Successfully reported this slideshow.

Gestaodoconhecimentonobrasil 090915135811-phpapp02

82 visualizações

Publicada em

Gestao do conhecimento

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Gestaodoconhecimentonobrasil 090915135811-phpapp02

  1. 1. Gestão do Conhecimento no Brasil SERPRO, Brasília 29/03/2005 Prof. Dr. José Cláudio C. Terra
  2. 2. p. 2 Qual o tipo de Conhecimento tem valor para as organizações? Tácito – abstrato Tácito - procedural Competências Metáforas, Valores, Estórias Comunicado (“Falado”) Codificado (científico, processos, softwares) Embutido ...começando pelo essencial... Gestão exige abordagens absolutamente distintas
  3. 3. p. 3 Quais são as fontes de aprendizado e conhecimento? Colaboradores Clientes Fornecedores Competidores Parceiros Comunidade + diversas fontes de informação... ...começando pelo essencial... Gestão exige novos modelos organizacionais e de negócio
  4. 4. p. 4 Princípios Administrativos Planejar Organizar Coordinar Controlar • Escola japonesa • Produção enxuta • Qualidade • Gestão da inovação • Posicionamento Estratégico • Escola de relações humanas • Gestão de P&D • Planejamento Estratégico 1900-1920 1920-1970 1970-1990 1990- Qual a origem da Gestão do Conhecimento? • Gestão de / por Competências & U.C. • Gestão de Alianças e relacionamentos • Gestão por Processos • Gestão de Informação & Web • Inteligência Competitiva • Novas Formas Organizacionais • Mensuração do Capital Intelectual
  5. 5. p. 5 Definindo a Gestão do Conhecimento GERAÇÃO, IDENTIFICAÇÃO, VALIDAÇÃO, DISSEMINAÇÃO, COMPARTILHAMENTO, USO e PROTEÇÃO ! " # $ % "&
  6. 6. p. 6 Não reinventar a roda Prover Informação Relevante J.I.T. Integrar Informação e Conhecimento Externos Facilitar Contribuição Individual Reduzir Silos de Informação Vender Conhecimento Integrar Divisões e Empresas Aumentar Colaboração em vários Níveis Benchmark Interno e Externo Acelerar Aprendizado Mapear Competências Individuais Proteger e Valorizar o Cap. Intelec. Vender Conhecimento Objetivos e Escopo da Gestão do Conhecimento
  7. 7. p. 7 Gestão de Conhecimento pode envolver, portanto, muitas iniciativas em níveis bastante distintosEstratégiaTIDesenvolvimento Organizacional Plano de Sucessão Comunidades de prática Páginas amarelas de experts Ferramenta de busca Taxonomia Processo de inovação Melhores práticas E-Learning Programa de idéias Coaching & mentoring ‘Story telling’ Inovação e criação Inovação e criação CodificaçãoCodificação OrganizaçãoOrganização CompartilhamentoCompartilhamento DisseminaçãoDisseminação ProteçãoProteção Memória de projetos Portais para clientes/fornecedores Lista não com pleta Memória da Empresa Benchmark Inteligência Competitiva Mapeamento de competências Proteção de Conhecimento Comunicação corporativa Portal corporativo e Gestão de Conteúdo Gestão de Documentos Plano de carreira Knowledgebases Mapeamento de processosCentros de Competência Aquisição Hiring Lições aprendidas Blogs e Wikis Pesquisa de Clima Política de Segurança
  8. 8. p. 8 processos organização infra-estruturapessoas natureza voluntários e informais voluntários e informais agendas da coordenação agendas da coordenação rotinas e projetos rotinas e projetos Processosde colaboraçãoecodificação recursos liderança pessoas dedicadas gestores de áreas de conteúdo incentivo organização recursos liderança pessoas dedicadas gestores de áreas de conteúdo incentivo organização ações sensibilização treinamentos valores contrato de gestão pessoas ações sensibilização treinamentos valores contrato de gestão pessoas Infra-estrutura tecnologias conferência eletrônica boletim eletrônico chat mensagem instantânea gestão de conteúdo gestão eletrônica de documentos sistema de busca workflow CRM plataforma de colaboração plataforma de e-learningbase de dados Infra-estrutura tecnologias conferência eletrônica boletim eletrônico chat mensagem instantânea gestão de conteúdo gestão eletrônica de documentos sistema de busca workflow CRM plataforma de colaboração plataforma de e-learningbase de dados Imperativos Estratégicos Direcionadores do Negócio e Garantidores de Vantagens Competitivas Como Implementar Gestão do Conhecimento (GC)?
  9. 9. p. 9 Neste cenário, como se encontra a Gestão do Conhecimento no Brasil?
  10. 10. p. 10 MERCADOOFERTA DEMANDA Tem que haver um equilíbrio…
  11. 11. p. 11 MERCADOOFERTA demanda …mas parece haver uma distorção
  12. 12. p. 12 OFERTA …a oferta é bem organizada e relativamente poderosa Infra-estrutura tecnologias conferência eletrônica boletim eletrônico chat mensagem instantânea gestão de conteúdo gestão eletrônica de documentos sistema de busca workflow CRM plataforma de colaboração plataforma de e-learningbase de dados Projetos Soluções (exemplos) Gestão por Competência Árvore de Conhecimentos Páginas Amarelas Univ. Corporativa M. Ativos Intangíveis Comunidades de Prática PdPI Banco de Lições Aprendidas Inteligência CompetitivaBenchmarking Curso de Coaching SOPA DE LETRINHAS E SOLUÇÕES (?)
  13. 13. p. 13 Falta, porém, que as empresas respondam uma série de questões antes de simplesmente abraçar os métodos e ferramentas da Gestão do Conhecimento
  14. 14. p. 14 ….falta também compreender a questão fundamental da Gestão do Conhecimento
  15. 15. p. 15 Como a GC afeta a Produtividade?
  16. 16. p. 16 OUTPUTOUTPUT INPUTINPUT P =P =
  17. 17. p. 17 PROCESSO PRODUTIVO INPUT OUTPUT Recursos Físicos Produtos Tangíveis PROCESSO PRODUTIVO INPUT OUTPUT Recursos de Conhecimento Produtos Intangíveis Processos tradicionais Processos intensivos em Conhecimento Mudanças fundamentais nos desafios gerenciais
  18. 18. p. 18 Processos tradicionais Processos intensivos em Conhecimento Em setores intensivos em conhecimento a relação entre outputs e inputs (produtividade) é, por vezes, muito difícil de ser mensurada… Resultados não estruturados e por vezes inesperado Processo interno pouco conhecido $$$$ Informação Experiências Produtos e Serviços claramente definidos Perfeitamente compreendido e mapeado $$$$ Equipamentos Mão-de-obra OUTPUTSPROCESSO PRODUTIVO INPUTS
  19. 19. p. 19 Como fica o cálculo da produtividade no mundo dos intangíveis? OUTPUTOUTPUT INPUTINPUT P =P =
  20. 20. p. 20 Como fica o cálculo da produtividade no mundo dos intangíveis? OUTPUTOUTPUT INPUTINPUT P =P =
  21. 21. p. 21 TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento: Como: Como eleseles geramgeram valorvalor ????
  22. 22. p. 22 TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento: Como: Como eleseles geramgeram valorvalor ???? • Produzindo (mais) informação • Colaborando e Ensinando • Tomando decisões • Inovando • Produzindo (mais) informação • Colaborando e Ensinando • Tomando decisões • Inovando
  23. 23. p. 23 TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento: Como: Como eleseles geramgeram valorvalor ???? • Tomando decisões • Produzindo (mais) informação • Colaborando e Ensinando •Inovando • Tomando decisões • Produzindo (mais) informação • Colaborando e Ensinando •Inovando
  24. 24. p. 24 Como fica o cálculo da produtividade no mundo dos intangíveis? OUTPUTOUTPUT INPUTINPUT P =P =
  25. 25. p. 25 TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento:: queque tipostipos dede inputsinputs eleseles precisamprecisam?? • Aprendizado • Novas Habilidades • Dinâmica de Trabalho • Aprendizado • Novas Habilidades • Dinâmica de Trabalho
  26. 26. p. 26 Input: 1ª perspectiva AprendizadoAprendizado
  27. 27. p. 27 TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento: Como: Como eleseles aprendemaprendem ????
  28. 28. p. 28 # # ' ( )* + # + , - ' . / 0 TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento: Como: Como eleseles aprendemaprendem ???? #
  29. 29. p. 29 Input: 2ª perspectiva Novas HabilidadesNovas Habilidades
  30. 30. p. 30 TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento:: QuaisQuais habilidadeshabilidades eleseles precisamprecisam desenvolverdesenvolver ??
  31. 31. p. 31 Habilidades para o trabalhador do conhecimento 1. Acesso efetivo à informação 2. Avaliação e validação da informação 3. Organização e proteção da informação 4. Atuação em Rede: Colaboração, Publicação e Disseminação da Informação
  32. 32. p. 32 Acesso efetivo à informação Definição de foco e uso de conceitos associativos Elaboração de questões pertinentes Técnicas de busca e estratégias de busca Uso de redes de colaboração virtual
  33. 33. p. 33 Avaliação e validação da informação Capacidade de julgamente, interpretação e questionamento Compreensão do uso de fontes e referências Técnicas de teste e validação da informação Uso de redes de colaboração e validação por pares
  34. 34. p. 34 Organização e proteção da informação Receber, filtrar, classificar e armazenar informação Manter atualizado lista de contatos e de “quem sabe o que” Desenvolver métodos e rotinas para manter a informação valiosa protegida e facilmente recuperável
  35. 35. p. 35 Atuação em Rede: Colaboração, Publicação e Disseminação da Informação Habilidades de escrita, comunicação oral e síntese Publicar de forma apropriada para diferentes tipos de meios (impresso, digital, multimedia) Decidir sobre alvos da comunicação e interação Trabalhar de forma síncrona e assíncrona
  36. 36. p. 36 Input: 3ª perspectiva Dinâmica de TrabalhoDinâmica de Trabalho
  37. 37. p. 37 QuaisQuais sãosão asas necessidadesnecessidades dodo TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento????
  38. 38. p. 38 Equilibrar vida pessoal e profissional Acessar vários aplicativos distintos ao longo do dia Economizar tempo e evitar atividades de baixo valor Trabalhar em qualquer lugar Equilibrar trabalho individual e em grupo Gerenciar excesso de informação Publicar informações e compartilhar conhecimentos para públicos escolhidos Saber o que e em quem confiar AsAs NecessidadesNecessidades dodo TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento???? Gerenciar seu tempo
  39. 39. p. 39 Aprender continuamente Autonomia e Gerenciamento sua própria carreira Colaborar com outros • de seu próprio departamento • de outros departamentos • de outras organizações Desenvolver uma identidade própria Ser ouvido e reconhecido Ser supreendido positivamente Ter acesso a fontes de conhecimento quando necessário AsAs NecessidadesNecessidades dodo TrabalhadorTrabalhador dodo ConhecimentoConhecimento????
  40. 40. p. 40 ...estas necessidades mudam dependendo de sua localização Escritório Encontro Casa Carro Hotel Avião Aeroporto Café Fazer, planejar, network, discutir Confraternizar, ensinar, aprender, compartilhar Focar, estudar produzir Refletir, socializar Produzir, responder Refletir, ler, escrever Ler, responder Escrever Fonte:adaptado de trabalho de Steve BarthFonte:adaptado de trabalho de Steve Barth
  41. 41. p. 41 Considerações Finais
  42. 42. p. 42 Considerações Finais – Dificuldades Específicas do Brasil Valor dos “intangíveis” é ainda pouco difundido nas organizações Baixa propensão a investir em Conhecimento, de maneira geral Projetos com ciclos curtos de financiamento Falta de disciplina para seguir processos de “conhecimento” CIOs fazendo transição do mundo dos dados para o mundo da informação e do conhecimento Dificuldade em “medir” GC Falta de inserção explícita nos planejamentos estratégicos Domínio dos Acadêmicos
  43. 43. p. 43 Considerações Finais Melhorar a produtividade dos trabalhadores do conhecimento é um dos grandes desafios da atualidade A produtividade individual e coletiva depende de processos, valores, habilidade e ferramentas bem articuladas. Nossos modelos gerenciais da Era Industrial estão absolutamente ultrapassados: Gestão do Conhecimento é absolutamente necessária!
  44. 44. p. 44 ! 1 2 3 4 "# $ % #

×