Assistência ao Paciente Grande Queimado

2.274 visualizações

Publicada em

Aula sobre assistência ao grande queimado que fez parte do CURSO DE CAPACITAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM QUANTO AO ATENDIMENTO DO PACIENTE GRANDE QUEIMADO

Publicada em: Saúde e medicina

Assistência ao Paciente Grande Queimado

  1. 1. Assistência de Enfermagem ao Paciente Grande Queimado Enfa. Janaína Lassala
  2. 2. No Brasil, as queimaduras representam um agravo significativo à saúde pública. Algumas pesquisas apontam que, entre os casos de queimaduras notificados no País, a maior parte ocorre nas residências das vítimas e quase a metade das ocorrências envolve a participação de crianças. Os idosos também compreendem um grupo de risco alto para queimaduras devido à sua menor capacidade de reação e às limitações físicas peculiares à sua idade avançada. (Ministério da Saúde, 2012)
  3. 3. -Lesão tecidual decorrente de trauma térmico, elétrico, químico, radioativo, certos animais ou vegetais; -Atuam nos tecidos de revestimento do corpo humano, determinando destruição parcial ou total da pele e seus anexos, podendo atingir camadas mais profundas como tecido celular subcutâneo, músculos, tendões e ossos.
  4. 4. -Queimaduras superficiais (epiderme) -Queimaduras dérmicas superficiais (epiderme, derme >> bolhas) -Queimaduras dérmicas profundas (epiderme, derme >> folículos pilosos, glâdulas) -Queimaduras de espessura total
  5. 5. -Pequeno queimado -Médio queimado -Grande queimado Paciente com trauma grave, de grande risco, que necessita de atendimento emergencial e multidisciplinar
  6. 6. - Importante! Extensão da pele queimada - área corporal atingida. Baixa : menos de 15% da superfície corporal atingida Média : entre 15 e menos de 40% da pele coberta e Alta : mais de 40% do corpo queimado. -Regra dos 9 % afetada -Gráfico de Lund e Browder
  7. 7. ÁREA ADULTO CRIANÇA Cabeça e Pescoço 9% 18% Membro superior D 9% 9% Membro superior E 9% 9% Tronco anterior 18% 18% Tronco posterior 18% 18% Genitália 1% 1% Coxa D 9% 4,5% Coxa E 9% 4,5% Perna e Pé D 9% 4,5% Perna e Pé E 9% 4,5%
  8. 8. Grupo I (Leve) Grupo II (Moderado) Grupo III (Grave) Grupo IV (Crítico) Primeiro Grau Até 10% 11% a 30% 31% a 60% > 60% Segundo Grau Até 5% 6% a 15% 15% a 45% > 45% Terceiro Grau Até 1% 2% a 5% 6% a 30% > 30%
  9. 9. Grupo I (Leve) Grupo II (Moderado) Grupo III (Grave) Grupo IV (Crítico) Curativo diário em ambulatório Internamento em unidade especializada Internamento em unidade especializada, Considerar UTI Internamento em UTI
  10. 10. ** orientações ** -Extinguir a fonte de calor; -Lavar o local atingido com água corrente em temperatura ambiente - até que a área queimada seja resfriada; -Buscar o auxílio de um profissional de saúde; -Os contatos pra ligação gratuita: Samu 192 e Bombeiros 193
  11. 11. -Uso de receitas caseiras >> mateiga, café... infecção -Uso de pomadas >> risco de infecções e uso inadequado -Bolhas rompidas >> apenas por profissional capaciado -Sujidade >> risco de infecções -Uso de acessórios >> edema -Tecido ou outros materiais aderidos >> risco de aderir na pele
  12. 12. A)Vias Aéreas -Avaliar presença de corpos estranhos, verificar e retirar qualquer tipo de obstrução B)Respiração -Aspirar vias aéreas superiores (S/N) -Administração de O2 a 100% (máscara umidificada) e na suspeita de intoxicação por CO manter por 3h -Manter cabeceira elevada (30°) -Intubação orotraqueal (S/N)
  13. 13. C)Queimaduras circulares -Tórax, MMSS, MMII, perfusão D)Doenças e traumas associados -Providencias imediatas E)Área queimada - Deixar exposta
  14. 14. -Fórmula de Parkland 4 ml/kg de peso corporal/percentagem SCQ, de Ringer Lactato. Sendo que, para fins de cálculo inicial, programa-se que a metade deste volume deva ser infundido nas primeiras 8 horas após a queimadura e a outra metade nas 16 horas seguintes. Ex.: Mulher com 65kg com 70% SCQ Volume de Ringer = (4ml/kg x 65kg) x 70 = 18200ml
  15. 15. Antibióticos são utilizados no caso de uma suspeita clínica ou laboratorial de infecção. Não utilizar antibiótico profilático!
  16. 16. -Recomenda-se a nutrição enteral nas primeiras 24 horas após a queimadura para prevenir a diminuição da resistência à infecções da cicatrização
  17. 17. - Curativo é o último procedimento a ser realizado; - Se for transferido para unidade próxima - realizar curativo nesta unidade; - Se houver estabilidade hemodinâmica, e a transferência for demorar - realizar curativo; - Sempre proporcionar analgesia potente
  18. 18. O paciente deve entrar em contato com a unidade de queimados nos casos: *Abertura da área cicatrizada; *Formação de bolhas; *A temperatura esteja acima de 37.2ºC; *Se houver rubor, dor, edema, rigidez ou calor na ferida ou em volta dela; *Quando há aumento do exsudato ou quando este apresenta cheiro desagradável;
  19. 19. -Adote atitudes positivas -Nunca subestime a dor de um paciente queimado -Profilaxia de tétano -Avaliar risco de queimadura de vias aéreas superiores -A dimensão e graduação da queimadura devem ser precisas: hidratação não pode excessiva nem subestimada
  20. 20. -A reabilitação do paciente queimado deve envolver equipe interdisciplinar -O profissional de enfermagem tem papel importante no apoio emocional ao paciente e familiares -Não pode-se prever o aspecto da cicatriz -Promover a participação do paciente e/ou familiares -Evitar comentários desnecessários em relação à doença ou ao tratamento
  21. 21. “Qualquer que seja a doença, não importa quão avançada esteja ou quais tratamentos já tenham sido recebidos,haverá sempre alguma coisa que pode ser feita para promover a qualidade de vida que resta para o paciente”. (Kubbler- Ross)

×