Distinções entre Memória de Curto Prazo e Memória deLongo PrazoRenata Queiroz Dividino RA993183, Ariadne Faigle RA0013801....
A Memória Sensorial é um sistema de memória que através da percepção darealidade pelos sentidos retém por alguns segundos ...
Para estimar a duração da Memória Sensorial-Motora podemos citar algumsexemplos experimentais:1 - Ao fechar os olhos e abr...
A segunda caracteristica da Memória de Curto Prazo é que ela pode reterinformações durante 15/30 segundos.Fig2. Duração da...
A Memória de Curto Prazo recebe as informações já codificadas da MemóriaSensorial-Motora.A Memória Sensorial realiza a cod...
aos ítens a ele relacionado em vários níveis, conceitualmente como uma redesemântica. Há interferencia dos novos ítens com...
A Memória de Longo Prazo é responsavel pelas seguintes operações:armazenamento, esquecimento e recuperação.Cientistas acre...
A retenção da informação na Memória de Longa Duração é muito mais eficientese nós identificarmos temas ordenados que reúna...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Distinção entre memória de curto prazo e memória de longo prazo

5.046 visualizações

Publicada em

DistinÁıes entre MemÛria de Curto Prazo e MemÛria de
Longo Prazo
Renata Queiroz Dividino RA993183, Ariadne Faigle RA001380
1. IntroduÁ„o
A memÛria humana È capaz de realizar uma rica variedade de operaÁıes. De
um lado, a memÛria humana nos permite a identificar e classificar sons, sinais,
cheiros, gostos e sensaÁıes. De outro lado, ela È capaz de reter e manipular
informaÁıes que adquirmos durante nossa vida.
A memÛria consiste em um conjunto de procedimentos que permite manipular e
compreender o mundo, levando em conta o contexto atual e as experiÍncias
individuais. Estes procedimentos envolvem mecanismos de codificaÁ„o,
retenÁ„o e recuperaÁ„o.
Sabe-se que a memÛria humana possui suas limitaÁıes, isto È, o indivÌduo È
apenas capaz de memorizar um n˙mero limitado de informaÁıes.
A organizaÁ„o da memÛria humana È geralmente aceita como sendo composta
de trÍs ·reas distintas e conectadas.
Neste trabalho visamos identificar os diferentes tipos de memÛria quer em
termos de duraÁ„o temporal quer em termos de capacidade de armazenamento
de informaÁ„o e identificar e hierarquizar os factores capazes

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.046
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
123
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Distinção entre memória de curto prazo e memória de longo prazo

  1. 1. Distinções entre Memória de Curto Prazo e Memória deLongo PrazoRenata Queiroz Dividino RA993183, Ariadne Faigle RA0013801. IntroduçãoA memória humana é capaz de realizar uma rica variedade de operações. Deum lado, a memória humana nos permite a identificar e classificar sons, sinais,cheiros, gostos e sensações. De outro lado, ela é capaz de reter e manipularinformações que adquirmos durante nossa vida.A memória consiste em um conjunto de procedimentos que permite manipular ecompreender o mundo, levando em conta o contexto atual e as experiênciasindividuais. Estes procedimentos envolvem mecanismos de codificação,retenção e recuperação.Sabe-se que a memória humana possui suas limitações, isto é, o indivíduo éapenas capaz de memorizar um número limitado de informações.A organização da memória humana é geralmente aceita como sendo compostade três áreas distintas e conectadas.Neste trabalho visamos identificar os diferentes tipos de memória quer emtermos de duração temporal quer em termos de capacidade de armazenamentode informação e identificar e hierarquizar os factores capazes de influenciar amemória.2. Tipos de MemóriaExistem, pelo menos, três diferentes processos que podem ser identificados namemória humada responsavéis pela realização de suas operações, como asoperaçãoes de codificação, retenção, e recuperação.O primeiro processo, e de primordial importancia, é o processo deReconhecimento de Padrões. Este processo acontece na Memória Sensorial-Motora e envolve associação de significando a um padrão sensorial.
  2. 2. A Memória Sensorial é um sistema de memória que através da percepção darealidade pelos sentidos retém por alguns segundos a imagem detalhada dainformacao sensorial recebida por algum dos orgãos de sentido. A MemóriaSensorial é responsavel pelo processamento inicial da informação sensorial esua codificação.O segundo processo acontece na chamada Memória de Curto Prazo. A Memóriade Curto Prazo recebe as informações já codificadas pelos mecanismos dereconhecimento de padrões da Memória Sensorial-Motora e retém estasinformações por alguns segundos, talvez alguns minutos, para que estas sejamutilizadas, descartadas ou mesmo organizadas para serem armazenadas.O terceiro processo acontece na Memória de Longo Prazo. A Memória de LongaPrazo recebe as informações da Memória de Curto Prazo e as armazena. AMemórioa de Longo Prazo possui capacidade ilimitada de armazenamento e , asinformações ficam nela armazenadas por tempo tambem ilimitado.A forma como são organizadas as informacoes mantidas pela Memória deLongo Prazo e os processos de procura e recuperação destas informações sãofoco de imporantes estudos nos dias atuais.A figura abaixo representa uma visão esquemática e simplificada de memória eos processos envolvidos para armazenar e resgatar informacoesFig1. Sistema de Memória3. Memória Sensorial-MotoraA Memória Sensorial-Motora funciona como um depósito de capacidade ilimitadaque armazena da saída do sistema sensorial, ou seja, armazena uma imagemdo mundo como ela os recebe através dos orgãos dos sentidos. Ela consiste emuma memória de muito curto prazo. Sua duração é talvez de 0.1 a 0.5segundos.MemóriaEsquecimento EsquecimentoInfoDescartadaSensorialMotoraCurtaDuraçãoLongaDuraçãoInfo. Entrada AtençãoCodific.Recup.Repetição
  3. 3. Para estimar a duração da Memória Sensorial-Motora podemos citar algumsexemplos experimentais:1 - Ao fechar os olhos e abri-los rapidamente em pequenos intervalos de tempoe fecha-los novamente, podemos notar ainda podemos ver por um curto tempouma imagem clara do que vimos com os olhos abertos.2- Ao balancar uma caneta com os dedos na frente dos olhos , nos podemos versomente imagem movimento contínuo do balançar da caneta que seassemelham a uma onda e nao a imagem dos movimentos discretos.Na Memória Sensorial-Motora a aquisição de informação se dá na forma deentradas sensoriais de todos orgãos dos sentidos. Estas informaçãos sensoriaissão armazenadas nos buffers sensoriais que podem segurar grandes quantiasde informação; virtualmente toda informação que entra nas sensações.Tecnicamente, existe um depósito sensorial diferente para cada sensação, masa maioria dos diagramas do processamento de memória simplificam estesdepósitos sensorials separados para um depósito sensorial genérico querepresenta todas as sensações.Informação armazenada na Memória Sensorial-Motora é informação crua,sensorial, e não tendo sido analisada para algum significado.Como sua duração de armazenamento é curta,uma decisão deve ser tomadadepressa sobre se a informação será transferida para o próximo depósito dememória para ser analisada ou se será esquecida.Uma vez que nós decidimos qual informação desejamos armazenar, estainformação codificada será transferida do armazenamento sensorial para amemória de curto prazo.4. Memória de Curto PrazoA Memória de Curto Prazo possui duas importantes características. Primeiro, aMemória de Curto Prazo contém um número de elementos presentes a reterlimitado. Um estudo de George Miller (1956) sobre as limitações da Memória deCurto Prazo mostra que uma pessoa pode reter 7 itens (+-2). O tamanho desteitem depende do nível de familiaridade da pessoa com o material informacional.Um exemplo , a sequência de letras a seguir : H-I-C-S-A-U-I-W-M-P lidas semqualquer diferença de entonação e de intervalo pode ser difícil para um ouvintelembrar. Já a sequência I-H-C-U-S-A-W-I-M-P, composta com as memas letrasem outra ordem pode ser facilmente reproduzidas pelo ouvinte pois , para umcerto grupo de ouvintes, a segunda sequência representa apenas 3 ítens aserem lembrados ao invé s de 10 ítens como na sequência anterior. Ítens sãotambém chamados na literatura de chuncks.
  4. 4. A segunda caracteristica da Memória de Curto Prazo é que ela pode reterinformações durante 15/30 segundos.Fig2. Duração da MCPSendo esta duração de informação em Memória de Curto Prazo pequena ,ainformação pode ser copiada ou pode ser transferida deste depósito para aMemória de Longo Prazo antes do término deste período. Depois deste tempo, ainformação será perdida.O conhecimento, ou a experiência do tipo de conteúdo, favorecem a passagemda informação da memória a curto prazo até a de longo prazo, isso favorece aretenção prolongada de informações.A informação que será lembrada ou será esquecida depende de eventos antes edepois A Memória de Curto Prazo determina se a informação é útil para oorganismo e deve ser armazenada, se existem outras informações semelhantesnos arquivos de Memória de Longo Prazo e, por último, se esta informação deveser descartada quando já existe ou não possui utilidade.O ato de repetição da leitura (por exemplo) nos ajuda a fixar a informação lida,isto é, a informação pode tanto ser mantida por mais tempo na Memória deCurto Prazo quando poder ser passada da Memória de Curto Prazo para aMemória Longa Prazo (onde está armazenado o conhecimento do ser humano).Esta repetição mental silenciosa é chamada de rehearsal.A retenção de informações na Memória de Curto Prazo através da repetição sópode ser realizada se a quantidade de informação for suficientemente pequena.Repetição é capaz de manter as informações viva na Memória de Curto Prazomas isso não aumenta a capacidade de armazenamento do sistema dememória.
  5. 5. A Memória de Curto Prazo recebe as informações já codificadas da MemóriaSensorial-Motora.A Memória Sensorial realiza a codificação de informações na memória em seuprimeiro estágio de processamento, um exemplo deste processo é uma entradavisual onde sua a codificação é realizada através do reconhecimento de padrõesvisuais. Neste processo pode suceder-se erros visuais, ou seja, letras que seassemelham visualmente com as letras C e O podem ser confundidas nacodificação.A Memória de Curto Prazo realiza o último estágio do processamento ecodificação das informações. Foi observado em experimentos que duranteprocesso de codificação na Memória de Curto Prazo, a não ser que sejaestritamente desnecessário, a representação de um ítem toma a forma derepresentação acústica. Um exemplo deste processo pode ser mostrado peloexperimento a seguir : dada uma sequência visual tal como as letras do alfabeto,foi pedido a algumas pessoas que ao olharem o papel com a sequência poralguns instantes de tempo, tentarem escreverem o máximo de letraspertencentes a sequência que eles lembrassem em um papel. Foi constatada aprobablidade maior de ao tentarem recuperar da memória a letra B, porexemplo, erroneamente escreverem a letra V ao invés da letra E. Embora a letraB e E se assemelhem visualmente, as letras B e V possuem similiaridadessonoras. Estes conceitos do processamento e codificação das informações naMCP baseados em observações xperimentais e interpretações teóricas parecemser naturais e óbvios pois a maioria das pessoas podem “ouvi-las” quando estãolendo com isso tornando a representação visual de um informação comorepresentação acústica.Foram administrados muitos estudos para determinar como recuperaçãoacontece na Memória de Curto Prazo. Recuperação depende de fatoresacústicos e por isso erros freqüentemente feitos em recuperação sãosemelhantes em som à informação original. Assim recuperação é sensível afatores acústicos.A recuperação de informação de Memória de Curto Prazo é feita em umaprocura seqüencial e exaustiva. Tempo de reação de recuperar informação élinear e crescente. Em outras palavras, o quanto maior a informação estocada,o mais tempo leva.Pelo fato dos sistemas de curto e longo prazo de memória estarem ligados,transferindo informações continuamente de um para outro, em estudosadministrados em interferência, foi descoberto que conhecimento anterior de umtópico particular afeta a habilidade para codificar e se lembrar de informaçãonova relacionada àquele tópico. Quando necessário, o conteúdo da Memória deLongo Prazo é transferido para o armazenamento da Memória de Curto Prazo.Se um ítem da Memória de Curto Prazo estiver ativado, a ativação se espalha
  6. 6. aos ítens a ele relacionado em vários níveis, conceitualmente como uma redesemântica. Há interferencia dos novos ítens com os antigos ítens.Pessoas que possuem conhecimento extenso em um tópico anterior podemmelhor codificar uma informação nova relacionada àquele tópico e se lembrar deinformação que os com pequeno ou nenhum conhecimento prévio. Eventos queacontecem após o armazenamento informação também podem afetar oarmazenamento. Estudos feitos em interferência e o armazenamento deinformação em Memória de Curto Prazo concluíram que ao quanto maissemelhante a informação obtida antes e depois do armazenamento seja àinformação desejada, o mais provável é interferir.Embora a Memória de Curto Prazo ter o poder de armazenar muitasinformações, pode-se dizer que tão importante quanto o armazenamento deinformações é o seu esquecimento. O fenômeno do esquecimento pode sercausado por duas formas: O esquecimento pode ser resultado de umainterferência como também resultado da passagem do tempo.A Memória de Curto Prazo é limitada e seu tamanho é determinado pelaquantudade que ítens que ela armazena. Quando um novo ítem chega naMemória de Curto Prazo, esta entrada deste novo ítem causa “desgaste” no(s)tracos de memória já armazenados. Este desgate é caracterizado pelo fator deesquecimento F que é uma fração entre 0 e 1. A partir de entrada do novo ítem,desgaste do ítem interior é representado pelo CF( sendo C uma constante). Coma entrada de um outro ítem o desgate é caracterizado por C.F.F e assim pordiante. Dizemos que a entrada de um novo ítem interfere no esquecimento dosítens anteriores.O esquecimento causado pela passagem do tempo é explicado pois a Memóriade Curto Prazo possui duração de armazenamento limitado. A cada instante quepassa, um ítem nela armazenado se torna mais fraco até por fim desaparecer.5. Memória de Longo PrazoA Memória de Longo Prazo tem o processo de formação de arquivo econsolidação, e pode durar de minutos e horas a meses e décadas . Sãoexemplos desse tipo de memória as nossas lembranças da infância ou deconhecimentos que adquirimos na escola.A Memória de Longo Prazo contém as informações que nós temos disponíveisde maneira mais ou menos permanente. A memória de Longo Prazo permite arecuperação de uma informação depois de décadas que ela armazenada e oslimites da sua capacidade são desconhecidos. E importante percebemos adiferenca da Memória de Longo Prazo com os outros tipos de memórias e suaestrutura. O conhecimento armazenado na Memória de Longo Prazo afetanossas percepções do mundo e nos influencia na tomada de decisões.
  7. 7. A Memória de Longo Prazo é responsavel pelas seguintes operações:armazenamento, esquecimento e recuperação.Cientistas acreditam que as informacões são armazenadas na Memória deLongo Prazo em uma grande, interligada rede de esquemas. Em termos gerais,um esquema pode ser visto como uma construção cognitiva que categoriza ainformação de forma que ela possa ser tratada. Além de serem os blocosfundamentais do conhecimento, os esquemas também tem a função de reduzir asobrecarga da memória de trabalho. Esquemas relacionados são interligadosformando conceitualmente como uma rede semântica. Quando um ítem éativado, a ativaçõ se espalha aos ítens relacionados.Fig3. MLP armazena através de esquemasExistem dois tipos de Memórias de Longo Prazo : a episódica (recordações deexperiências pessoais ou eventos, associadas a um tempo e/ou lugar particular)e a semântica (informação que não está associada a um tempo ou lugarparticular e inclui nosso conhecimento sobre palavras, linguagem e símbolos,seus significados, relações e regras de uso). As informações na memóriasemantica deriva da nossa memória episódica, com isso podemos apreendernovos fatos e conceitos com as nossas experiências de vida.As informações são registrados na Memória de Longo Prazo mediante repetiçãoou através de sua carga afetiva. O ato da repetição nos ajuda a fixar ainformação recebida. A informação é passada da Memória de Curto Prazo paraMemória de Longo Prazo. Experimentos sugerem que o aprendizdo é maiseficiente quando ele é realizado distribuído no tempo.Os sistemas de curto e longo prazo de memória estão ligados, transferindoinformações continuamente de um para outro. Quando necessário, o conteúdoda Memória de Longo Prazo é transferido para o armazenamento da Memóriade Curto Prazo. Este processe de transferência de informações da Memória deLongo Prazo para a Memória de Curto Prazo envolve codificação e consolidaçãode informações. Inicialmente a Memória de Longo Prazo organiza asinformações a serem transferidas para que elas possam se adaptar aslimitações da Memória de Curto Prazo.
  8. 8. A retenção da informação na Memória de Longa Duração é muito mais eficientese nós identificarmos temas ordenados que reúnam e organizam outros itensdiscretos de informação.Esquecimento são principalmete causado por interferecia ou por passagem detempo. O esquecimento é fisiológico e ocorre continuamente, enfraquecendo otraço de memória do que foi aprendido. Fatores emocionais ambém afetam aMemória de Longo Prazo.Diferente das memórias esquecidas são as memórias extintas. Estaspermanecem latentes e não são evocadas, a menos que ocorra umacircunstância especial como a apresentação, de uma forma muito precisa, doestímulo (da situação) utilizado para adquiri-las e/ou com uma intensidade muitoaumentada, uma "dica" muito apropriada. As memórias extintas podem serevocadas, as memórias esquecidas não.Existem dois tipos de recueração de informaçoes : resgate ou reconhecimento.Em resgate a informação é reproduzida da memória. Em reconhecimento aapresentação da informação da memória nos provém o conhecimento sobre ainformação que foi vista antes. Reconhecimento é menos complexo visto que ainformação provida pode ser vista como uma dica.A Memória de Longo Prazo nos influencia na tomada de decisões como porexemplo, quando em determindas situações devemos ou não prestar atenção.Elas nos permite distinguir informações relevantes e não relevantes ao nossoconhecimento assim nos permiteido descartar estas informações irrelevantes.Cientistas acretitam que é a ativação de esquemas relacionados que permitenossos sentidos funcionarem eficientemente.6. Bibliografia1. H.V. Rocha, M.C.C.Baranauskas. Design e Avaliação de Interfaces HumanoComputador, pag 49 -101, Nied.2. P.H Lindsay, D.A. Norman Human Information Processing An Introduction toPsychology, Academic Press Inc.3. Processo de Fabricação da Memória.http://penta.ufrgs.br/edu/telelab/1/types.htm , visitado em Jun – 2004.4. Modelo da Memória.http://www.navinet.com.br/~gualberto/modelo_memoria.htm , visitado em Jun -2004)5 .Memória. http://zatopek.fmh.utl.pt/~pnoriega/psicog/pdfs/memoria.pdf,visitado em Jun-2004

×