ImplantaçãO De Sistema De Custos Para Advocacias

2.079 visualizações

Publicada em

Metodologia para a implantação de um sistema de apuração de custos e resultados em escritórios de advocacia.

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.079
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
81
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ImplantaçãO De Sistema De Custos Para Advocacias

  1. 1.
  2. 2. Os seis últimos meses têm sido marcados por incertezas e instabilidade: as ações negociadas em bolsas de valores de todo o mundo perderam, em média, 50% de seu valor, moedas de países emergentes despencaram entre 40 e 60% frente ao dólar, empresas globais faliram ou estão à beira da bancarrota e o desemprego volta a dar sinais de vida no Brasil.<br />Um panorama como esse tem sua contrapartida para os escritórios de advocacia na forma de oportunidades – empresas vão, cada vez mais, demandar assessoria jurídica para conduzir negociações com credores, trabalhadores, sindicatos e governos em um ambiente repleto de incertezas e pressões de toda a ordem. Num momento como este, tudo indica que a competição entre as bancas irá se acirrar, tornando a gestão de custos uma ferramenta de suma importância para os escritórios. A implantação dos sistemas de contabilidade por atividades, instrumento que deve estar na permanentemente na mesa dos sócios, possibilita responder a perguntas tais como:<br /><ul><li>Por que um serviço deve incorrer em custos de apoio de $ 100 ao invés de $ 50?
  3. 3. Qual a origem dos custos relacionados a um determinado serviço?
  4. 4. Como se dá a transferência de custos entre os diversos centros de responsabilidades e qual o custo final de cada um deles?
  5. 5. Quando vale a pena terceirizar uma atividade?
  6. 6. Qual a rentabilidade de cada área do escritório?
  7. 7. Qual a rentabilidade de um determinado cliente ou conjunto de clientes?
  8. 8. Qual a rentabilidade de um determinado serviço ou grupo de serviços?</li></ul>Dada a relevância do tema, espero, com este pequeno texto, dar uma contribuição efetiva para o desenvolvimento das práticas administrativas dos escritórios e fico à sua disposição para apresentar o assunto em detalhes.<br />João Telles Corrêa Filho<br />Fevereiro de 2009<br />
  9. 9. Por que a preocupação com os custos?<br /> Porque o estudo e o conhecimento dos custos fornecem ferramentas preciosas para:<br /><ul><li>Planejar os resultados do Escritório
  10. 10. Enriquecendo o debate sobre o aprimoramento dos métodos de trabalho e
  11. 11. Auxiliando na elaboração das tabelas de honorários e preços.</li></li></ul><li>Por que a preocupação com os custos?<br /> Porque o estudo e o conhecimento dos custos fornecem ferramentas preciosas para:<br /><ul><li>Planejar os resultados do Escritório
  12. 12. Enriquecendo o debate sobre o aprimoramento dos métodos de trabalho e
  13. 13. Auxiliando na elaboração das tabelas de honorários e preços.
  14. 14. Administrar o quadro de pessoal
  15. 15. Auxiliando a dimensionar o efetivo e
  16. 16. Permitindo o controle da produtividade.</li></li></ul><li>Por que a preocupação com os custos?<br /> Porque o estudo e o conhecimento dos custos fornecem ferramentas preciosas para:<br /><ul><li>Planejar os resultados do Escritório
  17. 17. Enriquecendo o debate sobre o aprimoramento dos métodos de trabalho e
  18. 18. Auxiliando na elaboração das tabelas de honorários e preços.
  19. 19. Administrar o quadro de pessoal
  20. 20. Auxiliando a dimensionar o efetivo e
  21. 21. Permitindo o controle da produtividade.
  22. 22. Rever processos e reduzir custos
  23. 23. Analisando criteriosamente o fluxo do trabalho e
  24. 24. Implementando o corte dos desperdícios e das tarefas que não agregam valor.</li></li></ul><li>Por que a preocupação com os custos?<br /> Isto significa administrar eficientemente quatro das principais linhas do demonstrativo de resultados.<br />RECEITAS OPERACIONAIS<br /> Honorários profissionais<br /> Cursos e seminários<br />DESPESAS OPERACIONAIS<br /> Pessoal<br /> Salários e encargos<br /> Benefícios<br /> Prêmios e comissões<br /> Instalações<br /> Processamento de dados<br /> Materiais<br /> Viagens<br />Outras despesas<br />RESULTADO OPERACIONAL<br />RESULTADO NÃO OPERACIONAL<br />RESULTADO LÍQUIDO<br />
  25. 25. Por que a preocupação com os custos?<br /> Isto significa administrar eficientemente quatro das principais linhas do demonstrativo de resultados.<br />RECEITAS OPERACIONAIS<br />Honorários profissionais<br /> Cursos e seminários<br />DESPESAS OPERACIONAIS<br /> Pessoal<br /> Salários e encargos<br /> Benefícios<br /> Prêmios e comissões<br /> Instalações<br /> Processamento de dados<br /> Materiais<br /> Viagens<br /> Outras despesas<br />RESULTADO OPERACIONAL<br />RESULTADO NÃO OPERACIONAL<br />RESULTADO LÍQUIDO<br />Determinados <br />por tabelas<br />COMO APURAR <br />COM SEGURANÇA ?<br />
  26. 26. Por que a preocupação com os custos?<br /> Isto significa administrar eficientemente quatro das principais linhas do demonstrativo de resultados.<br />RECEITAS OPERACIONAIS<br />Honorários profissionais<br /> Cursos e seminários<br />DESPESAS OPERACIONAIS<br />Pessoal<br />Salários e encargos<br /> Benefícios<br /> Prêmios e comissões<br /> Instalações<br /> Processamento de dados<br /> Materiais<br /> Viagens<br /> Outras despesas<br />RESULTADO OPERACIONAL<br />RESULTADO NÃO OPERACIONAL<br />RESULTADO LÍQUIDO<br />Determinados <br />por tabelas<br />Determinado pela <br />carga de trabalho<br />COMO DIMENSIONAR<br />CORRETAMENTE NA<br />ÁREA DE SERVIÇOS ?<br />
  27. 27. Por que a preocupação com os custos?<br /> Isto significa administrar eficientemente quatro das principais linhas do demonstrativo de resultados.<br />RECEITAS OPERACIONAIS<br />Honorários profissionais<br /> Cursos e seminários<br />DESPESAS OPERACIONAIS<br />Pessoal<br /> Salários e encargos<br /> Benefícios<br /> Prêmios e comissões<br /> Instalações<br />Processamento de dados<br />Materiais<br /> Viagens<br />Outras despesas<br />RESULTADO OPERACIONAL<br />RESULTADO NÃO OPERACIONAL<br />RESULTADO LÍQUIDO<br />Determinados <br />por tabelas<br />Determinado pela <br />carga de trabalho<br />Determinados pelos <br />métodos de trabalho<br />COMO PRIORIZAR<br />AS AÇÕES DE<br />MELHORIAS ?<br />
  28. 28. Por que a preocupação com os custos?<br /> Isto significa administrar eficientemente quatro das principais linhas do demonstrativo de resultados.<br />RECEITAS OPERACIONAIS<br />Honorários profissionais<br /> Cursos e seminários<br />DESPESAS OPERACIONAIS<br />Pessoal<br /> Salários e encargos<br /> Benefícios<br /> Prêmios e comissões<br /> Instalações<br />Processamento de dados<br />Materiais<br /> Viagens<br />Outras despesas<br />RESULTADO OPERACIONAL<br />RESULTADO NÃO OPERACIONAL<br />RESULTADO LÍQUIDO<br />Determinados <br />por tabelas<br />Determinado pela <br />carga de trabalho<br />Determinados pelos <br />métodos de trabalho<br />CONSEQUÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO<br />
  29. 29. Então, como tratar os custos ?<br />São dois os sistemas de custos administrativos que respondem a esta pergunta:<br /><ul><li>Custos por Centros de Responsabilidades</li></li></ul><li>Então, como tratar os custos ?<br />São dois os sistemas de custos administrativos que respondem a esta pergunta:<br /><ul><li>Custos por Centros de Responsabilidades
  30. 30. Custos por Serviços
  31. 31. Individualizados</li></li></ul><li>Então, como tratar os custos ?<br />São dois os sistemas de custos administrativos que respondem a esta pergunta:<br /><ul><li>Custos por Centros de Responsabilidades
  32. 32. Custos por Serviços
  33. 33. Individualizados
  34. 34. Global</li></ul>É por meio destes modelos que se fará a gestão de custos do Escritório.<br />
  35. 35. Custos por Centros de Responsabilidades<br />O objetivo de um sistema de custos é:<br />“Apresentar uma visão consolidada de todos os custos, alocando-os às áreas responsáveis por sua incidência e pagamento.”<br />
  36. 36. Custos por Centros de Responsabilidades<br />O objetivo de um sistema de custos é:<br />“Apresentar uma visão consolidada de todos os custos, alocando-os às áreas responsáveis por sua incidência e pagamento.”<br />Três conceitos formam estes sistemas:<br /><ul><li>Consolidação</li></li></ul><li>Custos por Centros de Responsabilidades<br />O objetivo de um sistema de custos é:<br />“Apresentar uma visão consolidada de todos os custos, alocando-os às áreas responsáveis por sua incidência e pagamento.”<br />Três conceitos formam estes sistemas:<br /><ul><li>Consolidação
  37. 37. Transferência ou distribuição</li></li></ul><li>Custos por Centros de Responsabilidades<br />O objetivo de um sistema de custos é:<br />“Apresentar uma visão consolidada de todos os custos, alocando-os às áreas responsáveis por sua incidência e pagamento.”<br />Três conceitos formam estes sistemas:<br /><ul><li>Consolidação
  38. 38. Alocação
  39. 39. Centros de Responsabilidades</li></li></ul><li>Custos por Centros de Responsabilidades<br />Centros de Responsabilidades são unidades da organização responsáveis pela execução de tarefas e pela administração dos custos. Podem ser classificados como:<br />
  40. 40. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Centros de Responsabilidades são unidades da organização responsáveis pela execução de tarefas e pela administração dos custos. Podem ser classificados como:<br /><ul><li>Centros de Custos</li></ul> Prestadores de serviços a todo o Escritório – possuem somente clientes internos.<br />
  41. 41. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Centros de Responsabilidades são unidades da organização responsáveis pela execução de tarefas e pela administração dos custos. Podem ser classificados como:<br /><ul><li>Centros de Custos</li></ul> Prestadores de serviços a todo o Escritório – possuem somente clientes internos.<br /><ul><li>Centro de Resultados</li></ul> Realizam operações comerciais e geram toda a receita da organização – atendem a todos os clientes externos.<br />
  42. 42. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Este primeiro sistema tratará de transferir custos entre Centros de Responsabilidades para tornar mais eficaz a sua gestão.<br />
  43. 43. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Este primeiro sistema tratará de transferir custos entre Centros de Responsabilidades para tornar mais eficaz a sua gestão.<br />C.C.O. 1<br />C.C.O. n<br />Os Centros de Custos Operacionais (C.C.O.s) – cujos serviços, são perfeitamente mensuráveis – prestam serviços uns aos outros. Devem, portanto, transferir custos entre si.<br />
  44. 44. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Este primeiro sistema tratará de transferir custos entre Centros de Responsabilidades para tornar mais eficaz a sua gestão.<br />C.C.O. 1<br />C.C.O. n<br />C.C.O. 2<br />Os Centros de Custos Operacionais (C.C.O.s) – cujos serviços, são perfeitamente mensuráveis – prestam serviços uns aos outros. Devem, portanto, transferir custos entre si.<br />
  45. 45. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Este primeiro sistema tratará de transferir custos entre Centros de Responsabilidades para tornar mais eficaz a sua gestão.<br />C.C.O. 1<br />C.C.O. n<br />C.C.O. 2<br />C.C.A. 1<br />Os Centros de Custos Operacionais prestam serviços também aos Centros de Custos Administrativos (C.C.A.s) – cujos serviços são mais difíceis de serem medidos (overhead). Há uma nova transferência de custos.<br />C.C.A. 2<br />C.C.A. n<br />
  46. 46. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Este primeiro sistema tratará de transferir custos entre Centros de Responsabilidades para tornar mais eficaz a sua gestão.<br />C.C.O. 1<br />C.C.O. n<br />C.C.O. 2<br />C.C.A. 1<br />C.R. 1<br />C.C.A. 2<br />C.R. 2<br />Finalmente, os Centros de Custos Operacionais prestam serviços aos Centros de Resultados (C.R.s) – aqueles que “pagam as contas”. Mais um vez os custos são transferidos.<br />C.C.A. n<br />C.R. n<br />
  47. 47. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Este primeiro sistema tratará de transferir custos entre Centros de Responsabilidades para tornar mais eficaz a sua gestão.<br />C.C.O. n<br />C.C.O. 2<br />C.C.O. 1<br />C.C.A. 1<br />C.R. 1<br />C.C.A. 2<br />C.R. 2<br />C.C.A. n<br />C.R. n<br />Overhead<br />Parcela não mensurável com precisão.<br />
  48. 48. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Este primeiro sistema tratará de transferir custos entre Centros de Responsabilidades para tornar mais eficaz a sua gestão.<br />C.C.O. n<br />C.C.O. 2<br />C.C.O. 1<br />C.C.A. 1<br />C.R. 1<br />C.C.A. 2<br />C.R. 2<br />C.C.A. n<br />C.R. n<br />Overhead<br />ARCAM COM 100%<br />DOS CUSTOS<br />
  49. 49. Custos por Centros de Responsabilidades<br />O mecanismo de transferência de custos fará com que os Centros de Resultados possam ser avaliados por sua real contribuição para o Escritório:<br /><ul><li>Os Centros de Resultados pagarão todas as despesas com o resultado de suas vendas;</li></li></ul><li>Custos por Centros de Responsabilidades<br />O mecanismo de transferência de custos fará com que os Centros de Resultados possam ser avaliados por sua real contribuição para o Escritório:<br /><ul><li>Os Centros de Resultados pagarão todas as despesas com o resultado de suas vendas;
  50. 50. Os Centros de Custos “venderão” seu serviços aos Centros de Resultados.</li></li></ul><li>Custos por Centros de Responsabilidades<br />Visão tradicional<br />Visão correta<br />RECEITAS OPERACIONAIS<br /> Honorários profissionais<br /> Cursos e seminários<br />DESPESAS OPERACIONAIS<br /> Pessoal<br /> Salários e encargos<br /> Benefícios<br /> Prêmios e comissões<br /> Instalações<br /> Processamento de dados<br /> Materiais<br /> Viagens<br />Outras despesas<br />RESULTADO OPERACIONAL<br />RESULTADO NÃO OPERACIONAL<br />RESULTADO LÍQUIDO<br />RECEITAS OPERACIONAIS<br /> Honorários profissionais<br /> Cursos e seminários<br />DESPESAS OPERACIONAIS<br />Pessoal<br /> Salários e encargos<br /> Benefícios<br /> Prêmios e comissões<br /> Instalações<br /> Processamento de dados<br /> Materiais<br /> Viagens<br />Outras despesas<br />RESULTADO OPERACIONAL<br />RESULTADO NÃO OPERACIONAL<br />RESULTADO LÍQUIDO<br />Centros de Custos<br />Transferem custos:<br />Um só balancete<br />Vários departamentos<br />Vários “balancetes”<br />
  51. 51. Custos por Centros de Responsabilidades<br />As transferências serão feitas segundo regras que espelham a realidade organizacional do Escritório – classificação dos Centros de Responsabilidades em Centros de Custos ou de Resultados e alocação inicial de seus custos.<br />
  52. 52. Custos por Centros de Responsabilidades<br />A transferência segue regras que representam matematicamente o funcionamento do Escritório – não é um mero rateio. Cada transferência deve ser encarada como uma venda de serviços a clientes internos.<br />
  53. 53. Custos por Centros de Responsabilidades<br />A transferência segue regras que representam matematicamente o funcionamento do Escritório – não é um mero rateio. Cada transferência deve ser encarada como uma venda de serviços a clientes internos.<br />
  54. 54. Custos por Centros de Responsabilidades<br />A transferência segue regras que representam matematicamente o funcionamento do Escritório – não é um mero rateio. Cada transferência deve ser encarada como uma venda de serviços a clientes internos.<br />Ao final de uma “rodada” de transferências, os Centros de Resultados terão incorporado parte dos custos dos Centros de Custos.<br />
  55. 55. Custos por Centros de Responsabilidades<br />O mecanismo de “rodadas” de transferências será repetido por tantas vezes quantas forem necessárias até que todos os custos estejam alocados aos Centros de Resultados<br />Transferências sucessivas<br />Outras metodologias podem ser aplicadas como mesmo resultado ...<br />
  56. 56. Custos por Centros de Responsabilidades<br />O mecanismo de “rodadas” de transferências será repetido por tantas vezes quantas forem necessárias até que todos os custos estejam alocados aos Centros de Resultados<br />Transferências sucessivas<br />“Bate”<br />... desde que o custo total permaneça inalterado.<br />
  57. 57. Custos por Centros de Responsabilidades<br />Os resultados são publicados de forma a ajudar na tomada de ações.<br />
  58. 58. Custos por Centros de Responsabilidades<br />A partir destes dados é possível determinar o custo / hora de cada cargo no escritório ...<br />
  59. 59. Custos por Centros de Responsabilidades<br />... e, consequentemente, a rentabilidade por cliente.<br />Este tipo de análise pode ser estendido para grupos de clientes que possuam características comuns ou que sejam objeto de análises específicas.<br />
  60. 60. Custos por Serviços<br />O sistema de custos por serviços é uma ferramenta poderosa para:<br /><ul><li>A avaliação da lucratividade dos serviços prestados;</li></li></ul><li>Custos por Serviços<br />O sistema de custos por serviços é uma ferramenta poderosa para:<br /><ul><li>A avaliação da lucratividade dos serviços prestados;
  61. 61. A construção das tabelas de preços e de honorários;</li></li></ul><li>Custos por Serviços<br />O sistema de custos por serviços é uma ferramenta poderosa para:<br /><ul><li>A avaliação da lucratividade dos serviços prestados;
  62. 62. A construção das tabelas de preços e de honorários;
  63. 63. A elaboração de orçamentos para clientes;</li></li></ul><li>Custos por Serviços<br />O sistema de custos por serviços é uma ferramenta poderosa para:<br /><ul><li>A avaliação da lucratividade dos serviços prestados;
  64. 64. A construção das tabelas de preços e de honorários;
  65. 65. A elaboração de orçamentos para clientes;
  66. 66. A simulação de resultados de projetos de otimização de rotinas – cálculo de payback;</li></li></ul><li>Custos por Serviços<br />O sistema de custos por serviços é uma ferramenta poderosa para:<br /><ul><li>A avaliação da lucratividade dos serviços prestados;
  67. 67. A construção das tabelas de preços e de honorários;
  68. 68. A elaboração de orçamentos para clientes;
  69. 69. A simulação de resultados de projetos de otimização de rotinas – cálculo de payback;
  70. 70. A avaliação e dimensionamento do quadro de pessoal.</li></li></ul><li>Custos por Serviços<br />Este sistema pode ser dividido em dois outros, de maneira a facilitar a implantação e utilização:<br />
  71. 71. Custos por Serviços<br />Este sistema pode ser dividido em dois outros, de maneira a facilitar a implantação e utilização:<br /><ul><li>Serviços individualizados – será usado principalmente para elaboração de orçamentos, simulações e para a construção das tabelas de honorários e preços;</li></li></ul><li>Custos por Serviços<br />Este sistema pode ser dividido em dois outros, de maneira a facilitar a implantação e utilização:<br /><ul><li>Serviços individualizados – será usado principalmente para elaboração de orçamentos, simulações e para a construção das tabelas de honorários e preços;
  72. 72. Global – modelo usado para a avaliação de lucratividade de serviços e base para dimensionamento do quadro e avaliação de produtividade.</li></li></ul><li>Custos por Serviços individualizados<br />Cada serviço é tratado como único e deve ser entendido pela ótica de quem o contrata – o cliente. Exemplos:<br /><ul><li>Elaboração do planejamento tributário de determinada empresa;</li></li></ul><li>Custos por Serviços individualizados<br />Cada serviço é tratado como único e deve ser entendido pela ótica de quem o contrata – o cliente. Exemplos:<br /><ul><li>Elaboração do planejamento tributário de determinada empresa;
  73. 73. Defesa de empresa em processo trabalhista movido por ex-funcionário;</li></li></ul><li>Custos por Serviços individualizados<br />Cada serviço é tratado como único e deve ser entendido pela ótica de quem o contrata – o cliente. Exemplos:<br /><ul><li>Elaboração do planejamento tributário de determinada empresa;
  74. 74. Defesa de empresa em processo trabalhista movido por ex-funcionário;
  75. 75. Registro e acompanhamento de marca junto ao INPI.</li></li></ul><li>Custos por Serviços individualizados<br />Cada serviço é tratado como único e deve ser entendido pela ótica de quem o contrata – o cliente. Exemplos:<br /><ul><li>Elaboração do planejamento tributário de determinada empresa;
  76. 76. Defesa de empresa em processo trabalhista movido por ex-funcionário;
  77. 77. Registro e acompanhamento de marca junto ao INPI.</li></ul>Como podem ser vistos e representados estes serviços?<br />
  78. 78. Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />
  79. 79. Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />ATIVIDADE<br />
  80. 80. Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />ATIVIDADE<br />É o trabalho <br />exigido para que<br />o serviço possa<br />ser entregue.<br />
  81. 81. Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />ATIVIDADE<br />É o trabalho <br />exigido para que<br />o serviço possa<br />ser entregue.<br />Insumos<br />
  82. 82. Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />ATIVIDADE<br />É o trabalho <br />exigido para que<br />o serviço possa<br />ser entregue.<br />Insumos<br />São os recursos<br />necessários à execução<br />das atividades;<br />tipicamente diretos e imediatos<br />
  83. 83. Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />PROCESSOS<br />ATIVIDADE<br />É o trabalho <br />exigido para que<br />o serviço possa<br />ser entregue.<br />Insumos<br />São os recursos<br />necessários à execução<br />das atividades;<br />tipicamente diretos e imediatos<br />
  84. 84. Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />PROCESSOS<br />ATIVIDADE<br />É o trabalho <br />exigido para que<br />o serviço possa<br />ser entregue.<br />Insumos<br />São conjuntos<br />estruturados de<br />atividades com<br />valor agregado<br />para o cliente.<br />São os recursos<br />necessários à execução<br />das atividades;<br />tipicamente diretos e imediatos<br />
  85. 85. PROCESSOS<br />Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />ATIVIDADE<br />É o trabalho <br />exigido para que<br />o serviço possa<br />ser entregue.<br />Insumos<br />São conjuntos<br />estruturados de<br />atividades com<br />valor agregado<br />para o cliente.<br />São os recursos<br />necessários à execução<br />das atividades;<br />tipicamente diretos e imediatos<br />Apoio<br />
  86. 86. PROCESSOS<br />Custos por Serviços individualizados<br />O conceito de atividade e processo.<br />ATIVIDADE<br />É o trabalho <br />exigido para que<br />o serviço possa<br />ser entregue.<br />Insumos<br />São conjuntos<br />estruturados de<br />atividades com<br />valor agregado<br />para o cliente.<br />São os recursos<br />necessários à execução<br />das atividades;<br />tipicamente diretos e imediatos<br />Tipicamente<br />indireto e remoto<br />Apoio<br />
  87. 87. Custos por Serviços individualizados<br />Para o cliente interessa o resultado do processo.<br />Cliente<br />Elaboração do planejamento tributário de determinada empresa<br />
  88. 88. Custos por Serviços individualizados<br />Para o cliente interessa o resultado do processo.<br />Cliente<br />Elaboração do planejamento tributário de determinada empresa<br />Defesa em processo trabalhista movido por ex-funcionário<br />
  89. 89. Custos por Serviços individualizados<br />Para o cliente interessa o resultado do processo.<br />Cliente<br />Elaboração do planejamento tributário de determinada empresa<br />Defesa em processo trabalhista movido por ex-funcionário<br />Registro e acompanhamento de marca junto ao INPI<br />Valor<br />percebido<br />
  90. 90. Custos por Serviços individualizados<br />Para o Escritório também conta o processo produtivo<br />Cliente<br />Início<br />Início<br />ATIVIDADES<br />
  91. 91. Custos por Serviços individualizados<br />Para o Escritório também conta o processo produtivo<br />Cliente<br />Início<br />Início<br />ATIVIDADES<br />Como o trabalho é executado?<br />
  92. 92. Custos por Serviços individualizados<br />Para o Escritório também conta o processo produtivo<br />Cliente<br />Início<br />Início<br />ATIVIDADES<br />Como o trabalho é executado?<br />Quem executa as atividades?<br />
  93. 93. Custos por Serviços individualizados<br />Para o Escritório também conta o processo produtivo<br />Cliente<br />Início<br />Início<br />ATIVIDADES<br />Como o trabalho é executado?<br />Quem executa as atividades?<br />Quanto custa cada atividade?<br />
  94. 94. Custos por Serviços individualizados<br />Para o Escritório também conta o processo produtivo<br />Cliente<br />Início<br />Início<br />ATIVIDADES<br />Como o trabalho é executado?<br />Quem executa as atividades?<br />Quanto custa cada atividade?<br />Quanto custa o serviço resultante?<br />CONTABILIDADE POR ATIVIDADES<br />
  95. 95. Custos por Serviços individualizados<br />Os custos têm origem nos insumos. Tipicamente os Escritórios apresentam o seguinte comportamento:<br />Esta distribuição já dá indicações de como serão calculados os custos dos serviços.<br />
  96. 96. Custos por Serviços individualizados<br />Exemplo: depositar taxa de exame técnico no INPI.<br />O tempo representa o principal dos insumos – a mão-de-obra é identificada diretamente com o serviço. É este tempo que se torna CUSTO.<br />
  97. 97. Custos por Serviços - Global<br />Esta abordagem objetiva:<br /><ul><li>Conhecer e analisar os grupos de serviços, tratando médias e tendências;
  98. 98. Simplificar a apuração rotineira dos custos dos serviços;
  99. 99. Possibilitar a apuração de custos por processo;
  100. 100. Possibilitar apuração de custos por cliente;
  101. 101. Fornecer a base de dados necessária à análises de produtividade;
  102. 102. Fornecer dados para remuneração variável.</li></li></ul><li>Custos por Serviços - Global<br />Esquema geral do sistema.<br />Serviços<br />elementares<br />
  103. 103. Custos por Serviços - Global<br />Esquema geral do sistema.<br />Os serviços elementares funcionam como placas de computadores – podem ser usadas em vários produtos diferentes.<br />Serviços<br />elementares<br />Serviços<br />vendidos<br />COMPÕEM TODOS OS<br />SERVIÇOS VENDIDOS<br />
  104. 104. Custos por Serviços - Global<br />Esquema geral do sistema.<br />Os serviços elementares funcionam como placas de computadores – podem ser usadas em vários produtos diferentes.<br />Serviços<br />elementares<br />Serviços<br />vendidos<br />COMPÕEM TODOS OS<br />SERVIÇOS VENDIDOS<br />Cada serviço será “montado” e custeado rotineiramente, contribuindo para a gestão eficaz do Escritório.<br />
  105. 105. A implantação<br />CONHECER A <br />ORGANIZAÇÃO<br />ESTRUTURAR<br />O PLANO DE<br />CUSTOS<br />ESTABELECER<br />OS VÍNCULOS<br />ENTRE OS<br />CENTROS DE<br />RESULTADOS<br />DEFINIR O<br />MODELO DE<br />TRANSFERÊNCIAS<br />CONHECER OS<br />SISTEMAS<br />DISPONÍVEIS<br />DETALHAR OS<br />SERVIÇOS<br />PRESTADOS<br />RELACIONAR<br />SERVIÇOS COM <br />PROCESSOS E<br />CLIENTES<br />IMPLEMENTAR<br />
  106. 106. A implantação<br />CONHECER A <br />ORGANIZAÇÃO<br />ESTRUTURAR<br />O PLANO DE<br />CUSTOS<br />ESTABELECER<br />OS VÍNCULOS<br />ENTRE OS<br />CENTROS DE<br />RESULTADOS<br />DEFINIR O<br />MODELO DE<br />TRANSFERÊNCIAS<br />CONHECER OS<br />SISTEMAS<br />DISPONÍVEIS<br />DETALHAR OS<br />SERVIÇOS<br />PRESTADOS<br />RELACIONAR<br />SERVIÇOS COM <br />PROCESSOS E<br />CLIENTES<br />IMPLEMENTAR<br />CUSTOS POR SERVIÇOS<br />CUSTOS POR CENTROS DE RESPONSABILIDADES<br />ATIVIDADES DE APOIO<br />
  107. 107. A implantação de sistemas de custos pode proporcionar vantagens comparativas importantes ao Escritório. Isso ocorre pela utilização de instrumentos que tornam os serviços mais rentáveis – sem que seja preciso aumentar o valor dos honorários – e fáceis de vender. Ao mesmo tempo, proporciona a oportunidade para motivar gerentes, líderes e coordenadores a buscar resultados progressivamente melhores.<br />A organização do projeto, a condução das discussões e a implementação ordenada das ações são pontos-chave para que o sucesso do projeto esteja assegurado. Algumas considerações são importantes;<br />Obter de todos o compromisso de “ir até o fim”;<br />Dividir o projeto em etapas bem definidas e designar responsáveis para cada uma delas;<br />Contar com especialistas para coordenar os projetos.<br />Um projeto assim estruturado pode ser implantado em fases bem definidas, o que possibilita aos administradores planejar confortavelmente o fluxo dos investimentos.<br />Conclusões<br />
  108. 108. www.tellescorrea.com.br<br />

×