Latencia E Grupos

955 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
955
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Latencia E Grupos

  1. 1. LATÊNCIA, ADOLESCÊNCIA E GRUPOS ZIMERMAN, David & OSÓRIO, Luiz Carlos et al. Como trabalhamos com grupos . Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. Profª Eneida de Almeida
  2. 2. LATÊNCIA <ul><li>(7 a 10/11 anos) - é uma idade importante para a aquisição de habilidades intelectuais (etapa da educação escolar básica). Desenvolve-se a noção de pudor e há um aparente desinteresse por temas da sexualidade. O relacionamento professor - aluno reveste-se de uma importância fundamental nessa idade, uma vez que o aluno tende a direcionar para ele a carga afetiva antes destinada exclusivamente aos pais. </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  3. 3. ADOLESCÊNCIA <ul><li>“ Grupo de fenômenos que eclode num momento da vida e que tem um processo e um desenvolvimento até desaparecer, para dar lugar a comportamentos, condutas e fenômenos característicos da Idade Adulta”. </li></ul><ul><li>(Carvajal, 1988 p. 67) </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  4. 4. Classificação por etapas <ul><li>“ Etapa Puberal, que dá início ao processo da adolescência e se caracteriza fundamentalmente por um rompimento maciço com os fenômenos infantis e um isolamento do mundo externo em geral”. </li></ul><ul><li>(Carvajal, 1988 p. 68) </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  5. 5. Classificação por etapas <ul><li>“ Etapa Nuclear, caracterizada pela instalação efervescente das características que em geral damos à adolescência. Há , nesta etapa, uma primazia do grupal”. </li></ul><ul><li>(Carvajal, 1988 p. 68) </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  6. 6. Classificação por etapas <ul><li>“ Etapa Juvenil, que consiste no periodo de transição do modelo de funcionamento essencialmente adolescente para um comportamento similar ao do adulto”. </li></ul><ul><li>Carvajal, 1988 p. 68) </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  7. 7. Profª Eneida de Almeida ADOLESCÊNCIA Características das Crises   Crise sexua l Crise de Identidade Crise de autoridade   1 etapa PUBERAL Introversão libidinal Auto –erotismo Amizade intima Hipoinvestimento do ego corporal Confusão Regressão Ambivalência Dessimbiotização Isolamento Desobediência Evitação Desidealização
  8. 8. Profª Eneida de Almeida ADOLESCÊNCIA Características das Crises   Crise sexua l Crise de Identidade Crise de autoridade   2 etapa NUCLEAR Superinvestimento especular narcisista Namoros compartilhados Onipotência grupal Self compartilhado Moda Organização em gangues Rebelião Ruptura normativa: antiadulto
  9. 9. Profª Eneida de Almeida ADOLESCÊNCIA Características das Crises   Crise sexua l Crise de Identidade Crise de autoridade   3 etapa JUVENIL Heterossexualidade Escolha de parceiro sexual Individualidade Intimidade Independência Reparação Reconciliação com os pais
  10. 10. GRUPOS <ul><li>SER HUMANO É GREGÁRIO POR NATUREZA E SÓ EXISTE OU SUBEXISTE EM FUNÇÃO DE SEUS INTER-RELACIONAMENTOS GRUPAIS. SEMPRE, DESDE O NASCIMENTO, O INDIVÍDUO PARTICIPA DE DIFERENTES GRUPOS, NUMA CONSTANTE DIALÉTICA ENTRE A BUSCA DE SUA IDENTIDADE INDIVIDUAL E A NECESSIDADE DE UMA IDENTIDADE GRUPAL E SOCIAL   </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  11. 11. Aspectos importantes dos grupos <ul><li>O grupo precede o indiv í duo – grupo primordial, horda selvagem (Freud); </li></ul><ul><li>Cultura grupal: narcisismo X socialismo; </li></ul><ul><li>Psican á lise tem Mitos grupais ( É dipo; Esfinge); </li></ul><ul><li>Organiza ç ão da cultura: normas, leis, dogmas, conven ç ões e valores morais é ticos; </li></ul><ul><li>Estrutura ç ão de qualquer indiv í duo requer sua participa ç ão em grupo. </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  12. 12. <ul><li>Todo grupo pode comportar-se como uma individualidade (grupo obsessivo, grupo infantil, grupo perseguido, atuador) </li></ul><ul><li>Qualquer relação bipessoal se configura grupo, se há vinculo. </li></ul><ul><li>Qualquer quantidade de pessoas que tenha alguma homogeneidade pode ser um grupo (platéia de football, uma audiência). </li></ul><ul><li>Grandes grupos: macrosociologia. </li></ul><ul><li>Pequenos grupos (micropsicologia), como os terapêuticos, costumam reproduzir a dinâmica dos macro (funcionamento). </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  13. 13. <ul><li>Agrupamento: partilham momentos em comum, mas não é grupo, não há vínculo entre os integrantes. O sistema grupal não é somatória das partes. </li></ul>Profª Eneida de Almeida
  14. 14. <ul><li>Primeiro grupo: família . A partir daí outros grupos vão se formando. </li></ul><ul><li>Todo indivíduo é um grupo (muitos personagens introjetados internamente); </li></ul>Profª Eneida de Almeida

×