9/30/2011 A formação continuada do professor de linguagem voltada para as inovações tecnológicas SECRETARIA MUNICIPAL DE E...
9/30/2011 Formação continuada... O que é formação continuada? Qual a importância da formação continuada para professores? ...
De acordo com Garcia, 1995 define a formação contínua como sendo o conjunto de atividades desenvolvidas pelos professores ...
Para Libâneo (2004), a formação continuada pode possibilitar a reflexividade e a mudança nas práticas docentes, ajudando o...
9/30/2011 Segundo o estudioso Philippe Perrenoud, a formação profissional contínua se organiza em determinadas áreas prior...
9/30/2011 <ul><ul><li>1. Organizar e animar situações de aprendizagem; </li></ul></ul><ul><ul><li>2. Gerir a progressão da...
9/30/2011 E agora onde entra as inovações tecnológicas na formação do professor? Paulo Freire “ Há necessidade de sermos h...
9/30/2011 O uso da tecnologia digital para ler, escrever e divulgar informações transformou radicalmente a natureza da com...
9/30/2011 Para quem? Qual é o objetivo? A carga horária proposta é suficiente? Como acontece essa formação? O que se esper...
<ul><ul><li>Linguagem e Tecnologia é??? </li></ul></ul><ul><ul><li>Para professores da Rede Pública de Ensino. </li></ul><...
Mas as outras áreas do conhecimento não são contempladas nessa formação? “ A Linguagem, pela sua natureza, é transdiscipli...
<ul><ul><li>Promover reflexões inerentes ao processo de ensino/aprendizagem, envolvendo práticas diversificadas para a con...
<ul><ul><li>Proporcionar discussões e reflexões sobre a questão da alfabetização e letramento digital, fator significante ...
<ul><ul><li>Discutir práticas de leitura e escrita com o surgimento das mídias digitais, focalizando a existência de novos...
<ul><ul><li>Proporcionar uma discussão significativa quanto a questão dos internetês e como o professor está abordando ess...
“ Sabemos também que mais importante do que formar é formar-se; que todo o conhecimento é autoconhecimento e que toda a fo...
Referências Bibliográficas <ul><li>NÓVOA, Antônio.  Professor, se forma na escola . Rio de Janeiro, maio de 2001. </li></u...
Créditos: <ul><li>Professora: Joana Rodrigues Moreira Leite </li></ul><ul><li>e-mail: joanarml@gmail.com </li></ul><ul><li...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A formacao continuada_do_professor_de_linguagem

1.846 visualizações

Publicada em

Slide sobre a Apresentação da temática "A formação continuada do professor de linguagem voltada para as inovações tecnológicas" no IX Colóquio Nacional de Estudos Linguísticos e Literários e II Colóquio Regional de Linguística Aplicada na UNEMAT

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.846
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
596
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A formacao continuada_do_professor_de_linguagem

  1. 1. 9/30/2011 A formação continuada do professor de linguagem voltada para as inovações tecnológicas SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE PROGRAMAS E PROJETOS NÚCLEO TECNOLÓGICO MUNICIPAL MARIA TEREZA DA SILVEIRA GAVA Professora: Joana Rodrigues Moreira Leite
  2. 2. 9/30/2011 Formação continuada... O que é formação continuada? Qual a importância da formação continuada para professores? Quais as competências para o professor de hoje?
  3. 3. De acordo com Garcia, 1995 define a formação contínua como sendo o conjunto de atividades desenvolvidas pelos professores em exercício com objetivo formativo, realizadas individualmente ou em grupo, visando tanto ao desenvolvimento pessoal como ao profissional, na direção de prepará-los para a realização de suas atuais tarefas ou outras novas que se coloquem. 9/30/2011
  4. 4. Para Libâneo (2004), a formação continuada pode possibilitar a reflexividade e a mudança nas práticas docentes, ajudando os professores a tomarem consciência das suas dificuldades, compreendendo-as e elaborando formas de enfrentá-las. De fato, não basta saber sobre as dificuldades da profissão, é preciso refletir sobre elas e buscar soluções, de preferência, mediante ações coletivas. 9/30/2011
  5. 5. 9/30/2011 Segundo o estudioso Philippe Perrenoud, a formação profissional contínua se organiza em determinadas áreas prioritárias. Dentre elas estão as competências básicas que cabem ao educador. Perrenoud defende que há dez grandes áreas de competências:
  6. 6. 9/30/2011 <ul><ul><li>1. Organizar e animar situações de aprendizagem; </li></ul></ul><ul><ul><li>2. Gerir a progressão das aprendizagens • Conceber e gerir situações-problema ajustadas aos níveis e possibilidades dos alunos; </li></ul></ul><ul><ul><li>3. Conceber e fazer evoluir dispositivos de diferenciação • Gerir a heterogeneidade dentro de uma classe; </li></ul></ul><ul><ul><li>4. Implicar os alunos em sua aprendizagem e em seu trabalho • Suscitar o desejo de aprender, explicitar a relação com os conhecimentos, o sentido do trabalho escolar e desenvolver a capacidade de auto-avaliação na criança; </li></ul></ul><ul><ul><li>5. Trabalhar em equipe • Elaborar um projeto de equipe, representações comuns; </li></ul></ul><ul><ul><li>6. Participar da gestão da escola • Elaborar, negociar um projeto da escola; </li></ul></ul><ul><ul><li>7. Informar e implicar os pais • Animar reuniões de informação e de debate; </li></ul></ul><ul><ul><li>8. Utilizar tecnologias novas; </li></ul></ul><ul><ul><li>9. Enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão; </li></ul></ul><ul><ul><li>10. Gerir sua própria formação contínua. </li></ul></ul>
  7. 7. 9/30/2011 E agora onde entra as inovações tecnológicas na formação do professor? Paulo Freire “ Há necessidade de sermos homens e mulheres de nosso tempo e empregarmos todos os recursos disponíveis para dar o grande salto que nossa educação está a exigir. ”
  8. 8. 9/30/2011 O uso da tecnologia digital para ler, escrever e divulgar informações transformou radicalmente a natureza da comunicação escrita e o letramento convencional, introduzindo novos gêneros textuais, práticas discursivas e estabelecendo um novo paradigma nas ciências da linguagem. (MARCUSCHI, 2002,p.21).
  9. 9. 9/30/2011 Para quem? Qual é o objetivo? A carga horária proposta é suficiente? Como acontece essa formação? O que se espera depois do término de LTD?
  10. 10. <ul><ul><li>Linguagem e Tecnologia é??? </li></ul></ul><ul><ul><li>Para professores da Rede Pública de Ensino. </li></ul></ul><ul><ul><li>Objetiva??? </li></ul></ul><ul><ul><li>Aliar as inovações tecnológicas ao processo de ensino/aprendizagem na área de Linguagem para atender a realidade atual. </li></ul></ul><ul><ul><li>Carga horária??? </li></ul></ul><ul><ul><li>80 horas que permite reflexões relevantes sobre as mudanças que a área de Linguagem perpassa. </li></ul></ul><ul><ul><li>Como acontece a formação??? </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudos à distância na plataforma e-ProInfo encontros presenciais a cada quinze dias com dois grupos de estudos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Espera-se??? </li></ul></ul><ul><ul><li>Que profissionais dêem continuidade às reflexões sobre as mudanças que acontecem na área de Linguagem para provocar mudanças na prática pedagógica no sentido de atender as atuais demandas sociais. </li></ul></ul>
  11. 11. Mas as outras áreas do conhecimento não são contempladas nessa formação? “ A Linguagem, pela sua natureza, é transdisciplinar, não menos quando é enfocada como objeto de estudo, e exige dos professores essa perspectiva em situação didática”. (PCN – Ensino Médio: Linguagens Códigos e suas Tecnologias, p.5)‏
  12. 12. <ul><ul><li>Promover reflexões inerentes ao processo de ensino/aprendizagem, envolvendo práticas diversificadas para a construção de conhecimento com uso de projetos pedagógicos como fator relevante para o envolvimento do educando nas atividades desenvolvidas pela escola. Nessa proposta, apresentamos ferramentas digitais que propõem uma aprendizagem colaborativa entre os participantes envolvidos no processo pedagógico, no sentido de repensar as atuais práticas na busca de novos saberes. </li></ul></ul>9/30/2011 Unidade I - Construindo um novo processo de ensino/aprendizagem pautado em práticas diversificadas
  13. 13. <ul><ul><li>Proporcionar discussões e reflexões sobre a questão da alfabetização e letramento digital, fator significante na sociedade atual. Diante disso, sugerimos o uso de ferramentas digitais para inclusão de nosso educando nessa nova era que a educação e a sociedade perpassa. </li></ul></ul>9/30/2011
  14. 14. <ul><ul><li>Discutir práticas de leitura e escrita com o surgimento das mídias digitais, focalizando a existência de novos gêneros textuais com a propagação da internet e, nessa perspectiva apresenta reflexões quanto ao papel do professor diante de seu aluno no que concerne a ética e a autoria no ciberespaço. Nesse aspecto, será trabalhado a possibilidade de integrar recursos digitais na prática pedagógica para contemplar o foco da proposta da atual unidade. </li></ul></ul>9/30/2011
  15. 15. <ul><ul><li>Proporcionar uma discussão significativa quanto a questão dos internetês e como o professor está abordando essa realidade em sala de aula. Apresenta como proposta, uma reflexão de todas as unidades anteriores para o fechamento das discussões, propondo uma socialização de projetos desenvolvidos no decorrer do curso, instigando o uso dos mapas conceituais como instrumento avaliativo para construção de conhecimento. </li></ul></ul>9/30/2011
  16. 16. “ Sabemos também que mais importante do que formar é formar-se; que todo o conhecimento é autoconhecimento e que toda a formação é autoformação”. (NÓVOA, 2001, p. 1)‏ Para refletir:
  17. 17. Referências Bibliográficas <ul><li>NÓVOA, Antônio. Professor, se forma na escola . Rio de Janeiro, maio de 2001. </li></ul><ul><li>Disponível em <http://novaescola.abril.com.br/ed/142_mai01/html/fala_mestre.htm> </li></ul><ul><li>Acesso em 29 set. 2003. </li></ul><ul><li>FREIRE, P. A Educação na cidade. 2ª ed. São Paulo, Cortez, 1995. </li></ul><ul><li>MARCUSCHI, Luiz Antônio; XAVIER, Antônio Carlos (orgs.). Hipertexto e gêneros digitais . Rio de Janeiro: Lucerna, 2004. </li></ul><ul><li>LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. ed. revista e ampliada. Goiânia: Editora Alternativa, 2004. </li></ul><ul><li>Marcelo Garcia, C. Formación del profesorado para el cambio educativo. Barcelona, EUB, 1995. </li></ul><ul><li>BRASIL, MEC (1999): Mídia tecnológica. Políticas do ensino médio: bases legais. Brasília. </li></ul><ul><li>_______. Códigos e Linguagens: diretrizes para o Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC,1996. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>_____. Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica. Brasília: MEC, 2004. </li></ul><ul><li>Sites:  </li></ul><ul><li>http://mundoeducacao.uol.com.br/educacao/a-importancia-formacao-continua.htm </li></ul><ul><li>http://www.slideshare.net/guest3c4a1/curriculo-e-tecnologia-na-formao-de-professores-presentation </li></ul><ul><li>http://meuartigo.brasilescola.com/pedagogia/o-professor-sua-identidade-profissional-formacao-continuada-.htm </li></ul>
  18. 18. Créditos: <ul><li>Professora: Joana Rodrigues Moreira Leite </li></ul><ul><li>e-mail: joanarml@gmail.com </li></ul><ul><li>            [email_address] </li></ul><ul><li>Blog:  http://linguagemtecdigital.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>Blog:  http://ntmsinop-mt.blogspot.com/ </li></ul>

×