SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 175
Faculdade da Amazônia Trabalhos Acadêmicos Prof. Esp. João Carlos Balbi [email_address]
[object Object],[object Object],[object Object]
A LEITURA
ATO DE LER – Seqüência de Operações ou Etapas ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O SUJEITO DA LEITURA ,[object Object],[object Object],[object Object]
PARA APROVEITAR A LEITURA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
TIPOS DE LEITURA ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
COMO ESCOLHER UMA REFERÊNCIA? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
TÉCNICAS DE LEITURA TRABALHADA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
COMO FAZER ANÁLISE DE UM TEXTO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Entre as características intelectuais um pesquisador precisa ter: a) conhecimento do assunto a ser pesquisado; b) curiosidade e criatividade; c) integridade intelectual; d) atitude auto-corretiva; e) perseverança e paciência.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Dicas para escrita do documento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],Dicas para escrita do documento
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Dicas para escrita do documento
[object Object],[object Object],[object Object],Dicas para escrita do documento
O Projeto da Pesquisa   ,[object Object],[object Object],[object Object]
Fatores internos ,[object Object],[object Object],[object Object]
Fatores externos ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
Revisão da Literatura ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Sugestões para o Levantamento de Literatura ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
         ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Problema   ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
Identificação do Problema ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],Identificação do Problema
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Identificação do Problema ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],“ A fim de que a Esquadrilha faça boas apresentações nas competições em que participar.”
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Identificação do Problema Objetivo  Finalidade
[object Object],[object Object],Identificação do Problema
[object Object],[object Object],Identificação do Problema
Identificação do Problema ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Hipótese ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Justificativa ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
Objetivos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Como fazer uma resenha 1. Referências Bibliográficas 2. Apresentação do texto Qual é o texto? Quem é o autor?  Com que propósito foi escrito? Que tipo de texto é esse? Para que leitor foi escrito? 3) Resumo Uma exposição sucinta das idéias que você considera serem as mais relevantes do texto
Como fazer uma resenha 4) Crítica O autor atingiu seus objetivos? Quais sim, como ou por quê? Quais não, como ou por quê? Análise tanto da forma quanto do significado.
Para quê? Para ampliar os conhecimentos sobre o tema escolhido Para possibilitar que, após essa ampliação de conhecimentos, seja possível elaborar o Projeto de Pesquisa, amadurecendo o problema e as hipóteses.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Exercício:  Pré-Projeto
Metodologia ,[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Metodologia
Cronograma ,[object Object],[object Object],[object Object]
Recursos ,[object Object],[object Object]
Anexos ,[object Object],[object Object]
Referências ,[object Object],[object Object]
Glossário ,[object Object],[object Object],[object Object]
Esquema do Trabalho ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
Exemplo ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Resumindo... ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O Projeto de Pesquisa Identificar os elementos de um projeto de pesquisa; esclarecer como elaborar um projeto de pesquisa.
INTRODUÇÃO ,[object Object],[object Object],[object Object]
INTRODUÇÃO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O PROJETO DE PESQUISA ,[object Object],[object Object],[object Object]
Resumindo... ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
1 TÍTULO DA PESQUISA ,[object Object],[object Object],[object Object]
2 INTRODUÇÃO  (O que se vai fazer? e “por quê”?) ,[object Object],[object Object],[object Object]
2 INTRODUÇÃO  (O que se vai fazer? e “por quê”?) ,[object Object],[object Object],[object Object]
3 OBJETIVOS  (para quê?) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
4 REVISÃO DE LITERATURA  (O que já foi escrito sobre o tema?) ,[object Object],[object Object]
5 METODOLOGIA  (como? onde? com que?) ,[object Object],[object Object]
5 METODOLOGIA  (como? onde? com que?) ,[object Object],[object Object],[object Object]
5 METODOLOGIA  (como? onde? com que?) ,[object Object],[object Object]
6 CRONOGRAMA  (quando? em quanto tempo?) ,[object Object],[object Object]
7 ORÇAMENTO  (quanto vai custar?) ,[object Object],[object Object],[object Object]
9 REFERÊNCIAS  (que materiais foram citados?) ,[object Object],[object Object]
Observação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Questionário ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object]
Conteúdo de um questionário ,[object Object]
Itens de Identificação do Respondente   ,[object Object]
Itens sobre as questões a serem pesquisadas ,[object Object],[object Object]
[object Object]
[object Object]
[object Object]
Entrevista ,[object Object],[object Object],[object Object]
Sugestões de planejamento ,[object Object],[object Object]
[object Object]
[object Object],[object Object]
Diante do entrevistado   ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
Observação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
Análise de Conteúdo ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],Modelo de Fichamento Didático * Fonte (conforme ABNT):  * Resumo informativo (200 palavras, máximo): ** situação-problema: ** objetivo (s):  ** metodologia: ** principais resultados:  * *conclusão:  * Palavras-Chave/Keywords (03 de cada)
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
Estrutura de Apresentação do Trabalho   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Prof. Esp. João Carlos S. Balbi segundo a ABNT-NBR 14724:2005 Normas para elaboração de  Trabalhos Acadêmicos
A ABNT (Associação Brasileira de  Normas Técnicas)  é o Fórum Nacional de Normalização.  Representa no Brasil a ISO (International Organization for Standardization). As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros  (ABNT/CB-14)  http://www.abnt.org.br
Outras normas Formas de apresentação Estrutura Definições (segundo a ABNT) TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT – NBR 14724
Trabalhos Acadêmicos: Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação ou de Especialização (TCC). Documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser feito sob a coordenação de um orientador.
PRÉ-TEXTUAIS TEXTUAIS PÓS-TEXTUAIS A ESTRUTURA DE UMA TESE,  DISSERTAÇÃO  OU TRABALHO ACADÊMICO COMPREENDE  OS ELEMENTOS:
# Capa *Lombada # Folha de rosto * Errata # Folha de aprovação * Dedicatória * Agradecimentos * Epígrafe # Resumo # Resumo em língua estrangeira * Lista de Ilustrações * Lista de Tabelas * Lista de Abreviaturas e Siglas * Lista de Símbolos # Sumário ESTRUTURA Elementos pré-textuais # obrigatórios * opcionais
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS  segundo a NBR- 14724:2005 CAPA -   as informações imprescindíveis devem estar na seguinte ordem : - INSTITUIÇÃO (único elemento opcional) - NOME DO AUTOR  - TÍTULO  - SUBTÍTULO (se houver)  - NÚMERO DO VOLUME (indicar somente se houver mais de um)  - LOCAL (cidade) DA INSTITUIÇÃO ONDE DEVE SER APRESENTADO O TRABALHO - ANO DE DEPÓSITO (da entrega do trabalho acadêmico)
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
LOMBADA
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS VERSO  DA  FOLHA DE ROSTO -  deverá constar uma ficha catalográfica elaborada por um bibliotecário conforme o Código de Catalogação Anglo-Americano – AACR-2.
ERRATA -  lista inserida no original depois de impresso, logo após a folha de rosto, em papel avulso ou encartado, com indicação das folhas e das linhas em que ocorreram erros, seguida das devidas correções. A errata deve estar indicada na lista da seguinte maneira: ERRATA Folha Linha Onde se lê   Leia-se 32 3 orgonomia  ergonomia 53  8  (SIQUEIRA, 1990)  (CERQUEIRA, 1990) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS - OPCIONAL DEDICATÓRIA -  Texto onde o autor homenageia ou dedica seu trabalho a uma pessoa ou grupo de pessoas. AGRADECIMENTOS -  Texto onde o autor faz seus agradecimentos às pessoas e/ou Instituições que colaboraram de maneira significativa à elaboração do trabalho EPÍGRAFE -  Citação, pensamento, provérbio, seguido da indicação de sua autoria, de preferência relacionado com o assunto tratado no corpo do trabalho.  As epígrafes também poderão constar das folhas de abertura das seções primárias ou capítulos.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS RESUMO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA –  “ Versão do resumo em  idioma de divulgação internacional (em inglês  Abstract,  em castelhano  Resumen,  em  francês  Résumé ).  Deve ser seguido, logo abaixo, as palavras-chave na mesma língua”. (NBR 14724:2005)
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS - segundo a NBR 14724:2005 LISTA DE ILUSTRAÇÕES OU FIGURAS Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item acompanhado do respectivo número da página. É recomendada a elaboração de uma lista para cada tipo de ilustração (quadros, lâminas, plantas, fotografias, gráficos, organogramas, fluxogramas, esquemas, desenhos e outros) LISTA DE TABELAS Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, seguido do respectivo número da página
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS - segundo a NBR 14724:2005 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS - elemento opcional  Relação alfabética das abreviaturas e siglas usadas no texto, seguidas das palavras ou expressões correspondentes, por extenso. Fazer uma relação para cada tipo. LISTA DE SÍMBOLOS - elemento opcional  Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com o devido significado SUMÁRIO - elemento obrigatório  Sumário é a “enumeração das principais divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede” - Deve ser seguido do respectivo número da página. Havendo mais de um volume, em cada um deve constar o Sumário completo do trabalho ( ABNT/NBR 6027:1989 - Sumário)
# Introdução # Desenvolvimento # Considerações Finais ESTRUTURA Elementos textuais # obrigatórios
. ELEMENTOS TEXTUAIS – descrição segundo a NBR-14724:2005 INTRODUÇÃO Parte inicial do texto, onde devem constar: - a delimitação do assunto tratado, justificativa/motivação - objetivos da pesquisa  - outros elementos necessários para situar o tema do  trabalho. - estrutura do trabalho DESENVOLVIMENTO Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em Seções e subseções, que variam em função da abordagem do tema e do método. Sempre escrito em terceira pessoa. CONSIDERAÇÕES FINAIS Parte final do texto na qual se apresentam conclusões correspondentes aos objetivos ou hipóteses. É opcional apresentar os desdobramentos relativos à importância, projeção, repercussão, encaminhamento e outros.
# Referências * Glossário  * Apêndice (s) * Anexo (s) * Índice (s) (definições conforme a NBR 14724:2005) ESTRUTURA Elementos pós-textuais # obrigatórios * opcionais
Referências  Conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual, conforme as Normas da UTFPR Deverão aparecer no meio do texto, seja em citação ou simplesmente  quando se utiliza da idéia do autor . Elemento obrigatório para todos os documentos citados no texto, mesmo que em notas de rodapé   Glossário lista em ordem alfabética de palavras ou expressões  técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro,  utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas  definições
Apêndice (s)  texto ou documento  elaborado  pelo  autor   que complementa sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho.  São identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. APÊNDICE A -  Avaliação numérica de células   APENDICE B -  Avaliação de células musculares poderão ser utilizadas letras maiúsculas dobradas quando o número de apêndices esgotar as 23 letras do alfabeto
Anexo (s) texto ou documento  NÃO  elaborado  pelo  autor  que serve de fundamentação, comprovação e ilustração.  Os anexos são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. ANEXO A -  Representação gráfica da contagem de    células inflamatórias - Grupo I ANEXO B -  Representação gráfica da contagem de células inflamatórias - Grupo II Poderão ser utilizadas letras maiúsculas dobradas quando o número de anexos esgotar as 23 letras do alfabeto Índice (s) deverá ser elaborado conforme NBR- 6034:1989
Outras  normas Definições (segundo a ABNT) Formas de apresentação Estrutura TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT – NBR 14724
.FORMAS DE APRESENTAÇÃO  - segundo a NBR 14724:2005 Os textos devem ser apresentados em papel branco, formato A4, fonte tamanho 12 (Arial ou Times New Roman)  para o texto e  menor  para citações longas e notas de rodapé - digitados somente no anverso da folha (exceto a folha de rosto)     MARGEM:  -   esquerda e superior de  3 cm  e direita e inferior de  2 cm ESPACEJAMENTO  -   todo o  texto com  espaço 1,5 entre linhas  - citações longas, notas, referências, resumo, abstract = espaço 1 (simples) - separar os títulos das seções do texto que os precede ou que os sucede por entrelinha dupla (1 espaço duplo ou 2 espaços 1,5) NOTAS DE RODAPÉ -  devem ser digitadas dentro das margens, separadas do texto por um espaço simples de entrelinhas  (1)  e por um traço de 3 cm a partir  da margem  esquerda INDICATIVOS DE SEÇÃO  -   o indicativo numérico de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, separado por um espaço de caracter; - os títulos sem  indicativo numérico como  lista de ilustrações ,  sumário ,  resumo ,  referências  e outros, devem ser centralizados  (ABNT/NBR-6024:1989) CITAÇÕES NO TEXTO -   conforme ABNT/NBR-10520:2002
.FORMAS DE APRESENTAÇÃO - segundo a NBR 14724:2005 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
.FORMAS DE APRESENTAÇÃO - segundo a NBR 14724:2005 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Tabela em mais de uma folha
Outras  normas Formas de apresentação Estrutura Definições (segundo a ABNT) TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT – NBR 14724
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Quando a autoria não fizer parte do texto deve ser entre parênteses e todas as letras em maiúscula.  Exemplo : Os  fatores  de  manutenção  ou  aspectos insatisfatórios,  “diziam  respeito  o  contexto  do trabalho, ou seja, às condições dentro  das quais o trabalho era realizado.” (MAXIMIANO, 2000, p. 358). CITAÇÃO DIRETA É a transcrição ou cópia de um parágrafo, uma frase ou uma expressão, usando  exatamente as mesmas palavras usadas pelo autor  do  trabalho consultado. Nesse caso, repete-se  palavra  por  palavra e estas devem  vir entre  “aspas duplas”,  ou  com  destaque gráfico,  seguidas da  indicação da fonte consultada. Exemplo: “ fazendo um relatório com algumas notas de rodapé.” (MCGREGOR, 1999, p.1).
CITAÇÃO INDIRETA É a transcrição das idéias de um autor usando suas próprias palavras. A citação indireta é a maneira que o pesquisador tem de ler, compreender e gerar conhecimento a partir do conhecimento de outros autores.  Exemplo:  Neste texto, o papel do bibliotecário ganha importância como educador (DUDZIAK; GABRIEL; VILLELA, 2000). CITAÇÃO CURTA As citações curtas (até três linhas) diretas ou indiretas são inclusas ao texto destacadas entre “aspas” precedidas ou sucedidas da indicação de autoria. Exemplo: “ Esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre.” (CHIAVENATO, 2000, p.310). Ou Para Chiavenato (2000, p.310), “esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre.”
CITAÇÃO LONGA As citações longas (mais de três linhas) devem ser transcritas em bloco separado do texto, com recuo esquerdo de 4 cm a partir da margem, justificado, com o mesmo tipo de letra do texto; porém em tamanho 10 e espaçamento simples. Exemplo: A motivação está relacionada ao sistema de cognição de cada um, onde este sistema inclui os valores pessoais, e é influenciado pelo ambiente físico e social. Chiavenato (2000, p. 302) afirma A motivação representa a ação de forças ativas e impulsionadoras: as necessidades humanas. As pessoas são diferentes entre si no que tange à motivação. As necessidades humanas que motivam o comportamento humano produzem padrões de comportamento que variam de indivíduo para individuo. Confirma-se mais uma vez que a motivação é diferente para cada indivíduo. Devido a isto muitas organizações preocupam-se em descobrir como motivar seus funcionários para desta forma melhorar os serviços oferecidos.
CITAÇÃO DE CITAÇÃO É a citação de um texto que tivemos acesso a partir de outro documento. Exemplo : Leedy (1988  apud  RICHARDSON, 1991, p.417) compartilha deste ponto de vista ao afirmar “os estudantes estão enganados quando acreditam que eles estão fazendo pesquisa, quando de fato eles estão apenas transferindo informação factual [...].”   Na lista de referências,  faz-se  a  referência  do documento consultado (RICHARDSON).
SISTEMA DE CHAMADA   A NBR 10520/ago 2002, apresenta dois tipos de sistemas de chamadas para citações: o autor data e o sistema numérico. Recomenda-se o sistema autor data. Neste sistema a indicação é feita pelo sobrenome do autor ou pelo nome da entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação, seguido da data de publicação do documento e da página onde estiver a citação. AUTOR PESSOA Exemplo de citação obra com um autor:  “ Esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre.” (CHIAVENATO, 2000, p. 310). Exemplo de citação obra com dois autores: “ A teoria de Alderfer, como a de Maslow, é difícil de ser testada, o que torna difícil avaliar sua aplicação a situações organizacionais, à prática da administração ou até mesmo à realização pessoal dos  empregados.”  (STONER;  FREEMAN,  1994, p. 326).
Exemplo de citação obra com três autores: Segundo Andrade, Cardoso e Siqueira (1998, p. 54-67)... Ou (ANDRADE; CARDOSO; SIQUEIRA, 1998, p. 54-67).   Exemplo de citação obra com mais de três autores: Segundo Cordi  et al  (1994, p. 88) Ou (CORDI  et al , 1994, p.88)   Exemplo de vários documentos do mesmo autor publicado no mesmo ano:  (RICHARDT, 2000a, p.12) (RICHARDT, 2000b, p.16)   Vários documentos do mesmo autor (RICHARDT, 1998, 1999, 2000) Dois autores com mesmo sobrenome ( SILVA, Maria, 1998, p. 23)  Ou  Silva, Maria (1998, p. 23)
1) AUTOR ENTIDADE (UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ, 2005, p.10). (UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ, 1990,  p. 24).   2) AUTOR EVENTO (CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 1979). 3) Documentos sem autoria Quando o documento não possuir autoria, a indicação da citação deve ser feita pela primeira palavra do titulo seguido de reticências: (ANTEPROJETO..., 1987, p. 550) Se o titulo iniciar por artigo este deve ser incluído na indicação da fonte: (A FLOR..., 1995, p.4)
COMO FAZER UMA REFERÊNCIA Existem elementos essenciais e elementos complementares que identificam a obra. Os  elementos essenciais   são obrigatórios à identificação da obra: autor, título, subtítulo (quando houver), edição, local de publicação, editora ou produtora e data de publicação ou produção. Os  elementos complementares  são  opcionais e possibilitam uma maior identificação da obra: números de páginas, volumes totais da obra, título e número da série, outros tipos de responsabilidades como ilustrador, editor, organizador, tradutor.
REGRAS DE APRESENTAÇÃO Na apresentação deve-se obedecer à seqüência dos elementos: autor, título, subtítulo, edição, local de publicação, casa publicadora  e data. As referências deverão ser alinhadas somente à margem esquerda. A pontuação e o recurso tipográfico para destacar o título da obra ( negrito,   grifo  ou  itálico ) devem ser uniformes em todas as referências. LOCALIZAÇÃO DAS REFERÊNCIAS As referências podem ser dispostas: a) em nota de rodapé, no caso de citações; b) no final de texto ou de capítulo; c) em lista de referências, no final do trabalho; d) antecedendo resumos e resenhas.
TRANSCRIÇÃO DOS ELEMENTOS   Os elementos abaixo apresentados estão na seqüência em que deverão ser transcritos na referência.   1 Autoria pessoal   1.1 Um autor     Quando a obra possui um autor indica-se, primeiramente, seu último sobrenome em letra maiúscula seguido por vírgula e logo após, as iniciais dos nomes em maiúscula.    1.2 Dois e três autores   Quando a obra possui dois ou três autores a indicação dos autores deve ser seguida como a anterior sendo que os autores devem ser separados por ponto e vírgula.
1.3 Mais de três autores   Menciona-se apenas o primeiro autor que aparece na obra seguido da expressão et al.   1.4 Autoria desconhecida   Em caso de autor desconhecido a referência bibliográfica deve ser iniciada pelo título, sendo a primeira letra em maiúscula.   2 Autor entidade / instituição     Para obras publicadas sob a responsabilidade de uma entidade (empresas, órgãos governamentais, congressos, seminários, etc.) deve-se identificar o nome por extenso e em letra maiúscula.  3 Título e subtítulo   O título e o subtítulo devem ser transcritos como aparecem na obra, separados por dois pontos.  O título deverá aparecer em destaque: negrito, itálico ou grifado.
4 Data   A data de publicação ou produção deve ser indicada em algarismo arábico. Quando não aparecer data na obra, indicar uma data aproximada entre colchetes. Exemplificando: [1980 ou 1981]   um ano ou outro [1975?]   data provável [1997]   data certa, mas não indicada na obra [entre 1945 a 1959] usar para intervalos menores de 20 anos [ca. 1988]   data aproximada [199-]   década certa [199?]   década provável [18--]   século certo [18--?]   século provável  Nas  referências  de  documentos  com vários volumes, indicam-se a data inicial e a data final de publicação,  separadas por hífen.
5  DOCUMENTOS A SEREM REFERENCIADOS 5.1 Livros (Monografias) considerados no todo HIBBELER, R. C.  Estática:  mecânica para engenharia. 10.ed.  São Paulo: Prentice Hall, 2005.    DORF, R. C.; BISHOP, R. H.  Sistemas de controle modernos.   8. ed.  Rio de Janeiro: LTC, 2001. ANDRADE, R. O. B. de; TACHIZAWA, T.; CARVALHO, A. B. de.  Gestão ambiental:  enfoque estratégico aplicado ao desenvolvimento sustentável.  2.ed. São Paulo: Makron Books, 2002.    COLEMAN, D. et al.  Desenvolvimento orientado a objetos:  o método fusion.   3. ed.  Rio de Janeiro: Campus, 1996. ALMANAQUE Abril.  São Paulo: Abril Cultural, 1995. SOBRENOME, Prenomes (abreviados) do autor. Título: subtítulo.  Edição.  Local de publicação:  Editora, ano. Obra com um autor Obra com três autores Obra com mais de trêss autores Citar o primeiro autor e a expressão  et al (e outros) Obra com dois autores Obra sem autoria Iniciar pelo t í tulo
5.1.1 Documentos considerados em parte  ALVES, L. S.  Composição visual como base teórica para o planejamento gráfico.  In:  Metodologia da problematização : experiências com questões de ensino superior.   Londrina: Ed. UEL, 1998.  p. 105-129.   CUNHA, E. C. da; CARMO, L. F. R. da C.; PIRMEZ, L.  Uma estratégia de autoria de documentos multimídia para apresentação adaptativa.  In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS MULTIMÍDIA E HIPERMÍDIA, 5, 1999, Goiânia.  Anais...  Goiânia: UFG - Instituto de Informática.  p. 13-28. SOBRENOME, Prenomes (abreviados) do autor  da parte da obra.  Título da parte.  In: Autor da  obra.  Título da obra.  Edição.  Local  de  publicação: Editora, ano.  Página inicial-final da  obra. Cap í tulo de livro
5.2 Teses, dissertações e monografias FIGUEIREDO, K. M. de.  Mapeamento dos modos de transferência metálica na soldagem MIG de alumínio.   Uberlândia, 2000.  75 f.  Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) – Faculdade de Engenharia Mecânica, Universidade Federal de Uberlândia.   5.3 Publicação periódica   5.3.1 Artigos de periódicos DIAS, A.  Você tem um plano B?  Você S/A.,  São Paulo, n. 82, p. 40-45, abr. 2005 SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes (abreviados).  Título.  Local, ano.  Número de folhas. Tese, Dissertação, monografia, TCC e outros (grau e área) Instituição. SOBRENOME  DO  AUTOR  DO  ARTIGO,  Prenomes (abreviados).  Título do Periódico,  Local de  publicação, número  do  volume,  número  do fascículo, página inicial-final  do artigo, data.
DIAS, A.  Você tem um plano B?  Você S/A.,  São Paulo, n. 82, p. 40-45, abr. 2005.   REIS, R. L. G.  Crise de energia dificulta expansão do  mercado.  Química  Industrial,   São  Paulo,  v. 11, n. 76, jul./ago. 2001.   SILVA, F. C. A. da. et al.  Controle de fontes  radioativas através de inspeções regulatórias de radioproteção na indústria brasileira.  Soldagem & Inspeção,  São Paulo, v. 6, n. 6, p. 21-22, set. 2000.     5.3.2 Artigos de jornais MESQUITA,  A.  Lagos  trazem  um  ambiente  de calma  e  conforto  aos  sítios.  Folha  de S. Paulo , São  Paulo, 09  out.  2001.  Agrofolha,  Caderno 7, p. 2 . SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Prenomes (abreviados). Título do artigo.  Título de Jornal, local de publicação, data (dia, mês, ano).  Número ou título do caderno, seção, suplemento, etc., página(s) do artigo.
BORGES,F. Trabalho de reflorestamento é premiado.  Folha de Londrina,  Londrina, 15 dez. 2005.  Folha Cidades, p. 3.    5.4 Normas técnicas   ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.  NB 9000, ISO 9000:  normas de gestão da qualidade e garantia da qualidade: diretrizes para seleção e uso.  Rio de Janeiro, 1990. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.  NBR 14724:  informação e documentação - trabalhos acadêmicos - apresentação. Rio de Janeiro, 2002.    5.5 Entrevistas    5.5.1 Entrevistas não publicadas  ÓRGÃO  NORMALIZADOR.  Título :  subtítulo.  Local, ano. AUTOR (entrevistado). Nota da entrevista. Local, data.
  SCHERER, T.  Entrevista concedida a Clara Nunes Machado.   Curitiba, 20 set. 1999.   5.5.2 Entrevistas publicadas  KEEGAN, J.  A guerra irracional.  Veja ,  São Paulo, v. 34, n. 39, 03 out. 2001. p. 9-13.  Entrevista.     5.6 Documentos eletrônicos 5.6.1 CD-ROM ( Compact disc on read only memory)  e assemelhados     TANENBAUM, A. S.; WOODHULL, A. S.  Sistemas   operacionais:  projeto e implementação.  2. ed.  Porto Alegre: Bookman, 1997. 1 CD-ROM.    CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA MECÂNICA, 14., 1997, Bauru.  Anais...   Bauru: UNESP/ABCM, 1997.  1 CD-ROM .   AUTOR (entrevistado).  Título da entrevista.  Publicação que divulgou a entrevista.  Nota de entrevista
5.6.1.1 Bases de dados em CD-ROM PEIXOTO, M. F. V.  Função citação como fator de recuperação de uma rede de assunto.  In: IBICT.  Base de dados em ciência e tecnologia.  Brasília: IBICT, n. 1,1996 1 CD-ROM.   5.6.2 Documentos  on-line   ALVES, M. B. M.; ARRUDA, S. M.  Como fazer referências:  bibliográficas,  eletrônicas  e  demais formas  de  documentos .  Disponível  em:   http://www.bu.ufsc.br/framerefer.html  . Acesso em: 10 nov. 2005. SOBRENOME DO AUTOR DA PARTE, Prenomes(abreviados).  Título da parte.  In: SOBRENOME DO AUTOR DO TODO, Prenomes (abreviados).  Título do todo.  Local : Editora, data.  Tipo de suporte.  Número de CD. SOBRENOME DO AUTOR DA PARTE, Prenomes(abreviados).  Título da parte.  In: SOBRENOME DO AUTOR DO TODO, Prenomes (abreviados).  Título do todo.  Local : Editora, data.  Tipo de suporte.  Número de CD.
5.7 Documentos cartográficos  (atlas) Inclui atlas, mapas, globos, fotografias aéreas BOCHICCHIO, V. R.  Atlas mundo atual.   São Paulo: Atlas, 2003.   SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes (abreviados).  Título.  Edição.  Local: Editora, ano.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
.OUTRAS NORMAS - segundo a NBR 14724:2005 As normas relacionadas abaixo  constituem prescrições para a Norma de Apresentação  de Trabalhos Acadêmicos - ABNT/NBR-14724:2005   NBR-6023:2002  -   INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO - REFERÊNCIAS - ELABORAÇÃO NBR-6024:1989  -   NUMERAÇÃO PROGRESSIVA DAS SEÇÕES DE UM DOCUMENTO -   PROCEDIMENTO NBR-6027:1989  -   SUMÁRIO - PROCEDIMENTO   NBR-6028:1990  -   RESUMOS - PROCEDIMENTO NBR-6034:1989  -  PREPARAÇÃO DE ÍNDICE DE PUBLICAÇÕES - PROCEDIMENTO NBR-10520:2002 -   INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO - APRESENTAÇÃO DE CITAÇÕES   EM DOCUMENTOS IBGE -  NORMAS DE APRESENTAÇÃO TABULAR. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Como Fazer Trabalho Cientifico
Como Fazer Trabalho CientificoComo Fazer Trabalho Cientifico
Como Fazer Trabalho Cientifico
Lucila Pesce
 
Como ler um artigo científico 1213
Como ler um artigo científico 1213Como ler um artigo científico 1213
Como ler um artigo científico 1213
Carlos Carreto
 

Mais procurados (13)

Modelo de projeto
Modelo de projetoModelo de projeto
Modelo de projeto
 
Método lógico para redação científica
Método lógico para redação científicaMétodo lógico para redação científica
Método lógico para redação científica
 
Fichamento
FichamentoFichamento
Fichamento
 
Palestra sobre redação científica - Biblioteca EEFE
Palestra sobre redação científica - Biblioteca EEFEPalestra sobre redação científica - Biblioteca EEFE
Palestra sobre redação científica - Biblioteca EEFE
 
Redação Científica
Redação CientíficaRedação Científica
Redação Científica
 
Leitura crítica
Leitura críticaLeitura crítica
Leitura crítica
 
Aula de metodologia, monografia e tcc
Aula de metodologia, monografia e tccAula de metodologia, monografia e tcc
Aula de metodologia, monografia e tcc
 
Como Fazer Trabalho Cientifico
Como Fazer Trabalho CientificoComo Fazer Trabalho Cientifico
Como Fazer Trabalho Cientifico
 
Como fazer um trabalho escrito
Como fazer um trabalho escritoComo fazer um trabalho escrito
Como fazer um trabalho escrito
 
Escrita Académica
Escrita AcadémicaEscrita Académica
Escrita Académica
 
A participação do docente do ensino superior em eventos científicos
A participação do docente do ensino superior em eventos científicosA participação do docente do ensino superior em eventos científicos
A participação do docente do ensino superior em eventos científicos
 
Dicas apresentacao tcc
Dicas apresentacao tccDicas apresentacao tcc
Dicas apresentacao tcc
 
Como ler um artigo científico 1213
Como ler um artigo científico 1213Como ler um artigo científico 1213
Como ler um artigo científico 1213
 

Destaque

24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa
24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa
24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa
Joao Balbi
 
06 como fazer fichamento de texto ou livro
06 como fazer fichamento de texto ou livro06 como fazer fichamento de texto ou livro
06 como fazer fichamento de texto ou livro
Joao Balbi
 
Gestão adm e financ no ens sup balbi
Gestão adm e financ no ens sup balbiGestão adm e financ no ens sup balbi
Gestão adm e financ no ens sup balbi
Joao Balbi
 
Cap 18 organização econômica
Cap 18 organização econômicaCap 18 organização econômica
Cap 18 organização econômica
Joao Balbi
 
12 elaboração de citações
12 elaboração de citações12 elaboração de citações
12 elaboração de citações
Joao Balbi
 
05 artigo cientifico
05 artigo cientifico05 artigo cientifico
05 artigo cientifico
Joao Balbi
 
16 o método científico
16 o método científico16 o método científico
16 o método científico
Joao Balbi
 
Cap 2 antropologia
Cap 2 antropologiaCap 2 antropologia
Cap 2 antropologia
Joao Balbi
 
Aula+poder+legislativo
Aula+poder+legislativoAula+poder+legislativo
Aula+poder+legislativo
Rita Reis
 
22 metodo experimental
22 metodo experimental22 metodo experimental
22 metodo experimental
Joao Balbi
 
Cap 19 organização política
Cap 19 organização políticaCap 19 organização política
Cap 19 organização política
Joao Balbi
 
Metodologia para o TCC
Metodologia para o TCCMetodologia para o TCC
Metodologia para o TCC
Kelly Kiyumi
 
Conceitos de política, poder e autoridade
Conceitos de política, poder e autoridadeConceitos de política, poder e autoridade
Conceitos de política, poder e autoridade
Edenilson Morais
 
15 etapas da problematização
15 etapas da problematização15 etapas da problematização
15 etapas da problematização
Joao Balbi
 
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaAula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Jonathas Carvalho
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa
Joao Balbi
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
Joao Balbi
 

Destaque (20)

24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa
24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa
24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa
 
13 citações
13 citações13 citações
13 citações
 
06 como fazer fichamento de texto ou livro
06 como fazer fichamento de texto ou livro06 como fazer fichamento de texto ou livro
06 como fazer fichamento de texto ou livro
 
Gestão adm e financ no ens sup balbi
Gestão adm e financ no ens sup balbiGestão adm e financ no ens sup balbi
Gestão adm e financ no ens sup balbi
 
Cap 5 cultura
Cap 5 culturaCap 5 cultura
Cap 5 cultura
 
Cap 18 organização econômica
Cap 18 organização econômicaCap 18 organização econômica
Cap 18 organização econômica
 
12 elaboração de citações
12 elaboração de citações12 elaboração de citações
12 elaboração de citações
 
05 artigo cientifico
05 artigo cientifico05 artigo cientifico
05 artigo cientifico
 
16 o método científico
16 o método científico16 o método científico
16 o método científico
 
Cap 2 antropologia
Cap 2 antropologiaCap 2 antropologia
Cap 2 antropologia
 
Aula+poder+legislativo
Aula+poder+legislativoAula+poder+legislativo
Aula+poder+legislativo
 
22 metodo experimental
22 metodo experimental22 metodo experimental
22 metodo experimental
 
Cap 19 organização política
Cap 19 organização políticaCap 19 organização política
Cap 19 organização política
 
Metodologia para o TCC
Metodologia para o TCCMetodologia para o TCC
Metodologia para o TCC
 
Conceitos de política, poder e autoridade
Conceitos de política, poder e autoridadeConceitos de política, poder e autoridade
Conceitos de política, poder e autoridade
 
15 etapas da problematização
15 etapas da problematização15 etapas da problematização
15 etapas da problematização
 
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaAula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa
 
Brasil, organização política
Brasil, organização políticaBrasil, organização política
Brasil, organização política
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
 

Semelhante a 14 trabalhos acadêmicos

aula artigo iquali.pptx
aula artigo iquali.pptxaula artigo iquali.pptx
aula artigo iquali.pptx
Zoraide6
 
O Planejamento De Artigos CientíFicos Ana Maria Torres Alvarez
O Planejamento De Artigos CientíFicos   Ana Maria Torres AlvarezO Planejamento De Artigos CientíFicos   Ana Maria Torres Alvarez
O Planejamento De Artigos CientíFicos Ana Maria Torres Alvarez
Renata Aquino
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
Karlos Aires
 
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
Jordano Santos Cerqueira
 
27 o projeto de pesquisa
27 o projeto de pesquisa27 o projeto de pesquisa
27 o projeto de pesquisa
Joao Balbi
 
27 o projeto de pesquisa
27 o projeto de pesquisa27 o projeto de pesquisa
27 o projeto de pesquisa
Joao Balbi
 

Semelhante a 14 trabalhos acadêmicos (20)

dSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptxdSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptx
 
aula artigo iquali.pptx
aula artigo iquali.pptxaula artigo iquali.pptx
aula artigo iquali.pptx
 
O Planejamento De Artigos CientíFicos Ana Maria Torres Alvarez
O Planejamento De Artigos CientíFicos   Ana Maria Torres AlvarezO Planejamento De Artigos CientíFicos   Ana Maria Torres Alvarez
O Planejamento De Artigos CientíFicos Ana Maria Torres Alvarez
 
Projeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaProjeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - Metodologia
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
 
APOSTILA DE ORIENTAÇÃO TRABALHOS ACADÊMICOS
APOSTILA DE ORIENTAÇÃO TRABALHOS ACADÊMICOS APOSTILA DE ORIENTAÇÃO TRABALHOS ACADÊMICOS
APOSTILA DE ORIENTAÇÃO TRABALHOS ACADÊMICOS
 
Projeto LITEA
Projeto LITEAProjeto LITEA
Projeto LITEA
 
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
 
27 o projeto de pesquisa
27 o projeto de pesquisa27 o projeto de pesquisa
27 o projeto de pesquisa
 
27 o projeto de pesquisa
27 o projeto de pesquisa27 o projeto de pesquisa
27 o projeto de pesquisa
 
X semana de letras parte 2 ufal
X semana de letras parte 2  ufalX semana de letras parte 2  ufal
X semana de letras parte 2 ufal
 
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisaRoteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
 
Literacia informacional_plágio
Literacia informacional_plágioLiteracia informacional_plágio
Literacia informacional_plágio
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisa
 
Como fazer um trabalho de pesquisa aecs
Como fazer um trabalho de pesquisa aecsComo fazer um trabalho de pesquisa aecs
Como fazer um trabalho de pesquisa aecs
 
Normatização do TCC - Monografia
Normatização do TCC - MonografiaNormatização do TCC - Monografia
Normatização do TCC - Monografia
 
Como fazer um trabalho?
Como fazer um trabalho?Como fazer um trabalho?
Como fazer um trabalho?
 
A construção do projeto de pesquisa, metodologias
A construção do projeto de pesquisa, metodologiasA construção do projeto de pesquisa, metodologias
A construção do projeto de pesquisa, metodologias
 
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?
 

Mais de Joao Balbi

Apresentacao e-oratoria
Apresentacao e-oratoriaApresentacao e-oratoria
Apresentacao e-oratoria
Joao Balbi
 
Curso de oratoria
Curso de oratoriaCurso de oratoria
Curso de oratoria
Joao Balbi
 
14 trabalhos acadêmicos
14 trabalhos acadêmicos14 trabalhos acadêmicos
14 trabalhos acadêmicos
Joao Balbi
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
Joao Balbi
 
Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2
Joao Balbi
 
Gestão adm e financ no ens sup
Gestão adm e financ no ens supGestão adm e financ no ens sup
Gestão adm e financ no ens sup
Joao Balbi
 
08 pppi estrutura
08 pppi estrutura08 pppi estrutura
08 pppi estrutura
Joao Balbi
 
03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar
Joao Balbi
 
Gestão adm e financ no ens sup
Gestão adm e financ no ens supGestão adm e financ no ens sup
Gestão adm e financ no ens sup
Joao Balbi
 
08 pppi estrutura
08 pppi estrutura08 pppi estrutura
08 pppi estrutura
Joao Balbi
 
07 pppi elementos
07 pppi elementos07 pppi elementos
07 pppi elementos
Joao Balbi
 
04 o papel do coordenador e supervisor
04  o papel do coordenador e supervisor04  o papel do coordenador e supervisor
04 o papel do coordenador e supervisor
Joao Balbi
 
02 gestão escolar organização
02 gestão escolar organização02 gestão escolar organização
02 gestão escolar organização
Joao Balbi
 

Mais de Joao Balbi (20)

Curso de chefia e liderança
Curso de chefia e liderançaCurso de chefia e liderança
Curso de chefia e liderança
 
Curso de Oratória-SENAC
Curso de Oratória-SENACCurso de Oratória-SENAC
Curso de Oratória-SENAC
 
Apresentacao e-oratoria
Apresentacao e-oratoriaApresentacao e-oratoria
Apresentacao e-oratoria
 
Curso de oratoria
Curso de oratoriaCurso de oratoria
Curso de oratoria
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
14 trabalhos acadêmicos
14 trabalhos acadêmicos14 trabalhos acadêmicos
14 trabalhos acadêmicos
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 
Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2
 
Gestão adm e financ no ens sup
Gestão adm e financ no ens supGestão adm e financ no ens sup
Gestão adm e financ no ens sup
 
08 pppi estrutura
08 pppi estrutura08 pppi estrutura
08 pppi estrutura
 
03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar
 
01 abertura
01 abertura01 abertura
01 abertura
 
Gestão adm e financ no ens sup
Gestão adm e financ no ens supGestão adm e financ no ens sup
Gestão adm e financ no ens sup
 
10 cpa
10 cpa10 cpa
10 cpa
 
09 pdi
09 pdi09 pdi
09 pdi
 
08 pppi estrutura
08 pppi estrutura08 pppi estrutura
08 pppi estrutura
 
07 pppi elementos
07 pppi elementos07 pppi elementos
07 pppi elementos
 
05 o sinaes
05 o sinaes05 o sinaes
05 o sinaes
 
04 o papel do coordenador e supervisor
04  o papel do coordenador e supervisor04  o papel do coordenador e supervisor
04 o papel do coordenador e supervisor
 
02 gestão escolar organização
02 gestão escolar organização02 gestão escolar organização
02 gestão escolar organização
 

14 trabalhos acadêmicos

  • 1. Faculdade da Amazônia Trabalhos Acadêmicos Prof. Esp. João Carlos Balbi [email_address]
  • 2.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Entre as características intelectuais um pesquisador precisa ter: a) conhecimento do assunto a ser pesquisado; b) curiosidade e criatividade; c) integridade intelectual; d) atitude auto-corretiva; e) perseverança e paciência.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48. Como fazer uma resenha 1. Referências Bibliográficas 2. Apresentação do texto Qual é o texto? Quem é o autor? Com que propósito foi escrito? Que tipo de texto é esse? Para que leitor foi escrito? 3) Resumo Uma exposição sucinta das idéias que você considera serem as mais relevantes do texto
  • 49. Como fazer uma resenha 4) Crítica O autor atingiu seus objetivos? Quais sim, como ou por quê? Quais não, como ou por quê? Análise tanto da forma quanto do significado.
  • 50. Para quê? Para ampliar os conhecimentos sobre o tema escolhido Para possibilitar que, após essa ampliação de conhecimentos, seja possível elaborar o Projeto de Pesquisa, amadurecendo o problema e as hipóteses.
  • 51.
  • 52.
  • 53.
  • 54.
  • 55.
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64. O Projeto de Pesquisa Identificar os elementos de um projeto de pesquisa; esclarecer como elaborar um projeto de pesquisa.
  • 65.
  • 66.
  • 67.
  • 68.
  • 69.
  • 70.
  • 71.
  • 72.
  • 73.
  • 74.
  • 75.
  • 76.
  • 77.
  • 78.
  • 79.
  • 80.
  • 81.
  • 82.
  • 83.
  • 84.
  • 85.
  • 86.
  • 87.
  • 88.
  • 89.
  • 90.
  • 91.
  • 92.
  • 93.
  • 94.
  • 95.
  • 96.
  • 97.
  • 98.
  • 99.
  • 100.
  • 101.
  • 102.
  • 103.
  • 104.
  • 105.
  • 106.
  • 107.
  • 108.
  • 109.
  • 110.
  • 111.
  • 112. Prof. Esp. João Carlos S. Balbi segundo a ABNT-NBR 14724:2005 Normas para elaboração de Trabalhos Acadêmicos
  • 113.
  • 114.
  • 115. A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) é o Fórum Nacional de Normalização. Representa no Brasil a ISO (International Organization for Standardization). As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB-14) http://www.abnt.org.br
  • 116. Outras normas Formas de apresentação Estrutura Definições (segundo a ABNT) TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT – NBR 14724
  • 117. Trabalhos Acadêmicos: Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação ou de Especialização (TCC). Documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser feito sob a coordenação de um orientador.
  • 118. PRÉ-TEXTUAIS TEXTUAIS PÓS-TEXTUAIS A ESTRUTURA DE UMA TESE, DISSERTAÇÃO OU TRABALHO ACADÊMICO COMPREENDE OS ELEMENTOS:
  • 119. # Capa *Lombada # Folha de rosto * Errata # Folha de aprovação * Dedicatória * Agradecimentos * Epígrafe # Resumo # Resumo em língua estrangeira * Lista de Ilustrações * Lista de Tabelas * Lista de Abreviaturas e Siglas * Lista de Símbolos # Sumário ESTRUTURA Elementos pré-textuais # obrigatórios * opcionais
  • 120. ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS segundo a NBR- 14724:2005 CAPA - as informações imprescindíveis devem estar na seguinte ordem : - INSTITUIÇÃO (único elemento opcional) - NOME DO AUTOR - TÍTULO - SUBTÍTULO (se houver) - NÚMERO DO VOLUME (indicar somente se houver mais de um) - LOCAL (cidade) DA INSTITUIÇÃO ONDE DEVE SER APRESENTADO O TRABALHO - ANO DE DEPÓSITO (da entrega do trabalho acadêmico)
  • 121.
  • 122.
  • 124.
  • 125.
  • 126. ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS VERSO DA FOLHA DE ROSTO - deverá constar uma ficha catalográfica elaborada por um bibliotecário conforme o Código de Catalogação Anglo-Americano – AACR-2.
  • 127. ERRATA - lista inserida no original depois de impresso, logo após a folha de rosto, em papel avulso ou encartado, com indicação das folhas e das linhas em que ocorreram erros, seguida das devidas correções. A errata deve estar indicada na lista da seguinte maneira: ERRATA Folha Linha Onde se lê Leia-se 32 3 orgonomia ergonomia 53 8 (SIQUEIRA, 1990) (CERQUEIRA, 1990) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS
  • 128.
  • 129. ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS - OPCIONAL DEDICATÓRIA - Texto onde o autor homenageia ou dedica seu trabalho a uma pessoa ou grupo de pessoas. AGRADECIMENTOS - Texto onde o autor faz seus agradecimentos às pessoas e/ou Instituições que colaboraram de maneira significativa à elaboração do trabalho EPÍGRAFE - Citação, pensamento, provérbio, seguido da indicação de sua autoria, de preferência relacionado com o assunto tratado no corpo do trabalho. As epígrafes também poderão constar das folhas de abertura das seções primárias ou capítulos.
  • 130.
  • 131. ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS RESUMO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA – “ Versão do resumo em idioma de divulgação internacional (em inglês Abstract, em castelhano Resumen, em francês Résumé ). Deve ser seguido, logo abaixo, as palavras-chave na mesma língua”. (NBR 14724:2005)
  • 132. ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS - segundo a NBR 14724:2005 LISTA DE ILUSTRAÇÕES OU FIGURAS Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item acompanhado do respectivo número da página. É recomendada a elaboração de uma lista para cada tipo de ilustração (quadros, lâminas, plantas, fotografias, gráficos, organogramas, fluxogramas, esquemas, desenhos e outros) LISTA DE TABELAS Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, seguido do respectivo número da página
  • 133. ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS - segundo a NBR 14724:2005 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS - elemento opcional Relação alfabética das abreviaturas e siglas usadas no texto, seguidas das palavras ou expressões correspondentes, por extenso. Fazer uma relação para cada tipo. LISTA DE SÍMBOLOS - elemento opcional Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com o devido significado SUMÁRIO - elemento obrigatório Sumário é a “enumeração das principais divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede” - Deve ser seguido do respectivo número da página. Havendo mais de um volume, em cada um deve constar o Sumário completo do trabalho ( ABNT/NBR 6027:1989 - Sumário)
  • 134. # Introdução # Desenvolvimento # Considerações Finais ESTRUTURA Elementos textuais # obrigatórios
  • 135. . ELEMENTOS TEXTUAIS – descrição segundo a NBR-14724:2005 INTRODUÇÃO Parte inicial do texto, onde devem constar: - a delimitação do assunto tratado, justificativa/motivação - objetivos da pesquisa - outros elementos necessários para situar o tema do trabalho. - estrutura do trabalho DESENVOLVIMENTO Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em Seções e subseções, que variam em função da abordagem do tema e do método. Sempre escrito em terceira pessoa. CONSIDERAÇÕES FINAIS Parte final do texto na qual se apresentam conclusões correspondentes aos objetivos ou hipóteses. É opcional apresentar os desdobramentos relativos à importância, projeção, repercussão, encaminhamento e outros.
  • 136. # Referências * Glossário * Apêndice (s) * Anexo (s) * Índice (s) (definições conforme a NBR 14724:2005) ESTRUTURA Elementos pós-textuais # obrigatórios * opcionais
  • 137. Referências Conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual, conforme as Normas da UTFPR Deverão aparecer no meio do texto, seja em citação ou simplesmente quando se utiliza da idéia do autor . Elemento obrigatório para todos os documentos citados no texto, mesmo que em notas de rodapé Glossário lista em ordem alfabética de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições
  • 138. Apêndice (s) texto ou documento elaborado pelo autor que complementa sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho. São identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. APÊNDICE A - Avaliação numérica de células APENDICE B - Avaliação de células musculares poderão ser utilizadas letras maiúsculas dobradas quando o número de apêndices esgotar as 23 letras do alfabeto
  • 139. Anexo (s) texto ou documento NÃO elaborado pelo autor que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. Os anexos são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. ANEXO A - Representação gráfica da contagem de células inflamatórias - Grupo I ANEXO B - Representação gráfica da contagem de células inflamatórias - Grupo II Poderão ser utilizadas letras maiúsculas dobradas quando o número de anexos esgotar as 23 letras do alfabeto Índice (s) deverá ser elaborado conforme NBR- 6034:1989
  • 140. Outras normas Definições (segundo a ABNT) Formas de apresentação Estrutura TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT – NBR 14724
  • 141. .FORMAS DE APRESENTAÇÃO - segundo a NBR 14724:2005 Os textos devem ser apresentados em papel branco, formato A4, fonte tamanho 12 (Arial ou Times New Roman) para o texto e menor para citações longas e notas de rodapé - digitados somente no anverso da folha (exceto a folha de rosto) MARGEM: - esquerda e superior de 3 cm e direita e inferior de 2 cm ESPACEJAMENTO - todo o texto com espaço 1,5 entre linhas - citações longas, notas, referências, resumo, abstract = espaço 1 (simples) - separar os títulos das seções do texto que os precede ou que os sucede por entrelinha dupla (1 espaço duplo ou 2 espaços 1,5) NOTAS DE RODAPÉ - devem ser digitadas dentro das margens, separadas do texto por um espaço simples de entrelinhas (1) e por um traço de 3 cm a partir da margem esquerda INDICATIVOS DE SEÇÃO - o indicativo numérico de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, separado por um espaço de caracter; - os títulos sem indicativo numérico como lista de ilustrações , sumário , resumo , referências e outros, devem ser centralizados (ABNT/NBR-6024:1989) CITAÇÕES NO TEXTO - conforme ABNT/NBR-10520:2002
  • 142.
  • 143.
  • 144.
  • 145.
  • 146.
  • 147.
  • 148.
  • 149. Tabela em mais de uma folha
  • 150.
  • 151. Outras normas Formas de apresentação Estrutura Definições (segundo a ABNT) TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT – NBR 14724
  • 152.
  • 153.
  • 154. Quando a autoria não fizer parte do texto deve ser entre parênteses e todas as letras em maiúscula. Exemplo : Os fatores de manutenção ou aspectos insatisfatórios, “diziam respeito o contexto do trabalho, ou seja, às condições dentro das quais o trabalho era realizado.” (MAXIMIANO, 2000, p. 358). CITAÇÃO DIRETA É a transcrição ou cópia de um parágrafo, uma frase ou uma expressão, usando exatamente as mesmas palavras usadas pelo autor do trabalho consultado. Nesse caso, repete-se palavra por palavra e estas devem vir entre “aspas duplas”, ou com destaque gráfico, seguidas da indicação da fonte consultada. Exemplo: “ fazendo um relatório com algumas notas de rodapé.” (MCGREGOR, 1999, p.1).
  • 155. CITAÇÃO INDIRETA É a transcrição das idéias de um autor usando suas próprias palavras. A citação indireta é a maneira que o pesquisador tem de ler, compreender e gerar conhecimento a partir do conhecimento de outros autores. Exemplo: Neste texto, o papel do bibliotecário ganha importância como educador (DUDZIAK; GABRIEL; VILLELA, 2000). CITAÇÃO CURTA As citações curtas (até três linhas) diretas ou indiretas são inclusas ao texto destacadas entre “aspas” precedidas ou sucedidas da indicação de autoria. Exemplo: “ Esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre.” (CHIAVENATO, 2000, p.310). Ou Para Chiavenato (2000, p.310), “esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre.”
  • 156. CITAÇÃO LONGA As citações longas (mais de três linhas) devem ser transcritas em bloco separado do texto, com recuo esquerdo de 4 cm a partir da margem, justificado, com o mesmo tipo de letra do texto; porém em tamanho 10 e espaçamento simples. Exemplo: A motivação está relacionada ao sistema de cognição de cada um, onde este sistema inclui os valores pessoais, e é influenciado pelo ambiente físico e social. Chiavenato (2000, p. 302) afirma A motivação representa a ação de forças ativas e impulsionadoras: as necessidades humanas. As pessoas são diferentes entre si no que tange à motivação. As necessidades humanas que motivam o comportamento humano produzem padrões de comportamento que variam de indivíduo para individuo. Confirma-se mais uma vez que a motivação é diferente para cada indivíduo. Devido a isto muitas organizações preocupam-se em descobrir como motivar seus funcionários para desta forma melhorar os serviços oferecidos.
  • 157. CITAÇÃO DE CITAÇÃO É a citação de um texto que tivemos acesso a partir de outro documento. Exemplo : Leedy (1988 apud RICHARDSON, 1991, p.417) compartilha deste ponto de vista ao afirmar “os estudantes estão enganados quando acreditam que eles estão fazendo pesquisa, quando de fato eles estão apenas transferindo informação factual [...].”   Na lista de referências, faz-se a referência do documento consultado (RICHARDSON).
  • 158. SISTEMA DE CHAMADA   A NBR 10520/ago 2002, apresenta dois tipos de sistemas de chamadas para citações: o autor data e o sistema numérico. Recomenda-se o sistema autor data. Neste sistema a indicação é feita pelo sobrenome do autor ou pelo nome da entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação, seguido da data de publicação do documento e da página onde estiver a citação. AUTOR PESSOA Exemplo de citação obra com um autor:  “ Esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre.” (CHIAVENATO, 2000, p. 310). Exemplo de citação obra com dois autores: “ A teoria de Alderfer, como a de Maslow, é difícil de ser testada, o que torna difícil avaliar sua aplicação a situações organizacionais, à prática da administração ou até mesmo à realização pessoal dos empregados.” (STONER; FREEMAN, 1994, p. 326).
  • 159. Exemplo de citação obra com três autores: Segundo Andrade, Cardoso e Siqueira (1998, p. 54-67)... Ou (ANDRADE; CARDOSO; SIQUEIRA, 1998, p. 54-67). Exemplo de citação obra com mais de três autores: Segundo Cordi et al (1994, p. 88) Ou (CORDI et al , 1994, p.88) Exemplo de vários documentos do mesmo autor publicado no mesmo ano: (RICHARDT, 2000a, p.12) (RICHARDT, 2000b, p.16) Vários documentos do mesmo autor (RICHARDT, 1998, 1999, 2000) Dois autores com mesmo sobrenome ( SILVA, Maria, 1998, p. 23) Ou Silva, Maria (1998, p. 23)
  • 160. 1) AUTOR ENTIDADE (UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ, 2005, p.10). (UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ, 1990, p. 24).   2) AUTOR EVENTO (CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 1979). 3) Documentos sem autoria Quando o documento não possuir autoria, a indicação da citação deve ser feita pela primeira palavra do titulo seguido de reticências: (ANTEPROJETO..., 1987, p. 550) Se o titulo iniciar por artigo este deve ser incluído na indicação da fonte: (A FLOR..., 1995, p.4)
  • 161. COMO FAZER UMA REFERÊNCIA Existem elementos essenciais e elementos complementares que identificam a obra. Os elementos essenciais são obrigatórios à identificação da obra: autor, título, subtítulo (quando houver), edição, local de publicação, editora ou produtora e data de publicação ou produção. Os elementos complementares são opcionais e possibilitam uma maior identificação da obra: números de páginas, volumes totais da obra, título e número da série, outros tipos de responsabilidades como ilustrador, editor, organizador, tradutor.
  • 162. REGRAS DE APRESENTAÇÃO Na apresentação deve-se obedecer à seqüência dos elementos: autor, título, subtítulo, edição, local de publicação, casa publicadora e data. As referências deverão ser alinhadas somente à margem esquerda. A pontuação e o recurso tipográfico para destacar o título da obra ( negrito, grifo ou itálico ) devem ser uniformes em todas as referências. LOCALIZAÇÃO DAS REFERÊNCIAS As referências podem ser dispostas: a) em nota de rodapé, no caso de citações; b) no final de texto ou de capítulo; c) em lista de referências, no final do trabalho; d) antecedendo resumos e resenhas.
  • 163. TRANSCRIÇÃO DOS ELEMENTOS   Os elementos abaixo apresentados estão na seqüência em que deverão ser transcritos na referência. 1 Autoria pessoal   1.1 Um autor   Quando a obra possui um autor indica-se, primeiramente, seu último sobrenome em letra maiúscula seguido por vírgula e logo após, as iniciais dos nomes em maiúscula.   1.2 Dois e três autores   Quando a obra possui dois ou três autores a indicação dos autores deve ser seguida como a anterior sendo que os autores devem ser separados por ponto e vírgula.
  • 164. 1.3 Mais de três autores   Menciona-se apenas o primeiro autor que aparece na obra seguido da expressão et al.   1.4 Autoria desconhecida   Em caso de autor desconhecido a referência bibliográfica deve ser iniciada pelo título, sendo a primeira letra em maiúscula.   2 Autor entidade / instituição   Para obras publicadas sob a responsabilidade de uma entidade (empresas, órgãos governamentais, congressos, seminários, etc.) deve-se identificar o nome por extenso e em letra maiúscula. 3 Título e subtítulo   O título e o subtítulo devem ser transcritos como aparecem na obra, separados por dois pontos. O título deverá aparecer em destaque: negrito, itálico ou grifado.
  • 165. 4 Data   A data de publicação ou produção deve ser indicada em algarismo arábico. Quando não aparecer data na obra, indicar uma data aproximada entre colchetes. Exemplificando: [1980 ou 1981] um ano ou outro [1975?] data provável [1997] data certa, mas não indicada na obra [entre 1945 a 1959] usar para intervalos menores de 20 anos [ca. 1988] data aproximada [199-] década certa [199?] década provável [18--] século certo [18--?] século provável Nas referências de documentos com vários volumes, indicam-se a data inicial e a data final de publicação, separadas por hífen.
  • 166. 5 DOCUMENTOS A SEREM REFERENCIADOS 5.1 Livros (Monografias) considerados no todo HIBBELER, R. C. Estática: mecânica para engenharia. 10.ed. São Paulo: Prentice Hall, 2005.   DORF, R. C.; BISHOP, R. H. Sistemas de controle modernos. 8. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001. ANDRADE, R. O. B. de; TACHIZAWA, T.; CARVALHO, A. B. de. Gestão ambiental: enfoque estratégico aplicado ao desenvolvimento sustentável. 2.ed. São Paulo: Makron Books, 2002.   COLEMAN, D. et al. Desenvolvimento orientado a objetos: o método fusion. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1996. ALMANAQUE Abril. São Paulo: Abril Cultural, 1995. SOBRENOME, Prenomes (abreviados) do autor. Título: subtítulo. Edição. Local de publicação: Editora, ano. Obra com um autor Obra com três autores Obra com mais de trêss autores Citar o primeiro autor e a expressão et al (e outros) Obra com dois autores Obra sem autoria Iniciar pelo t í tulo
  • 167. 5.1.1 Documentos considerados em parte ALVES, L. S. Composição visual como base teórica para o planejamento gráfico. In: Metodologia da problematização : experiências com questões de ensino superior. Londrina: Ed. UEL, 1998. p. 105-129.   CUNHA, E. C. da; CARMO, L. F. R. da C.; PIRMEZ, L. Uma estratégia de autoria de documentos multimídia para apresentação adaptativa. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS MULTIMÍDIA E HIPERMÍDIA, 5, 1999, Goiânia. Anais... Goiânia: UFG - Instituto de Informática. p. 13-28. SOBRENOME, Prenomes (abreviados) do autor da parte da obra. Título da parte. In: Autor da obra. Título da obra. Edição. Local de publicação: Editora, ano. Página inicial-final da obra. Cap í tulo de livro
  • 168. 5.2 Teses, dissertações e monografias FIGUEIREDO, K. M. de. Mapeamento dos modos de transferência metálica na soldagem MIG de alumínio. Uberlândia, 2000. 75 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) – Faculdade de Engenharia Mecânica, Universidade Federal de Uberlândia.   5.3 Publicação periódica   5.3.1 Artigos de periódicos DIAS, A. Você tem um plano B? Você S/A., São Paulo, n. 82, p. 40-45, abr. 2005 SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes (abreviados). Título. Local, ano. Número de folhas. Tese, Dissertação, monografia, TCC e outros (grau e área) Instituição. SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Prenomes (abreviados). Título do Periódico, Local de publicação, número do volume, número do fascículo, página inicial-final do artigo, data.
  • 169. DIAS, A. Você tem um plano B? Você S/A., São Paulo, n. 82, p. 40-45, abr. 2005.   REIS, R. L. G. Crise de energia dificulta expansão do mercado. Química Industrial, São Paulo, v. 11, n. 76, jul./ago. 2001.   SILVA, F. C. A. da. et al. Controle de fontes radioativas através de inspeções regulatórias de radioproteção na indústria brasileira. Soldagem & Inspeção, São Paulo, v. 6, n. 6, p. 21-22, set. 2000.     5.3.2 Artigos de jornais MESQUITA, A. Lagos trazem um ambiente de calma e conforto aos sítios. Folha de S. Paulo , São Paulo, 09 out. 2001. Agrofolha, Caderno 7, p. 2 . SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Prenomes (abreviados). Título do artigo. Título de Jornal, local de publicação, data (dia, mês, ano). Número ou título do caderno, seção, suplemento, etc., página(s) do artigo.
  • 170. BORGES,F. Trabalho de reflorestamento é premiado. Folha de Londrina, Londrina, 15 dez. 2005. Folha Cidades, p. 3.    5.4 Normas técnicas   ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NB 9000, ISO 9000: normas de gestão da qualidade e garantia da qualidade: diretrizes para seleção e uso. Rio de Janeiro, 1990. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação - trabalhos acadêmicos - apresentação. Rio de Janeiro, 2002.    5.5 Entrevistas    5.5.1 Entrevistas não publicadas ÓRGÃO NORMALIZADOR. Título : subtítulo. Local, ano. AUTOR (entrevistado). Nota da entrevista. Local, data.
  • 171.   SCHERER, T. Entrevista concedida a Clara Nunes Machado. Curitiba, 20 set. 1999.   5.5.2 Entrevistas publicadas KEEGAN, J. A guerra irracional. Veja , São Paulo, v. 34, n. 39, 03 out. 2001. p. 9-13. Entrevista.    5.6 Documentos eletrônicos 5.6.1 CD-ROM ( Compact disc on read only memory) e assemelhados     TANENBAUM, A. S.; WOODHULL, A. S. Sistemas operacionais: projeto e implementação. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 1997. 1 CD-ROM.   CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA MECÂNICA, 14., 1997, Bauru. Anais... Bauru: UNESP/ABCM, 1997. 1 CD-ROM .   AUTOR (entrevistado). Título da entrevista. Publicação que divulgou a entrevista. Nota de entrevista
  • 172. 5.6.1.1 Bases de dados em CD-ROM PEIXOTO, M. F. V. Função citação como fator de recuperação de uma rede de assunto. In: IBICT. Base de dados em ciência e tecnologia. Brasília: IBICT, n. 1,1996 1 CD-ROM.   5.6.2 Documentos on-line ALVES, M. B. M.; ARRUDA, S. M. Como fazer referências: bibliográficas, eletrônicas e demais formas de documentos . Disponível em:  http://www.bu.ufsc.br/framerefer.html  . Acesso em: 10 nov. 2005. SOBRENOME DO AUTOR DA PARTE, Prenomes(abreviados). Título da parte. In: SOBRENOME DO AUTOR DO TODO, Prenomes (abreviados). Título do todo. Local : Editora, data. Tipo de suporte. Número de CD. SOBRENOME DO AUTOR DA PARTE, Prenomes(abreviados). Título da parte. In: SOBRENOME DO AUTOR DO TODO, Prenomes (abreviados). Título do todo. Local : Editora, data. Tipo de suporte. Número de CD.
  • 173. 5.7 Documentos cartográficos (atlas) Inclui atlas, mapas, globos, fotografias aéreas BOCHICCHIO, V. R. Atlas mundo atual. São Paulo: Atlas, 2003.   SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes (abreviados). Título. Edição. Local: Editora, ano.
  • 174.
  • 175. .OUTRAS NORMAS - segundo a NBR 14724:2005 As normas relacionadas abaixo constituem prescrições para a Norma de Apresentação de Trabalhos Acadêmicos - ABNT/NBR-14724:2005 NBR-6023:2002 - INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO - REFERÊNCIAS - ELABORAÇÃO NBR-6024:1989 - NUMERAÇÃO PROGRESSIVA DAS SEÇÕES DE UM DOCUMENTO - PROCEDIMENTO NBR-6027:1989 - SUMÁRIO - PROCEDIMENTO NBR-6028:1990 - RESUMOS - PROCEDIMENTO NBR-6034:1989 - PREPARAÇÃO DE ÍNDICE DE PUBLICAÇÕES - PROCEDIMENTO NBR-10520:2002 - INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO - APRESENTAÇÃO DE CITAÇÕES EM DOCUMENTOS IBGE - NORMAS DE APRESENTAÇÃO TABULAR. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.