Plano atividades 2015

1.450 visualizações

Publicada em

Plano atividades 2015
Turismo do Alentejo, ERT

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.450
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
927
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano atividades 2015

  1. 1. t . IIINAÂJi 31.. ... . _e . É . Z r . x ra , q. .. .wau_. . i a . .u . . e ss. e Ã. m , _ . L. i.à V4- . . . v. . c. v¡ Jim. ? 31H. .., .v4 J, . o. . . . u. i a_ ru! ... . .o . a _o _ex. a . ..e . . r . MIÃ1UQWPVVIJ. KV . J a. .. .ñfiex . .. .i É. . rs. . . LÊ. .. .-4 c. .. Cá. , . r ~ às. . . .n e. : IJ. .. e _ . _ : , . . . L qq e aims? - . . . .. r A. .. i f. .. . .. É . _. . - _ . e. . a f. . : IJ: .Ã . rriittip , ña. .. wir . s. .. . 4,1.: . . a _ . e is . ir. n Hi4.. ., si. . . Jul. à. .. . I à i 'm . . i i. A. « 1itiIl . a Z i i , a ij; .. Niki a. . . iÂ, n. Í? u: , _, _a a I .
  2. 2. alem” ejo . é ribatejo lNTIOAOí areia-u'. D( TUIiSMO PLANO DE ATIVIDADES 2015 Afirmar o Cluster do Turismo no Alentejo e Ribatejo no horizonte 2020 Certificação do Destino Requalificação e Criação de Novos Produtos Turisticos institucionalização e Reforço das Redes de Oferta Reforço da Promoção e do Marketing Digital Internacionalização dos Destinos Alentejo e Ribatejo
  3. 3. 1. lntrodugãolgrandes linhas de orientação Excelência, qualidade, excelência. O Turismo assumiu ao longo dos últimos anos um papel incontornável nas estratégias de desenvolvimento regional. Esse estatuto foi amplamente reconhecido pelos diversos players regionais e nacionais culminando no seu reconhecimento ao nivel da Estratégia Regional de Especialização Inteligente (EREI). Trabalhamos o destino nas suas várias vertentes desde a sistematização da oferta, à estruturação dos produtos, ao branding e ao marketing estratégico e operacional. Numa nota: posicíonamos o Destino em função de critérios de exigência e qualificação. E o futuro? Como diria o poeta começou ontem. Há um trabalho que ínlciámos em 2013/2014 e que é crucial na construção do futuro: a elaboração do Plano Estratégico 14/20 incorporada no Plano de Ação Regional/ Programa Operacional Regional e em todos os documentos de planeamento estratégicos regionais. Nestes momentos de cada vez maior exigência no mundo do turismo, o Alentejo/ Ribatejo quer liderar a agenda do setor que terá como coordenadas base a Identidade e a Certificação. Só corn fortes raizes icientitárias, com um património vivo e ativo e com a qualificação de toda a cadeia de valor do setor poderemos continuar a criar em cada momento um destino de excelência. O caminho faz-se caminhando e nós sabemos que essa estrada só se pode percorrer em conjunto, envolvendo autarquias, empresários, instituições e agentes diversos. Mas o objetivo, esse é comum: Excelência, qualidade, excelência. Neste caminho, é fundamental garantir um correto e equilibrado aproveitamento do novo ciclo de financiamentos comunitários 14-20, em cujos trabalhos preparatórios a nível regional a ERT participou de forma empenhada e proativa. Esse papel deverá agora ter uma concretização prática e consequente, através da participação da ERT nos modelos de co-gestão dos Fundos que venham a ser adotados, quer no plano nacional, no quadro da Iniciativa Turismo 2020, quer no regional. Particularmente ao nivel regional, a ERT deverá posicionar-se como parceiro estratégico no processo de contratualização entre a CCDR Alentejo e os Municipios, Comunidades intermunicipais e Associações de Desenvolvimento Local/ GAL, ao nivel das diferentes tipologias de Abordagens Integradas do Desenvolvimento Territorial (Desenvolvimento Urbano, lTI, DLBC, Pactos Territoriais para o Emprego) que venham a incluir componentes turlsticas, participando desde o inicio na sua formulação e avaliação de mérito, bem como posteriormente na respetíva governação e acompanhamento. M
  4. 4. O posicionamento estratégico definido pela ERT para a utilização das verbas disponibilizadas pelo Portugal 2020, é porém, mais abrangente, assentando em três Eixos: Eixo 1. Motor/ líder do setor funcionando como centro agregador e racionalizador da estratégia regional de desenvolvimento turístico, dos programas e dos projetos comuns de caráter regional e sub-regional. Neste Eixo, o desafio passa por consolidar o trabalho do ciclo anterior, em que a ERT já assumiu este papel, nomeadamente na dinamização de projetos ligados à monitorização, promoção e animação turísticas. No ciclo 2014-2020 a ERT deverá afirmar a sua intervenção, através da i) dinamização de plataformas temáticas de recomposição do produto turístico, ii) indução de programas temáticos de animação e promoção, iii) convergência de projetos de atração de investimento turístico iv) e na criação/ suporte de projetos intermunicipais de base turística. Eixo 2. Dinamização da Estratégia Regional de Especialização Inteligente do Alentejo (EREI), apoiando a definição e formulação das políticas públicas associados. Em larga medida graças ao trabalho efetuado nos últimos anos, na utilização e potenciação dos Fundos Comunitários para a atividade turística - trabalho assente num modelo de intervenção com uma base técnica de sustentação estratégica e operacional e na relação dinâmica que estabeleceu com o tecido empresarial e Municipios - a Entidade Regional de Turismo surge muito bem posicionada para se assumir, neste novo modelo de governação dos Fundos Estruturais, como uma das responsáveis pela Plataforma Temática de Especialização Inteligente, funcionado como a "Champion" do Dominio de Especialização "Património, Indústrias Culturais e Criativas e Serviços de Turismo" da EREI. Eixo 3. Execução de Projetos de referência com capacidade estruturante de requalificação e promoção dos destinos Alentejo e Ribatejo. Trata-se aqui, fundamentalmente, de candidatar e executar os projetos e ações que venham a ter enquadramento nas Ações Estruturantes de Valorização do Turismo do Alentejo e Ribatejo que mais à frente se apresentarão. Como base de partida para todo este trabalho, a ERT lançará um Pacto Regional para o Turismo do Alentejo e do Ribatejo, naquilo que constituirá a plataforma estratégica de suporte a toda a intervenção e investimento turístico no período 2014-2020. r%í
  5. 5. 2. Enguadramento estratégico Nos últimos seis anos, o turismo reforçou significativamente a sua importância como o setor económico mais dinâmico do Alentejo. A par disso, a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERT) fixou-se como uma instituição incontornável no desenvolvimento da atividade turística, função para a qual contribuiu decisivamente a elaboração do "Plano Operacional de Turismo do Alentejo" (POTA). Executado em toda a sua configuração, entre 2009 a 2014, o POTA deu em 2013 lugar ao “Documento Estratégico Turismo do Alentejo e Ribatejo 2014-2020", com o qual a ERT reviu e ampliou a base estratégica da sua intervenção, a qual passou a abranger o novo território da Lezíria do Tejo. Através do novo instrumento de desenvolvimento turístico direcionado ao horizonte 2020, foi possível envolver os principais atores públicos e não públicos na consensualização de uma estratégia, que, continuando a apostar no trabalho de requalificação e diversificação dos produtos turisticos, inclusive na expansão do parque de alojamento - ainda que a um ritmo mais moderado - definiu como pressuposto central inverter a relação dos últimos anos, em que a oferta cresceu sempre acima da procura turística (5,956 vs. 2,3%, entre 2001 e 2012). O referido Documento Estratégico veio, igualmente, atualizar a matriz de produtos turísticos prioritários e complementares do Alentejo e do Ribatejo, tendo estabelecido um novo quadro orientador que começou a guiar a atuação da ERT ainda em 2014, com o lançamento de uma geração de planos operacionais estratégicos, trabalhados com todos os agentes das diferentes cadeias de valor. Como Prioridades Estratégicas operacionalizáveis num novo quadro plurianual de investimentos para o horizonte 2020, definiram-se i) a Certificação do Destino, ii) a Requalificação e Criação de Novos Produtos Turísticos, iii) a institucionalização e o Reforço das Redes de Oferta iv) o Reforço da Promoção e do Marketing Digital v) e a internacionalização dos Destinos Alentejo e Ribatejo. Como linhas de intervenção instrumentais que coadjuvarão a ERT na concretização daquelas cinco prioridades, aponta-se o trabalho regional a empreender com todos os atores públicos e não públicos, na formação e implementação de uma Visão lntersetorial que favoreça a resolução clos problemas do Turismo - com a constituição do respetivo Conselho de suporte - o reforço e alargamento das competências da ERT e a ativação do Conselho de Promoção Integrada, fórum cuja dinamização se considera fundamental para acrescentar valor à intervenção da Região nos mercados externos. No limite, será a convergência e a bem sucedida operacionalização das Prioridades Estratégicas enunciadas que permitirá a Afirmação do Cluster do Turismo no Alentejo e no Ribatejo, desígnio último da atuação da ERT nos próximos seis anos.
  6. 6. 3. Desenvolvimento estratégico A concretização das 5 Prioridades Estratégicas atrás assinaladas assenta na implementação de 16 Ações Estruturantes de Valorização do Turismo do Alentejo e do Ribatejo, divididas em três Tipologias de Projeto, conforme se evídenciará adiante. 0 ano de 2015 significará o arranque para a maioria destas Ações, cuja execução se prolongará no entanto pelos próximos 3 a 4 anos. É por esta razão que Plano e Orçamento devem ser entendidos numa perspetiva temporal mais dilatada, em linha com as grandes opções inscritas no Plano Plurianual de Atividades. Vejamos agora com maior detalhe o desenvolvimento da estratégia preconizada, operacionalizada em três Tipologias de Projeto: Tipologia 1 - Projectos Nucleares (orientam e Veiculam a Estratégia) 1. Certificação dos Destinos Turisticos do Alentejo e do Ribatejo; 2.lmplementação das Redes de Oferta do Turismo Rural e de Natureza; 3.Alentejo/ Ribatejo 3.0; 4.Promoção do Alentejo e do Ribatejo nos Mercados Internacionais (via ARPTA). Tipologia 2 - Implementação dos Planos Operacionais Estratégicos - POE (Aprofundam e Consolidam a Estratégia por Produto Turístico) 5. operacionalização e Venda do Produto Turismo Náutico (PO); 6. Qualificação e Apoio à Promoção do Produto Sol e Mar (PO); 7. Desenvolvimento e Dinamização do Produto Património da Humanidade (P0); 8. operacionalização da Estratégia para a Valorização do Touring Cultural e Paisagistico do Alentejo e do Ribatejo (P0); 9. Ações de Qualificação e Internacionalização do Turismo Cinegético (P0); 1D. Organização, Estruturação e Promoção do Produto Turismo Equestre no Alentejo e Ribatejo (P0); 11.A| entejo/ Ribatejo 4 All.
  7. 7. Tipologia 3 - Projetos Complementares (Reforçam a Estratégia) 12.Animação e Dinamização do Património Imaterial do Alentejo e do Ribatejo; 13.Conceção e Desenvolvimento de uma Linha Editorial e de Comunicação para o Ribatejo; 14.Ações Gerais de Promoção e do Marketing do Alentejo e Ribatejo; 15. Sistema de Monitorização do Turismo do Alentejo e do Ribatejo; 16. Comunicação e Apoio à Venda dos Negócios Turísticos do Alentejo e do Ribatejo. Seis das Ações Estruturantes da Tipologia 2, devidamente assinaladas com a referência PO, serão impulsionadas a partir da elaboração de outros tantos planos de suporte, os quais terão prazos de conclusão distintos no decurso de 2015. Independentemente da "orientação- produto" a que estes planos obedecem, as respetivas linhas de consolidação estratégica e operacional devem ser vistas e perspectivadas de modo integrado, dado que nenhuma destas intervenções se reveste de um carácter estanque (Ex: Náutico com Sol e Mar; Equestre com Cinegético; Touring com Património da Humanidade). De igual modo, a territorialização das linhas operacionais que resulte dos diversos planos em elaboração, exigirá, certamente, articulações de diversa índole em zonas de fronteira com outras áreas regionais de turismo, pelo que a ERT insistirá na necessidade de se estenderem pontes de cooperação com as suas congêneres do Algarve, Centro e Lisboa, inclusive no dominio da promoção, sempre que tal se justifique. A Ação Estruturante "Certificação dos Destinos Turisticos do Alentejo e do Ribatejo" é estratégica na atuação global da ERT. Ela representa e sintetiza toda a ambição da ERT em atingir em 2020 um novo patamar de evolução dos dois destinos, mais qualificados, organizados e conhecidos/ reconhecidos internacionalmente. Com a implementação da Ação Estruturante "Implementação das Redes de Oferta do Turismo Rural e de Natureza" em todo o território, a ERT procurará criar as bases de sustentação dos negócios turísticos em áreas mais periféricas da região e com menor capacitação empresarial, através da criação de fatores de animação e de aglomeração turística, num processo em que as empresas locais e as Comunidades intermunicipais serão chamadas a dar o seu contributo, que se perspectiva, aliás, como determinante. Através da Ação Estruturante "Alentejo/ Ribatejo 3.0" dinamizar-se-á o programa de reforço do marketing e da promoção dos 2 destinos, propondo-se a ERT atuar na melhoria continua da reputação digital e no posicionamento das duas regiões nas redes sociais, potenciando cada vez mais a interação com as diversas comunidades de turistas, estes agora também criadores de conteúdos e aliados na promoção dos locais turísticos. Relativamente à "Promoção nos Mercados Internacionais", saliente-se o reforço da comparticipação financeira da ERT no orçamento da Agência Regional de Promoção Turistica representando um esforço acrescido para as finanças da entidade regional de turismo, em função da redução do seu orçamento em 15%, face à verba atribuída em 2014. ; gy iWã/ a
  8. 8. No que diz respeito às ações a realizar em Espanha, mantém-se o entendimento da ERT em como essa competência deverá continuar a ser delegada na Agência Regional de Promoção Turistica. No final deste documento apresentar-se-á em anexo um resumo das ações previstas executar neste mercado prioritário do Alentejo. Depois do trabalho realizado na estruturação dos produtos "Natureza" e "Gastronomia & Vinhos”, a ERT estará focada nos próximos seis anos na execução de uma ambiciosa agenda de desenvolvimento, promoção e venda dos produtos turísticos, direcionada para as ofertas do Touring Cultural Paisagistico, Equestre, Náutico, Sol e Mar, Cinegético e no lançamento e estruturação de um novo Produto, associado ao Património da Humanidade - numa primeira fase focado nas cidades de Évora e de Elvas. Esta agenda de desenvolvimento congrega as Ações Estruturantes da Tipologia 2. Transversalmente a todos os planos operacionais estratégicos, ainda que enquadrado para efeitos de financiamento na Estratégia para a Valorização do Touring Cultural e Paisagistico do Alentejo e do Ribatejo, será trabalhado um novo sistema de sinalização turística para o território, que ponderando as necessidades próprias da "roteirização de cada Produto", identificará igualmente as melhorias a executar na orientação viária, para os principais atrativos turisticos e empreendimentos. Áreas especificas como o Alentejo Litoral e o Alqueva serão alvo de uma atenção especial, atendendo aos sinais distlntivos destas sub-regiões. Igualmente numa ótica transversal às várias Ações Estruturantes, a ERT procurará estudar no âmbito das possibilidades oferecidas pela abordagem plurifundos, comum aos diversos instrumentos de Desenvolvimento Territorial do “Portugal 2020", o lançamento de um programa de formação dirigido aos agentes turísticos (empregadores/ empresários, pessoal de direção e colaboradores). O marketing turistico do Ribatejo será trabalhado pela primeira vez de modo integrado, através da Ação Estrutura nte "Conceção e Desenvolvimento de uma Linha Editorial e de Comunicação", intervenção que deve ser articulada com todas as instituições que têm influência na imagem e no marketing territorial daquele destino (Ex: Câmaras Municipais, ClMLT, NERSANT). Por seu lado e com um cariz mais transversal, a Ação Estruturante para a "Comunicação e Apoio à Venda dos Negócios Turísticos do Alentejo e do Ribatejo" engloba, entre outras dimensões, a adoção de uma linha de marketing operacional para a potenciação do selo “Alentejo - Melhor Região Vinica do Mundo", que desejavelmente deverá ter uma expressão internacional. num trabalho a realizar em articulação com a CVRA e Agência de Promoção Turistica Regional. Ainda no quadro desta Ação Estruturante serão apoiados os lançamentos comerciais de um conjunto de produtos concebidos e estruturados no ciclo de investimentos anterior (Alentejo Outdoor, Ribatejo Outdoor, Transalentejo Alqueva, Roteiros Eno-Gastronómicos Da Terra ao Prato, Plataforma Alentejo/ Ribatejo Hunting). No quadro dos roteiros eno~ gastronômicas será mantida uma linha de atenção muito especial relativamente ao produto Olivoturismo, em que se procurará aprofundar e dinamizar o trabalho com o CEPAAL. 71v “é »i7
  9. 9. A Ação Estruturante "Animação e Dinamização do Património Imaterial do Alentejo e do Ribatejo" atuará, por seu lado, na organização turística das manifestações e bens culturais alentejanos e ribatejanos de maior projeção patrimonial, classificados ou não pela UNESCO, visando a "roteirização da oferta" com a agregação de outros atrativos de interesse, mantendo-se presente na atuação da ERT a preocupação com a dimensão identitária do destino. Esta Ação Estruturante surge na sequência do projecto apoiado pelo QREN " Promoção e Valorização Turística das Manifestações Culturais e Identitárias do Alentejo e do Ribatejo", o qual se encontrará em execução até ao final do 19 semestre de 2015, nas Atividades que dizem respeito à Valorização Turistica do Património Cultural Imaterial e da Paisagem Cultural Viva - Marvão. As "Ações Gerais de Promoção e do Marketing do Alentejo e Ribatejo" assumem um formato aberto, podendo enquadrar os projetos e iniciativas de base municipal, intermunicipal, associativo ou privado, que revistam especial interesse turístico. Com a Ação Estruturante "Sistema de Monitorização dos Destinos Alentejo e do Ribatejo", pretende-se retomar com maior consistência o trabalho anterior do Observatório Regional do Turismo, consagrando-se a importância da estratégia de desenvolvimento do Destino ser suportada em instrumentos de previsão, prospetíva e de inteligência de marketing. O arranque efectivo em 2015 das Ações Estruturantes que abordámos sinteticamente, dependerá no entanto da entrada em vigor e da operacionalização plena do Portugal 2020 e, principalmente, do novo Programa Operacional Regional do Alentejo, no terreno a partir de final de 2014. Vejamos agora com maior detalhe os objectivos e o conteúdo dos Projetos que materializam a estratégia da ERT Alentejo/ Ribatejo para os próximos anos.
  10. 10. 4. operacionalização das Ações Estruturantes - Programas, projetos e atividades Na Tipologia 1 - Projectos Nucleares (orientam e Veiculam a Estratégia) Certijicaçõa dos Destinos Turisticos do Alentejo e do Ribatejo (2014-2018) Descrição sumária: Pretende-se implementar um programa global visando a acreditação do Destino (Território, Serviços, Infraestruturas), com vista a certificar, de forma abrangente e evolutiva nos próximos seis anos, todo o mix de actividades, de atrações e de equipamentos existente, tendo como grande desígnio a Qualificação e a Valorização da Oferta até 2020. Todo o processo de certificação será encarado numa perspectiva gradual e modular, atendendo à complexidade da intervenção. Afirmam-se três perspectivas fundamentais: "Serviços" (alojamento, restauração, informação turística, rent-a-car, outros), "Produto Turistico” (Natureza, Touring/ Cultural, Náutico, Sol e Mar, Gastronomia e Vinhos, Cinegético, Saúde e Bem-Estar); "Território" (Paisagem, Património Natural e Edificado) e "Infra- estruturas” (sinalização, acessos, limpeza, sistema de gestão de resíduos, abastecimento e qualidade da água para o consumo humano e balnear, sistema de saneamento básico e tratamento de efluentes; portos de abrigo e marinas). Toda esta dinâmica criará excelentes condições para que o Alentejo e o Ribatejo venham a ser incluidos no lote restrito dos World Class Destination, processo no entanto que só deverá estar concluido num horizonte temporal de médio prazo. Principais Atividades a desenvolver: o Elaboração do plano de ação para a implementação do Sistema de Certificação, no Alentejo e Ribatejo, em estreita articulação com os provedores turísticos locais e entidades diversas; r: Acionamento do Plano de Ação para o módulo "Território". Implementação das Redes de Oferta do Turismo Rural e de Natureza (2015-2018) Descrição Sumária: Trata-se de um conjunto de ações de capacitação, reforço e de estímulo ao associativismo empresarial, bem como ao aparecimento de Redes de Oferta, com vista a implementar Corredores Turisticos, figuras inovadoras que visam suscitar amenídades, atrações e serviços de apoio, nomeadamente em zonas de menor aglomeração turística. O foco por Produto incidirá, principalmente, nas Tipologias de Atividade do Turismo Rural e do Turismo de Natureza. Pretende-se ainda com esta Ação Estruturante dinamizar a criação das Plataformas Logisticas Rurais, por forma a estimular o escoamento dos produtos endógenos para a atividade turística, ajudando a rentabilizar as designadas cadeias curtas de comercialização. / i7
  11. 11. 10 Esta Ação Estruturante manterá um diálogo aberto e permanente, no quadro dos desenvolvimentos e propostas dos Planos Operacionais Estratégicos, nomeadamente com os do Touring e do Turismo Equestre. Principais Atividades a desenvolver: o Desenvolvimento de um programa de assessoria e de consultadoria-formação, de tipo ambulatório, orientado à capacitação dos agentes turisticos das atuais e futuras Redes de Oferta, com vista à respetíva dinamização e reforço; o Apoio à colocação promocional e comercial das Redes de Oferta e dos seus produtos; o Integração nas Redes de Oferta das Plataformas Logisticas Rurais, visando o reforço da distribuição das pequenas produções de base rural, através da atividade turística e dos respetivos serviços. Alentejo/ Ribatejo 3.0 (2015-2017) Descrição Sumária: Pretende-se fortalecer a presença online do Destino, através de um novo paradigma de marketing corporativo e institucional (um booking autónomo, uma plataforma de gestão de clientes - CRM, uma presença multiplataforma organizada nas redes sociais). O projeto pretende desenvolver e concretizar uma nova abordagem integrada, à digitalização da promoção turística Alentejo/ Ribatejo, que envolva a conceção gráfica das plataformas, melhorias no desenvolvimento web e nas bases de dados, maior agressividade no marketing digital, visando a otimização da presença do Destino na Internet e exploração das ferramentas de marketing direcional. Principais Atividades a desenvolver: o Estuda legal, estruturação e lançamento de uma plataforma de reservas, associada a um CRM (Customer Relationship Management); o Reestruturação gradual e integrada dos sites visitalentejo e visitribatejo, de acordo com uma nova linha gráfica e renovação do conceito de posicionamento on-line dos dois destinos; o Melhoria das plataformas online com cariz oficial - incluindo ao nível da customização gráfica (Facebook, twitter, Youtube) e respetíva integração numa abordagem multiplataforma e coerente; o Desenvolvimento do processo de Online Reputation Management (ORM) - agregação de menções e análise quantitativa / qualitativa da reputação da marca e de concorrentes; o Monitorização da Reputação do Alentejo e Ribatejo em Tripadvisor, outros sites de recomendações/ partilha e Bookings. i7 o/ ÃI
  12. 12. 11 Promoção do Alentejo e do Ribatejo nos Mercados ln tem acionais (via ARPTA) Enguadramento da intervenção da ERT: e Co-financiamento dos Planos de Comercialização e Venda; c? Delegação de competências para a promoção no mercado de Espanha; r: Co-tinanciamento da atividade global de promoção externa; r: Participação nos custos de estrutura da ARPTA. Na Tipologia 2 - Implementação dos Planos Operacionais Estratégicos - POE (Aprofundam e Consolidam a Estratégia por Produto Turistico) Operacionalização e Venda do Produto Turismo Náutico (2015-2018) Descrição Sumária: Esta Ação Estruturante agregará um conjunto de ações alicerçadas em estratégias de desenvolvimento do turismo náutico na Região, que visam potenciar, desenvolver e operacionalizar, ao nlvel deste segmento de oferta, os recursos fisicos, infraestruturais e empresariais da Região. A intervenção é territorialmente abrangente, mas define o Alqueva, o Litoral Alentejano e o Tejo como Eixos Prioritários. Os objectivos desta intervenção são: Determinar territórios de intervenção e enquadrar as áreas temáticas de ação; c conceção de produtos náutico-turisticos para cada território, em articulação com os stakeholders locais; Apresentação de propostas de ação que viabilizem a ampliação de produto; o Apresentação de novas propostas empresariais de ação territorial; o conceber um plano de infraestruturas e de equipamentos para o turismo náutico. rx Principais Medidas de Implementação: o Criação de Redes, Rotas e Circuitos cicláveis em margens e ligações fluviais; - Criação de Circuitos pedestres e cicláveis em margens de albufeira; o Plano de implementação de uma Rede de Centros de Lazer e Interpretação Ambiental para o Alqueva, criando as bases para o futuro Parque Natural do Alqueva; e Dinamização turística dos Eixos Fluviais do Tejo, Sado, Mira e Guadiana; r Plano de implementação, gestão e operacionalização de um modelo de Estações Náuticas Lúdico Desportivas de linha de costa.
  13. 13. 12 Qualificação e Apoio à Promoção do Produto . Sol e Mar (2015-2018) Descrição Suma' ria: Esta Ação Estruturante integra um conjunto de ações de estruturação, valorização e promoção do litoral alentejano, que visam afirmar este como uma zona turística de qualidade, competitiva e sustentável. concomitantemente pretende-se promover o litoral alentejano como um destino turistico diferenciador, no dominio dos eventos, designadamente os desportivos e relacionados com a praia e o mar (provas do circuito profissional, regatas). O principal objetivo desta intervenção é primeiro consensualizar e depois executar, ao nivel da sub-região, uma Estratégia territorial para o destino Litoral Alentejano, a qual seja fortemente participada pela oferta turlstica e agentes públicos, com os Municípios e CIMAL à cabeça. Principais Medidas de implementação: o Delimitação, infraestruturação e equipamento de locais centralizados de prestação de informação turística; o Definição de uma estratégia e dos meios operacionais para melhorar a eficácia da Sinalética turística no Alentejo Litoral; o Valorização dos eventos desportivos de grande projeção internacional; o Valorização de festivais culturais e artísticos; o Apoio à criação de uma rede "Excellence" de oferta para campistas e caravanistas. Desenvolvimento e Dinamização do Produto Património do Humanidade (2015-2018) Descrição Sumária: 0 objectivo principal desta Ação é a estruturação e promoção de um produto turistico, associado numa primeira fase aos Bens Património da Humanidade - "Centro Histórico de Évora" e "Cidade Fronteiriça e de Guarnição de Elvas e as suas Fortificações. O projeto deixa em aberto a potencial inclusão futura de outros locais/ sitios que venham a ser classificados pela Unesco como Património da Humanidade, como são os casas da Paisagem Cultural do Montado e de Marvão, dossiers também da responsabilidade da ERT. Principais Atividades a desenvolver: o Lançamento de ações de contato comercial junto de operadores internacionais especialistas no Produto Turismo Cultural; o conceção e execução de um programa de formação para os agentes do turismo local; o Execução de programas de sinalização turlstica orientados para locais UNESCO; o Desenvolvimento do Projeto Welcome by táxi em Évora e Elvas; o Desenvolvimento de apps digitais inteligentes orientadas para locais UNESCO; o Desenvolvimento de nova geração de materiais promocionais, incluindo roteiros temáticos; jZ/ l/
  14. 14. 13 e Promover uma geminação entre os destinos fronteiriços espanhóis com bens classificados UNESCO (por exemplo Mérida e Cáceres) e as cidades de Évora e Elvas, no intuito de obter massa crítica territorial e escala promocional. Operacionalização da Estratégia para a Valorização do Touring Cultural e Paisagistico do Alentejo e do Ribatejo (2015-2018) Descrição Sumária: Esta Ação Estruturante prossegue quatro objectivos principais: c: Afirmar o Destino Alentejo no produto estratégico "Touring Cultural e Paisagist¡co"; c: Promover comercialmente o produto "Touring Cultural e Pa¡sagistico"; o conceção de novos produtos - nomeadamente Roteiros Culturais - suportada em matrizes de desenvolvimento empresarial que facilitem a colocação do produto no mercado; o Estruturação de um modelo territorial de Rotas integrado com outros Produtos Turisticos. Principais Medidas de Implementação: r. Implementação de um sistema digital de informação turística nos sítios de valor e interesse histórico-cultural; o Plano de animação turlstica e eventos para as vilas e Urbes Histórico-Culturais; Implementação de rede e sistemas de informação e reservas turísticas de base integrada nas vilas e Urbes Histórico-Culturais; r Implementação de um Sistema Integrado de Sinalização Turistica (rodoviária de âmbito turística e estritamente turlstica). n Ações de Qualificação e Internacionalização do Turismo Cinegético (2015-2017) Descrição Sumária: Pretende-se com esta Ação Estruturante criar condições para o aumento da representação do Alentejo e Ribatejo em circuitos intemacionais de comercialização do produto Turismo Cinegético. Este trabalho será desenvolvido em função das linhas orientadoras definidas no Plano Operacional Estratégico do Turismo Cinegético, que ficará concluído até ao final de 2014. Principais Medidas de Implementação: c: Aprofundamento e dinamização comercial da Plataforma Alentejo/ Ribatejo Hunting lançada em 2014; a Reforço da atividade de marketing e de promoção; Aprofundamento de sinergias com outros produtos: TER, Birdwatching; Fotografia de natureza, Gastronomia & Vinhos e pesca.
  15. 15. ,›-›. 14 Organização, Estruturação e Promoção do Produto Turismo Equestre no Alentejo e Ribatejo (2015-2018) Descrição Sumária: Conjunto de ações destinadas a organizar, estruturar e promover os recursos turísticos do território associados ao segmento equestre, englobando a dinamização de um plano de marketing turístico especifico que posicione o Alentejo e o Ribatejo como destinos turisticos de referência nos mercados mais maduros deste produto. Principais Medidas de Implementação: o Reorganização e dinamização turlstica dos principais pólos de oferta (Ex: Coudelaria de Alter do Chão, Golegã, Companhia das Lezirias, Serpa); o Classificação e qualificação dos percursos equestres (infra-estruturação de pequeno porte e sinalização de percursos a cavalo); o Organização de visitas a coudelarias e estabelecimentos equestres ligadas a percursos equestres; o Melhoramentos em estradas antigas e caminhos municipais visando a adaptação a percursos equestres individuais e em grupo; o Integração percursos equestres/ rede de alojamento (TER, Agro-Turismo, rede de casas dispersas); o Assegurar a complementaridade, na definição dos pacotes, entre serviços de turismo equestre e unidades de alojamento, empresas de animação turística e outros produtos turisticos (gastronomia e vinhos, turismo de natureza e touring cultural e paisagístico; o Atribuir a responsabilidade da criação e gestão do calendário de eventos equestres ao Turismo do Alentejo; o Proceder ao levantamento exaustivo de provas nacionais equestres e outros eventos (feiras, festas populares, salões equestres, demonstrações) a considerar no calendário; o Promover a realização de eventos internacionais de grande dimensão no Alentejo e Ribatejo; o Criar um sistema de CRM, integrado no programa global Alentejo/ Ribatejo 3.0, que permita responder às necessidades do turista e potenciar a compra. Alentejo/ Ribatejo 4 all (2013-2015) Descrição Sumária: Trata-se de uma solução de acessibilidade para indivíduos com limitações funcionais e/ ou portadores de patologia crónica, a serviços turisticos devidamente capacitados para o seu acompanhamento. Concretizar-se-á através de uma plataforma assistencial e de mediação tecnológica, que permitirá o acesso daqueles individuos à oferta turística do Alentejo e Ribatejo, integrando-se as suas valências no leque de serviços oferecidos pelo alojamento turistico das duas regiões. Pá? /
  16. 16. 15 0 projecto, que marca o inicio da estruturação do Destino na ótica do Turismo de Saúde e Bem-Estar, adota o desenvolvimento de um modelo de turismo universal, contemplando uma plataforma assistencial e planos integrados de acessibilidade e de atendimento inclusivo a turistas com distintos niveis de capacidade funcional - idosos, doentes crónicas, individuos com deficiência e/ ou mobilidade reduzida. Principais atividades a desenvolver: c: Ativação da plataforma on-line assistencial que fará a ligação entre turista e o cuidador no local de residência e respetíva divulgação; r. Capacitação dos agentes de alojamento e restauração para a utilização da plataforma Alentejo/ Ribatejo 4 all e dos conceitos de gastronomia nutricional; o Integração de plataformas de informação, acessíveis e universais, nos ambientes turísticos e hoteleiros, dotando-as de uma usabilidade fácil e simples, independentemente das capacidades, habilidades e idiossincrasias dos usuários/ turistas; o Conclusão do Diagnóstico de acessibilidades a recursos, equipamentos e serviços no Alentejo e Ribatejo; «tr Edição do Guia de Acessibilidade do Destino, o qual disponibilizará referenciais contextualizados ao nlvel da resolução dos problemas que se colocam, nomeadamente à acessibilidade física do turista a infra-estruturas de diversa lndole; o Programa de apoio 'a comercialização e promoção da plataforma on-Iine. Na Tipologia 3 - Projetos Complementares (Reforçam a Estratégia) Animação e Dinamização do Património Cultural imaterial do Alentejo e do Ribatejo (2015- 2018) Descríção Sumá ria: O principal objetivo desta Ação Estruturante é a ativação e dinamização turlstica do Património Cultural Imaterial, classificado ou a classificar pela UNESCO, criando conteúdos e estruturando Rotas com condições de comercialização, em combinação com os parceiros do alojamento e da animação. Esta animação patrimonial far-se-á igualmente recorrendo à criação artística, como elemento de leitura, fruição e transformação do território, aliando a Cultura e a Arte no processo de descoberta turlstica dos "patrimônios" do Alentejo e Ribatejo. Principais Atividades a desenvolver: Aprofundar e/ ou concluir os processos de candidatura das manifestações/ práticas "Festas de Povo de Campo Maior", "Tapeçaria de Portalegre", “Tapetes de Arraiolos" e "Jangada de São Torpes", procurando a sua classificação como Património Cultural Imaterial da Humanidade ou a inclusão na Lista de salvaguarda Urgente, consoante os casos.
  17. 17. 16 No caso especifico das Festas do Povo de Campo Maior, avançar-se na entrega antes de Junho de 2015, do pedido de registo no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial. o Apoio a outros dossiers em curso (Ex: Falcoaria Portuguesa que tem como ponto focal Salvaterra de Magos); o Desenvolvimento dos Circuitos do Cante (potencial distinção UNESCO 2014), e do Circuito do Fabrico de Chocalhos (potencial distinção UNESCO 2015); o Criação de plano de promoção turística das candidaturas UNESCO ao nível local, regional, nacional e internacional; o Criação de um festival internacional que ligue a polifonia do Mediterrâneo ao vinho, no âmbito da valorização do Cante Alentejano; o Reativação do processo de reconhecimento da Cultura Avíeira como Património Nacional. Este projeto visa desenvolver um conjunto de iniciativas conducentes ao reconhecimento da Cultura Avíeira como Património Nacional e um motor de desenvolvimento regional, nomeadamente dos territórios de baixa densidade da sub- região da Lezíria do Tejo. Numa esfera complementar, trabaIhar-se-á na inclusão nas dinâmicas turísticas do projeto, dos locais incluídos na Rede Mundial de Reservas da Biosfera da Unesco, nomeadamente Boquilobo na Golegã ou ainda candidatar, como a ZPE de Castro Verde. Ações Gerais de Promoção e do Marketing do Alentejo e Ribatejo (2015-2017) Descrição sumária: Tipologia específica de Ação Estruturante, na qual poderão ter enquadramento os projetos e iniciativas de base municipal, intermunicipal, associativo ou privada, que revistam especial interesse turistico, dependendo a sua inclusão na esfera de atuação da ERT, do encontro, formalização e aprovação dos necessários e adequados instrumentos financeiros, nomeadamente dos disponibilizados pelo P0 Regional 2014-2020. Principais Atividades a desenvolverzgreparar: A definir/ concretizar (ex: RM- Capital Europeia do Vinho 2015, Regata Grandes Veleiros de Sines, outros). Conceção e Desenvolvimento de uma Linha Editorial e de Comunicação para o Ribatejo (2015- 2017) Descrição sumária: O projecto visa a realização do Estudo de Rebranding do destino turístico "Ribatejo", com vista a reforçar as competências das entidades responsáveis pela promoção do destino, bem como os conteúdos e materiais disponíveis aos turistas e agentes do setor. Os outputs que se pretendem atingir são a definição de posicionamento de mercado, a proposta de valor e o claim, elementos que passarão a fundamentar o marketing e a promoção turística da Região. *z M
  18. 18. 17 Principais Atividades a desenvolver: a Execução de um programa de edições de material promocional; o Produção de filme promocional do Destino; o Criação de um Banco de Imagens a partilhar pelo trade turistico regional, Municipios e outras instituições; c Adequação, dinamização e otimização do site visitribatejo (ligação às intervenções preconizadas na Ação Estruturante Alentejo/ Ribatejo 3.0). Sistema de Monitorização do Turismo do Alentejo e do Ribatejo (2015-2018) Descrição sumária: O projeto visa a criação de um sistema de informação para a monitorização da gestão integrada da qualidade e do desempenho global e hoteleiro dos destinos Alentejo e Ribatejo, que potencie e aprofunda o trabalho desenvolvido entre 2010 e 2013, no quadro do Observatório Regional de Turismo. Principais Atividades a desenvolver: c Implementação de um Sistema de Indicadores de Desempenho do Destino; r; Lançamento das operações estatisticas adequadas para monitorização da gestão integrada da qualidade do destino; r. : Reativação dos Inquéritos regulares de Satisfação da Procura, agora alargados ao Ribatejo; c: Estudo do Perfil do Visitante do Ribatejo; r Atualização do Estudo de Perfil do Visitante do Alentejo. Comunicação e Apoio à Venda dos Negócios Turisticos do Alentejo e do Ribatejo (2015-2017) Descrição sumária: Implementação de ações de apoio à promoção e comercialização dos serviços e negócios turisticos do território, envolvendo a dinamização de campanhas promocionais dos produtos premium do Alentejo, em parceria com o trade do destino e através da divulgação conjunta da oferta turlstica, presença em feiras, road-shows, esforço de relações publicas e outras iniciativas de marketing. Principais Atividades a desenvolver: c: Participação na Bolsa de Turismo de Lisboa; o Apoio ao lançamento comercial dos produtos turisticos "Roteiros Eno-Gastronómicas - Da Terra ao Prato Alentejo/ Ribatejo"; "Percurso Pedestres Transalentejo Alqueva": "Turismo de Natureza - Alentejo 0utdoor"; “Turismo de Natureza - Ribatejo Outdoor": "Guia de Restaurantes Certificados do Alentejo"; a Definição de Linha de Marketing Operacional e execução nesse âmbito de uma Campanha Promocional no mercado interno, materializada num Plano de Ação multi« meios, muito enfatizado no online, dirigido ao target do Alentejo e Ribatejo, cuja
  19. 19. 18 elaboração e acompanhamento será fortemente participada pelo trade turístico regional; o Outras ações especiais (a definir). Pretende-se que esta Campanha engloba ainda um subplano direcionado especificamente ao produto- Turismo de negócios/ congressos, com o objectivo da rentabilizar as infraestruturas da região neste segmento de oferta, as quais se localizam principalmente em Évora, Tróia e Beja.
  20. 20. 19 ANEXO - PROMOÇÃO NO MERCADO DE ESPANHA SUB PLANO "INTERNACIONALIZAÇÃO TURÍSTICA DO ALENTEJO" - SIQI/ QREN a) Missões empresariais a Feiras Internacionais de Turismo: FITUR - Madrid (28 de Janeiro a 1 de Fevereiro); b) Apoio às empresas para participação nos Workshops Nacionais: Workshops Nacionais em Espanha e Barcelona (Tema Ml) c) Outras ações Sales Blitz Espanha - Fevereiro 2015; Publicidade das empresas na brochura de operadores; Fam trips organizadas no âmbito dos clubes de produto. CAMPANHA DE PROMOÇÃO DOS PRODUTOS DE NICHO DO ALENTEJO" continuará em execução até 30 de Junho de 2015 o sub plano em titulo, cujas acções fomos levando ao conhecimento do Turismo de Portugal nos relatórios intercalares, decorrendo a intervenção nos mercados de Espanha, Brasil, Benelux, Reino Unido e iniciando-se no último trimestre do ano a intervenção em França, esta última com contornos e razões que aqui explanaremos. Também por determinação do respectivo regulamento, que interdita a ligação das campanhas a marcas comerciais, apenas permitindo uma abordagem numa óptica de destino, as acções consideradas foram as seguintes: - Identificação, mercado a mercado, da apetência pelo consumo dos produtos turísticos do Alentejo, sobretudo dos que estão a ser trabalhados ao nível dos clubes de produto constituldos no âmbito do plano financiado pelo SIQI; 0 identificação dos canais específicos em que esses produtos são divulgados e promovidos (imprensa especializada, operadores especializados, grupos / associações com interesses especificos, etc). o Realização de campanha promocional versando os produtos identificados como da maior importância para cada mercado, através de acções como: 1) Conteúdos editoriais e publicidade - nos suportes analógicos e digitais da imprensa, de operadores e de grupos e associações de interesses específicos, mediante inserções, banners e/ ou criação de micro-sites; 2) Press Trips - através da realização de press trips ao destino Alentejo, com jornalistas proveniente dos mercados antes referidos; /% ; Z
  21. 21. 20 3) Fam Trips - através da realização de fam trips com operadores e agentes de viagens de nicho que operam nos mercados estratégicos a intervencionar; 4) Acções de divulgação - através da realização de acções de divulgação, apresentações e distribuição de material promocional do destino Alentejo junto da imprensa, operadores e agentes de viagens de nicho e grupos e associações de interesses específicos, publicação de comunicados de imprensa, short releases, round-ups, gestão, por mercado, da presença do Alentejo nas redes sociais em linha com o visitportugal e procurando ser um aprofundamento deste. CONTRATUALIZAÇÃO - ACÇÕES POR MERCADO Com agrado, temos assistido durante o ano em curso ao retomar da recuperação do comportamento deste mercado, que conheceu uma quebra súbita após o ano de 2011, no qual atingiu resultados notáveis, a ultrapassar as 87.500 dormidas nos empreendimentos turisticos (sem TR), apresentado no acumulado ao mês de Julho um crescimento de 42,8% face ao mesmo periodo do ano anterior. Perante esta constatação, é nosso entendimento que devemos prosseguir a intervenção que vimos seguindo e que passa: i. Considerar o consumidor final como o enfoque de toda a intervenção; ii. Utilizar os meios de comunicação social, nomeadamente as redes sociais, bem como a capacidade de comunicar com grupos alvo especificos por parte de alguns parceiros, como meios preferenciais para atingir o consumidor final; iii. Centrar as mensagens nos produtos sol e mar, gastronomia e vinhos e touring; iv. Considerar abordagens especificas para o turismo activo, como o surf, o cycling e o walking, utilizando meios não convencionais para atingir o praticante destas actividades, ao mesmo tempo que se procura aumentar a visibilidade do Alentejo nos canais onde estes produtos são tra nsaccionados. Com estes considerandos e tendo presente que teremos de encontrar formas inovadoras que garantam a manutenção do interesse do consumidor, que é o destinatário de toda a intervenção, entendemos ser de prosseguir as seguintes acções: 1 - Comunicação Social: a) Aproveitar o facto de a faixa litoral continuar a ser considerada a zona mais "it", para fazer incidir sobre este território a intervenção dos media, continuando a fomentar a utilização dos recursos locais para produções de moda e elaboração de reportagens com personalidades de notoriedade em Espanha; b) 'lirar partido da proximidade entre Madrid e o Alentejo, para convidar os media a virem experimentar a gastronomia e os vinhos, promovendo a ideia da escapada ao Alentejo, até por razões de proximidade;
  22. 22. 21 c) Promover três eventos gastronômicas e vinicos em Madrid, Barcelona e Sevilha para jornalistas, bloggers e convidar para esses eventos elementos destacados das comunidades consideradas, para uma boa mediatização de cada evento. Serão ações em que se apresentará a cozinha de autor inspirada na tradição gastronômica do Alentejo, bem como vinhos, também numa óptica de apresentação de "vinhos de autor". Acresce referir que nestas apresentações serão abordados outros produtos, com especial referência para o "Sol e Mar" na acção a decorrer em Madrid; d) Continuar a ter uma presença dinâmica nas redes sociais; 2 - Fomento da comercialização: a) Parceria com "Tiendas Mammoth", para difusão de oportunidades e comercialização de produtos de turismo activo, sobretudo em termos de cyclíng e walking; b) Manutenção das parcerias com "La Madrileña de Surf" e "Las Dunas", para venda deste produto, podendo implicar assegurar visibilidade do Alentejo em provas de surf de referência em Espanha; c) Parceria com a plataforma de distribuição "Tripping", para incentivo à comercialização dos diferentes segmentos do turismo activo; d) Campanhas conjuntas com os Operadores "Mucho Viaje e "Atrapalo", abrangendo a multiplicidade de produtos do Alentejo; e) Parceria com o Operador "TOPRURAL”, focando especifica mente a oferta de TR do Alentejo ; 3 - Acções especificas, que serão determinadas em função de situações de oportunidade de contexto: a) Conseguir captar a realização de alguns episódios do programa "Master Chief - España" para o Alentejo; b) Acções de promoção integrada com os parceiros; c) Acções articuladas com o plano financiado pelo SIQI, nomeadamente as apresentações e sessões de comercialização nas comunidades de Madrid, Barcelona e Sevilha; Depois de todas estas acções que aqui se explanaram, importa ainda considerar a presença do Alentejo nos certames já identificados no calendário de acções financiadas pelo SIQI do QREN, bem como as que resultam do envolvimento do Alentejo em acções de dimensão nacional. Enquanto resumo, sublinhamos que o investimento será sobretudo canalizado para as rubricas "Acções com Agentes do Sector", "Acções com a Imprensa" e "Feiras. W
  23. 23. alentejo _- V' M ribatejo Plano de Atividades 2015 Encerramento O presente Plano de Actividades que é composto por 21 páginas. que antecedem devidamente rubricadas. foi aprovado em reunião de comissão executiva realizada em 13 de Novembro 2014. Comissão Executiva

×