gesta, que enaltece os feitos e as aventuras épicas da cavalaria; a poesia goliarda, manifestação boêmia dos estudantes da época, que criticavam todas as instituições;  Poesia Lírica. Exaltava o amor cortês dos cavaleiros por suas damas. Dentre os principais nomes da literatura medieval temo Dante Alighieri, autor de Divina Comédia, onde critica a Itália de seu tempo, revela questões de fé, de política e de poesia, realizando na literatura a síntese das concepções escolásticas e Giovane Boccaccio, italiano, autor de Contos de Canterbury. A Educação. Era o clero católico. No século IX, fundaram-se escolas junto as catedrais. Logo em seguida, vieram as universidades. Sendo que algumas delas são conhecidas até hoje, com exemplo: Oxford e Cambridge. A ciência e a filosofia estavam entrelaçadas. A influência árabe e grega foram muito forte para o progresso da matemática, astronomia, biologia e medicina. Um dos grandes nomes da ciência medieval foi o monge franciscano Roger Bacon (1214-1294), que introduziu a observação da natureza e o uso de experimentação com métodos científicos. Na filosofia, destacaram-se santo Agostinho e Tomás de Aquino. A principal preocupação deles era tentar harmonizar a fé cristã com a razão. A filosofia de Santo Agostinho ficou conhecida por Patrística. Suas principais obras foram Confissões e Cidade de Deus. Já São Tomás de Aquino, conseguiu reconstruir, dentro da visão cristã, boa parte das teorias de Aristóteles. Nascia a Escolástica. Constrói-se uma concepção mais otimista e empreendedora do homem: o progresso do ser humano dependia não só da vontade divina, mas do esforço do próprio homem. Sua principal obra é Suma teológica. 8 Eram os compositores e poetas que criavam obras de caráter popular. 9 Era o cantor do trovador. Visto que sempre o acompanhava.
  • 14. Página14-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos Atividades 1) Embora a idade média seja conhecida como “idade das trevas”, que tipos de avanços ocorreram nesse período? a) Avanço do cristianismo como força unificadora da Europa. b) Desenvolvimento da língua e literatura europeia. c) Criação de universidades, igrejas e da arte gótica. d) *o nascimento e união da cultura do império romano com os ideais gregos. 2) As universidades tinham forte influência da igreja, prova disto era o fato das aulas serem ministradas em latim e uma das matérias de estudo ser teologia. Por isso quais alguns dos privilégios que as universidades gozavam? (A) Isenção de impostos e contribuições. (B) Seus alunos tinham a dispensa do serviço militar. (C) O direito a julgamento especial em foro acadêmico para seus membros. (D) *Os alunos mesmo estudando eram obrigados aprestar o serviço militar. 3) Marque a alternativa correta: Na literatura, as poesias tiveram seu auge. As mais destacadas foram a épica e a lírica. Dê a definição de cada uma respectivamente: [A] *A poesia épica mostra as ações corajosas dos cavaleiros e a poesia lírica mostra o sentimento e o amor cortês do cavaleiro em relação à sua amada dama. [B] A poesia épica destaca o amor e os sentimentos do cavaleiro em relação à sua dama e a poesia lírica exalta os atos de bravura dos cavaleiros. [C] A poesia épica valoriza o sentimento de lealdade dos cavaleiros ao seu senhor e a poesia lírica mostra o sentimento de desesperança dos camponeses. [D] A poesia épica retrata o poder total dos reis sobre nobres, cavaleiros e plebeus. A poesia lírica mostra a reação negativa das damas em relação aos seus cavaleiros. 4) Na arquitetura, que estilos tiveram maior destaque: [A] Gótico e romântico. [B] *Românico e gótico. [C] Épico e gótico. [D] Rústico e românico. 6. CULTURA RENASCENTISTA O termo Renascimento é um termo vago e impreciso, admitindo várias interpretações. Isto torna dificultoso o estudo desse movimento cultural. Entende-se por Renascimento o período que se segue à Idade Medieval, marcado pelo reanimar das letras e artes num reencontro com a Antiguidade Clássica. A inspiração dos renascentistas em ideais greco-romanos não significa uma mera imitação. O Renascimento subestima e desconhece a cultura medieval. Para muitos, todo o período medieval foi uma época de trevas e ignorância. O Renascimento Cultural ou Renascença, como já vimos, foi o surgimento de uma cultura leiga, antropocêntrica e humanista, em oposição à cultura eminentemente religiosa e teocêntrica do mundo medieval. Este momento marcou-se pela evolução que evidenciou a substituição do pensamento teocêntrico e simbólico medieval por uma mentalidade humanista, racional e crítica que desabrochou no recuperar do espírito clássico na Itália e nos descobrimentos expansionistas na Ibéria. O renascimento apresentou um novo conjunto de temas e interesses aos meios científicos e culturais de sua época. O renascimento não pode ser visto como uma radical ruptura com o mundo medieval. Para o renascentista, a razão era uma manifestação do espírito humano que colocava o indivíduo mais próximo de Deus. Outro aspecto fundamental das obras renascentistas era o privilégio dado às ações humanas, ou humanismo. Os principais aspectos do Renascimento foram:  O racionalismo e o abandono do mundo sobrenatural;
  • 15. Página15-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos  Experimentalismo: o conhecimento deve ser demonstrado através de experiências;  O antropocentrismo, onde o homem é o centro de tudo;  O universalismo, caracterizado pela descoberta do mundo;  O naturalismo, acentuando o papel da natureza;  O individualismo, valorizando o talento e o trabalho;  O humanismo. O movimento Renascentista está relacionado ao afluxo ao mundo urbano, o consequente dinamismo socioeconômico, as ligações internacionais e a promoção duma nova ordem social europeia, em que a Igreja partilhava do poder laico da nobreza, e agora da burguesia. O Renascimento Cultural é um produto das transformações europeias no alvorecer da Idade Moderna. Face a expansão marítima, a Europa passou a conhecer às novidades geográficas e novas culturas. A esse intercâmbio cultural e comercial mundial aliaram-se num período para a hegemonia europeia sobre o mundo. A par da prosperidade dos novos Impérios, a ciência, a arte e a filosofia floresciam. Na Itália, as repúblicas e ducados, viviam uma economia privilegiada, suportada em desenvolvimento do comércio internacional, que fez surgir a burguesia. Ao se impor como classe dominante, torna hegemônico seu estilo de vida, dirigido ao trabalho, ao luxo e ao intelecto. Esse é o paradigma do novo Homem Renascentista. Com a nascente burguesia, gerou-se o mecenato. Muitos burgueses, ao entusiasmarem-se com as temáticas do Renascimento, financiavam muitos artistas e cientistas. Além disso, podemos ainda destacar a busca por prazeres (hedonismo) como outro aspecto fundamental que colocava o individualismo da modernidade em voga. Foi na Itália onde mais se valorizou a redescoberta clássica, resgatando-se peças e obras desse tempo, imitando-se o espírito cultural de então. Os artistas renascentistas impuseram-se como intelectuais, em vez de simples artesãos, pelo seu talento técnico, compreensão e inovação artística. A profissionalização desses renascentistas foi responsável por um conjunto extenso de obras que acabou dividindo o movimento em três períodos: Trecento, Quatrocento, Cinquecento. No Trecento (século XIV), podemos destacar o legado literário de Petrarca (“De África” e “Odes a Laura”) e Dante Alighieri (“Divina Comédia”), bem como as pinturas de Giotto di Bondoni (“O beijo de Judas”, “Juízo Final”, “A lamentação” e “Lamento ante Cristo Morto”), Giovanni Boccaccio que escreveu Decameron. Lamentação de Cristo, 1303-06. Giotto. No Quatrocento (século XV), o Renascimento contou com a obra artística do italiano Leonardo da Vinci (Mona Lisa), Sandro Botticelli (1444/1510), Maquiavel (fundador da ciência política com sua obra O Príncipe) e as críticas ácidas do escritor holandês Erasmo de Roterdã (Elogio à Loucura), considerado o "príncipe dos humanistas". Atuação dos Médicis, que financiaram os artistas. Já no Cinquecento (século XVI), movimento se expandiu pela Europa. Em Portugal, destaque para Gil Vicente (Auto da Barca do Inferno) e Luís de Camões (Os Lusíadas) e na Espanha (Miguel de Cervantes, “Dom Quixote de la Mancha”). Na Alemanha, os quadros de Albrecht Dürer (“Adão e Eva” e “Melancolia”) e Hans Holbein (“Cristo Morto” e “A virgem do Burgomestre Meyer”). Na França, seus grandes representantes foram François Rabelais (“Gargântua e Pantagruel”) e Montaigne (Ensaios) e na Inglaterra, Thomas Morus (Utopia) e Shakespeare, autor de magníficos textos teatrais. O grande mecenas do período foi o papa Júlio II que pretendia reforçar a grandiosidade e o poder de Roma. Os grandes destaques italianos foram Rafael Sânzio e Michelangelo (1475/1564), pintor da capela Sistina e foi o grande escultor da Renascença.
  • 16. Página16-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos “O casamento dos Arnolfini” No campo científico, o racionalismo contribuiu para a valorização da matemática, da experimentação e da observação sistemática da natureza. Podemos destacar o rebuliço da teoria heliocêntrica defendida pelos estudiosos Nicolau Copérnico, Galileu Galilei e Giordano Bruno, considerado herege foi queimado na fogueira em 1600. Nos idos dos Quinhentos (Cinquecento), o espírito renovador renascentista começa a ameaçar o poder da Igreja Católica. Neste contexto se dá o movimento de Reforma Religiosa (Protestante). Para punir aqueles que se afastaram do rebanho católico, a Igreja Católica reforma a se própria e toma ações repressivas sobre os dissidentes. O Renascimento entra em decadência após a perda de prestígio econômico das cidades italianas, em decorrência das Grandes Navegações -que muda o eixo econômico do Mediterrâneo para o Atlântico; e da Contra Reforma Católica que limitou a liberdade de expressão. Atividades 1) Com relação às artes e às letras de seu tempo, os humanistas dos séculos XV e XVI afirmavam: a) Que a literatura e as artes plásticas passavam por um período de florescimento, dando continuidade ao período medieval. b) *que a literatura e as artes plásticas, em profunda decadência no período anterior, renasciam com o esplendor da Antiguidade. c) Que as letras continuavam as tradições medievais, enquanto a arquitetura, a pintura e a escultura rompiam com os velhos estilos. d) Que as artes plásticas continuavam as tradições medievais, enquanto a literatura criava novos estilos. e) Que o alto nível das artes e das letras do período nada tinha a ver com a Antiguidade nem com o período medieval. 2) Durante o Renascimento, houve um notável desenvolvimento da produção literária, além das artes plásticas. Indique a alternativa em que obra e autor estão corretos: a) O Príncipe – Shakespeare b) *Dom Quixote - Miguel de Cervantes c) Os Lusíadas - Erasmo de Roterdã d) Hamlet - Dante Alighieri e) Utopia - François Rabelais 3) Leia o texto abaixo e depois responda o que se pede. "Se volveres a lembrança ao Gênese, entenderás que o homem retira da natureza seu sustento e a sua felicidade. O usuário, ao contrário, nega a ambas, desprezando a natureza e o modo de vida que ela ensina, pois outros são no mundo seus ideais." (Dante Alighieri, A DIVINA COMÉDIA, Inferno, canto XI, tradução de Hernâni Donato). Esta passagem do poeta florentino exprime: a) Uma visão já moderna da natureza, que aqui aparece sobreposta aos interesses do homem. b) Um ponto de vista já ultrapassado no seu tempo, posto que a usura era uma prática comum e não mais proibida. c) Uma nostalgia pela Antiguidade greco- romana, onde a prática da usura era severamente coibida. d) *uma concepção dominante na Baixa Idade Média, de condenação à prática da usura por ser contrária ao espírito cristão. e) Uma perspectiva original, uma vez que combina a prática da usura com a felicidade humana. 4) No contexto do Renascimento, é correto afirmar que o Humanismo: 1. Apoiava-se em concepções nascidas na Antiguidade Clássica. 2. Teve em Erasmo de Rotterdam um de seus principais expoentes. 3. Influenciou concepções que desencadearam a "Reforma Religiosa".
  • 17. Página17-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos 4. Inspirou uma verdadeira revolução cultural, iniciada na Itália. 5. Contribuiu para o desenvolvimento dos estudos científicos. [A] Se apenas 1 e 2 forem incorretos; [B] Se apenas 2 e 3 forem incorretos; [C] Se apenas 2, 3 e 4 forem incorretos; [D] *Se todos forem corretos; [E] Se todos forem incorretos. 5) As alternativas abaixo apresentam de modo correto características do Renascimento, exceto uma. Assinale-a. [A] O retorno aos valores do mundo clássico, na literatura, nas artes, nas ciências e na filosofia. [B] A valorização da experimentação como um dos caminhos para a investigação dos fenômenos da natureza. [C] A possibilidade de uma estreita relação entre os diferentes campos do conhecimento. [D] O fato de ter ocorrido com exclusividade nas cidades italianas. [E] O uso da linguagem matemática e da experimentação nos estudos dos fenômenos da natureza. 6) A história da cultura renascentista nos ilustra com clareza todo o processo de construção cultural do homem moderno e da sociedade contemporânea. Nele se manifestam, já muito dinâmicos e predominantes, os germes do individualismo, do racionalismo e da ambição ilimitada, típicos de comportamentos mais imperativos e representativos do nosso tempo. (SEVCENKO, Nicolau. O Renascimento. São Paulo: Atual, 1987.) Sobre a cultura renascentista, a que se refere Nicolau Shevchenko, assinale V (Verdadeiro) para as afirmações verdadeiras e F (Falso) paras as afirmações falsas. 1. ( ) O Renascimento marcou a transição da mentalidade medieval para a mentalidade moderna, ao traduzir novas concepções que tinham como referência o humanismo, enquanto base intelectual que procurava definir e afirmar o novo papel do homem no universo. 2. ( ) Em meio à desorganização administrativa, econômica e social, principais características da cultura renascentista, praticamente apenas a Igreja Católica conseguiu manter-se como instituição, conquistando assim grandes poderes e ampliando sua influência sobre a sociedade. 3. ( ) Ao formular princípios como o humanismo, o racionalismo e o individualismo, o movimento renascentista estabeleceu as bases intelectuais do mundo moderno. 4. ( ) A cultura renascentista consagrou a vitória da razão abstrata, instância suprema de toda a cultura moderna, pautada no rigor das matemáticas que passaram a reger os sistemas de controle do tempo, do espaço, do trabalho e do domínio da natureza. 5. ( ) Em meio a esse processo, transformações socioeconômicas culminaram na substituição de pequenas oficinas de artesãos por fábricas, assim como as ferramentas simples foram trocadas pelas novas máquinas que então haviam surgido. Assinale a alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo. [A] V F V V F [B] V V F V V [C] F F V V F [D] F V F V V [E] V V F F V 7) O mundo moderno está associado, na sua origem, à cultura renascentista. Invenções e descobertas só puderam ser realizadas porque os intelectuais renascentistas reuniram tradições clássicas ocidentais e orientais, a fim de dar novo sentido à ideia de HOMEM e NATUREZA. Assinale a afirmativa que pode ser corretamente associada ao Renascimento. [A] O livro da natureza foi escrito em caracteres matemáticos. (Galileu) [B] O homem é imagem e semelhança de Deus. (Jean Bodin) [C] O mundo é perfeito porque é uma obra divina e, assim, só pode ser esférico. (Marsílio Ficino) [D] A perspectiva é o fundamento da relação entre espaço humano e natureza divina. (Alberti) [E] A proporção é a qualidade matemática inadequada à representação do mundo natural. (Leonardo da Vinci) 8) A Renascença ou Renascimento foi um movimento artístico e científico ocorrido na Europa entre os séculos XV e XVI. Sobre esse movimento, identifique a(s) afirmativa(s) verdadeira(s): 1. ( ) A utilização de métodos experimentais e de observação da natureza e do universo orientou a ação dos cientistas durante o Renascimento. O período demarca, ainda, o início de um processo de maior valorização da razão humana e do indivíduo.
  • 18. Página18-CIÊNCIASHUMANASESUASTECNOLOGIA–HISTÓRIA-MANIFESTAÇÕESCULTURAIS–ProfessorJorgemarcos 2. ( ) O Renascimento, baseado na ideologia ab- solutista, foi um movimento de valorização do mundo rural. Essa característica pode ser entendida pela forte influência dos mecenas, uma vez que todos eles eram vinculados à agricultura. 3. ( ) O Renascimento surge no período de transição da sociedade medieval para a sociedade moderna e representa uma nova visão de mundo. Suas principais características eram o racionalismo e o antropocentrismo. 4. ( ) Uma das mudanças propiciadas pela cultura renascentista foi a valorização da natureza, em contraste com as explicações sobrenaturais sobre o mundo. 9) Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências ao Renascimento: 1. ( ) O significado do termo Renascimento está associado à ideia de um novo nascimento da cultura europeia, nas suas variadas manifestações, especialmente nas artes. 2. ( ) Os pensadores renascentistas limitaram-se a imitar os modelos das civilizações grega e romana. 3. ( ) Entre os renascentistas mais conhecidos nas artes plásticas destacaram-se Miguel Ângelo, Leonardo da Vinci e Rafael. 4. ( ) Entre os escritos renascentistas destacaram- se "O Elogio da Loucura" (Erasmo de Rotterdam), "O Príncipe" (Nicolau Maquiavel) e "A Utopia" (Thomas Morus). 5. ( ) Fenômeno marcante da cultura renascentista foi seu caráter universalista. O deísmo, porém, foi um dos ideais almejados, pois dava acesso à sabedoria e à santidade. 6. ( ) O renascimento religioso, identificado na Europa por vários historiadores, foi associado à Reforma Protestante e à Contra Reforma Católico. 10) O Renascimento, amplo movimento artístico, literário e científico, expandiu-se da Península Itálica por quase toda a Europa, provocando transformações na sociedade. Sobre o tema, é correto afirmar que: a) O racionalismo renascentista reforçou o princípio da autoridade da ciência teológica e da tradição medieval. b) Houve o resgate, pelos intelectuais renascentistas, dos ideais medievais ligados aos dogmas do catolicismo, sobretudo da concepção teocêntrica de mundo. c) Nesse período, reafirmou-se a ideia de homem cidadão, que terminou por enfraquecer os sentimentos de identidade nacional e cultural, os quais contribuíram para o fim das monarquias absolutas. d) O humanismo pregou a determinação das ações humanas pelo divino e negou que o homem tivesse a capacidade de agir sobre o mundo, transformando-o de acordo com sua vontade e interesse. e) Os estudiosos do período buscaram apoio no método experimental e na reflexão racional, valorizando a natureza e o ser humano.