ESTUDO E SIMULAÇÃO DAARQUITETURA IPV6 SOBRE
REDES MPLS/VPN
Discente: Jonata Braz Marim dos Santos
Orientador: Prof. Msc. M...
Roteiro
2 de 18
 Introdução
 Justificativas;
 Objetivos;
 Definição do MPLS;
 Características do protocolo IPV6;
 Me...
Introdução
3 de 18
 Os dois principais problemas evidentes na maior rede de
computadores (Internet) é o esgotamento de en...
Justificativa
4 de 18
 O protocolo MPLS vem se mostrando como uma
alternativa de suporte aos serviços de QoS, engenharia
...
Objetivos específicos
5 de 18
 Descrever o protocolo MPLS.
Objetivo geral
 Criar um cenário de uma rede que demonstre o
...
MPLS (Multiprotocol Label Switch)
LSP (Label Switch Path);
FEC (Forwarding Equivalence Class);
LSR ( Label Switch Route...
MPLS (Multiprotocol Label Switch)
7 de 18
MPLS/VPN
Fonte: (MENDONÇA, 2010)
MENDONÇA, R. (07 de Novembro de 2010). Serviços...
Protocolo IPV6
Cabeçalho do IPv6
8 de 18
Endereçamento do IPv6
6VPE
6PE
Fonte: Elaborado pelo próprio autor Fonte: Ela...
Metodologia
9 de 18
Utiliza-se a ferramenta GNS3 para simular e emular
a rede IPv6 sobre MPLS.
Ferramentas Utilizadas
Ut...
Simulação da rede
10 de 18
Fonte: Elaborado pelo próprio autor
Topologia base
Simulação da rede
11 de 18
Configuração Básica de Interface e Endereçamento.
Etapas do processo de configuração da rede.
...
Resultados e discussões
12 de 18
Tabela de rota no PEs
Fonte: Elaborado pelo próprio autor Fonte: Elaborado pelo próprio a...
Resultados e discussões
13 de 18
Tabela de rota no CEs
Fonte: Elaborado pelo próprio autor Fonte: Elaborado pelo próprio a...
Resultados e discussões
14 de 18
VRF criadas
Adjacências do roteador
Fonte: Elaborado pelo próprio autor
Fonte: Elaborado ...
Resultados e discussões
15 de 18
Teste conectividade com ping
Fonte: Elaborado pelo próprio autor
Resultados e discussões
16 de 18
Analise de um pacote MPLS
Fonte: Elaborado pelo próprio autor
Conclusões
Constatou-se que não há suporte para o IPv6 com o
MPLS no backbone (IPv6+MPLS). Portanto, foi
necessário adapt...
18 de 18
Obrigado!
jonata_marim@hotmail.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ESTUDO E SIMULAÇÃO DA ARQUITETURA IPV6 SOBRE REDES MPLS/VPN

269 visualizações

Publicada em

Criar um cenário de uma rede que demonstre o funcionamento da arquitetura IPV6 sobre MPLS VPNs de camada 3, utilizando o simulador de rede GNS3.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
269
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ESTUDO E SIMULAÇÃO DA ARQUITETURA IPV6 SOBRE REDES MPLS/VPN

  1. 1. ESTUDO E SIMULAÇÃO DAARQUITETURA IPV6 SOBRE REDES MPLS/VPN Discente: Jonata Braz Marim dos Santos Orientador: Prof. Msc. Marilson Oliveira Correa. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO – IFMT DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Cuiabá-MT, 12 de Novembro de 2015
  2. 2. Roteiro 2 de 18  Introdução  Justificativas;  Objetivos;  Definição do MPLS;  Características do protocolo IPV6;  Metodologia e simulação da rede;  Resultados e discussões;  Conclusões;
  3. 3. Introdução 3 de 18  Os dois principais problemas evidentes na maior rede de computadores (Internet) é o esgotamento de endereços IPV4 e aumento de tráfego na rede.  Devido a escassez de endereços IPv4, foi desenvolvido o protocolo IPv6, com 128 bits.  O protocolo MPLS (Multiprotocol Label Switching), permite controlar a forma como o tráfego flui através da rede IP para optimizar o desempenho e a utilização dos recursos da rede. (VEIGA, 2009, p.1). VEIGA, M. Â. (2009). Simulação de Redes MPLS: Uma Perspectiva Pedagógica . 2009. 107 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Electrónica e Telecomunicações) – Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática, Universidade de Aveiro. Aveiro, Portugal.
  4. 4. Justificativa 4 de 18  O protocolo MPLS vem se mostrando como uma alternativa de suporte aos serviços de QoS, engenharia de tráfego e VPNs, tornando sucessora das tecnologias mais antigas como X.25, Frame Relay e ATM.  Vários governos têm incentivado adoção do IPv6 na Internet, por meio de apoio a projetos de pesquisa sobre IPv6.  Logo, o presente trabalho se justifica pela necessidade de integrar os protocolos IPv6 com MPLS/VPN.
  5. 5. Objetivos específicos 5 de 18  Descrever o protocolo MPLS. Objetivo geral  Criar um cenário de uma rede que demonstre o funcionamento da arquitetura IPV6 sobre MPLS VPNs de camada 3, utilizando o simulador de rede GNS3.  Descrever o protocolo IPv6.  Realizar a simulação do serviço MPLS VPN com endereçamento IPv6.
  6. 6. MPLS (Multiprotocol Label Switch) LSP (Label Switch Path); FEC (Forwarding Equivalence Class); LSR ( Label Switch Routers) ou P (Provider); LER ( Label Edge Router ) ou Edge LSRs ou PE (Provider Edge); LIB (Label Information Base); LFIB (Label Forwarding Information Base); 6 de 18 Componentes do MPLS Definição do MPLS (RFC 3031) Comutação por rótulos; Camada 2,5; Suporte à varias tecnologias e protocolos;
  7. 7. MPLS (Multiprotocol Label Switch) 7 de 18 MPLS/VPN Fonte: (MENDONÇA, 2010) MENDONÇA, R. (07 de Novembro de 2010). Serviços - MPLS. Acesso em 07 de Julho de 2015, disponível em CCIE, Tecnologia, Exames CCXP, Cisco: http://blog.ccna.com.br/2010/11/07/servicos-mpls/
  8. 8. Protocolo IPV6 Cabeçalho do IPv6 8 de 18 Endereçamento do IPv6 6VPE 6PE Fonte: Elaborado pelo próprio autor Fonte: Elaborado pelo próprio autor Característica do IPV6 Transporte do IPv6 sobre o MPLS
  9. 9. Metodologia 9 de 18 Utiliza-se a ferramenta GNS3 para simular e emular a rede IPv6 sobre MPLS. Ferramentas Utilizadas Utiliza-se a ferramenta Wireshark para realizar analises dos pacotes trafegados na rede.
  10. 10. Simulação da rede 10 de 18 Fonte: Elaborado pelo próprio autor Topologia base
  11. 11. Simulação da rede 11 de 18 Configuração Básica de Interface e Endereçamento. Etapas do processo de configuração da rede. Configuração de roteamento IGP (OSPF) no domínio MPLS. Configuração de Redistribuição de rotas. Configuração do MP-BGP nos PEs. Configuração de roteamento IGP (OSPFv3) entre os PEs e os Ces. Configuração e criação das VRFs.
  12. 12. Resultados e discussões 12 de 18 Tabela de rota no PEs Fonte: Elaborado pelo próprio autor Fonte: Elaborado pelo próprio autor Tabela de rota do cliente A no roteador PE3. Tabela de rota do cliente B no roteador PE3.
  13. 13. Resultados e discussões 13 de 18 Tabela de rota no CEs Fonte: Elaborado pelo próprio autor Fonte: Elaborado pelo próprio autor Tabela de rota do roteador CE1 Tabela de rota do roteador CE2
  14. 14. Resultados e discussões 14 de 18 VRF criadas Adjacências do roteador Fonte: Elaborado pelo próprio autor Fonte: Elaborado pelo próprio autor
  15. 15. Resultados e discussões 15 de 18 Teste conectividade com ping Fonte: Elaborado pelo próprio autor
  16. 16. Resultados e discussões 16 de 18 Analise de um pacote MPLS Fonte: Elaborado pelo próprio autor
  17. 17. Conclusões Constatou-se que não há suporte para o IPv6 com o MPLS no backbone (IPv6+MPLS). Portanto, foi necessário adaptar o projeto para o uso do IPv4 com MPLS no backbone (IPv4+MPLS), e o uso da técnica 6VPE. 17 de 18 O MPLS permite a integração com o IPv6 por meio das duas técnicas de transição: 6VPE e 6PE. Há possibilidade da criação de VPNs para roteadores clientes com IPv6. O MPLS está sendo aplicado nas grandes empresas nacionais, pois o mesmo permite a conectividade entre as redes distante. Trabalhos futuros
  18. 18. 18 de 18 Obrigado! jonata_marim@hotmail.com

×