Controle de finanças pessoais

512 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
512
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Controle de finanças pessoais

  1. 1. CONTROLE DE FINANÇAS PESSOAISNem sempre é fácil controlar nossos gastos, mas podemos utilizar um sistema simples que evitao estresse dos endividamentos. Aqui vão algumas dicas:Tenha um caderno ou uma planilha no Excell e: 1. Relacione os gastos já contratados como aluguel, condomínio, água, luz, telefone (fixo e celular), gás, plano de saúde e outros conhecidos. São os chamados gastos fixos. Não há necessidade de termos valores exatos, mas aproximados. 2. Inclua estimativas de gastos para compras mensais com supermercados, feira-livre, lavanderia, remédios e compras parceladas. 3. Não esqueça: comprar com cartão de crédito é fácil, porém a conta virá. Pague sempre o total e nunca os 10% sugeridos, pois os juros do cartão são altíssimos e atingem até 12% ao mês. 4. Estime valores a serem gastos com entretenimentos tais como cinema, teatro, presentes para amigos e parentes. São os chamados gastos variáveis. 5. No início do ano temos gastos extras como IPTU, IPVA e matriculas em escolas. Em seu plano financeiro para 2010 não deixe de incluí-los. Em geral, o 13º salário ajuda a cobrir tais despesas. 6. A soma dos gastos citados não poderá passar de 80% dos seus rendimentos, restando 20% para cobrir eventualidades e manter o equilíbrio emocional. Como ninguém é de ferro, esta reserva financeira servirá para despesas com férias. 7. Estamos em época de intensificação do consumismo. Créditos oferecidos para compra de automóveis, eletrodomésticos e computadores, podem entusiasmar. Recomendamos cautela porque prazos longos e pequenas prestações podem iludir, porém ai é que reside o perigo. Não se deixe enganar e pense sempre no total que vai pagar. Em geral não vale a pena.CUIDADO com parcelamentos: A soma de MUITOS pequenos valores é que no final ficamaior do que SEU salário. Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena - Recife - PE CEP: 50610-090 Fone: (81) 3227-1699 | www.berconsultoria.com.br
  2. 2. AUDITORIA DE RISCOSÉ muito comum a seguinte visão dos executivos em relação à segurança das informações em suaempresa: ”Segurança significa corrigir as falhas no meu ambiente de tecnologia. Precisamosestar com o antivírus atualizado…”. Essa associação da segurança com a tecnologia é bastanteutilizada pelo simples fato de que, realmente, a área de TI da empresa é a responsável por todo osuporte e a manutenção dos processos de negócio existentes. Várias aplicações e transaçõessão executadas através de plataformas que são mantidas e suportadas pela área de TI.Mas a segurança não envolve somente o ambiente de tecnologia. Existe uma outra preocupação,que normalmente é tratada com uma certa indiferença, que é a segurança física da empresa. Asameaças internas podem ser consideradas como o risco número um à segurança dos recursoscomputacionais. Um bom programa de segurança física é o passo inicial para a defesa dacorporação no sentido de proteger as suas informações contra acessos indevidos. Este programadeve iniciar através da realização de uma análise de risco. Uma visita às dependências daempresa pode fornecer resultados interessantes. Os seguintes elementos devem ser checadosdurante esta análise: portas das salas trancadas, mesas e armários trancados, estações detrabalho protegidas contra acessos indevidos, disposição e proteção das mídias magnéticas dearmazenamento, cabeamento de rede padronizado e seguro, informações protegidas (em meiomagnético e papel), documentos sobre as mesas, descarte de informações (se existemtrituradoras de papéis), áreas de circulação de visitantes, áreas restritas etc.Após este levantamento, o resultado da análise deve apontar o grau do risco a que a empresaestá exposta em decorrência das ameaças referentes à segurança física. De acordo com asáreas de maior risco (aquelas que podem causar prejuízos ao negócio se um evento motivado porfalha na segurança física acontecer), os investimentos devem ser direcionados para que o riscoseja minimizado.Por exemplo, pode ser que haja a necessidade de se adquirir equipamentos de controle deacesso baseado em autenticação biométrica para áreas críticas e de circulação restrita, comosala de servidores, alta direção da empresa etc. As medidas de correção e equipamentosnecessários devem ser adquiridos com base no custo-benefício que proporcionam. Para algunscasos, o prejuízo decorrente de um evento é inferior ao valor do investimento a ser feito nasmedidas de correção, o que nos faz enxergar com clareza que neste caso, o melhor seria ignoraro risco. Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena - Recife - PE CEP: 50610-090 Fone: (81) 3227-1699 | www.berconsultoria.com.br
  3. 3. Para estas e outras decisões que envolvam investimento em segurança, a participação doSecurity Officer da empresa é fundamental. Com sua visão estratégica a respeito dos processosde negócio da empresa, o responsável pela segurança saberá determinar onde e de que forma aempresa deverá investir para minimizar os riscos. O direcionamento da origem destesinvestimentos também é de suma importância, uma vez que a área de TI não deve ser aresponsável pela verba destinada à compra de dispositivos de controle de acesso físico doDepartamento Financeiro de uma empresa, por exemplo.A grande mensagem que deixamos aqui é que a segurança física da empresa é tão importantequanto a segurança no ambiente de tecnologia, e não deve, de forma alguma, ser deixada delado. Em relação à segurança da informação, não devemos contar com o fator sorte. UmaConsultoria externa especializada pode minimizar muito os riscos da sua empresa. Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena - Recife - PE CEP: 50610-090 Fone: (81) 3227-1699 | www.berconsultoria.com.br

×