Instinto e inteligência

4.749 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.749
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
232
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Instinto e inteligência

  1. 1. Definição, conceito e as diferenças, vistos na ótica da Doutrina Espírita Tomo II Módulo XIII Roteiro 3
  2. 2.  Instinto, a palavra derivada do latim “instinctu” significa impulso inato, conhecimento irracional ou inconsciente.  O proceder do ser vivo da determinada maneira com objeto de viver melhor forma possível e a perpetuar sua espécie.  Instinto é um estímulo ou impulso natural involuntário, pelo qual as criaturas incluindo homem, executam certos atos complexos e elaborados sem conhecer o fim.  Instinto é cego, irracional, inato e não é um produto ou resultado da experiência da existência atual.
  3. 3.  Inteligência, a palavra vem do latim, “intellectus”, significa escolher entre.  Inteligência é uma faculdade que tem o espírito de pensar, conceber, refletir, raciocinar e agir.  A palavra inteligência é usada pelos psicólogos como sinônimo de cognição. Cognição é o grau de entendimento sobre determinado assunto.  A inteligência é um atributo essencial do Espírito, em razão do qual ele toma conhecimento da sua própria existência e exerce atividades voluntárias e livres. Acompanhando o seu grau de evolução, o espírito adquire inteligência superior, como o surgimento da razão e do senso moral, que lhe facultam a capacidade de conceber e reconhecer a existência de Deus.
  4. 4. Inteligência Razão Paixão Reflexo Instinto
  5. 5. Instinto e Reflexo Reflexo é uma reação corporal automática à estimulação. O reflexo é a resposta involuntária rápida, consciente ou não, que visa uma proteção ou adaptação do organismo antes mesmo do cérebro tomar conhecimento do estímulo externo. O ato reflexivo pode ou não pode ser útil por que ele é inflexível, enquanto o instinto sempre possui um fim útil. O instinto é flexível, modifica ritual da sua atuação dependendo da circunstância prevalecente no momento. (exemplo de aranha e castor).
  6. 6. Instinto, Paixão e Razão  A paixão é a manifestação de desejo para saciar as necessidades do corpo e da mente.  A paixão se distingue do instinto. Ela é individual e não coletivo da espécie.  A paixão varia de intensidade e de natureza, conforme os indivíduos .  A paixão se torna em fonte da eclosão do senso moral quando um ser pacífico se transforma em um ser racional.  Razão é um produto de raciocínio. A paixão se torna nociva , caso não seja disciplinada pela razão.
  7. 7. No Instinto Inteligência 1 Inato Inata e desenvolvida 2 Automático Raciocinada 3 Viver bem e perpetuar a espécie Evoluir além do viver bem e se perpetuar 4 Irracional Racional 5 Sem premeditar e raciocinar Premeditar e raciocinar 6 Sujeito às alterações com o ambiente Sim ambiente exerce uma influência 7 Uma espécie de inteligência inata Inteligência ocupa um lugar elevado 8 Não se engana Sujeita aos erros 9 A lei natural da conservação Conservação e evolução 10 Aperfeiçoa com tempo Melhora com tempo
  8. 8. Instinto de Conservação 702. É lei da Natureza o instinto de conservação? Resposta “Sem dúvida. Todos os seres vivos o possuem, qualquer que seja o grau de sua inteligência. Nuns, é puramente maquinal, raciocinado em outros.”
  9. 9. 703. Com que fim outorgou Deus a todos os seres vivos o instinto de conservação? Resposta “Porque todos têm que concorrer para cumprimento dos desígnios da Providência. Por isso foi que Deus lhes deu a necessidade de viver. Acresce que a vida é necessária ao aperfeiçoamento dos seres. Eles o sentem instintivamente, sem disso se aperceberem.”

×