Masisa portugues-2013 versao2

609 visualizações

Publicada em

Masisa amostr de madeiras

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Masisa portugues-2013 versao2

  1. 1. memoria anual Integrado · social · ambiental Relatório Financeiro 2013
  2. 2. Financeiro Integrado Social e Ambientall • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Re Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Fina Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambie Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Rel Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Inte Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado S e Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Amb Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Rel e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Finan Integrado Social e Ambientall • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Inte e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro • Relatóri Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • o Financeiro In Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Social e Ambien Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Ambiental • R Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Relatório Finan Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental Financeiro Integ e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Social e Ambiental • R Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Ambiental • Relatório F Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Financeiro Integrado Social • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Integrado Social e Ambiental • Rel Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro • Relatório Financeiro Integrado S Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • o Financeiro Integrado Social e A • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Social e Ambiental • Relatório Fina Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Ambiental • Relatório Financeiro In Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Relatório Financeiro Integrado Social • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental Financeiro Integrado Social e Ambiental • Rel Financeiro Integrado Social e Ambiental • Relatório Financeiro Integrado Social e Ambiental Relat
  3. 3. elatório nceiro • ental • o latório egrado Social biental latório Social Ambiental nceiro egrado Social io Financeiro ntegrado ntal • Relatório nceiro grado Social Relatório Financeiro l e Ambientall latório Social e Ambiental anceiro ntegrado l e Ambiental latório tório
  4. 4. Índice Alcance Mensagem do Presidente Mensagem do Gerente Geral Corporativo CAPÍTULO I: A EMPRESA E SEU CONTEXTO Modelo de negócio Governança corporativa Diretoria Princípios empresariais Estratégia de triplo resultado Política de sustentabilidade da MASISA Principais acionistas Contexto operacional Oportunidades e riscos CAPÍTULO II: ESTRATÉGIA Nosso negócio Objetivos e estratégia corporativa - Orientação ao cliente final - Inovação para a criação de valor - Viver a marca - Eficiência operacional Compromissos estratégicos de futuro CAPÍTULO III: DESEMPENHO FINANCEIRO Mercados Vendas Custo de vendas Lucro bruto Variação de ativos biológicos líquidos Gastos de administração e custo de distribuição Ebitda 5 10 12 14 16 20 21 26 33 33 36 37 38 52 54 66 67 68 70 71 74 76 78 79 81 81 81 82 82 Página m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 32
  5. 5. 82 83 83 84 85 88 90 94 98 103 108 110 112 116 117 118 119 120 126 128 136 173 209 Página Outros gastos por função Custos financeiros Diferença de câmbio/unidades de reajuste Lucro atribuível aos proprietários da controladora Balanço CAPÍTULO IV: DESEMPENHO SOCIAL Valorização de impactos sociais e ambientais Gestão do capital humano Gestão de saúde e segurança Planos colaborativos com a comunidade Desenvolvimento de fornecedores Desenvolvimento de marceneiros CAPÍTULO V: DESEMPENHO AMBIENTAL Energia e emissões atmosféricas - Pegada de carbono - Consumo de água e eficiência - Gestão de efluentes - Gestão ambiental florestal CAPÍTULO VI: ANTECEDENTES GERAIS Resenha histórica Antecedentes gerais Sociedades relacionadas e coligadas Declaração de responsabilidade r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 3
  6. 6. Alcance O Memorial Anual 2013 contém informações consolidadas do período entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2013 sobre o desempenho financeiro, social e ambiental de todas as sociedades controladas pela MASISA. Além disso, oferece antecedentes sobre o enfoque de gestão nas relações nas quais a MASISA exerce influência significativa, mas não tem controle, assim como aquelas nas quais não há influência relevante, mas se propõem desafios importantes para a empresa.
  7. 7. Há três anos, a MASISA aceitou o convite para investir sua experiência na elaboração de relatórios que reflitam o triplo resultado v feito pelo Comitê Internacional de Relatórios Integrados (IIRC) para se unir ao programa piloto que está sendo estimulado internacionalmente. Esse enfoque integrado, descrito no documento “Marco Internacional” de IIRC, publicado em dezembro de 2013, é o que utilizaremos pelo terceiro ano consecutivo no presente Memorial, priorizando os conteúdos que reflitam a geração de valor e deixando o desempenho operacional – nossa forma de trabalhar junto com a sociedade e com o meio-ambiente – em conteúdo digital e num formato mais detalhado e adequado para nossos colaboradores e comunidades. O IIRC define os Relatórios Integrados como uma comunicação concisa sobre como a estratégia de uma organização, governança corporativa, desempenho e perspectivas, no contexto de seu entorno externo, conduzem à criação de valor a curto, médio e longo prazo. Seus princípios são: Enfoque estratégico e orientação futura Conectividade da informação Relacionamento com o público-alvo Materialidade e concisão Confiabilidade e completude Consistência e comparabilidade Princípios que sustentam um reporte integrado. Relatório integrado 1. 2. 3. 4. 5. 6. memoria anual financiero · social · ambiental Informe Integrado 2013 m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 36
  8. 8. Conteúdo contemplado nos relatórios integrados Pacto Global O memorial atual também constitui e declara a Comuni- cação de Progresso (COP, na sigla em inglês), uma ação que confirma o compromisso que a MASISA assumiu desde o ano de 2003, ao prestar conta de seus sucessos e esforços, os quais nos orientam a cumprir os Dez Princípios que promo- vem o Pacto Global das Na- ções Unidas. Conteúdo organizacional e ambiente externo } página 14 Modelo de negócio } página 16 Riscos e oportunidades } página 38 Estratégia e recursos } página 52 Visão de futuro } página 75 Bases das informações } página 8 Governança corporativa } página 20 r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 7
  9. 9. Como esse relatório foi desenvolvido? A MASISA conta com um Comitê Editorial, liderado pelo Gerente Geral Corporativo, que identifi- ca a materialidade e define uma estratégia de recopilação e difusão de informações, a qual, pos- teriormente, é usada para se trabalhar em cada um dos países onde a MASISA tem operações industriais, florestais ou comerciais. O exercício de identificar os temas pertinentes e priorizar os mais relevantes a se incluir no rela- tório se baseiam em: Comentários do público-alvo • 1.350 comentários de públicos-alvo dos diferentes países onde a MASISA opera, a respeito de suas impressões do Memorial Anual 2012, recebidos pela campanha de doação de árvores. • Reuniões com investidores. No marco do espírito dos Relatórios Integrados, foram realizadas entrevistas com bancos e investidores, a fim de entender quais aspectos financeiros ou não da gestão da MASISA seriam interessantes para figurar no Memorial. Daí pudemos perce- ber os seguintes elementos: • Gestão de riscos na Argentina e na Venezuela (ver página 24) • Desmembramento de informações sobre mercados e resultados por país (ver página 74) • Geração de valor da gestão social e ambiental (ver página 88) Tendências mundiais e melhores práticas • Revisão de relatórios integrados de outras empresas participantes no programa piloto do IIRC. Com essas informações, o exercício de materialidade prosseguiu revisando os temas estratégi- cos contidos no Sustainability Balanced Scorecard da MASISA, nos objetivos de 2025 da em- presa, além dos conteúdos exigidos pela legislação chilena e padrões internacionais GRI 4 e Relatório Integrado. Depois desse exercício de materialidade, foi definido um índice e um foco de conteúdos. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 38
  10. 10. 2011 2012 2013 1.350 Árvores Doadas 310 612 Contato Para obter mais informações sobre o Memorial 2013 ou sobre o desempenho da MASISA, entre em contato conosco. Eugenio Arteaga I. Gerente Corporativo de Administração e Finanças Francisca Tondreau S. Gerente Corporativa de RSE Ignacio González G. Gerente Marketing MASISA Andina Endereço: Av. Apoquindo 3650, piso 10. Las Condes. Santiago Telefones: (56 2) 2 707 88 00 (56 2) 2 350 60 00 E-mail: info@masisa.com omovalidamosasinformaespublicadas COMO VALIDAMOS AS INFORMAçõES PUBLICADAS? Para determinar os dados e cálculos apresentados nesse Relatório, empre- gam-se procedimentos regulados e alinhados com modelos internos de me- dição da MASISA, que seguem padrões internacionais como o ISO 9.001, OHSAS 18.001, ISO 14.001 e FSC®. O Memorial atual foi elaborado seguindo-se os delineamentos materiais da MASISA, que propõe a Iniciativa Global de Relatórios (GRI) em sua última versão G.4. O Memorial Anual também foi auditado pela KPMG nos temas financeiros. Os valores financeiros dos anos de 2013, 2012 e 2011 apresentados nesse Memorial Anual foram preparados com base na norma IFRS. Feedback Durante três anos consecutivos, a MASISA convidou os leitores do seu Me- morial Anual a enviar seus comentários e impressões a respeito do relatório, numa plataforma digital na qual, ao deixar seu comentário, uma árvore era liberada para que fosse plantada pela empresa de maneira responsável em jornadas de reflorestamento. Dessa forma, nos Memoriais Anuais de 2010, 2011 e 2012, plantamos 2.272 árvores em diferentes cidades da América Latina. Nesse relatório, decidimos mudar a maneira de receber feedback, por isso desenvolvemos mesas redondas com públicos-alvo a fim de fazer um tra- balho mais intensivo e colaborativo com base nas informações publicadas neste relatório. Damesmamaneira,convidamosnossosleitoresaenviarsuasimpressões,opor- tunidades de melhoria e sugestões por meio de nossos canais de comunicação. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 9
  11. 11. Mensagem do Presidente Estimados acionistas: O ano de 2013 foi desafiador para a MASISA e para as demais empresas da região, devido às significativas des- valorizações das moedas dos países que a integram. Ain- da assim, a MASISA conseguiu, em dólares, vendas leve- mente superiores às do ano anterior e um crescimento de seu EBITDA de 11%. Durante 2013, a MASISA começou a modelar sua estra- tégia de focar-se em seu negócio de fabricação e comer- cialização de painéis de madeira para design e arquitetu- ra de interiores na América Latina. Alinhados a essa estratégia, anunciamos e iniciamos nesse ano a execução de um importante plano de inves- timentos de US$ 600 milhões, focado em México, Chi- le e Brasil, e que inclui a aquisição da mexicana Rexcel e uma nova planta de MDF no México, todas as quais devem posicionar a MASISA como líder nos mercados latino-americanos. Por sua vez, a inicialização das linhas de revestimento de painéis no Chile e Brasil nos permitirão obter melho- res margens e o investimento em fomentos florestais no Brasil nos garantirá o abastecimento de fibra nesse país no longo prazo. Os resultados de 2013 confirmaram o acerto desse plano, já que o aumento do EBITDA foi fruto de nossas opera- ções bem-sucedidas no México, Chile e Brasil. No cená- rio financeiro, a MASISA demonstrou sua capacidade de acessar os diferentes mercados de dívida para antecipar- se a cenários desfavoráveis. Em 2013 foi movimentado um empréstimo-ponte com um prazo de 18 meses com importantes bancos internacionais (Deutsche Bank, Itaú, JP Morgan, Rabobank e Scotiabank) como um primeiro m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 31 0
  12. 12. Jorge Carey T. Presidente da Diretoria MASISA passo para implementar seu plano de refinanciamento de longo prazo. Além disso, de uma maneira preventiva e proativa, foi negociada a flexibilização de seus compromissos finan- ceiros com credores de longo prazo, visando se proteger de uma maneira efetiva de desvalorizações das moedas da Argentina e Venezuela que foram antecipados. Durante 2013 e igual aos anos anteriores, a MASISA continuou repatriando normalmente os dividendos da Argentina. No caso da Venezuela, só tivemos acesso a dólares para pagar as importações necessárias à opera- ção, devido aos controles de câmbio implementados no país. A MASISA continuou se destacando por suas práticas de governança corporativa. Como tal, ela foi reconheci- da como uma das empresas com a melhor governança corporativa do país sob as regras da Norma de Caráter Geral 341 da Superintendência de Valores e Seguros e recebeu vários prêmios de prestigiosas instituições chi- lenas pelo mesmo conceito. No início do ano passado, infelizmente faleceu nosso leal amigo e diretor Juan Carlos Méndez. Até pouco tempo antes de seu falecimento, continuou colaborando no Comitê de Diretores e na Diretoria da MASISA com o mesmo entusiasmo, profissionalismo e dedicação de sempre. Sentimos muito sua falta e para a empresa sua partida foi uma grande perda. Em seu lugar, foi incorpo- rado o economista e advogado Gerardo Larraín Kimber, que pode agregar à Diretoria sua ampla experiência no empreendimento imobiliário. Gostaria de salientar, mais uma vez, nosso reconheci- mento pela entrega e esforço de todos os colaboradores da MASISA no cumprimento de suas funções. Sem eles, a empresa não teria conseguido o sucesso que conse- guiu ao enfrentar os desafios encontrados no ano que se encerrou. Merece menção especial a bem coordenada e harmôni- ca integração das equipes da MASISA no México com os novos colaboradores que vieram da Rexcel. A todos e cada um deles, nosso agradecimento e nossa confiança de que continuarão trazendo o melhor de si para que a MASISA continue nesse ritmo de crescimento e sucesso. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 1 1
  13. 13. Mensagem do Gerente Geral Durante o ano de 2013, algumas tendências chegaram ao fim e outras se iniciaram. O ciclo de alto crescimen- to com moedas fortes dos países emergentes, incluindo a América Latina, chegou ao seu final, restabelecendo- se as perspectivas favoráveis aos países desenvolvidos, provocando um retorno importante de capitais acompa- nhado de um processo de desvalorização das moedas latino-americanas a favor do dólar. Ainda nesse cenário e apesar do baixo crescimento das principais economias, Brasil e México, os mercados que atendemos tiveram um importante crescimento de de- manda, sobretudo pelo bom desempenho das vendas de novas casas, apartamentos, projetos comerciais e melhoras habitacionais, impulsionados por uma classe média mais robusta e taxas de juros ainda atraentes. Nesse contexto, a MASISA atingiu vendas de US$ 1.364,7 MM, 1,1% sobre o ano anterior, refletindo o impacto das desvalorizações de moedas locais e um crescimento de 3,5% no volume de painéis vendidos devido à estratégia do negócio. O Ebitda consolidado cresceu 7,3% devido às melhoras no mix de produtos e eficiência de custos e os ganhos líquidos aumentaram 11,9%, produto de maio- res margens, especialmente no México e no Brasil. Uma das decisões mais relevantes que apoia esse resul- tado foi a aquisição e integração dos ativos da empresa Rexcel do México, realizadas dentro dos prazos e com os resultados esperados para o primeiro ano. Motivados por essa grande oportunidade, anunciamos a construção de uma planta de MDF no complexo de Durango que de- verá começar suas operações em 2016. Por outro lado, cumprimos com nosso propósito de melhorar as capacidades de incorporar valor agregado à produção de painéis no Brasil e no Chile, tendo feito todos os investimentos anunciados em tempo e custo. Vale destacar o importante crescimento do resultado m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 31 2
  14. 14. operacional do Brasil e a melhora dos resultados nas ex- portações aos EUA e à Ásia desde o Chile. Até o final do ano, adquirimos a planta de co-geração de energia baseada em biomassa no complexo de Cabrero no Chile, consolidando um importante impacto positivo em custos de energia e alguns meses antes, desinvesti- mos na planta de portas sólidas de madeira para focar o negócio industrial mais onde temos sólidas vantagens competitivas. Nossa operação na Venezuela cumpriu as expectativas dos clientes que aumentaram sua demanda por nossos produtos e, por sua vez, fomos gerando novas oportu- nidades de exportações que nos permitam melhorar o acesso a divisas, enquanto mantemos um relacionamen- to muito positivo com os diferentes públicos-alvo, espe- cialmente com nossos colaboradores e clientes. Estamos muito atentos para financiar o crescimento da empresa com disciplina e uma prudente gestão de ris- cos. A dívida líquida da empresa se manteve estável, com a priorização de financiamento de novas iniciativas com capital fresco, desinvestimento de ativos com baixa ou nenhuma sinergia com o negócio central e geração própria de caixa. Nesse sentido, fizemos um aumento de capital que ar- recadou US$ 80,2 MM, iniciamos um processo de asso- ciação florestal para monetizar 30% dos 36 mil hectares de florestas de baixa sinergia com a planta de Cabrero e promover um aumento do retorno sobre ativos ao inves- tir em projetos industriais com maior geração de caixa e retorno anual. Além disso, negociamos preventivamen- te os compromissos financeiros com nossos credores de longo prazo para permitir uma flexibilização em caso de desvalorização das moedas da Venezuela e Argentina. Demos passos importantes para a melhora do proces- so de inovação e, ao mesmo tempo, estamos renovando a identidade de marca da MASISA, a aproximando do cliente final como nenhuma outra empresa do setor e, sobretudo, capturando o espaço de liderança em inova- ção e relacionamento nos mercados onde participamos. Estabelecemos metas importantes para segurança em todas as plantas, priorizando uma cultura de cuidado desde o registro e monitoramento de pequenos aciden- tes ou inconformidades com os padrões. Todas as fábri- cas estão implementando o programa de Excelência em Segurança com disciplina e dedicação. Nesse Memorial estamos aprofundando a integração dos resultados financeiros, sociais e ambientais. Apre- sentamos nossa primeira aproximação a um exercício de valorização de impactos sociais e ambientais. Além disso, estamos divulgando amplamente nossas ações no cumprimento dos requisitos do Pacto Glo- bal, renovando nosso compromisso com os princípios promovidos. Começamos 2014 fortalecidos pelas realizações do ano anterior, enfrentando os desafios e aproveitando as no- vas oportunidades que as novas tendências nos ofere- cem nesse novo ciclo. Podemos garantir que temos a convicção necessária para sustentar resultados consis- tentes com uma visão clara em longo prazo. Roberto Salas G. CEO MASISA r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 1 3
  15. 15. capÍtulo i A empresa e seu contexto 1
  16. 16. Casa Cor 2013. Espaço Tambo Lodge, por Cecilia Kramer. Prêmio Masisa de melhor aplicação de produto..
  17. 17. Estrutura de custos > Fibra de madeira –––––––––––––––– > Energia –––––––––––– > Resinas –––––––––––––––– > Transporte –––––––––––––––– > Papeis melamínicos, revestimentos e outros. –––––––––––––––––––––––––– > Fundos florestais ––––––––––––––––––––––––––––– > Desenvolvedores de tecnologias de substrato e revestimento ––––––––––––––––––––––––––––– > Indústria de madeira ––––––––––––––––––––––––––––– > Parceiros da Rede Placacentro ––––––––––––––––––––––––––––– > Organizaçãoes pró- sustentabilidade: WBCSD, Pacto Global, Ongs ––––––––––––––––––––––––––––– Sócios chave Atividades Chave > Sistema de inovação –––––––––––––––––––– > Masisa Lab –––––––––––––––––––– –––––––––––––––––––– > Gestão de triplo resultado > Gestão da Rede Placacentro –––––––––––––––––––– > Gestão florestal –––––––––––––––––––– Recursos Chave > Capital Humano –––––––––––––––––––– > Marca –––––––––––––––––––– > Fábricas –––––––––––––––––––– > Ativos florestais –––––––––––––––––––– Cenário do modelo de negócio m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 31 6
  18. 18. Fontes de lucros Relações com clientes Mais confiança: > Rede M ––––––––––––––––– > Masisa Inspira ––––––––––––––––– > Redes sociais ––––––––––––––––– Canais > Rede Placacentro Redes especialistas ––––––––––––––––––––––– > ––––––––––––––––––––––– > Grandes superfícios/ Home Improvement ––––––––––––––––––––––– ––––––––––––––––––––––– > Atacadistas > Venda direta industrial ––––––––––––––––––––––– > Vendas de paineis de MDF e MDP ––––––––––––---- > Vendas de produtos feitos com os paineis ––––––––––––---- > Vendas de ferragens e acessórios ––––––––––––---- > Lucros por exploração florestal ––––––––––––---- * World Business Council for Sustainable Development > > > Segmentos de clientes Moveleiros PME –––––––––––––––––––– Indústria –––––––––––––––––––– –––––––––––––––––––– –––––––––––––––––––– Construtoras –––––––––––––––––––– Designers e arquitetos Hobbistas > > > Proposta de valor Materiais para criar ambientes Design Sustentabil idade Desempenho r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 1 7
  19. 19. A MASISA conta com um negócio central, que é a fabricação e comercialização de painéis de partículas e de fibras de madeira para móveis e arquitetura de interiores na América Latina. As unidades estratégicas dos negócios Florestal e Rede Placacentro cumprem uma função muito relevante para garantir o sucesso do negócio central. • Produtor de painéis para móveis na América Latina (PB-MDP-MDF). __________________________________________________ • Base de fabricação diversificada e mercados finais na região. __________________________________________________ • Estratégia competitiva diferenciadora: orientação ao cliente final, inovação efetiva, marca e eficiência operacional. __________________________________________________ • Maior rede de distribuição especializada da região: Placacentro MASISA. __________________________________________________ Organização e contexto de operação • Ativo estratégico: 226.000 hectares de plantações e terrenos florestais.1 . __________________________________________________ • Liderança mundial e compromisso com o desenvolvimento sustentável (Estratégia de triplo resultado). __________________________________________________ • Perspectivas favoráveis de crescimento: Baixa penetração de produto e déficit habitacional na América Latina. __________________________________________________ • Governança corporativa altamente reconhecida. __________________________________________________ aspectos estratégicos 1 No dia 21 de março de 2014, a MASISA anunciou a venda de 80% de um patri- mônio florestal localizado nas zonas de Temuco e Valdivia no Chile, consistindo em uma superfície total de aproximadamente 62.000 hectares de terras, com aproximadamente 2.500 hectares plantados, à empresa Hancock Chilean Planta- tions LP. Por meio dessa operação, a MASISA cria uma aliança florestal estratégi- ca com a Hancock, o que permitirá financiar o plano de crescimento da empresa para os anos de 2014 e 2015, fortalecer seu perfil financeiro e incorporar um sócio com destacada experiência global no investimento e gestão de ativos florestais. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 31 8
  20. 20. Valores totais hectares de matas 226.000 m³ Hectares de Matas 2 placacentro masisa 351 Locais Placacentro Masisa complexos industriais 10 Complexos Industriais 3.427.000 m³Fabricação de Painéis 1.801.000 m³ Revestimentos de Painéis 487.000 m³ Madeira Serrada 204.000 m³ Molduras MDF pré-pintadas Brasil 11 12 Venezuela 87 471 Ecuador 29 Perú 28 Paraguay 3 Chile 82 522 Argentina 46 611 Uruguay 1 Bolivia 4 México 754 Colombia 50 presença de MASISA NA américa latina 2 Ver nota 1, página 18 r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 1 9
  21. 21. Governança Corporativa Para quem governamos? Para nossos acionistas e público-alvo, que são os beneficiados por nossas práticas de transparência, ética e probidade na forma em que fazemos e conduzimos os negócios. A estratégia de governabilidade Nossa estratégia de governabilidade tem quatro pilares fundamentais que, em seu conjunto, definem e regulam as atitudes da empresa, cujo objetivo é a criação de valor. Quem são os responsáveis? A Diretoria e seus Comitês, a Administração composta pelos níveis gerenciais, assim como cada um dos colaboradores da MASISA. a cionistas e públicos-alv o Diretoria Administração Colaboradores Comitês Polític ase Procedi m entos Risc os Gestã o de Prin cípios Empre sariais TriploR esultado Estra tégiade Criação de Valor A MASISA conta com uma estratégia de Governança corporativa que constitui um elemento chave da estratégia de negócio sustentável a longo prazo, já que promove a gestão eficaz e efi- ciente de seus recursos, criando um ambiente de controle interno saudável e contribuindo com a criação de valor para seus acionistas e públicos interessados. O fortalecimento contínuo de nossa estratégia de Governabilidade é uma preocupação constan- te para alcançar a meta de empresa que queremos ser no futuro. masisa : : I nforme integrado 2 0 1 32 0
  22. 22. Diretores Jorge Carey Tagle, presidente Advogado, Pontifícia Universidade Católica do Chile (PUC). Mestre em Direito. Universidade de Nova York, Estados Unidos. rut: 4.103.027-5 Diretor desde 22/04/04. Presidente desde 25/03/09. Última reeleição em 18/04/13 Rosangela Mac Cord de Faría, vice-presidente Contadora Auditora, Universidade do Rio de Janeiro, Brasil. Programa executivo de Boards & Audit Committee de Harvard, Boston, Estados Unidos. Mestre em Administração, Fundação Getúlio Vargas, Brasil rut: 21.713.586-9 Diretora desde 25/03/09. Vice-presidenta desde 25/04/12. Última reeleição em 18/04/13. Enrique Cibié Bluth, diretor Engenheiro comercial, Pontifícia Universidade Católica do Chile. MBA, Universidade de Standford, Estados Unidos. rut: 6.027.149-6 Diretor desde 25/03/09. Última reeleição em 18/04/13. Gerardo Larraín Kimber, diretor Engenheiro comercial, licenciado pela Universidade Complutense de Madrid Advogado, licenciado pela Universidade Complutense de Madrid rut: 6.285.350-6 Diretor desde 6/03/13. Última reeleição em 18/04/13. Enrique Seguel Morel, diretor General do Exército Chileno (r). MBA, ESADE, Barcelona, Espanha. rut: 3.116.588-1 Diretor desde 22/04/04. Última reeleição em 18/04/13. Salvador Correa Reymond, diretor Engenheiro civil industrial, Universidade do Chile. Master of Science em Gestão, Universidade de Stanford, Estados Unidos. rut: 5.606.742-6 Diretor desde 29/04/09. Última reeleição em 18/04/13. Miguel Héctor Vargas Icaza, diretor Contador Auditor, Universidade Nacional Autônoma do México. Mestre em Economia rut: 24.074.431-7 Diretor desde 25/04/12. Última reeleição em 18/04/13. I nforme integrado 2 0 1 3 : : masisa 2 1
  23. 23. Diretoria A Diretoria é um corpo colegiado integrado por 7 membros eleitos pela Assembleia Ordinária de Acionistas, dos quais 6 Diretores, incluindo o Presidente e a Vice-presidente, foram eleitos com votos do acionista controlador Grupo Nueva, enquanto que o sétimo Diretor (senhor Salvador Correa Reymond) foi eleito com os votos dos acionistas minoritários, formados principalmente pelas Administradoras de Fondos de Pensiones Chilenas. Esse último possui, ainda, o caráter de diretor independente, conforme o disposto pela lei Nº 18.046 de sociedades anônimas em vigor. A Diretoria é o principal órgão de administração da MASISA, cuja missão é proteger e valorizar o patrimônio da empresa, maximizando o rendimento dos investimentos, alinhado à visão e valo- res da MASISA, seus princípios empresariais e objetivos estratégicos. O Gerente Geral Vorporativo da MASISA é nomeado pela Diretoria. ADiretoriaatualfoieleitaem18deabrilde2013porumperíodode3anos.Éo órgão de mais alto nível que administra a empresa e representa os interesses de todos os acionistas, independente de quem tenha eleito seus membros. diretoria Código de Governança corporativa Comitê de Diretores Auditorias Externa Auditorias Interna Comitê de Revelações Comitê de Risco e Auditoria esquema de administração m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 32 2
  24. 24. Norma de Caráter Geral N° 341 Em 29 de novembro de 2012, a SVS ditou a Norma de Caráter Geral N°341, para a difusão e informações dos padrões de governança corporativa adotados pelas so- ciedades anônimas abertas. De acordo com o indicado na norma, a Diretoria da so- ciedade enviou as informações solicitadas ao órgão re- gulador e as publicou oportunamente. O resultado da consulta atingiu 95% de adesão às práti- cas de governabilidade consultadas Processo de autoavaliação de desempenho da Diretoria A Diretoria da Sociedade conta com um processo de au- toavaliação anual, o qual é respaldado por um processo formal e cuja finalidade é a melhoria contínua de seu funcionamento como corpo colegiado no cumprimen- to da sua função de orientação estratégica, no controle eficiente da direção executiva e na sua responsabilidade diante de todos os acionistas e públicos-alvo. Essa autoavaliação é respondida por todos os integran- tes da Diretoria e é coordenada pelo seu Presidente. Fi- nalmente, os resultados do processo de autoavaliação são discutidos em sessão da Diretoria, onde são expos- tas as principais conclusões e ações de melhoria, con- forme apropriado Durante o ano de 2013 foram feitas melhorias no proces- so de autoavaliação do desempenho da Diretoria, desta- cando-se as seguintes iniciativas: • Contratação de uma assessoria externa para identi- ficação de melhores práticas e validação da integri- dade do processo de avaliação de desempenho. • Automatização do processo de autoavaliação, in- cluindo uma base de registro histórico. Processo de indução Os Diretores contam com um processo de indução, coordenado pela área de Capital Humano, que tem por objetivo interiorizar os novos membros da mesa diretora em matérias como: estratégia, visão e valores, políticas, processos, obrigações legais e operações da empresa. O processo de indução considera: • Entrevistas com o Presidente da Diretoria e com seus Comitês assessores, Gerente geral corporativo e principais executivos da empresa. • Sessão de trabalho para revisar o funcionamento da Diretoria e Comitês, além da revisão das obrigações legais concernente como Diretores ou integrantes de alguns dos Comitês da Diretoria. • Entrega de um conjunto de informações que conte- nha pelo menos: Código de Governança corporativa, Manual de Gestão de Informações de interesse, Polí- tica de delegação de autoridade (PDA), Memorial do último exercício, Principais políticas da empresa. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 2 3
  25. 25. Comitês da Diretoria A Diretoria conta com uma estrutura de Comitês cujo principal objetivo é garantir a aplicação das práticas de governabilidade e transparência em benefício de todos os públicos-alvo. Comitê de Diretores Criado em abril de 2001, revisa os balanços financeiros e os relatórios de auditores externos; propõe à Diretoria os auditores externos e classificadores de risco para sua es- colha na Assembleia Ordinária Anual de Acionistas; ava- lia as transações com as partes relacionadas e as transa- ções em que um Diretor, Gerente ou Executivo principal da empresa possa ter interesse; examina os sistemas de remuneração e compensação do Gerente Geral Corpo- rativo, principais executivos e trabalhadores da MASISA. Comitê de Risco e Auditoria Criado em junho de 2005, o Comitê de Risco e Auditoria tem como finalidade principal auxiliar a Diretoria nas es- tratégias adotadas para a gestão dos riscos chave ineren- tes ao negócio e ao contínuo monitoramento do ambien- te de controle interno de suas operações. Sob sua admi- nistração e orientação direta encontra-se a Gerência de Auditoria Interna da MASISA e o Canal de Reclamações Comitê de Revelações Integrado por executivos da MASISA, esse comitê é responsável por apoiar a Diretoria e a Gerência Geral a respeito da confiabilidade da informação que a empresa entrega ao mercado e a seus públicos interessados. Delegação de autoridade O nível de autoridade exercido pela Administração é aquele delegado formalmente pela Diretoria por meio da Política de Delegação de Autoridade. Administração A Administração tem a responsabilidade de velar pela elaboração, difusão, acompanhamento, efetividade e atualização da estratégia de Governança Corporativa. Auxiliada pelos níveis funcionais corporativos e opera- tivos, oferece a liderança e estabelece os parâmetros necessários para assegurar um ambiente de execução e controle adequado e efetivo em todos os níveis, en- volvendo-se diretamente para atingir os objetivos planejados. O cumprimento de tais funções se realiza por meio de processos internos de gestão que incluem reuniões pe- riódicas com equipes chave, como também visitas aos países e unidades onde a MASISA tem operações m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 32 4
  26. 26. desenvolvimento sustentável: Francisca Tondreau Soruco Gerente RSE Comunicações corporativas: Ignacio González Guzmán Gerente Marketing MASISA Andina branding: Mara Pezzotti Gerente Marketing MASISA Brasil comite de directores comite de riesgo y auditoria comite de revelaciones diretorio centros de competências clientes gerente corporativo de administração e finanças Eugenio Arteaga gerente corporativo de capital humano Wladimiro Woyno gerente corporativo de desenvolvimento dos negócios Marcos Bicudo Gerente Legal Corporativo Patricio Reyes gerente corporativo de manufatura, saúde, segurança e meio-ambiente (ssm) Iván Rubio gerente geral masisa andina Jaime Valenzuela Fernández gerente geral argentina Alfredo Gili Canadell 3 gerente geral brasil Marise Ribeiro Barroso gerente geral méxico Leo Schlesinger Grandi gerente geral venezuela Luis Guillermo Villasmil Gonzalo4 gerente da unidade estratégica de negócios florestais Jorge Echeverría gerente da unidade estratégica de negócios placacentro Renato Daziano Roberto Salas gerente geral corporativo/ceo Organograma 3 Em 1° de janeiro de 2014, Alfredo Gili assumiu como Gerente Corporativo de Novos Produtos. Substituindo-o como Gerente Geral da MASISA Argentina, assumiu Luciano Tiburzi. 4 Em 1° de março de 2014 deixou de fazer parte da empresa, e a designação de seu substituto ainda está pendente. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 2 5
  27. 27. RESULTADOS ECONÔMICOS Procuramos permanentemente a criação de valor sustentável. CONDUTA EMPRESARIAL Mantemos um compromisso empresarial ético e transparente com elevados níveis de governabilidade. Conduta individual Exigimos uma conduta pessoal honesta, íntegra e transparente. RELAÇÕES COM NOSSOS CLIENTES Promovemos relações de confiança no longo prazo com nossos clientes, oferecendo produtos de qualidade, inovadores e sustentáveis, assim como serviços de excelência. RELAÇÕES COM NOSSOS COLABORADORES Desenvolvemos equipes de alto desempenho em um ambiente de trabalho saudável, seguro e baseado no respeito aos Direitos Humanos. RELAÇÕES COM NOSSAS COMUNIDADES, FORNECEDORES, SOCIEDADE E MEIO-AMBIENTE Nos comprometemos a interagir com nossos vizinhos, comunidades, fornecedores, sociedade e meio-ambiente, fundamentados no respeito mútuo e na cooperação. Princípios empresariais Os Princípios empresariais são um conjunto de valores e normas que guiam a atuação de todos os colaboradores da MASISA e que servem de marco de refe- rência para a tomada de decisões nas diferentes esferas de negócios. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 32 6
  28. 28. Cada novo colaborador revisa a Declaração de Princípios Empresariais e assina seu compromisso de adesão e cumprimento anualmente. Os Princípios Empresariais fazem parte integrante dos contratos aos quais a empresa se compromete com seus fornecedores. Internamente, em cada processo de indução, os colaboradores assistem a um workshop de Princípios Empresariais e é feito um convite extensivo a todos os colaboradores a fim de reconduzi-los. Princípios empresariais da MASISA e Pacto global A MASISA adere aos dez Princípios do Pacto Global, os quais estão de acordo com seus Princí- pios Empresariais. A Masisa atua em conformidade avançada com os 24 critérios propostos pelo Pacto Global (COp Advanced), cada um deles vinculados a práticas destacadas e recomendadas pelo Pacto Global e que são aplicadas pela Masisa. Para ler o relatório avançado do progresso, visite www.masisa. com Declaração anual de princípios empresariais e conflitos de interesse A Empresa realiza anualmente uma pesquisa de Princípios Empresariais aplicada a todos os co- laboradores com algum grau de chefia. O objetivo da pesquisa é validar o conhecimento adequado de nossos Princípios em todos os níveis. Cada colaborador que recebe a pesquisa confirma seu compromisso de adesão aos Prin- cípios mencionados. Essa ferramenta também tem por objetivo a identificação oportuna de potenciais conflitos de in- teresse e convida a nossos colaboradores que declarem qualquer situação a fim de tornar trans- parentes as relações de nossos colaboradores com fornecedores, clientes e outros, de acordo com o estabelecido em lei. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 2 7
  29. 29. Recebidos Solucionados 29 29 Comunicados recebidos durante o período de 2013 Conduta Empresarial Conduta Individual Relações Com Nossos Colaboradores Relações Com Nossos Fornecedores 6 18 3 2 Princípios Empresariais 20151000 5 Canal de Princípios Empresariais A MASISA conta com canais de comunicação para de- núncias diretas ou anônimas relacionadas com a ob- servância de seus Princípios Empresariais, Normas de conduta ética, Conflitos de interesse e qualquer tema relacionado com um possível descumprimento regulató- rio de seu ambiente de controle interno, a seus balanços financeiros e a situações ou fatos que requeiram a aten- ção da Administração e/ou da Diretoria. Para todas as denúncias recebidas, garante-se uma aná- lise oportuna, independente, confidencial e sem represá- lias a seus emissores, por meio de um processo estrutu- rado e monitorado pelo Comitê de Risco e Auditoria da Diretoria da MASISA e independente da administração da empresa. As principais lições aprendidas a partir das diferentes denúncias e comunicações recebidas por meio do ca- nal de princípios são publicadas em bases trimestrais em boletins de circulação interna, sempre mantendo os graus adequados de confidencialidade e proteção de da- dos, ou seja, foco nos fatos e nas lições aprendidas, não em pessoas e países. Durante 2013 o canal de princípios empresariais rece- beu 29 denúncias, 25 das quais estavam encerradas na data de emissão desse memorial, 7 tinham algum grau de informação que nos permitiram aperfeiçoar proces- sos e interfaces entre públicos-alvo ou foram válidas em termos de descumprimento total ou parcial de nossos princípios e 18 não eram válidas. Para todas as denúncias, se garantiu um tratamento adequado de identificação dos fatos, devido processo e aplicação de melhorias internas e aquelas situações que assim o requeriam. Do total de denúncias recebidas no período de 2013, nenhuma fazia referência aos delitos de suborno, financiamento de terrorismo e lavagem de dinheiro, em função da lei 20.393 Para enviar suas denúncias, pode enviá-las por escrito em um envelope confidencial em nome do Secretário do Comitê de Risco e Auditoria: Av. Apoquindo 3650, piso 10. Las Condes, Santiago, Chile, ou pelo e-mail princi- pios@MASISA.com. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 32 8
  30. 30. Valores e normas que guiam a atuação dos colaboradores, marco referencial para a tomada de decisões em distintos âmbitos do negócio. Formaliza as práticas de governabilidade e transparência que suportam a criação de valor em todas as operações Masisa. Estabelece responsabilidades quanto a funções e poderes, de todos os executivos e instâncias da Masisa. Lei Princípios Empresariais Política de Delegação de Autoridade Políticas e Procedimentos Corporativo Políticas e Procedimentos Locais Legislação e normas de cada país em que a Masisa possui operações Diretrizes emitidas pelas gerências corporativas que constituem o guia que regula as operações da Masisa. Marco de ação por meio do qual os colaboradores devem ser regidos para cumprir os objetivos da Masisa. Código de Governança Corporativa Práticas e políticas de governabilidade e transparência Código de Governança Corporativa A MASISA conta com um Código de Governança Corporativa. Esse documento considera e in- corpora as recomendações da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), permite difundir internamente e até o mercado e outros públicos interessados nossas práticas de classe mundial que suportam a criação de valor em todas as nossas operações de maneira sustentável e alinhada a nossos Princípios Empresariais. Gestão de Conflitos de Interesse A MASISA conta com um processo formal para a gestão de situações que possam envolver um conflito em potencial entre os interesses dos colaboradores e/ou Diretores da empresa. Os pos- síveis conflitos de interesse são canalizados por meio da Gerência legal para seu adequado trata- mento, seguindo-se os alinhamentos internos da empresa e da legislação em vigor. Para garantir o adequado conhecimento e administração de matérias que poderiam originar con- flitos de interesse, os diretores e colaboradores informam anualmente, ou cada vez que se pro- duza alguma mudança relacionada ao informado anteriormente, sobre seus negócios, atividades e investimentos principais nos quais tenham interesse, seja diretamente ou através de alguma de suas pessoas relacionadas. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 2 9
  31. 31. Uso de Informação Privilegiada A MASISA tem Política e Procedimentos formais para a gestão e divulgação da informação que possa afetar o preço da ação ou outros valores da empresa, evitando assim que os executivos ou pessoas com acesso a informações privilegiadas realizem transações de ações e outros valores da Sociedade. Conforme o estabelecido na Norma de Caráter Geral Nº 211 da Superintendência de Valores e Se- guros, a Diretoria da empresa aprovou, em maio de 2008, seu Manual de Gestão de Informações de Interesse geral, atualizado conforme a Norma de Caráter Geral Nº 270, com data de 27 de janeiro de 2010 e publicada atualmente tanto no website da MASISA (www.masisa.com) quanto no site da Superintendência de Valores e Seguros (www.svs.cl). Relações com investidores A empresa assumiu o compromisso de entregar à comunidade de investidores todas as informa- ções pertinentes, de maneira rápida e transparente, velando sempre por manter os mais altos níveis de integridade e cumprimento das metas de Governança Corporativa. Dessa forma, as relações e comunicações com investidores e outros públicos de interesse con- tinuam, de maneira sistemática e transparente, a cargo da equipe profissional de “Relações com Investidores” da MASISA. São realizadas conferências telefônicas trimestrais de resultados, co- municados de imprensa de resultados trimestrais e comunicados de imprensa de caráter geral. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 33 0
  32. 32. Monitorar Ge rir Administração Avaliação de riscos chave Identi ficar Ava liar Modelo de Riscos Definição do marco conceitual Diretoria / Administração Reuniões de gestão e monitoramento dos planos de ação. Link Objetivos Estratégicos Definição da estratégia de gestão Gestão de Riscos Gestão de Riscos Mediante a identificação, avaliação e administração dos riscos e controles internos, a MASISA protege e aumenta o valor para seus acionistas e públicos de interesse. A gestão de Riscos é de responsabilidade da Administração e é monitorada periodicamente pela Diretoria, trabalho que é apoiado pelo Comitê de Risco e Auditoria. A MASISA conta com um processo formal e sistemático, por meio do qual apoia a gestão dos riscos para seus negócios. Esse processo inclui, dentro de seus principais componentes: • Avaliação anual de riscos chaves realizada pela Administração e relatada à Diretoria. • Avaliações independentes realizadas pela Gerência de auditoria interna na estrutura de controle interno da MASISA. • Avaliações de certificação (ISO, OHSAS, FSC®, etc.) realizadas por empresas externas. • Revisão dos balanços financeiros por parte das Auditorias externa e interna. • Inspeção de riscos nas operações da MASISA, efetuada por empresas de seguro. O resultado das avaliações internas e externas, mais o estado de cumprimento dos planos de ação comprometidos pela administração, é monitorado periodicamente pelo Comitê de Risco e Auditoria. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 3 1
  33. 33. Lei de responsabilidade Penal das Pessoas Jurídicas A MASISA concebeu um Modelo de Prevenção de Riscos para dar cumprimento à Lei 20.393 de Responsabilidade Penal para Pessoas Jurídicas, baseada em um marco de governabilidade com- posto de políticas e procedimentos que regem processos que poderiam ter alguma relação com delitos de suborno, lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo no Canal de princípios empresariais e na função de monitoramento do Comitê de Risco e Auditoria. Para cumprir com o disposto na lei, a MASISA atribuiu ao Gerente Corporativo de Auditoria In- terna a função de apoiar e fortalecer os processos de prevenção desses delitos; essa atribuição foi renovada na sessão do Comitê de Risco e Auditoria no dia 28 de janeiro de 2014 por um pe- ríodo de três anos. A seguir as atividades desenvolvidas durante 2013 na MASISA Chile: Prevenção: Capacitação prática do conteúdo da lei e suas implicações a 146 colaboradores da MASISA Chile. Detecção: Visão geral e prova de controles de processos associados aos delitos indicados na lei para os processos de licenciamentos, doações, pagamentos a terceiros, rendimentos. Resposta: -Inclusão no Regulamento Interno de Ordem, Higiene e Segurança de um capítulo que indique o Procedimento de Análise e Investigação dentro do marco da lei 20.393. -Assinatura de um anexo de contrato onde os colaboradores se comprometem a cumprir com o Regulamento Interno de Ordem, Higiene e Segurança e especificamente no referido no capítulo mencionado na lei 20.393. No período de 2013, 358 colaboradores assinaram o anexo. masisa : : I nforme integrado 2 0 1 33 2
  34. 34. Estratégia de Triplo Resultado A maneira como a MASISA efetua seus negócios está baseada na Estratégia de triplo resultado, a qual contempla de forma integral e simultânea obter os mais altos índices de qualidade em seu desempenho nos âmbitos financeiro, social e ambiental. A estratégia é monitorada em bases periódicas por meio da ferramenta de gestão denominada Sustainability Balanced Scorecard, uma ampliação do modelo Balanced Scorecard que conside- ra o monitoramento permanente dos objetivos estratégicos nas dimensões Financeira, Clientes, Processos e Tecnologia, Responsabilidade Social e Ambiental e Aprendizado e Desenvolvimento. Política de Sustentabilidade da MASISA A MASISA conta com uma política de desenvolvimento sustentável que rege todas as empresas e/ou investimentos controlados pela MASISA, nas que a empresa é proprietária da maioria ou do total da administração do negócio. Ela foi aprovada pelo gerente geral corporativo, mediante revisão e apresentação à Diretoria. Nela se abordam aspectos tais como: Gestão de triplo resul- tado, Impactos operacionais (ambientais, sociais e econômicos), Licença social, Públicos-alvo, Sustainability Balanced Scorecard, responsabilidades de cada segmento da organização, valores e declaração de princípios empresariais. A política estabelece que a MASISA se compromete a administrar seus negócios de maneira sustentável, procurando maximizar os resultados financeiros, sociais e ambientais de suas ope- rações. Para ela, incorporam-se as variáveis sociais e ambientais como parte integral de sua es- tratégia de negócios, o que se apresenta em sua ferramenta Sustainability Balanced Scorecard e em seus indicadores de governabilidade, operando por meio da Gestão de triplo resultado. Nesse contexto, a responsabilidade social é entendida como uma interação de maneira respon- sável e ética com nossas comunidades vizinhas e diversos públicos-alvo e em nenhum caso deve ser interpretada como filantropia I nforme integrado 2 0 1 3 : : masisa 3 3
  35. 35. Conselho de Desenvolvimento Sustentável O Conselho de Desenvolvimento Sustentável, integrado pelos gerentes de país e gerentes cor- porativos, propõe a estratégia de sustentabilidade da MASISA de médio a longo prazo; define políticas, programas e metas de liderança para garantir que a MASISA consiga padrões de ges- tão financeira, social, ambiental e de saúde e segurança de classe mundial; identifica e informa assuntos emergentes e apoia os executivos da MASISA e suas filiais no cumprimento de suas metas. Também coordena o cumprimento dos Princípios do Pacto Global das Nações Unidas. A Gerência Geral do país propõe as metas ambientais, sociais e de saúde e segurança, que são aprovadas no âmbito corporativo e implementa os programas e as ações para cumpri-las. Aqueles que desenvolvem essa tarefa tem uma relação funcional com o Conselho de Desenvol- vimento Sustentável da MASISA. Para assegurar o cumprimento de metas, ações e programas devem ser considerados nos processos de revisão independentes que a área de auditoria interna realiza periodicamente. O Conselho de Desenvolvimento Sustentável abre sessão duas vezes por ano, uma estratégica e outra de revisão de avanços de compromissos estratégicos. Em cada instância, convida-se a participação de especialistas da sociedade civil para trazer uma visão externa à estratégia da MASISA. Nos últimos anos participaram: Akatú, Avina, Triciclos e Casa de la Paz, entre outros. Estratégia e indicadores sociais e ambientais 2010 2011 2012 2013 ROE • • • • Engagement • • • • Red M • • • Segurança Ocupacional • • Eficiência Energética • • • • Emissão CO2 • • • • • Cumprido • Parcialmente cumprido • Não cumprido m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 33 4
  36. 36. 2010 • Cria-se o Conselho de Desenvolvimento Sustentável. • Revisão de Políticas e Procedimentos de Sustentabilidade. • Definição de prioridades estratégicas 2010-2013: construção sustentável e negócios inclusivos. 2011 • Estratégias relacionadas à rede de marceneiros MA- SISA (Rede M), desenvolvimento de fornecedores e consulta social. 2012 • São definidos três níveis de gestão: básica, estratégi- ca e desenvolvimento. • São definidas metas para 2025 alinhadas com as metas de 2050 do Conselho Mundial Empresarial (WBCSD) • Definição de posicionamento para a participação da Reunião de Cúpula do Rio+20 2013 • Mandato para desenvolver planos de desenvolvi- mento colaborativo de 4 a 5 anos com vizinhos de todas as operações e ampliar planos de desenvolvi- mento de fornecedores de 3 anos. • São criados conselhos para cada modelo de negó- cio inclusivo e seus indicadores de triplo impacto. (Exemplo da Rede M) • Prosseguimento rumo às metas de 2025 Marcos destacados do Conselho de Desenvolvimento Sustentável Reconhecimentos de destaque 2013 • A MASISA ocupa o segundo lugar em Transpa- rência corporativa segundo o estudo Inteligên- cia de negócios, Chile transparente, KPMG e Universidade de Desenvolvimento. • MASISA, empresa líder na mudança climática, segundo a Fundação Chile e Revista Capital. • A Rede M foi premiada na categoria Marketing direto, fidelização e relacionamento pela Associa- ção de Marketing direto e interativo da Argentina. • A MASISA Argentina foi premiada pelo Pacto Mundial das Nações Unidas por alcançar “COP avançada”, o mais alto na Comunicação de Progresso, no marco da IV Assembleia da Rede Argentina do Pacto Mundial das Nações Unidas. • No marco da 26ª edição dos “Prêmios para a exportação argentina”, a MASISA Argentina conseguiu o primeiro lugar, destacando-se por sua abertura de mercados e variedade de produtos que envia ao exterior. • A MASISA México ocupa o 15º lugar no nível nacional no estudo de “Responsabilidade social empresarial no México”, feito pelo centro IDEARSE da Universidade de Anáhuac. • Certificação “Empresa familiarmente responsá- vel” para a planta Zitacuaro, México, outorgado pela Secretaria de trabalho e previdência social. • A MASISA Brasil ocupa uma posição de des- taque no “Guia Exame de Sustentabilidade” na indústria de construção de materiais. • A MASISA Brasil recebeu menção honrosa no prêmio DuPont de segurança e saúde trabalhis- ta em 2013. • A MASISA Venezuela recebeu o “Prêmio de empreendimento social e produtivo”, outorga- do pela câmara venezuelana de jogos, esportes e recreação. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 3 5
  37. 37. AFP incluem os fundos A, B, C e D. 5,89% 67,00% 13,56% 13,55% Grupo Nueva Outros AFP Capitulo XIV Grupo Nueva 67,00% Capitulo XIV 5,89% AFP 13,6% Otros 13,5% Principais acionistas As ações da MASISA são negociadas na Bolsa de Comércio de Santiago do Chile, na bolsa de Valores de Valparaíso e na Bolsa Eletrônica do Chile. Em 31 de dezembro de 2013, o capital social da MASISA S.A. estava dividido em 7.839.105.291 ações subscritas e pagas. Os principais acionistas são o holding de investimentos Grupo Nueva, Administradoras de Fondos de Pensiones (AFP), investidores estrangeiros via Capítulo XIV (in- vestimento estrangeiro direto no mercado local) e fundos de investimento. O número total de acionistas registrados em 31 de dezembro de 2013 são 7.951. O acionista controlador da MASISA S.A. exerce o controle desta diretamente através das socie- dades chilenas GN Inversiones Limitada e Inversiones Forestales Los Andes Limitada, donas, em conjunto, de 67,00% do capital acionário da MASISA . O principal ativo da GN Inversiones Limitada e Inversiones Forestales Los Andes Limitada é sua participação majoritária na MASISA, empresa por meio da qual exerce sua função de investidor especializado no setor florestal e de painéis de madeira. Não existem acionistas com 10% ou mais do capital ou do capital com direito a voto que sejam distintos dos controladores. Os 12 principais acionistas do capital subscrito e pago com direito a voto em 31 de dezembro de 2013 são os seguintes: Nome ou razão social N° ações %de participação Gn Inversiones Limitada 3.639.886.299 46,43% Inv Forestales Los Andes Limitada 1.612.485.819 20,57% Afp Habitat S A 541.460.120 6,91% Banco Do Chile Por Conta De Terceiros Não Residentes 287.738.870 3,67% Afp Capital S A 202.957.182 2,59% Afp Cuprum S A 186.016.762 2,37% Celfin Small Cap Chile Fondo De Inversion (Cta. Nova) 124.609.126 1,59% Banco Itaú por Conta de Investidores 120.009.350 1,53% Afp Provida S A 102.118.824 1,30% Banchile C de B S A 101.483.474 1,29% Btg Pactual Chile S A C de B 96.910.940 1,24% Chile Fondo de Inversion Small Cap 59.848.046 0,76% 5 O acionista controlador de 100% das ações da GN Inversiones Limitada e Inversiones Forestales Los Andes Limitada, através de uma série de sociedades, é a so- ciedade estrangeira Nueva Holding Inc. O dono e proprietário final de 100% das ações da Nueva Holding Inc., através de uma sociedade, é a entidade Bamont Trust Company Limited (Bamont), que atua na qualidade de fideicomissário representando os interesses do fideicomisso constituído de acordo com as leis da Bahamas denominado Viva Trust. Segundo a estrutura de fideicomisso, o senhor Mark Thomas Bridges, de nacionalidade britânica, exerce o cargo de Protetor da Viva Trust que, por sua vez tem a capacidade de nomear e remover os membros do Advisory Committee, órgão que exerce a administração da Viva Trust e que é o encarrega- do de implementar e controlar a estratégia do referido fideicomisso. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 33 6
  38. 38. Contexto operacional A economia é extrativista e sustentada nos recursos na- turais, com baixos níveis de industrialização e serviços. Ambientalmente, é abundante em recursos naturais, conta com uma grande riqueza de flora e fauna que a torna única no mundo. A classe média aumentou significativamente e isso im- plicou num aumento de consumo. Ainda que as constru- ções na região tenham aumentado, persiste um déficit habitacional importante. Há vulnerabilidade a desastres climáticos e ambientais. Além disso, essa região apresenta desafios para uma gestão sustentável dos recursos naturais. Também é possível observar um aumento na exigência da socieda- de civil por um grau maior de regulação. Segundo o documento Ação 2020 do Conselho Empre- sarial para Desenvolvimento Sustentável (WBCSD na sigla em inglês), as projeções para nossa indústria serão: projeções para nossa indústria • Será intensificada a demanda no mundo por produtos florestais (madeira, fibra, combustível, alimentos e serviços dos ecossistemas). Espe- ra-se que a demanda de madeira triplique para o ano de 2050 a mais de 10 bilhões de m3 . • A indústria de produtos florestais empregará 14 milhões de pessoas no mundo, as florestas afetarão diretamente os meios de vida de 20% da população mundial e gerarão bens e serviços de que todos dependeremos. • Para satisfazer a demanda futura, será neces- sário o uso sustentável das florestas naturais e mais plantações florestais, assim como um uso mais racional e a reutilização de produtos florestais. • Administrar mais florestas com responsabili- dade significa reduzir os riscos das mudanças climáticas, oferecer serviços ecossistêmi- cos críticos que possibilitem a vida na Terra, gerando madeira industrial e fibra para uma gama muito ampla de produtos tradicionais e soluções inovadoras, fornecimento de alimen- tos e energia renovável, assim como benefícios recreativos. Fuente: documento Action 2020 del Consejo Empresarial para el Desarrollo Sostenible (WBCSD por sus siglas en inglés) r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 3 7
  39. 39. Oportunidades e Riscos A MASISA, como parte da sua gestão integral de riscos, realiza anualmente uma análise dos principais riscos estratégicos que enfrenta no desenvolvi- mento de seus negócios. A MASISA, como parte da sua gestão integral de riscos, realiza anualmente uma análise dos principais riscos estratégicos que enfrenta no desenvolvimento de seus negócios. Essa análise é realizada pelas Gerências Corporativas, as Gerências Gerais de cada país e pelo suporte da Gerência de Auditoria Interna, a partir da qual definem as melhores estratégias para gerir aqueles riscos que poderiam impactar os objetivos do negócio. As estratégias que a Administração define são aprovadas pela diretoria da empresa que, por sua vez, monitora a evolução do balanço dos riscos durante o ano todo. A gestão de riscos estratégi- cos é um dos principais elementos que a Administração utiliza na definição e atualização de seus planos estratégicos. Para conhecer nosso mecanismo de gestão de risco, veja a seção de Governança Corporativa. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 33 8
  40. 40. Oportunidades de crescimento Crescimento de consumo de painéis na região No negócio industrial da MASISA, evidenciamos uma evolução positiva no consumo de painéis de madeira por meio de altas taxas de crescimento. Essa tendência se sustenta no alto déficit habitacional da América Latina e no processo de subs- tituição da madeira maciça por painéis. Nesse sentido, os produtos MASISA oferecem vantagens significativas sobre a madeira sólida para manufatura e móveis, já que concedem uma melhor relação preço-qualidade e apresentam vantagens competitivas para trabalhá-la. É assim que, durante os últimos 15 anos, o crescimento econômico da América Latina repercutiu num aumento significativo do consumo de painéis per capita na região. E ainda falta desenvolver muito mercado, em comparação com o consumo dos países desenvolvidos. Negócio Florestal Os investimentos florestais se caracterizam por serem de baixo risco e neles, a MASISA obteve rentabilidades dentro de faixas adequadas ao negócio. Essas características fazem desses ativos uma proteção excelente face às flutuações do mercado de painéis. Essa situação de baixo risco ficou plenamente em evidência durante a recente crise mundial atual, na qual os ativos florestais sofreram uma baixa muito inferior à de outros ativos. Além disso, apresentam vantagens adicionais em um mundo que demanda cada vez mais madeira e fibra, somado às excelentes características de ser um material com o qual se fabricam produtos favoráveis ao meio-ambiente r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 3 9
  41. 41. Negócios Inclusivos A redução da pobreza na América Latina é, com certeza, um imperativo para nós que trabalha- mos e vivemos na região, mas também é um requisito básico para que nossos negócios conti- nuem crescendo no longo prazo. A MASISA entende os Negócios Inclusivos como iniciativas economicamente rentáveis, res- ponsáveis ambiental e socialmente, que utilizam os mecanismos do mercado para melhorar a qualidade de vida de pessoas de baixa renda. Construção Sustentável Na América Latina, a MASISA tem estimulado diferentes iniciativas para contribuir com as cons- truções sustentáveis, por meio da geração de produtos certificados por padrões internacionais, como a certificação FSC®, somado à participação constante de assessores que lideram os pro-cessos de certificação LEED e os organismos que coordenam essas iniciativas, através do Green Building Council de diferentes países da região, como alguns exemplos do trabalho desenvolvido. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 34 0
  42. 42. Gestão de Riscos Durante o curso normal dos negócios, aempresa se vê diante de diversos riscos, tanto de merca- do, quanto operacionais e financeiros. As políticas de gestão de risco são aprovadas e revisadas periodicamente pela Diretoria e Administração da Masisa. Os principais riscos são: Riscos relacionados aos negócios e ao mercado Risco de mercado e evolução econômica A economia mundial e da América Latina, em particular a construção e reforma de moradias, é a principal força da demanda por painéis e outros produtos de madeira. Devido ao caráter cíclico da demanda dos produtos que a empresa oferece, uma deterioração das condições econômicas globais poderia afetar negativamente a América Latina, nosso principal mercado e, portanto, nosso negócio. Nos últimos anos, a Masisa ampliou sua capacidade de produção de MDF, PB, MDP e molduras MDF em resposta à crescente demanda da América Latina, estabelecendo uma posição sóli- da nos mercados que participa, permitindo assim, manter operações rentáveis e que ofereçam oportunidades para obter um crescimento sustentado. Risco de competição Temos competidores em cada um de nosso mercados e linhas de produtos na América Latina. A indústria de painéis de madeira é sensível às mudanças de capacidade instalada e às mudanças cíclicas da economia, o que pode afetar nosso negócio de maneira significativa. Para mitigar esse risco, a Masisa tem concentrado todos os seus esforços na eficiência de custos e em ser reconhecida como a empresa mais focada nos clientes finais, com uma oferta inovadora de produtos e que oferece soluções de alta qualidade. Risco relacionado à evolução política, regulatória e econômica dos países latino-americanos em que a Empresa opera Nossas estratégias de negócio, condição financeira e resultados operacionais poderiam ser afe- tados de maneira adversa por mudanças nas políticas governamentais dos países latino-ameri- canos onde operamos e outros acontecimentos políticos que afetem esses países, sobre os quais não temos controle. A Masisa mitiga esse risco mediante a diversificação geográfica, contando com plantas produtivas e operações comerciais no Chile, Brasil, México, Argentina e Venezuela, assim como operações comerciais no Peru, Equador e Colômbia. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 4 1
  43. 43. Riscos associados a controles de preços Em janeiro de 2010, o governo da Venezuela modificou a Lei de Acesso a defesa, bens e serviços. Qualquer violação por parte de uma empresa poderia levar a multas, sanções ou confisco de ati- vos sem indenização. Em julho de 2011, o governo venezuelano aprovou a Lei de Custos e Preços Justos, a qual permite ao governo supervisionar os preços e margens. Da mesma forma, o governo argentino implementou programas para controlar a inflação e con- trolar os preços de bens e serviços em várias indústrias e mercados, incluindo nossa empresa e a indústria em geral. Para mitigar esse risco, a Masisa cumpre de forma estrita os marcos regulatórios e tem uma política comercial de gestão de preços e mix de produtos de acordo com as normas locais. Riscos relacionados à operação Interrupções em qualquer uma de nossas plantas ou outras instalações. Uma interrupção em qualquer uma das plantas ou outras instalações da empresa poderia im- pedir o atendimento à demanda por nossos produtos e obrigar-nos a realizar investimentos de capital não planejados. Por exemplo, em setembro de 2012, nossa planta de MDP em Montene- gro, Brasil, foi afetada por um incêndio e em 2010 nossas plantas do Chile foram afetadas por um terremoto. A Administração tenta identificar esses riscos de maneira a evitar seu acontecimen- to, minimizar seus efeitos e cobrir seus riscos mediante seguros. Além disso, uma parte de nossos colaboradores no Chile, México, Argentina e Venezuela estão cobertos por um convênio coletivo com os sindicatos. Nossos colaboradores do Brasil, Peru, Equador e Colômbia não estão sindicalizados. As operações da empresa podem ser afetadas por interrupções como consequência de processos de negociação coletiva. Para evitar isso, a Masisa mantém programas proativos nesse sentido, sendo reconhecida na indústria por seus programas de capital humano e responsabilidade social. Riscos de abastecimento A empresa enfrenta riscos de abastecimento de matérias-primas, especialmente resinas quími- cas e madeira, que são elementos essenciais para a produção de seus produtos. Para minimizar esses riscos, ela mantém acordos de longo prazo com fornecedores de resinas químicas e, em alguns países como México e Venezuela, se integrou na fabricação delas. Do ponto de vista do fornecimento de madeira, a Masisa possui plantações florestais no Chile, Brasil, Argentina e Venezuela e mantém uma rede de abastecimento diversificada. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 34 2
  44. 44. Riscos Financeiros No curso normal de seus negócios e atividades de financiamento, a sociedade está exposta a diversos riscos financeiros que podem afetar seus resultados. A Masisa está exposta a volatilidades nos mercados financeiros tais como variações em tipos de câmbio e taxas de juros. Para mais detalhes, conferir a Nota 30 (Gestão de risco financeiro e definição de cobertura) dos balanços financeiros consolidados Riscos de compra de divisas na Venezuela e Argentina Na Venezuela há um sistema de controle de câmbio em vigor que regula o acesso a dólares a pessoas e empresas. Esse sistema de controle cambial teve modificações relevantes nos últimos meses. Considerando-se as recentes mudanças, os atuais mecanismos para acesso a divisas são os seguintes: 1. Em janeiro de 2014, o governo anunciou a criação de uma nova instituição que regula o con- trole de câmbios, denominada Centro de Comércio Exterior, CENCOEX. Essa nova entidade tomará de forma progressiva todas as atribuições e responsabilidades que eram da CADIVI (Comissão de Administração de Divisas). Será mantido o acesso a dólares a uma taxa de B$/US$ 6,3 só para áreas consideradas prioritárias. Até o final de 2013, a empresa teve acesso a dólares por meio do sistema CADIVI para suas necessidades de importação de insumos e peças de reposição. 2. O segundo mecanismo é o Sistema Complementar de Administração de Divisas, SICAD, que depende do Banco Central da Venezuela e que opera por meio de leilões semanais de até US$ 220 milhões, orientados a setores específicos da economia e a atribuição dos dólares segue critérios adicionais ao preço oferecido. Os pagamentos de capital, dividendos, assessorias no exterior, viagens e pagamentos de bens imateriais serão realizados ao tipo de câmbio estipulado na última atribuição do SICAD e prévia aprovação do CENCOEX. A título de referência, o tipo de câmbio SICAD foi de B$/US$ 11,3 e de B$/US$ 10,7 no fechamento em dezembro de 2013 e março de 2014, respectivamente. Desde seu estabelecimento em fevereiro de 2013, a empresa não obteve dólares por meio desse sistema.. 3. O terceiro mecanismo para acesso a dólares é o SICAD II. Nesse sistema podem operar pes- soas físicas e jurídicas do setor privado e entidades públicas que estejam autorizadas. As operações serão realizadas através de bancos e operadores de valores. A autoridade sinali- zou que o nível de tipo de câmbio desse sistema flutuará de acordo com a oferta e demanda, ainda que o Banco Central da Venezuela ou PDVSA possam intervir para mantê-lo em um r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 4 3
  45. 45. determinado nível. A título de referência, o tipo de câmbio SICAD II foi de B$/US$ 51,58 no fechamento de março de 2014. 4. Mantém-se o mecanismo de aquisição de instrumentos financeiros emitidos por entidades governamentais venezuelanas denominadas em dólares, mas vendidas em bolívares pelo emissor. Assim, se comprariam instrumentos financeiros em bolívares, para logo trocá-los por dólares. 5. O quinto mecanismo para acesso a dólares vem das exportações devido à possibilidade de reter em moeda estrangeira até 60% dos ingressos por esse conceito. Os 40% restantes devem ingressar na Venezuela e serem convertidos em bolívares pelo último tipo de câmbio SICAD II. Durante 2013 e 2014 a empresa obteve dólares por suas exportações a Colômbia, México e outros mercados. No caso da Argentina, desde outubro de 2011 está em vigor um regime de controle cambial que regula o acesso a divisas. Como resultado surgiu um mercado paralelo que mantém uma dife- rença significativa do dólar oficial. Como a Masisa Argentina tem uma balança comercial supe- ravitária, as operações da empresa na Argentina não foram impactadas de maneira significativa como produto do controle cambial e teve acesso a divisas suficientes para pagar suas importa- ções, serviço de dívida em moeda estrangeira e repatriar dividendos Riscos de desvalorização na Venezuela e Argentina A empresa está exposta a desvalorizações das moedas locais na Venezuela e Argentina que podem afetar seu valor patrimonial e, consequentemente, sua razão financeira de nível de endividamento. A fim de evitar os efeitos frente a cenários de desvalorização dessas economias, a Empresa con- cordoucomseuscredoresdelongoprazo, emdezembrode2013,sobreamodificaçãoeflexibiliza- ção de parte de seus resguardos financeiros, protegendo-se diante de possíveis desvalorizações. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 34 4
  46. 46. Legislação e marco regulatório Na região, se evidenciam uma baixa regulação nos temas sociais e ambientais e maior pressão dos públicos de interesse para regulações mais exigentes (adiantar-se a essas tendências), por isso, na MASISA avançamos na autorregulação, o que nos permite gerar vantagens competitivas e antecipar futuras restrições. Exemplos que evidenciam esse compromisso incluem contar com o padrão FSC® em todo nosso patrimônio florestal, a adoção do padrão Carb, norma europeia E1 de baixa emissão de formaldeí- do em 100% de nossa produção de painéis, protegendo a saúde e o bem-estar de nossos clientes e colaboradores e o projeto de Plantações de Nova Geração na área florestal. Além disso, a MASISA conta com uma estratégia de Governança Corporativa de alto nível, que constitui um elemento chave da estratégia de negócio sustentável a longo prazo, já que promove a gestão eficaz e eficiente de seus recursos, criando um ambiente de controle interno saudável e contribuindo com a criação de valor para seus acionistas e públicos interessados. O fortalecimento contínuo de nossa Governança Corporativa é uma preocupação constante para chegar à empresa que queremos ser no futuro. Aumento da desconfiança na sociedade civil A sociedade espera das empresas muito mais que há 10 anos, procurando participar da solução dos problemas sociais. Por isso, o desafio da MASISA hoje é migrar da busca da licença social para operar em uma “licença para liderar”. Para a gestão desse risco, a MASISA mantém planos de gestão social e relações comunitárias, exigentes certificações de produto e de gestão florestal e industrial, como por exemplo certificação FSC® de gestão florestal, entre outros. Em 2013, foi realizada em todas as operações uma análise de vínculo com as comunidades vizi- nhas, de uma perspectiva de risco para as operações da empresa. Ela concluiu que os riscos es- tariam controlados com os Planos de mitigação existentes. Em 2014, o sistema de administração de riscos fará uma revisão dessa análise. Em termos gerais, durante 2013 as comunicações recebidas dos públicos-alvo se mantiveram bastante constantes, sendo a principal consulta o impacto ambiental para a área industrial e impacto em ruas e florestas. Com relação às comunicações positivas, aludem em sua maioria a agradecimentos de doações e/ou por capacitações. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 4 5
  47. 47. A respeito das relações com os povos indígenas, um tema de grande relevância para a MASISA, é mantido um plano de vinculação e diálogo com as comunidades do Chile e Venezuela. Nesse último país não há um conflito comunitário, pelo qual o risco é menor, diferente do Chile, onde nos últi- mos anos surgiram conflitos entre as comunidades indí- genas das Regiões IX e X, que reclamam propriedade da terra, o que gerou disputas entre comunidades indíge- nas, cidadãos privados e empresas. Em outubro de 1993, o governo do Chile aprovou a Lei Nº 19.253 para a proteção, promoção e desenvolvimen- to dos povos indígenas. Essa lei criou a Corporação Na- cional de Desenvolvimento Indígena (“CONADI”) e um Fundo de Terras Indígenas e Água, mecanismos para re- gular a compra de terras por parte do governo para as comunidades que não tem terra, com regras claras que as comunidades nativas devem cumprir para ter acesso ao Fundo. Além disso, em 2008 o Chile como membro da Orga- nização Internacional do Trabalho ratificou o Convênio 169 (“Convenção dos Direitos Indígenas”), que estabe- lece direitos para os indivíduos e para as comunidades indígenas. A MASISA é dona de certas propriedades nas áreas onde existem conflitos (ver mapa). Até agora temos sido capazes de resolver os problemas com as comuni- dades através do diálogo e do trabalho conjunto com a CONADI. 2012 2013 2012 2013 2012 2013 2012 2013 2012 2013 2012 2013 Total queixas Comunicações e temáticas recebidas de público-alvo Impacto ambiental Danoà propriedadeprivada Propriedadesobre terrenosourecursos Caminhos e riscos em rotas Trabalho locais 33 31 15 12 8 0 5 5 4 2 2 1 0 5 10 15 20 25 30 35 m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 34 6
  48. 48. 1 2 3 5 4 Prédios da Masisa e trabalhos com comunidades Mapuche el aromo, galvarino Trabalhos locais, colheita, estabeleci- mento e gestão. 1 comuna de galvarino Convênio Corfo-empresas florestais, aliança empresarial Mapuche Nagche e Wuenteche. Capacitação de microempresários Mapuche e seu pessoal 5 etruria, mahuidanche, pitrufquen Empreendimento de resgate cultural, turismo comunitário e educação ambiental. 4huamaqui, chol-chol Acesso a água e educação ambiental. 2 pehuenco, liverpool, santa ines, algarrobo, victoria Trabalhos locais, colheita, estabelecimen- to e melhoramentos de implementação. 3 valdivia temuco los angeles r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 4 7
  49. 49. Grupo de interesse Identificação Por que nos relacionamos Mecanismos de relacionamento Colaboradores diretos e indiretos Pessoal direto ou indireto contratado pela MASISA em suas diversas operações. O relacionamento tem impacto direto com o desempenho financeiro, social e ambiental da MASISA (por exemplo, qualidade do produto, impactos ambientais gerados pela atividade e seguran- ça do trabalho). • Reuniões periódicas por área. • Capacitação. • Reuniões com sindicatos. • Reuniões com Comitê Paritário. • Comunicações internas por diferen- tes meios. • Eventos organizacionais. • Voluntariado. • Pesquisa de engajamento. • Avaliação de desempenho. • Canal de reclamações. Clientes • Compradores de nossos produ- tos: Pequenos e médios marce- neiros (Rede M), distribuidores, grandes superfícies, indústrias moveleiras e empresas do setor. • Clientes satisfeitos nos permi- tem projetar a longo prazo. • Fortalecer pequenos e médios marceneiros potencializa o impacto social positivo de nossa atividade e se alinha com nossa estratégia de negócio e sustenta- bilidade. • Reuniões e visitas periódicas por parte das áreas de vendas e marketing. • Conversas técnicas de produtos • Atenção de consultorias e assesso- ramento. • Participação em feiras e exposições da indústria. • Capacitação de pequenos e médios marceneiros. • Programa Rede M. • Dia do marceneiro. • Canal de reclamações. • Plataformas digitais e redes sociais. Fornecedores Pequenas, médias e grandes empresas externas que prestem serviços, abasteçam-se de insumos, fornecimentos e maté- rias-primas. Manter uma boa relação que permita contar com os serviços e produtos necessários para dar continuidade e projetar o negócio da MASISA. • Avaliação de fornecedores críticos. • Avaliação de padrões trabalhistas e gestão de riscos. • Incorporação em campanhas de informação e difusão. • Auditorias e monitoramentos operacionais. • Licitações, ordens de compra e contratos. • Programa de Indução. • Canal de reclamações. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 34 8
  50. 50. Impactos positivos e negativos Risco que esse público representa Oportunidade que esse público representa Gestão de riscos e oportunidades Fonte Positivos: Desenvolvimen- to da mão de obra local, transferência de conhecimen- tos e aumento no nível de empregabilidade. Um trabalhador pouco com- prometido poderia colocar em risco a segurança do resto dos colaboradores, do meio-ambiente e da qualidade do produto, além da parali- sação de nossas atividades produtivas. Inovação em processos, produtos e serviços. A pesquisa de engajamento e os planos que derivam desse processo, somados ao processo de avaliação de desempenho, nos permitem melhorar o engajamentodos colaboradores, , reduzindo assim o risco e aumentando as oportunidades. pesquisa de engajamento 2013. • Positivos: produtos de alta Qualidade (por exemplo, com baixa emissão de formaldeí- do), entrega em tempo, bom serviço de pós-venda, atenção oportuna a reclamações. • Benefícios associados às atividades da Rede M. Crise financeira, que poderia afetar a construção e reforma de ambientes. • Necessidades habitacionais insatisfeitas. • Fortalecimento de pequenos e médios marceneiros. • Mais e melhores canais de distribuição. • Rede M, programa de fidelização da MASISA. • Comunicação direta e gestão de reclamações. • Inovação e criação conjunta de produtos e soluções para se antecipar às necessidades do mercado. Pesquisa de satisfação de clientes. • Relação de confiança, boas condições de contrato. • Benefícios associados à participação do Programa de desenvolvimento de fornecedores. • Não contar com os insumos, serviços, provisões a tempo poderia implicar na detenção momentânea das operações e, em alguns casos mais críticos, uma parada das operações. • Infrações e acidentes trabalhistas. • Baixos padrões ambientais. Melhorar os padrões do fornecedor, oferecem continui- dade ao negócio. • Avaliação e supervisão de fornecedores críticos/chave. • Nível de desenvolvimento ambiental e social para a escolha de novos provedores. • Incorporação de cláusulas sociais e ambientais nos contratos. • Programa de Desenvol- vimento de fornecedores críticos para melhorar o de- sempenho y gestão, ambiental e social. • Processos de indução e capacitação. • Programa de desenvol- vimento de fornecedo- res. • Pesquisa de autoava- liação para fornecedores estratégicos. r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 4 9
  51. 51. Comunidades vizinhas • Vizinhos de localidades próximas às operações florestais e industriais da MASISA. • Reuniões de vizinhos. • Organizações sociais (formais e informais). • Representantes de comunidades indígenas (Chile e Venezuela). • Colégios (escolas, liceus) beneficiados por programas comunitários. • Empresas das imediações. • Buscamos fortalecer nossa política de boa vizinhança, para manter nossa licença social para operar e crescer. • Buscamos parcerias para contribuir com o desenvolvimento e melhoria da qualidade de vida das comunidades. • Reuniões e visitas periódicas a comunidades e organizações locais • Participação em ações comunitárias e festividades. • Visitas às fábricas. • Mecanismos de queixas e reclama- ções (recepção e resposta). • Mecanismo de Consulta social (no mínimo a cada 4 anos) e sondagem (a cada 2 anos). • Consultas participativas pré, pós e durante as atividades operacionais (florestais). • Participação em Planos de desen- volvimento colaborativo. • Capacitação (ambiental, escolar e liderança). Autoridades ONGs Universidades e outras entidades acadêmicas • Autoridades nacionais, provin- ciais e comunitárias. • Autoridades sanitárias, do meio-ambiente, portuárias, entre outras. • Organizações sem fim lucrativo de meio-ambiente e sociais (lo- cais, nacionais e internacionais). • Universidades e outras entida- des acadêmicas de apoio às zonas onde operamos. • Um bom relacionamento com as autoridades e organizações da sociedade civil facilita o entendi- mento entre as partes, permite se antecipar a futuras regulações e tendências. • Potenciais sócios e colaborado- res no desenvolvimento de nossa Estratégia de gestão comunitária/ social. • Comunicações formais. • Reuniões convocadas. • Visitas e fiscalizações. • Participação em projetos e eventos regionais/locais. • Processos de certificação e melhora contínua. • Participação em workshops. • Participação em eventos, fóruns, seminários convocados. • Convênios de colaboração. Acionistas • Grupo Nueva. • AFPs. • Fundos de investimentos. • Pessoas físicas. Crescimento da empresa • Canais de comunicação com fluidez e rapidez. • Entrega de informação periódica. • Publicação de resultados finan- ceiros. • Visitas a plantas e instalações. Grupo de interesse Identificação Por que nos relacionamos Mecanismos de relacionamento m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 35 0
  52. 52. • Positivos: Fonte de trabalho. • Oportunidades de empreen- dimento, acesso a capacitação em ofícios relacionados à nossa indústria. • Benefícios associados ao desenvolvimento dos planos comunitários de forma conjunta. • Negativos: impactos das operações (por exemplo: emissões, odores, ruído). • Conflitos com comunidades que dificultem a licença social para operar. • A MASISA conta com um procedimento para avaliar ris- cos sociais associados a dife- rentes cenários relacionados com aspectos: ambientais, de comunicação e relaciona- mento, de participação no desenvolvimento local. • Fonte de mão-de-obra. • Fortalecimento e desenvol- vimento de provedores locais. • Geração de parcerias para identificar e desenvolver pla- nos comunitários conjuntos, potencializando o impacto positivo. • Gestão de riscos: • Manter aspectos ambientais associados às operações da MASISA sob controle e ações de relacionamento e comuni- cação efetivas, transparente e de respeito mútuo com essas comunidades. • Oportunidades: • Preferência para ocupar postos de trabalho direto e indireto. • Planos colaborativos para contribuir com a solução de problemas/necessidades identificados e priorizados de forma conjunta com visão de longo prazo. • Comu- nicações, queixas e reclamações recebidas. • Consulta social. • Reu- niões com vizinhos e líderes locais. • Geração de confiança. • Parcerias estratégicas e colaboração no cumprimento de objetivos comuns. • Transferência/intercâmbio de conhecimento. • Poder de inspecionar e sancionar. • Desconfiança no desem- penho social/ambiental das empresas. • Gerar instâncias e projetos de cooperação e obtenção de objetivos comuns. • Manter nossos aspectos ambientais sob controle, cumprimento legal. • Auditorias permanentes internas e externas. • Sistema de Gestão integrada. • Certificações de processos e produtos. • Participação de comitês público-privados e instâncias de diálogo. • Promoção de eventos (ambientais). • Mesas de diálogo e workshops. • Comu- nicados recebidos. • Consulta social. • Reuniões de acionis- tas. Impactos positivos e negativos Risco que esse público representa Oportunidade que essepúblico representa Gestão de riscos e oportunidades Fonte r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 5 1
  53. 53. capítulo Ii Estratégia 2
  54. 54. Complejo Industrial Cabrero, Chile
  55. 55. negocio central fundamentos pilares estratégicos fabricação e comercialização de painéis de fibras e de partículas de madeira Visão Levar design, desempenho e sustentabilidade para a criação de cada móvel e espaço interior na América Latina. Missão Conquistar a preferência dos clientes, sendo a marca mais inovadora, sustentável e confiável da indústria de paineis de partículas e de fibras de madeira, maximizando a criação de valor econômico, social e ambiental. Princípios e valores Capital humano Sustentabilidade Capacidades chave Segurança e eficiência operacional Orientação ao cliente final Viver a Marca Inovação para a criação de valor Nosso negócio A MASISA produz e comercializa painéis de madeira na América Latina e seus principais produtos são: painéis de MDF, painéis de MDP, painéis de partí- culas PB e painéis melamínicos. Além disso, a Masisa comercializa outros produtos complementares como madeira serrada e molduras MDF. Contamos com 10 complexos industriais de painéis distribuídos no Chile, Argentina, Brasil, Ve- nezuela e México. Elas contam com certificação ISO 9.001, ISO 14.001 e OHSAS 18.001, com ex- ceção das plantas de Rexcel adquiridas recentemente no México. Além disso, todos os painéis da MASISA são produzidos de acordo com a norma europeia E1 de baixa emissão de formaldeído. A MASISA Industrial tem capacidade instalada de 3.427.000 m3 anuais para a fabricação de painéis, além de uma capacidade de 1.801.000 m3 anuais para revestimento de painéis com pa- peis melamínicos e folhas. A MASISA possui ainda uma capacidade anual total de 691.000 m3 de madeira serrada e processos de remanufatura para fabricação de molduras de MDF. Temos um amplo mix de produtos para as indústrias moveleira e de arquitetura de interiores, os quais são elaborados seguindo-se controles estritos de qualidade e altos padrões ambientais e sociais. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 35 4
  56. 56. • MDF: Painéis de fibras de madeira que se caracterizam pelos excelentes acabamentos que conseguem, um menor desgaste de ferramentas e uma economia importante de pintura em compara- ção com outros tipos de painéis. A MASISA fabrica painéis MDF com diferentes características, formatos e espessuras, que são comercializados crus ou revestidos com folhas ou melaminas. • MDP: Painel de partículas de madeira especialmente indicado para a produção de móveis de qualidade com linhas retas ou formas orgânicas. Suas vantagens são sua homogeneidade, resistência e estabilidade dimensional e densidade, as quais são ideais para novos usos em processos de impressão, pintura e revestimento. • Painéis de Partículas PB: Painéis fabricados com chips, lascas de madeira e serragem. São caracterizados por serem resistentes e leves. Utilizados na fabricação de móveis, principalmente para aplicações em que são necessários acabamentos planos. A MA- SISA fabrica painéis de partículas com diferentes características, formatos e espessuras, que são comercializados crus ou revestidos com folhas ou melaminas. • Painéis melamínicos: Painéis de PB, MDP ou MDF, recobertos nas duas fazes por lâminas decorativas impregnadas com resinas melamínicas que oferecem uma superfície totalmente fechada, livre de poros, dura e resistente a desgaste superficial. Uma ampla gama de cores e texturas permite oferecer ao mercado a melhor variedade de desenhos, madeiras e cores. • Molduras MDF: As molduras MDF da MASISA são comercializa- das em diferentes perfis e espessuras. São utilizadas principalmen- te para realizar acabamentos em encontros parede-piso, parede teto e em marcos • Madeira Serrada: A MASISA produz madeira serrada seca que é comercializada em várias espessuras e comprimentos, utilizada fundamentalmente na fabricação de embalagens ou páletes, mó- veis e construção. principais produtos r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 5 5
  57. 57. Crescimento na região No início de 2013, a MASISA anunciou um importante plano de investimentos de US$ 600.000.000 como parte importante do plano estratégico do ano de 2015 que fortalecerá o negócio central de painéis de madeira MDF e MDP e o crescimento em países de maior potencial como México, Brasil e Chile. O financiamento do programa de investimentos, na primeira parte, foi feito com um aumento de capital que, em seu atual período de oferta preferencial arrecadou US$ 80,2 MM, com o fluxo operacional normal da empresa e o desinvestimento estruturado de ativos florestais não estraté- gicos por US$ 203,6 milhões acordada com a Hancock Chilean Plantation LP. Do total desse plano, US$ 300.000.000 correspondem a investimentos recorrentes da empresa nesse período e dos negócios industrial e florestal, e os outros US$ 300.000.000 consideram novos projetos de crescimento, principalmente no México, pelo grande potencial desse mercado e a liderança da MASISA no país, e também no Brasil e Chile para reforçar a estratégia nesses mercados. Esses projetos serão comunicados na medida em que sejam aprovados especifica- mente e que sejam materializadas as fontes de financiamento descritas antes. m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 35 6
  58. 58. Aquisição de ativos Rexcel, México. Durante março de 2013 tomou-se o controle dos ativos da Rexcel e foram implementados os programas de investimento contemplados no orçamento, atingindo as metas de produção dentro dos planos pré-estabelecidos para esses ativos. Cabe ressaltar que, com essa aquisição, a MASISA incorporará uma capacidade nominal de 460.000 m3 de painéis por ano; linhas de melaminas; linhas de impregnação e impressão de papel; linhas de laminados decorativos de alta pressão; plantas de resinas com uma capacidade de 24.000 toneladas por ano; as marcas comerciais (Rexcel, Panelart e Wilsonart, entre outras) e outros ativos relacionados e necessários para a operação do negócio. Linhas de melamina e pintura na planta Cabrero, Chile. Em julho do ano de 2013 começaram a operar os projetos de melamina para o formato de 7 x 8 pés e linha de pintura na planta Cabrero. Essas linhas incorporam uma capacidade adicional de revestimento equivalente a 120.000 m3 por ano de melamina e 36.000 m3 por ano de painéis finos pintados. Linha de melamina, Brasil. Durante o último trimestre de 2013, entrou em produção uma nova linha de melamina no Brasil, com uma capacidade instalada de 140.000 m3 por ano. Projecto MDF, México. Em julho de 2013, a MASISA anunciou a construção de uma planta de MDF, uma linha de melami- nizados ou revestimento de painéis e uma ampliação da capacidade da planta de resinas em seu complexo industrial de Durango, México, com um investimento que chegou a US$ 132 milhões. Com esses investimentos, a empresa completa seu mix de produção, ao fabricar painéis MDF localmente, gerando importantes eficiências de custos, distribuição e logística. A capacidade es- perada é de 200.000 m3 anuais e o projeto inclui uma linha de laminado melamínico de 100.000 m3 anuais e a ampliação da planta de resinas. Esse investimento conta com o manifesto de impacto ambiental aprovado e estão sendo desen- volvidas etapas de engenharia Ampliação da linha de molduras MDF, Chile. Em julho de 2013, foi aprovada a ampliação da linha de trefiladoras de molduras para o complexo Cabrero que, durante o segundo trimestre de 2014, permitirá ter uma capacidade instalada de 15.000 m3 mensais. principais projectos e investimentos realizados o 2013 r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 3 : : m a s i s a 5 7
  59. 59. Setor industrial A MASISA é uma empresa integrada cuja atividade principal é a produção de painéisdemadeiraeoutrosprodutosdemadeiraparausonasindústriasmo- veleiras e arquitetura de interiores na América Latina. Também cultivamos recursos florestais em nossas plantações, localizadas no Chile, Brasil, Ar- gentina e Venezuela, com 226.433 hectares de florestas plantadas e 161.959 hectares de outras terras em 31 de dezembro de 2013. Além disso, vendemos mais de 30% de nossos produtos através da Placacentro, a maior rede de distribuição de produtos para a fabricação de móveis na América Latina, em termos de número de lojas e cobertura geográfica, com 351 lojas em 11 países da América Latina em 31 de dezembro de 2013. Essa estrutura integrada desde a plantação até a produção e distribuição de painéis e outros produtos de madeira, combinada com nossa posição de liderança e ampla presença, nos permite tomar vantagem das economias de escala e diversificação geográfica. Além disso, temos uma cultura que fomenta a inovação em todas as etapas de nossos processos de produção, comercia- lização e distribuição, centrando-se em aumentar a rentabilidade em uma estrutura de sustenta- bilidade ambiental e responsabilidade comunitária. Unidade estratégica de negócio florestal negócio principal Painéis Unidade estratégica de negócio Placacentro negócios A MASISA conta com dois negócios complementares que funcionam de maneira sinérgica ao negócio de Painéis: m a s i s a : : r e l at ó r i o f i n a n c e i r o 2 0 1 35 8

×