A partir da definição das alternativas de rede de transporte e dos cenários futuros de                                dese...
Tabela 6.1 – Conjunto de alternativas testadas                                                                            ...
Os indicadores relacionados ao transporte coletivo para o ano-base de 2003, na hipótese de6.1.1.1 Indicadores de desempenh...
Tabela 6.1.2 – Valores e variações dos indicadores – transporte individual - 2003                                         ...
Figura 6.1.1 – Resultados de carregamentos ano-base 2003   Figura 6.1.3 – Resultados de carregamentos ano-base 2003Situaçã...
Tabela 6.1.4 – Valores e variações dos indicadores – transporte individual 20086.1.2 Cenário Tendencial – 2008No cenário d...
Tabela 6.1.6 – Valores e variações dos indicadores – transporte coletivo 2013 –                                     O cust...
Tabela 6.1.7 – Valores e variações dos indicadores – transporte individual 2013 –                                         ...
Tabela 6.1.8 - Total de embarques-dia por sistema de transporte em 2013 –                                         No subsi...
Tabela 6.1.10 – Total de embarques-dia no sistema metroviário em 2013 – Cenário                                         Ta...
Figura 6.1.5 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial –   Figura 6.1.7 – Resultados de carregamentos An...
Figura 6.1.9 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial –    Figura 6.1.11 – Resultados de carregamentos ...
Enquanto que no cenário tendencial as viagens pelo modo coletivo crescem 16,4% e pelo                    Os indicadores re...
Tabela 6.1.13 – Valores e variações dos indicadores – transporte individual 2013 –             Gráfico 6.1.3 - Totais de e...
Tabela 6.1.14 - Total de embarques-dia por sistema de transporte em 2013 –                                       concorrên...
Figura 6.1.12 – Terminais propostos6-16                                      Consórcio: Logit-Oficina-JGP
Figura 6.1.13 – Corredores de ônibus propostos                                                 6-17  Consórcio: Logit-Ofic...
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
PDTU 2003 - Resultados dos investimentos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

PDTU 2003 - Resultados dos investimentos

932 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
932
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PDTU 2003 - Resultados dos investimentos

  1. 1. A partir da definição das alternativas de rede de transporte e dos cenários futuros de desenvolvimento da Região Metropolitana, foi realizada uma série de simulações cujos resultados constituem a base de análise para definição das propostas e programas de investimento do Plano Diretor. Nesta fase foram consideradas, além do conjunto de alternativas já identificadas anteriormente, também a Alternativa Referência, correspondente à rede atual do sistema de transporte, com a previsão apenas da adequação da oferta do subsistema constituído por ônibus, de forma a atender as demandas projetadas para os anos-horizonte. Portanto, o conjunto de alternativas avaliado é formado por: Alternativa Referência; Alternativa Investimento Pleno; Alternativa Investimento Pleno Sem Integração; Alternativa Linha 6; Alternativa TransPAN; Alternativa T5 e TR6; Alternativa Investimento Mínimo; Alternativa Investimento Mínimo – Transporte Coletivo Ao todo foram oito situações analisadas para o ano horizonte de 2003, correspondendo a todas alternativas formuladas, onde pode ser verificado o desempenho de cada rede com a matriz de viagem atual. Para o ano 2008 foram simuladas apenas as alternativas de Referência e de Investimento Mínimo, justificado por este ano-horizonte ser de curto prazo,6 RESULTADOS sem o tempo necessário para a implantação das intervenções consideradas nas demais alternativas. Já para o ano 2013, no cenário tendencial, foram avaliadas todas as alternativas previstas, gerando, portanto, oito situações para análise. Para este mesmo ano- horizonte, no cenário induzido, foram simuladas seis situações referentes às alternativas de investimento pleno, com exceção da Alternativa Sem Integração e da Alternativa Investimento Mínimo – Transporte Coletivo. Cabe destacar que, para cada situação analisada, têm-se uma rede de transporte individual e uma rede de transporte coletivo. Portanto, são 48 configurações de rede testadas e analisadas. A Tabela 6.1 a seguir mostra o conjunto de alternativas testadas. 6-1 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  2. 2. Tabela 6.1 – Conjunto de alternativas testadas Indicador Incidência Descrição crítico de cada linha considerando um veículo convencional Ano como unidade de medida (x lugares) Alternativa 2003 2008 2013 T 2013 I Grau de utilização da rede de transporte coletivo em termosReferência X X X X Passageiro x km Sistema de extensão percorrida pelos usuários. Representa o total de quilômetros que os usuários percorrerãoInvestimento Pleno X X X Grau de utilização da rede de transporte coletivo em termosInvestimento Pleno Sem Integração X X Passageiro x hora Sistema de tempo gasto pelos usuários nos deslocamentosLinha 6 X X X Velocidade (km/h) Sistema Velocidade média de todo o sistema de transporte coletivoTransPAN X X XT5 e TR6 X X XInvestimento Mínimo X X X X Os indicadores relacionados ao transporte individual são também relacionados aoInvestimento Mínimo – Transporte Coletivo X X desempenho da rede sob a ótica dos usuários e do sistema. Entre os indicadores relacionados com os usuários estão o custo generalizado e o tempo no veículo. Os indicadores de desempenho sob a ótica do sistema são os indicadores veículos x quilômetro,Nas simulações foi adotado o período de pico da manhã onde ocorre a situação de maior veículos x hora e velocidade média da rede. A Tabela 6.3 a seguir apresenta os indicadoresdemanda de passageiros. considerados e suas definições.Para cada uma das alternativas testadas são apresentados os indicadores necessários para Tabela 6.3 – Relação dos indicadores de avaliação das alternativas de transportea tomada de decisões sobre a escolha da solução mais adequada e os resultados do individualprocesso de alocação. Indicador Incidência DescriçãoOs indicadores escolhidos para a avaliação das alternativas de transporte coletivo são Valor monetário atribuído ao custo de combustível, ao custorelacionados ao desempenho da rede sob a ótica dos usuários e do sistema. Entre os Custo generalizado (R$) Usuários do estacionamento e o tempo despendido, transformado emindicadores relacionados com os usuários estão o custo generalizado, os tempos (no veículo, valor monetário através do tempo adotadode espera e de espera para transferência). Os indicadores de desempenho sob a ótica do Tempo no veículo (min) Usuários Tempo médio estimado da viagem dentro do veículosistema são a frota operacional, a frota equivalente, os indicadores passageirosxquilômetroe passageiros x hora. A Tabela 6.2 a seguir apresenta os indicadores considerados e suas Grau de utilização da rede de transporte individual em Veículo x km Sistema termos de extensão percorrida pelos veículos. Representa odefinições. total de quilômetros que os veículos percorrerãoTabela 6.2 – Relação dos indicadores de avaliação das alternativas de transporte Grau de utilização da rede de transporte individual em Veículo x hora Sistemacoletivo termos de tempo gasto pelos veículos nos deslocamentos Indicador Incidência Descrição Velocidade (km/h) Sistema Velocidade média de todo o sistema de transporte individual Transporte Coletivo: valor monetário atribuído à viagem completa do usuário, incluindo a tarifa paga e o tempo Custo generalizado (R$) Usuários despendido, transformado em valor monetário através do tempo adotado 6.1 Simulações Custo de tarifa (R$) Usuários Valor médio da tarifa Com os resultados das simulações das alternativas nos cenários atual e futuro foi possível Tempo no veículo (min) Usuários Tempo médio estimado da viagem dentro do veículo avaliar o comportamento de cada uma delas como instrumento de intervenção no sistema Tempo 1ª espera (min) Usuários Tempo médio estimado da espera inicial para embarque de transporte. Para tanto, como parâmetros de comparação são destacados os valores dos Tempo espera transferência (min) Usuários Tempo médio estimado para embarque nas transferências indicadores de cada alternativa. Tempo médio estimado de caminhada total no acesso e Tempo a pé (min) Usuários egresso do transporte coletivo 6.1.1 Cenário Ano-base – 2003 Tempo da viagem (min) Usuários Tempo total médio das viagens. Neste cenário foram realizadas simulações de todas as alternativas previstas, considerando- Porcentagem de transferências Relação entre a quantidade de viagens com transferências se a demanda atual de viagens. Usuários (%) estimadas e o total de viagens Frota equivalente Sistema Frota operacional calculada em função da demanda no trecho6-2 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  3. 3. Os indicadores relacionados ao transporte coletivo para o ano-base de 2003, na hipótese de6.1.1.1 Indicadores de desempenho da rede implantação das alternativas anteriormente detalhadas, mostram que há uma nítidaOs indicadores de desempenho da rede nas diversas alternativas analisadas são melhora em todos os índices comparando-os com a Alternativa de referência, isto é, a deapresentados na Tabela 6.1.1 a seguir. não se fazer nada.Tabela 6.1.1 – Valores e variações dos indicadores – transporte coletivo 2003 O custo generalizado, que mede o custo de uma viagem computando-se a tarifa e a Alternativas monetarização dos diversos tempos gastos, reduz em cerca de 18% nas Alternativas de Indicador Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo Mínimo TC Investimento Mínimo e Investimento Mínimo – Transporte Coletivo, sendo que em todas asCusto generalizado(R$) 6,52 5,82 5,93 5,83 5,82 5,76 5,32 5,37 demais este valor também é inferior à de Referência, variando de 9 a 12%.Tarifa (R$) 2,43 2,19 2,35 2,18 1,89 1,88 1,87 2,16 A tarifa média, devido à nova política tarifária proposta também cai em todas asTempo no veículo 44,28 29,14 35,80 29,31 29,50 29,84 32,35 32,79 alternativas testadas, sendo o maior decréscimo, de 23% verificado nas Alternativas de(min)Tempo da 1ª Investimento Mínimo e T5 e TR6. Cabe destacar que na Alternativa Sem Integração este 3,66 4,11 3,37 4,11 3,88 3,96 2,79 2,73espera (min) decréscimo é de apenas 3%.Tempo espera na 1,32 1,94 1,08 1,91 1,98 1,95 1,43 1,43transferência (min) Com relação aos indicadores de tempo nota-se, também, uma sensível melhora no tempo deTempo a pé (min) 17,67 19,70 16,83 19,53 18,99 18,89 17,20 17,25 viagem, que hoje é de 66,93 minutos. Na Alternativa Investimento Mínimo há uma reduçãoTempo de viagem(min) 66,93 54,88 57,09 54,87 54,36 54,64 53,76 54,20 de 20%. À exceção da Alternativa Sem Integração onde a redução é de 15%, as demaisPorcentagem de 25% 37% 23% 37% 41% 41% 41% 38% alternativas observa-se uma redução entre 18% e 19%. Há que se registrar que os tempostransferência de espera e transferência são maiores nas alternativas testadas em função da novaFrota equivalente 16.384 13.020 14.735 13.122 13.509 13.306 13.215 13.350 concepção da rede que pressupõem mais transferências ao longo das viagens, o que podePassageiros x km(milhões) 32,48 31,04 31,82 31,23 31,54 31,64 31,87 31,58 ser observado nas respectivas porcentagens que se elevam nas alternativas, de 48% a 64%Passageiros x h 2,30 1,94 1,97 1,95 1,93 1,93 1,90 1,92 com relação à de Referência.(milhões)Velocidade(km/h) 21,76 31,60 26,37 31,61 31,72 31,45 29,23 28,57 Um outro indicador que mostra a sensível melhora nas alternativas testadas quando confrontadas com a de Referência é a frota equivalente necessária para operar o sistema de Alternativas transporte coletivo da RMRJ. Enquanto que na de Referência a frota equivalente estimada é Indicador Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo Mínimo TC de 16.384 veículos, nas demais esta frota é bem inferior, caindo em torno de 20%. IstoCusto generalizado - -11% -9% -11% -11% -12% -18% -18% representa uma menor solicitação do sistema viário, portanto menores níveis deTarifa - -10% -3% -10% -22% -23% -23% -11% congestionamento e menores impactos ambientais representando uma melhoria na qualidade de vida da população. No caso da Alternativa Sem Integração, mesmo com todosTempo no veículo - -34% -19% -34% -33% -33% -27% -26% os investimentos, a frota equivalente se reduziria em apenas 10%.Tempo da 1ª - 12% -8% 12% 6% 8% -24% -25%espera O indicador passageiros x km também decresce nas alternativas. Como este indicador estáTempo espera na - 47% -18% 45% 50% 48% 8% 8%transferência relacionado à distância das viagens é de se esperar que os valores sejam relativamenteTempo a pé - 11% -5% 11% 7% 7% -3% -2% pequenos.Tempo de viagem - -18% -15% -18% -19% -18% -20% -19% O indicador passageiros x h que se refere ao orçamento do tempo gasto na RMRJ mostraPorcentagem de - 48% -8% 48% 64% 64% 64% 52% que haveria também uma melhora significativa com a redução de cerca de 17% natransferência Alternativa Investimento Mínimo e de Investimento Mínimo – Transporte Coletivo emFrota equivalente - -21% -10% -20% -18% -19% -19% -19% relação à de Referência. As demais oscilariam entre 14 e 16% de queda.Passageiros x km - -4% -2% -4% -3% -3% -2% -3% Finalmente, o indicador de velocidade também mostra que haveria uma melhoraPassageiros x h - -15% -14% -15% -16% -16% -17% -17% significativa, aumentando em 46% na Alternativa TransPAN e 34% na de InvestimentoVelocidade - 45% 21% 45% 46% 45% 34% 31% Mínimo. A ausência de integração mostra que o ganho na velocidade seria mais modesto, ou seja, em torno de 21% 6-3 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  4. 4. Tabela 6.1.2 – Valores e variações dos indicadores – transporte individual - 2003 6.1.1.2 Indicador de demanda Indicador Alternativas Como indicador de demanda é apresentado para o ano-base de 2003 a quantidade total de Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo Mínimo TC embarques em cada alternativa analisada. Os resultados estão mostrados no Gráfico 6.1.1Custo generalizado(R$) 14,36 10,93 12,71 10,93 10,94 10,94 11,73 12,03 a seguir.Tempo no veículo 29,07 20,39 24,72 20,39 20,42 20,43 22,29 23,09 Gráfico 6.1.1 - Totais de embarques-dia de transporte coletivo no ano-base 2003(min)Veículo x km(milhões) 5,91 5,81 5,90 5,81 5,81 5,81 5,86 5,84 (x 1000)Veículo x h 215 151 183 151 151 151 165 171(mil)Velocidade 13.000 27,44 38,49 32,24 38,49 38,44 38,43 35,52 34,18(km/h) 12.500 Alternativas Indicador Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo Mínimo TC 12.000 Embarques-diaCusto generalizado - -24% -11% -24% -24% -24% -18% -16% 11.500Tempo no veículo - -30% -15% -30% -30% -30% -23% -21% 11.000Veículo x km - -2% 0% -2% -2% -2% -1% -1% 10.500Veículo x h - -30% -15% -30% -30% -30% -23% -21% 10.000Velocidade - 40% 17% 40% 40% 40% 29% 25% 9.500Os indicadores do transporte individual mostram que haveria uma melhora sensível em 9.000 REF MINIMO MINIMO TC PLENO LINHA 6 TRANSPAN T5 S/ INTtodos os indicadores na hipótese de implantação das alternativas no ano-base de 2003. 2003 11.060 12.866 12.888 12.795 12.820 12.873 12.794 10.539 % 0 16,3% 16,5% 15,7% 15,9% 16,4% 15,7% - 4,7%No custo generalizado, onde se computa o custo de combustível, estacionamento e amonetarização do tempo despendido haveria uma queda de 24% nas Alternativas deInvestimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, sendo respectivamente de 18% e 16% aredução nas alternativas de Investimento Mínimo e Investimento Mínimo – Transporte Na hipótese de implantação das alternativas, as novas configurações de rede promoveriaColetivo, e somente de 11% na Sem Integração. um incremento nos embarques, passando dos atuais 11,06 milhões de embarques por dia,O tempo no veículo que na Alternativa de Referência é de 29,07 min reduz em 30% nas para um patamar próximo a 12,8 milhões. O gráfico mostra que com relação à AlternativaAlternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, de 23% e 21% na de de Referência todas as demais apresentariam um acréscimo de 15,7% a 16,5%, comInvestimento Mínimo e Investimento Mínimo – Transporte Coletivo respectivamente e exceção da Alternativa Sem Integração. Isto é justificado pelo fato de a rede propostasomente de 15% na Sem Integração. integrar física e tarifariamente os diversos subsistemas de transporte.O indicador veículo x km também reduz, com exceção da Alternativa Sem Integração na Por outro lado, a Alternativa Sem Integração apresenta um decréscimo na quantidade dequal permanece inalterado. embarques de 4,7%. Isto se explica pelo fato da ausência de uma política de integração físico-tarifária e pela extensa rede estrutural de metrô prevista nesta alternativa.O indicador veículo x h mostra uma melhora significativa, na mesma proporçãoapresentada nos ganhos de tempo no veículo. A seguir são apresentadas as Figuras 6.1.1 a 6.1.3 que apresentam os carregamentos do transporte coletivo na situação atual e nas Alternativas de Investimento Pleno e deCom relação à velocidade média, dos atuais 27,44 km/h haveria um aumento de cerca de Investimento Mínimo, para o ano-base 2003.40% nas Alternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, de 29% e 25%na de Investimento Mínimo e Investimento Mínimo - Transporte Coletivo respectivamente esomente de 17% na Sem Integração. Tal resultado decorre da redução da frota de ônibusem circulação permitida pelas alternativas analisadas.6-4 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  5. 5. Figura 6.1.1 – Resultados de carregamentos ano-base 2003 Figura 6.1.3 – Resultados de carregamentos ano-base 2003Situação Atual Alternativa Investimento MínimoFigura 6.1.2 – Resultados de carregamentos ano-base 2003Alternativa Investimento Pleno Na situação atual o sistema ônibus (em azul) é responsável por cerca de 10 milhões de embarques-dia, o sistema sobre trilhos (trem em ocre e metrô em amarelo) por cerca de 0,8 milhão e as barcas (em vermelho) por 0,1 milhão de embarques-dia. Observa-se o grande carregamento nos corredores de ônibus quando comparado com os carregamentos modestos no sistema sobre trilhos, justamente nos eixos onde há uma competição direta pela demanda de passageiros. Na Alternativa Investimento Pleno ocorre uma mudança significativa, pois o sistema ônibus seria responsável por cerca de 8,9 milhões de embarques-dia, enquanto que o sistema sobre trilhos elevaria para 3,8 milhões e haveria uma redução nas barcas para 24 mil embarques-dia. Observa-se que o sistema sobre trilhos passaria a ser predominante nos corredores principais. Finalmente, a Alternativa Investimento Mínimo corresponde a uma situação intermediária onde o sistema ônibus seria responsável por cerca de 10,6 milhões de embarques-dia, o sistema sobre trilhos por 2,2 milhões e as barcas por 0,15 milhão de embarques-dia. Nos corredores passaria a haver um equilíbrio na distribuição da demanda. 6-5 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  6. 6. Tabela 6.1.4 – Valores e variações dos indicadores – transporte individual 20086.1.2 Cenário Tendencial – 2008No cenário de 2008, foram testadas apenas as Alternativas Referência e Investimento Alternativas Indicador Referência Mínimo VariaçãoMínimo, uma vez que as demais incluem intervenções que deverão ser viabilizadas somente Custo generalizado (R$) 17,54 14,48 -17%no cenário de 2013. Foram calculados os indicadores de desempenho e alguns indicadores Tempo no veículo (min) 36,29 28,43 -22%de demanda para subsidiar a etapa de avaliação econômico-financeira das alternativas. Veículo x km (milhões) 6,86 6,81 -1% Veículo x h 284.642 222.975 -22%6.1.2.1 Indicadores de desempenho da rede Velocidade (km/h) 24,11 30,52 27%As Tabelas 6.1.3 e 6.1.4 a seguir mostram os indicadores de desempenho da rede nocenário tendencial de 2008. Os indicadores do transporte individual também mostram que haveria uma melhoraTabela 6.1.3 – Valores e variações dos indicadores – transporte coletivo 2008 sensível em todos os indicadores na hipótese de implantação da Alternativa Investimento Alternativas Mínimo em 2008. Indicador Referência Mínimo Variação O custo generalizado reduziria em 17%, o tempo no veículo em 22%, o veículo x km em 1%,Custo generalizado (R$) 7,11 5,61 -21%Tarifa (R$) 2,5 2,22 -11% o veículo x h em 22% e a velocidade aumentaria em cerca de 27%.Tempo no veículo (min) 50,59 37,42 -26%Tempo da 1ª espera (min) 3,47 2,57 -26% 6.1.2.2 Indicador de demandaTempo espera na transferência (min) 1,35 1,46 8% Para o ano-horizonte de 2008 como indicador de demanda é considerada a quantidade totalTempo a pé (min) 17,71 17,37 -2% de embarques em cada alternativa analisada. Os resultados estão mostrados na TabelaTempo de viagem (min) 73,12 58,81 -20% 6.1.5 a seguir.Porcentagem de transferência 26% 38% 46%Frota equivalente 18.531 14.559 -21% Tabela 6.1.5 - Totais de embarques-dia de transporte coletivo – 2008Passageiros x km (milhões) 35,97 34,86 -3%Passageiros x h (milhões) 2,63 2,17 -18% Embarques Alternativa diários %Velocidade (km/h) 20,12 26,37 31% (x 1000) Referência 12.008 -Os indicadores relacionados ao transporte coletivo para o ano de 2008, na hipótese de Mínimo 13.549 13%implantação da Alternativa Investimento Mínimo, mostram que há uma nítida melhora emtodos os índices comparando-os com a Alternativa de Referência onde se faz apenas umajuste de oferta. Os totais de embarques diários na Alternativa Investimento Mínimo é 13% maior em relação à Alternativa de Referência em função da integração física-tarifária dos subsistemas deO custo generalizado é reduzido em cerca de 21%, a tarifa em 11% e o tempo total da transporte na RMRJ.viagem em 20%. Como era de se esperar a quantidade de transferências, devido àintegração físico-tarifária, aumenta em 46% em relação à Referência. 6.1.3 Cenário Tendencial – 2013A frota equivalente necessária para operar o sistema de transporte coletivo da RMRJ é 21% Neste cenário são apresentados os resultados da simulação de todo o conjunto demenor e os indicadores de passageiros x km e passageiros x h reduziriam em 3 e 18% alternativas previsto para a RMRJ.respectivamente. 6.1.3.1 Indicadores de desempenho da redeFinalmente, o indicador de velocidade também mostra que haveria uma melhora As Tabelas 6.1.6 e 6.1.7 referem-se aos valores dos indicadores de desempenho calculadassignificativa, aumentando em 31%. para o transporte coletivo e individual de todas as alternativas simuladas com base nas matrizes de viagens concebidas para o Cenário Tendencial de desenvolvimento da RMRJ.6-6 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  7. 7. Tabela 6.1.6 – Valores e variações dos indicadores – transporte coletivo 2013 – O custo generalizado reduz da ordem de 22% na Alternativa Investimento Mínimo, 21% naCenário Tendencial Alternativa Investimento Mínimo - Transporte Coletivo e entre 15% e 16% nas demais alternativas, exceto na Alternativa Sem Integração onde o decréscimo é de 13%. Alternativas Indicador Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo Mínimo TC A tarifa média reduz em todas as alternativas testadas sendo o maior decréscimo, de 12%,Custo na Alternativa Investimento Mínimo e o menor, 4%, na Alternativa Sem Integração. 7,04 5,94 6,15 5,96 5,98 5,94 5,51 5,57generalizado (R$)Tarifa (R$) 2,47 2,22 2,38 2,23 2,24 2,21 2,17 2,22 Com relação aos indicadores de tempo nota-se, também, uma sensível melhora no tempo deTempo no veículo(min) 52,81 31,35 41,44 31,61 32,01 32 36,68 37,8 viagem, que na de Alternativa de Referência é de 74,31 minutos, a redução nas AlternativasTempo da 1ª 3,26 3,65 2,79 3,69 3,48 3,48 2,47 2,45 de Investimento Pleno, TransPAN e T5 e TR6 é de cerca de 24%, na Alternativa Linha 6 emespera (min)Tempo espera na 23% e na de Investimento Mínimo em cerca de 22%. Da mesma forma, quando não hátransferência 1,20 1,84 0,89 1,89 1,84 1,85 1,35 1,35 integração este índice cai para 16%. Há que se registrar que os tempos de espera e(min)Tempo a pé (min) 17,04 19,55 17,33 19,67 19,31 19,17 17,57 17,56 transferência são maiores nas alternativas testadas em função da nova concepção da redeTempo de viagem que pressupõem mais transferências ao longo das viagens, o que pode ser observado nas 74,31 56,38 62,45 56,88 56,64 56,5 58,07 59,15(min) porcentagens de transferência que se elevam em 48% em relação à Alternativa dePorcentagem de 25% 37% 23% 37% 37% 37% 37% 37%transferência Referência. Mais uma vez a alternativa Sem Integração apresenta resultados mais modestosFrota equivalente 20.493 15.156 18.168 15.237 15.346 15.254 15.762 16.330 com 16% de redução no tempo de viagem e menos 8% nas transferências.Passageiros x km 37,49 5,86 36,63 36,11 35,97 36,06 36,46 36,230(milhões) Um outro indicador que mostra a sensível melhora nas alternativas testadas quandoPassageiros x h 2,88 2,26 2,43 2,278 2,27 2,26 2,31 2,35 confrontadas com a de Referência é a frota equivalente necessária para operar o sistema de(milhões)Velocidade (km/h) 18,63 30,02 23,2 29,98 29,49 29,57 26,08 25,2 transporte coletivo da RMRJ. Enquanto que na de Referência a frota equivalente estimada em 2013 é de 20.493 veículos, nas demais esta frota é bem inferior, caindo sensivelmente AlternativasIndicador em torno de 27% nas alternativas de Investimento Pleno, Linha 6 e T5 e TR6, 24% na de Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo Mínimo TCCusto Investimento Mínimo, 21% na de Investimento Mínimo - Transporte Coletivo e somente de - -16% -13% -15% -15% -16% -22% -21%generalizado 13% quando não há integração.Tarifa - -10% -4% -10% -9% -11% -12% -10%Tempo no veículo - -41% -22% -40% -39% -39% -31% -28% O indicador passageiros x km também decresce nas alternativas. Como este indicador estáTempo da 1ª - 12% -14% 13% 7% 7% -24% -25% relacionado à distância das viagens é de se esperar que os valores sejam relativamenteesperaTempo espera na pequenos. - 53% -26% 58% 53% 54% 13% 13%transferênciaTempo a pé - 15% 2% 15% 13% 13% 3% 3% O indicador passageiros x h que se refere ao orçamento do tempo gasto na RMRJ mostraTempo de viagem - -24% -16% -23% -24% -24% -22% -20% que haveria também uma melhora significativa com a redução de cerca de 21% nasPorcentagem de - 46% -8% 48% 48% 48% 48% 48% alternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, 20% na Alternativatransferência Investimento Mínimo e 18% na de Investimento Mínimo - Transporte Coletivo em relação àFrota equivalente - -27% -13% -27% -26% -27% -24% -21%Passageiros x km - -4% -2% -4% -4% -4% -3% -3% de Referência.Passageiros x h - -21% -16% -21% -21% -21% -20% -18% Finalmente, o indicador de velocidade também mostra que haveria uma melhoraVelocidade - 61% 25% 61% 58% 59% 40% 35% significativa, aumentando de 58% a 61% nas alternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, 40% na de Investimento Mínimo e 35% na de Investimento Mínimo -Os indicadores relacionados ao transporte coletivo para o ano-horizonte de 2013 – Cenário Transporte Coletivo. A ausência de integração mostra que o ganho na velocidade seria maisTendencial, mostram que há uma melhora substancial em todos os índices comparando-os modesto, ou seja, em torno de 25%com a Alternativa de Referência. 6-7 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  8. 8. Tabela 6.1.7 – Valores e variações dos indicadores – transporte individual 2013 – 6.1.3.2 Indicadores de demandaCenário Tendencial Como indicador de demanda é apresentado, inicialmente, para o ano-horizonte de 2013 – Alternativas Cenário Tendencial, a quantidade total de embarques-dia em cada alternativa analisada. Os Indicador Mínimo Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo TC resultados estão mostrados no Gráfico 6.1.2 a seguir.Custo generalizado(R$) 17,81 13,1 16,15 13,1 13,02 13,04 14,67 15,58 Gráfico 6.1.2 - Totais de embarques-dia de transporte coletivo no ano 2013 –Tempo no veículo 37,06 25,22 32,72 25,22 25,11 25,15 29,15 31,45 Cenário Tendencial (x1000)(min)Veículo x km 7,37 7,21 7,42 0,21 7,22 7,22 7,25 7,25(milhões) 15.500Veículo x h (milhões) 0,32 0,21 0,23 0,21 0,21 0,21 0,25 0,27 15.000Velocidade (km/h) 23,34 33,59 26,61 33,59 33,76 33,72 29,2 27,07 14.500 Alternativas 14.000 Indicador Mínimo 13.500 Embarques-dia Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo TC 13.000Custo generalizado - -26% -9% -26% -27% -27% -18% -13% 12.500Tempo no veículo - -32% -12% -32% -32% -32% -21% -15% 12.000Veículo x km - -2% 1% -2% -2% -2% -2% -2% 11.500Veículo x h - -32% -12% -32% -32% -32% -21% -15% 11.000Velocidade - 44% 14% 44% 45% 44% 25% 16% 10.500 10.000 9.500Os indicadores do transporte individual mostram que haveria uma melhora sensível em 9.000todos os indicadores na hipótese de implantação das alternativas no ano-horizonte de 2013 REF M INIM O M INIM O TC PLENO LINHA 6 TRANSPAN T5 S/ INT– Cenário Tendencial. 2013 T 12.699 14.687 14.684 14.668 14.680 14.824 14.786 12.074 % 0 15,7% 15,6% 15,5% 15,6% 16,7% 16,4% -4,9%No custo generalizado haveria uma queda de 26% a 27% nas Alternativas de InvestimentoPleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, de 18% e 13% na de Investimento Mínimo eInvestimento Mínimo - Transporte Coletivo respectivamente e somente de 9% na SemIntegração. Dos 12,7 milhões de embarques em 2013 previstos na Alternativa de Referência para oO tempo no veículo cairia de 37,06 min em 32% nas Alternativas de Investimento Pleno, cenário tendencial, a implantação das novas redes resultaria em um incremento nosLinha 6, TransPAN e T5 e TR6, de 21% e 15% na de Investimento Mínimo e Investimento embarques elevando-os a patamares superiores a 14,6 milhões. O gráfico mostra que comMínimo - Transporte Coletivo respectivamente e somente de 12% na Sem Integração. relação à Alternativa de Referência, com a exceção da Alternativa Sem Integração, todas as demais apresentariam acréscimo de 15,5% a 16,7% nos embarques. Isto é justificado peloO indicador veículo x km também reduz e o indicador veículo x h mostra uma melhora fato de a rede proposta integrar física e tarifariamente os diversos subsistemas designificativa na mesma proporção apresentada nos ganhos de tempo no veículo. transporte.Com relação à velocidade média, prevista em 23,34 km/h na Alternativa de Referência, Por outro lado, a Alternativa Sem Integração apresenta um decréscimo na quantidade dehaveria um aumento de cerca de 44% a 45% nas Alternativas de Investimento Pleno, Linha embarques de 4,9%. Isto se explica pelo fato da ausência de uma política de integração6, TransPAN e T5 e TR6, de 25% e 16% na de Investimento Mínimo e Investimento Mínimo - físico-tarifária e pela extensa rede estrutural de metrô prevista nesta alternativa.Transporte Coletivo respectivamente e somente de 14% na Sem Integração. Com relação ao carregamento, os resultados são apresentados por subsistemas, nas Tabelas 6.1.8 e 6.1.9 na seqüência.6-8 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  9. 9. Tabela 6.1.8 - Total de embarques-dia por sistema de transporte em 2013 – No subsistema trem se observa que dos 690 mil embarques-dia estimados na Alternativa deCenário Tendencial (x1000) Referência, haveria um aumento de 113% a 120% nas Alternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6 chegando-se a patamares de 1,5 milhão de embarques. Alternativas Sistema de transporte Mínimo Mesmo nas Alternativas de Investimento Mínimo e Investimento Mínimo - Transporte Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo TC Coletivo haveria uma redução expressiva (65%) chegando-se a patamares de 1,14 milhõesBarca/Aerobarco 119 36 55 35 35 35 174 176 de embarques. Destaca-se, por outro lado, que a não-integração dos subsistemas acarretaMetrô 567 2.869 1.105 3.000 2.417 2.518 1.450 1.475Ônibus 11.326 10.160 10.447 10.173 10.564 10.760 11.964 11.897 ao trem uma perda de demanda de cerca de 32% em relação à Alternativa de Referência.Trem 690 1.476 466 1.473 1.515 1.473 1.100 1.136 Com relação ao TransPAN (VLT), a melhor alternativa efetivamente é a que aquela em queVLT - 128 - - 293 - - - este não concorre com as Linhas 5 e 6 do Metrô. Neste cenário a demanda estimada noTotal 12.699 14.668 12.074 14.680 14.824 14.786 14.687 14.684 sistema é de 293 mil embarques-dia. Alternativas Sistema de transporte Mínimo Na análise do sistema sobre trilhos, separada por linhas e eixos de atendimento, os Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo TC resultados das simulações indicam desempenho significativo, conforme mostram as TabelasBarca/Aerobarco - -70% -54% -71% -71% -71% 46% 48% 6.1.9 e 6.1.10, respectivamente para os subsistemas trem e metrô.Metrô - 406% 95% 429% 326% 344% 156% 160%Ônibus - -10% -8% -10% -7% -5% 6% 5% Tabela 6.1.9 – Total de embarques-dia no sistema ferroviário em 2013 – CenárioTrem - 114% -32% 113% 120% 113% 59% 65% Tendencial (x1000)VLT - - - - - - - -Total - 16% -5% 16% 17% 16% 16% 16% Alternativas Eixo/Ramal Mínimo Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo TC Belford Roxo 43 122 43 121 127 121 78 81A tabela acima mostra o reflexo das alternativas no carregamento dos diversos subsistemas Deodoro 98 224 50 228 220 224 132 136que compões a rede de transporte coletivo da RMRJ no ano-horizonte de 2013 – Cenário Guapimirim 5 11 4 11 10 10 9 9Tendencial. Japeri/N.Iguaçu/Paracambi 224 354 179 351 373 359 321 331 Santa Cruz 133 349 118 349 345 342 255 263Para o subsistema barcas/aerobarco, há um grande aumento de demanda, principalmente Saracuruna/ Guapimirim 164 345 60 344 367 344 254 264nas Alternativas de Investimento Mínimo e Investimento Mínimo - Transporte Coletivo, V.Inhomirim 28 82 16 79 83 82 61 61passando de 119 mil na de Referência, para 174 mil e 176 mil, 46% e 48% de aumento Total 690 1476 466 1473 1515 1473 1100 1136respectivamente. Isto se explica pelo fato da Linha 2 do Metrô ser estendida até a Praça XVe a Linha 3 integrar próximo ao terminal das barcas em Niterói. Por outro lado, nas demais Alternativas Trem/Ramal Mínimohá um decréscimo em função da Linha 3 atravessar a baía nestas alternativas. Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo TCPara o Metrô, haveria um grande aumento de demanda, dos 567 mil embarques-dia Belford Roxo 184% 0% 181% 195% 181% 81% 88% Deodoro 129% -49% 133% 124% 129% 35% 39%estimados na Alternativa de Referência, para um máximo de 3 milhões na alternativa Linha Guapimirim 120% -20% 120% 100% 100% 80% 80%6, ou seja, 429% de aumento. Na Alternativa Investimento Mínimo, apenas com as Japeri/N.Iguaçu/Paracambi 58% -20% 57% 67% 60% 43% 48%implantações previstas no Metrô, ou seja, a Linha 2 estendendo-se da Estácio até a Praça Santa Cruz 162% -11% 162% 159% 157% 92% 98%XV, a Linha 1 até a estação Gal. Osório e a Linha 3 sem a travessia da baía, o aumento Saracuruna/ Guapimirim 110% -63% 110% 124% 110% 55% 61%também é significativo, estimado em 1,45 milhões de embarques em 2013, ou 156% de V.Inhomirim 193% -43% 182% 196% 193% 118% 118%aumento com relação à Alternativa de Referência. Total 114% -32% 113% 120% 113% 59% 65%No sistema ônibus observa-se que se manteria, ainda, um alto patamar de demanda,apesar dos significativos aumentos do sistema sobre trilhos. Deve-se sobretudo à integração Na tabela acima é possível verificar que todos os ramais ferroviários são beneficiados nasfísico-tarifária proposta nestas alternativas. Dos 11,3 milhões de embarques estimados na alternativas analisadas, excetuando-se a Alternativa Sem Integração quando há perda deAlternativa de Referência, há um incremento de 6% e 5% nas Alternativas de Investimento demanda em todos os ramais em relação à Alternativa de Referência. Destaque-se, em especial,Mínimo e Investimento Mínimo – Transporte Coletivo, e uma pequena queda nas demais os eixos de atendimento de Japeri/N.Iguaçu/Paracambi, Santa Cruz e Saracuruna/Guapimirimalternativas, devido à forte presença do sistema estrutural sobre trilhos. que pelo volume de embarques passariam a atender individualmente a demanda até recentemente observada em todo o sistema ferroviário. 6-9 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  10. 10. Tabela 6.1.10 – Total de embarques-dia no sistema metroviário em 2013 – Cenário Tabela 6.1.11 – Total de embarques-dia nos corredores troncais de ônibus (x1000)Tendencial (x1000) Alternativas Corredores Ônibus Alternativas T5 e TR6 Mínimo Mínimo TC Metrô Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo Mínimo TC TR4 - 149 153L1 360 1.054 383 1.064 1.060 1.079 617 627 TR5 - 49 64L2 207 482 175 489 501 502 451 471 TR6 172 178 178L3 - 566 252 569 557 558 382 377 T5 187 216 223L4 - 310 95 311 299 290 - - Total 359 582 618L5 - 95 31 110 - 90 - -L6 - 362 168 457 - - - -Total 567 2.869 1.105 3.000 2.417 2.518 1.450 1.475 Os corredores troncais aparecem somente nas alternativas onde não estão previstas as Linhas 4, 5 e 6, ou seja, nas alternativas T5 e TR6 e nas de Investimento Mínimo e Alternativas Investimento Mínimo – Transporte Coletivo. Observa-se a alta demanda estimada em todosMetrô Referência Pleno S/Integ Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo Mínimo TC eles, em particular o eixo da T5 que deve ser somada a uma parte da demanda da TR6.L1 - 193% 6% 196% 194% 200% 71% 74% Neste eixo há um potencial de 300 mil embarques-dia, resultado da soma da demanda doL2 - 133% -15% 136% 142% 143% 118% 128%L3 - - - - - - - - T5 com parte da demanda do TR6, o que o torna mais adequado para uma linha de metrôL4 - - - - - - - - no horizonte de 2013.L5 - - - - - - - - As Figuras 6.1.4 a 6.1.11 mostram os carregamentos no sistema de transporte coletivoL6 - - - - - - - - acima analisados em todas as alternativas testadas, observando-se a mesma convenção deTotal - 406% 95% 429% 326% 344% 156% 160% cores: sistema ônibus (azul), trem (ocre), metrô (amarelo), hidrovia (vermelho) e corredores troncais (roxo).Com relação ao sistema metroviário, há que se registrar o notável desempenho da Linha 1, Figura 6.1.4 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial –quando se prevê a sua complementação através do fechamento do anel, sob o maciço da Alternativa de ReferênciaTijuca. De 360 mil embarques estimados para 2013, na Alternativa de Referência, elaindividualmente teria uma demanda próxima de 1,1 milhão de embarques-dia nasalternativas onde se prevê a sua implantação completa. Em todas as alternativas a Linha 1continua a ser a mais forte. As Alternativas de Investimento Mínimo e Investimento Mínimo– Transporte Coletivo também contribuem para um acréscimo significativo da demanda,tanto na Linha 1 como na Linha 2, chegando a praticamente dobrar a sua demanda.Destaca-se, neste caso, a expressiva demanda na Linha 3, mesmo sem a travessia da baia,em torno de 380 mil embarques-dia e a Linha 6 com demanda em torno de 450 milembarques na Alternativa Linha 6.Por outro lado, novamente é verificado o fraco desempenho de todo o sistema metroviárioquando se analisa a Alternativa Sem Integração, com apenas 1,1 milhão de embarques-dia.Com todos os investimentos previstos ela é inferior à Alternativa Investimento Mínimo, com1,45 milhão de embarques.Com relação ao sistema ônibus os corredores troncais (TR), criados nos eixos das futuraslinhas de metrô, as simulações indicam alta demanda conforme mostra a Tabela 6.1.11 aseguir.6-10 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  11. 11. Figura 6.1.5 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial – Figura 6.1.7 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial –Alternativa Investimento Pleno Alternativa Linha 6Figura 6.1.6 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial – Figura 6.1.8 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial –Alternativa Sem Integração Alternativa TransPAN 6-11 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  12. 12. Figura 6.1.9 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial – Figura 6.1.11 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial –Alternativa T5 e TR6 Alternativa Investimento Mínimo – Transporte ColetivoFigura 6.1.10 – Resultados de carregamentos Ano 2013 – Cenário Tendencial –Alternativa Investimento Mínimo 6.1.4 Cenário Induzido – 2013 As demandas projetadas para o cenário induzido de 2013 indicam que há uma mudança na distribuição das viagens entre o modo coletivo e o modo auto, sendo que este último corresponde às viagens pelo modo individual, excetuando as realizadas por moto e caminhão, conforme mostra a Tabela 6.1.12 a seguir. Tabela 6.1.12 – Tabela de crescimento de viagens (milhões) Ano Coletivo Auto Total 2003 9,2 2,84 12,03 10,71 3,35 14,06 2013 T 16,4% 18,2% 16,8% 10,52 3,81 14,33 2013 I 14,4% 34,2% 19,1%6-12 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  13. 13. Enquanto que no cenário tendencial as viagens pelo modo coletivo crescem 16,4% e pelo Os indicadores relacionados ao transporte coletivo para o ano-horizonte de 2013 – Cenáriomodo auto 18,2%, no cenário induzido os crescimentos são de 14,4% e 34,2% Induzido, mostram que há uma melhora substancial em todos os índices comparando-osrespectivamente. Ou seja, no cenário induzido este crescimento maior das viagens pelo com a Alternativa de Referência.modo auto em relação ao cenário tendencial indica um impacto ligeiramente maior nos O custo generalizado reduz da ordem de 20% na Alternativa Investimento Mínimo, e cercaníveis de congestionamento das vias e, conseqüentemente, nos tempos das viagens e nas de 15% nas Alternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6.velocidades médias do tráfego geral. Há redução da tarifa média em todas as alternativas testadas, sendo de 11% nas6.1.4.1 Indicadores de desempenho da rede Alternativas de Investimento Mínimo e T5 e TR6, e 10% nas demais.Neste cenário foram realizadas simulações para seis das oito alternativas previstas, não Com relação aos indicadores de tempo nota-se, também, uma sensível melhora no tempo desendo simuladas as Alternativas de Investimento Pleno Sem Integração e de Investimento viagem, que na de Referência seria de 75,84 minutos, cairia em 26% nas Alternativas deMínimo – Transporte Coletivo. Investimento Pleno, TransPAN, Linha 6 e T5 e TR6. já na de Investimento Mínimo a reduçãoAs Tabelas 6.1.12 e 6.1.13 apresentam o desempenho destas alternativas avaliadas em seria cerca de 23%. Há que se registrar que os tempos de espera e transferência sãofunção dos indicadores estabelecidos para o transporte coletivo e individual. maiores nas alternativas testadas em função da nova concepção da rede que pressupõem mais transferências ao longo das viagens, conforme pode ser observado nas respectivasTabela 6.1.12 – Valores e variações dos indicadores – transporte coletivo 2013 – porcentagens que se elevariam nas alternativas em torno de 45% a 51% com relação à deCenário Induzido Referência. Alternativas Indicador Um outro indicador que mostra a sensível melhora nas alternativas testadas, quando Referência Pleno Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo confrontadas com a de Referência, é a frota equivalente necessária para operar o sistema deCusto generalizado (R$) 6,76 5,76 5,77 5,78 5,73 5,41Tarifa (R$) 2,43 2,19 2,20 2,19 2,17 2,16 transporte coletivo da RMRJ. Enquanto que na de Referência a frota equivalente estimadaTempo no veículo (min) 54,58 31,74 32,03 31,72 31,84 37,29 em 2013 é de 20.614 veículos, nas demais é bem inferior, caindo consideravelmente emTempo da 1ª espera (min) 3,11 3,69 3,69 3,44 3,44 2,43 28% nas alternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, e 23% na deTempo espera na Investimento Mínimo. 1,17 1,84 1,83 1,79 1,71 1,33transferência (min)Tempo a pé (min) 16,99 19,10 19,08 19,23 19,06 17,55 O indicador passageiros x km também decresce nas alternativas, assim como o indicadorTempo de viagem 75,84 56,37 56,62 56,17 56,06 58,61 passageiros x h que se refere ao orçamento do tempo gasto na RMRJ. Ele mostra quePorcentagem de 24% 36% 35% 36% 35% 37% haveria também uma melhora significativa com uma redução de cerca de 23% nastransferênciaFrota equivalente 20.614 14.603 14.900 14.840 14.840 15.786 alternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, e 21% na AlternativaPassageiros x km (milhões) 35,44 34,15 34,19 34,14 34,02 34,45 Investimento Mínimo.Passageiros x h (milhões) 2,85 2,20 2,20 2,20 2,18 2,26Velocidade (km/h) 17,51 29,02 28,79 29,03 28,81 24,92 Finalmente, o indicador de velocidade também mostra que haveria uma melhora substancial, com aumento de 64% a 66% nas alternativas de Investimento Pleno, Linha 6, Alternativas TransPAN e T5 e TR6, e 42% na de Investimento Mínimo. Indicador Referência Pleno Linha 6 TransPAN T5 e TR6 MínimoCusto generalizado - -15% -15% -15% -15% -20% Com relação ao cenário tendencial, observa-se que de fato as velocidades estimadasTarifa - -10% -10% -10% -11% -11% estariam um pouco inferiores neste cenário, da ordem de 5% nas alternativas simuladas.Tempo no veículo - -42% -41% -42% -42% -32%Tempo da 1ª espera - 19% 19% 11% 11% -22%Tempo espera na - 57% 56% 52% 46% 14%transferênciaTempo a pé - 12% 12% 13% 12% 3%Tempo de viagem - -26% -25% -26% -26% -23%Porcentagem de - 47% 46% 48% 45% 51%transferênciaFrota equivalente - -29% -28% -28% -28% -23%Passageiros x km - -4% -4% -4% -4% -3%Passageiros x h - -23% -23% -23% -24% -21%Velocidade - 66% 64% 66% 65% 42% 6-13 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  14. 14. Tabela 6.1.13 – Valores e variações dos indicadores – transporte individual 2013 – Gráfico 6.1.3 - Totais de embarques-dia de transporte coletivo 2013 – CenárioCenário Induzido Induzido (x1000) Alternativas Indicador Referência Pleno Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo 14.500Custo generalizado 18,75 13,81 13,81 13,74 13,74 15,8 14.000(R$)Tempo no veículo 13.500 39,62 27,3 27,3 27,13 27,13 32,22(min)Veículo x km 13.000 8,07 7,89 7,89 7,89 7,89 7,90(milhões) 12.500Veículo x h 379.666 261.575 261.575 259.978 260.013 308.754Velocidade (km/h) 21,26 30,18 30,18 30,35 30,34 25,62 12.000 11.500 Alternativas Indicador Referência Pleno Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo 11.000Custo generalizado - -26% -26% -27% -27% -16% 10.500Tempo no veículo - -31% -31% -32% -32% -19% 10.000Veículo x km - -2% -2% -2% -2% -2%Veículo x h - -31% -31% -32% -32% -19% 9.500Velocidade - 42% 42% 43% 43% 21% 9.000 " R" M INIM O PLENO LINHA 6 TRANSPAN T5 2013 I 12.144 14.107 14.010 14.037 14.167 14.070Os indicadores do transporte individual mostram, também, que haveria uma melhora % - 16,2% 15,4% 15,6% 16,7% 15,9%sensível em todos os indicadores na hipótese de implantação das alternativas no ano-horizonte de 2013 – Cenário Induzido.No custo generalizado, haveria uma queda de 26% a 27% nas Alternativas de Investimento São previstos 12,14 milhões de embarques em 2013 na Alternativa de Referência nestePleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, e de 16% na de Investimento Mínimo. cenário induzido, enquanto que a implantação das alternativas representariam umO tempo no veículo cairia de 39,62 min, na Alternativa de Referência, em 31% a 32% nas incremento nos embarques que os elevaria a patamares superiores a 14 milhões. O gráficoAlternativas de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, de 19% na de mostra um acréscimo de 15,4% a 16,7%. Isto é justificado pelo fato de a rede propostaInvestimento Mínimo. integrar física e tarifariamente os diversos subsistemas de transporte.O indicador veículo x km também reduz e o indicador veículo x h mostra uma melhora Com relação ao cenário tendencial, verificam-se valores ligeiramente inferiores devido àsignificativa, na mesma proporção apresentada nos ganhos de tempo no veículo. menor participação do transporte coletivo, conforme apresentado anteriormente.Com relação à velocidade média, da estimada de 21,26 km/h na Alternativa de Referência, Os carregamentos por subsistemas verificados na simulação são apresentados na Tabelahaveria um aumento de cerca de 42% a 43% nas Alternativas de Investimento Pleno, Linha 6.1.14 a seguir.6, TransPAN e T5 e TR6, e de 21% na Investimento Mínimo.Comparando as velocidades deste cenário com as estimadas no cenário tendencial, verifica-se que de fato elas são inferiores em cerca de 10% refletindo a maior participação deviagens de auto, conforme comentado anteriormente.6.1.4.2 Indicadores de demandaÉ considerado, inicialmente, como indicador de demanda para o ano-horizonte de 2013 –Cenário Induzido, a quantidade total de embarques-dia em cada alternativa analisada. Osresultados obtidos são mostrados no Gráfico 6.1.3 a seguir.6-14 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  15. 15. Tabela 6.1.14 - Total de embarques-dia por sistema de transporte em 2013 – concorrência das Linhas 5 e 6 do Metrô. Neste cenário a demanda estimada deste sistema éCenário Induzido (x1000) de 280 mil embarques-dia, pouco inferior à verificada no cenário tendencial de 293 mil. Alternativas Com relação aos cenários, observa-se que em geral, no induzido há uma pequena queda no Sistema de transporte Referência Pleno Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo total de embarques de todos os subsistemas de transporte coletivo, mantendo-se, porém, oBarca/Aerobarco 117 35 36 35 35 181 mesmo padrão de distribuição entre eles. Devido a este fato não são apresentados nesteMetrô 581 2.748 2.856 2.293 2.389 1.412 cenário os carregamentos individualmente para cada subsistema.Ônibus 10.759 9.698 9.723 10.102 10.230 11.451Trem 686 1.418 1.420 1.456 1.417 1.064 6.1.5 ComentáriosVLT - 112 - 280 - - Na análise geral das simulações realizadas, os resultados mostram que todas asTotal 12.144 14.010 14.037 14.167 14.070 14.107 alternativas formuladas, observando-se apenas o desempenho das redes, causariam um Alternativas profundo impacto no sistema de transporte da RMRJ. A reorganização do sistema sobre Sistema de transporte Referência Pleno Linha 6 TransPAN T5 e TR6 Mínimo pneus aliada à otimização do sistema sobre trilhos e a implantação das linhas de metrôBarca/Aerobarco - -70% -69% -70% -70% 55% previstas, mesmo que estas de forma parcial, produzem um novo padrão de uso dosMetrô - 373% 392% 295% 311% 143% transportes na região.Ônibus - -10% -10% -6% -5% 6%Trem - 107% 107% 112% 107% 55% O sistema estrutural sobre trilhos passa efetivamente a cumprir o seu papel, passando doVLT - - - - - - atual patamar de 800 mil embarques-dia para 2,5 milhões em 2013 na situação deTotal - 15% 16% 17% 16% 16% investimento mínimo e para 4,5 milhões na situação de pleno investimento. O sistema ônibus continuaria a ser o principal modo de transporte, mantendo-se sempreA tabela acima mostra o reflexo das alternativas no carregamento dos diversos subsistemas acima de 10 milhões de embarques-dia em todas as alternativas, sendo que para suaque compõe a rede de transporte coletivo da RMRJ no ano-horizonte de 2013 – Cenário operação pressupõe-se a implantação de um conjunto de terminais de integração e deInduzido. conexão, além de corredores com tratamento prioritário. A Figura 6.1.12 apresenta a relação dos terminais previstos e a Figura 6.1.13 mostra os corredores de ônibus quePara o subsistema barcas/aerobarco, há um grande aumento de demanda, principalmente completam a rede de transporte coletivo, sendo 178,40 km de tratamento leve, 108,50 kmna Alternativa Investimento Mínimo, de 117 mil para 181 mil, ou seja, 55% de aumento em de tratamento médio, 77,26 km de tratamento pesado, 122,38 km de tratamento em bináriorelação à Alternativa de Referência. Por outro lado, nas demais há um decréscimo em e 562,17 km de tratamento rodoviário.função da Linha 3 atravessar a baía nestas alternativas. Cabe também registrar o desempenho do sistema hidroviário que na AlternativaPara o subsistema metrô verifica-se um aumento de demanda de 581 mil embarques-dia Investimento Mínimo, onde não há a travessia da Linha 3 sob a baía, atingiria o volume deestimados em 2013 na Alternativa de Referência, para um máximo de 2,85 milhões na 174 mil embarques-dia.Alternativa Linha 6, ou seja, 392% de aumento, ligeiramente inferior ao alcançado nocenário tendencial. O mesmo ocorre na Alternativa Investimento Mínimo, estimado em 1,41 No entanto, como mostram os resultados da Alternativa Sem Integração, de nadamilhão de embarques contra 1,45 milhão no cenário tendencial. adiantariam os investimentos no sistema sem a implantação de uma política de integração física e tarifária, responsável pelo bom desempenho das propostas.No subsistema ônibus mantêm-se o alto patamar de demanda da ordem de 10,7 milhões deembarques-dia estimados na Alternativa de Referência, sendo que haveria um incremento Os indicadores mostram substanciais ganhos tanto do ponto de vista dos usuários, quede 6% na Alternativa Investimento Mínimo e uma queda de 5 a 10% nas demais terão maior rapidez e menores tarifas, quanto do ponto de vista operacional, com aalternativas, devido à forte presença do sistema estrutural sobre trilhos. racionalização de frota sem necessariamente haver redução da demanda que, pelo contrário, aumenta em determinadas situações. Em termos urbanos, a racionalizaçãoNo subsistema trem também se observa o mesmo fenômeno: dos 686 mil embarques-dia significará impactos altamente positivos para o meio ambiente com a redução de volumesestimados na Alternativa de Referência, haveria um salto de 107% a 112% nas alternativas de ônibus em circulação, particularmente na área central da cidade do Rio de Janeiro.de Investimento Pleno, Linha 6, TransPAN e T5 e TR6, chegando-se a patamares de 1,45milhão de embarques. Na Alternativa Investimento Mínimo haveria, ainda, um salto enorme Em termos tarifários, a Figura 6.1.14, a seguir, mostra o grande impacto que as novasde 55% chegando-se a 1,06 milhões de embarques. propostas causarão na RMRJ. Ela representa o custo médio da viagem dos diversos setores de tráfego para se atingir a região central da cidade do Rio de Janeiro.Para o TransPAN (VLT) a melhor alternativa continua sendo sua implantação onde não há a 6-15 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  16. 16. Figura 6.1.12 – Terminais propostos6-16 Consórcio: Logit-Oficina-JGP
  17. 17. Figura 6.1.13 – Corredores de ônibus propostos 6-17 Consórcio: Logit-Oficina-JGP

×