PUC MINAS Informática na Educação CONCEPÇÕES DE CONHECIMENTO, PRÁTICA PEDAGÓGICA E A UTILIZAÇÃO DO COMPUTADOR NO PROCESSO ...
COMPONENTES <ul><li>Francisco Padilha </li></ul><ul><li>Jéssica Cristina </li></ul><ul><li>Joardson Junio </li></ul><ul><l...
O que é cognição ? <ul><li>Cognição  é o ato ou processo de conhecer, que envolve atenção, percepção, memória, raciocínio,...
Cognitivismo <ul><li>Nome atribuído a concepção de conhecimento de base interacionista, mas que a partir de pesquisas rece...
AS IDEIAS DE DAMÁSIO <ul><li>A partir de Ideias que chama de “O erro de Descartes”, particularmente, da separação entre a ...
AS IDEIAS DE MATURANA <ul><li>Trabalha conceitos de aprendizagem, percepção e inteligência. </li></ul><ul><li>A inteligênc...
AS IDEIAS DE MORIN <ul><li>Pioneiro na abordagem do pensamento por complexo. Ele se opõe a qualquer forma de reducionismo ...
AS IDEIAS DE PIERRE LÉVY <ul><li>Relação entre o pensamento individual, as instituições sociais e as técnicas de comunicaç...
USO DE TECNOLOGIA NO COGNITIVISMO O uso do computador como ferramenta pedagógica pode aumentar, dependendo das formas de s...
PONTOS CRÍTICOS DA CONCEPÇÃO Um dos riscos que se ocorre com o uso das novas tecnologias é o de considerar os seres humano...
REFERÊNCIAS > http://www.enscer.com.br/apresenta/atendimento/index.html > http://pt.wikipedia.org/wiki/Cognitivo. >  GIUGL...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cognitivismo Franciscopadilha

1.544 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.544
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
439
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cognitivismo Franciscopadilha

  1. 1. PUC MINAS Informática na Educação CONCEPÇÕES DE CONHECIMENTO, PRÁTICA PEDAGÓGICA E A UTILIZAÇÃO DO COMPUTADOR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM CONCEPÇÃO COGNITIVISTA Betim/2009
  2. 2. COMPONENTES <ul><li>Francisco Padilha </li></ul><ul><li>Jéssica Cristina </li></ul><ul><li>Joardson Junio </li></ul><ul><li>Luiz Fernando </li></ul>
  3. 3. O que é cognição ? <ul><li>Cognição é o ato ou processo de conhecer, que envolve atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e linguagem. A palavra cognição tem origem nos escritos de Platão e Aristóteles ( Wikipédia, a enciclopédia livre). </li></ul>
  4. 4. Cognitivismo <ul><li>Nome atribuído a concepção de conhecimento de base interacionista, mas que a partir de pesquisas recentes sobre o desenvolvimento da cognição inclui além da interação com o meio e da valorização da relação entre pares, a influência da emoção, afetividade e outros fatores na formação da inteligência e do conhecimento, constituindo-se como um sistema complexo de redes recursivas entre estes. </li></ul><ul><li>Tem como pressupostos ideias de Antônio Damásio, Humberto Maturana, Edgar Morin e Pierre Lévy que desenvolvem, na atualidade, trabalhos e pesquisas na área da cognição e contribuem para ampliar as discussões sobre o conhecimento humano. </li></ul>
  5. 5. AS IDEIAS DE DAMÁSIO <ul><li>A partir de Ideias que chama de “O erro de Descartes”, particularmente, da separação entre a mente e o corpo defendida por este, Damásio discute a relação entre emoção, razão e cérebro humano, e o papel das emoções na atividade cognitiva dos indivíduos. </li></ul><ul><li>As emoções acompanham e orientam as ações cognitivas favorecendo ou limitando o seu investimento atual e futuro no processo de aprendizagem. </li></ul>
  6. 6. AS IDEIAS DE MATURANA <ul><li>Trabalha conceitos de aprendizagem, percepção e inteligência. </li></ul><ul><li>A inteligência como um tipo de comportamento relacional que envolve interações de um organismo com o seu meio. </li></ul><ul><li>O processo de construção de conhecimento exige congruências relacionais entre indivíduo e meio como sistemas autopoiéticos, que ao mesmo tempo que trazem mudanças decorrentes de suas interações, preservam a sua organização num processo de recursividade permanente. </li></ul>
  7. 7. AS IDEIAS DE MORIN <ul><li>Pioneiro na abordagem do pensamento por complexo. Ele se opõe a qualquer forma de reducionismo e determinismo. </li></ul><ul><li>Pensamento por complexo é uma forma de pensamento que busca ao mesmo tempo distinguir e unir. </li></ul><ul><li>A realidade é ao mesmo tempo biológica, psíquica e social. </li></ul><ul><li>O universo não está submetido à soberania absoluta da ordem, mas a uma relação dialógica feita de antagonismos entre a ordem, a desordem e a organização. </li></ul><ul><li>Auto-organização, auto-eco-organização. </li></ul><ul><li>Ponto de vista pedagógico. </li></ul>
  8. 8. AS IDEIAS DE PIERRE LÉVY <ul><li>Relação entre o pensamento individual, as instituições sociais e as técnicas de comunicação. </li></ul><ul><li>A sociedade atual passa por uma grande mutação antropológica. </li></ul><ul><li>A inteligência, ou seja, a cognição, é entendida como um sistema complexo de redes formadas pelos esquemas de pensamento resultantes da interação de vários fatores (ecologia cognitiva). </li></ul><ul><li>A racionalidade humana é entendida como uma rede cognitiva complexa – singular e pessoal – plural e coletivo. </li></ul>
  9. 9. USO DE TECNOLOGIA NO COGNITIVISMO O uso do computador como ferramenta pedagógica pode aumentar, dependendo das formas de sua utilização, as chances de interatividade real do aluno com o professor e com os objetos de conhecimento. Ex: O uso do Blog como ferramenta para o processo de ensino e aprendizagem.
  10. 10. PONTOS CRÍTICOS DA CONCEPÇÃO Um dos riscos que se ocorre com o uso das novas tecnologias é o de considerar os seres humanos simples sistemas de tratamento de informações, deixando de lado outras dimensões essenciais de sua realidade que jamais serão redutíveis ao cálculo.
  11. 11. REFERÊNCIAS > http://www.enscer.com.br/apresenta/atendimento/index.html > http://pt.wikipedia.org/wiki/Cognitivo. > GIUGLIANO, Lilian G.; TOMAZ, Carlos. A razão das emoções: um ensaio sobre “O erro de Descartes”. Resenhas “ O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano” , de António R. Damásio. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epsic/v2n2/a13v02n2.pdf > OLIVEIRA, C. C. de; COSTA, J. W. Ambientes informatizados de aprendizagem: produção e avaliação de software educativo. São Paulo: Papirus, 2001.

×