1
D. João Manuel, Príncipe de Portugal   D. Joana de Áustria , Princesa de Portugal                                         ...
3
4
D. Catarina de Áustria                         Cardeal D. Henrique                                               5
6
7
8
D. Catarina de Bragança   D. António Prior do Crato   Filipe II de Espanha                                                ...
10
11
Batalha de Alcântara                       “… O Senhor D. António, vendo inclinar-se a                       vitória à par...
O estratagema do gadoNeste conflito se achava Frei Pedro, religioso de SantoAgostinho de Angra (também os frades nesta ilh...
Desembarque espanhol naIlha Terceira, na baia das Mós                                 14
15
O    governo    do     reino    (sejadesempenhado) sempre por naturaisdele e nunca por estrangeiros quenão conhecem os uso...
17
A Nobreza aspirava a cargos importantes nosterritórios pertencentes ao Império de Espanha.A Burguesia pretendia      comer...
19
Filipe I de Portugal                       20
"Fraco de espírito,                        totalmente                        desinteressado     dos                       ...
Cronologia – Ataques a territórios    portugueses no séc. XVII                                     Ataques de navios holan...
Partida da                Data                   29 de Julho de 1588Armada Invencível para Inglaterra                     ...
24
Revolta do Manuelinho                           Senhor, vosso                        Portugal de vossos                   ...
Filipe III de Portugal  (IV de Espanha,)                         “ Rompeu-se o                         pacto com a        ...
27
Reunião dos Conjurados de 1640 - Painel deazulejos no Palácio dos Condes de Almada                em Lisboa               ...
D. Antão de AlmadaPalácio dos Condes         deAlmada em Lisboa                         29
30
31
32
Liberdade!Viva El Rei D.   João IV                 33
34
E agora quechegámos ao fim    da nossa apresentação, sabes dizer-mepor que razão foi   feriado nopassado dia 1 de   Dezemb...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exposição 1º dezembro. - com som

398 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
398
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exposição 1º dezembro. - com som

  1. 1. 1
  2. 2. D. João Manuel, Príncipe de Portugal D. Joana de Áustria , Princesa de Portugal 2
  3. 3. 3
  4. 4. 4
  5. 5. D. Catarina de Áustria Cardeal D. Henrique 5
  6. 6. 6
  7. 7. 7
  8. 8. 8
  9. 9. D. Catarina de Bragança D. António Prior do Crato Filipe II de Espanha 9
  10. 10. 10
  11. 11. 11
  12. 12. Batalha de Alcântara “… O Senhor D. António, vendo inclinar-se a vitória à parte do inimigo, dizem que se meteu com alguns fidalgos principais no mais perigoso da batalha como homem que não queria mais vida e pelejando valorosamente lhe aconselharam os seus, pois que a vitória estava já declarada pela parte contrária se recolhesse à cidade, o que ele fez ferido de duas feridas ruins na cabeça, das quais uma lhe fez um cavaleiro luzido dos contrários, que logo ali foi morto pelos fidalgos que o acompanhavam e a outra lhe fez um fidalgo português dos seus mesmos, que foi de todos bem conhecido. E por aqui se verá com quantas traições se alcançou esta vitória contra o Senhor D. António” Relato de um combatente português 12
  13. 13. O estratagema do gadoNeste conflito se achava Frei Pedro, religioso de SantoAgostinho de Angra (também os frades nesta ilha,como em outras partes, se intrometiam nas coisas daguerra), correndo e batalhando a cavalo com umaespada na mão; este pois vendo o risco em que seachavam os portugueses, aconselhou ao governadorCiprião de Figueiredo, que lançasse grande quantidadede gado vaccum, e o espantassem sobre o inimigo comaguilhão e fogo dos arcabuzes, porque facilmente odesordenariam, e serviria de reparo aos portugueses,que atrás delire acabariam o conflito, desbaratandototalmente o exército dos castelhanos. (…) Então umdos seus capitães castelhanos, vendo o estratagema deque se usava contra eles, já descorçoado, disse: — Viencon ganado, gañados somos! Muitos se lançaram aomar, mas como estavam armados com armaduras deferro, facilmente iam ao fundo; outros, querendo largaras armas, não o podiam fazer tão depressa que os nãomatassem, sem que os barcos e batéis se pudessemaproximar, pelo muito fogo que de terra se lhes fazia.Escapariam a nado pouco mais de 50 soldadoscastelhanos … 13
  14. 14. Desembarque espanhol naIlha Terceira, na baia das Mós 14
  15. 15. 15
  16. 16. O governo do reino (sejadesempenhado) sempre por naturaisdele e nunca por estrangeiros quenão conhecem os usos da terra. (…)Vice-rei ou governador seránecessariamente português; oportuguês é a única língua oficial; ocomércio ultramarino estará sempreem Portugal e confiado aportugueses … 16
  17. 17. 17
  18. 18. A Nobreza aspirava a cargos importantes nosterritórios pertencentes ao Império de Espanha.A Burguesia pretendia comerciar livremente noimenso Império espanhol.Ambas as ordens sociais tinham esperança de que aboa administração e a força militar do rei deEspanha ajudassem a resolver os problemaseconómicos de Portugal. 18
  19. 19. 19
  20. 20. Filipe I de Portugal 20
  21. 21. "Fraco de espírito, totalmente desinteressado dos negócios do Estado, verdadeira antítese do pai, Felipe III nunca governou por si próprio, entregando o poder real nas mãos de favoritos".Filipe II de Portugal (III de Espanha,) 21
  22. 22. Cronologia – Ataques a territórios portugueses no séc. XVII Ataques de navios holandeses a navios portugueses ao largo de Goa, na Índia. 22
  23. 23. Partida da Data 29 de Julho de 1588Armada Invencível para Inglaterra Local Canal da Mancha Resultado Vitória dos ingleses Combatentes Inglaterra Espanha e Portugal Comandantes Charles Howard Duque de Medina- Francis Drake Sidonia Forças 130 navios (22 galeões 197 embarcações (34 e 108 navios navios de guerra e 163 mercantes) navios mercantes) 30 000 homens Baixas 600 mortos 397 capturados 500 mortos ou feridos 1000 feridos 3 navios mercantes afundados 23
  24. 24. 24
  25. 25. Revolta do Manuelinho Senhor, vosso Portugal de vossos pais estimado, hoje, em miséria fatal, está pobre e lastimoso, e o governo rigoroso, que tanto o tem perseguido, lhe nega, sendo ofendido, o alivio de ser queixoso. Manuelinho 25
  26. 26. Filipe III de Portugal (IV de Espanha,) “ Rompeu-se o pacto com a nação portuguesa." 26
  27. 27. 27
  28. 28. Reunião dos Conjurados de 1640 - Painel deazulejos no Palácio dos Condes de Almada em Lisboa 28
  29. 29. D. Antão de AlmadaPalácio dos Condes deAlmada em Lisboa 29
  30. 30. 30
  31. 31. 31
  32. 32. 32
  33. 33. Liberdade!Viva El Rei D. João IV 33
  34. 34. 34
  35. 35. E agora quechegámos ao fim da nossa apresentação, sabes dizer-mepor que razão foi feriado nopassado dia 1 de Dezembro? D. João IV 35

×