A origem das espécies charles darwin

1.990 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.990
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A origem das espécies charles darwin

  1. 1. A Origem das Espécies 24 de novembro de 1859
  2. 2. Sumário
  3. 3. A Origem das Espécies • ...em janeiro de 1860 foi publicada nova edição, e o livro teve um total de seis edições, durante a vida de Darwin. Nunca mais deixou de ser publicado, e já foi traduzido para mais de 30 línguas. • Apesar de ser um clássico científico, foi escrito para o leitor de cultura média do tempo de D. • A teoria da evolução é a pedra fundamental da moderna biologia e o livro de Darwin, o completo alicerce dessa teoria.
  4. 4. A Origem das Espécies • Ideia proposta: as espécies de plantas e de animais podem sofrer alterações com o passar do tempo. • Erasmus Darwin (tratado/evolução séc. XVIII) • Jean Baptiste de Lamarck (mutabiliII 1809) • 3, 4, 20 pessoas (aspectos sobre evolução) • Porém, é de Darwin que deriva a moderna teoria da evolução. Por quê?
  5. 5. Duas são as razões principais • Em primeiro lugar, Darwin paciente e sistematicamente fez uma avaliação de todos os tipos de evidência sobre o assunto. Viajando, observando, colecionando e estudando os fenômenos geológicos e biológicos com os quais se defrontava. Leu extensa e profundamente e fez experiências cuidadosas. A obra pois é alentada e de notável profundidade. • Em segundo lugar, Darwin conseguiu apresentar um mecanismo plausível para explicar a modificação das se le ção na tu ral espécies: .
  6. 6. Seleção Natural
  7. 7. “Um ensaio sobre o Princípio da População” de Thomas Malthus • Neste livro, Malthus acentuava que é um princípio geral da natureza o fato de os organismos vivos produzirem um número maior de descendentes do que aquele que normalmente pode-se esperar que sobreviva até a maturidade produtiva. Ex. carvalho centenas de bolotas, pássaro dezenas de filhotes, salmão milhares de ovos.
  8. 8. Um ensaio sobre o Princípio da População” de Thomas Malthus • O trabalho de Malthus levou Darwin a compreender um ponto importante: devia haver uma seleção entre a prole para resolver quais devem sobreviver e quais perecerão. A seleção natural pode, segundo Darwin, explicar a evolução biológica (descendência com modificação). Assim como o homem pode efetuar mudanças espantosas nos animais domésticos, selecionando artificialmente características que considera desejáveis, a natureza “seleciona” os membros de uma espécie mais capazes de enfrentar os rigores da vida.
  9. 9. Como dizia o filósofo evolucionista do séc. XIX Herbert Spencer, a natureza garante “a sobrevivência do mais apto”
  10. 10. Alfredo Russel Wallace (1823-1913) • O naturalista Alfred Russel Wallace, descobriu independentemente o princípio da seleção natural em 1858, o que fez com que Darwin se apressasse em publicar suas teorias. • • • • • Wallace sempre creditou a Darwin a descoberta da seleção natural. Como resultado do pedido do próprio Wallace, Darwin abandonou um longo livro sobre seleção Natural (nunca terminado), e aplicou suas energias em uma Obra menos extensa sobre evolução: “A origem das espécies”.
  11. 11. “Que grande estupidez não ter pensado nisso!” • Thomas Henry Huxley foi um biólogo britânico que ficou conhecido como "O Buldogue de Darwin", por ser o principal defensor público da teoria da evolução de Charles Darwin e um dos principais cientistas ingleses do século XIX.
  12. 12. Deus • Antes de Darwin, a maioria dos biólogos considerava as espécies como grupos fixos e eternos, determinados por Deus. Uma vez que Deus criara diretamente as espécies individuais das plantas e animais, cada espécie possuía suas características essenciais e definidas - tacitamente supostas como sendo as mesmas do membro original ou o par reprodutor de cada tipo ou espécie. • Embora os naturalistas reconhecessem que era possível alguma variação dentro de uma espécie, os cientistas pré-darwinianos insistiam em que havia limites naturais para essas variações.
  13. 13. Tempo (como são incompreensivelmente vastos os períodos de tempo passado) – Estimativas modernas calculam a idade da terra em aproximadamente 4 bilhões e 600 milhões de anos. • Gradual • Saltos (Natura non facit saltum) • Hereditariedade (pangênese) O registro fóssil, a origem das adaptações complexas e principais grupos biológicos, a hereditariedade e as variações, e o tempo necessário para que se processe a evolução – são apenas alguns dos muitos problemas que D. teve de enfrentar
  14. 14. A Origem das Espécies • Darwin mostrou que a seleção natural tende a modificar as características dos indivíduos ao longo das gerações, podendo gerar o aparecimento de novas espécies. • A partir desta teoria pode-se estudar sob o aspecto evolutivo todo o parentesco entre os seres vivos da Terra, o que culminou em uma árvore genealógica da vida. Nela, os organismos unicelulares semelhantes às bactérias foram os primeiros seres vivos, surgidos a 3 bilhões de anos nos mares primitivos. Toda a informação genética dos seres vivos está registrada no DNA, a proteína que constitui os genes e cromossomos.
  15. 15. Imagens
  16. 16. Os princípios básicos das ideias de Darwin podem ser assim resumidos: • Os indivíduos de uma mesma espécie apresentam variações em todos os caracteres, não sendo, portanto, idênticos entre si. • Todo organismo tem grande capacidade de reprodução, produzindo descendentes, mas, apenas alguns chegam à idade adulta. • O número de indivíduos de uma espécie é mantido mais ou menos constante ao longo das gerações. • Existe grande "luta" pela vida entre os descendentes, pois apesar de nascerem muitos indivíduos poucos sobrevivem. • Na "luta" pela vida, organismos com variações favoráveis ás condições do ambiente onde vivem têm maiores chances de sobreviver. • Esses organismos têm maiores chances de deixar descendentes. Como há transmissão de caracteres de pais p/ filhos, eles apresentam essas variações vantajosas. • Ao longo das gerações, a atuação da seleção natural sobre os indivíduos mantém ou melhora o grau de adaptação destes ao meio no qual estão inseridos.
  17. 17. M.B.
  18. 18. Como Darwin chegou à teoria?
  19. 19. Como a evolução acontece
  20. 20. Árvore da vida
  21. 21. Exemplos de resistência
  22. 22. Genes – Mutação – Novo Gene Genótipos XFenótipos Cromossomos 23pares Gametas Meiose DominanteX Recessivo
  23. 23. Mutações • • • • Heterozigotos não possuem malária Especiação alopátrica “em outro lugar” Sazonal ou estacional Vida originou-se em ambiente não oxigenado e a atmosfera foi transformada • Seleção natural atua sobre o indivíduo (ñ para a espécie)
  24. 24. Variação na Domesticação • Efeitos do hábito e do uso e desuso de certas partes • Variação correlata; Herança • “Acreditando que é sempre melhor estudar um grupo especial, estudei o pombo doméstico. Criei todas as raças que pude comprar ou obter e recebi de presente peles de várias partes do mundo.”
  25. 25. • "A disposição semelhante dos ossos na mão humana, na asa do morcego, na barbatana do golfinho e na perna do cavalo; o mesmo número de vértebras no pescoço da girafa e no do elefante; todos estes fatos e um número infinito de outros semelhantes explicam-se facilmente pela teoria da descendência com modificações sucessivas, lentas e ligeiras [pequenas]. A semelhança de tipo entre a asa e a perna do morcego, ainda que destinadas a usos tão diversos; entre as maxilas e as patas do escaravelho; entre as pétalas, os estames e pistilos de uma flor, explica-se igualmente em grande escala pela teoria da modificação gradual das partes e dos órgãos que, num antepassado afastado de cada uma dessas classes, eram primitivamente semelhantes. Vemos claramente, segundo o princípio de que as variações sucessivas não sobrevêm sempre numa idade precoce e apenas são hereditárias na idade correspondente, porque os embriões de mamíferos, de aves, de répteis e de peixes, são tão semelhantes entre si e tão diferentes no estado adulto. Podemos cessar de nos maravilhar [espantar] de que os embriões* de um mamífero de respiração aérea, ou de uma ave, tenham fendas branquiais e artérias em rede, como no peixe, que deve, por meio de guelras bem desenvolvidas, respirar o ar dissolvido na água." DARWIN, Charles. A Origem das Espécies - no meio da seleção natural ou a luta pela existência na natureza, tradução de Mesquita Paul, p. 542-543, em ecologia.ib.usp.br/ffa/arquivos/abril/darwin1.pdf
  26. 26. Conclusão
  27. 27. Conclusão
  28. 28. Conclusão
  29. 29. Conclusão
  30. 30. Conclusão

×