I - - __
~- -
POETA DAS MORENINHAS
Sou um eterno poeta apaixonado
Jovem trovador ...
Astronalfa do céu estrelado
Mensageiro do amor.
Fal...
f'RATERNH)ADE E EDUCAÇÃO
Sou pobre e oprimido
Sou muito entre os esquecidos,
Vivo na opressão
Sem saber e sem educação.
Me...
MI6RANTE ESPECIAL
Sua terra deixou ainda criança,
Andou pelo mundo,
Em busca de mudança,
Se fez peregrino e não perdeu a e...
RUMO À 16UAWAlD!E
Braços dados lá vão eles ...
Em busca da igualdade,
Negros e brancos, índios e sem-terra, sem-teto
Todos...
JOVEM ESTUDANTE
Cadernos e livros nas mãos ...
Lá vai o jovem estudante,
Certeza da nação
Com futuro brilhante.
o futuro t...
Revívendo o Passado Verdes olhos
Ontem passei por lá
Tanta lembrança
A mangueira, a rua, a estação ...
Ali passei minha in...
Sonho de Poeta
Sou poeta ...
E não vivo na maresia
Labuto nessa terra
Vejo ódio vejo alegria
Vejo fome vejo guerra
Vejo um...
Ser ou não Ser brasileiro Essa burguesia que anda de carro novo
Roupas de marcas,
Não tem compromisso com o povo
Muito men...
Estrela de Campo Grande Moreninha quero sempre estar ao seu lado,
Hoje este poeta fala emocionado
O que por você pude escr...
Moreninha minha Inspiração
Meu bairro idolatrado ,
Voltou a ser destaque no jornal,
Dizem que os jovens desalmados
Apronta...
Chão brasileiro
Hoje em prosas e versos
Quero apenas retribuir,
Pelo carinho que teve por mim a tempos atrás.
Uso dos meus...
Extrato de obras do poeta das moreninhas
Extrato de obras do poeta das moreninhas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Extrato de obras do poeta das moreninhas

707 visualizações

Publicada em

Obras do José Mauro Messias da Silva "Poeta das Moreninhas"

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
707
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
193
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Extrato de obras do poeta das moreninhas

  1. 1. I - - __ ~- -
  2. 2. POETA DAS MORENINHAS Sou um eterno poeta apaixonado Jovem trovador ... Astronalfa do céu estrelado Mensageiro do amor. Falo com o vento Em questões de momentos Transmito o conhecimento, Procuro entender o sentimento. Nas minhas noites de insônia Trago a lua pra perto de mim, Conversamos intensivamente E ela me diz, o amor não tem fim. Esse infinito amor Procuro passar, E.. Sem sequelas de dor Só jeito de amar ... Por isso muitos me chamam de poeta Outros de eterno sonhador, Profetizando a minha meta. Por este mundo vou sendo mensageiro do senhor. Levando em mente a inspiração, No peito o amor, Sem ódio e opressão Sendo somente um poeta pacificador. A paz levarei ao mundo inteiro Pisarei todas as linhas, Como jovem ceresteiro POETA DAS MORENINHAS. 17
  3. 3. f'RATERNH)ADE E EDUCAÇÃO Sou pobre e oprimido Sou muito entre os esquecidos, Vivo na opressão Sem saber e sem educação. Me ensina a escrever Venha me educar Tenho sede do saber Quero também evangelizar. Sou indefeso, sou criança Vem, me dê as mãos Do mundo sou a esperança Se me derem educação. Quero lê... Quero aprender, Quero crescer Para nesse mundo melhor viver. Anseio a fraternidade, Sonho com a igualdade Quero ser cidadão Mas será impossível, Se não me derem educação. Vem igreja, Vem educar no amor, Esta criança indefesa Que tem fome da palavra do senhor. Educar é ser luz, Ensinar o caminho, O de Jesus 18 Que jamais deixa alguém sozinho. Então venha cristão, Cumprir sua missão Quero ser cidadão Anseio pela educação. 19
  4. 4. MI6RANTE ESPECIAL Sua terra deixou ainda criança, Andou pelo mundo, Em busca de mudança, Se fez peregrino e não perdeu a esperança. A liberdade queria conquistar, Numa terra distante, Que aprendeu a amar E nela é chamado de migrante. Longe da terra que o viu nascer, Esse humilde migrante Na terra nova quer desenvolver, Para melhor viver. Os negros da África, Pedem licença para mostrar Seu gingado na capoeira ... Os brancos da Europa, Mostram suas forças de primeiro mundo, Através das cores nas bandeiras. Os índios da América, Lutam pra sobreviver, Os amarelos da Ásia, Ficam extasiados ao ver O continente crescer. Longe da terra natal, Eles sobrevivem também, Numa terra especial Onde hoje querem bem. Pois Jesus se fez peregrino, 34 E foi muito além ... Deixou sua terra natal Pra ser chamado de rei em Jerusalém. Santo de casa não faz milagre, Diz o ditado popular, Por isso muitos se arribam, Na esperança de um novo amanhã conquistar. Vai migrante! Derruba as barreiras Que te impede de lutar, ' Mostra a cultura de sua terra natal. Transmite aos povos o dom de amar E será chamado migrante especial. ' 35
  5. 5. RUMO À 16UAWAlD!E Braços dados lá vão eles ... Em busca da igualdade, Negros e brancos, índios e sem-terra, sem-teto Todos sonham com a fraternidade. Querem viver ser feliz junto a socidade, Nada de desigualdade, Somente paz, amor, união, sinceridade Ah! Felicidade ... Na cidade grita o sem-teto ... Na sociedade, sofre o negro a discriminação, Mãos calejadas, clama o sem-terra Por um pedaço de chão ... E o pobre índio, outrora rico Com ouro, pesca e caça ... Hoje ao buscar independência É queimado na praça. JUSTiÇA, DIGNIDADE. .. Onde estão? Só mesmo ao pobres indigentes Que morrem pedindo um pedaço de pão. E a elite burguesa, Com nada tem haver, Tanto fez, tanto faz, Não se interessa se o excluído venha a morrer. Ah, Pátria amada! Ah poder! Porque poucos são ricos. E a maioria vive a sofrer. 48 Mãos dadas vamos gritar, Pátria livre, cidadania A toda sociedade Sonhar com a alegria, E a esperada igualdade. Vamos semear o amor, A paz e a união, Sem ódio, e sem dor A toda nação. Desperta mundo para a fraternidade, Pois você não é inferno, Muito menos campo de distração, É apenas uma universidade, Onde toda sociedade, Busca a salvação. 49
  6. 6. JOVEM ESTUDANTE Cadernos e livros nas mãos ... Lá vai o jovem estudante, Certeza da nação Com futuro brilhante. o futuro te espera Tal qual as flores de primavera A enfeitarem a aquarela. Hoje és a semente Plantada neste país varonil Amanhã serás a certeza Do gigante Brasil. Por isso neste tempo de escola, Guarde os ensinamentos na cachola, Seja bravo ao carregar sua sacola, As~i[D v~n,c,~~$p"ejamais pedirá esmola.• " •••. _, ; I • ". ~ . ," • ." ,.~ ,".' • .......:-:;' .... - .:. ''. .'<'" ".-' .'~- ',:, .. Hoje és simples estudáAt"e, De olhos brilhantes Alma cintilante ... Coração gigante. Vai jovem estudante ... Dê passos firmes Olhe o mundo com amor. Preste atenção nos ensinamentos E valorize o professor. Este professor que está Lá na frente a te ensinar, Dele um dia irá se lembrar Quando a idade te alcançar. 52 Enquanto a idade não chega, Colham enquanto podem Seus botões de rosas A velhice vem voando E esta flor hoje viçosa Amanhã estará murchando. E.M. José Mauro Messias da Sill'a,~ "Poeta das Moreninhas" 53
  7. 7. Revívendo o Passado Verdes olhos Ontem passei por lá Tanta lembrança A mangueira, a rua, a estação ... Ali passei minha infância Esquina com o hotel Gaspar, Tanta recordação. Nas tardes fagueiras Balançava debaixo do abacateiro Escutava sempre o apito do trem. O grito do pipoqueiro, Não sentia canseira E minha infância, Era uma eterna brincadeira. Tão belos faróis de riqueza Tamanha magia Recanto da beleza Inspiração e poesia. De manhã o trem chegava apitando Trazendo gente nova pra cidade, Avistava tudo da janela. As charretes com os cavalos saiam pulando Na maior felicidade Eram os taxistas Da minha morena moderna. Brilho celeste Magia no ar, A poesia enriquece Com a beleza deste olhar. Olhos que guiam as rimas do trovador Verdes chamas da paixão Obras do criador Motivo de inspiração. Verdes chamas incandescentes Luz divina, Estrela cintilante Verdes versos de minha rima. Hoje tudo está mudado A estação virou feira, O casarão ficou abandonado, As charretes foram embora. Solitário ficou a mangueira, E eu cresci, com saudade de outrora. Verdes olhos faróis de beleza Motivo de muita inspiração, Onde o pai da natureza Operou com tamanha perfeição. Saudade do passado Do meu tempo de criança, Daqueles tempos dourados Que pra sempre ficará na lembrança. 36 37
  8. 8. Sonho de Poeta Sou poeta ... E não vivo na maresia Labuto nessa terra Vejo ódio vejo alegria Vejo fome vejo guerra Vejo uma peste chamada burguesia. Sou poeta ... E não vivo de papo pro ar Em tudo presto atenção Vejo um juiz nos roubar E o país nesse mar de corrupção. Meu Brasil colosso, Ouça o meu clamor, Como é do meu gosto Em teu celeiro ... Semear paz e amor. Por este solo brasileiro Onde a miséria se consome Este humilde poeta guerreiro Tornar-se-ia suas rimas em alimentos, E acabar com esta fome Dando ao homem força e sustento. Sou poeta ... E vivo a sonhar Sonho com a pujança Nesse céu anil E a esperança De um dia ver um diferente Brasil. 05
  9. 9. Ser ou não Ser brasileiro Essa burguesia que anda de carro novo Roupas de marcas, Não tem compromisso com o povo Muito menos com a pátria. É mesmo uma merda viver nesse país Manchado está o Congresso, Esse se contra diz. E o país no retrocesso. o pobre cada vez mais pobre, Mal consegue sobreviver, Bem que o rico podia ter a alma nobre Eajudar o pobre crescer. Credibilidade não tem o senado O roubo fica no anonimato O povo coitado ... Esse paga o pato. O rico quanto mais tem, mais quer ... Esse é o dito popular. Se for político Aí sim que esse sádico Vem a nos roubar. Morre criança, jovem, negro, branco ... Todo dia morre gente E o país de tanto santo Vive nas mãos de delinqüentes. De muita gente, a casa são os viadutos O cobertor o papelão, A comida um resto podre de carne Encontrada no lixão. O café da manhã esse não tem não, Com o estômago vazio, Enfrenta a lida o cidadão Enquanto a burguesia goza de três refeições. 08 09
  10. 10. Estrela de Campo Grande Moreninha quero sempre estar ao seu lado, Hoje este poeta fala emocionado O que por você pude escrever, Estrela de Campo Grande, Dona do meu coração, Vila cheia de beleza Isso digo com emoção. Minha radiante estrela, Você me viu crescer, Moreninha minha terra querida Nunca vou lhe esquecer. Moreninha vila sem igual, Outrora tão carente, Hoje Cidade satélite Formada de homens inteligentes. Moreninha bairro distante, Vila de muita gente, Onde eram poucas pessoas Aumentou imensamente. Alitem as igrejas, Nossa Senhora das Graças, São Pedro e São Paulo e Nossa Senhora Aparecida, Onde a comunidade reza em busca de Jesus. As escolas Waldemir de Barros e Célia M. Náglis E mais embaixo o parque lackes da Luz. Uma vila que a pouco tempo nasceu, Hoje passeio e vejo: Escolas, correio, supermercados, banco. Vila cheia de alegria, Como ela já desenvolveu 26 27
  11. 11. Moreninha minha Inspiração Meu bairro idolatrado , Voltou a ser destaque no jornal, Dizem que os jovens desalmados Aprontaram coisa mal. Famílias foram destruídas , O que fazer agora? Mães derramam lágrimas A paz foi-se embora. Será que voltou a violência? Tomara a Deus que não! Então com decência Vamos dar as mãos. Deixe a violência de lado , Viva sua plenitude, E por este bairro abençoado, Teremos uma nova juventude. 28 É hora de tirar a arma da cintura , Ter gosto pela leitura ... É com alegria que se caminha, Faça isso e teremos, Uma nova moreninha. Formada de pessoas inteligentes. Um bairro sem igual, Moreninhas da pujança, Terra da esperança Estrela da capital Moren"inhas Basta uma folha em branco e uma caneta Pra eu te dar toda beleza Pois em meu mundo de matiz e de magia Dou-te toda realeza. Em teus becos eu cresci, Fiz-me homem ... Estive longe, estive perto. E de ti jamais esqueci. 29
  12. 12. Chão brasileiro Hoje em prosas e versos Quero apenas retribuir, Pelo carinho que teve por mim a tempos atrás. Uso dos meus poemas esculturais, Pra fazer de ti uma rainha. Pretendo coloca-Ias nos jornais Queridas Moreninhas! Tirar vou das páginas policiais E colocar te vou nas páginas culturais. Um povoado, pessoas idônea. Um sonho, uma certeza ... Uma pequena colônia, Em meio a natureza. Morros verdejantes, Pelos quais o sol aparece todos os dias, Colorindo o cenário, E dando aos colonos mais alegria. Quero mostrar pra sociedade, Conservadora e correta, Que em vilas e favelas, Nascem homens inteligentes, Doutores e poetas. Vida simples e pacata, Distante do perjúrio da cidade, É aí que mora acalmaria, Ea esperada felicidade. Eles vão instruindo a população, Mostrando-lhes toda verdade, Em meio a discriminação. Constroem uma nova sociedade Longe da marginalização Assim é o mundo em evolução. o cavalo encilhado, Espera a hora de ir pro campo, O cigarro, o chapéu de palha, Mostra um pouco desse encanto, Onde a mão do homem ainda não atrapalha. Gente humilde do sertão, Labutadores, da agricultura ou da pecuária, São os calos em suas mãos, De vidas sedentárias. Que ajudam a enriquecer o nosso rincão. Aflora e a fauna andam lado a lado, Nesse reino encantado, Onde o pai idolatrado, Intitulou Areado. 30 31

×