A origem da humanidade

750 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
750
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A origem da humanidade

  1. 1. A ORIGEM DA HUMANIDADE CRIACIONISMO
  2. 2. Aceitar o criacionismo é questão de Fé Também conhecida como Teoria do Caos, Teoria do Intervalo ou Teoria da Ruína-Restauração, representa uma aproximação entre criacionismo bíblico, cosmologia e biologia moderna. TEORIA DA LACUNA Essa teoria foi defendida em 1876 por C. H. Pember em sua obra ”As Idades Mais Remotas da Terra e a Conexão delas com o Espiritualismo Moderno e a Teosofia”
  3. 3. De acordo com a Teoria da Lacuna, o relato em Gênesis 1:1 e 2 de que a terra estava “sem forma e vazia” indica que existiu um pré-mundo que fora destruído, provavelmente, com a colisão de Lúcifer com a Terra quando o mesmo foi expulso do paraíso e esse seria o período do pré-mundo. Isaías 45.18 declara: “Porque assim diz o SENHOR que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia [no hebraico, tohu], mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o SENHOR e não há outro.” Este versículo, segundo a teoria da lacuna, comprova que Gênesis 1.2 não pode estar descrevendo a criação original de Deus como vazia e sem forma (tohu), mas que era uma ordem perfeita, que continha uniformidade, complexidade e vida.
  4. 4. Esta teoria propõe que Satanás, que era arcanjo antes da sua queda, governava essa Terra pré-adâmica, um reino originalmente perfeito. Então ele, juntamente com o reino pré-adâmico e a Terra (o seu domínio) foi amaldiçoada e destruído. Gn 1. v 2 indica que “a terra era sem forma e vazia”: além de dar a interpretação de que já existiu antes uma terra perfeita o mesmo texto alude a um cenário arruinado e devastado como resultado de uma catástrofe.
  5. 5. Essa Teoria afirma que a declaração de Jesus em Mateus 13.35 – “desde a criação do mundo” – significaria “desde a derrocada do mundo”. (Desabamento do alto e com grande estrondo, Queda; ruína).
  6. 6. A teoria da Lacuna também afirmam ainda que o dilúvio citado em 2 PEDRO 3. 6-7 não é o de Noé – o contexto é: “pela água do dilúvio o mundo antigo foi destruído” – esse seria um primeiro dilúvio, que destruiu o mundo pré-adâmico.
  7. 7. Alguns teólogos reconhecem que a Bíblia não declara o tempo que a Terra permaneceu nesse estado caótico (lacuna) entre Gênesis 1,1 e 1.2. H. Thiessen diz: “O primeiro ato criador ocorreu no passado sem data, e entre ela e a obra dos seis dias há espaços bastante para todas as eras geológicas”. Os adeptos da teoria da lacuna declaram, que Deus finalmente reiniciou o processo criador na neo-criação – ou reconstrução – descrita em Gênesis 1.3-31. Alegam ainda que a expressão “Deus criou” leva em conta uma nova criação, uma nova moldagem do Universo, que não precisa estar restrita a um primeiro evento. Alguns desses teóricos entendem que os “dias” da criação duraram 24horas. Outros, que os “dias” de Gênesis 1 são períodos indefinidamente longos.
  8. 8. Em Gênesis 1. 28 diz: – “Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra” – a palavra “enchei”, para eles, pode significar “encher de novo” uma Terra que já fora cheia em tempos anteriores. Alguns defendem que Deus emprega a mesma palavra quando diz para Noé “encher” a Terra, em Gênesis 9.1 Além disso, crêem que a aliança em Gênesis 9.13-15 (onde Deus promete: “As águas não se tornarão mais em dilúvio, para destruir toda carne”) pode sugerir que Deus tenha empregado essa forma de julgamento em mais de uma ocasião, anteriormente.
  9. 9. Fósseis humanos antigos encontrados juntamente como fósseis de dinossauros são considerados evidências desse mundo pré-adâmico. G. H. Pember declara: “Posto, portanto, que os remanescentes dos fósseis são de criaturas anteriores a Adão, mas mostram sinais evidentes da doença, da morte e da mútua destruição, devem ter pertencido a outro mundo e possuído uma historia própria, manchada pelo pecado, história esta que culminou na ruína deles mesmos e de sua habitação”. A Bíblia Scofield explica: “É só relegar os fósseis à criação primitiva, e não sobra nenhum conflito entre a ciência e a criação do Gênesis”
  10. 10. Muitos teólogos não apoiam essa tese pois dizem que a teoria da lacuna tenta harmonizar a Bíblia com a evolução. Eles alegam que essa interpretação do texto bíblico é uma resposta temerosa á ciência.

×