<ul><li>PROFª: professora Graças Brito </li></ul><ul><li>NOÇÕES BÁSICAS: </li></ul><ul><li>O QUE É LITERATURA?  </li></ul>...
<ul><li>FUNÇÕES DA LITERATURA: </li></ul><ul><li>Função evasiva – fuga da realidade; </li></ul><ul><li>Função lúdica – jog...
<ul><li>Função de “Arte pela arte” – descompromissada das lutas sociais (Parnasianismo) </li></ul><ul><li>Função de litera...
Do açúcar Do pão   O funcionário público Não cabe no poema Com seu salário de fome  Sua vida fechada Em arquivos. Como não...
Só cabem no poema O homem sem estômago A mulher de nuvens A furta sem preço   O poema, senhores, Não fede Nem cheira. ( An...
Nosso interesse está na literatura dita “canonizada” – conj. de obras escritas e aceitas como artisticamente valiosas e re...
DIFERENÇAS ENTRE UM TEXTO LITERÁRIO E UM NÃO-LITERÁRIO:   Texto Literário:              ênfase na expressão;           l...
<ul><li>Texto não-literário: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>ênfase no conteúdo; </li></ul><ul><li>linguagem denotat...
Texto 1:   “ Uma nuvem colossal em forma de cogumelo sobre a cidade japonesa de Hiroxima assinala a morte de 80 mil de seu...
Texto 2 A ROSA DE HIROXIMA (Vinícius de Moraes)  Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas P...
mas oh não se esqueçam Da rosa, da rosa Da rosa de Hiroxima A rosa hereditária A rosa radioativa Estúpida e inválida A ros...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Literatura

1.502 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.502
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Literatura

  1. 1. <ul><li>PROFª: professora Graças Brito </li></ul><ul><li>NOÇÕES BÁSICAS: </li></ul><ul><li>O QUE É LITERATURA? </li></ul><ul><li>“ Arte literária é mimese(imitação); é a arte que imita pela palavra.” (Aristóteles,séc.IV a.c.)  </li></ul><ul><li>Cria imagens,discute valores,estabelece diálogo estético e crítico com a realidade por meio de trabalho elaborado com a palavra. </li></ul><ul><li>Literatura como imitação da realidade; </li></ul><ul><li>Manifestação artística; </li></ul><ul><li>A palavra como matéria-prima; </li></ul><ul><li>Manifestação da expressividade humana. </li></ul>
  2. 2. <ul><li>FUNÇÕES DA LITERATURA: </li></ul><ul><li>Função evasiva – fuga da realidade; </li></ul><ul><li>Função lúdica – jogo de experiências sonoras e de relações surpreendentes; </li></ul><ul><li>Ex. A ONDA (Manuel Bandeira)  </li></ul><ul><li>A onda anda </li></ul><ul><li>Aonde anda </li></ul><ul><li>A onda? </li></ul><ul><li>A onda ainda </li></ul><ul><li>Ainda onda </li></ul><ul><li>Ainda anda </li></ul><ul><li>Aonde? </li></ul><ul><li>Aonde? </li></ul><ul><li>A onda a onda </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Função de “Arte pela arte” – descompromissada das lutas sociais (Parnasianismo) </li></ul><ul><li>Função de literatura “engajada” – comprometida com a defesa de certas idéias políticas. </li></ul><ul><li>Ex. NÃO HÁ VAGAS (Ferreira Gullar) </li></ul><ul><li>O preço do feijão </li></ul><ul><li>Não cabe no poema. O preço </li></ul><ul><li>Do arroz </li></ul><ul><li>Não cabe no poema. </li></ul><ul><li>Não cabem no poema o gás </li></ul><ul><li>A luz o telefone </li></ul><ul><li>A sonegação </li></ul><ul><li>Do leite </li></ul><ul><li>Da carne </li></ul>
  4. 4. Do açúcar Do pão   O funcionário público Não cabe no poema Com seu salário de fome Sua vida fechada Em arquivos. Como não cabe no poema O operário Que esmerila seu dia de aço E carvão Nas oficinas escuras -         porque o poema, senhores está fechado: “Não há vagas”
  5. 5. Só cabem no poema O homem sem estômago A mulher de nuvens A furta sem preço   O poema, senhores, Não fede Nem cheira. ( Antologia Poética)    
  6. 6. Nosso interesse está na literatura dita “canonizada” – conj. de obras escritas e aceitas como artisticamente valiosas e representativas de nossa herança cultural. Ex. “Dom Casmurro”, de Machado de Assis; “Vidas secas”, de Graciliano Ramos; “A Hora da Estrela”, de Clarice Lispector, dentre outras.   LITERATURA É A ARTE DA LINGUAGEM ESCRITA, QUE EXPLORA TODAS AS POTENCIALIDADES DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO E É CAPAZ DE TRANSPOR LIMITES DE TEMPO E ESPAÇO.  
  7. 7. DIFERENÇAS ENTRE UM TEXTO LITERÁRIO E UM NÃO-LITERÁRIO:   Texto Literário:            ênfase na expressão;          linguagem conotativa;          linguagem mais pessoal, emotiva;          recriação da realidade;          ambiguidade – recurso criativo.
  8. 8. <ul><li>Texto não-literário: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>ênfase no conteúdo; </li></ul><ul><li>linguagem denotativa; </li></ul><ul><li>linguagem mais impessoal; </li></ul><ul><li>realidade apenas traduzida; </li></ul><ul><li>Normalmente sem ambigüidade ou duplas interpretações. </li></ul>
  9. 9. Texto 1:   “ Uma nuvem colossal em forma de cogumelo sobre a cidade japonesa de Hiroxima assinala a morte de 80 mil de seus habitantes – vítimas do primeiro ataque nuclear do mundo, em 6 de agosto de 1945. O lançamento da bomba, uma das duas únicas do arsenal americano, foi feito para forçar os japoneses à rendição. Como não houve resposta imediata, os americanos lançaram outro “artefato” remanescente sobre Nagasaqui e os russos empreenderam a prometida invasão à Manchúria. Uma semana depois, o governo japonês concordou com os termos da rendição e a capitulação formal foi assinada em 2 de setembro.” (“A sombra dos ditadores”, História dos ditadores, 1993, p.88)  
  10. 10. Texto 2 A ROSA DE HIROXIMA (Vinícius de Moraes)  Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas como rosas cálidas  
  11. 11. mas oh não se esqueçam Da rosa, da rosa Da rosa de Hiroxima A rosa hereditária A rosa radioativa Estúpida e inválida A rosa com cirrose A anti-rosa atômica Sem cor sem perfume Sem rosa sem nada.

×