Fenomenologiade Edmund HusserlProf. Ms. Adnilson José da SilvaDepartamento de PedagogiaUNICENTRO - PR
Fenomenologia de Edmund Husserl(matemático e filósofo alemão, 1859 – 1938)fenômeno(gr.) phainomenon:“aquilo que aparece”De...
A Fenomenologia sedesenvolveu como método deestudos emumperíodomarcado pela valorização dasconcepções modernas deconhecime...
FenomenologiaCombinaçãocoletiva, ouagrupamento deitens emagregados.MétodocartesianoDivisão do objetoempartes paraanálise d...
epochéSuspensão de juízosobre a realidadeextramental oususpensão do mundo.Confiança na experiência e na capacidade de anál...
“E mesmo se não tivermosum interesse particularpelaciência natural, e mesmo senada soubermos de seusresultados, ainda assi...
Síncrese Análise SínteseO que é pensar, se não for conhecer, representar, refletir?Pensar vem do verbo latino pendere, cuj...
Assim, quando, num ferimento, se rompeu o tecido das células, pensar aferida não diz, em primeiro lugar, refletir ou repre...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fenomenologiadehusserl 121101201600-phpapp02

118 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
118
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fenomenologiadehusserl 121101201600-phpapp02

  1. 1. Fenomenologiade Edmund HusserlProf. Ms. Adnilson José da SilvaDepartamento de PedagogiaUNICENTRO - PR
  2. 2. Fenomenologia de Edmund Husserl(matemático e filósofo alemão, 1859 – 1938)fenômeno(gr.) phainomenon:“aquilo que aparece”Descrição e análise conscientedo que inegavelmente aparece
  3. 3. A Fenomenologia sedesenvolveu como método deestudos emumperíodomarcado pela valorização dasconcepções modernas deconhecimento, logo, emumtempo marcado peladecadência das explicaçõesreligiosas para os fenômenosvisíveis.
  4. 4. FenomenologiaCombinaçãocoletiva, ouagrupamento deitens emagregados.MétodocartesianoDivisão do objetoempartes paraanálise de cadauma delas, dasmais simples àsmais complexas.epoché
  5. 5. epochéSuspensão de juízosobre a realidadeextramental oususpensão do mundo.Confiança na experiência e na capacidade de análise(consciente) e segurança na linguagem para suspender(delimitar), analisare explicaro objeto (teorizar).Oobjeto fica suspenso(como congelado) paraa análise científica.http://migre.me/584Pp
  6. 6. “E mesmo se não tivermosum interesse particularpelaciência natural, e mesmo senada soubermos de seusresultados, ainda assim, oque existe é pré-dado a nósporantecipação edeterminado de tal modoque o assumimos nomínimo como sendo emprincípio cientificamentedeterminável.”(Experiênciaejulgamento,1939)
  7. 7. Síncrese Análise SínteseO que é pensar, se não for conhecer, representar, refletir?Pensar vem do verbo latino pendere, cujo particípio passado é pensum.Pendere significa pendurar, prender; e pensum, pendurado, pendido.Ainda no latim formou-se o substantivo pensum, que diz, propriamente, opendurado, a quantidade de lã que se pendura para a tarefa de tecer e fiarpor um dia. Daí, em sentido metafórico, pensum dizer a tarefa, o encargo.É de toda esta experiência que provém o verbo pensar. A concentração datecelagem remete, sempre de alguma maneira, além dos fios e da tecitura,para a totalidade do real, o universo das realizações e o todo da realidade.
  8. 8. Assim, quando, num ferimento, se rompeu o tecido das células, pensar aferida não diz, em primeiro lugar, refletir ou representar, nem calcularou raciocinar nem determinar relações e instituir funções. Diz amarrarpara restaurar o tecido, a tecelagem das células, de maneira a permitira passagem das várias correntes: a corrente do sangue, a corrente dosestímulos, a corrente bio-elétrica, a corrente bio-química. É no exercícioradical desta restauração da realidade nas realizações que reside oofício do pensamento. Neste sentido, todo pensamento é integrador;aglutina sempre o real com a realização.LEÃO, Emmanuel Carneiro.Os pensadores originários:Anaximandro, Parmênides,Heráclito. Petrópolis, RJ:Vozes, 1991. (p. 10)

×