Módulo 4 unidade 1

2.552 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.552
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
82
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Módulo 4 unidade 1

  1. 1. A demografia do Antigo Regime SUMÁRIO (3-4) • Módulo 4 – A Europa nos séculos XVII e XVIII – Sociedade, Poder e Dinâmicas Coloniais. • População da Europa nos séculos XVII e XVIII: crises e crescimento. • Economia e população; • O modelo demográfico antigo; • O século XVII.
  2. 2. A demografia do Antigo Regime Regime demográfico do Antigo Regime 1550 1650 c.1750 • Crescimento lento e reversível • Sujeito a crises demográficas de caráter cíclico: trilogia negra = fomes/pestes/guerras Louis Le Nain, Uma família camponesa, 1641. No regime demográfico do Antigo Regime existem diferenças entre o século XVII e XVIII:  o século XVII foi marcado pelo recuo ou estagnação populacional, consoante as zonas geográficas;  o século XVIII revelou a tendência para o crescimento.
  3. 3. A demografia do Antigo Regime O modelo demográfico do Antigo Regime está relacionado com a economia pré-industrial: • agrária e rural: de subsistência; • pouco produtiva: com atraso técnico nos instrumentos e nos métodos de cultivo; • sujeita a variações climáticas; • marcada por desequilíbrios entre a oferta e a procura. Louis Le Nain, Uma família camponesa, "la charrette“, 1641.
  4. 4. A demografia do Antigo Regime • A população europeia manteve-se essencialmente rural. • Os rendimentos eram insuficientes.
  5. 5. A demografia do Antigo Regime O regime demográfico do Antigo Regime caracterizava-se por grandes flutuações nos índices da população. Motivos das flutuações demográficas:  a maior ou menor disponibilidade dos recursos alimentares;  o preço dos cereais;  as alterações climáticas;  as epidemias;  o estado de guerra;  as condições de higiene e de saúde pública;  as condições materiais de vida das populações.
  6. 6. A demografia do Antigo Regime Este regime demográfico foi caracterizado por: – elevadas taxas de natalidade (40%); – altas taxas de mortalidade (30% a 35%); – a mortalidade infantil era muito elevada: • uma em cada quatro crianças não completava um ano de vida; • outras tantas não atingiam os 20 anos de idade. Louis Le Nain, Visita à avó, 1641. Em média, as famílias tinham 5 a 7 filhos. Chegar à idade adulta e à velhice era difícil. Na Europa do Antigo Regime demográfico, o casamento era tardio mas cada mulher, em média, dava à luz 6 a 7 vezes.
  7. 7. A demografia do Antigo Regime Este regime demográfico foi caracterizado por: – a esperança de vida à nascença era baixa, situando-se em média entre os 30 e os 33 anos de idade; – a população europeia era jovem devido às taxas de natalidade elevadas e à baixa esperança média de vida; – a Europa registava uma taxa populacional baixa, em consequência da alta mortalidade. Louis Le Nain, Cena de uma família camponesa à lareira, 1641.
  8. 8. A demografia do Antigo Regime As crises demográficas de caráter cíclico são a característica mais marcante do modelo demográfico do Antigo Regime. Ocorrem quando: • há rutura brusca e violenta na evolução da população; • a mortalidade dispara para 3 x ou mais os valores normais. Estas crises demográficas são acompanhadas da diminuição da natalidade.
  9. 9. A demografia do Antigo Regime CRISE DE 1661-1662 na região rural do sul de Paris
  10. 10. A demografia do Antigo Regime CRISE DE 1661-1662 na região rural do sul de Paris
  11. 11. A demografia do Antigo Regime CRISE DE 1661-1662 na região rural do sul de Paris
  12. 12. A demografia do Antigo Regime SUMÁRIO (5-6) • Módulo 4 – A Europa nos séculos XVII e XVIII – Sociedade, Poder e Dinâmicas Coloniais. • População da Europa nos séculos XVII e XVIII: crises e crescimento (continuação). • O século XVII (conclusão);; • A transição no século XVIII para uma demografia moderna.
  13. 13. A demografia do Antigo Regime Século XVII O “século negro” A coincidência de mais do que um destes fatores (fomes, epidemias e guerras) causava anos calamitosos, responsáveis pela ocorrência da crise demográfica: – a crise demográfica ocorria quando a mortalidade se tornava catastrófica, isto é, quando os óbitos superavam três vezes ou mais os nascimentos; – as crises demográficas provocavam um recuo populacional significativo e estava geralmente ligada à falta de cereais o que conduzia a uma subida dos preços ; – a maior parte da população não podia adquirir alimentos despoletando fomes e, consequentemente fazia aumentar o número dos óbitos; – a par dos idosos, os mais afetados eram as crianças; – a recuperação era, no entanto, rápida, repondo assim os níveis de natalidade. Doença PESTE (EPIDEMIAS) GUERRAS Civis Revoltas sociais Guerra dos 30 anos Fomes MAUS ANOS AGRÍCOLAS
  14. 14. A demografia do Antigo Regime Alta do preço dos cereais Menos cereais Fraca produtividade Falta de abastecimentos e de reservas CRISE DE ANTIGO REGIME MÁ COLHEITA ou série de más colheitas (técnicas rudimentares e acidentes climáticos) FOME Enfraquecimento dos organismos ALTA TAXA DE MORTALIDADE EPIDEMIA Peste, tifo, ou outro surto GUERRA Pilhagens Destruição dos campos Propagação de doenças Deslocação e fuga de populações Alta do preço dos cereais Menos cereais Fraca produtividade Falta de abastecimentos e de reservas MÁ COLHEITA ou série de más colheitas (técnicas rudimentares e maus anos agrícolas) FOME Enfraquecimento dos organismos ALTA TAXA DE MORTALIDADE EPIDEMIA Peste, tifo, ou outro surto GUERRA Pilhagens (destruição dos campos)
  15. 15. A demografia do Antigo Regime • A estagnação e a regressão demográfica inverteu-se no decurso do século XVIII. • Principais fatores das melhorias nos indicadores demográficos: ‐ a diminuição da frequência e intensidade das crises demográfica; ‐ os fatores agravantes, pestes, fomes e guerras, foram menos frequentes. • Os fatores que contribuíram para a redução das taxas de mortalidade, indicador central da nova demografia, foram os seguintes: ‐ as melhorias climáticas e boas colheitas; ‐ a introdução de novos alimentos, como o milho e a batata, contribuíram para colmatar as ausências de trigo e a sua carestia; ‐ os legumes e a fruta permitiram uma alimentação mais diversificada e equilibrada; ‐ a melhoria dos transportes que possibilitou a maior circulação de bens alimentares; ‐ a melhoria das condições materiais nas habitações, tornando-as menos frias e com melhores condições de higiene; ‐ a promoção de medidas de saúde pública para combater as epidemias, por parte dos Estados e governos mais centralizados; ‐ o aparecimento da ratazana contribuiu para eliminar o rato negro responsável pela difusão da peste. Jean-Batiste Greuze, Epifania (ou Festa dos Reis, também conhecida como O Bolo dos Reis), 1774.
  16. 16. A demografia do Antigo Regime Os fatores que contribuíram para a redução das taxas de mortalidade, indicador central da nova demografia, foram os seguintes: – A utilização do quinino para debelar as febres e a descoberta, em 1789, da vacina contra a varíola, por Edward Jenner (embora os efeitos da sua utilização fossem mais significativos a partir do século XIX); – A assistência durante o parto, por médicos e por parteiras, permitiu melhorar as condições dos nascimentos a partir da segunda metade do século XVIII; – A alteração dos cuidados com as crianças melhorou as condições de vida na infância e diminuiu, progressivamente, a mortalidade infantil. Elisabeth Vigée-Lebrun, Autoretrato com a sua filha Julie, 1786.
  17. 17. A demografia do Antigo Regime A EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO EUROPEIA E MUNDIAL DA IDADE MÉDIA À ÉPOCA CONTEMPORÂNEA (século V ao século XIX)
  18. 18. A demografia do Antigo Regime 23/09/2013 SUMÁRIO (7-8) • Módulo 4 – A Europa nos séculos XVII e XVIII – Sociedade, Poder e Dinâmicas Coloniais. • População da Europa nos séculos XVII e XVIII: crises e crescimento. • Consolidação de conhecimentos (realização da ficha 1 do caderno do aluno).
  19. 19. A demografia do Antigo Regime 24/09/2013 SUMÁRIO (9-10) • Módulo 4 – A Europa nos séculos XVII e XVIII – Sociedade, Poder e Dinâmicas Coloniais. • População da Europa nos séculos XVII e XVIII: crises e crescimento. • Avaliação dos alunos nº 4,7,15,16,19,22,23,24,25 e 26 no domínio da oralidade.

×