Trabalho elaborado por:
 Iva Leão. Nº9. 8ºG.
Professor(a):
 Patrícia Azinhaga.
• O que é a Rio +
20?.................................diapositivo 3/4;
• Objetivos e
temas……………………………...diapositivo 5/6;
•...
oQue É aRio +20?
Em junho, o Brasil sediará a Rio+20, conferência da ONU que
reunirá líderes de todo o mundo para discutir...
O evento rendeu a criação de vários documentos importantes - como a Agenda 21, a Carta da Terra e as
Convenções do Clima e...
OBJETIVOS E TEMAS
“O objetivo da Conferência é assegurar um
comprometimento político renovado com o
desenvolvimento susten...
Vinte anos depois, a Rio+20 reunirá os líderes de todo o mundo para fazer um balanço do que foi feito nas
últimas duas déc...
Exemplos do que é bom e do que não é bom para o
nosso planeta:
Um dos temas abordados por esta conferência, a economia
verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação
...
Não podemos controlar as catástrofes naturais, mas podemos evitar as catástrofes provocadas
pela nossa intervenção e, port...
Conclusão
Com este trabalho posso concluir que esta Conferência ( Rio + 20) suprirá algumas lacunas
criadas com o crescime...
• http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimen
to/esperar-rio-20-618719.shtml;
• http://www.rio20.info/201...
Rio + 20  trabalho para c.n. - iva leão, 8ºg, nº9.
Rio + 20  trabalho para c.n. - iva leão, 8ºg, nº9.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rio + 20 trabalho para c.n. - iva leão, 8ºg, nº9.

236 visualizações

Publicada em

Esta Conferência ( Rio + 20) suprirá algumas lacunas criadas com o crescimento desenfreado dos países afim de reafirmar o compromisso político dos Estados com a temática de desenvolvimento sustentável.
Nesta conferência serão debatidos a contribuição da “economia verde” para o desenvolvimento sustentável e a erradicação da pobreza, com foco na questão da estrutura de governança internacional nesse desenvolvimento, uma vez que sabemos que os recursos do planeta estão cada vez mais esgotados. Se nenhuma atitude for tomada a curto prazo e limites forem implantados a médio e longo prazo, poderá ocorrer um colapso natural.
Em tempos de extremos eventos climáticos, a Rio+20 tenta encontrar soluções para questões já conhecidas. Aliar o crescimento económico mundial com o meio ambiente, empregar práticas sustentáveis em países que enfrentam crises económicas e sociais, focando sempre no crescimento económico sustentável e justo.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
236
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Folhinha to peaces mo hera betas for vou
  • Rio + 20 trabalho para c.n. - iva leão, 8ºg, nº9.

    1. 1. Trabalho elaborado por:  Iva Leão. Nº9. 8ºG. Professor(a):  Patrícia Azinhaga.
    2. 2. • O que é a Rio + 20?.................................diapositivo 3/4; • Objetivos e temas……………………………...diapositivo 5/6; • Exemplos do que é bom e do que não é bom para o nosso planeta.............................................diapositivo 7; • Economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza…………………………………………...dia positivo 9/10/11;
    3. 3. oQue É aRio +20? Em junho, o Brasil sediará a Rio+20, conferência da ONU que reunirá líderes de todo o mundo para discutir meios de transformar o planeta num lugar melhor para se viver. O evento será realizado no Rio de Janeiro, 20 anos depois da Eco92. Em 2012, o Brasil será sede de uma importante conferência da ONU - Organização das Nações Unidas: a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, apelidada de Rio+20. Mas o que acontecerá durante esse evento? O que representa para o nosso futuro? Em junho, líderes dos 193 Estados que fazem parte da ONU, além de representantes de vários setores da Organização, reuniar-se-ão para discutir como podemos transformar o planeta num lugar melhor para viver, inclusive para as futuras gerações. A ideia da realização desta Conferência no Brasil foi do ex- presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, em 2007, fez a proposta para a ONU. E porque é que o evento recebeu o nome de Rio+20? Porque a reunião acontecerá no Rio de Janeiro, exatamente 20 anos depois de outra conferência internacional que tinha objetivos muito semelhantes: a Eco92, também promovida pela ONU, na capital fluminense, para debater meios possíveis de desenvolvimento sem desrespeitar o meio ambiente. Fig.2 -ECO 92, no Rio de Janeiro, no ano de 1992. Fig.1 – Ex-presidente do Brasil, Luiz Lula da Silva.
    4. 4. O evento rendeu a criação de vários documentos importantes - como a Agenda 21, a Carta da Terra e as Convenções do Clima e da Diversidade Biológica -, além de ter consagrado uma menina canadiana, de apenas 12 anos, Severn Suzuki, fundadora do movimento Eco - Organização Ambiental das Crianças, que ficou marcada na história da Eco92 ao juntar dinheiro, juntamente com três amigos - Michelle Quigg, Vanessa Suttie e Morgan Geisler - para viajar para o Brasil e falar para os mais importantes líderes do planeta, na época. Num discurso emocionante, a menina pediu aos adultos mais respeito pelo mundo que eles deixariam para ela e para as futuras gerações. (Clique no vídeo abaixo apresentado para ver o discurso de Suzuki).
    5. 5. OBJETIVOS E TEMAS “O objetivo da Conferência é assegurar um comprometimento político renovado com o desenvolvimento sustentável, avaliar o progresso feito até o momento e as lacunas que ainda existem na implementação dos resultados dos principais encontros sobre desenvolvimento sustentável, além de abordar os novos desafios emergentes. Os dois temas em foco na Conferência serão: a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza, e o quadro institucional para o desenvolvimento sustentável.” Segundo o site oficial do Rio + 20: http://www.rio20.info/2012/
    6. 6. Vinte anos depois, a Rio+20 reunirá os líderes de todo o mundo para fazer um balanço do que foi feito nas últimas duas décadas e discutir novas maneiras de recuperar os estragos que já fizemos no planeta, sem deixar de progredir. Mas pensar em alternativas para diminuir o impacto da humanidade na Terra não é responsabilidade, apenas, dos governantes: é nossa também. Afinal, todas as atitudes que tomamos no dia a dia - do tempo que demoramos para escovar os dentes ao meio de transporte que escolhemos para ir à escola - afetam, de alguma maneira, o planeta e, por consequência, a nossa vida. Por isso, no mesmo período da reunião oficial da Rio+20, o Rio de Janeiro sediará, também, a Cúpula dos Povos: um evento que contará com debates, palestras e uma porção de outras atividades, sobre os mesmos temas da Conferência da ONU, mas que serão promovidos por grupos da sociedade civil - como ONGs e empresas. A ideia é que todos os setores da sociedade discutam, ao mesmo tempo, maneiras de transformar o planeta num lugar melhor para vivermos. Afinal, a união faz a força, e até mesmo quem estiver de fora dessas duas reuniões pode ajudar, pensando em maneiras de diminuir o seu impacto na Terra, como tomar banhos mais curtos ou desligar a TV, enquanto se usa o computador e vice-versa. Temos de pensar em atitudes que possamos adotar para melhorar o planeta em que vivemos e compartilhar com os nossos amigos, pais e professores. Podemos incentivar muitas outras pessoas a fazer o mesmo. Fig.3 – Imagens do site oficial do Rio + 20: http://www.rio20.info/2012/
    7. 7. Exemplos do que é bom e do que não é bom para o nosso planeta:
    8. 8. Um dos temas abordados por esta conferência, a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza, tem a ver com a redução da libertação de gases perigosos para a atmosfera, com a camada de ozono que nos protege dos raios UV, com as pessoas mais carenciadas, dos países subdesenvolvidos, que não têm boas condições no meio em que vivem. Usando o dinheiro que se gasta desnecessariamente nas guerras e em armas de guerra, e com a contribuição de todos nós através de pequenos gestos, como poupar os recursos naturais (água, energia elétrica, etc.) pode-se comprar alimentos, produtos higiénicos, vestuário, objetos escolares, produtos de lazer (computadores, telemóveis, etc.), que todos nós temos o direito de ter e, no mínimo, experimentar. Todas essas pessoas mais carenciadas também têm os mesmos direitos que nós. Gostariam de experimentar coisas que nós temos oportunidade de ver todos os dias e que já estamos até habituados a elas, mas que elas podem até nunca ter visto na vida. Temos todos de ser solidários e contribuir para a felicidade destas pessoas, oferecendo coisas que temos e já não precisamos/usamos muito. Enquanto a maioria de nós come quando nos apetece e, se não nos apetece mais comida, deitamos fora (como acontece nos refeitórios escolares), há pessoas que passam fome, morrem à fome, com escassa ou até nenhuma comida, e este é uma facto assustador. Em relação ao futuro improvável do nosso planeta, devíamos reduzir a emissão de gases perigosos para a atmosfera utilizando filtros nas fábricas, catalisadores nos motores dos carros, andar mais a pé do que com carro, etc. Cabe a todos os cidadãos do mundo assumirem as suas responsabilidades individuais, diminuindo a sua pegada ecológica. Os cidadãos também devem estar atentos às ações dos seus governos, das emprensas e dos serviços, contribuindo ativamente para a concretização do desenvolvimento sustentável. Fig.4 – Esquema representativo da camada de ozono. Fig.5 – Catalisador para carro.
    9. 9. Não podemos controlar as catástrofes naturais, mas podemos evitar as catástrofes provocadas pela nossa intervenção e, portanto, temos de agir, temos de parar de contribuir para o acontecimento das mesmas. Certas intervenções do ser humano nos ecossistemas causam catástrofes tecnológicas – acontecimentos provocados pelo ser humano com consequências drásticas para os ecossistemas e para as populações humanas. São catástrofes tecnológicas as explosões, a poluição do ar, da água e dos solos, a introdução de espécies invasoras e a desflorestação. Estas perturbações dos ecossistemas provocadas pelo ser humano têm como consequências a destruição dos habitats, a extinção de espécies e graves prejuízos para a Humanidade. Não sabemos como será o futuro, portanto temos de prevenir antes que seja tarde de mais. Temos de ir pelo bom caminho, todos nós, e juntos podemos acabar com estes prejuízos. Porque só assim podemos esperar um bom futuro, não nos poderemos preocupar e estaremos apenas a fazer o bem, a contribuir para um sítio bom e melhor para as gerações futuras. Fig.6 – Exemplo de catástrofe natural. Fig.7 – Exemplo de catástrofe tecnológica.
    10. 10. Conclusão Com este trabalho posso concluir que esta Conferência ( Rio + 20) suprirá algumas lacunas criadas com o crescimento desenfreado dos países afim de reafirmar o compromisso político dos Estados com a temática de desenvolvimento sustentável. Nesta conferência serão debatidos a contribuição da “economia verde” para o desenvolvimento sustentável e a erradicação da pobreza, com foco na questão da estrutura de governança internacional nesse desenvolvimento, uma vez que sabemos que os recursos do planeta estão cada vez mais esgotados. Se nenhuma atitude for tomada a curto prazo e limites forem implantados a médio e longo prazo, poderá ocorrer um colapso natural. Em tempos de extremos eventos climáticos, a Rio+20 tenta encontrar soluções para questões já conhecidas. Aliar o crescimento económico mundial com o meio ambiente, empregar práticas sustentáveis em países que enfrentam crises económicas e sociais, focando sempre no crescimento económico sustentável e justo. Depois deste trabalho pude ver que a Rio+20 é bastante importante para melhorar a situação do mundo. É preciso tomar atitudes para que espécies da fauna não desapareçam completamente, para que os oceanos não expulsem as pessoas das suas terras, para que a flora não seja exterminada e para que possamos ter uma vida melhor aproveitando o que a natureza nos proporciona.
    11. 11. • http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimen to/esperar-rio-20-618719.shtml; • http://www.rio20.info/2012/; • http://www.youtube.com; • http://www.google.com; • MOTTA Lucinda; VIANA Maria dos Anjos – BIOTERRA Sustentabilidade na Terra 8, Porto: Porto Editora, 2008.

    ×