03 princípios, conceitos, teorias, leis

16.416 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.416
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
100
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

03 princípios, conceitos, teorias, leis

  1. 1. Faculdade da Amazônia Fatos, Conceitos, Princípios, Leis, Teorias e Modelos Prof. Esp. João Carlos S. Balbi
  2. 2. Fato <ul><li>Algumas definições habituais: </li></ul><ul><li>- Parcela de informação acerca de objetos ou eventos reais. </li></ul><ul><li>- Informação verificada acerca de algo que aconteceu. </li></ul><ul><li>- Algo cuja veracidade foi demonstrada. </li></ul><ul><li>- Resultado confirmado repetida e consistentemente por diferentes observadores. </li></ul><ul><li>- Uma afirmação com a qual todos (ou quase todos) os cientistas de uma época concordam. </li></ul><ul><li>Note-se que, segundo o filósofo da ciência Thomas Kuhn, a observação não é </li></ul><ul><li>totalmente neutra em relação à teoria. Aquilo que um cientista considera como </li></ul><ul><li>“ dados” ou “fatos” depende de qual o paradigma teórico que este aceita; a </li></ul><ul><li>própria percepção pode ser condicionada pelas suas convicções. Desde modo, </li></ul><ul><li>alguns dos conhecimentos que hoje consideramos fatos, poderão não o ser </li></ul><ul><li>amanhã. </li></ul>
  3. 3. Conceito <ul><li>Difícil de definir, por vezes identificado com “idéia” ou “noção”. </li></ul><ul><li>- Idéia abstrata ou símbolo mental, tipicamente associada a uma representação na linguagem oral ou escrita, que denota todos os objetos que pertencem a uma dada categoria ou classe de entidades, interações, fenômenos ou relações. </li></ul><ul><li>- O conceito é sempre abstrato, na medida em que omite as diferenças extensivas entre os objetos incluídos, tratando-os como se fossem idênticos. </li></ul><ul><li>- Deste modo, não pode ser visualizado. É discursivo e resulta do raciocínio. Apenas pode ser imaginado e designado por um nome. </li></ul><ul><li>- O conceito é o elemento básico de uma afirmação, do mesmo modo que a palavra é o elemento básico de uma frase. </li></ul><ul><li>- O conceito serve de suporte ao significado, não sendo ele próprio o significado. Um mesmo conceito pode ser expresso em muitas linguagens. O fato de o conceito ser de algum modo independente da linguagem torna possível a tradução – palavras em diferentes línguas, por exemplo, podem ter o mesmo significado porque exprimem o mesmo conceito. </li></ul><ul><li>- O conceito tem uma determinada designação. Contudo, pode suceder que conceitos total ou parcialmente diferentes partilhem a mesma designação, o que pode levar a que sejam confundidos. Isto passa-se, por exemplo, em relação às designações de muitos conceitos físicos, que têm um diferente significado no quotidiano. Os próprios conceitos de “designação” e “conceito” são muitas vezes confundidos, embora sejam diferentes. </li></ul>
  4. 4. Conceitos (cont.) <ul><li>Os conceitos são extremamente úteis para o desenvolvimento da ciência. Existem, contudo, dois tipos de conceitos: categoriais e formais . </li></ul><ul><li>Conceitos categoriais - quando é possível apresentar exemplos perceptíveis dos objetos incluídos nesse conjunto ou classe. A sua construção é feita por abstração empírica, através de processos de discriminação / conceitualização. </li></ul><ul><li>São familiares aos alunos, pois apenas exigem operações cognitivas típicas do pensamento concreto. São exemplos uma boa parte dos conceitos das ciências naturais, relacionados com as taxonomias. </li></ul><ul><li>Conceitos formais – não podem ser identificados por um conjunto de atributos, nem é possível apresentar exemplos perceptíveis. Têm definições formais, apoiadas na abstração reflexiva, podendo implicar a utilização de uma linguagem puramente matemática. São exemplos a maior parte dos conceitos físicos, como espaço, tempo, massa, energia, força, aceleração ou carga elétrica. </li></ul><ul><li>Os conceitos ajudam a integrar observações e fenômenos aparentemente não relacionados, em hipóteses e teorias viáveis, o que constitui o objetivo básico da ciência. Esta natureza dos conceitos não é suficientemente enfatizada no ensino básico e secundário; a construção de mapas de conceitos pode ajudar os alunos a interiorizarem as relações entre os diversos conceitos científicos. </li></ul>
  5. 5. Princípio <ul><li>- É uma generalização empírica, aceita como verdadeira e que pode ser usada como base para o raciocínio ou comportamento: uma afirmação acerca de relações entre quantidades naturais que foi testada repetidamente através da experiência, sem nunca ter sido invalidada. </li></ul><ul><li>- Resulta essencialmente do raciocínio indutivo pois produz conclusões acerca de entidades não analisadas (a partir de premissas acerca de entidades analisadas). </li></ul><ul><li>Por vezes aplica-se esta designação a um conjunto de relações que descrevem o funcionamento da Natureza (por exemplo, grandes princípios de conservação). </li></ul>
  6. 6. Lei <ul><li>O termo “lei” é usado muitas vezes como sinônimo de “princípio”. Contudo, uma lei física tem, em geral, uma característica que lhe confere maior confiabilidade lógica do que um princípio: a lei é, cumulativamente, obtida através de raciocínio dedutivo , partindo de uma outra lei mais geral, ou de uma teoria ou modelo. </li></ul><ul><li>As leis físicas são normalmente aproximações e têm um domínio restrito de aplicabilidade, que deve ser sempre referido. As leis físicas: </li></ul><ul><li>- São verdadeiras , por definição, pois nunca foram contrariadas por observações repetidas (dentro dos seus limites de aplicabilidade). </li></ul><ul><li>- São universais , porque se aplicam em todos os lugares do Universo. </li></ul><ul><li>- São simples , pois são tipicamente expressas por uma expressão matemática. </li></ul><ul><li>- São absolutas , porque nada no Universo parece afetá-las. </li></ul><ul><li>- São estáveis , pois se mantêm inalteráveis desde a sua descoberta (embora, em alguns casos, se tenha mostrado serem aproximações de outras leis mais precisas). </li></ul><ul><li>- São onipotentes , porque tudo no Universo está aparentemente de acordo com elas (conforme as observações). </li></ul><ul><li>- Geralmente traduzem a conservação de grandezas . </li></ul><ul><li>- Muitas vezes traduzem homogeneidades (simetrias) no espaço e tempo. </li></ul><ul><li>- São tipicamente reversíveis no tempo (se não forem quânticas), embora o tempo em si seja irreversível. </li></ul>
  7. 7. Teoria <ul><li>- É uma descrição bem estruturada de alguns aspectos do mundo natural; um sistema organizado de conhecimento aceito que se aplica numa grande variedade de circunstâncias, para explicar um conjunto específico de fenômenos . Incorpora fatos, leis, previsões e hipóteses testadas. </li></ul><ul><li>- É geralmente aceita como válida por ter sobrevivido a um teste repetido. Uma hipótese científica que sobrevive à prova da experimentação pode resultar numa teoria científica. </li></ul><ul><li>- Deve servir não só para explicar fenômenos de uma determinada área do conhecimento, mas também para efetuar previsões na mesma área. </li></ul><ul><li>A escolha entre duas (ou mais) teorias explicativas para o mesmo fenômeno deve ser feita mediante argumentos que sejam independentes do conteúdo dessas teorias, o que nem sempre é fácil, como a história da ciência confirma. </li></ul>
  8. 8. Modelo <ul><li>- É uma descrição hipotética de uma entidade ou processo complexo, uma forma ou padrão representativo. </li></ul><ul><li>- É uma descrição simplificada da realidade, que serve para prever e controlar e nos ajuda a compreender melhor as características da realidade, do que através de uma simples observação direta. </li></ul><ul><li>- Um modelo pode ser usado em diferentes contextos e em diferentes áreas científicas , para representar algo como um simples corpo ou um sistema de corpos. </li></ul><ul><li>Os modelos matemáticos, que podem ser classificados de várias formas (lineares / não lineares, determinísticos / probabilísticos, estáticos / dinâmicos...) permitem testar a consistência dos dados xperimentais. </li></ul><ul><li>Os filósofos da ciência ainda hoje debatem se os modelos são apenas instrumentos heurísticos ou mesmo aspectos essenciais da explicação científica. </li></ul>

×