Mapa 2007 agricultura

543 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
543
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mapa 2007 agricultura

  1. 1. QUADROS1. PRODUÇÃO DE GRÃOS2. CONSUMO3. OFERTA E DEMANDA: BRASIL4. BALANÇA COMERCIAL DO AGRONEGÓCIO5. AVALIAÇÃO DA REDUÇÃO DA TAXA DE JUROS DO CRÉDITO RURAL6. MAPA DA SOJA NO BRASIL7. AGROENERGIA NO BRASIL E NO MUNDO8. FEBRE AFTOSA E INSERÇÃO INTERNACIONAL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO
  2. 2. 1. QUADROS DE PRODUÇÃO DE GRÃOS
  3. 3. Produção de Grãos140 128 131 131 125120 Perda de 31 milhões de toneladas, causada por estiagem na região Sul 123 119 120 Produção 114100 (milhões de toneladas) 100 9780 58 81 82 83 76 78 77 7460 68 68 46 38 47 49 4740 44 38 39 39 37 38 38 40 36 37 35 3720 Área 0 91 92 93 94 95 96 97 98 99 2000 01 02 03 04 05 06 07* 1,5 Produtividade (t/ha) +86,5% 2,8 Fonte: Conab * Estimativa – 8º Levantamento (maio/2007)
  4. 4. 2. QUADROS DE CONSUMOConsumo per capita de alimentosno mundoEvolução do consumo per capitade alimentos no mundoConsumo de açúcarConsumo de leite e derivadosConsumo de carnes
  5. 5. Consumo per capita de alimentos no mundo (kg/pessoa/ano) 180 1969/71 160 1979/81 140 1989/91 1999/01 120 2030 2050 100 80 60 40 20 0 Cereais Raízes e Feijões, Açúcar Oleaginosas Carnes Leite e tubérculos ervilhas, e derivados derivados lentilhas (eq. óleo) Substituição de cereais e amidos por carnes, lácteos, doces, frutas, alimentos processados, etc.Nota: não inclui cereais utilizados para a alimentação animalFonte: FAO, 2006.
  6. 6. Evolução do consumo per capita de alimentos no mundo (kcal/pessoa/dia) 3600 Países desenvolvidos Ex-comunistas Leste da Ásia 3200 Árabes Am. Latina Sul da Ásia 2800 África Sub-Saariana 2400 2000 1999/01 2015 2030 2050Nota: América Latina inclui Caribe. Árabes compreendem Norte da África e Oriente Médio. Ex-comunistas correspondem ao Leste Europeu e países da CEI.Fonte: FAO (2006).
  7. 7. Consumo de AÇÚCAR (kg/pessoa/ano) Taxa de crescimento: 0,25% ao ano 60 50 Am. Latina Ex-comunistas 40 Países desenvolvidos Sul da Ásia 30 Árabes Leste da Ásia 20 África Sub-Saariana 10 0 1989/91 1999/01 2030 2050Nota: América Latina inclui Caribe. Árabes compreendem Norte da África e Oriente Médio. Ex-comunistas correspondem ao Leste Europeu e países da CEI.Fonte: FAO, 2006.
  8. 8. Consumo de LEITE E DERIVADOS (kg/pessoa/ano) Taxa de crescimento: 0,44% ao ano 250 Países desenvolvidos 225 200 Ex-comunistas 175 Am. Latina 150 Sul da Ásia 125 Árabes 100 75 50 África Sub-Saariana Leste da Ásia 25 0 1989/91 1999/01 2030 2050Nota: América Latina inclui Caribe. Árabes compreendem Norte da África e Oriente Médio. Ex-comunistas correspondem ao Leste Europeu e países da CEI.Fonte: FAO, 2006.
  9. 9. Consumo de CARNES (kg/pessoa/ano) Taxa de crescimento: 0,76% ao ano 120 Países desenvolvidos 100 Am. Latina 80 Leste da Ásia Ex-comunistas 60 Árabes 40 África Sub-Saariana 20 Sul da Ásia 0 1989/91 1999/01 2030 2050Nota: América Latina inclui Caribe. Árabes compreendem Norte da África e Oriente Médio. Ex-comunistas correspondem ao Leste Europeu e países da CEI.Fonte: FAO, 2006.
  10. 10. 3. OFERTA E DEMANDA: BRASILA produção, exportação e disponibilidade interna das carnes bovina e deaves aumentaram no período 2001-2006, sendo que em relação à carnesuína a produção permaneceu relativamente constante e houvemoderado aumento das exportações, exceto em 2006, quando houvequeda de exportação e melhoria na disponibilidade interna. QUADROS Carne suína Carne de aves Carne bovina Leite fluído Arroz em casca Algodão em pluma Trigo Milho Soja Preços médios mensais de soja em grão - Paranaguá IPR x IPP
  11. 11. Carne Suina Oferta e demanda Brasil (Mil toneladas equivalente carcaça) Disponibili- Disponibili- Produção Importação Exportação População Rebanho (Mil dade Interna dade PerSafra (Mil t equiv. (Mil t equiv. (Mil t equiv. (Milhões de cabeças) (Mil t equiv. Capita carcaça) carcaça) carcaça) hab) carcaça) (kg/hab/ano) 2001 32.605 2.730,0 0,3 283,3 2.447,0 172,4 14,2 2002 31.919 2.872,0 0,2 474,3 2.397,9 174,6 13,7 2003 32.305 2.698,0 0,9 488,2 2.210,7 176,9 12,5 2004 32.980 2.679,0 1,7 508,0 2.172,7 181,6 12,0 2005 1 (a) 34.100 2.708,0 0,7 621,7 2.087,0 184,3 11,3 2006 2 (b) 35.805 2.864,4 0,7 559,5 2.305,6 187,6 12,3Fontes: Rebanho e População: IBGE; Exportação e Importação: Secex; Produção de Carnes: ABIPECS. Notas: 1 Estimativa. 2 Previsão. Preços m é dios m e ns ais s uino vivo - Santa Catarina R$/@) 43,00 38,00 33,00 28,00 23,00 18,00 m 05 m 06 m 07 m 05 m 06 m 07 jan 05 jul 05 set 05 nov 05 jan 06 jul 06 set 06 nov 06 jan 07 ai ai ai ar ar ar F o nt e : C M A
  12. 12. Carne de Aves Oferta e demanda Brasil (Mil toneladas equivalente carcaça) Avicultura de Corte Alojamento Produção de Disponibili- Pintos de Exportação População Carne (Mil t Disponibili- dade PerSafra Corte (Mil t equiv. (Milhões de equiv. dade Interna Capita (milhões de carcaça) hab) carcaça) (kg/hab/ano) cabeças) 2001 3.468 6.567,3 1.265,9 5.301,4 172,4 30,8 2002 3.817 7.449,0 1.624,9 5.824,1 174,6 33,4 2003 3.905 7.645,2 1.959,8 5.685,4 176,9 32,1 2004 4.276 8.408,5 2.469,7 5.938,8 181,6 32,7 2005 1 (a) 4.690 9.348,0 2.845,9 6.502,1 184,3 35,3 2006 2 (b) 4.455 8.910,0 2.646,7 6.263,3 187,6 33,4Fontes: Produção de Carne: Apinco; Exportação: Secex; População: IBGE.Notas: 1 Estimativa. 2 Previsão. Pre ços m édios m ens ais de frango vivo Santa Catarina (R$/kg) 2,00 1,90 1,80 1,70 1,60 1,50 1,40 1,30 1,20 1,10 1,00 0,90 0,80 m 05 m 05 m 06 m 06 m 07 m 07 jan 05 jul 05 set 05 nov 05 jan 06 jul 06 set 06 nov 06 jan 07 ai ai ai ar ar ar F o nt e : C M A
  13. 13. Carne Bovina Oferta e demanda Brasil (Mil toneladas equivalente carcaça) Produção Disponibili- Disponibili- Importação E xportação População Rebanho (Mil Carne (Mil t dade Interna dade PerSafra (Mil t equiv. (Mil t equiv. (Milhões de cabeças) equiv. (Mil t equiv. Capita carcaça) carcaça) hab) carcaça) carcaça) (kg/hab/ano) 2001 176.389 6.823,6 42,2 821,9 6.043,9 172,4 35,1 2002 185.347 7.139,3 73,8 964,8 6.248,3 174,6 35,8 2003 195.551 7.568,5 65,5 1.259,2 6.374,8 176,9 36,0 2004 197.745 8.673,9 54,9 1.370,0 7.358,8 181,6 40,5 2005 1 (a) 205.130 9.455,0 52,5 1.923,1 7.584,4 184,3 41,2 2006 2 (b) 209.233 9.927,8 48,7 2.019,3 7.957,2 187,6 42,4Fontes: R ebanho e População: IBG ; E E xportação e Importação: Secex.Notas: 1 E ativa. stim 2 Previsão. Preço m édio m ensal do boi gordo - Araçatuba-SP (R$/@) 63,00 62,00 61,00 60,00 59,00 58,00 57,00 56,00 55,00 54,00 53,00 52,00 51,00 50,00 49,00 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 jan 05 jan 06 jan 07 set 05 nov 05 set 06 nov 06 jul 05 jul 06 F o nt e : C M A
  14. 14. Leite Fluido Oferta e demanda Brasil (Mil toneladas) Rebanho PRODUÇÃO CONSUMO de Vacas Total Impor- Supri- Expor- Ano Leiteiras Origem Outros Indus- Distri- Total tação mento tação Fluido Ração Total (1000 Bovina Origens trial buição cabeças)2001 15.900 22.300 - 22.300 39 22.339 2 12.390 9.799 148 22.337 22.3392002 15.600 22.635 - 22.635 28 22.663 4 12.295 10.218 146 22.659 22.6632003 15.300 22.860 - 22.860 3 22.863 2 12.391 10.320 150 22.861 22.8632004 15.200 23.317 - 23.317 1 23.318 2 12.743 10.423 150 23.316 23.3182005 15.100 24.025 - 24.025 2 24.027 2 13.175 10.700 150 24.025 24.0272006 15.050 24.745 - 24.745 4 24.749 2 13.309 11.285 150 24.744 24.74620071 15.020 25.365 - 25.365 5 25.370 2 13.445 11.773 150 25.368 25.370Fonte: USDA (www.usda.gov).Nota: 1 Previsão Preços médios mensais leite tipo "C" - Brasil R$/litro 0,62 0,60 0,58 0,56 0,54 0,52 0,50 0,48 0,46 0,44 0,42 0,40 JU /05 T D Z OV V MR JA /07 N A R OUT L L S T D Z S T OV V MR GO GO JA /06 A R MI OU A E FE A JU JU E E E B JU FE A B N N N N N A A
  15. 15. Algodão em Pluma Oferta e demanda Brasil (Mil toneladas) Var % Estoque Impor- Expor- Estoque Safra Produção Suprimento Consumo Consumo/ Inicial tação tação Final Est. Final 2001/02 326 766 68 1.160 805 110 246 30,5 2002/03 246 848 119 1.212 807 175 230 28,5 2003/04 230 1.309 105 1.644 914 331 400 43,7 2004/05 400 1.299 38 1.736 943 391 402 42,7 2005/06 402 1.038 82 1.522 905 305 312 34,5 2006/07 312 1.439 50 1.801 905 470 426 47,1 Fonte: CONAB - maio/2007 Preço médio mensal de algodão em plum a Preços médios mensais de algodão em pluma Nova Iorque (U$¢/£) Rondonópolis-MT (R$/@) 4858 4655 4452 42 4049 3846 3643 3440 32 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 jan 05 jul 05 set 05 nov 05 jan 06 jul 06 set 06 nov 06 jan 07 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 jan 05 jul 05 set 05 nov 05 jan 06 jul 06 set 06 nov 06 jan 07 F o nt e : C M A
  16. 16. Arroz em Casca Oferta e demanda Brasil (mil toneladas) Relação Estoque Im por- Supri- Expor- Estoque Safra Produção Consum o Est. Final/ Inicial tação m ento tação Final Consum o 2001/02 1.322 10.626 737 12.685 12.000 48 638 5,3 2002/03 638 10.367 1.602 12.606 12.250 24 333 2,7 2003/04 333 12.829 1.097 14.259 12.660 92 1.507 11,9 2004/05 1.507 13.228 728 15.463 12.900 380 2.183 16,9 2005/06 2.183 11.579 828 14.590 13.000 452 1.538 11,8 (*) 2006/071 1.538 11.269 1.000 13.807 13.000 350 457 3,5 Fonte: CONAB (w w w .conab.gov.br). (*) Detectadas cerca de 400 mil t nas mãos dos produtores e não incluídas nos dados anteriores. Nota: 1 Estimativa. Posição: abril/07. Preços médios mensais de arroz 100% inteiro - Bangkok US$/t Preços médios mensais de arroz em casca330 Cuiabá-MT (R$/60kg) 34325 32320 30315 28310 26305 24300 22295 20290 18285 16280 14 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 jan 05 jul 05 set 05 nov 05 jan 06 jul 06 set 06 nov 06 jan 07 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 jan 05 jul 05 set 05 nov 05 jan 06 jul 06 set 06 nov 06 jan 07 F o nt e : C M A
  17. 17. Trigo Oferta e demanda Brasil (Mil toneladas ) Relação Estoque Impor- Supri- Expor- Estoque Safra Produção Consumo Est. Final / Inicial tação mento tação Final Consumo 2001/02 716 3.194 7.046 10.956 10.180 2 773 8 2002/03 773 2.914 6.853 10.540 10.241 4 296 3 2003/04 296 6.074 5.708 12.077 10.314 1.372 390 4 2004/05 390 5.846 5.311 11.547 10.433 2 1.112 11 2005/06 1.112 4.873 6.266 12.252 10.990 786 476 4 2006/07 476 2.234 7.933 10.643 10.393 2 247 2 Fonte: CONAB (w w w .conab.gov.br). Posição: maio/07. 1 Projeção MAPA/SPA. Preços médios mensais de trigo hard red winter - Kansas 1ª entrega - US$/bushel Preços médios mensais de trigo - Cascavel-PR R$/t5,60 5205,40 5005,20 4805,00 4604,80 4404,60 4204,40 4004,204,00 3803,80 3603,60 3403,40 3203,20 300 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 mar 08 mar 09 mar 10 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 out 05 nov 05 dez 05 out 06 nov 06 dez 06 jan 05 abr 05 jun 05 jul 05 ago 05 set 05 jan 06 abr 06 jun 06 jul 06 ago 06 set 06 jan 07 abr 07 jan 05 jul 05 set 05 nov 05 jan 06 jul 06 set 06 nov 06 jan 07 fev 05 fev 06 fev 07 F o nt e : C M A
  18. 18. Soja Oferta e demanda Brasil (Mil toneladas) Var % Estoque Impor- Supri- Expor- Estoque Safra Produção Consumo Consumo/ Inicial tação mento tação Final Est. Final 2001/02 1.234 42.230 1.045 44.509 27.405 15.970 1.134 4,1 2002/03 1.134 52.018 1.189 54.341 29.928 19.891 4.522 15,1 2003/04 4.522 49.989 349 54.860 31.090 19.248 4.522 14,5 2004/05 4.522 52.305 368 57.195 32.025 22.435 2.735 8,5 2005/06 2.735 53.414 49 56.197 30.383 24.958 856 2,8 2006/07 856 57.551 40 58.447 31.700 25.200 1.547 4,9 Fonte: CONAB - maio/07. Preços m édios m ensais de Soja em grãos Rondonópolis/MT e PM (R$/60kg) Preços m édios m ensais de Soja - Chicago - 1ª entrega - (cents/bushell) 7,70 31,00 7,40 28,00 7,10 25,00 6,80 22,00 6,50 19,00 6,20 16,00 5,90 13,00 5,60 10,00 5,30 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 jan 05 jul 05 set 05 nov 05 jan 06 jul 06 set 06 nov 06 jan 07 5,00 mar 05 mai 05 mar 06 mai 06 mar 07 mai 07 mar 08 mar 09 mar 10 jan 05 abr 05 jun 05 jul 05 ago 05 set 05 out 05 nov 05 dez 05 jan 06 abr 06 jun 06 jul 06 ago 06 set 06 out 06 nov 06 dez 06 jan 07 abr 07 fev 05 fev 06 fev 07F o nt e : C M A Rondonópolis-MT Preço Minino
  19. 19. 10 13 16 19 22 25 28 31 34 37 40 43 46 49 52 55 58 jan 04 fev 04 mar 04F o nt e : C M A abr 04 mai 04 jun 04 jul 04 ago 04 set 04 out 04 nov 04 dez 04 jan 05 fev 05 mar 05 abr 05 mai 05 jun 05 jul 05 ago 05 R$/60 KG set 05 out 05 nov 05 dez 05 jan 06 fev 06 US$/60 KG mar 06 abr 06 mai 06 jun 06 jul 06 ago 06 set 06 out 06 nov 06 dez 06 jan 07 fev 07 mar 07 Preços médios mensais de Soja em Grãos Paranaguá/PR abr 07 mai 07
  20. 20. 100 105 110 115 120 125 130 90 95m ar/02m ai/02 jul/02 s et/02nov /02 jan/03m ar/03m ai/03 jul/03 s et/03nov /03 jan/04m ar/04m ai/04 jul/04 s et/04nov /04 jan/05m ar/05m ai/05 jul/05 s et/05nov /05 jan/06 IPR x IPP – Base: Março/2002 = 100m ar/06m ai/06 jul/06 s et/06nov /06 jan/07m ar/07
  21. 21. 4. BALANÇA COMERCIAL DO AGRONEGÓCIONo período Jan/Abril de 2006 as exportações (US$ 16,5 bilhões) e o superávit comercial do agronegócio(US$ 13,8 bilhões) foram recordes, graças principalmente ao aumento das seguintes exportações: carnes(38%), complexo sucroalcooleiro (41,9%), suco de frutas (90,4%), complexo soja (11,3%) e café (29,5%);enquanto foi modesto o aumento das importações. Quanto ao destino das exportações nesse períodomerece destaque o crescimento dos seguintes mercados: Oriente Médio (67,4%), União Européia de 27países (34,9%) e África (33,4%).No acumulado de Maio/2006 a Abril/2007 as exportações do agronegócio foram de US$ 52,7 bilhões contraUS$ 7,3 bilhões para as importações, resultando em superávit de US$ 45,3 bilhões. A expansão dessasexportações, relativamente ao mesmo período anterior, foi liderada por: complexo sucroalcooleiro (70%),carnes (15%), produtos florestais (11%), café (24,7%) e cereais farinhas e suas preparações (177%).As exportações do agronegócio mais do que dobraram entre o ano 2000 (US$20,6 bilhões) e Maio/06-Abr/07(US$ 52,7 bilhões), sendo que nesse mesmo período o saldo da balança comercial do agronegócio triplicou,atingindo US$ 45,3 bilhões, o equivalente a 96,4% do saldo total da balança comercial brasileira. Essedesempenho das exportações do agronegócio, notadamente nos últimos anos, é explicado pela elevação dospreços agrícolas no mercado internacional e pelo aumento das importações chinesas, os quais neutralizaramem grande parte os efeitos negativos da valorização cambial sobre a competitividade. QUADROS Balança comercial brasileira Balança comercial do agronegócio Exportações mundiais de produtos Agropecuários
  22. 22. SALDO DA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA 96,4% do saldo 47,0 50 45 40 45,3 35 30 25 20 AGRONEGÓCIObilhões 15 10 1,7 5 TOTAL 0US$ -5 -10 -15 OUTROS -20 -25 -30 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 00 01 02 03 04 05 A 06 7 /0 br a 06 o/ ai Fonte: MAPA M
  23. 23. BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DO AGRONEGÓCIO 6.000 5.000 U S $ m il h õ e s 4.000 3.000 2.000 1.000 0 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: MAPA
  24. 24. Balança Comercial do Agronegócio Balança comercial do agronegócio O saldo comercial passou de US$ 15 bilhões para US$ 45,3 bilhões (US$ bilhões) 52,7 Elevações nos preços das commodities 49,4 e aumento das importações chinesas 43,6 39,0 45,3 42,7 30,6 EXPORTAÇÕES 38,4 24,8 SALDO 23,9 20,6 34,1 25,8 20,3 19,1 14,8 IMPORTAÇÕES 6,7 7,4 5,8 4,8 4,8 4,9 5,2 4,5 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 Maio/06 a Abr/07Fonte: MAPA
  25. 25. Exportações mundiais de produtos agropecuários (base 2000/01) Haverá elevado crescimento do consumo • Aumento populacional Hoje • Mais de 1,5 bilhão de pessoas deixarão o campo • Aumento da renda • Urbanização crescente 225 Carne suína Carne bovina 200 Frango Soja 175 150 Arroz Açúcar Milho 125 Trigo 100 75 50 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16Fonte: FAPRI (2006). Elaboração: ICONE.
  26. 26. 5. AVALIAÇÃO DA REDUÇÃO DA TAXA DE JUROS DO CRÉDITO RURAL TAXA SELIC x CRÉDITO RURAL CONTROLADO x TJLP(*) x IPC-BR(*) 30,00 25,00 20,00 a . % .a 15,00 10,00 5,00 0,00 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006* 2007** (*) posições em julho Selic Taxa controlada TJLP IPC BR*** (**) posição em março (***)acumulado 12 meses anteriores Fonte: BACENNo período 1996-1998 a taxa básica de juros (SELIC) e a taxa de juros de longo prazo (TJLP) influenciaram a taxa dejuros do crédito rural, cujas variações seguiram a mesma tendência de queda observada pela SELIC. Contudo, a partir de1998 deixa de haver qualquer relação entre a taxa de juros do crédito rural e as demais taxas, pois enquanto a TJLPreduziu 58%, se situando em 6,5% a.a., e a SELIC reduz 51%, a taxa de juros do crédito rural mantém-se constante nonível de 8,75% a.a.Outras fontes de financiamento do setor rural, representadas pelos fundos constitucionais (FCO, FNE e FNO),apresentaram redução de taxa de juros em 2007.A crescente defasagem entre aquelas taxas de juros erodiu o tratamento preferencial desfrutado pelo crédito rural,desvantagem essa que tende a se acentuar com a esperada continuidade de queda das taxas SELIC e TJLP, e com aredução nos níveis de apoio ao produtor decorrentes da elevação da taxa real de juros do crédito rural a partir de 2003,quando a inflação se torna declinante, o que suscitou pressões para que seja reduzida a taxa de juros do crédito rural.Uma das principais dificuldades para a redução da taxa de juros do crédito rural consiste no aumento dos gastos com aequalização de taxas de juro realizada pelo Tesouro Nacional, cujo valor foi de R$ 723,17 milhões em 2006. E a eventualredução da taxa de juros do crédito rural da agricultura empresarial suscitaria pressões para reduzir também os juros daagricultura familiar (PRONAF), o que elevaria ainda mais os referidos gastos de equalização.
  27. 27. 6. MAPA DA SOJA NO BRASILO aumento do uso de fungicidas para ferrugem na soja, a partir da safra2002/2003, sobretudo na região Centro–Oeste, contribuiu, juntamentecom outros fatores, para elevar os custos de produção e reduzir a rendados produtores.As deficiências de infra-estrutura, notadamente de transportes, e aausência de investimentos nessa área influenciam a política agrícola,cujos instrumentos são concebidos e aplicados levando emconsideração os custos adicionais decorrentes daquelas deficiências.Trata-se, assim, de buscar resolver por meio da política agrícola umproblema que se situa em outra esfera de governo, onerandosobremaneira os gastos do governo com a política de apoio aoprodutor.Em acréscimo aos elevados custos relativos à infra-estrutura, o setorrural tem sido penalizado pela valorização cambial, cujo efeito foireduzir a rendaagrícola a partir da safra 2004/2005, quando os custospassaram a superar as receitas, impondo prejuízos aos agricultores. QUADROS Câmbio: queda de renda e prejuízo no campo Produção de soja por unidade da federação Aplicação de fungicidas para ferrugem Fretes rodoviários Geração líquida de caixa vs. dívidas
  28. 28. Câmbio: queda de renda e prejuízo no campo Safra 2003-04 Safra 2004-05 Safra 2005-06 Safra 2006-07*3,2 2,93 2,99 2,92 2,55 2,30 2,17 2,16 2,07 Custo Receita2,8 Custo Custo Receita2,4 Receita Custo Receita2,0 mar/04 mai/04 mar/05 mai/05 mar/06 mai/06 mar/07 nov/05 nov/06 jul/03 set/03 nov/03 jan/04 jul/04 set/04 nov/04 jan/05 jul/05 set/05 jan/06 jul/06 set/06 jan/07Custo: período agosto a outubro Fonte: Banco Central – Séries TemporaisReceita: fevereiro a junho (* fevereiro a abril) Elaboração: MAPA
  29. 29. Mapa da Soja no Brasil Produção e Portos ▲ São Luis (7%) ▲ Santarém ▲ Manaus 5% 2% PRODUÇÃO POR UF 0,9 0,2 (milhões t.) 0,5 PRINCIPAIS PORTOS 0,7 (participação %) 0,2 1,9 14 ▲ Cáceres 6,3 1% 2,7 4,4 ▲ Vitória 1,7 (13%) 9,4 ▲ Santos (33%) ▲ Paranaguá (23%) LEGENDA 0,9 ▲ S.Francisco Sul (11%) Produção (MMT) 8,5 ▲ Portos (% exportações, 2005) ▲ Rio Grande (2%)Ano-Safra 2005/06Fonte: Agroconsult
  30. 30. SOJA – Aplicações de Fungicidas para FerrugemSafra 2002/03 Safra 2003/04Safra 2004/05 Safra 2005/06

×