O slideshow foi denunciado.
A MÚSICA EM TORNO DE LEONARDO DA VINCI Prof. Dr. Edson Leite
<ul><li>Que o teu trabalho  </li></ul><ul><li>seja perfeito para que,  </li></ul><ul><li>mesmo depois da tua morte, ele pe...
Período da Renascença <ul><li>Interesse pelo saber e cultura, particularmente pelas idéias e conhecimentos dos  antigos  g...
O homem é a figura central <ul><li>O homem passa a voltar seu  olhar sobre si mesmo . </li></ul><ul><li>Há o ressurgimento...
Grandes centros da época <ul><li>Espanha e França : nações mais poderosas.  </li></ul><ul><li>Itália  dividida sob a influ...
Disputa pelos melhores artistas <ul><li>Qualquer casa que se prezasse exercia o  mecenato  e, efetivamente, muitos foram o...
Florença e Veneza <ul><li>Centros musicais  progressistas  na Europa  até aos finais do   séc. XVI , e a combinação das in...
Ostentação da arquitetura <ul><li>Filippo  Brunelleschi  (1377-1446) abre em Florença a Renascença Italiana.  </li></ul><u...
Música dos antigos romanos <ul><li>Estava ligada à  sensualidade . </li></ul><ul><li>Era um complemento dos  divertimentos...
Música do cristianismo <ul><li>Com a implantação do cristianismo, morrem os velhos deuses e a música que os celebrava, emb...
SALVE REGINA
Canto litúrgico <ul><li>Forma de expressão que melhor se  conservou . </li></ul><ul><li>A uniformização que o Cristianismo...
Música antiga <ul><li>Música da  Idade Média ,  Renascimento  e  Barroco .  </li></ul><ul><li>Um certo tipo de música  par...
Música antiga <ul><li>Música Medieval </li></ul><ul><li>entre 800 e 1450 </li></ul><ul><li>Música Renascentista </li></ul>...
Intérprete arqueólogo <ul><li>A música do Renascimento e da Idade Média incita o intérprete a buscar através de outras fon...
Características da música renascentista <ul><li>A  improvisação  era parte integrante da execução da Música Antiga. </li><...
Características da música renascentista <ul><li>Interesse vivo pelo profano , integrando-se, assim, na corrente de laiciza...
Sacro x Profano <ul><li>O que define exatamente o caráter sacro ou profano é o conteúdo e a função do repertório.  </li></...
Música coral <ul><li>Estilo  polifônico coral  ou  policoral ,  sem acompanhamento de instrumentos . </li></ul><ul><li>Rev...
Principais modificações <ul><li>Melhora na precisão da  notação musical  (existência de várias vozes). </li></ul><ul><li>E...
Classificação das vozes <ul><li>Nome  medieval </li></ul><ul><li>(latim)  </li></ul><ul><li>Supremus (Superius) </li></ul>...
Formas musicais <ul><li>Missa   (aprimorada nesse período) </li></ul><ul><li>Moteto   (superposição de textos; pode inclui...
Cancionero de Upsala (primeiras décadas do séc. XVI) Camerata Antiqua de Curitiba – Roberto de Regina <ul><li>Vésame y abr...
Música instrumental <ul><li>Até a Renascença,  </li></ul><ul><li>a função dos instrumentos  </li></ul><ul><li>resumia-se p...
 
Música instrumental <ul><li>A partir do século XVI, há o interesse crescente em escrever música somente para instrumentos,...
Grupo de Música Antiga  Conservatório de Tatuí - SP
Música instrumental <ul><li>Nascimento de vários consortes  de flautas, de violas da gamba, que tinham por hábito tocar de...
 
Formas instrumentais <ul><li>Transcrição  </li></ul><ul><li>Variação </li></ul><ul><li>Tocatta (virtuosidade do instrument...
Vida musical <ul><li>Catedrais </li></ul><ul><li>Capelas reais ou principescas </li></ul><ul><li>Escolas de meninos de cor...
Suportes para a escrita <ul><li>Com o desuso do pergaminho, </li></ul><ul><li>a música passou a ser escritas em: </li></ul...
Compositores Renascentistas
Josquin des Préz  1440-1521 Kyrie da  Missa de Beata Virgine . ( Roma, Biblioteca Apostólica Vaticana, Capp. Sist. 45, ff....
Orlando de Lassus   1532-1594
William Byrd 1543-1623
Giovanni Gabrielli   1555-1612
John Dowland  1563-1626
Claudio Monteverdi   1567- 1643
Giovanni Pierluigi da Palestrina 1525-1594
Coros da Academia Filarmônica Romana – Pablo Colino
Arte musical da Renascença <ul><li>aberta a experimentações e inovações </li></ul><ul><li>possibilidade de aventuras sonor...
Mateo Flecha Espanha:   1481-1553 Camerata Renascentista de Caracas – Isabel Palacios <ul><li>Las Ensaladas – La Guerra </...
Leonardo Da Vinci e a música
Retrato de um músico  <ul><li>Na restauração em 1905, eliminou-se uma vaga camada de verniz fazendo aparecer a mão e uma p...
Da Vinci e a música  para Mona Lisa <ul><li>Conta a lenda que Leonardo tocava, para distrair seu modelo (Mona Lisa). </li>...
Bibliografia básica <ul><li>ABDNOUR, Oscar João.  Matemática e música:  o pensamento analógico na construção de significad...
Bibliografia básica <ul><li>HART, Frederick.  History of Italian Renaissance Art . 4 ed. Londres: Thames and Hudson, 1970-...
<ul><li>Obrigado pela atenção e </li></ul><ul><li>até a próxima! </li></ul><ul><li>_________ </li></ul><ul><li>[email_addr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento

6.977 visualizações

Publicada em

Slides da palestra realizada dia 02 de junho entitulada A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento dada pelo palestrante Edson Leite (Maestro e Prof. Dr. da USP) na exposição Leonardo Da Vinci - Vitória/ES

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento

  1. 1. A MÚSICA EM TORNO DE LEONARDO DA VINCI Prof. Dr. Edson Leite
  2. 2. <ul><li>Que o teu trabalho </li></ul><ul><li>seja perfeito para que, </li></ul><ul><li>mesmo depois da tua morte, ele permaneça. </li></ul><ul><li>(Leonardo da Vinci) </li></ul>
  3. 3. Período da Renascença <ul><li>Interesse pelo saber e cultura, particularmente pelas idéias e conhecimentos dos antigos gregos e romanos . </li></ul><ul><li>Época de grandes descobertas e explorações (Vasco da Gama, Colombo, Cabral) </li></ul><ul><li>Notáveis avanços se processam na Ciência e Astronomia. </li></ul>
  4. 4. O homem é a figura central <ul><li>O homem passa a voltar seu olhar sobre si mesmo . </li></ul><ul><li>Há o ressurgimento dos estudos nos campos das ciências humanas . </li></ul><ul><li>O próprio homem toma-se objeto de observação , ao mesmo tempo em que é o observador . </li></ul>
  5. 5. Grandes centros da época <ul><li>Espanha e França : nações mais poderosas. </li></ul><ul><li>Itália dividida sob a influência de Veneza, Milão, Nápoles e Florença . </li></ul><ul><li>Família Médici , onde proliferavam papas, reis e rainhas, dominava Florença. </li></ul><ul><li>Em Florença ressurge o poderio cultural italiano. </li></ul><ul><li>Aos 25 anos, Leonardo da Vinci trabalhava para Lorenzo Di Médici na administração da cidade estado. </li></ul>
  6. 6. Disputa pelos melhores artistas <ul><li>Qualquer casa que se prezasse exercia o mecenato e, efetivamente, muitos foram os centros de riqueza e poder espalhados pela Europa que, numa concorrência desenfreada, passaram a disputar os artistas de maior fama . </li></ul>
  7. 7. Florença e Veneza <ul><li>Centros musicais progressistas na Europa até aos finais do séc. XVI , e a combinação das inovações musicais destes centros resultou no desenvolvimento daquilo que seria conhecido como o estilo Barroco . </li></ul>
  8. 8. Ostentação da arquitetura <ul><li>Filippo Brunelleschi (1377-1446) abre em Florença a Renascença Italiana. </li></ul><ul><li>Virtuosismo no domínio das formas geométricas e puras , no novo arranjo das antigas ordens clássicas e da monumentalidade . </li></ul>
  9. 9. Música dos antigos romanos <ul><li>Estava ligada à sensualidade . </li></ul><ul><li>Era um complemento dos divertimentos particulares e públicos, nos banquetes e no circo . </li></ul><ul><li>Era uma forma de atrair e concentrar a vasta população romana nos recintos públicos. </li></ul>
  10. 10. Música do cristianismo <ul><li>Com a implantação do cristianismo, morrem os velhos deuses e a música que os celebrava, embora não completamente. </li></ul><ul><li>A tradição oral e os costumes ancestrais permanecem , camuflados no cristianismo. </li></ul>
  11. 11. SALVE REGINA
  12. 12. Canto litúrgico <ul><li>Forma de expressão que melhor se conservou . </li></ul><ul><li>A uniformização que o Cristianismo moldou no continente europeu deu origem ao conceito de “ música ocidental ” </li></ul><ul><li>Evoluiu para uma polifonia culta e artística e que levaria ao aparecimento da harmonia e das grandes formas clássicas. </li></ul>
  13. 13. Música antiga <ul><li>Música da Idade Média , Renascimento e Barroco . </li></ul><ul><li>Um certo tipo de música parou de ser executada depois da &quot;sua época&quot; e precisou ser revivida nos nossos tempos. </li></ul><ul><li>Uso de instrumentos &quot;autênticos &quot; (instrumentos ou cópias dos instrumentos), técnica vocal do período e novas questões de tempo e dinâmicas. </li></ul>
  14. 14. Música antiga <ul><li>Música Medieval </li></ul><ul><li>entre 800 e 1450 </li></ul><ul><li>Música Renascentista </li></ul><ul><li>entre 1450 e 1600 </li></ul><ul><li>Música Barroca </li></ul><ul><li>entre 1600 e 1750 </li></ul>
  15. 15. Intérprete arqueólogo <ul><li>A música do Renascimento e da Idade Média incita o intérprete a buscar através de outras fontes, como iconografia e relatos de época ( poesia, crônicas, histórias ), dados que permitam reconstruir a forma como esta música era realizada. </li></ul><ul><li>Os livros do século XVI sobre Música tratam mais da Teoria Musical do que da Prática Musical . </li></ul>
  16. 16. Características da música renascentista <ul><li>A improvisação era parte integrante da execução da Música Antiga. </li></ul><ul><li>Não expressa qualquer retorno às civilizações clássicas na sua morfologia, referindo-se exclusivamente a elas nos textos das canções , precisamente por não haver vestígios da produção musical clássica. </li></ul>
  17. 17. Características da música renascentista <ul><li>Interesse vivo pelo profano , integrando-se, assim, na corrente de laicização que o Renascimento incentivava. </li></ul><ul><li>Contudo, as obras de maior destaque foram compostas para a Igreja . </li></ul><ul><li>A linha que separa a música profana da sacra é tênue , tanto na estrutura como na própria forma textual. </li></ul>
  18. 18. Sacro x Profano <ul><li>O que define exatamente o caráter sacro ou profano é o conteúdo e a função do repertório. </li></ul><ul><li>Antes, era uma melodia litúrgica que servia de pretexto para um ato de comunicação burguês. </li></ul><ul><li>Agora, seria uma melodia burguesa que serviria de pretexto para um ato de comunicação litúrgico. </li></ul>
  19. 19. Música coral <ul><li>Estilo polifônico coral ou policoral , sem acompanhamento de instrumentos . </li></ul><ul><li>Revela um alto grau de complexidade e sofisticação de combinações harmônicas até 64 vozes. </li></ul><ul><li>A dimensão vertical da música ( harmonia ) </li></ul>
  20. 20. Principais modificações <ul><li>Melhora na precisão da notação musical (existência de várias vozes). </li></ul><ul><li>Experiências acústicas como a multiespacialidade (distribuição do coro em vários lugares na igreja) e efeitos vocais (gritos, resmungos e sons de animais). </li></ul><ul><li>A métrica musical passa a ter dois tipos de figuras: brancas para as notas longas, e pretas para as curtas (devido ao uso do papel em lugar do pergaminho). </li></ul><ul><li>Surge a idéia de compasso . </li></ul><ul><li>Intensifica-se o uso do &quot;estilo imitativo&quot; ( contraponto ). </li></ul>
  21. 21. Classificação das vozes <ul><li>Nome medieval </li></ul><ul><li>(latim) </li></ul><ul><li>Supremus (Superius) </li></ul><ul><li>Altus </li></ul><ul><li>Contraltus </li></ul><ul><li>Tenor </li></ul><ul><li>Bassus </li></ul><ul><li>Nome renascentista </li></ul><ul><li>(italiano) </li></ul><ul><li>Soprano </li></ul><ul><li>Contralto </li></ul><ul><li>Contratenor </li></ul><ul><li>Tenor </li></ul><ul><li>Basso </li></ul>
  22. 22. Formas musicais <ul><li>Missa (aprimorada nesse período) </li></ul><ul><li>Moteto (superposição de textos; pode incluir salmos, antífonas etc.) </li></ul><ul><li>Música vocal profana : </li></ul><ul><ul><ul><li>cantos carnavalescos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>canções </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>frottoli </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>lied </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>madrigais (a cappella, em italiano, às vezes sacros) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>vilancicos </li></ul></ul></ul>
  23. 23. Cancionero de Upsala (primeiras décadas do séc. XVI) Camerata Antiqua de Curitiba – Roberto de Regina <ul><li>Vésame y abràçame </li></ul><ul><li>Marido mio, </li></ul><ul><li>Y daros en la mañana </li></ul><ul><li>Camisòn limpio. </li></ul><ul><li>Yo nunca vi hombre </li></ul><ul><li>Bivo estar tan muerto, </li></ul><ul><li>Ni hazer el dormido </li></ul><ul><li>Estando despierto. </li></ul><ul><li>Andad marido alerta </li></ul><ul><li>Y tened brio, </li></ul><ul><li>Y daros em la mañana, </li></ul><ul><li>Camisón limpio. </li></ul><ul><li>Beija-me e abraça-me, </li></ul><ul><li>Marido meu, </li></ul><ul><li>E vos darei pela manhã </li></ul><ul><li>Uma camisa limpa. </li></ul><ul><li>Eu nunca vi um homem </li></ul><ul><li>Vivo estar tão morto, </li></ul><ul><li>Nem se fazer de dormido </li></ul><ul><li>Estando acordado. </li></ul><ul><li>Anda, marido, alerta </li></ul><ul><li>E tenha brio, </li></ul><ul><li>E vos darei pela manhã </li></ul><ul><li>Uma camisa limpa. </li></ul>
  24. 24. Música instrumental <ul><li>Até a Renascença, </li></ul><ul><li>a função dos instrumentos </li></ul><ul><li>resumia-se praticamente a </li></ul><ul><li>acompanhar o canto, </li></ul><ul><li>dobrando-o ou substituindo-o. </li></ul>
  25. 26. Música instrumental <ul><li>A partir do século XVI, há o interesse crescente em escrever música somente para instrumentos, motivado por várias razões: </li></ul><ul><li>ambiente proporcionado pelas capelas reais </li></ul><ul><li>evolução da música instrumental </li></ul><ul><li>fixação e divulgação da escrita em tablatura , o que contribuiu para a impressão musical </li></ul><ul><li>consenso sobre a dimensão harmônica da música </li></ul><ul><li>qualidade tímbrica dos instrumentos </li></ul>
  26. 27. Grupo de Música Antiga Conservatório de Tatuí - SP
  27. 28. Música instrumental <ul><li>Nascimento de vários consortes de flautas, de violas da gamba, que tinham por hábito tocar de pé. </li></ul><ul><li>Surge a figura do &quot; mestre da música “: primeiro instrumentista, cuja função é dirigir o restante dos instrumentos. </li></ul><ul><li>Os instrumentos utilizados na música renascentista são praticamente os mesmos da época medieval, passando apenas por pequenas alterações. </li></ul><ul><li>Os instrumentos de teclado começaram a ganhar popularidade, chegando a surgir neste período os primeiros álbuns para órgão, clavicórdio ou virginal. </li></ul>
  28. 30. Formas instrumentais <ul><li>Transcrição </li></ul><ul><li>Variação </li></ul><ul><li>Tocatta (virtuosidade do instrumentista) </li></ul><ul><li>Canzone ou Sonata (canção para instrumentos) </li></ul><ul><li>Ricercar (idéias melódicas trabalhadas pela imitação) </li></ul>
  29. 31. Vida musical <ul><li>Catedrais </li></ul><ul><li>Capelas reais ou principescas </li></ul><ul><li>Escolas de meninos de coro </li></ul><ul><li>Música religiosa, danças, marchas militares, música erudita e canções eróticas </li></ul>
  30. 32. Suportes para a escrita <ul><li>Com o desuso do pergaminho, </li></ul><ul><li>a música passou a ser escritas em: </li></ul><ul><li>Pequenos cadernos onde os compositores escreviam a lápis, porque assim que tivessem copiado ou executado as peças, apagavam e voltavam a escrever na mesma cartela. As partes eram escritas separadamente, devido ao aumento do número de vozes e das figuras musicais. </li></ul><ul><li>Livros manuscritos de coro , de grandes dimensões, uma vez que era mais econômico os cantores partilharem do mesmo livro. </li></ul>
  31. 33. Compositores Renascentistas
  32. 34. Josquin des Préz 1440-1521 Kyrie da Missa de Beata Virgine . ( Roma, Biblioteca Apostólica Vaticana, Capp. Sist. 45, ff. 1v-2r )
  33. 35. Orlando de Lassus 1532-1594
  34. 36. William Byrd 1543-1623
  35. 37. Giovanni Gabrielli 1555-1612
  36. 38. John Dowland 1563-1626
  37. 39. Claudio Monteverdi 1567- 1643
  38. 40. Giovanni Pierluigi da Palestrina 1525-1594
  39. 41. Coros da Academia Filarmônica Romana – Pablo Colino
  40. 42. Arte musical da Renascença <ul><li>aberta a experimentações e inovações </li></ul><ul><li>possibilidade de aventuras sonoras </li></ul><ul><li>correspondência próxima com as descobertas do Novo Mundo e a física de Galileu e Newton </li></ul><ul><li>refinamento da sensibilidade </li></ul><ul><li>ideal de perfeição e grandeza </li></ul><ul><li>ampliação de públicos educados </li></ul><ul><li>incorporação de um espírito humanista e cosmopolita. </li></ul>
  41. 43. Mateo Flecha Espanha: 1481-1553 Camerata Renascentista de Caracas – Isabel Palacios <ul><li>Las Ensaladas – La Guerra </li></ul><ul><li>Pues la guerra está em las manos </li></ul><ul><li>Y para guerra nascemos, </li></ul><ul><li>Bien será nos ensayemos </li></ul><ul><li>Para vencer los tiranos (...) </li></ul>
  42. 44. Leonardo Da Vinci e a música
  43. 45. Retrato de um músico <ul><li>Na restauração em 1905, eliminou-se uma vaga camada de verniz fazendo aparecer a mão e uma partitura na tela. Daí o nome da pintura, que é o único retrato masculino atribuído a Da Vinci. </li></ul><ul><li>Esta tela foi pintada em 1485 e é, provavelmente, o retrato de Franchino Gaffurio, professor de música da capela da Catedral de Milão, na década de 1480. </li></ul><ul><li>Trata-se de uma pintura pouco detalhada, com postura rígida e a agressividade nas sombras, motivo pelo qual existe controvérsia sobre a autoria da obra. </li></ul><ul><li>Encontra-se atualmente na Pinacoteca Ambrosiana, em Milão. </li></ul>
  44. 46. Da Vinci e a música para Mona Lisa <ul><li>Conta a lenda que Leonardo tocava, para distrair seu modelo (Mona Lisa). </li></ul><ul><li>Tocava música composta por ele em instrumentos inventados por ele. </li></ul><ul><li>Acredita-se que os instrumentos eram um órgão a água e uma lira de prata. </li></ul>
  45. 47. Bibliografia básica <ul><li>ABDNOUR, Oscar João. Matemática e música: o pensamento analógico na construção de significados. São Paulo: Escrituras, 2002. </li></ul><ul><li>BURKE, P. The European Renaissance: centre and ´peripheries. Oxford: Blackwell, 1998. </li></ul><ul><li>BROTTON, J. The Renaissance: a very short introduction. London: OUP, 2006. </li></ul><ul><li>BORGES, Maria José, CARDOSO, José Maria Pedrosa, História da Música. Edições Sebenta, 1996. </li></ul><ul><li>CANDÉ, Roland de. Dicionário dos Músicos. Lisboa: Edições 70, 1982. </li></ul><ul><li>CARPEAUX, Otto Maria. Uma nova história da música . 4 ed. Rio de Janeiro: Alhambra, 1977. </li></ul><ul><li>COTTE, Roger. Música e simbolismo . São Paulo: Cultrix, 1990. </li></ul>
  46. 48. Bibliografia básica <ul><li>HART, Frederick. History of Italian Renaissance Art . 4 ed. Londres: Thames and Hudson, 1970-1994. </li></ul><ul><li>HERZFELD, Friedrich. Nós e a música. Lisboa: Edição Livros do Brasil, 1970. </li></ul><ul><li>HODEIR, André. As formas da Música. Lisboa: Arcádia, 1970. </li></ul><ul><li>SCHURMANN, Ernest F. A música como linguagem – uma abordagem histórica. São Paulo: Perspectiva, 1989. </li></ul><ul><li>VIDAL, Sara Louraço. Música Renascentista : apontamentos sobre Orlandus Lassus. Disponível em: http://neh.no.sapo.pt/documentos/musica_renascentista.htm </li></ul>
  47. 49. <ul><li>Obrigado pela atenção e </li></ul><ul><li>até a próxima! </li></ul><ul><li>_________ </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>

×