A avaliação da aprendizagem

731 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A avaliação da aprendizagem

  1. 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃOSUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E POLÍTICAS EDUCACIONAIS DIVISÃO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL
  2. 2. AVALIAÇÃOO que é Porqueavaliar ? avaliar ?
  3. 3. Quebrando paradigmas avaliar não significava apenas aplicar provas,http://pensarecrer.blogspot.com.br/2007/02/dar uma nota e classificar osalunos em aprovados ereprovados. http://gilterlanferreira.blogspot.com.br/
  4. 4. Avaliação é um ato de investigar a qualidadeda aprendizagem dos educandos , A fim dediagnosticar impasses e consequentemente ,se necessário, propor soluções que viabilizemos resultados satisfatório desejados.( LUCKESI,2011,p.175) http://eduardopsantos.blogspot.com.br/
  5. 5. Investigar/ Reavaliar AvaliarAplicar Conhecer ( LUCKESI,2011)
  6. 6. (DEMO, 2004)
  7. 7. http://blog.institutobrookfield.org.br/index.php/tag/avemare/page/2 /(HOFFMAN, 2005, p.16)
  8. 8. http://movimentoescolapublica.blogspot.com.br/2009_02_01_archive.htmlPara este momento o professor deve ter claros os seusobjetivos , para que tenha nítido o caminho paraaprendizagem do aluno. (HOFFMAN,2003,p.17)
  9. 9. http://blogartecedvf.blogspot.com.br/p/avaliacao.html Avaliação só tem sentido para a aprendizagem quando os resultados permitem ao aluno continuar progredindo. http://aomarblog.blogspot.com/2009_11_01_archive.html
  10. 10. A diversidade de instrumentos avaliativos precisa estar inserida em uma sistemática, atender a uma metodologia própria da teoria e da prática da avaliação educacional[...](JANSSEN, HOFFMAN e ESTEBAN,2003,p.14)
  11. 11. http://misterdefuturo.wordpress.com/page/5/ Os instrumentos de avaliação, a ser utilizado não deve ser escolhido de forma aleatória , mas que o professor tenha a preocupação de verificar se este ou aquele instrumento vai de fornecer informações necessárias ao seu fazer pedagógico ,(JANSSEN, HOFFMAN e ESTEBAN, 2003) http://folhadeabaetetuba.blogspot.com.br/2011_02_06_archive.html
  12. 12. http://educador.brasilescola.com/estrategias-ensino/a-importancia-plano-aula.htm A avaliação da aprendizagem só funcionará bem se houver clareza do que se deseja[...] (LUCKESI,2011,p.177)http://professorafabianalopes.blogspot.com.br/
  13. 13. É preciso, então,pensar primeiro emcomo os educadorespensam a avaliaçãoantes de mudarmetodologias,instrumentos detestagem e formas deregistro.” http://lauraliceheberle.blogspot.com.br/2011/07/avaliacao-no- (HOFFMANN,2005) ensino-de-arte.html
  14. 14. http://www.liegebarbalho.com/novo/coluna/5438-provasPara que a avaliação aconteça é primordial que o professorreconheça que a Avaliação não é um processomeramente classificatório; http://www.suacidade.com/
  15. 15. http://eosalario-o.blogspot.com.br/2011/07/avaliacao-do- Mas que a avaliação seja um processo contínuo em busca de soluções que levem aoprocesso-de-ensino.html pleno desenvolvimento do aluno autor, culminando na aprendizagem real.
  16. 16. compreendo que o ato de avaliarpressupõe julgamento devalor, aprendizagem em umaconcepção em que o observarnosso aluno, refletir sobre anossa prática pedagógica e agirpedagogicamente tenha comoobjetivo principal otimizar oprocesso de ensino eaprendizagem e favorecer oprocesso construtivo do alunoautor <http://www.abed.org.br/congresso2004/por/htm/170-TC- D4.htm>
  17. 17. CIPRIANO, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem na escola:investigação e intervenção. São Paulo: Cortez, 2011.DEMO, Pedro. Ser Professor é cuidar que o aluno aprenda . PortoAlegre: Mediação, 2004.HOFFMANN, Jussara. Jogo do Contrário em avaliação . Porto Alegre:Mediação, 2005.JANSSEN, Felipe da Silva. Avaliação do ensino e da aprendizagemnuma perspectiva formativa reguladora. Porto Alegre: Mediação, 2003.

×