Violencia urbana - Geografia

2.957 visualizações

Publicada em

Aspectos e territorialização da violência no mundo

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.957
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
134
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Violencia urbana - Geografia

  1. 1. Violência - um dos problemas dos centros urbanos A formação de grandes cidades no Brasil foi acompanhada pelo surgimento de graves problemas sociais em razão, principalmente do caráter concentrador e excludente do processo de desenvolvimento do país. Grandes centros urbanos apresentam elevados índices de violência. As áreas mais violentas são as periféricas. Boa parte dos homicídios que ocorrem no país está relacionado ao tráfico de drogas. No eixo Rio-São Paulo e arredores, os índices de morte por homicídios são os mais elevados do país.
  2. 2. Fonte: Mapa da violência, 2006 – OEI. Taxas de homicídio por faixa etária no Brasil (1994 e 2004)
  3. 3. Longe da escola A violência relaciona-se à falta de acesso à educação e à falta de trabalho. À medida que a idade avança, aumenta a evasão escolar e diminuem as chances no mercado de trabalho. Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), 2005 – IBGE.
  4. 4. A violência urbana é a violência que ocorre nos centros urbanos, como nas cidades São Paulo e Rio de Janeiro. Ela envolve toda a ação que atinge as leis, a ordem pública e as pessoas. Essa violência pode ser gerada por inúmeras causas como: crise familiar, desemprego, confronto entre gangs, falta e influência política, machismo, falta de limites de pais para adolescentes, reprovação escolar, tráfico, discriminação em geral e outros. Porém, a mais importante das causas é a má distribuição de renda.
  5. 5. Porém, a mais importante das causas é a má distribuição de renda. A violência urbana engloba vários tipos de violência como a violência doméstica, dentro de escolas, dentro de empresas, contra idosos e crianças.
  6. 6. Dentro de todos os assuntos vistos, nos aprofundaremos nos assuntos:
  7. 7. Estupro é a prática forçada de uma relação sexual entre um homem e uma mulher, imposta por meio de violência, graves ameaças para a vítima ou até mesmo imposta contra pessoas que não permitem ou não concordam com a prática do sexo. No Brasil, com a nova Lei 12.015/2009, o artigo 213 foi alterado. A expressão usada “mulher” foi alterada para a expressão “alguém”, com isso, o homem também pode ser vítima de estupro tanto quanto a mulher.
  8. 8. O assassinato é o ato de matar outro ser humano, com malícia. Muitas vezes por se envolver como tráfico e acabam sendo mortos pelos chefes do tráfico. E também por sem motivo algum. Um psicopata que sequestra alguém e acaba matando. Um caso que chocou o Brasil inteiro foi o do menino João Hélio. A mãe, Rosa Vieites, seu filho João Hélio, sua filha Aline e mais uma amiga, estavam voltando de um centro espírita. Quando viraram a esquina, foram abordados. Rosa e as meninas que estavam também dentro do carro, desocuparam o veículo, como os assaltantes mandaram. A mãe foi tentar soltar o cinto de segurança de seu filho, infelizmente não conseguiu e o trágico desfecho é de conhecimento de todos: o menino João Hélio foi arrastado 7 km e seu corpo foi todo machucado, incluindo a cabeça que ficou dilacerada.
  9. 9. O crime organizado é uma junção de parte dos crimes que conhecemos (assaltos, assassinatos entre outros). Em cada país as facções do crime organizado costuma receber um nome próprio. A versão brasileira mais próxima disso são os Comandos, facções criminosas sustentadas pelo tráfico de drogas, sequestros e comércio de automóveis roubados seja através de esquema de exportação/importação ou comércio de suas peças em lojas de sucata socialmente reconhecidas e valorizadas. Uma parte do dinheiro é usada para a manutenção do crime exercido pela gangue, pagamento de propina, e a outra parte é usada para investir em negócios legais: hotéis, fazendas, mercado especulativo, etc. Esse processo de transformação de dinheiro conseguido em atitudes ilegais em dinheiro legal, usado em negócios legais é chamado de “Lavagem de dinheiro”.
  10. 10. Uma organização é respeitada e temida pelo armamento de fogo maior ou por mais crimes bem sucedidos ou pelo nível de violência. Outra característica desse fenômeno social é que esses grupos, sempre enfrentarão, além do combate das forças policiais de sua região de atuação, a oposição de outras facções ilegais. Logo se pode dizer que as armas e os assassinatos são o sustentáculo do crime organizado.
  11. 11. Muitos jovens que residem em bairros periféricos não têm estudo, nem qualificação e nem perspectiva, encontram no tráfico o único meio de retirar o sustento da familia, e isso tem ocorrido constantemente nos grandes centros urbanos de todo país. Os Comandos são formados por quadrilhas que obtem o controle das rotas de tráfico de uma determinada região. Sua principal atividade é o tráfico de drogas. As Milícias são formados por policiais e ex-policiais civis e militares, bombeiros, vigilantes, agentes penitenciários e outros. Este fenômeno surgiu no Rio de Janeiro, onde atualmente existem 92 favelas, das quais cerca de 18% das favelas se encontram dominadas por milícias urbanas ilegais, coordenadas por agentes de segurança pública, políticos e líderes comunitários
  12. 12. Nos grandes centros urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro, há um grande índice de sequestros. Existem vários meios de sequestros, como o pela internet que a pessoa marca encontro pela internet e quando eles se encontram, a pessoa é seqüestrada, que é mais conhecido como sequestro virtual. O sequestro relâmpago que não é programado pode acontecer a qualquer momento, e é um sequestro rápido, que o sequestrador em troca, pede uma quantia de dinheiro e logo depois a pessoa é liberta. Também existe o sequestro que é planejado. O sequestrador já tem um plano para sequestrar a pessoa, pode durar durante, dias ou até meses. Muitas vezes a pessoa consegue se libertar e em alguns casos acaba até sendo mortas.
  13. 13. Nas grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, os assaltos são sucessivos. A maioria dos assaltos são feitos por pessoas com menos condições financeiras, normalmente usam armas de fogo, facas, barras de aço, entre outros objetos perigosos. Em São Paulo, os assaltos a residências têm aumentado. Na Porto Seguro, companhia seguradora brasileira, os documentos residenciais cresceram em 30% no ano passado em relação a 2004. Na letra da música "Casa do Coreano", é narrado um grande assalto feito por uma gang. É um funk proibido feito pelo Mc Kauan, ele fez essa música em um dos morros do Rio de Janeiro.
  14. 14. Em um trcho da música ele narra à chegada dele na casa do coreano, a dificuldade que eles tiveram para entrar na cara: "Que tem circuito interno e bem distante da favela. Pra dificultar entrada em cima tem cerca elétrica. Mais nois   bão se intimida trabalha com muita calma a família é quatro equipe
  15. 15. Segundo o Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro, quinze títulos sofreram redução no mês de setembro de 2009 em relação ao mesmo período do ano anterior. Os títulos que sofreram a redução foram: roubo na rua (roubo a transeunte, roubo de aparelho celular, roubo coletivo), latrocínios, homicídio doloso e roubo de veículos. Os delitos que apresentaram aumento quando comparados ao mesmo período do ano anterior foram: rouba a residência, estupro, auto de resistência e rouba a estabelecimento comercial. Na cidade de São Paulo, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública, em 2009, a taxa de homicídio doloso por 100 mil habitantes no ano foi de 11,23. No ano anterior, essa taxa era mais alta (11,54).
  16. 16. A violência nos centros urbanos, está crescendo cada vez mais, isso faz com que várias pessoas que não têm a ver com a violência sejam vítimas de assalto a mão armada, tráficos de drogas. Pior é quando os policiais recebem dos bandidos para ficar em silêncio; ou não fazem nada para melhorar a violência. Para melhorar essa situação seria fazer com que os policiais trabalhassem direito, protegendo a população e prendendo os bandidos e soltando os inocentes. Mesmo com campanhas contra as drogas e policiamento, não é o suficiente para que a diminuição da violência diminua em grandes cidades.

×