_acta_

cia. 

 

m

.  .In. 

_wa/ INK_

anal. ..



? win
ÍVÍARIÁ Cí-STlíxixtH/ ê'. 

O cEu EsTAvA TODO cINzENTO E QUASE NuNcA APAREcIA
O soL,  MAs ENQUANTO NÃO CHOVIA Os MENINOS I...
Itu-rara». 

. ..É

.  . _
f. ,
. A
_ x
. . . m.
t. . . ..W. n . 
;.37
4
If¡
,  a
3.3.. 
7 _
. 
. H à
.  . . ,., 

M233».
UMA vEz APARECEU NO JARDIM UMA MENINA DIFERENTE: 
NÃO TINHA AS BOcHEcHAs ENCARNADAS,  MAS UMA
CARINHA REDONDA,  cAsTANHA, ...
FORAM BRINCAR AO JOGO DO APANHAR. 

A it , ARIA Cf-; STAJJTUÀ CORRIA MAIS DO QUE TODOS. 

- QUEM ME APANHA?  NINGUÉM ME AP...
O SAcO DAS cAsTANHAS cAIU E ESPALHOU-AS TODAS A
REBOLETA PELO CHÃO. 

A ? MARA CASTAN HA cAIU TAMBEM E FIcOU SENTADA NO
ME...
PRONTO.  FIcARAM As CASTANHAS APANHADAS NUM
INSTANTE. 

- ONDE ESTÃO OS TEUS PAIS?  - PERGUNTOU O VENDEDOR
DE CASTANHAS Ã ...
E O VENDEDOR DEITOU CASTANHAS E SAL DENTRO DO
ASSADOR E PÕ-L0 EM CIMA DO LUME. 

DALI A POUCO AS CASTANHAS ESTALAVAM. .. T...
, -wx-n- 7  ~ . , .  ',  _, 
"av-El.  v  *ur* -s. .=Ív*"". ,.. ~›zx. '.rz-. ;ae-, L , _. «É m5., 

 

 

   

.  .
. _e P¡...
, -wx-n- 7  ~ . , .  ',  _, 
"av-El.  v  *ur* -s. .=Ív*"". ,.. ~›zx. '.rz-. ;ae-, L , _. «É m5., 

 

 

   

.  .
. _e P¡...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mcastanhapp

392 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
392
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • mariaaaa
  • Fim
  • Mcastanhapp

    1. 1. _acta_ cia. m . .In. _wa/ INK_ anal. .. ? win
    2. 2. ÍVÍARIÁ Cí-STlíxixtH/ ê'. O cEu EsTAvA TODO cINzENTO E QUASE NuNcA APAREcIA O soL, MAs ENQUANTO NÃO CHOVIA Os MENINOS IAM BRINcAR PARA O JARDIM. UM JARDIM MUITO GRANDE E BONITO, COM UMA GRADE PINTADA DE VERDE TODA EM VOLTA, DE MODO QUE NÃO HAVIA PERIGO DE Os AUTOMÓVEIS ENTRAREM E ATROPELAREM Os MENINOS QUE cORRIAM E BRINcAvAM A VONTADE, DE MUITAS MANEIRAS. uNs ANDAVAM Nos BALOIÇOS E Nos EscORREGAs, OUTROS DErrAvAM PÃO Aos PATOs DO LAGO, OuTROs METIAM Os PÉS POR ENTRE As FOLHAS sEcAs E FAZlAM-NAS EsTALAR - cRAc, cRAc - DEBAIXO DAs BOTAS, OuTROs cORRIAM DE BRAÇOS ABERTOS ATRÁS Dos POMBOs, QUE SE LEvANTvAM E FUGIAM, TAMBÉM DE AsAs ABERTAS. ERA BOM IR AO JARDIM. E MESMO SEM HAVER soL, Os MENINOS sENTIAM Os PÉS QUENTINHOS E I= IcAvAM cOM As BOCHECHAS ENcARNADAs DE TANTO CORRER E sALTAR.
    3. 3. Itu-rara». . ..É . . _ f. , . A _ x . . . m. t. . . ..W. n . ;.37 4 If¡ , a 3.3.. 7 _ . . H à . . . ,., M233».
    4. 4. UMA vEz APARECEU NO JARDIM UMA MENINA DIFERENTE: NÃO TINHA AS BOcHEcHAs ENCARNADAS, MAS UMA CARINHA REDONDA, cAsTANHA, cOM DOIS GRANDES OLHOS ESCUROS E BRILHANTES. - cOMO TE CHAMAS? - PERGUNTARAM-LHE. - MARIA. Às vEzEs CHAMAM-ME c. L,sTA. .-›II-I; ›.. - QUE ENGRAçADO, c, ›^asT. «a; *I›-: .<›. .I QUERES BRINCAR? -QUERO. x . -w-u_ L, g Ar- : na . x e , e . e , J Ve¡ à '~ ' 1 x¡ l i ç-. g1¡ -^" . ' o s. ? '_ _ . I "Í II i . , -^ ' ' a. ; - I @a m, E e. 'U m4
    5. 5. FORAM BRINCAR AO JOGO DO APANHAR. A it , ARIA Cf-; STAJJTUÀ CORRIA MAIS DO QUE TODOS. - QUEM ME APANHA? NINGUÉM ME APANHAI ELA CORRIA TANTO. CORRIA TANTO QUE NEM VIU O CARRINHO DO VENDEDOR DE CASTANHAS QUE ESTAVA A PORTA DO JARDIM, E FOI DE ENCONTRO A ELE. PIMBAI r 1-7' “ ng-"N. P"" ' 1 . t 'Q . «4. v L 4' r i w i t I e lüâí aq¡
    6. 6. O SAcO DAS cAsTANHAS cAIU E ESPALHOU-AS TODAS A REBOLETA PELO CHÃO. A ? MARA CASTAN HA cAIU TAMBEM E FIcOU SENTADA NO MEIO DAS cAsTANHAS. - AH, MINHA ATREvIDAI - GRrTOU O VENDEDOR DE cAsTANHAS TODO zANGADO. _ - FOI SEM QUERER - DISSE A MARI/ ix 6243.5 TAêYH-«l/ i.. - FOI SEM QUERER - ExPLIcARAM OS OUTROS MENINOS. - EU AJUDO A APANHAR TUDO - DISSEA MARIA cAsTANHA, DE JOELHOS A PANHAR AS cAsTANHAS cAlDAS. E OS OUTROS AJUDARAM TAMBÉM.
    7. 7. PRONTO. FIcARAM As CASTANHAS APANHADAS NUM INSTANTE. - ONDE ESTÃO OS TEUS PAIS? - PERGUNTOU O VENDEDOR DE CASTANHAS Ã MARIA CASTANHA. - FORAM Ã PROCURA DE EMPREGO. - E TU? - VINHA Ã PROCURA DE AMIGOS. - JÁ ENCONTRASTE. NOS SOMOS TEUS AMIGOS - DISSERAM Os MENINOS. - EU TAMBÉM SOU - DISSE O VENDEDOR DE CASTANHAS. E Pós A MÃO NOS CABELOS DA MARIA CASTANHA. QUE ERAM FRISADOS E FOFINHOS COMO A LÃ DOS CARNEIRINHOS NOVOS. DEPOIS, DISSE: - QUANDO OS AMIGOS SE ENCONTRAM E COSTUME FAzER UMA FESTA. VAMOS FAzER UMA FESTA DE CASTANHAS. GOSTAM DE cAsTANHAS? - GOSTAMOSI GOSTAMOSI - GRITARAM Os MENINOS. - NÃO SEI. NUNCA COMI CASTANHAS; NA MINHA TERRA NÃO HÁ - DISSE MARIA CASTANHA. - POIS VAIS SABER COMO E BOM.
    8. 8. E O VENDEDOR DEITOU CASTANHAS E SAL DENTRO DO ASSADOR E PÕ-L0 EM CIMA DO LUME. DALI A POUCO AS CASTANHAS ESTALAVAM. .. TAUI TAUI - AI, SÃO TIROS? - ASSUSTOU-SE A MARIA CASTANHA, PORQUE VINHA DE UMA TERRA ONDE HAVIA GUERRA. - NÃO TENHAS MEDO. SÃO AS CASTANHAS A ESTALAR COM O CALOR. DO ASSADOR SUBIU UM FUMOSINHO AZUL CLARO A CHEIRAR BEM. E AzUIS ERAM AGORA AS CASTANHAS ASSADAS E MUITO QUENTES QUE O VENDEDOR DEU Ã MARIA CASTANHA E AOS SEUS AMIGOS. E BOM, E - RIA-SE A MARIA CASTANHA A TRINCAR AS CASTANHAS ASSADAS. - SE ME QUISERES AJUDAR PODES COMER CASTANHAS TODOS OS DIAS. SABES FAZER CARTUCHOS DE PAPEL? A MARIA CASTANHA NÃO SABIA, MAS APRENDEU. E ELA QUEM ENROLA O PAPEL DE JORNAL PARA FAZER CARTUCHINHOS ONDE O VENDEDOR METE AS CASTANHAS QUE VENDE AOS FREGUESES Ã PORTA DO JARDIM.
    9. 9. , -wx-n- 7 ~ . , . ', _, "av-El. v *ur* -s. .=Ív*"". ,.. ~›zx. '.rz-. ;ae-, L , _. «É m5., . . . _e P¡ x - . . 5 . _ É e¡ . . - T . '-. z m 'í- _ê I à. í V' › . N, E sr . '› 1 . : Em ' t a5' g “ ' 5a, _ b* : l *? _=_'§""5.› R** ÉÍÍ": -_E, Í~'~: "_ÍFT? TÍT, '; : R: íÍ"'~2'1¡I“. : *iq-tr 'A ' ' ' =19n~«, ñ?": ~|6¡"p w' 'W TT V' E E =
    10. 10. , -wx-n- 7 ~ . , . ', _, "av-El. v *ur* -s. .=Ív*"". ,.. ~›zx. '.rz-. ;ae-, L , _. «É m5., . . . _e P¡ x - . . 5 . _ É e¡ . . - F . '-. z m 'í- _ê I à. í V' › . N, E f' . '› 1 . : Em ' t a5' g “ ' 5a, _ b* : l *? _=_'§""5.› R** ÉÍÍ": -_E, Í~'~: "_ÍFT? TÍT, '; : R: íÍ"'~2'1¡I“. : *iq-tr 'A ' ' ' =19n~«, ñ?": ~|6¡"p w' 'W TT V' E E =

    ×