SlideShare uma empresa Scribd logo

Cefapro orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a passo) (1)

J
joelson10

Projeto Sala de Educador

1 de 20
Baixar para ler offline
1. ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A FORMATAÇÃO E
APRESENTAÇÃO DO PROJETO SALA DE EDUCADOR 2014 (NBR
14724/2011)
O formato é a formatação geral de apresentação de todo projeto/trabalho
acadêmico. Sua apresentação segue as seguintes normas:
 Tamanho do papel: A4 (21,0 cm x 29,7 cm);
 Margem superior e esquerda: 3 cm;
 Margem inferior e direita: 2 cm;
 Cor da fonte: preta em todo o trabalho.
 Tamanho da fonte do corpo do texto: 12 pts
 Fonte: Times
 Tamanho da fonte de 10 pts para:
 Citações longas;
 Notas de rodapé;
 Legendas;
 Paginação;
 Espaçamento entre linhas 1,5 para todo corpo do texto e de 1,0 (simples) para:
 Citações diretas (mais de 3 linhas);
 Notas de rodapé;
 Legendas dos elementos especiais (gráficos, figuras, quadros e tabelas);
 Referências/bibliografia;
 Recuo de primeira linha dos parágrafos: 1,25 cm
2. ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DE CITAÇÕES NO CORPO
DO PROJETO
A forma de citação utilizada no Centro de formação é o sistema autor-data,
portanto deverá ser empregado em todos os projetos enviados à instituição. Citação é a
inclusão no texto de informações extraídas de outras fontes. É a forma de apresentar o
material considerado relevante e que serviu de base à investigação. As citações podem
ser diretas, indiretas ou citação de citação.
2.1 Citação Direta
Transcrição literal de um texto ou parte do texto de um autor.
2.1.1 Citação direta com menos de 3 linhas
Exemplos:
a) o nome do autor no início do parágrafo
Para Santos (2002, p.116), as citações “devem ser sempre consideradas ideias
secundárias em um parágrafo, já que sua função é sustentar, ilustrar ou esclarecer ideias
do autor do texto”.
b) o nome do autor no final do parágrafo
“Para elaborar o referencial teórico o autor poderá utilizar livros, artigos
científicos, fotos, documentos e relatórios oficiais” (MICHALISZYN; TOMASINI,
2005, p. 98).
2.1.2 Citação direta com mais de 3 linhas
O nome do autor pode ser incluído no início ou no final do parágrafo. Fazer um
recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor (Tamanho 10) que a do texto
utilizado e sem as aspas e espaço simples.
Exemplo de citação direta com mais de 3 linhas:
Hoje, não se pode realizar uma pesquisa sem levar em conta essa fonte
importante, que é a Internet. Contudo, esta ainda não substitui e nem
substituirá, em nossa maneira de pensar, a realização da pesquisa
bibliográfica em livros, periódicos e nem a pesquisa documental (BARROS;
LEHFELD, 2004, p. 17).
2.2 Citação Indireta
É o texto redigido com palavras do autor do trabalho, mantendo a ideia e/ou
teoria de outro autor (SANTOS, 2002). O nome do autor pode vir no início ou no final
do parágrafo.
Exemplo de citação indireta:
Outra importante fonte de pesquisa é a Internet, pela sua rapidez e facilidade de
busca. No entanto, não substitui a realização da pesquisa bibliográfica em livros
periódicos e documentos (BARROS; LEHFELD, 2004).
2.3 Citação de Citação
“É a menção a um texto ao qual se teve acesso através da citação em outro
documento, podendo acontecer tanto em citação direta, quanto indireta. Para indicar a
autoria original do texto utiliza-se a expressão latina apud” ou citado por (NBR 10520
2002).
Na citação de citação o nome do autor, pode vir no início ou no final do
parágrafo.
Exemplos:
Minayo (1994 citado por BARROS; LEHFELD, 2004, p. 32), comenta que “o
campo cientifico, apesar de sua normatividade é permeado por conflitos e
contradições”.
Ou
“Crenças culturais e religiosas, condições econômicas e valores influenciam e
muito no dia-a-dia da mulher” (FARREL; NICOTERI, 2005 apud SILVA, 2007, p. 12).
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
CENTRO DE FORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA
EDUCAÇÃO BÁSICA - CEFAPRO
NOME DA ESCOLA
“TÍTULO DO PROJETO”
CUIABÁ/MT
2014
Estado de Mato Grosso
Secretaria de Estado de Educação
Superintendência de Formação dos Profissionais da Educação Básica
Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica - Cefapro/Cbá
Escola Estadual:
Endereço: Nº:
Bairro: CEP: Fone:
E-mail:
Quantidade de profissionais da Escola: Quantidade de participantes do P. Sala de Educador:
NOME COMPLETO DADOS
Diretor(a) Telefone
E-mail:
Coordenador(a) Telefone
E-mail:
Coordenador(a) Telefone
E-mail:

Recomendados

Projeto Sala de Educador
Projeto Sala de EducadorProjeto Sala de Educador
Projeto Sala de Educadorcefaprodematupa
 
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR: ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR:  ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR:  ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR: ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...cefaprodematupa
 
Projeto Sala do Educador.pdf
Projeto Sala do Educador.pdfProjeto Sala do Educador.pdf
Projeto Sala do Educador.pdfeminovacao
 
Orientações para o projeto de intervenção
Orientações para o projeto de intervençãoOrientações para o projeto de intervenção
Orientações para o projeto de intervençãoLidiane Lima
 
Tcc pedagogia
Tcc pedagogiaTcc pedagogia
Tcc pedagogiaArleno
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação sala do educador 2012 2
Avaliação sala do educador 2012  2Avaliação sala do educador 2012  2
Avaliação sala do educador 2012 2ryldonjohnson
 
Trabalho de conclusão de curso ii o tcc ii deverá ser inserido no ambiente vi...
Trabalho de conclusão de curso ii o tcc ii deverá ser inserido no ambiente vi...Trabalho de conclusão de curso ii o tcc ii deverá ser inserido no ambiente vi...
Trabalho de conclusão de curso ii o tcc ii deverá ser inserido no ambiente vi...ZairaLessa
 
Relatório ppel_ava_2015_elizabethbatista_23.06.2015
Relatório ppel_ava_2015_elizabethbatista_23.06.2015Relatório ppel_ava_2015_elizabethbatista_23.06.2015
Relatório ppel_ava_2015_elizabethbatista_23.06.2015Elizabeth Batista
 
Projeto pps- caderno 01
Projeto pps- caderno 01Projeto pps- caderno 01
Projeto pps- caderno 01Ðouglas Rocha
 
An2B da oficina de formação
An2B da oficina de formaçãoAn2B da oficina de formação
An2B da oficina de formaçãogoretebranco
 
FascÍculo Cadernos Rede Coordenador Pedagógico
FascÍculo Cadernos Rede Coordenador PedagógicoFascÍculo Cadernos Rede Coordenador Pedagógico
FascÍculo Cadernos Rede Coordenador PedagógicoFSBA
 
Projeto de ensino manual de elaboração pedagogia
Projeto de ensino manual de elaboração   pedagogiaProjeto de ensino manual de elaboração   pedagogia
Projeto de ensino manual de elaboração pedagogiaZairaLessa
 
Prática supervisionada [modo de compatibilidade]
Prática supervisionada [modo de compatibilidade]Prática supervisionada [modo de compatibilidade]
Prática supervisionada [modo de compatibilidade]marcilene1311
 
Plano de trabalho de estágio cursos de licenciatura
Plano de trabalho de estágio cursos de licenciaturaPlano de trabalho de estágio cursos de licenciatura
Plano de trabalho de estágio cursos de licenciaturaZairaLessa
 
An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação...
An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação...An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação...
An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação...Jorge Teixeira
 
Uma gestão participativa em ambientes digitais – pedagogia semestres 7º e 8º
Uma gestão participativa em ambientes digitais – pedagogia semestres 7º e 8ºUma gestão participativa em ambientes digitais – pedagogia semestres 7º e 8º
Uma gestão participativa em ambientes digitais – pedagogia semestres 7º e 8ºZairaLessa
 
Matemática licenciatura 5º e 6º criando um blog voltado para alunos do ensino...
Matemática licenciatura 5º e 6º criando um blog voltado para alunos do ensino...Matemática licenciatura 5º e 6º criando um blog voltado para alunos do ensino...
Matemática licenciatura 5º e 6º criando um blog voltado para alunos do ensino...HELENO FAVACHO
 
Plano De Trabalho Docente
Plano De Trabalho Docente Plano De Trabalho Docente
Plano De Trabalho Docente guest1c37d0
 
Pratica Profissional Supervisionada
Pratica Profissional SupervisionadaPratica Profissional Supervisionada
Pratica Profissional SupervisionadaMadalena10
 
Tutoria caderno itaú
Tutoria caderno itaúTutoria caderno itaú
Tutoria caderno itaúGigi Sergio
 
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...MALVINA EUFRAZIO DA SILVA
 

Mais procurados (20)

Projeto sala do educador
Projeto  sala do educadorProjeto  sala do educador
Projeto sala do educador
 
Avaliação sala do educador 2012 2
Avaliação sala do educador 2012  2Avaliação sala do educador 2012  2
Avaliação sala do educador 2012 2
 
Trabalho de conclusão de curso ii o tcc ii deverá ser inserido no ambiente vi...
Trabalho de conclusão de curso ii o tcc ii deverá ser inserido no ambiente vi...Trabalho de conclusão de curso ii o tcc ii deverá ser inserido no ambiente vi...
Trabalho de conclusão de curso ii o tcc ii deverá ser inserido no ambiente vi...
 
Relatório ppel_ava_2015_elizabethbatista_23.06.2015
Relatório ppel_ava_2015_elizabethbatista_23.06.2015Relatório ppel_ava_2015_elizabethbatista_23.06.2015
Relatório ppel_ava_2015_elizabethbatista_23.06.2015
 
Projeto pps- caderno 01
Projeto pps- caderno 01Projeto pps- caderno 01
Projeto pps- caderno 01
 
An2B da oficina de formação
An2B da oficina de formaçãoAn2B da oficina de formação
An2B da oficina de formação
 
FascÍculo Cadernos Rede Coordenador Pedagógico
FascÍculo Cadernos Rede Coordenador PedagógicoFascÍculo Cadernos Rede Coordenador Pedagógico
FascÍculo Cadernos Rede Coordenador Pedagógico
 
Projeto de ensino manual de elaboração pedagogia
Projeto de ensino manual de elaboração   pedagogiaProjeto de ensino manual de elaboração   pedagogia
Projeto de ensino manual de elaboração pedagogia
 
Prática supervisionada [modo de compatibilidade]
Prática supervisionada [modo de compatibilidade]Prática supervisionada [modo de compatibilidade]
Prática supervisionada [modo de compatibilidade]
 
Plano de trabalho de estágio cursos de licenciatura
Plano de trabalho de estágio cursos de licenciaturaPlano de trabalho de estágio cursos de licenciatura
Plano de trabalho de estágio cursos de licenciatura
 
An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação...
An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação...An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação...
An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação...
 
Uma gestão participativa em ambientes digitais – pedagogia semestres 7º e 8º
Uma gestão participativa em ambientes digitais – pedagogia semestres 7º e 8ºUma gestão participativa em ambientes digitais – pedagogia semestres 7º e 8º
Uma gestão participativa em ambientes digitais – pedagogia semestres 7º e 8º
 
Matemática licenciatura 5º e 6º criando um blog voltado para alunos do ensino...
Matemática licenciatura 5º e 6º criando um blog voltado para alunos do ensino...Matemática licenciatura 5º e 6º criando um blog voltado para alunos do ensino...
Matemática licenciatura 5º e 6º criando um blog voltado para alunos do ensino...
 
Modelo para projeto
Modelo para projetoModelo para projeto
Modelo para projeto
 
Plano De Trabalho Docente
Plano De Trabalho Docente Plano De Trabalho Docente
Plano De Trabalho Docente
 
Capacitação 6º ao 9ºano
Capacitação 6º ao 9ºanoCapacitação 6º ao 9ºano
Capacitação 6º ao 9ºano
 
Pratica Profissional Supervisionada
Pratica Profissional SupervisionadaPratica Profissional Supervisionada
Pratica Profissional Supervisionada
 
Tutoria caderno itaú
Tutoria caderno itaúTutoria caderno itaú
Tutoria caderno itaú
 
An2B training pt
An2B training ptAn2B training pt
An2B training pt
 
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
 

Destaque

SLIDE APRESENTADO NA SALA DO EDUCADOR SOBRE O REFERENCIAL CURRICULAR DO 2° CI...
SLIDE APRESENTADO NA SALA DO EDUCADOR SOBRE O REFERENCIAL CURRICULAR DO 2° CI...SLIDE APRESENTADO NA SALA DO EDUCADOR SOBRE O REFERENCIAL CURRICULAR DO 2° CI...
SLIDE APRESENTADO NA SALA DO EDUCADOR SOBRE O REFERENCIAL CURRICULAR DO 2° CI...augustafranca7
 
Parecer orientativo 2011_sala do educador
Parecer orientativo 2011_sala do educadorParecer orientativo 2011_sala do educador
Parecer orientativo 2011_sala do educadorescolamuller
 
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações e suas apli...
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações  e suas apli...Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações  e suas apli...
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações e suas apli...Rita Dias
 
Projeto,Sala do educador :Estudo e prevenção do uso de drogas.
Projeto,Sala do educador :Estudo e prevenção do uso de drogas. Projeto,Sala do educador :Estudo e prevenção do uso de drogas.
Projeto,Sala do educador :Estudo e prevenção do uso de drogas. Andréia Matos
 
Capacitação de professores aprendendo que se ensina
Capacitação de  professores aprendendo que se ensinaCapacitação de  professores aprendendo que se ensina
Capacitação de professores aprendendo que se ensinaMarcio Pereira
 
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professorFormação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professorCristiana Campos
 
Perfil Del Educador Social
Perfil Del Educador SocialPerfil Del Educador Social
Perfil Del Educador Socialcarmiso
 
Projeto brincando com reciclados
Projeto brincando com recicladosProjeto brincando com reciclados
Projeto brincando com recicladossandramirandan
 
Educadores Sociais - Quem são e o que fazem
Educadores Sociais - Quem são e o que fazemEducadores Sociais - Quem são e o que fazem
Educadores Sociais - Quem são e o que fazemsandrinavalente
 
Capacitação para educadores sociais - PME
Capacitação para educadores sociais - PMECapacitação para educadores sociais - PME
Capacitação para educadores sociais - PMEFERNANDO CAPUZZI
 
Apresentação reordenamento SCFV CRAS Nioaque-MS 11 11-2013
Apresentação reordenamento SCFV  CRAS Nioaque-MS 11 11-2013Apresentação reordenamento SCFV  CRAS Nioaque-MS 11 11-2013
Apresentação reordenamento SCFV CRAS Nioaque-MS 11 11-2013Cristina de Souza
 
9. apresentação cras leste i
9. apresentação cras leste i9. apresentação cras leste i
9. apresentação cras leste iNandaTome
 

Destaque (20)

SLIDE APRESENTADO NA SALA DO EDUCADOR SOBRE O REFERENCIAL CURRICULAR DO 2° CI...
SLIDE APRESENTADO NA SALA DO EDUCADOR SOBRE O REFERENCIAL CURRICULAR DO 2° CI...SLIDE APRESENTADO NA SALA DO EDUCADOR SOBRE O REFERENCIAL CURRICULAR DO 2° CI...
SLIDE APRESENTADO NA SALA DO EDUCADOR SOBRE O REFERENCIAL CURRICULAR DO 2° CI...
 
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
Plano de ação pedagógica 2009   anandreiaPlano de ação pedagógica 2009   anandreia
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
 
Parecer orientativo 2011_sala do educador
Parecer orientativo 2011_sala do educadorParecer orientativo 2011_sala do educador
Parecer orientativo 2011_sala do educador
 
Ensinagem
EnsinagemEnsinagem
Ensinagem
 
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações e suas apli...
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações  e suas apli...Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações  e suas apli...
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações e suas apli...
 
Projeto,Sala do educador :Estudo e prevenção do uso de drogas.
Projeto,Sala do educador :Estudo e prevenção do uso de drogas. Projeto,Sala do educador :Estudo e prevenção do uso de drogas.
Projeto,Sala do educador :Estudo e prevenção do uso de drogas.
 
Processo de Ensinagem
Processo de EnsinagemProcesso de Ensinagem
Processo de Ensinagem
 
Capacitação de professores aprendendo que se ensina
Capacitação de  professores aprendendo que se ensinaCapacitação de  professores aprendendo que se ensina
Capacitação de professores aprendendo que se ensina
 
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professorFormação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
 
Articulador Pedagógico
Articulador PedagógicoArticulador Pedagógico
Articulador Pedagógico
 
Perfil Del Educador Social
Perfil Del Educador SocialPerfil Del Educador Social
Perfil Del Educador Social
 
Projeto brincando com reciclados
Projeto brincando com recicladosProjeto brincando com reciclados
Projeto brincando com reciclados
 
O educador social
O educador socialO educador social
O educador social
 
Acolhimento no SCFV
Acolhimento no SCFVAcolhimento no SCFV
Acolhimento no SCFV
 
Educadores Sociais - Quem são e o que fazem
Educadores Sociais - Quem são e o que fazemEducadores Sociais - Quem são e o que fazem
Educadores Sociais - Quem são e o que fazem
 
Capacitação para educadores sociais - PME
Capacitação para educadores sociais - PMECapacitação para educadores sociais - PME
Capacitação para educadores sociais - PME
 
Apresentação reordenamento SCFV CRAS Nioaque-MS 11 11-2013
Apresentação reordenamento SCFV  CRAS Nioaque-MS 11 11-2013Apresentação reordenamento SCFV  CRAS Nioaque-MS 11 11-2013
Apresentação reordenamento SCFV CRAS Nioaque-MS 11 11-2013
 
Relatorio de Auto-avaliação Docente 2015
Relatorio de Auto-avaliação Docente 2015Relatorio de Auto-avaliação Docente 2015
Relatorio de Auto-avaliação Docente 2015
 
9. apresentação cras leste i
9. apresentação cras leste i9. apresentação cras leste i
9. apresentação cras leste i
 
Slide formação continuada
Slide formação continuadaSlide formação continuada
Slide formação continuada
 

Semelhante a Cefapro orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a passo) (1)

Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011Leticia Goulart
 
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011JLMeneghetti
 
Como elaborar projeto de trabalho apostila
Como elaborar projeto de trabalho  apostilaComo elaborar projeto de trabalho  apostila
Como elaborar projeto de trabalho apostilaNadia Leal
 
Análise das questões da prova do IFRJ (2011)- Língua Inglesa (Thaís Duarte)
Análise das questões da prova do IFRJ (2011)- Língua Inglesa (Thaís Duarte)Análise das questões da prova do IFRJ (2011)- Língua Inglesa (Thaís Duarte)
Análise das questões da prova do IFRJ (2011)- Língua Inglesa (Thaís Duarte)profthaisduarte
 
Projeto Sala de Professor 2011
Projeto Sala de Professor 2011Projeto Sala de Professor 2011
Projeto Sala de Professor 2011cefaprodematupa
 
Análise da Prova do IFRJ 2011- Língua Inglesa
Análise da Prova do IFRJ 2011- Língua InglesaAnálise da Prova do IFRJ 2011- Língua Inglesa
Análise da Prova do IFRJ 2011- Língua InglesaThaís Amaral
 
Macroinvertebrados
Macroinvertebrados Macroinvertebrados
Macroinvertebrados willian
 
Normas técnicas para apresentação de trabalhos escoares 97 2003 definitivo
Normas técnicas para apresentação de trabalhos escoares  97   2003 definitivoNormas técnicas para apresentação de trabalhos escoares  97   2003 definitivo
Normas técnicas para apresentação de trabalhos escoares 97 2003 definitivoInacio Montanha
 
Livro orcamento publico
Livro orcamento publicoLivro orcamento publico
Livro orcamento publicoLucas Bispo
 

Semelhante a Cefapro orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a passo) (1) (20)

projeto da 28ª SAPe
projeto da 28ª SAPeprojeto da 28ª SAPe
projeto da 28ª SAPe
 
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
 
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
Como elaborar um_projeto_de_monografia_06_maio_2011
 
Como elaborar projeto de trabalho apostila
Como elaborar projeto de trabalho  apostilaComo elaborar projeto de trabalho  apostila
Como elaborar projeto de trabalho apostila
 
Análise das questões da prova do IFRJ (2011)- Língua Inglesa (Thaís Duarte)
Análise das questões da prova do IFRJ (2011)- Língua Inglesa (Thaís Duarte)Análise das questões da prova do IFRJ (2011)- Língua Inglesa (Thaís Duarte)
Análise das questões da prova do IFRJ (2011)- Língua Inglesa (Thaís Duarte)
 
Projeto Sala de Professor 2011
Projeto Sala de Professor 2011Projeto Sala de Professor 2011
Projeto Sala de Professor 2011
 
PIBID apresentação.pptx
PIBID apresentação.pptxPIBID apresentação.pptx
PIBID apresentação.pptx
 
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrnProjeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
 
Análise da Prova do IFRJ 2011- Língua Inglesa
Análise da Prova do IFRJ 2011- Língua InglesaAnálise da Prova do IFRJ 2011- Língua Inglesa
Análise da Prova do IFRJ 2011- Língua Inglesa
 
Modelo de projeto
Modelo de projetoModelo de projeto
Modelo de projeto
 
Modelo de Ti comentado
Modelo de Ti comentadoModelo de Ti comentado
Modelo de Ti comentado
 
Prova objetiva-professor-ii-sociologia-see-sp-2011-fcc
Prova objetiva-professor-ii-sociologia-see-sp-2011-fccProva objetiva-professor-ii-sociologia-see-sp-2011-fcc
Prova objetiva-professor-ii-sociologia-see-sp-2011-fcc
 
Macroinvertebrados
Macroinvertebrados Macroinvertebrados
Macroinvertebrados
 
P2 noite
P2 noiteP2 noite
P2 noite
 
PIBID.pptx
PIBID.pptxPIBID.pptx
PIBID.pptx
 
PIBID.pptx
PIBID.pptxPIBID.pptx
PIBID.pptx
 
Oficina CBC
Oficina CBC Oficina CBC
Oficina CBC
 
Sala de educador
Sala de educadorSala de educador
Sala de educador
 
Normas técnicas para apresentação de trabalhos escoares 97 2003 definitivo
Normas técnicas para apresentação de trabalhos escoares  97   2003 definitivoNormas técnicas para apresentação de trabalhos escoares  97   2003 definitivo
Normas técnicas para apresentação de trabalhos escoares 97 2003 definitivo
 
Livro orcamento publico
Livro orcamento publicoLivro orcamento publico
Livro orcamento publico
 

Último

Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...excellenceeducaciona
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...excellenceeducaciona
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 

Último (20)

Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 

Cefapro orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a passo) (1)

  • 1. 1. ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A FORMATAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO PROJETO SALA DE EDUCADOR 2014 (NBR 14724/2011) O formato é a formatação geral de apresentação de todo projeto/trabalho acadêmico. Sua apresentação segue as seguintes normas:  Tamanho do papel: A4 (21,0 cm x 29,7 cm);  Margem superior e esquerda: 3 cm;  Margem inferior e direita: 2 cm;  Cor da fonte: preta em todo o trabalho.  Tamanho da fonte do corpo do texto: 12 pts  Fonte: Times  Tamanho da fonte de 10 pts para:  Citações longas;  Notas de rodapé;  Legendas;  Paginação;  Espaçamento entre linhas 1,5 para todo corpo do texto e de 1,0 (simples) para:  Citações diretas (mais de 3 linhas);  Notas de rodapé;  Legendas dos elementos especiais (gráficos, figuras, quadros e tabelas);  Referências/bibliografia;  Recuo de primeira linha dos parágrafos: 1,25 cm
  • 2. 2. ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DE CITAÇÕES NO CORPO DO PROJETO A forma de citação utilizada no Centro de formação é o sistema autor-data, portanto deverá ser empregado em todos os projetos enviados à instituição. Citação é a inclusão no texto de informações extraídas de outras fontes. É a forma de apresentar o material considerado relevante e que serviu de base à investigação. As citações podem ser diretas, indiretas ou citação de citação. 2.1 Citação Direta Transcrição literal de um texto ou parte do texto de um autor.
  • 3. 2.1.1 Citação direta com menos de 3 linhas Exemplos: a) o nome do autor no início do parágrafo Para Santos (2002, p.116), as citações “devem ser sempre consideradas ideias secundárias em um parágrafo, já que sua função é sustentar, ilustrar ou esclarecer ideias do autor do texto”. b) o nome do autor no final do parágrafo “Para elaborar o referencial teórico o autor poderá utilizar livros, artigos científicos, fotos, documentos e relatórios oficiais” (MICHALISZYN; TOMASINI, 2005, p. 98). 2.1.2 Citação direta com mais de 3 linhas O nome do autor pode ser incluído no início ou no final do parágrafo. Fazer um recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor (Tamanho 10) que a do texto utilizado e sem as aspas e espaço simples. Exemplo de citação direta com mais de 3 linhas: Hoje, não se pode realizar uma pesquisa sem levar em conta essa fonte importante, que é a Internet. Contudo, esta ainda não substitui e nem substituirá, em nossa maneira de pensar, a realização da pesquisa bibliográfica em livros, periódicos e nem a pesquisa documental (BARROS; LEHFELD, 2004, p. 17).
  • 4. 2.2 Citação Indireta É o texto redigido com palavras do autor do trabalho, mantendo a ideia e/ou teoria de outro autor (SANTOS, 2002). O nome do autor pode vir no início ou no final do parágrafo. Exemplo de citação indireta: Outra importante fonte de pesquisa é a Internet, pela sua rapidez e facilidade de busca. No entanto, não substitui a realização da pesquisa bibliográfica em livros periódicos e documentos (BARROS; LEHFELD, 2004). 2.3 Citação de Citação “É a menção a um texto ao qual se teve acesso através da citação em outro documento, podendo acontecer tanto em citação direta, quanto indireta. Para indicar a autoria original do texto utiliza-se a expressão latina apud” ou citado por (NBR 10520 2002). Na citação de citação o nome do autor, pode vir no início ou no final do parágrafo. Exemplos: Minayo (1994 citado por BARROS; LEHFELD, 2004, p. 32), comenta que “o campo cientifico, apesar de sua normatividade é permeado por conflitos e contradições”. Ou “Crenças culturais e religiosas, condições econômicas e valores influenciam e muito no dia-a-dia da mulher” (FARREL; NICOTERI, 2005 apud SILVA, 2007, p. 12).
  • 5. SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO CENTRO DE FORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA - CEFAPRO NOME DA ESCOLA “TÍTULO DO PROJETO” CUIABÁ/MT 2014
  • 6. Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Educação Superintendência de Formação dos Profissionais da Educação Básica Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica - Cefapro/Cbá Escola Estadual: Endereço: Nº: Bairro: CEP: Fone: E-mail: Quantidade de profissionais da Escola: Quantidade de participantes do P. Sala de Educador: NOME COMPLETO DADOS Diretor(a) Telefone E-mail: Coordenador(a) Telefone E-mail: Coordenador(a) Telefone E-mail:
  • 7. Coordenador(a) Telefone E-mail: Coordenador(a) responsável pelo projeto: Telefone E-mail: Articulador(a) Ensino Fundamental Telefone E-mail: Articulador(a) PROEMI Telefone E-mail: Coordenador(a) do Mais Educação Telefone E-mail: Professor(a) Integrador(a) Telefone E-mail: Secretário(a) Telefone E-mail: Formadores responsáveis pela escola: 1- 2- 3- Telefone: 1- 2- 3- E-mail: 1- 2- 3-
  • 8. Modalidades de oferta: Ensino Fundamental - ( ) 1º Ciclo ( ) 2º Ciclo ( ) 3º Ciclo Educação Infantil – ( ) Ensino Médio - ( ) Ens. Médio Regular ( ) Ens. Médio Semestral ( ) EMIEP ( ) PROEMI Educação de Jovens e Adultos - ( ) I Segmento ( ) II Segmento ( ) Ensino Médio Ed. Especial ( ) Educação do Campo ( ) Ed. Quilombola ( ) Ed. Escolar Indígena ( ) Disciplinas da parte diversificada – Campo ( ) Quilombola ( ) Nº do INEP: Índice do IDEB - Observado: Nota do ENEM: - Projetado: Nota da Prova Brasil: - Anos Iniciais: Português ( ) Matemática ( ) - Anos Finais: Português ( ) Matemática ( ) Possui: Sala de Articulação ( ) Sala de Recursos ( ) Mais Educação ( ) Escola da Terra ( ) Escola Aberta ( ) Sala de Superação ( ) Outros Projetos / Programas ( ) Quais? Possui Salas Anexas ( ) Quantas? Possui Salas Multi ( ) Quantas? Ens. Fundamental - Anos iniciais ( ) Anos Finais ( ) Ens. Med. ( )
  • 9. EJA ( ) I Segmento ( ) II Segmento ( ) Ensino Médio Possui laboratórios? Sim ( ) Não ( ) Quais? Possui Horta Escolar? Sim ( ) Não ( ) Assessor(a) Pedagógico(a): Telefone: E-mail: Tecnico Adm. da SUDE Telefone: E-mail: Tecnico Adm. da SUEB Telefone: E-mail: Tecnico Adm. da SUGT Telefone: E-mail: Tecnico Adm. da Secretaria de Gestão de Pessoas - RH Telefone: E-mail:
  • 10. 1. INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA Este item abarca as razões que mobilizam a escola a desenvolver o Projeto Sala de Educador. Assim, a justificativa deve descrever e argumentar sobre as razões e motivações que levaram à seleção dos temas definidos, apresentando o resultado das reflexões ocorridas perante os desafios enfrentados pela instituição escolar de forma clara e objetiva. Deve indicar ainda:  As contribuições que os estudos podem evidenciar, no sentido de proporcionar respostas aos desafios apresentados pela escola ou ampliar as formulações teóricas a esse respeito, bem como;  Evidenciar os diagnósticos apontados pela escola assim como as sugestões oriundas dos documentos oficiais que orientam a escola no desenvolvimento das políticas públicas educacionais.  A possibilidade de sugerir propostas de intervenção no âmbito da realidade escolar. Neste sentido, o mais importante é “convencer o outro” quanto à necessidade do desenvolvimento do projeto em questão. 2. OBJETIVO GERAL Define o que o grupo de profissionais pretende atingir, de forma geral, com os temas estudados no Projeto Sala de Educador.
  • 11. 3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Os objetivos específicos dizem respeito à intenção do grupo com relação aos diferentes temas estudados, de modo que estes contribuam para alcançar o objetivo geral. Os objetivos devem ser apresentados, utilizando-se de verbos no infinitivo no início dos textos, ex: conhecer, identificar, diagnosticar, levantar, descobrir, caracterizar, descrever, traçar, determinar, analisar, avaliar, verificar, explicar, etc. 4. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Nesta parte do projeto o grupo de profissionais da escola deverá definir, passo a passo, como será o desenvolvimento dos estudos, bem como indicar o número de profissionais da escola envolvidos nesse processo e o número de grupos de estudos existentes na escola e sua justificativa. Também é importante ressaltar a carga horária semanal dos estudos, dia e horário em que o grupo se reunirá. Deverá indicar ainda a distribuição da carga horária no desenvolvimento da ação interventiva junto à comunidade escolar. 5. RECURSOS MATERIAIS Neste item elabora-se uma planilha dos recursos materiais que serão utilizados nos grupos de estudos mediante descrição das ações previstas nos procedimentos metodológicos. OBS: a planilha poderá ser vinculada ao PDE/PDDE. Itens da planilha  Referencial teórico utilizados na formação;  Material didático-pedagógico;  Material de papelaria;  Recursos tecnológicos;  Outros recursos necessários para a execução do Projeto.
  • 12. Sugestão de planilha 6. CRONOGRAMA No cronograma deve conter os seguintes itens:  Ação/Temática;  Responsáveis pela ação e tema;  Data dos encontros;  Carga horária. Ord. Materiais Quantidade Cotação de preço 01 02 03 04 05 06
  • 13. Veja o exemplo abaixo: I ETAPA – ELABORAÇÃO DO PROJETO E COMPOSIÇÃO DOS GRUPOS DE ESTUDOS Ação/Temática Responsáveis pela ação e Tema Data Carga Horária A. Socialização do encontro Formativo desenvolvido pelo CEFAPRO com os coordenadores, referente aos estudos sobre a formação continuada, os desafios do profissional da educação e a elaboração do Projeto Sala de Educador 2014. Todos os profissionais da educação 4 h B. Sistematizar o Projeto “Sala de Educador” do ano vigente, definindo as temáticas a partir das seguintes fontes de diagnóstico: - Reflexões sobre as práticas pedagógicas; - Investigação Socioantropológica; - IDEB; Todos os profissionais da educação Discriminar a data 4 h
  • 14. - Avaliação da Sala de Educador/2013; -PPP/PDE/PDDE/PDE; - Avaliação Interna. Observação: As escolas do campo e quilombola devem considerar as suas especificidades, tais como: agroecologia, agricultura familiar, economia solidária e práticas. B.1- Estabelecer os grupos com as correspondentes temáticas de estudo e avaliação desta etapa. Exemplo de organização Grupo/Temática: Grupo A – Tema: avaliação do processo de ensino de matemática (uso de tecnologia, discalculia...) Grupo B Grupo C
  • 15. II ETAPA – DESENVOLVIMENTO DOS ESTUDOS E APRESENTAÇÃO DO PLANO DE INTERVENÇÃO C. Estudos Específicos e sua sistematização para produção da apresentação (slides, relatório, fotos). Planejamento da “Ação Interventiva” de acordo com o tema estudado pelos grupos. Registrar os momentos de estudos por meio de fichamento de leitura e avaliação deste momento. Todos os profissionais da educação (Em Grupo) Discriminar a data 36 h D. Socialização das temáticas estudadas e divulgação do planejamento da “Ação Interventiva” e avaliação dessa ação. Grupo A – Tema: avaliação do processo de ensino de matemática (uso de tecnologia, discalculia...) Grupo B Grupo C Discriminar a data 10 h
  • 16. III ETAPA – EXECUÇÃO DO PLANO DE INTERVENÇÃO E. Ação Interventiva e avaliação da ação. Todos os profissionais da educação 10 h F. Registro dos estudos e da ação interventiva (Organização e avaliação dos mesmos) no desenvolvimento do projeto Sala de Educador. - Postagem dos relatórios (1 relatório por grupo) -Apresentação de Seminário organizado pelo Cefapro, com a participação dos representantes da unidade escolar. - Postar registro de ações formativas por meio de TICs (Planejamento dos encontros, textos, fichamento, vídeos das intervenções, etc.) 14 h G. Avaliação do projeto Todos os profissionais da educação 2 h H. Carga horária total 80 h
  • 17. 7. AVALIAÇÃO Neste item do projeto, deve-se apresentar a concepção de avaliação do processo formativo, informando os instrumentos que serão utilizados no final de cada etapa. A unidade escolar pode descrever ainda neste campo, a maneira como pretende trabalhar com os resultados obtidos da avaliação. Tais dados poderão se constituir em referencial de diagnóstico para o desenvolvimento posterior de ações interventivas. 8. REFERÊNCIAS Referências é o conjunto de elementos que identificam as obras utilizadas na elaboração do trabalho. Todas as obras citadas no trabalho (no corpo do texto, nas fontes de ilustrações e tabelas ou em notas de rodapé) devem compor a listagem das referências. As referências devem ser apresentadas em uma única ordem alfabética, independentemente do suporte físico (livros, periódicos, publicações eletrônicas ou materiais audiovisuais) alinhadas somente à esquerda, em espaço simples, e espaço simples entre elas. O recurso tipográfico (negrito, grifo ou itálico) utilizado para destacar o elemento título deve ser uniforme em todas as referências de um mesmo documento. Livro Os elementos essenciais são: Autor, título, subtítulo (se houver), edição, local, editora e data de publicação.
  • 18. Exemplo: JORGE, A.D. Doenças evitáveis. Florianópolis: Associação Catarinense de Medicina, 1988. 63p. Verifique abaixo a forma de apresentação das referências/bibliografias:
  • 19. COMO ELABORAR UM FICHAMENTO ESTUDOS Este tipo de fichamento é um registro de informações mais importantes que se recolhe sobre o tema abordado no texto. O fichamento deve considerar alguns elementos:  Referências;  Tema;  Resumo;  Conclusão. FICHAMENTO DOS ESTUDOS REALIZADOS NO GRUPO Referências SARAIVA, Antonio José Gil Vicente e o Fim da Teatro Medieval Livraria Bertrand, 1981, pag. 107, cap.VI Tema Mensagem Central dos textos Breve Resumo Descrição sintética dos conceitos apresentados pelo (s) autor (es) a respeito do tema . Conclusão do Grupo Breve reflexão do grupo sobre o tema estudado.
  • 20. Cronograma das Ações Interventivas “Sala de Educador” – II ETAPA Atividades a serem desenvolvidas Objetivo da ação Período de realização (dia e mês e horário) Responsáveis pela execução da ação Recursos humanos e materiais Local de realização da ação Foco da ação (sujeitos) Carga horária total EXEMPLO: Palestra: Qualidade de vida. Sensibilizar os alunos e os profissionais envolvidos sobre a importância da boa nutrição e a prática de esportes para uma boa qualidade de vida. Junho (de 11 a 13). das 15h00 às 17h00. Professores: Alcides, Tamires, Francisco e Laura. Palestrante: Drº João Bosco Materiais impressos: panfletos educativos Pátio aberto da escola Todos os alunos da escola (serão divididos em três turmas) Carga horária total das ações interventivas ------------- -------------------- - --------------- ------------------ Avaliação (Resultados obtidos): Considerar a ação a partir dos objetivos estabelecidos e os resultados obtidos das ações interventivas desenvolvidas (depoimentos, fotos, relatórios, painéis, banner, outros).