Lição 13 – a mensagem de malaquias

958 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
958
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 13 – a mensagem de malaquias

  1. 1. Lição 13 – A mensagem de Malaquias “Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não serve.” Ml. 3.18 “Deus é o Senhor de Tudo o que temos”
  2. 2. Terminaremos este trimestre estudando o profeta Malaquias (Mensageiro de Jeová). Sua mensagem é de teor contundente, profundo e vai até a base das questões que regiam a vida de Israel naqueles dias.
  3. 3. Malaquias: era um Judeu devoto da Judá pós-exílica e contemporâneo de Neemias. Malaquias era provavelmente um profeta sacerdotal. Malaquias era firme, convicto e rigoroso no que se relacionava a idolatria, adoração hipócrita, dízimos e ofertas, divórcio e fidelidade.
  4. 4. I – Repreensão aos Sacerdotes: 1 – Contexto: a) Os Judeus estavam novamente frios e relaxados moralmente b) Os sacerdotes eram os principais culpados pelo estado espiritual do povo. c) Para os que lideram a obra do Senhor a responsabilidade é em dobro.
  5. 5. 2 – Desprezo por Deus: a) O povo oferecia a Deus o pior: “pão imundo” e animais defeituosos. Ml 1.7 b) O povo judeu tinha invertido os valores. c) A obra de Deus não era a prioridade dos Judeus.
  6. 6. 3 – Cansados do Altar: a) Deus bradou contra a canseira (preguiça) de alguns sacerdotes. Ml.1.13 b) Para eles o culto a Deus era uma coisa enfadonha. c) O culto só é um fardo quando ele é uma mera encenação. d) O culto a Deus deve ser sempre um ambiente de celebração e adoração. Independente e Absoluto
  7. 7. II – A QUESTÃO DOS DÍZIMOS: 1 – Contexto: a) Assim como o ato de sacrifícios o ato de devolver o dízimo estava adulterado em Israel. b) O ato de devolver o dízimo indica uma verdadeira conversão ao Senhor. c) Tudo o que temos e tudo o que somos deve ser para adorar a Deus e servir ao próximo.
  8. 8. 2 – Por que entregar o dízimo: a) Esse ato é uma prática cristã que agrada a Deus. Ml 3.10b “Ponham-me a prova e eu abrirei as janelas do céu e derramarei uma benção tão grande que não terão lugar onde guardá-la” b) É de grande utilidade na evangelização e na manutenção do trabalho do Senhor. c) Se fecharmos as mãos para a obra que Deus ergueu, como ela prosseguirá nos abençoando ?.
  9. 9. 3 – Promessa de Benção: a) Deus assegura que derramará “bênçãos sem medidas” aos fiéis no dízimo. b) O dízimo provem de uma medida (10%), porem a recompensa do senhor para os fiéis não será medida (benção sem medidas). c) É uma promessa-desafio, Deus diz: “ponha-me à prova”.
  10. 10. III – A DIFERENÇA QUE DEUS FAZ: 1 - A Murmuração: a) O pecado da murmuração dominou Israel desde o deserto. b) Agora o povo murmurava contra a fidelidade do Senhor. Ml 3.15 c) Para Deus a vida do homem nunca será medida pela quantidade de bens que ele possui.
  11. 11. 2 – A diferença que Deus faz: a) A verdadeira diferença é Deus quem deve fazer entre nós e o mundo. b) Deus considera os fiéis como um tesouro particular. c) A diferença entre o justo e o ímpio se mostrará ainda nesta vida. d) Deus quer a nossa fidelidade aqui na terra para que na eternidade ele confirme a nossa escolha.

×