Apresentação

2.254 visualizações

Publicada em

common rail diesel

Publicada em: Indústria automotiva
  • Seja o primeiro a comentar

Apresentação

  1. 1. Apresentação Sistema COMMON RAIL <br />U.C. Motores Alternativos – Semestre de Inverno 2010 / 2011<br />Docente: Eng. Gouveia Martins <br />João Cardoso 32557 , Fabio Marçal 29402<br />
  2. 2. Como surgiu:<br />O sistema common rail foi apresentado pela Fiat em 1995 para equipar seus camiões, e em 1997, apresentado no Alfa Romeu 156, sendo o primeiro automóvel equipado com esta tecnologia. <br />Posteriormente a Bosch passa a desenvolver o seu produto, que se tornou base de vários sistemas adoptados hoje em dia. <br />O sistema common rail é basicamente a injeção eletrônica dos automóveis aplicada nos motores Ciclo Diesel, porém trabalhão com pressões muito maiores. <br />
  3. 3. Como funciona:<br />O combustivel encontra-se dentro do tanque e é impulsionado pela bomba de baixa pressão para a bomba de alta pressão onde é comprimido a pressões elevadas, de seguida é direccionada para o rail onde espera por um sinal electronico (centralina) que faz abrir os injectores e assim o diesel entra na câmera de combustão a alta pressão. <br />Este processo envolve uma serie de cálculos e parâmetros que são monitorados pela central eletrônica do motor de modo a manter a pressão de combustivel constante como de injecção etc. <br />
  4. 4. Caracterização do equipamento:<br />Tanque de combustível (1): armazena o combustível, retira as impurezas filtro previo (2) existentes no combustível evitando o desgaste prematuro dos componentes, bomba aspiração (3)impulsiona o combustivel para a bomba de alta pressão.<br />
  5. 5. Filtro de combustivél(4): tem como função retirar as impurezas de modo a não danificar a bomba de alta pressão e os injectores.<br />Condutas de baixa pressão (5): conduzem o combustivél até a bomba de alta pressão.<br />
  6. 6. Bomba de alta pressão (6): A bomba tem a missão de sempre colocar combustível comprimido para as áreas de serviços, a bomba gera pressão no sistema de forma permanente para o acumulador de alta pressão (Rail). <br />
  7. 7. Esquema da bomba de alta pressão<br />
  8. 8. Condutas de alta pressão(7): transporta o combustivél em alta pressão até ao Rail e deste até ao injector.<br />Rail ou acumulador de alta pressão(8): O rail tem a tarefa de armazenar combustível a alta pressão. A pressão no distribuidor de combustível em todos os cilindros é mantida a um valor quase constante, mesmo quando é usado grandes quantidades de combustível, o que garante que permanece uma pressão de injecção constante. <br />
  9. 9. O volume existente no rail está continuamente cheio de combustível sob pressão. A capacidade de compressão de combustível obtida com a alta pressão é usada para obter um efeito do acumulador. Ao remover o combustível do Rail para uma injecção permanece quase constante a pressão no acumulador. Da mesma forma, ou seja é compensada pela bomba de alta pressão.<br />
  10. 10. Injector electrónico (9): Os injectores utilizados nos sistemas common-rail são activados electricamente ao contrário daqueles utilizados em sistemas que usam bomba rotativa. Isso dá maior precisão do que na injecção de combustível na forma mecânica. <br />
  11. 11. Esquema de injector: 1 .- O retorno do tanque de combustível, 2. e 3 .- solenóide conexão eléctrica; 4 .- Válvula de esfera 5 .- cais, 6 .- Entrada: 7 .- saída, 8.- haste de controlo, válvula de pistão, 9 .- Fluxo de combustivél, 10.- injector agulha, 11.- Pressão de entrada de combustível, 12 .- Câmara.<br />
  12. 12. UCE(11): Controla o motor mantendo desempenho, ruído e rendimento em níveis óptimos, a unidade de comando eletrônico-UCE colecta informações de diversos componentes sensores estrategicamente instalados. Com esses dados, calcula a pressão do Rail e o momento e tempo de injecção do Diesel para cada regime de trabalho do motor<br />
  13. 13. Esquema completo do sistema de injecção com ”common rail”<br />
  14. 14. Vantagens do “common rail”<br />Melhor controlo de dosagem de combustível, adequada à carga que o motor necessita; <br />Melhor controlo dos gases poluentes de escape; <br />Melhor adequação do motor em operações com variações climáticas.<br />Melhor consumo específico.<br />Mesma taxa de pressão para qualquer regime de rotação do motor.<br />Pressões mais elevadas, logo taxas de compressão maiores<br />Melhor rendimento.<br />
  15. 15. Apresentação de um breve video sobre o sistema de injecção “common rail”<br />

×