O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Aula Mobile Marketing - Digitalks

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 154 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Quem viu também gostou (20)

Anúncio

Semelhante a Aula Mobile Marketing - Digitalks (20)

Mais recentes (20)

Anúncio

Aula Mobile Marketing - Digitalks

  1. 1. Mobile Marketing João Guilherme Franco
  2. 2. Agenda • Introdução: Dados e Conceito • O mercado e os players • Ferramentas de Mobile Marketing • Site Móvel X Aplicativo • O que Fazer e o que Não Fazer em Mobile Marketing • Mobile Advertising • Tablets: Tudo novo de novo • Hoje e Amanhã - Tendências
  3. 3. introdução O QUE É MOBILE MARKETING?
  4. 4. Antes de mais nada… Não se trata de encaixar Representa uma nova as mesmas coisas numa forma de pensar o tela menor. marketing.
  5. 5. introdução ALGUNS DADOS
  6. 6. A evolução do celular
  7. 7. Em 2007, a Apple lança o iPhone e começa uma nova história
  8. 8. (que não continua só com o iPhone...)
  9. 9. Desde então, navegar na Internet nunca mais foi a mesma coisa.
  10. 10. navegam na Internet pelo menos uma vez ao dia. Fonte: Essential Research
  11. 11. checam e-mail pelo menos uma vez por dia. Fonte: Essential Research
  12. 12. usam o iPhone para navegar na web. Usuários de smartphone em geral: 32% Usuários móveis em geral: 10% Fonte: Essential Research
  13. 13. O fenômeno Em 2014, a Internet mobile deve ultrapassar o uso da Internet em desktops.
  14. 14. NEW NOW
  15. 15. "A explosão das redes sociais nos últimos anos anos é apenas a Web se ajustando à vida, já que as pessoas são naturalmente sociais. O que há de diferente é que a Web é hoje o lugar onde todo este compartilhamento acontece. " Eric Schmidt, Google Hoje, na Inglaterra, mais da metade do tempo gasto no Facebook ocorre em dispositivos móveis.
  16. 16. introdução ALGUNS DADOS - MERCADO PUBLCITÁRIO
  17. 17. O fenômeno http://www.youtube.com/watch?v=1g6SAAmCHvs
  18. 18. Fonte: AdMob Mobile Metrics Highlights, Maio 2010
  19. 19. Fabricantes – Market Share de impressões de sites África Ásia Leste Amér. Amér. Oceania Europa Europeu Latina Norte Ocidental Fonte: AdMob Mobile Metrics Highlights, Maio 2010
  20. 20. Market Share de Aparelhos VS Uso de Aplicativos e de Web Móvel (Mundo) 1.Gartner Q1 2010: Market Share. 2.AdMob Operating System Share, Maio 2010. Fonte: AdMob Mobile Metrics Highlights, Maio 2010
  21. 21. Pesquisa F/ Radar 10 29,5 milhões de brasileiros acessam a internet em dispositivos móveis; Os dispositivos móveis já são a 2ª forma mais popular de acesso a internet no país. Fonte: Pesquisa F/Radar Edição 10, realizada por F/Nazca S&S e Datafolha – Agosto/2011 http://www.fnazca.com.br/index.php/2011/12/20/fradar-10a-edicao/
  22. 22. O mundo dos aplicativos iOS 15.000.000.000 downloads Média de 75 apps por usuário (200M de devices iOS vendidos) Pagou aos desenvolvedores mais de US$ 2,5 bilhões 350 por segundo 75 % free Android 5.000.000.000 downloads 100M devices Android vendidos 500M downloads por mês
  23. 23. Compra pelo celular Dos usuários que acessam a Internet no celular, quantos já compraram pelo celular? Fonte: Pesquisa Ipsos e Google “Our Mobile Planet: Global Smartphone Users – Janeiro 2012
  24. 24. Por que estar presente no universo mobile? Como estar presente no universo mobile?
  25. 25. Enquanto isso...
  26. 26. introdução ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DO MEIO
  27. 27. Mobile é SOCIAL
  28. 28. Mobile é CONTEXTUAL As marcas podem, pela primeira vez, agregar valor na situação em que o produto está disponível. Não esqueçamos que o PC está indisponível na maior parte das situações.
  29. 29. Case Instamission Coca-Cola Os usuários deveriam tirar uma foto no Rock In Rio que representasse sua música favorita, colocando a hashtag “#instamission35”. Os melhores colocados foram premiados com caixas de som Coca-Cola.
  30. 30. Mobile é O CONTROLE REMOTO DO MUNDO Com ele, podemos fazer praticamente qualquer coisa.
  31. 31. Mobile é REAL TIME É QUENTE!
  32. 32. Mobile é LOCAL Relevância na hora e no local onde estou. Com a geolocalização através do GPS, abre-se um universo de possibilidades: posso procurar qualquer coisa que me será útil neste momento, neste lugar.
  33. 33. Mobile é NICHO
  34. 34. http://www.youtube.com/watch?v=LOHIWsK-Mf0
  35. 35. Entendendo o meio e o contexto Features O que significa Reconhecimento do GPS local Touch Íntimo e Interativo Sensores Inteligência Física Contatos Pessoal e Social Relevante no Ponto de Portabilidade Decisão
  36. 36. PLAYERS E FERRAMENTAS DE MOBILE MARKETING
  37. 37. Os Players do Mercado Mobile O mercado de Mobile Marketing é composto por 7 principais players. Anunciantes Agências Agregadores Operadoras Integradores Desenvolvedores Ad Networks
  38. 38. Os Players do Mercado Mobile Anunciantes Quem são: Departamento de Marketing das empresas O que fazem: Demandam para agência novas campanhas para seus produtos/serviços, aprovam os planos de mídia e peças e cobram resultados eficientes para seus investimentos Anunciantes
  39. 39. Os Players do Mercado Mobile Agências Quem são: Agências de Publicidade On-line e Off-line O que fazem: Planejamento das estratégias de mídia de seus clientes, negociando e selecionando os melhores planos dos veículos, confeccionando as peças e acompanhando os resultados Agências
  40. 40. Os Players do Mercado Mobile Agências
  41. 41. Os Players do Mercado Mobile Agregadores Quem são: Atuam como o ‘braço’ mobile das agências e clientes. O que fazem: Prestam consultoria as agências e clientes no planejamento, criação, execução e pós-venda de ações de mobile marketing. Centralizam e gerenciam com terceiros consultorias técnicas e desenvolvimento, uma vez que possuem visão macro das possibilidades Agregadores que o meio permite.
  42. 42. Os Players do Mercado Mobile Operadoras Quem são: Operadoras de telefonia móvel O que fazem: Disponibilizam base de clientes para comunicação, Elaboram conjunto de regras e permissões para o desenvolvimento de ações, aprovando e supervisionando as propostas. Disponibilizam plataformas de conexão com a base para integradores. Operadoras
  43. 43. Os Players do Mercado Mobile Integradores Quem são: Detentores das plataformas tecnológicas das operadoras O que fazem: Prestam consultoria técnica e desenvolvimentos para Agregadores, Agências e Clientes visando viabilização dos Serviços planejados. É a interface desses com as Operadoras. Criam soluções para integração de sistemas De acordo com a permissão de sua plataforma. Em Alguns casos, agem como Agregadores Integradores
  44. 44. Os Players do Mercado Mobile Desenvolvedores Quem são: Empresas que desenvolvem games, aplicativos, sites móveis, etc. O que fazem: São responsáveis pela criação e realização técnica das ações mobile. Por serem projetos que demandam um alto nível de especialização, existem diversas empresas que só fazem isto. Desenvolvedores
  45. 45. Os Players do Mercado Mobile Ad Networks Quem são: Empresas responsáveis pela gestão de publicidade de grupos de empresas parceiras. O que fazem: Firmam parceria com desenvolvedores de aplicativos e provedores de serviços e conteúdo presentes no mobile (com site móvel ou aplicativo) e gerenciam o inventário de publicidade, comercializando-o para anunciantes. Ad Networks
  46. 46. INTEGRANDO O MOBILE AO PLANEJAMENTO DE MÍDIA
  47. 47. Integrando o Mobile ao Planejamento de Mídia TV Jornal / Revista Mídia Exterior PRODUTO Rádio Cinema Eventos Internet ... e o Mobile?
  48. 48. Integrando o Mobile ao Planejamento de Mídia Como começar?
  49. 49. Integrando o Mobile ao Planejamento de Mídia Como começar?
  50. 50. Público-alvo ou
  51. 51. Pesquisa! Dados! Tendências!
  52. 52. Integrando o Mobile ao Planejamento de Mídia Como começar?
  53. 53. O Mobile possibilita a utilização de diferentes ferramentas
  54. 54. Integrando o Mobile ao Planejamento de Mídia Como começar?
  55. 55. O Mobile no Planejamento Mobile não é a sobra do dinheiro. Precisa estar integrado ao plano de mídia!
  56. 56. O Mobile possibilita a utilização de diferentes mecanismos Short Multimedia Message Message Service Service
  57. 57. O Mobile possibilita a utilização de diferentes mecanismos Short Multimedia Message Message Service Service Cada mecanismo permite a criação de um universo de ações.
  58. 58. SMS Short Multimedia Message Message Service Service
  59. 59. SMS - Short Message Service Um padrão para sistema de mensagens de celular que permite o envio de mensagens entre dispositivos móveis. São mensagens curtas que geralmente só contêm texto.
  60. 60. SMS - Diferentes possibilidades Assinatura Alerta / Advertising Votações Quiz SMS-link Etc. de Notícias Lembrete
  61. 61. Case SMS - Stolichnaya Sua Vodka é falsificada? Para minimizar a venda do produto falsificado, o usuário ao comprar a Vodka pode enviar um SMS para um determinado shortcode com o número de série do produto. Em seguida, o usuário recebe a confirmação da legitimidade ou não da Vodka.
  62. 62. Case SMS – Club Social Ação de projeção de SMS durante o Tim Festival Usuários enviavam um SMS para um large account dedicado à ação. As mensagens eram projetadas nos telões do festival com animações da marca patrocinadora também sempre presentes. Mensagem: BJORK THE SHOW WAS GREAT Para:2222
  63. 63. Case SMS: Wallgreens A rede de drogarias americana Wallgreens lançou um serviço de mensagens que avisa o cliente quando seu remédio está acabando e já pergunta se deseja comprar outro.
  64. 64. Case SMS – Honda http://www.youtube.com/watch?v=OudaJGtwdQ8
  65. 65. SMS - Como fazer? (em linhas bem gerais!) Avalie, antes de tudo, o contexto do seu produto + público. Procure uma empresa integradora: ela conhecerá os detalhes das ferramentas (Assinatura SMS, disparo SMS, etc.) Pense detalhadamente na mecânica da ação – crie um fluxograma com cada passo Será necessária aprovação individual de cada operadora para a ação criada por você. Isso será gerenciado pela integradora. Avalie os resultados e implemente formas de medir com máxima precisão.
  66. 66. MMS Short Multimedia Message Message Service Service
  67. 67. MMS - multimedia messaging service Uma mensagem enviada via “multimedia messaging service” que contenha conteúdo multimídia (imagens, sons, vídeos).
  68. 68. Case MMS – Nike Photo ID No site NikeID, o visitante pode customizar diversos tênis da marca. É possível escolher o estilo, a cor e ainda colocar o seu nome na parte traseira do tênis. O cliente pode tirar uma foto qualquer e enviá-la via MMS. Utilizando uma tecnologia que reconhece as duas cores predominantes nessa foto, a Nike cria um tênis “Nike 1985 Dunk” com essas duas cores, o coloca na foto e a envia de volta para o cliente (via MMS). http://www.youtube.com/watch?v=E9sbqp1uAcg
  69. 69. Case MMS - Unilever A Unilever, em parceria com a Claro, lançou uma revista via MMS para mulheres: a Revista Vital. Foi a primeira publicação a ser entregue usando esta tecnologia. O conteúdo é grátis para o usuário. Semanalmente, os usuários cadastrados recebem uma revista com cinco matérias relacionadas a beleza, saúde e bem estar. Em 3 semanas, conseguiram 200.000 assinaturas.
  70. 70. Internet no Celular Short Multimedia Message Message Service Service
  71. 71. Internet no celular Um website que é especialmente desenhado e formatado para apresentação em um dispositivo móvel, também chamado de Site Móvel.
  72. 72. WAP 1.0
  73. 73. E qual a diferença de um site móvel para um site web para desktop? Internet Internet Móvel • Configuração horizontal • Sem configuração padrão padrão • + 10 web browsers • 3 web browsers de maior • + 10 sistemas relevância operacionais • 3 sistemas operacionais • Tamanhos de telas variam (windows, Linux, OS) de acordo com o modelo • Contexto: cadeira • Contexto: anywhere
  74. 74. www.mediaqueri.es
  75. 75. Case Site Móvel – Smirnoff Nightlife Guide: dicas sobre os melhores lugares para se divertir na noite inglesa Pocket Bartender: ensina os clientes a fazer drinks exclusivos Smirnoff Vodkapedia
  76. 76. Case Site Móvel – Campanha Presidencial EUA Primeiro Site Móvel para campanhas eleitorais. • Envio de SMSs • “Convide um amigo” • Notícias • Press releases • Download de vídeos de discursos • Ringtones • Wallpapers
  77. 77. Case Site Móvel – Submarino
  78. 78. Case Nike – Site p/ iPhone Vídeos exclusivos Features dos produtos Galeria de imagens
  79. 79. Case Check-in Gol (aplicativo) Após o preenchimento de todos os dados é emitido um cartão de embarque, que fica armazenado no aplicativo, com todas as informações e com um QR code. Este código pode ser lido no check-in dos aeroportos onde o serviço estiver disponível.
  80. 80. Web móvel - Como fazer um site móvel? Procure uma empresa que entenda as particularidades do meio para que ela agregue às suas ideias. Cheque se o site será feito em HTML5. Isso facilita sua adaptação a diferentes aparelhos e permite a utilização de mais recursos. Construa um escopo específico para o mobile (mais urgente, tempo real, recursos baseados na localidade, etc.) Teste em diversos aparelhos. No iPhone ficou lindo – ótimo! E nos outros 5.000 modelos? Certifique-se de ter configurado o redirecionamento do seu endereço já existente: www.minhamarca.com.br
  81. 81. Web móvel – Acompanhamento de resultados Medidas de resultado: • impressões • bounce rate • usuários únicos • tempo de visita • horários de pico de acesso • nº páginas vistas por usuário
  82. 82. Web móvel - Como planejar uma campanha? Existem inúmeros veículos que já possuem portais especialmente feitos para celular. Conheça-os, conheça suas audiências - planeje veículos com afinidade com o seu público.
  83. 83. Web móvel - Como planejar uma campanha? Ad Networks podem ajudar com isto: elas reúnem diferentes sites móveis e aplicativos por segmento e gerenciam o processo todo. Procure-as, entenda seus preços e o que oferecem. O que é mais interessante para atingir seu objetivo? Campanha branding ou campanha de performance? Isto vai definir a forma de compra de mídia. Construa um hot site ou uma ação consistente para quem clicar em sua campanha. Acompanhe os resultados de impressões e cliques e entenda em que sites o retorno foi maior. Além disto, avalie os resultados DEPOIS dos cliques.
  84. 84. Bluetooth Short Multimedia Message Message Service Service
  85. 85. Bluetooth Ferramenta baseada em dispositivos que enviam conteúdo para celulares que possuem conectividade bluetooth. Os computadores identificam pessoas que estão em seu raio de alcance com o bluetooth ativado. Após a identificação, inicia-se a interação, com o pedido de permissão para envio de uma mensagem (identificada pela marca). Com o aceite, estes dispositivos enviam o conteúdo para o consumidor: vídeos, áudios, jogos, aplicativos, imagens, etc.
  86. 86. Case Bluetooth – IBM no Café Havanna Aqueles que tivessem o bluetooth de seus celulares ativados recebiam conteúdos e ofertas das soluções da IBM. Avisos colocados convidavam os clientes a receber informações sobre os serviços da IBM.
  87. 87. Case Bluetooth – IBM no Café Havanna Aqueles que tivessem o bluetooth de seus celulares ativados recebiam conteúdos e ofertas das soluções da IBM. Avisos colocados convidavam os clientes a receber informações sobre os serviços da IBM.
  88. 88. Case Bluetooth – Nike http://www.youtube.com/watch?v=sZxvjIuj3W0
  89. 89. Bluetooth – como fazer? Defina que mensagem ou conteúdo é pertinente enviar ao seu público. É interessante? Procure uma empresa que possua máquinas de bluetooth: elas serão instaladas no local da ação e enviarão o conteúdo a quem passar por perto com o Bluetooth ativado. Nunca faça uma ação em locais com grande aglomeração de pessoas (ex.: estádio de futebol) – não vai funcionar. Avalie o número de pessoas impactadas e quantas vezes seu conteúdo foi aceito e baixado.
  90. 90. Aplicativos Short Multimedia Message Message Service Service
  91. 91. Case Aplicativo – Itaú Location Based Services: Localização de agências Itaú (aplicativo Android)
  92. 92. Aplicativos - Como fazer? Você vai precisar de um desenvolvedor que entenda a plataforma na qual deseja fazer o aplicativo. É uma mão de obra bastante especializada. Saiba o que quer oferecer e admita a interrogação - busque respostas: que solução eu posso oferecer ao meu usuário e que agrega valor à minha marca? Defina a(s) plataforma(s) que tem mais a ver com seu público e explore cada uma ao máximo. Pense num escopo para o aplicativo em detalhe, crie um wireframe e um estudo de navegação. Teste, teste muito. Cada atualização ou correção de aplicativo é um processo moroso e qualquer bug será percebido e pode demorar para ser resolvido.
  93. 93. Aplicativos – acompanhamento de resultados Medidas de resultado: • Nº de downloads • Número de sessões • Tempo de uso • nº páginas vistas por usuário • Etc.
  94. 94. QR Code Short Multimedia Message Message Service Service
  95. 95. QR Code - Quick Response O celular se transforma em um leitor de códigos impressos em qualquer lugar. O usuário fotografa o código e automaticamente recebe um link para o download de conteúdo (vídeos, fotos, ringtones, cupons mobile, etc.) ou para uma página mobile.
  96. 96. Case QR Code - Embalagem Nos rótulos do vinho Château Bessan Ségur, o código direciona o aparelho para um site que contém a ficha técnica do vinho.
  97. 97. Case QR Code - Claro
  98. 98. Case QR Code – Supermercado Tesco (Coréia) http://www.youtube.com/watch?v=nJVoYsBym88
  99. 99. Os 3 P’s do Mobile Marketing Permissão • As pessoas devem dar permissão expressa para receber ou assinar algum serviço. Privacidade • As pessoas devem decidir para onde suas informações vão, e como são usadas. Preferência • A relevância da oferta para o público é crucial para o sucesso de uma ação.
  100. 100. O mobile pode e deve ser explorado em todos os momentos que antecedem e sucedem a compra Awareness Consideração Intenção Compra Suporte Fidelização Defesa  Antes Depois 
  101. 101. O mobile pode e deve ser explorado em todos os momentos que antecedem e sucedem a compra Awareness Consideração Intenção Compra Suporte Fidelização Defesa Ações de Publicidade
  102. 102. O mobile pode e deve ser explorado em todos os momentos que antecedem e sucedem a compra Awareness Consideração Intenção Compra Suporte Fidelização Defesa Descontos, incentivos, informações sobre o produto/serviço
  103. 103. O mobile pode e deve ser explorado em todos os momentos que antecedem e sucedem a compra Awareness Consideração Intenção Compra Suporte Fidelização Defesa Ações que facilitam o processo da compra
  104. 104. O mobile pode e deve ser explorado em todos os momentos que antecedem e sucedem a compra Awareness Consideração Intenção Compra Suporte Fidelização Defesa Permitir que o cliente compre onde estiver
  105. 105. O mobile pode e deve ser explorado em todos os momentos que antecedem e sucedem a compra Awareness Consideração Intenção Compra Suporte Fidelização Defesa Ajude o seu cliente, ofereça ferramentas úteis e informações que melhorem sua experiência
  106. 106. O mobile pode e deve ser explorado em todos os momentos que antecedem e sucedem a compra Awareness Consideração Intenção Compra Suporte Fidelização Defesa Por que seu cliente voltaria a comprar? Dê a ele novidades, upgrades, descontos por fidelidade (ex.: Foursquare)
  107. 107. O mobile pode e deve ser explorado em todos os momentos que antecedem e sucedem a compra Awareness Consideração Intenção Compra Suporte Fidelização Defesa Ações que recompensam seu cliente sistematicamente
  108. 108. APLICATIVO OU SITE MÓVEL?
  109. 109. Site Móvel Aplicativo É acessível de qualquer sistema É desenvolvido para um sistema operacional operacional específico Respeita as limitações do Utiliza plenamente os recursos navegador do celular do sistema operacional Confunde-se com os recursos Tem ‘cara’ de site originais do celular Pode ser adicionado pelo usuário É adicionado à lista de aos favoritos do navegador aplicativos, ganhando destaque Pode ser seguro, mas possui Puxa dados com um pouco mais mais vulnerabilidade de segurança
  110. 110. Site Móvel Aplicativo Necessita que o usuário efetue o O acesso é instantâneo download e a instalação Usuário já conhece seu endereço Usuário precisa buscar o web aplicativo na Loja Virtual Requer promoção mais contínua Requer divulgação intensa para e simples que o aplicativo seja procurado A atualização é feita mudando-se É necessário fazer um upgrade os arquivos no servidor no software Explorá-lo é surfar num site em Pode ter ferramentas que miniatura. Já sabemos fazer isto demandam certo aprendizado
  111. 111. O QUE FAZER E O QUE NÃO FAZER EM MOBILE MARKETING
  112. 112. Lançar uma campanha que leve o usuário para um site web convencional.
  113. 113. Enviar mensagens em excesso ou que não tenham sido solicitadas pelo usuário.
  114. 114. Não deixar claro ou visível como fazer opt-out. Fazer seu público de refém.
  115. 115. Pensar no mobile como uma mídia tradicional, passiva.
  116. 116. Criar aplicativos com curto período de vida ou meramente promocionais.
  117. 117. Ignorar as oportunidades que surgem com o encontro do seu público com o seu produto (em qualquer lugar).
  118. 118. Pense no resultado que espera atingir com a campanha. Fique atento à experiência do usuário.
  119. 119. MOBILE ADVERTISING
  120. 120. Mobile Advertising
  121. 121. Possibilidades de interatividade Hot Site Click-to-call Click-to-video Click-to-download Click-to-??? Rich Media
  122. 122. Rich Media • Experiência Interativa: Touch, Rolagem (“swipe”), GPS • Mensagem mais rica  Associação com a marca • Constrói reputação de inovação • Permite o controle criativo das ideias • Flexibilidade para fazer o que você imaginar • Melhores decisões através de percepções mais profundas (acompanhamento das ações dos usuários)
  123. 123. Rich Media Overlay Ao clicar na peça, uma camada expansível aparece (na mesma janela). Dimensões usuais: Full expandable Half expandable Small expandable Conteúdo: Texto Vídeo Galeria de foto Formulário
  124. 124. Rich Media Video in browser Video player abre dentro do browser, na mesma janela. É exibido um vídeo curto dentro do banner ou expandido.
  125. 125. Rich Media Touch / Swipe Com este recurso, a tela touch é usada para fazer o usuário interagir com o banner ou com a tela inteira. Alguns exemplos: • Desenhos que surgem na tela • Raspar uma área para exibir algo diferente • Rolar para ver outro ângulo de uma imagem
  126. 126. Rich Media Touch / Swipe Com este recurso, a tela touch é usada para fazer o usuário interagir com o banner ou com a tela inteira. Alguns exemplos: • Desenhos que surgem na tela • Raspar uma área para exibir algo diferente • Rolar para ver outro ângulo de uma imagem
  127. 127. Mensuração dos Resultados • Impressões • Cliques • Tela de fechamento • Sistema operacional • Browser Rich Media • Geolocalização • Coordenadas do toque na tela
  128. 128. Formas de comercialização usuais As formas de comercializar o inventário de sites móveis e aplicativos é semelhante ao da web, com tendência a ter um valor mais alto pelo maior poder de segmentação e melhores resultados. CPM – custo por mil impressões CPC – custo por clique CPA – custo por ação (download, assinatura...)
  129. 129. CTR Mobile ao longo do dia
  130. 130. HOJE E AMANHÃ - TENDÊNCIAS
  131. 131. The Mobile Movement: Understanding Smartphone Consumers http://www.youtube.com/watch?v=CjUcq_E4I-s (ativar legenda)
  132. 132. Early adopters querem consumir a web móvel E para que eles estão usando a web móvel? Redes sociais Notícias e informações E-mail Fonte: Essential Research
  133. 133. O crescimento da venda dos smartphones Vendas de smartphones no Brasil registraram aumento de 165% no primeiro semestre de 2011, em relação ao mesmo período do ano passado. (Nielsen – agosto/11)
  134. 134. O crescimento da venda dos smartphones Em Abril/11 chegamos a 212 milhões de celulares.
  135. 135. Classe C Operadoras de celular brigam pelo mercado de smartphones na classe C http://www.atribunanews.com/exibe?id=74661 Nova classe média movimenta R$ 273 bilhões na internet por ano http://www.jb.com.br/economia/noticias/2011/05/26/nova-classe-media-movimenta-r-273- bilhoes-na-internet-por-ano/ Classe C baixa apps tanto quanto a classe A http://www.baguete.com.br/noticias/telecom/20/05/2011/classe-c-baixa-apps-tanto-quanto-a- classe-a Baixam Apps Possuem Smartphone Classe A - 67,4% Classe C - 30% Classe B - 61,9% (40,5% pretende trocar nos Classe C - 65,5% próximos 6 meses) Fonte: Pesquisa W/McCann Fonte: Pesquisa W/McCann
  136. 136. Serviços no celular estão ganhando corpo O celular é o ambiente perfeito para manter-se conectado com o tempo real. Quem está... Onde eu posso... O que eu posso... AGORA. Existem hoje mais de 6.000 aplicativos do iPhone baseados em localização, 900 aplicativos Android e 300 aplicativos BlackBerry. "
  137. 137. Obstáculos a serem superados Qualidade e velocidade da conexão Custo do plano de dados Hardware e browsers ruins  experiência ruim Conteúdo não disponível ou não adaptado
  138. 138. Mobile Learning Existem já diversas iniciativas para a prática de e-learning (ensino e aprendizagem do sistema por meios digitais) conduzidas através de dispositivos móveis, como PDAs, celulares e tablets.
  139. 139. TABLETS: TUDO NOVO DE NOVO
  140. 140. A chegada do iPad trouxe à tona algumas questões O iPad vai levar o A maioria das poder do pessoas não precisa computador para as de um computador. massas. O próximo O iPad deveria ser computador da considerado minha mãe vai um computador? ser um iPad.
  141. 141. A produção global de tablets deverá atingir a marca de 16,4 milhões de unidades em 2011, chegar a 35 milhões em 2012, e a 153 milhões até 2013. As vendas de tablets cresceram de 3,5 milhões no segundo trimestre para 4,4 milhões no terceiro trimestre de 2010, destes, 4,19 milhões eram iPads.
  142. 142. PARA FINALIZAR
  143. 143. O que nos aguarda... http://www.youtube.com/watch?v=Ktv4K8evhNA
  144. 144. Engaje sua audiência! Ajude seu público a ser mais feliz! Mostre que você é útil! Proporcione uma experiência incrível! Use o contexto a seu favor (não ignore-o)!
  145. 145.  Obrigado! João Guilherme Franco joaoguifranco@gmail.com http://br.linkedin.com/in/joaoguilhermefranco

×