Métodos contraceptivos, Matéria 9º ano

1.110 visualizações

Publicada em

Este PowerPoint foi feito com a autoria do Jorge Barbosa Pereira, espero que gostes e que tenha sido útil!

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.110
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
459
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Métodos contraceptivos, Matéria 9º ano

  1. 1. Métodos Contraceptivos
  2. 2. Introdução; Tipos de Métodos contraceptivos: - Métodos Naturais (calendário, temperatura e muco cervical); - Métodos não Naturais (preservativo, diafragma, dispositivo intra-uterino (DIU) espermicidas, pílula e cirurgias); Conclusão; Bibliografia; Índice
  3. 3. Métodos contraceptivos pretendem evitar uma gravidez indesejada; Métodos contraceptivos pretendem a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis; Introdução
  4. 4. Tipos de Métodos Contraceptivos Naturais: Não Naturais:
  5. 5. Consistem em dar-nos a conhecer o período fértil da mulher; Têm a vantagem de não ter efeitos secundários e permitir o conhecimento do funcionamento do seu organismo por parte da mulher; Porém não são muito seguros, sobretudo em mulheres jovens, já que o ciclo feminino nem sempre é regular; Métodos Naturais
  6. 6. Método de Ogino ou Calendário: Métodos Naturais - Permite calcular os dias inférteis de os dias férteis da mulher, através da ovulação; - O período próximo da ovulação fica entre o 10º e o 16º dia desde do inicio da menstruação. Dai sabe-se os dias férteis e os inférteis;
  7. 7. Método da Temperatura: Métodos Naturais - Consiste em avaliar a temperatura do corpo da mulher; - A temperatura do corpo da mulher sofre uma subida desde ovulação até à próxima menstruação;
  8. 8. Método de Billing ou Muco Cervical: Métodos Naturais - Permite calcular o período fértil da mulher com base na analise das propriedades de um muco produzido pelo útero;
  9. 9. Impedem a fecundação através de dispositivos, hormonas ou intervenções cirúrgicas; Podem subdividir-se em: - Mecânicos; - Químicos; - Cirúrgicos; Métodos Não Naturais
  10. 10. Métodos Mecânicos/ de Barreira: Métodos Mecânicos - Não trazem complicações secundarias para a saúde, até ajudam ainda a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis; - É necessário algum cuidado na sua utilização para que não rompam e para que fiquem bem colocados perante a relação sexual;
  11. 11. Preservativos: Métodos Mecânicos - Masculino: - Saco de borracha muito fino; - Desenrolado sobre o pénis erecto, antes da relação sexual - Feminino: - Involucro de borracha que se coloca no interior da vagina; - Impedem que os espermatozóides cheguem ás Trompas de Falópio;
  12. 12. Diafragma: Métodos Mecânicos - Cúpula de borracha fina, montada sobre um anel de metal flexível recoberto por borracha; - Introduz-se na vagina, sobre o colo do útero , pela mulher antes da relação sexual, assim impedem que os espermatozóides cheguem ás trompas de Falópio ;
  13. 13. Diapositivo Intra-Uterino (DIU): Métodos Mecânicos - Colocado no interior do útero pelo médico especialista; - É desaconselhado às adolescentes, pois o risco de infecções , que podem provocar esterilidade; - Impede a nidação
  14. 14. Implante Hormonal: Métodos Mecânicos - Funcionam de forma idêntica ao DIU; - São pequenos aparelhos que se colocam por baixo da pele, que vão libertando hormonas de forma progressiva; - As hormonas impedem a produção de FSH pela hipófise, pelo que o folículo não chega a amadurecer antes da ovulação;
  15. 15. DIU e Implante Hormonal: Métodos Mecânicos - Não são considerados uma barreira uma vez que permitem a ocorrência de fecundação, actuando apenas na fase da nidação (no caso do DIU) ou maturação do ovócito (no caso dos implantes hormonais); - O DIU, embora seja muito eficaz, pode trazer complicações para a saúde da mulher ou mesmo induzir uma gravidez atópica (implantação do embrião fora das paredes do útero;
  16. 16. Enquanto que a eficácia é muito elevada, a dos espermicidas é muito baixa, tendo ainda o inconveniente de ser necessário estar disponível antes das relações sexuais; É necessário esperar 7 a 10 min após a aplicação antes do ato sexual; Métodos Químicos
  17. 17. Espermicidas: Métodos Químicos - Cremes, geleias ou espumas, que são utilizados antes das relações sexuais, para destruir os espermatozóides - São práticos mas tem uma taxa de insucesso elevada;
  18. 18. Pilula: Métodos Químicos - Comprimidos constituídos por hormonas sintéticas (estrogénios e progesterona) que alteram o ciclo sexual normal e, desta forma, impedem a ovulação
  19. 19. EVRA/ Pilula Transdermica: Métodos Químicos - O anticoncepcional transdérmico é uma nova alternativa para contracepção; - A via transdermica segue uma tendência mundial de administrar medicamentos através da pele, fazendo que alcancem a corrente sanguínea rapidamente e com efeitos colaterais mínimos; - O contraceptivo EVRA age da mesma forma que as pílulas convencionais (impedindo a ovulação), vem numa embalagem com três adesivos que são colocados 1 vez por semana, no 1º dia da menstruação. Os locais de aplicação são: regiões do glúteo, abdome, parte superior do braço ou costas. A eficácia é idêntica a pílula convencional.
  20. 20. A taxa de eficácia é a mais elevada (aproximadamente 100%); Têm a desvantagem de ser permanentemente irreversível; Métodos Cirúrgicos
  21. 21. Uma gravidez é um acontecimento que muda a vida de um casal; Por isso mesmo é muito importante que seja desejada e planeada; Ficamos a saber que não existe nenhum método contraceptivo ideal; Conclusão
  22. 22. Este trabalho foi inspirado por uma ficha formativa fornecida pela professora de ciências Cármen Andrade; E as ilustrações foram retiradas do Google imagens; Trabalho realizado por: - Ana Costa (nº 2); - Inês Pereira (nº 11); - Cláudia Cruz (nº 3); - Jorge Pereira (nº 13); Bibliográfica

×