Trabalho2.joao.mendes

67 visualizações

Publicada em

Trabalho de pós graduação na área de educação Matemática.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
67
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho2.joao.mendes

  1. 1. A corrente pedagógica contemporânea do CONHECIMENTO EM REDE no contexto da cibercultura
  2. 2. O CONHECIMENTO EM REDE “A ideia básica da corrente do Conhecimento em rede é de que os conhecimentos disciplinares, assentados na visão moderna de razão, devem ceder lugar aos conhecimentos tecidos em redes relacionados à ação cotidiana. O conhecimento se constrói socialmente, não no sentido de assimilação da cultura anteriormente acumulada, mas no sentido de que ele emerge nas ações cotidianas, rompendo-se com a separação entre conhecimento cientifico e conhecimento cotidiano. Há uma vinculação do conhecimento com a prática social, que se caracteriza pela multiplicidade e complexidade de relações em meio das quais se criam e se trocam conhecimentos, tecendo redes de conhecimentos entre os sujeitos em interação. O conhecimento surge, portanto, das redes de relações em que as pessoas compartilham significados. Com isso, são eliminadas as fronteiras entre ciência e senso comum, entre conhecimento válido e conhecimento cotidiano. A escola é “um espaço/tempo de relações múltiplas entre múltiplos sujeitos com saberes múltiplos, que aprendem/ensinam o tempo todo, múltiplos conteúdos de múltiplas maneiras (Alves, 2001).” Trecho retirado do texto AS TEORIAS PEDAGÓGICAS MODERNAS RESIGINIFICADAS PELO DEBATE CONTEMPORÂNEO NA EDUCAÇÃO, de José Carlos Libâneo.
  3. 3. É fato que a metodologia adotada em praticamente todas as escolas no Brasil são arcaicas. Isso porque reproduzimos um modelo que existe há muitos anos e que “funciona bem”. Porém vivenciamos uma mudança drástica da posição do sujeito no mundo. Com o avanço das tecnologias, em especial das redes sociais, o sujeito deixa de ser um mero consumidor de informações para ser também parte das informações. Quando um aluno que tem um papel de parte e todo de um processo – a internet – se vê obrigado a fazer um papel de apenas parte de um processo – o ensino convencional –, ele se sente deslocado e angustiado, gerando desinteresse. Para que possamos corrigir esse anacronismo existente entre a realidade tecnológica dos alunos e as metodologias convencionais é preciso empenho de todos: escolas, professores e alunos. Não acho que devemos abandonar por completo a metodologia convencional que temos nas escolas. Acho que devemos aliá-la a ideia do Conhecimento em rede, gerando uma metodologia mais dinâmica e interessante para todos, principalmente para os alunos.
  4. 4. É possível aliar ensino e tecnologia propondo atividades mais centradas nos alunos, onde os mesmos passam de meros receptores e reprodutores, para pesquisadores e críticos. Utilizar chats para discutir determinado assunto abre espaço para que os alunos compartilhem seu ponto de vista, bem como contribuam com a inserção de materiais, como sites, vídeos, textos, softwares etc. Propor atividades cujos resultados sejam expostos no formato de vídeos, webquests , blogs ou mesmo jogos, além de sincronizar conhecimento e tecnologia, ainda aguça a criatividade dos alunos.
  5. 5. O Conhecimento em rede pode ser abordado nas escolas como recurso de introdução a um determinado assunto. Por exemplo: um professor quer trabalhar o conceito de sólidos geométricos. Ele pode começar discutindo com os alunos o que eles sabem ou acham que são sólidos geométricos. Com a discussão são elaboradas questões que permeiam o entendimento do assunto, como: tipo, características, utilização no dia a dia, etc. Após pesquisar, grupos de alunos respondem as questões gerando webquests. O professor reúne então todos os alunos e apresenta os webquests, discutindo e formalizando as respostas para alcançar o objetivo final.
  6. 6. “Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do voo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados têm sempre um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o voo. Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são os pássaros em voo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o voo, isso elas não podem fazer, porque o voo já nasce dentro dos pássaros. O voo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.” Rubem Alves
  7. 7. Trabalho para o curso Novas Metodologias no Ensino de Matemática Bibliografia: AS TEORIAS PEDAGÓGICAS MODERNAS RESIGINIFICADAS PELO DEBATE CONTEMPORÂNEO NA EDUCAÇÃO, de José Carlos Libâneo. Imagens retiradas do Google Imagens

×