Voz da Paróquia - Outubro 2013

201 visualizações

Publicada em

Voz da Paróquia - Outubro 2013

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
201
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Voz da Paróquia - Outubro 2013

  1. 1. Mioma 74ª Edição, outubro de 2013Mioma 74ª Edição, outubro de 2013Mioma 74ª Edição, outubro de 2013
  2. 2. 2 INDICE Pág. 3 — Francisco foi como peregrino a Assis; Pág. 4, 5— domingo XXVII do tempo comum; Pág. 6, 7 — domingo XXVIII do tempo comum; Pág. 8, 9 — domingo XXIV do tempo comum; Pág. 10, 11 — domingo XXX do tempo comum; Pág. 12 — Deus é mais forte do que o mal; Pág. 13 — JES nas JMJ Rio 2013; Pág. 14 - Jovens do Espírito Santo—setembro/13; Pág. 15 - Ave Maria; Pág. 16 — Visita a Aveiro—Centro Cultural e Social das Lages; Pág. 17 — A Voz do Conselho Económico; Pág. 18 — Compotas; Pág. 19 — Passatempos; Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ou testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espírito Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mês se- guinte: Em mão ou por correio, até dia 15; Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia 20. Se queres receber no teu correio eletrónico um exemplar da “A Voz da Paróquia” envia uma mensagem para o endereço jesmioma@hotmail.com com o assunto “Quero receber a Voz” Versão Digital: http://www.slideshare.net/jesmioma http://issuu.com/jesmioma
  3. 3. 3 O Papa Francisco visitou a cidade onde nasceu e morreu São Francisco de Assis, a pé como um simples peregrino, a 4 de outubro, quando a Igreja católica celebra liturgicamente a festa deste santo. Francisco deslocou-se a Assis, região da Úmbria, centro da Itália, para homenagear a cidade onde São Francisco de As- sis (c. 1181-1226) nasceu e fundou uma ordem religiosa e visi- tar lugares ligados ao franciscanismo. O Papa visitou a cidade do padroeiro de Itália, que o inspi- rou na escolha do nome para o pontificado, “a pé como um simples peregrino”, divulgou a Rádio Vaticano. Francisco doou o óleo para a lâmpada votiva que foi acesa nessa ocasião com a presença dos bispos da Úmbria. Para além da Basílica de Assis, onde estão as relíquias de São Francisco, o Papa “gostaria” de visitar Porciúncula, a terceira igreja restaurada por São Francisco, o lugar onde o pobrezinho de Assis faleceu, Santa Clara e o Ermo das Pri- sões. Segundo a Rádio Vaticano, foram esperadas 30 mil pessoas de Assis e mais 300 mil da Úmbria, da Itália e do estrangeiro. Por motivos de logística o Papa fez a viagem de helicóptero e não de comboio. NEWS.VA/CB/LS 3
  4. 4. 4 DOMINGO XXVII do Tempo Comum (6 de outubro de 2013) LEITURA I Hab 1, 2-3; 2, 2-4 «O justo viverá pela sua fé» Leitura da Profecia de Habacuc «Até quando, Senhor, chamarei por Vós e não me ouvis? Até quando clamarei contra a violência e não me enviais a salvação? Porque me deixais ver a iniquidade e contemplar a injustiça? Diante de mim está a opressão e a violência, levantam-se contendas e reina a discór- dia?» O Senhor respondeu-me: «Põe por escrito esta visão e grava-a em tábuas com toda a clareza, de modo que a possam ler facilmente. Embora esta visão só se realize na devida altura, ela há-de cumprir-se com certeza e não falhará. Se parece demorar, deves esperá-la, porque ela há-de vir e não tardará. Vede como sucumbe aquele que não tem alma reta; mas o justo viverá pela sua fidelidade». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 94 (95), 1-2.6-7.8-9 (R.8) Refrão: Se hoje ouvirdes a voz do Senhor, não fecheis os vossos corações. Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos a Deus, nosso Salvador. Vamos à sua presença e dêmos graças, ao som de cânticos aclamemos o Senhor. Vinde, prostremo-nos em terra, adoremos o Senhor que nos criou. O Senhor é o nosso Deus, e nós o seu povo, as ovelhas do seu reba- nho. Quem dera ouvísseis hoje a sua voz: «Não endureçais os vossos corações, como em Meriba, como no dia de Massa no deserto, onde vossos pais Me tentaram e provoca- ram, apesar de terem visto as minhas obras».
  5. 5. 5 LEITURA II 2 Tim 1, 6-8.13-14 «Não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Exorto-te a que reanimes o dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos. Deus não nos deu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de caridade e mo- deração. Não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor, nem te envergonhes de mim, seu prisioneiro. Mas sofre comigo pelo Evangelho, confiando no poder de Deus. Toma como norma as sãs palavras que me ouviste, segundo a fé e a caridade que temos em Jesus Cristo. Guarda a boa doutrina que nos foi confiada, com o auxílio do Espírito Santo, que ha- bita em nós. Palavra do Senhor. ALELUIA 1 Pedro 1, 25 Refrão: Aleluia. Repete-se A palavra do Senhor permanece eternamente. Esta é a palavra que vos foi anunciada. EVANGELHO Lc 17, 5-10 «Se tivésseis fé!» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, os Apóstolos disseram ao Senhor: «Aumenta a nossa fé». O Senhor respondeu: «Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: ‘Arranca-te daí e vai plantar-te no mar’, e ela obedecer-vos-ia. Quem de vós, tendo um servo a lavrar ou a guardar gado, lhe dirá quando ele voltar do campo: ‘Vem depressa sentar-te à mesa’? Não lhe dirá antes: ‘Prepara-me o jantar e cinge-te para me servires, até que eu tenha comido e bebi- do. Depois comerás e beberás tu’?. Terá de agradecer ao servo por lhe ter feito o que mandou? Assim também vós, quando tiverdes feito tudo o que vos foi ordenado, dizei: ‘Somos inúteis servos: fizemos o que devíamos fazer’. Palavra da salvação.
  6. 6. 6 DOMINGO XXVIII do Tempo Comum (13 de outubro de 2013) LEITURA I 2 Reis 5, 14-17 «Naamã foi ter novamente com o homem de Deus» e confessou a sua fé no Senhor Leitura do Segundo Livro dos Reis Naqueles dias, o general sírio Naamã desceu ao Jordão e aí mergulhou sete vezes, como lhe mandara Eliseu, o homem de Deus. A sua carne tornou-se tenra como a de uma criança e ficou purificado da lepra. Naamã foi ter novamente com o homem de Deus, acompanhado de toda a sua comi- tiva. Ao chegar diante dele, exclamou: «Agora reconheço que em toda a terra não há outro Deus senão o de Israel. Peço-te que aceites um presente deste teu servo». Eliseu respondeu-lhe: «Pela vida do Senhor que eu sirvo, nada aceitarei». E apesar das insistências, ele recusou. Disse então Naamã: «Se não aceitas, permite ao menos que se dê a este teu servo uma porção de terra para um altar, tanto quan- to possa carregar uma parelha de mulas, porque o teu servo nunca mais há-de ofere- cer holocausto ou sacrifício a quaisquer outros deuses, mas apenas ao Senhor, Deus de Israel». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 1-4 (R. cf. 2b) Refrão: O Senhor manifestou a salvação a todos os povos. Ou: Diante dos povos manifestou Deus a salvação. Cantai ao Senhor um cântico novo pelas maravilhas que Ele operou. A sua mão e o seu santo braço Lhe deram a vitória. O Senhor deu a conhecer a salvação, revelou aos olhos das nações a sua justiça. Recordou-Se da sua bondade e fidelidade, em favor da casa de Israel. Os confins da terra puderam ver a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor, terra inteira, exultai de alegria e cantai.
  7. 7. 7 LEITURA II 2 Tim 2, 8-13 «Se sofremos com Cristo, também com Ele reinaremos» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Lembra-te de que Jesus Cristo, descendente de David, ressuscitou dos mortos, se- gundo o meu Evangelho, pelo qual eu sofro, até ao ponto de estar preso a estas ca- deias como um malfeitor. Mas a palavra de Deus não está encadeada. Por isso, tudo suporto por causa dos eleitos, para que obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com a glória eterna. É digna de fé esta palavra: Se morremos com Cristo, também com Ele viveremos; se sofremos com Cristo, tam- bém com Ele reinaremos; se O negarmos, também Ele nos negará; se Lhe formos infiéis, Ele permanece fiel, porque não pode negar-Se a Si mesmo. Palavra do Senhor. ALELUIA Refrão: Aleluia. Repete-se Em todo o tempo e lugar dai graças a Deus, porque esta é a sua vontade a vosso respeito em Cristo Jesus. EVANGELHO Lc 17, 11-19 «Não se encontrou quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, indo Jesus a caminho de Jerusalém, passava entre a Samaria e a Galileia. Ao entrar numa povoação, vieram ao seu encontro dez leprosos. Conservando-se a distância, disseram em alta voz: «Jesus, Mestre, tem compaixão de nós». Ao vê-los, Jesus disse-lhes: «Ide mostrar-vos aos sacerdotes». E sucedeu que no caminho ficaram limpos da lepra. Um deles, ao ver-se curado, vol- tou atrás, glorificando a Deus em alta voz, e prostrou-se de rosto em terra aos pés de Jesus, para Lhe agradecer. Era um samaritano. Jesus, tomando a palavra, disse: «Não foram dez os que ficaram curados? Onde es- tão os outros nove? Não se encontrou quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro?». E disse ao homem: «Levanta-te e segue o teu caminho; a tua fé te salvou». Palavra da salvação.
  8. 8. 8 DOMINGO XXIX do Tempo Comum (20 de outubro de 2013) LEITURA I Ex 17, 8-13 «Quando Moisés erguia as mãos, Israel ganhava vantagem» Leitura do Livro do Êxodo Naqueles dias, Amalec veio a Refidim atacar Israel. Moisés disse a Josué: «Escolhe alguns homens e amanhã sai a combater Amalec. Eu irei colocar-me no cimo da colina, com a vara de Deus na mão». Josué fez o que Moisés lhe ordenara e atacou Amalec, enquanto Moisés, Aarão e Hur subiram ao cimo da colina. Quando Moisés tinha as mãos levantadas, Israel ganhava vantagem; mas quando as deixava cair, tinha vantagem Amalec. Como as mãos de Moisés se iam tornando pe- sadas, trouxeram uma pedra e colocaram-na por debaixo para que ele se sentasse, enquanto Aarão e Hur, um de cada lado, lhe seguravam as mãos. Assim se mantiveram firmes as suas mãos até ao pôr do sol, e Josué desbaratou Amalec e o seu povo ao fio da espada. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 120 (121), 1-8 (R. cf. 2) Refrão: O nosso auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra. Levanto os meus olhos para os montes: donde me virá o auxílio? O meu auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra. Não permitirá que vacilem os teus passos, não dormirá Aquele que te guarda. Não há-de dormir nem adormecer Aquele que guarda Israel. O Senhor é quem te guarda, o Senhor está a teu lado, Ele é o teu abrigo. O sol não te fará mal durante o dia, nem a lua durante a noite. O Senhor te defende de todo o mal, o Senhor vela pela tua vida. Ele te protege quando vais e quando vens, agora e para sempre.
  9. 9. 9 LEITURA II 2 Tim 3, 14 __ 4, 2 «O homem de Deus será perfeito, bem preparado para todas as boas obras» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Permanece firme no que aprendeste e aceitaste como certo, sabendo de quem o aprendeste. Desde a infância conheces as Sagradas Escrituras; elas podem dar-te a sabedoria que leva à salvação, pela fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura, inspirada por Deus, é útil para ensinar, persuadir, corrigir e formar segundo a justiça. Assim o homem de Deus será perfeito, bem preparado para todas as boas obras. Conjuro-te diante de Deus e de Jesus Cristo, que há-de julgar os vivos e os mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: Proclama a palavra, insiste a propósito e fora de propósito, argumenta, ameaça e exorta, com toda a paciência e doutrina. Palavra do Senhor. Aleluia Refrão: Aleluia. Repete-se A palavra de Deus é viva e eficaz, pode discernir os pensamentos e inten- ções do coração. EVANGELHO Lc 18, 1-8 «Deus fará justiça aos seus eleitos, que por Ele clamam» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos uma parábola sobre a necessidade de orar sempre sem desanimar: «Em certa cidade vivia um juiz que não temia a Deus nem respeitava os homens. Havia naquela cidade uma viúva que vinha ter com ele e lhe dizia: ‘Faz-me justiça contra o meu adversário’. Durante muito tempo ele não quis atendê-la. Mas depois disse consigo: ‘É certo que eu não temo a Deus nem respeito os homens; mas, porque esta viúva me importuna, vou fazer-lhe justiça, para que não venha incomodar-me indefinidamente’». E o Senhor acrescentou: «Escutai o que diz o juiz iníquo!... E Deus não havia de fazer justiça aos seus eleitos, que por Ele clamam dia e noite, e iria fazê-los esperar muito tempo? Eu vos digo que lhes fará justiça bem depressa. Mas quando voltar o Filho do ho- mem, encontrará fé sobre a terra?». Palavra da salvação.
  10. 10. 10 DOMINGO XXX do Tempo Comum (27 de outubro de 2013) LEITURA I Sir 35, 15b-17.20-22a (gr. 12-14.16-18) «A oração do humilde atravessa as nuvens» Leitura do Livro de Ben-Sirá O Senhor é um juiz que não faz acepção de pessoas. Não favorece ninguém em prejuízo do pobre e atende a prece do oprimido. Não despreza a súplica do órfão, nem os gemidos da viúva. Quem adora a Deus será bem acolhido e a sua prece sobe até às nuvens. A oração do humilde atravessa as nuvens e não descansa enquanto não chega ao seu destino. Não desiste, até que o Altíssimo o atenda, para estabelecer o direito dos jus- tos e fazer justiça. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 33 (34), 2-3.17-18.19.23 (R. 7a) Refrão: O pobre clamou e o Senhor ouviu a sua voz. Ou: O Senhor ouviu o clamor do pobre. A toda a hora bendirei o Senhor, o seu louvor estará sempre na minha boca. A minha alma gloria-se no Senhor: escutem e alegrem-se os humildes. A face do Senhor volta-se contra os que fazem o mal, para apagar da terra a sua memória. Os justos clamaram e o Senhor os ouviu, livrou-os de todas as angústias. O Senhor está perto dos que têm o coração atribulado e salva os de ânimo abatido. O Senhor defende a vida dos seus servos, não serão castigados os que n’Ele confiam. LEITURA II 2 Tim 4, 6-8.16-18 «Já me está preparada a coroa da justiça» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Eu já estou oferecido em libação, e o tempo da minha partida está iminente. Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. E agora já me está prepara- da a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me há-de dar naquele dia; e não só a
  11. 11. 11 mim, mas a todos aqueles que tiverem esperado com amor a sua vinda. Na minha primeira defesa, ninguém esteve a meu lado: todos me abandonaram. Queira Deus que esta falta não lhes seja imputada. O Senhor esteve a meu lado e deu-me força, para que, por meu intermédio, a mensa- gem do Evangelho fosse plenamente proclamada e todas as nações a ouvissem; e eu fui libertado da boca do leão. O Senhor me livrará de todo o mal e me dará a salvação no seu reino celeste. Glória a Ele pelos séculos dos séculos. Amen. Palavra do Senhor. ALELUIA 2 Cor 5, 19 Refrão: Aleluia. Repete-se Deus estava em Cristo reconciliando o mundo consigo e confiou-nos a palavra da reconciliação. EVANGELHO Lc 18, 9-14 «O publicano desceu justificado para sua casa e o fariseu não» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, Jesus disse a seguinte parábola para alguns que se consideravam jus- tos e desprezavam os outros: «Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro publicano. O fariseu, de pé, orava assim: ‘Meu Deus, dou-Vos graças por não ser como os outros homens, que são ladrões, in- justos e adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de todos os meus rendimentos’. O publicano ficou a distância e nem sequer se atrevia a erguer os olhos ao Céu; mas batia no peito e dizia: ‘Meu Deus, tende compaixão de mim, que sou pecador’. Eu vos digo que este desceu justificado para sua casa e o outro não. Porque todo aquele que se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado». Palavra da salvação.
  12. 12. 12 O Papa convidou os católicos a professarem a convicção de que Deus é “mais forte” do que o mal e colocou as dezenas de milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro a repetirem essa frase. “À nossa volta, basta abrir um jornal, vemos que há presença do mal, o diabo atua, mas gos- taria de dizer em voz alta: Deus é mais forte. Quero acrescentar que a realidade, às vezes sombria, marcada pelo mal, pode mudar, se nós levar- mos em primeiro lugar a luz do Evangelho”, declarou Francisco, na catequese da audiência pública semanal. O Papa convidou os participantes no encontro a dizer, com ele, “Deus é mais forte”, repetindo a frase por diversas vezes. Francisco apresentou uma reflexão sobre a expressão ‘Povo de Deus’, com que se define a Igreja Católica, recordando que “Jesus não disse aos Apóstolos que formasse um grupo exclusivo, um grupo de elite”. “Gostaria de dizer também a quem se sente longe de Deus e da Igreja, a quem tem medo ou é indiferente, a quem pensa que já não pode mudar: o Senhor chama-te para fazer parte do seu povo e fá-lo com grande respeito e amor”, acrescentou. Neste sentido, o Papa defendeu que a Igreja deve ter “portas abertas” para que todos possam entrar. A catequese falou do “amor a Deus e ao próximo” como a lei do Povo de Deus, um amor que “não é estéril, sentimentalismo ou algo de vago” e leva a “acolher o outro como verdadeiro irmão, superando rivalidades, incompreensões, egoísmos”. Francisco falou nas “tantas guerras” entre cristãos, nas famílias, nos bairros, pe- dindo que todos saibam colocar em primeiro lugar a “lei do amor”. “Talvez muitos de nós estejam um pouco zangados com alguém. Então, digamos: Senhor, eu estou zangado com este e esta, rezo-te por ele e por ela. Rezar por aqueles com quem estamos zangados é um bonito passo nesta lei do amor”, sugeriu. A catequese papal destacou que Deus “não é posse exclusiva de nenhum povo”, mas é Ele que convida a “pertencer ao seu povo”.
  13. 13. 13 “Que a Igreja seja lugar da misericórdia e da esperança de Deus, onde cada um se possa sentir acolhido, amado, perdoado e encorajado a viver segundo a vida boa do Evangelho”, apelou. O Papa deixou uma saudação aos peregrinos vindos de países de língua portu- guesa: “O Senhor vos chama a ser fermento no mundo, irradiando sua a miseri- córdia e a sua salvação, com o testemunho de uma vida evangélica. Que o Se- nhor vos abençoe a todos”. Após a audiência geral, Francisco publicou uma nova mensagem na sua conta da rede social Twitter: "Quantas pobrezas morais e materiais de hoje se ficam a de- ver à rejeição de Deus, colocando no seu lugar tantos ídolos!". OC
  14. 14. 14
  15. 15. 15
  16. 16. 16 Visita a Aveiro No passado dia 15 de Agosto, o Centro Cultural e Social das Lages orga- nizou uma excursão a Aveiro. Saímos do largo da cape- la das Lages, perto de 30 pessoas, por volta das 9 horas, todos contentes em direção a Aveiro. Já passadas as 10 e meia da manhã chegámos à Ria de Aveiro onde fo- mos andar de moliceiro e tivemos oportunidade de conhecer um pouco da história dos canais de Aveiro. Acabada a volta de moliceiro, já perto do meio-dia, fomos até Ílhavo onde almo- çámos todos juntos, com partilha de comida, num jardim. Depois de almoçar fomos dar uma volta pelo festival do bacalhau, onde tomámos café e comemos gelados. Durante a tarde fomos visitar o Museu Marítimo de Ílhavo onde pudemos conhe- cer a história dos nossos pescadores a bordo dos bacalhoeiros e a história do nosso bacalhau, onde vimos os barcos usados por estes pescadores, conchas provenientes de todo o mundo e um aquário de bacalhaus. Finda a visita ao museu ainda tivemos tempo de ir até à praia da Barra, onde aproveitamos para dar umas braçadas e para apanhar um pouco de Sol. Por volta das 6 e meia, partimos de volta à nossa terra, parando antes num par- que ao lado do Estádio do Beira-Mar para merendar. A viagem para casa foi bastante animada com momentos de cantoria e anedotas onde todos participámos. Foi um dia muito bem passado na zona de Aveiro com mui- ta animação e diversão. Queremos agradecer à Câmara Municipal de Sátão por ter cedido o autocarro, ao Sr. Jaime por nos ter levado a este passeio e a todos os que participaram por terem permitido que esta actividade se realizasse. Adriana Machado
  17. 17. 17 A Voz do Conselho Económico Publicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de agosto de 2013 Contributos a entregar na diocese Ofertório do dia 18, para a pastoral da mobilidade humana 62,80 € RESUMO FINAL Receita Total 543,18 € A entregar na diocese 62,80 € Saldo para o fundo paroquial 480,38 € Despesas da paróquia 654,29 € Saldo Final menos 173,91 € Receita Despesas Dia/Evento Evento Montante Ofertórios dominicais na igreja matriz 403,18 € Venc. Pároco 600,00 € Entregue pelos mordomos de São Pedro 115,00 € Evang. Voz Paróquia 36,00 € 1 batizado 25,00 € Manutenção da igreja 18,29 € TOTAL 543,18 € 654,29 €
  18. 18. 18 Receita de Compota de Limão 1 kg de Limão 1 kg de açúcar Água Preparação: Lave bem os limões e coloque-os inteiros numa panela grande juntamente com água. Deixe levantar fervura e tape depois a pa- nela deixando cozer em lume brando cerca de 2 horas ou até os limões estarem macios e serem facilmente atravessados por um garfo. Quando os limões tiverem arrefecidos retire-os da panela e reserve a água da cozedura dos mesmos. Corte os limões ao meio e retire os caroços reservando- os (os meus limões não tinham caroços). Corte depois os limões em tiras finas. Aproveite tudo cascas e polpa. Volte a colocar os limões cortados em tiras na panela. Acrescente a água da co- zedura, os caroços dos limões dentro de um pedaço de pano bem fechado (pois ajuda o doce a atingir o ponto - esta parte não fiz) e o açúcar. Mexa bem e deixe levantar fervura mexendo. Deixe cozinhar até o doce estar no ponto, isto é quando ao colocar um pouco de doce num prato e deixar arrefecer, este após lhe passar o dedo abra uma "estrada". Deixe arrefecer na panela alguns minutos antes de colocar em frascos esteri- lizados. Receita de Compota de Abóbora com Nozes Ingredientes: 1 kg de polpa de abóbora cortado em cubos 800g de açúcar Sumo de 2 laranjas 200g de nozes picadas 1 pau de canela 1 colher de chá de canela em pó Preparação: Numa panela, leva ao lume a abóbora, o açúcar, a canela em pó, o pau de canela e o sumo de laranja. Mexa, tape e deixe cozinhar em lume brando durante 1 hora. Passa- do 1 hora, retire o pau de canela e passe tudo com a varinha mágica. Junte as nozes. Mexa e deixe cozinhar em lume moderado durante 15 minutos. Convém de vez em quando ir mexendo. Passado os 15 minutos apague o lume e deixe arrefecer totalmente a compota. Depois da compo- ta fria, guarde em frascos que vedem bem. Receita de Compota de Kiwi Ingredientes: 1 kg de kiwis descascados e cortados em rodelas 700g de açúcar 200 ml de água Sumo de 1 limão 1 pau de canela Preparação: Numa panela, coloque o kiwis, o açúcar, o sumo de li- mão, a água e o pau de canela. Mexa e deixe cozinhar durante 1 hora em lume brando. Mexa de vez em quando com a colher. Passado 1 hora apague o lume. Depois da compota fria, guarde em frascos que vedem bem.
  19. 19. 19
  20. 20. 20 Com a colaboração do JES Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro. 2013 Lua cheia Lua nova Quarto crescente Quarto Minguante Outubro AGRICULTURA. JARDINAGEM. Iniciar a colheita da azeitona e combater a gafa. Semear cereais praganosos: em viveiro, amendoeiras e pessegueiros; nos lugares mais secos e abrigados, as oliveiras. No Quarto Minguante estercar as covas para árvores a transplantar na Primavera. Plantar árvores de fruto e podar (corte diagonal) as árvores resistentes ao frio. Na Horta resguardar do gelo e preparar canteiros para a sementeira de alface e cebola. Semear em local definitivo agrião, cenoura e rabanete. Colher feijões. No fim do mês, plantar morangueiros, alhos e cebolinhas. Colocar em local definitivo as couves de Primavera e as alfaces de Inverno; Colher a castanha, noz, avelã, abóboras e melões de Inverno. Jardim: estrumar semear flores (como no mês anterior) e plantar rosei- ras,crisântemos,lírios,narcisos,tulipas,cíclames.açucenas,jacintos,junquilhos,anémo nas. Colher as flores do Outono: dálias, rosas, etc.

×