SlideShare uma empresa Scribd logo

Simulado de literatura brasileira

1 de 14
Baixar para ler offline
Simulado de Literatura Brasileira

   1


   (FUVEST) Entende-se por literatura informativa no Brasil:


   a) o conjunto de relatos de viajantes e missionários europeus sobre a natureza e o homem brasileiros;


   b) a história dos jesuítas que aqui estiveram no século XVI;


   c) as obras escritas com a finalidade de catequese do indígena;


   d) os poemas do Padre José de Anchieta;


   e) os sonetos de Gregório de Matos.


   2


   (UFPI) Quando se fala em “literatura colonial”, o período abarcado por essa expressão corresponde:


   a) ao século XVI, quando se escreveram os primeiros relatos sobre a terra a ser colonizada;


   b) ao século XVII, quando se intensificou a produção de uma literatura voltada para a catequese dos índios e
colonos;


   c) ao século XVIII, quando se tornou presente em muitas obras um sentimento de revolta contra a condição colonial;


   d) sobretudo aos três primeiros séculos de nossa História, já que no início do século XIX o Brasil se tornou
independente;


   e) sobretudo aos dois primeiros séculos de nossa História, já que no século XVIII a literatura brasileira estava livre
de influências externas.


   3


   (ESAM-RN) As manifestações literárias nos três primeiros séculos da nossa História sugerem uma lenta passagem:


   a) da pura intenção informativa para a expressão nativista;


   b) da pura expressão nativista para uma literatura de informação;


   c) da pura expressão nativista para a propagação dos ideais nacionalistas;


   d) da propagação dos ideais nacionalistas para uma completa emancipação cultural.


   e) da pura intenção informativa para uma completa emancipação cultural.


   4
Leia a seguir um soneto de teor filosófico do poeta Gregório de Matos. Após leitura, responda as questões
propostas:


   Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,


   Depois da Luz se segue a noite escura,


   Em tristes sombras morre a formosura,


   Em contínuas tristezas a alegria.


   Porém se acaba o Sol, por que nascia?


   Se formosa a Luz é, por que não dura?


   Como a beleza assim se transfigura?


   Como o gosto da pena assim se fia?


   Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza,


   Na formosura não se dê constância,


   E na alegria sinta-se tristeza.


   Começa o mundo enfim pela ignorância,


   E tem qualquer dos bens por natureza


   A firmeza somente na inconstância.


   a) De que se queixa o eu-lírico no soneto?


   b) Que atitude tipicamente barroco se verifica nessa queixa?


   c) Como você sabe, a antítese e as inversões são procedimentos freqüentes na linguagem barroca. Destaque no
texto dois exemplos de cada uma dessas figuras.


   d) A última estrofe do poema lembra o soneto “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”, de Camões,
sobretudo por sua visão acerca da transitoriedade das coisas do mundo e da marcha do tempo. De acordo com a última
estrofe do soneto de Gregório de Matos, em que reside a firmeza das coisas?


   5


   (Unesp) Nestes versos de Silva Alvarenga, poeta árcade e ilustrado, faz-se alusão ao episódio de uma obra em que
a heroína morre. Assinale a alternativa correta em que se mencionaram o nome da heroína (1), o título da obra (2) e o
nome do autor (3)
“Que você girar a serpe da irmã no casto seio,


    Pasma, e de ira o temor ao mesmo tempo cheio


    Resolve, espera, teme, vacila, gela e cora,


    Consulta o seu amor e o seu dever ignora.


    Vos a frapada seta da mão, que não se engana;


    Mais ai, que já não vives, ó mísera indiana!”


    serpe: serpente, cobra


    a) (1)Moema, (2) Caramuru, (3) Santa Rita Durão


    b) (1) Marabá, (2) Marabá, (3) Gonçalves Dias


    c) (1) Lindóia, (2) O Uraguai, (3) Basílio da Gama


    d) (1)Iracema, (2) Iracema, (3) José de Alencar


    e) (1)Marília, (2) Marília de Dirceu, (3) Tomás Antônio Gonzaga


    6


    (Fatec-SP) Sobre o Arcadismo brasileiro só não se pode afirmar que:


    a) tem suas fontes nos antigos grandes autores gregos e latinos, dos quais imita os motivos e formas;


    b) teve em Cláudio Manuel da Costa o representante que, de forma original, recusou a motivação bucólica e os
modelos camonianos da lírica amorosa;


    c) nos legou os poemas da feição épica Caramuru e O Uraguai, no qual se reconhece qualidade literária destacada
em relação ao primeiro;


    d) norteou, em termos dos valores estéticos básicos, a produção dos versos de Marília de Dirceu, obra que
celebrizou Tomás Antônio Gonzaga e que destaca a originalidade de estilo e de tratamento local dos temas pelo autor.


    e) apresentou uma corrente de conotação ideológica, envolvida com as questões sociais do seu tempo, com a
crítica aos abusos do poder da Coroa Portuguesa.


    7


    (PUC-RS) A estrofe demonstra que a mulher aparece freqüentemente na poesia de Álvares de Azevedo como
figura:


    “Era a virgem do mar! Na escuma fria
Pela maré das águas embaladas!


   Era um anjo entre nuvens d’alvorada


   Que em sonhos se banhava e se esquecia!”


   a) sensual


   b) concreta


   c) próxima


   d) natural


   e) inacessível


   8


   (UFPA) Castro Alves, uma das figuras que melhor interpretou e expressou o lirismo do povo brasileiro, defendeu
através de suas poesias, principalmente:


   a) as excelências da vida campestre em contraposição com a vida urbana;


   b) a necessidade econômica do trabalho escravo;


   c) o direito de liberdade para o negro


   d) a independência do Brasil;


   e) a necessidade de domar a inspiração.


   9


   Faça a relação entre autores e obras:


   a) José de Alencar


   b) Joaquim Manuel de Macedo


   c) Martins Pena


   d) Bernardo de Guimarães


   e) Visconde de Taunay


   f) Manuel Antônio de Almeida


   g) Gonçalves Dias
h) Álvares de Azevedo


i) Castro Alves


j) Gonçalves de Magalhães


( ) Inocência


( ) Suspiros Poéticos e Saudades


( ) A Moreninha


( ) O Seminarista


( ) Memórias de um Sargento de Milícias


( ) Espumas Flutuantes


( ) Senhora


( ) I Juca Pirama


( ) Noite na Taverna


( ) O Noviço


10


Que obra inaugurou o romantismo no Brasil, quem é o seu autor e em que ano foi publicada.


Obra:


Autor:


Ano:


11


Cite um poeta de cada geração da poesia romântica brasileira.


1ª geração:


2ª geração:


3ª geração:


12


(UFMS-MS) Assinale as afirmativas corretas a propósito do Naturalismo
a. O ser é retratado como produto do meio.


   b. O escritor evita julgar ações e personagens de um ponto de vista ético e moral, pois seu intuito é expor e analisar
cientificamente a realidade.


   c. É um tipo de Realismo que tenta explicar romanticamente a conduta e o modo de ser das personagens.


   d. No Brasil, o romance naturalista exalta o homem metafísico, em oposição ao homem animal, cujas ações e
intenções o escritor condena.


   e Tem como características, entre outras, o determinismo biológico, a tematização do patológico e a aplicação do
método experimental.


   13


   Em 1881 foram publicados dois romances importantes no Brasil, com os quais se inicia um novo movimento literário
na prosa brasileira.


   a) Quais são esses romances?


   R.


   b) Com que movimento literários eles rompem?


   R.


   14


   (UEL- PR) Uma característica, já presente em romances de José de Alencar, encontra em Machado de Assis o
ponto mais alto da narrativa brasileira no século XIX. Trata-se:


   ( ) do traço regionalista, que estende e procura completar a visão das terras do Brasil;


   ( ) do aprofundamento da análise psicológica das personagens, notadamente das femininas;


   ( ) da preocupação com o homem do sertão brasileiro, cuja vida é tema de romances e contos;


   ( ) da vertente indigenista, preocupada em ampliar o conhecimento das coisas brasileiras;


   ( ) da identificação das situações criadas entre as personagens, na trama narrativa..


   15


   (Cefet-PR) Identifique quais dos comentários abaixo dizem respeito à época naturalista e assinale a alternativa
correta.


   I – A fuga das impressões vulgares, a concentração nas visões interiores constituem, entre outros, traços típicos do
Naturalismo, responsável pelo isolamento da sociedade, pelo ideal da torre de marfim;
Anúncio

Recomendados

Revisão literatura - realismo - naturalismo
Revisão   literatura - realismo - naturalismoRevisão   literatura - realismo - naturalismo
Revisão literatura - realismo - naturalismojasonrplima
 
VESTIBULAR UFPE 2014 - PROVA DE LITERATURA - TODOS OS TIPOS
VESTIBULAR UFPE 2014 - PROVA DE LITERATURA - TODOS OS TIPOSVESTIBULAR UFPE 2014 - PROVA DE LITERATURA - TODOS OS TIPOS
VESTIBULAR UFPE 2014 - PROVA DE LITERATURA - TODOS OS TIPOSIsaquel Silva
 
Gabarito 1o. bim português ii
Gabarito 1o. bim   português iiGabarito 1o. bim   português ii
Gabarito 1o. bim português iiLigia Amaral
 
Apostila 2º ano questões com gabarito
Apostila 2º ano questões com gabaritoApostila 2º ano questões com gabarito
Apostila 2º ano questões com gabaritoClarice Escouto Santos
 
Lista de exercícios 2º ano em literatura
Lista de exercícios 2º ano em literaturaLista de exercícios 2º ano em literatura
Lista de exercícios 2º ano em literaturaDaniela Gimael
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercícios Literatura (Romantismo)
Exercícios Literatura (Romantismo)Exercícios Literatura (Romantismo)
Exercícios Literatura (Romantismo)Andriane Cursino
 
Exercícios literatura escolas literárias (3)
Exercícios literatura   escolas literárias (3)Exercícios literatura   escolas literárias (3)
Exercícios literatura escolas literárias (3)Edcléia Xavier
 
Literatura aula 16 - machado de assis
Literatura   aula 16 - machado de assisLiteratura   aula 16 - machado de assis
Literatura aula 16 - machado de assismfmpafatima
 
Atividade avaliativa romantismo
Atividade avaliativa   romantismoAtividade avaliativa   romantismo
Atividade avaliativa romantismoRenato Rodrigues
 
Aula 15 realismo - naturalismo no brasil
Aula 15   realismo - naturalismo no brasilAula 15   realismo - naturalismo no brasil
Aula 15 realismo - naturalismo no brasilJonatas Carlos
 
Revisão poesia romântica brasileira
Revisão poesia romântica brasileiraRevisão poesia romântica brasileira
Revisão poesia romântica brasileiraSeduc/AM
 
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18   simbolismo em portugal e no brasilAula 18   simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasilJonatas Carlos
 
Prova 1 bim - ENSINO MÉDIO
Prova 1  bim - ENSINO MÉDIOProva 1  bim - ENSINO MÉDIO
Prova 1 bim - ENSINO MÉDIOJomari
 
Questões fechadas sobre melhores poemas de gonçalves dias
Questões fechadas sobre melhores poemas de gonçalves diasQuestões fechadas sobre melhores poemas de gonçalves dias
Questões fechadas sobre melhores poemas de gonçalves diasma.no.el.ne.ves
 
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...Vera Oliveira
 
Segunda aplicação do enem 2011, literatura
Segunda aplicação do enem 2011, literaturaSegunda aplicação do enem 2011, literatura
Segunda aplicação do enem 2011, literaturama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do enem 2013: Literatura
Segunda aplicação do enem 2013: LiteraturaSegunda aplicação do enem 2013: Literatura
Segunda aplicação do enem 2013: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Análise de transpaixão, de waldo motta
Análise de transpaixão, de waldo mottaAnálise de transpaixão, de waldo motta
Análise de transpaixão, de waldo mottama.no.el.ne.ves
 
ENEM-2000 resolvido e comentado
ENEM-2000 resolvido e comentadoENEM-2000 resolvido e comentado
ENEM-2000 resolvido e comentadoma.no.el.ne.ves
 
Aula 10 romantismo no brasil e em portugal
Aula 10   romantismo no brasil e em portugalAula 10   romantismo no brasil e em portugal
Aula 10 romantismo no brasil e em portugalJonatas Carlos
 

Mais procurados (20)

Exercícios Literatura (Romantismo)
Exercícios Literatura (Romantismo)Exercícios Literatura (Romantismo)
Exercícios Literatura (Romantismo)
 
Exercícios literatura escolas literárias (3)
Exercícios literatura   escolas literárias (3)Exercícios literatura   escolas literárias (3)
Exercícios literatura escolas literárias (3)
 
Literatura aula 16 - machado de assis
Literatura   aula 16 - machado de assisLiteratura   aula 16 - machado de assis
Literatura aula 16 - machado de assis
 
Literatura ufpe 2013
Literatura ufpe 2013Literatura ufpe 2013
Literatura ufpe 2013
 
Atividade avaliativa romantismo
Atividade avaliativa   romantismoAtividade avaliativa   romantismo
Atividade avaliativa romantismo
 
Aula 15 realismo - naturalismo no brasil
Aula 15   realismo - naturalismo no brasilAula 15   realismo - naturalismo no brasil
Aula 15 realismo - naturalismo no brasil
 
Revisão poesia romântica brasileira
Revisão poesia romântica brasileiraRevisão poesia romântica brasileira
Revisão poesia romântica brasileira
 
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18   simbolismo em portugal e no brasilAula 18   simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
 
Avaliação mensal 2col2bi
Avaliação mensal 2col2biAvaliação mensal 2col2bi
Avaliação mensal 2col2bi
 
Prova 1 bim - ENSINO MÉDIO
Prova 1  bim - ENSINO MÉDIOProva 1  bim - ENSINO MÉDIO
Prova 1 bim - ENSINO MÉDIO
 
Questões fechadas sobre melhores poemas de gonçalves dias
Questões fechadas sobre melhores poemas de gonçalves diasQuestões fechadas sobre melhores poemas de gonçalves dias
Questões fechadas sobre melhores poemas de gonçalves dias
 
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
 
Segunda aplicação do enem 2011, literatura
Segunda aplicação do enem 2011, literaturaSegunda aplicação do enem 2011, literatura
Segunda aplicação do enem 2011, literatura
 
Segunda aplicação do enem 2013: Literatura
Segunda aplicação do enem 2013: LiteraturaSegunda aplicação do enem 2013: Literatura
Segunda aplicação do enem 2013: Literatura
 
Análise de transpaixão, de waldo motta
Análise de transpaixão, de waldo mottaAnálise de transpaixão, de waldo motta
Análise de transpaixão, de waldo motta
 
ENEM-2000 resolvido e comentado
ENEM-2000 resolvido e comentadoENEM-2000 resolvido e comentado
ENEM-2000 resolvido e comentado
 
Gabarito 4a avaliação
Gabarito 4a avaliaçãoGabarito 4a avaliação
Gabarito 4a avaliação
 
Literatura Tipo A
Literatura Tipo ALiteratura Tipo A
Literatura Tipo A
 
Linguagensrevisão
LinguagensrevisãoLinguagensrevisão
Linguagensrevisão
 
Aula 10 romantismo no brasil e em portugal
Aula 10   romantismo no brasil e em portugalAula 10   romantismo no brasil e em portugal
Aula 10 romantismo no brasil e em portugal
 

Semelhante a Simulado de literatura brasileira

questoes-romantismo-enem.pdf
questoes-romantismo-enem.pdfquestoes-romantismo-enem.pdf
questoes-romantismo-enem.pdfBiancaBatista53
 
Prova de literatura 4ª unidade
Prova de literatura 4ª unidadeProva de literatura 4ª unidade
Prova de literatura 4ª unidadeAnalita Dias
 
Exercícios especiais literatura 2
Exercícios especiais literatura 2Exercícios especiais literatura 2
Exercícios especiais literatura 2Sergio Proença
 
Aula 11 gerações românticas no brasil
Aula 11   gerações românticas no brasilAula 11   gerações românticas no brasil
Aula 11 gerações românticas no brasilJonatas Carlos
 
Arcadismo%20e%20bocagewsawerhtjulo 0p-´
Arcadismo%20e%20bocagewsawerhtjulo 0p-´Arcadismo%20e%20bocagewsawerhtjulo 0p-´
Arcadismo%20e%20bocagewsawerhtjulo 0p-´anabiit
 
linguagens para o enem n 3
   linguagens para o  enem n  3   linguagens para o  enem n  3
linguagens para o enem n 3PATRICIA VIANA
 
20 questões de literatura segundo trimestre
20 questões de literatura segundo trimestre20 questões de literatura segundo trimestre
20 questões de literatura segundo trimestrePaulo Klein
 
4 exercicios barroco-literatura_portugues
4   exercicios barroco-literatura_portugues4   exercicios barroco-literatura_portugues
4 exercicios barroco-literatura_portuguesjasonrplima
 
Avaliaçao 3ºano 2015
Avaliaçao 3ºano 2015Avaliaçao 3ºano 2015
Avaliaçao 3ºano 2015Vera Oliveira
 
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...ma.no.el.ne.ves
 
Aula 08 arcadismo no brasil
Aula 08   arcadismo no brasilAula 08   arcadismo no brasil
Aula 08 arcadismo no brasilJonatas Carlos
 
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...ma.no.el.ne.ves
 
Lista de exercícios de Literatura (Vanguardas Europeias e Modernismo no Brasil)
Lista de exercícios de Literatura (Vanguardas Europeias e Modernismo no Brasil)Lista de exercícios de Literatura (Vanguardas Europeias e Modernismo no Brasil)
Lista de exercícios de Literatura (Vanguardas Europeias e Modernismo no Brasil)Paula Meyer Piagentini
 
Avaliação literatura 2° bimestre
Avaliação literatura 2° bimestreAvaliação literatura 2° bimestre
Avaliação literatura 2° bimestreVera Oliveira
 

Semelhante a Simulado de literatura brasileira (20)

Ssa 1 arcadismo atividades
Ssa 1  arcadismo  atividadesSsa 1  arcadismo  atividades
Ssa 1 arcadismo atividades
 
questoes-romantismo-enem.pdf
questoes-romantismo-enem.pdfquestoes-romantismo-enem.pdf
questoes-romantismo-enem.pdf
 
Prova de literatura 4ª unidade
Prova de literatura 4ª unidadeProva de literatura 4ª unidade
Prova de literatura 4ª unidade
 
Exercícios especiais literatura 2
Exercícios especiais literatura 2Exercícios especiais literatura 2
Exercícios especiais literatura 2
 
Aula 11 gerações românticas no brasil
Aula 11   gerações românticas no brasilAula 11   gerações românticas no brasil
Aula 11 gerações românticas no brasil
 
Simulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 okSimulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 ok
 
Arcadismo%20e%20bocagewsawerhtjulo 0p-´
Arcadismo%20e%20bocagewsawerhtjulo 0p-´Arcadismo%20e%20bocagewsawerhtjulo 0p-´
Arcadismo%20e%20bocagewsawerhtjulo 0p-´
 
linguagens para o enem n 3
   linguagens para o  enem n  3   linguagens para o  enem n  3
linguagens para o enem n 3
 
20 questões de literatura segundo trimestre
20 questões de literatura segundo trimestre20 questões de literatura segundo trimestre
20 questões de literatura segundo trimestre
 
Exercícios modernismo
Exercícios   modernismoExercícios   modernismo
Exercícios modernismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Enem literatura
Enem  literaturaEnem  literatura
Enem literatura
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
4 exercicios barroco-literatura_portugues
4   exercicios barroco-literatura_portugues4   exercicios barroco-literatura_portugues
4 exercicios barroco-literatura_portugues
 
Avaliaçao 3ºano 2015
Avaliaçao 3ºano 2015Avaliaçao 3ºano 2015
Avaliaçao 3ºano 2015
 
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
 
Aula 08 arcadismo no brasil
Aula 08   arcadismo no brasilAula 08   arcadismo no brasil
Aula 08 arcadismo no brasil
 
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
 
Lista de exercícios de Literatura (Vanguardas Europeias e Modernismo no Brasil)
Lista de exercícios de Literatura (Vanguardas Europeias e Modernismo no Brasil)Lista de exercícios de Literatura (Vanguardas Europeias e Modernismo no Brasil)
Lista de exercícios de Literatura (Vanguardas Europeias e Modernismo no Brasil)
 
Avaliação literatura 2° bimestre
Avaliação literatura 2° bimestreAvaliação literatura 2° bimestre
Avaliação literatura 2° bimestre
 

Mais de Jesrayne Nascimento (20)

Sociedades Africanas Medievais
Sociedades Africanas MedievaisSociedades Africanas Medievais
Sociedades Africanas Medievais
 
Teoria da ADM
Teoria da ADMTeoria da ADM
Teoria da ADM
 
O papel do administrador
O papel do administradorO papel do administrador
O papel do administrador
 
Objectif Express
Objectif Express Objectif Express
Objectif Express
 
Relatorio 2012 visita técnica
Relatorio 2012 visita técnicaRelatorio 2012 visita técnica
Relatorio 2012 visita técnica
 
Regras da ABNT
Regras da ABNTRegras da ABNT
Regras da ABNT
 
Dicas para uma boa apresentação
Dicas para uma boa apresentaçãoDicas para uma boa apresentação
Dicas para uma boa apresentação
 
O impressionismo
O impressionismoO impressionismo
O impressionismo
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
A arte no brasil império
A arte no brasil impérioA arte no brasil império
A arte no brasil império
 
Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013
 
Arte comentada, da pré história ao pós-moderno
Arte comentada, da pré história ao pós-modernoArte comentada, da pré história ao pós-moderno
Arte comentada, da pré história ao pós-moderno
 
Word Avançado
Word AvançadoWord Avançado
Word Avançado
 
Apostila mecanica-calor-ondas
Apostila mecanica-calor-ondasApostila mecanica-calor-ondas
Apostila mecanica-calor-ondas
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
 
Ecoturismo - TGT
Ecoturismo - TGTEcoturismo - TGT
Ecoturismo - TGT
 
Física - Composicao Movimento
Física - Composicao MovimentoFísica - Composicao Movimento
Física - Composicao Movimento
 
Apostilas concurso banco do brasil português bb
Apostilas concurso banco do brasil   português bbApostilas concurso banco do brasil   português bb
Apostilas concurso banco do brasil português bb
 
Livro linguagens
Livro linguagensLivro linguagens
Livro linguagens
 
Rio de janeiro
Rio de janeiroRio de janeiro
Rio de janeiro
 

Simulado de literatura brasileira

  • 1. Simulado de Literatura Brasileira 1 (FUVEST) Entende-se por literatura informativa no Brasil: a) o conjunto de relatos de viajantes e missionários europeus sobre a natureza e o homem brasileiros; b) a história dos jesuítas que aqui estiveram no século XVI; c) as obras escritas com a finalidade de catequese do indígena; d) os poemas do Padre José de Anchieta; e) os sonetos de Gregório de Matos. 2 (UFPI) Quando se fala em “literatura colonial”, o período abarcado por essa expressão corresponde: a) ao século XVI, quando se escreveram os primeiros relatos sobre a terra a ser colonizada; b) ao século XVII, quando se intensificou a produção de uma literatura voltada para a catequese dos índios e colonos; c) ao século XVIII, quando se tornou presente em muitas obras um sentimento de revolta contra a condição colonial; d) sobretudo aos três primeiros séculos de nossa História, já que no início do século XIX o Brasil se tornou independente; e) sobretudo aos dois primeiros séculos de nossa História, já que no século XVIII a literatura brasileira estava livre de influências externas. 3 (ESAM-RN) As manifestações literárias nos três primeiros séculos da nossa História sugerem uma lenta passagem: a) da pura intenção informativa para a expressão nativista; b) da pura expressão nativista para uma literatura de informação; c) da pura expressão nativista para a propagação dos ideais nacionalistas; d) da propagação dos ideais nacionalistas para uma completa emancipação cultural. e) da pura intenção informativa para uma completa emancipação cultural. 4
  • 2. Leia a seguir um soneto de teor filosófico do poeta Gregório de Matos. Após leitura, responda as questões propostas: Nasce o Sol, e não dura mais que um dia, Depois da Luz se segue a noite escura, Em tristes sombras morre a formosura, Em contínuas tristezas a alegria. Porém se acaba o Sol, por que nascia? Se formosa a Luz é, por que não dura? Como a beleza assim se transfigura? Como o gosto da pena assim se fia? Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza, Na formosura não se dê constância, E na alegria sinta-se tristeza. Começa o mundo enfim pela ignorância, E tem qualquer dos bens por natureza A firmeza somente na inconstância. a) De que se queixa o eu-lírico no soneto? b) Que atitude tipicamente barroco se verifica nessa queixa? c) Como você sabe, a antítese e as inversões são procedimentos freqüentes na linguagem barroca. Destaque no texto dois exemplos de cada uma dessas figuras. d) A última estrofe do poema lembra o soneto “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”, de Camões, sobretudo por sua visão acerca da transitoriedade das coisas do mundo e da marcha do tempo. De acordo com a última estrofe do soneto de Gregório de Matos, em que reside a firmeza das coisas? 5 (Unesp) Nestes versos de Silva Alvarenga, poeta árcade e ilustrado, faz-se alusão ao episódio de uma obra em que a heroína morre. Assinale a alternativa correta em que se mencionaram o nome da heroína (1), o título da obra (2) e o nome do autor (3)
  • 3. “Que você girar a serpe da irmã no casto seio, Pasma, e de ira o temor ao mesmo tempo cheio Resolve, espera, teme, vacila, gela e cora, Consulta o seu amor e o seu dever ignora. Vos a frapada seta da mão, que não se engana; Mais ai, que já não vives, ó mísera indiana!” serpe: serpente, cobra a) (1)Moema, (2) Caramuru, (3) Santa Rita Durão b) (1) Marabá, (2) Marabá, (3) Gonçalves Dias c) (1) Lindóia, (2) O Uraguai, (3) Basílio da Gama d) (1)Iracema, (2) Iracema, (3) José de Alencar e) (1)Marília, (2) Marília de Dirceu, (3) Tomás Antônio Gonzaga 6 (Fatec-SP) Sobre o Arcadismo brasileiro só não se pode afirmar que: a) tem suas fontes nos antigos grandes autores gregos e latinos, dos quais imita os motivos e formas; b) teve em Cláudio Manuel da Costa o representante que, de forma original, recusou a motivação bucólica e os modelos camonianos da lírica amorosa; c) nos legou os poemas da feição épica Caramuru e O Uraguai, no qual se reconhece qualidade literária destacada em relação ao primeiro; d) norteou, em termos dos valores estéticos básicos, a produção dos versos de Marília de Dirceu, obra que celebrizou Tomás Antônio Gonzaga e que destaca a originalidade de estilo e de tratamento local dos temas pelo autor. e) apresentou uma corrente de conotação ideológica, envolvida com as questões sociais do seu tempo, com a crítica aos abusos do poder da Coroa Portuguesa. 7 (PUC-RS) A estrofe demonstra que a mulher aparece freqüentemente na poesia de Álvares de Azevedo como figura: “Era a virgem do mar! Na escuma fria
  • 4. Pela maré das águas embaladas! Era um anjo entre nuvens d’alvorada Que em sonhos se banhava e se esquecia!” a) sensual b) concreta c) próxima d) natural e) inacessível 8 (UFPA) Castro Alves, uma das figuras que melhor interpretou e expressou o lirismo do povo brasileiro, defendeu através de suas poesias, principalmente: a) as excelências da vida campestre em contraposição com a vida urbana; b) a necessidade econômica do trabalho escravo; c) o direito de liberdade para o negro d) a independência do Brasil; e) a necessidade de domar a inspiração. 9 Faça a relação entre autores e obras: a) José de Alencar b) Joaquim Manuel de Macedo c) Martins Pena d) Bernardo de Guimarães e) Visconde de Taunay f) Manuel Antônio de Almeida g) Gonçalves Dias
  • 5. h) Álvares de Azevedo i) Castro Alves j) Gonçalves de Magalhães ( ) Inocência ( ) Suspiros Poéticos e Saudades ( ) A Moreninha ( ) O Seminarista ( ) Memórias de um Sargento de Milícias ( ) Espumas Flutuantes ( ) Senhora ( ) I Juca Pirama ( ) Noite na Taverna ( ) O Noviço 10 Que obra inaugurou o romantismo no Brasil, quem é o seu autor e em que ano foi publicada. Obra: Autor: Ano: 11 Cite um poeta de cada geração da poesia romântica brasileira. 1ª geração: 2ª geração: 3ª geração: 12 (UFMS-MS) Assinale as afirmativas corretas a propósito do Naturalismo
  • 6. a. O ser é retratado como produto do meio. b. O escritor evita julgar ações e personagens de um ponto de vista ético e moral, pois seu intuito é expor e analisar cientificamente a realidade. c. É um tipo de Realismo que tenta explicar romanticamente a conduta e o modo de ser das personagens. d. No Brasil, o romance naturalista exalta o homem metafísico, em oposição ao homem animal, cujas ações e intenções o escritor condena. e Tem como características, entre outras, o determinismo biológico, a tematização do patológico e a aplicação do método experimental. 13 Em 1881 foram publicados dois romances importantes no Brasil, com os quais se inicia um novo movimento literário na prosa brasileira. a) Quais são esses romances? R. b) Com que movimento literários eles rompem? R. 14 (UEL- PR) Uma característica, já presente em romances de José de Alencar, encontra em Machado de Assis o ponto mais alto da narrativa brasileira no século XIX. Trata-se: ( ) do traço regionalista, que estende e procura completar a visão das terras do Brasil; ( ) do aprofundamento da análise psicológica das personagens, notadamente das femininas; ( ) da preocupação com o homem do sertão brasileiro, cuja vida é tema de romances e contos; ( ) da vertente indigenista, preocupada em ampliar o conhecimento das coisas brasileiras; ( ) da identificação das situações criadas entre as personagens, na trama narrativa.. 15 (Cefet-PR) Identifique quais dos comentários abaixo dizem respeito à época naturalista e assinale a alternativa correta. I – A fuga das impressões vulgares, a concentração nas visões interiores constituem, entre outros, traços típicos do Naturalismo, responsável pelo isolamento da sociedade, pelo ideal da torre de marfim;
  • 7. II - O naturalista observa o homem por meio do método cientifico, impessoal e objetivamente, como um caso a ser analisado. III. A visão da vida no Naturalismo e mais determinista, mais mecanicista: o homem aparece como maquina guiada pela ação das leis físicas, químicas, pela hereditariedade e meio físico e social. IV. Para os naturalistas, a natureza era a fonte de inspiração, lugar de refugio puro, não contaminado pela sociedade. Relacionada com esse culto, a idéia do "bom selvagem", do homem simples e bom em estado de natureza (recuperado de Rousseau) dominou toda a época. a. Apenas o item IV esta correto. b. II e III estão corretos. c. Apenas o item I esta correto. d. I e IV estão corretos. e. III e IV estão corretos. 16 (ITA-SP) Assinale o texto que, pela linguagem e pelas idéias, pode ser considerado como representante da cor- rente naturalista. a. "... essa noite estava de veia para a coisa; estava inspirada; divina! Nunca dançara com tanta graça e tamanha lubricidade! Também cantou. E cada verso que vinha de sua boca [...] era um arrulhar choroso de pomba no cio. E [...], bêbado de volúpia, enroscava-se todo ao violão; e o violão e ele gemiam com o mesmo gosto, grunhindo, ganindo, miando, com todas as vozes de bichos sensuais, num desespero de luxuria que penetrava ate ao tutano com línguas finíssimas de cobra." b. "Na planície avermelhada dos juazeiros, alargavam duas manchas verdes. Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro, estavam cansados e famintos, [...] Fazia horas que procuravam uma sombra. A folhagem dos juazeiros apareceu longe, através dos galhos pelados da caatinga rala." c. "Vivia longe dos homens, só se dava bem com animais. Os seus pés duros quebravam espinhos e não sentiam a quentura da terra. Montado, confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. E falava uma linguagem cantada, monossilábica e gutural, que o compa- nheiro entendia." d. "Do seu rosto irradiava singela expressão de encantadora ingenuidade, realçava pela meiguice do olhar sereno [...] Ao erguer a cabeça para tirar o braço de sob o lençol, descera um nada a camisinha de crivo que vestia, deixando nu um colo de fascinadora alvura, em que ressaltava um ou outro sinal de nascença."
  • 8. e. "Hércules-Quasímodo, reflete o aspecto a fealdade típica dos fracos. A pé, quando parado, recosta-se invariavelmente ao primeiro umbral ou parede que encontra; a cavalo, se sofreia o animal para trocar duas palavras com o um conhecido, cai logo sobre um dos estribos. descansando sobre a espenda da sela” 17 (UFV-MG) Leia os versos: Esta, de áureos relevos, trabalhada De divas mãos, brilhante copa, um dia, Já de aos deuses, servir como cansada, Vinda do Olimpo, a um novo deus servia. Era o poeta de Teos que a suspendia. Então e, ora repleta ora esvazada, A taça amiga aos dedos seus tinia Toda de roxas pétalas colmada! (Alberto de Oliveira) Assinale a alternativa que contém características parnasianas presentes no poema: a. Versos impecáveis, misturando mitologia clássica com sentimentalismo amoroso. b. Descrição minuciosa de um objeto e busca de um tema ligado à Grécia antiga. c. Revalorização das idéias iluministas e descrição do passado. d. Busca de inspiração na Grécia clássica, com nostalgia e subjetivismo. e. Vocabulário preciosista, de forte ardor sensual. 18 (Unip-SP) Não corresponde ao Simbolismo a afirmativa: a) No Brasil, o Simbolismo começa em 1893 com a publicação de Missal e Broquéis, ambos de Cruz e Sousa. b) Olavo Bilac, um dos poetas mais festejados do período, escreveu o poema formal Profissão de fé. c) Os versos “Vozes veladas, veludosas vozes,/ Volúpias dos violões, vozes veladas...”fazem parte do poema Violões que choram.
  • 9. d) O autor mais representativo desse movimento - Cruz e Souza - também é chamado de Cisne Negro. e) Alphonsus de Guimaraens é o autor de Ismália. 19 (Uneb-BA) Observe os textos abaixo: I. Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino escreve! No aconchego Do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima e lima, e sofre, e sua! II. Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas!... Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras... As duas estrofes podem ser, respectivamente, sintetizadas pelas seguintes expressões: a) “A poesia é arte do sonho” - “A poesia é a expressão da emoção” b) “A poesia é a revelação da loucura” - “A poesia é produto da inteligência” c) “A poesia é a arte da intuição - A poesia é fruto do trabalho com a palavra” d) “A poesia é artefato” - “A poesia é sugestão” e) “A poesia é a revelação do Oculto” - “A poesia é o desconcerto” 20 (PUC- RS) É um dos traços mais característicos do Pré-Modernismo, época literária que abrange o início do século XX: a) ênfase dada a temas universais, em detrimento dos nacionais; b) o culto do subjetivismo, a ênfase dada ao individualismo do autor; c) a busca de motivos e temas bucólicos e pastoris que denunciassem o crescimento vertiginoso das cidades industrializadas.
  • 10. d) a despreocupação de problemas referentes à realidade cotidiana. e) a problematização de nossa realidade social e cultura. 21 (Cefet-PR) Assinale a alternativa que apresenta a obra a que as afirmativas se referem e o seu respectivo autor. I- Trata-se de uma corajoso crítica às ações do Exército, no arraial de Canudos, quando assumiu o governo, após a Proclamação da República. II- Relata as operações que objetivaram sufocar a rebelião liderada por Antônio, o Conselheiro, no interior da Bahia. III. “A Terra”, “O Homem” e “A Luta” são três partes de uma obra que denuncia, criticamente, a atuação militar contra o fanatismo religioso do homem do sertão, cercado de miséria e abandono. IV – Crime de Canudos – “Aquela campanha lembra um refluxo para o passado. E foi, na significação integral da palavra, um crime. Denunciemo-lo.” a) Macunaíma – Mário de Andrade b) O Sertanejo – José de Alencar c) Os Sertões – Euclides da Cunha d) Morte e Vida Severina – João Cabral de Melo Neto e) Grande Sertão – Veredas – Guimarães Rosa. 22 Considere estes dois textos: Texto 1 Fabiano, você é um homem, exclamou em voz alta. Conteve-se, notou que os meninos estavam perto, com certeza iam admirar-se ouvindo-o falar só. E, pensando bem, ele não era homem: era apenas um cabra ocupado em guardar coisas dos outros (...) Olhou em torno, com receio de que, fora os meninos, alguém tivesse percebido a frase imprudente. Corrigiu-a, murmurando: - Você é um bicho, Fabiano. Texto 2
  • 11. Explico ao senhor: o diabo vige dentro do homem, os crespos do homem – ou é o homem arruinado, o homem dos avessos. Solto, por si, cidadão, é que não tem diabo nenhum. Nenhum! – é o que digo. O senhor aprova? (...) Mas, não diga que o senhor, assisado e instruído, que acredita na pessoa dele?! Não? Lhe agradeço! Sua alta opinião compõe minha valia. a) Identifique as obras e os autores a que pertencem os fragmentos acima. b) As duas obras são regionalistas, como se pode perceber por indícios da linguagem. Contudo, conforme os próprios excertos, demonstram, há entre os autores diferenças fundamentais na abordagem do universo regional. Explicite essas diferenças, valendo-se dos excertos para justificar. 23 (OSEC-SP) I- “Viver é muito perigoso.” II – “Ao vencedor, as batatas.” III- “E agora, José?” As frases acima são, respectivamente de: a) Machado de Assis, Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade. b) Graciliano Ramos, Machado de Assis, Manuel Bandeira. c) Guimarães Rosa, Lima Barreto, Mário de Andrade. d) Cecília Meireles, Machado de Assis, Manuel Bandeira. e) Guimarães Rosa, Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade. 24 (FESP-PE) Numere a segundo coluna de acordo com a primeira. 1. Clarice Lispector 2. Osman Lins 3. Cecília Meireles 4. Raquel de Queirós 5. Érico Veríssimo
  • 12. ( ) Painel épico da formação da civilização gaúcha, O Tempo e o Vento é um clássico que consagrou o nome de seu autor como um dos grandes romancistas brasileiros. ( ) Escreveu Romanceiro da Inconfidência; “sua linguagem é simples e acessível”; preocupa-se com o tempo, com a solidão e o sentimento. ( ) O romance A Rainha dos Cárceres da Grécia demonstra que o seu autor tendeu tanto para a ficção como para o ensaio. ( ) Em Paixão Segundo G.H., analisa uma figura profundamente interessada na sua inter-relação com o cosmo. ( ) Chico Bento, F. Inácia, Cordulina são personagens de um dos seus conhecidos romances, e que figura na literatura brasileira regionalista como um dos mais lidos. Respostas: 1. a 2. d 3. a 4. a) Queixa-se da transitoriedade da vida, da falta de firmeza das coisas: o dia, a alegria, a formosura. 4b) A consciência da fugacidade do tempo e da precariedade da vida da vida terrestre e humana. 4c) Antíteses: sol/noite escura; tristezas/alegria (1ºquarteto) firmeza/inconstância (2º terceto) Inversão: os três últimos versos do 1º quarteto. Hipérbato (inversão) Ocorre hipérbato quando há uma inversão complexa de membros da frase. “Passeiam, à tarde, as belas na Avenida.” (Carlos Drummond de Andrade) As belas passeiam na Avenida à tarde. “Enquanto manda as ninfas amorosas grinaldas nas cabeças pôr de rosas.” (Camões) Enquanto manda as ninfas amorosas pôr grinaldas de rosas nas cabeças. Antítese
  • 13. Ocorre antítese quando há aproximação de palavras ou expressões de sentidos opostos. “Amigos e inimigos estão, amiúde, em posições trocadas. Uns nos querem mal, e fazem-nos bem. Outros nos almejam o bem, e nos trazem o mal.” (Rui Barbosa) “Onde queres prazer sou o que dói E onde queres tortura, mansidão Onde queres um lar, revolução E onde queres bandido sou herói” (Caetano Veloso) 5. c 6. b 7. e 8. c 9. e, j, b, d, f, i, a, g, h, c 10. Suspiros Poéticos e Saudades Gonçalves de Magalhães 1836 11. Gonçalves Dias Álvares de Azevedo Castro Alves 12. Assinaladas: a, b, e 13. a) Memórias Póstumas de Brás Cubas/ O Mulato b) Romantismo 14. A segunda 15. b 16. a 17. b
  • 14. 18. b 19. d 20. e 21. c 22. a) Texto 1: Vidas Secas, Graciliano Ramos Texto 2: Grande Sertão: Veredas, João Guimarães Rosa b) O texto 1 fica mais restrito ao universo regional, uma vez que retrata a relação do homem com o meio cultural. Já o texto 2, embora regional, tende à universalização, porque aborda o tema metafísico e universal: a existência do demônio. 23. e 24. 5, 3, 2, 1, 4