SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Mioma 75ª Edição, novembro de 2013Mioma 75ª Edição, novembro de 2013Mioma 75ª Edição, novembro de 2013
2
INDICE
Pág. 3 — Papa: Pede vigilância constante contra o mal e o demónio
Pág. 4, 5, 6— domingo XXXI do tempo comum;
Pág. 6, 7, 8 — domingo XXXII do tempo comum;
Pág. 8, 9, 10 — domingo XXXIII do tempo comum;
Pág. 10, 11, 12 — domingo XXXIV e último do tempo comum;
Pág. 13 — Família é «o centro natural da vida humana»
Pág. 14, 15 - Almoço Convívio
Pág. 16 — Ato de entrega a Nossa Senhora de Fátima—Oração do Papa Francisco
Pág. 17 — A Voz do Conselho Económico;
Pág. 18 — Arranjos de outono; Culinária;
Pág. 19 — Passatempos;
Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ou
testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espírito
Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mês se-
guinte:
Em mão ou por correio, até dia 15;
Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia 20.
Se queres receber no teu correio eletrónico um exemplar da
“A Voz da Paróquia”
envia uma mensagem para o endereço
jesmioma@hotmail.com
com o assunto “Quero receber a Voz”
Versão Digital:
http://www.slideshare.net/jesmioma
http://issuu.com/jesmioma
3
Papa: Pede vigilância constante contra o mal e o demónio
O Papa Francisco na homília de 11 de outubro, depois do Evangelho,
alertou para a presença das tentações do demónio, pediu vigilância e
contrariou os sacerdotes que definem o milagre de Jesus como uma
cura de problemas psíquicos.
“Há alguns padres que quando lêem esta passagem do Evangelho [Lc
11,15-26] e outras, dizem: ‘Mas Jesus curou uma pessoa de uma do-
ença psíquica.’ Mas que parte é que leram? É verdade que naquele
tempo era possível confundir uma epilepsia com a possessão do demó-
nio mas também é verdade que havia o demónio! E nós não temos o
direito de fazer tão simples a coisa, como que dizendo: ‘Todos estes
não eram endemoniados, eram doentes psíquicos’, assinalou o Papa
Francisco na eucaristia, na capela da Casa de Santa Marta.
“A presença do demónio está na primeira página da Bíblia e a Bíblia
acaba também com a presença do demónio, com a vitória de Deus so-
bre o demónio”, acrescentou.
O Papa alertou para as investidas do maligno, por isso, pediu vigilância
porque se o bem não for guardado “aparece o mal que é mais forte”
através das “fraquezas e debilidades” porque o demónio “está sempre
à espreita”.
Inspirado no Evangelho, que revela a expulsão de um demónio mas
que depois regressa, Francisco na homília explica a forma de pensar do
demónio: “Tu fizeste-te cristão, contínua com a tua fé, eu deixo-te
tranquilo mas depois quando estás habituado e não fazes tanta vigilân-
cia e sentes-te seguro, eu volto.”
O Papa explicou que existem três critérios para discernir a presença do
mal na vida de cada um: “o primeiro é não confundir a verdade, Jesus
luta contra o diabo; o segundo é que quem não é com Jesus é contra
Jesus, não pode haver atitudes pela metade e o terceiro critério é a
vigilância sobre o coração, porque o demónio é astuto e nunca é expul-
so para sempre, pois só no último dia isso acontecerá!”
“Por favor, não façamos negócios com o demónio! Ele tenta voltar para
casa e tomar posse de nós. Não relativizar, vigiar!”, conclui Francisco
assinalando que é Jesus é a salvação e venceu o demónio.
RV/CB (Ecclesia)
4
DOMINGO XXXI do Tempo Comum
(3 de novembro de 2013)
LEITURA I Sab 11, 22 __ 12, 2
«De todos Vos compadeceis, porque amais tudo o que existe»
Leitura do Livro da Sabedoria
Diante de Vós, Senhor, o mundo inteiro é como um grão de areia na balança, como a
gota de orvalho que de manhã cai sobre a terra.
De todos Vos compadeceis, porque sois omnipotente, e não olhais para os seus peca-
dos, para que se arrependam. Vós amais tudo o que existe e não odiais nada do que
fizestes; porque, se odiásseis alguma coisa, não a teríeis criado. E como poderia sub-
sistir, se Vós não a quisésseis?
Como poderia durar, se não a tivésseis chamado à existência?
Mas a todos perdoais, porque tudo é vosso, Senhor, que amais a vida. O vosso espíri-
to incorruptível está em todas as coisas. Por isso castigais brandamente aqueles que
caem e advertis os que pecam, recordando-lhes os seus pecados, para que se afas-
tem do mal e acreditem em Vós, Senhor.
Palavra do Senhor.
SALMO RESPONSORIAL Salmo 144 (145), 1-2.8-9.10-11.13cd-14 (R. cf. 1)
Refrão: Louvarei para sempre o vosso nome, Senhor, meu Deus e meu Rei.
Quero exaltar-Vos, meu Deus e meu Rei,
e bendizer o vosso nome para sempre.
Quero bendizer-Vos, dia após dia,
e louvar o vosso nome para sempre.
O Senhor é clemente e compassivo,
paciente e cheio de bondade.
O Senhor é bom para com todos,
e a sua misericórdia se estende a todas as criaturas.
Graças Vos dêem, Senhor, todas as criaturas,
e bendigam-Vos os vossos fiéis.
Proclamem a glória do vosso reino
e anunciem os vossos feitos gloriosos.
O Senhor é fiel à sua palavra
e perfeito em todas as suas obras.
O Senhor ampara os que vacilam
e levanta todos os oprimidos.
5
LEITURA II 2 Tes 1, 11 __ 2, 2
«O nome de Cristo será glorificado em vós, e vós n'Ele»
Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses
Irmãos: Oramos continuamente por vós, para que Deus vos considere dignos do seu
chamamento e, pelo seu poder, se realizem todos os vossos bons propósitos e se
confirme o trabalho da vossa fé.
Assim o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo será glorificado em vós, e vós n’Ele, se-
gundo a graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.
Nós vos pedimos, irmãos, a propósito da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo e do
nosso encontro com Ele: Não vos deixeis abalar facilmente nem alarmar por qualquer
manifestação profética, por palavras ou por cartas, que se digam vir de nós, preten-
dendo que o dia do Senhor está iminente.
Palavra do Senhor.
ALELUIA
Refrão: Aleluia. Repete-se
Deus amou tanto o mundo que lhe deu o seu Filho unigénito; quem acredita
n’Ele tem a vida eterna.
EVANGELHO Lc 19, 1-10
«O Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido»
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus entrou em Jericó e começou a atravessar a cidade.
Vivia ali um homem rico chamado Zaqueu, que era chefe de publicanos.
Procurava ver quem era Jesus, mas, devido à multidão, não podia vê-l’O, porque era
de pequena estatura.
Então correu mais à frente e subiu a um sicómoro, para ver Jesus, que havia de pas-
sar por ali.
Quando Jesus chegou ao local, olhou para cima e disse-lhe:
«Zaqueu, desce depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa».
Ele desceu rapidamente e recebeu Jesus com alegria.
Ao verem isto, todos murmuravam, dizendo: «Foi hospedar-Se em casa dum peca-
dor».
Entretanto, Zaqueu apresentou-se ao Senhor, dizendo:
6
«Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens e, se causei qualquer
prejuízo a alguém, restituirei quatro vezes mais».
Disse-lhe Jesus: «Hoje entrou a salvação nesta casa, porque Zaqueu também é filho
de Abraão.
Com efeito, o Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido».
Palavra da salvação.
DOMINGO XXXII do Tempo Comum
(10 de novembro de 2013)
LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14
«O Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida eterna»
Leitura do Segundo Livro dos Macabeus
Naqueles dias, foram presos sete irmãos, juntamente com a mãe, e o rei da Síria quis
obrigá-los, à força de golpes de azorrague e de nervos de boi, a comer carne de por-
co proibida pela lei judaica. Um deles tomou a palavra em nome de todos e falou as-
sim ao rei: «Que pretendes perguntar e saber de nós? Estamos prontos para morrer,
antes que violar a lei de nossos pais».
Prestes a soltar o último suspiro, o segundo irmão disse: «Tu, malvado, pretendes
arrancar-nos a vida presente, mas o Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida
eterna, se morrermos fiéis às suas leis».
Depois deste começaram a torturar o terceiro.
Intimado a pôr fora a língua, apresentou-a sem demora e estendeu as mãos resolu-
tamente, dizendo com nobre coragem: «Do Céu recebi estes membros, e é por causa
das suas leis que os desprezo, pois do Céu espero recebê-los de novo».
O próprio rei e quantos o acompanhavam estavam admirados com a força de ânimo
do jovem, que não fazia nenhum caso das torturas.
Depois de executado este último, sujeitaram o quarto ao mesmo suplício.
Quando estava para morrer, falou assim:
«Vale a pena morrermos às mãos dos homens, quando temos a esperança em Deus
de que Ele nos ressuscitará; mas tu, ó rei, não ressuscitarás para a vida».
Palavra do Senhor.
SALMO RESPONSORIAL Salmo 16 (17), 1.5-6.8b.15 (R. cf. 15b)
Refrão: Senhor, ficarei saciado, quando surgir a vossa glória.
Ouvi, Senhor, uma causa justa,
atendei a minha súplica.
Escutai a minha oração,
feita com sinceridade.
7
Firmai os meus passos nas vossas veredas,
para que não vacilem os meus pés.
Eu Vos invoco, ó Deus, respondei-me,
ouvi e escutai as minhas palavras.
Protegei-me à sombra das vossas asas,
longe dos ímpios que me fazem violência.
Senhor, mereça eu contemplar a vossa face
e, ao despertar, saciar-me com a vossa imagem.
LEITURA II 2 Tes 2, 16 __ 3, 5
«O Senhor vos torne firmes em toda a espécie de boas obras e palavras»
Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses
Irmãos:
Jesus Cristo, nosso Senhor, e Deus, nosso Pai, que nos amou e nos deu, pela sua
graça, eterna consolação e feliz esperança, confortem os vossos corações e os tor-
nem firmes em toda a espécie de boas obras e palavras.
Entretanto, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague rapida-
mente e seja glorificada, como acontece no meio de vós.
Orai também, para que sejamos livres dos homens perversos e maus, pois nem todos
têm fé. Mas o Senhor é fiel: Ele vos dará firmeza e vos guardará do Maligno.
Quanto a vós, confiamos inteiramente no Senhor que cumpris e cumprireis o que vos
mandamos. O Senhor dirija os vossos corações, para que amem a Deus e aguardem
a Cristo com perseverança.
Palavra do Senhor.
ALELUIA Ap 1, 5a.6b
Refrão: Aleluia. Repete-se
Jesus Cristo é o Primogénito dos mortos. A Ele a glória e o poder pelos sécu-
los dos séculos.
EVANGELHO Forma longa Lc 20, 27-38
«Não é um Deus de mortos, mas de vivos»
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns saduceus que negam a ressurreição
e fizeram-Lhe a seguinte pergunta:
«Mestre, Moisés deixou-nos escrito: ‘Se morrer a alguém um irmão, que deixe mu-
lher, mas sem filhos, esse homem deve casar com a viúva, para dar descendência a
seu irmão’.
8
Ora havia sete irmãos.
O primeiro casou-se e morreu sem filhos.
O segundo e depois o terceiro desposaram a viúva; e o mesmo sucedeu aos sete,
que morreram e não deixaram filhos. Por fim, morreu também a mulher.
De qual destes será ela esposa na ressurreição, uma vez que os sete a tiveram por
mulher?».
Disse-lhes Jesus:
Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento. Mas aqueles que forem
dignos de tomar parte na vida futura e na ressurreição dos mortos, nem se casam
nem se dão em casamento. Na verdade, já não podem morrer, pois são como os An-
jos, e, porque nasceram da ressurreição, são filhos de Deus. E que os mortos ressus-
citam, até Moisés o deu a entender no episódio da sarça ardente, quando chama ao
Senhor ‘o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacob’.
Não é um Deus de mortos, mas de vivos, porque para Ele todos estão vivos».
Palavra da salvação.
DOMINGO XXXIII do Tempo Comum
(17 de outubro de 2013)
LEITURA I Mal 3, 19-20a
«Para vós nascerá o sol de justiça»
Leitura da Profecia de Malaquias
Há-de vir o dia do Senhor, ardente como uma fornalha; e serão como a palha todos
os soberbos e malfeitores.
O dia que há-de vir os abrasará diz o Senhor do Universo e não lhes deixará raiz nem
ramos. Mas para vós que temeis o meu nome, nascerá o sol de justiça, trazendo nos
seus raios a salvação.
Palavra do Senhor.
SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 5-9 (R. cf. 9)
Refrão: O Senhor virá governar com justiça.
Cantai ao Senhor ao som da cítara,
ao som da cítara e da lira;
ao som da tuba e da trombeta,
aclamai o Senhor, nosso Rei.
Ressoe o mar e tudo o que ele encerra,
a terra inteira e tudo o que nela habita;
aplaudam os rios,
e as montanhas exultem de alegria.
9
Diante do Senhor que vem,
que vem para julgar a terra;
julgará o mundo com justiça
e os povos com equidade.
LEITURA II 2 Tes 3, 7-12
«Quem não quer trabalhar, também não deve comer»
Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses
Irmãos: Vós sabeis como deveis imitar-nos, pois não vivemos entre vós na ociosida-
de, nem comemos de graça o pão de ninguém. Trabalhámos dia e noite, com esforço
e fadiga, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não é que não tivéssemos esse
direito, mas quisemos ser para vós exemplo a imitar.
Quando ainda estávamos convosco, já vos dávamos esta ordem: quem não quer tra-
balhar, também não deve comer.
Ouvimos dizer que alguns de vós vivem na ociosidade, sem fazerem trabalho algum,
mas ocupados em futilidades. A esses ordenamos e recomendamos, em nome do Se-
nhor Jesus Cristo, que trabalhem tranquilamente, para ganharem o pão que comem.
Palavra do Senhor.
ALELUIA Lc 21, 28
Refrão: Aleluia. Repete-se
Erguei-vos e levantai a cabeça, porque a vossa libertação está próxima.
EVANGELHO Lc 21, 5-19
«Pela vossa perseverança salvareis as vossas almas»
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, comentavam alguns que o templo estava ornado com belas pedras e
piedosas ofertas.
Jesus disse-lhes:
«Dias virão em que, de tudo o que estais a ver, não ficará pedra sobre pedra: tudo
será destruído».
Eles perguntaram-Lhe:
«Mestre, quando sucederá isto? Que sinal haverá de que está para acontecer?».
Jesus respondeu:
«Tende cuidado; não vos deixeis enganar, pois muitos virão em meu nome e dirão:
‘Sou eu’; e ainda: ‘O tempo está próximo’.
10
Não os sigais. Quando ouvirdes falar de guerras e revoltas, não vos alar-
meis: é preciso que estas coisas aconteçam primeiro, mas não será logo o fim».
Disse-lhes ainda:
«Há-de erguer-se povo contra povo e reino contra reino.
Haverá grandes terramotos e, em diversos lugares, fomes e epidemias.
Haverá fenómenos espantosos e grandes sinais no céu.
Mas antes de tudo isto, deitar-vos-ão as mãos e hão-de perseguir-vos, entregando-
vos às sinagogas e às prisões, conduzindo-vos à presença de reis e governadores,
por causa do meu nome.
Assim tereis ocasião de dar testemunho. Tende presente em vossos corações que não
deveis preparar a vossa defesa.
Eu vos darei língua e sabedoria a que nenhum dos vossos adversários poderá resistir
ou contradizer. Sereis entregues até pelos vossos pais, irmãos, parentes e amigos.
Causarão a morte a alguns de vós e todos vos odiarão por causa do meu nome; mas
nenhum cabelo da vossa cabeça se perderá. Pela vossa perseverança salvareis as
vossas almas».
Palavra da salvação.
DOMINGO XXXIV e último do Tempo Comum
Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo
(24 de novembro de 2013)
LEITURA I 2 Sam 5, 1-3
«Ungiram David como rei de Israel»
Leitura do Segundo Livro de Samuel
Naqueles dias, todas as tribos de Israel foram ter com David a Hebron e disseram
lhe: «Nós somos dos teus ossos e da tua carne. Já antes, quando Saul era o nosso
rei, eras tu quem dirigia as entradas e saídas de Israel. E o Senhor disse-te: ‘Tu
apascentarás o meu povo de Israel, tu serás rei de Israel’».
Todos os anciãos de Israel foram à presença do rei, a Hebron. O rei David concluiu
com eles uma aliança diante do Senhor, e eles ungiram David como rei de Israel.
Palavra do Senhor.
SALMO RESPONSORIAL Salmo 121 (122), 1-2.4-5 (R. cf. 1)
Refrão: Vamos com alegria para a casa do Senhor.
Alegrei-me quando me disseram:
«Vamos para a casa do Senhor».
Detiveram-se os nossos passos
às tuas portas, Jerusalém.
11
Jerusalém, cidade bem edificada,
que forma tão belo conjunto!
Para lá sobem as tribos,
as tribos do Senhor.
Para celebrar o nome do Senhor,
segundo o costume de Israel;
ali estão os tribunais da justiça,
os tribunais da casa de David.
LEITURA II Col 1, 12-20
«Transferiu-nos para o reino do seu Filho muito amado»
Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses
Irmãos:
Damos graças a Deus Pai, que nos fez dignos de tomar parte na herança dos santos,
na luz divina. Ele nos libertou do poder das trevas e nos transferiu para o reino do seu
Filho muito amado, no qual temos a redenção, o perdão dos pecados.
Cristo é a imagem de Deus invisível, o Primogénito de toda a criatura; Porque n’Ele
foram criadas todas as coisas no céu e na terra, visíveis e invisíveis, Tronos e Domina-
ções, Principados e Potestades: por Ele e para Ele tudo foi criado.
Ele é anterior a todas as coisas e n’Ele tudo subsiste.
Ele é a cabeça da Igreja, que é o seu corpo.
Ele é o Princípio, o Primogénito de entre os mortos; em tudo Ele tem o primeiro lugar.
Aprouve a Deus que n’Ele residisse toda a plenitude e por Ele fossem reconciliadas
consigo todas as coisas, estabelecendo a paz, pelo sangue da sua cruz, com todas as
criaturas na terra e nos céus.
Palavra do Senhor.
ALELUIA Mc 11, 9.10
Refrão: Aleluia. Repete-se
Bendito O que vem em nome do Senhor! Bendito o reino do nosso pai David!
EVANGELHO Lc 23, 35-43
«Lembra-Te de mim, Senhor, quando vieres com a tua realeza»
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, os chefes dos Judeus zombavam de Jesus, dizendo:
«Salvou os outros: salve-Se a Si mesmo, se é o Messias de Deus, o Eleito».
12
Também os soldados troçavam d’Ele; aproximando-se para Lhe oferece-
rem vinagre, diziam:
«Se és o rei dos Judeus, salva-Te a Ti mesmo».
Por cima d’Ele havia um letreiro:
«Este é o rei dos Judeus».
Entretanto, um dos malfeitores que tinham sido crucificados insultava-O, dizendo:
«Não és Tu o Messias? Salva-Te a Ti mesmo e a nós também».
Mas o outro, tomando a palavra, repreendeu-o:
«Não temes a Deus, tu que sofres o mesmo suplício? Quanto a nós, fez-se justiça,
pois recebemos o castigo das nossas más ações. Mas Ele nada praticou de condená-
vel».
E acrescentou:
«Jesus, lembra-Te de Mim, quando vieres com a tua realeza».
Jesus respondeu-lhe:
«Em verdade te digo: Hoje estarás comigo no Paraíso».
Palavra da salvação.
No dia 6 de outubro de 2013, cerca de 70 pessoas, estiveram a con-
fraternizar com o grupo de jovens do Espirito Santo, em um almoço/
convívio, para dar inicio às atividades de 2013/2014.
O convívio foi realizado na sede do grupo de jovens (antiga escola
básica do 1.º ciclo de Mioma).
Durante o convívio foram passadas as fotografias e vídeos de várias
atividades realizadas em anos anteriores.
A tarde foi preenchida com um animado jogo da malha.
Tendo sido um dia em que a alegria esteve presente, o grupo de jo-
vens agradece e apela à participação de todos os paroquianos em
eventos futuros.
JES
O Papa Francisco recebeu os participantes da XXI assembleia
plenária do Conselho Pontifício da Família e assinalou a impor-
13
tância da família na sociedade como lugar de crescimento e do testemunho
de vida dos casais cristãos.
"A família é o lugar onde se aprende a amar, o centro natural da vida
humana onde cada um de nós constrói a sua personalidade. Na família
aprende-se a arte do diálogo e da comunicação interpessoal ", disse o Papa
Francisco.
O Papa explicou aos participantes da XXI assembleia plenária do Conselho
Pontifício da Família, que a família “funda-se no matrimónio através de um
ato de amor livre e fiel” e acrescentou que os “esposos cristãos testemu-
nham que o casamento, enquanto sacramento, é a base sobre a qual
se funda a família e torna mais sólida a sua união e a sua entrega”.
"Hoje, quando prevalece a proteção dos direitos individuais a família comuni-
dade deve ser ainda mais reconhecida " defendeu durante a audiência, no
Vaticano. Francisco destacou os dois polos da vida, a infância e a velhice,
como os mais vulneráveis e “muitas vezes” os mais negligenciados.
“Sempre que uma criança é abandonada e um idoso é deixado de la-
do não se comete só uma injustiça como se pune o fracasso dessa
sociedade. Dedicar atenção aos pequeninos e idosos demonstra civi-
lização”, afirmou o Papa.
O Papa explicou que a família tem um papel central na evangelização porque
os cristãos comunicam através do seu testemunho de vida “o que já fazem
nas sociedades secularizadas”.
“Proponhamos a todos, com respeito e coragem, a beleza do matrimónio e
da família iluminada pelo Evangelho”, desafiou e exortou aos participantes
da assembleia plenária que é preciso aproximarem-se, “com atenção e afe-
to”, das famílias que atravessam dificuldades”.
VIS/CB/PR (Ecclesia)
14
15
16
Ato de entrega a Nossa Senhora de Fátima
Oração do Papa Francisco
No final da Missa celebrada frente à Basílica de S. Pedro, por ocasião do
Ano da Fé, o Papa Francisco reza o Ato de Entrega a Nossa Senhora de
Fátima perante a sua imagem que veio de Fátima
Nossa Senhora de Fátima,
com renovada gratidão pela tua presença materna,
unimos a nossa voz à de todas as gerações
que Te proclamam bem aventurada.
Em Ti celebramos as grandes obras de Deus,
que nunca se cansa de inclinar-se com misericórdia
sobre a humanidade, afligida pelo mal e ferida pelo pecado,
para a curar e salvar.
Acolhe com benevolência de Mãe
o ato de entrega que hoje fazemos com confiança,
diante desta tua imagem que nos é tão querida.
Estamos certos que cada um de nós é precioso aos teus olhos
e que nada do que se encontra nos nossos corações Te é estranho.
Deixamo-nos alcançar pelo teu dulcíssimo olhar
e recebemos a consoladora carícia do teu sorriso.
Guarda a nossa vida entre os teus braços:
abençoa e robustece todo o desejo de bem;
vivifica e alimenta a fé;
ampara e ilumina a esperança;
suscita e anima a caridade;
guia a todos nós no caminho da santidade.
Ensina-nos o teu amor de predileção
com os pequenos e pobres,
com os excluídos e sofredores,
com os pecadores e os de coração perdido:
reúne a todos sob a tua proteção
e entrega a todos o teu amado Filho, Jesus nosso Senhor.
Amen.
(tradução: padre Manuel Morujão, SJ)
17
A Voz do Conselho Económico
Publicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de setembro de 2013
Contributos a entregar na diocese
• Missas Plurintencionais— 227,50€
• Ofertório 4.º domingo-Cadeira de São Pedro—54,35€
TOTAL— 281,85€
RESUMO FINAL
Receita Total 1.215,75 €
A entregar na diocese 281,85 €
Saldo para o fundo paroquial 933,90 €
Despesas da paróquia 933,65 €
Saldo Final 0,25 €
Contas da Festa de São Miguel/2013—Fontainhas
Receita Despesas
Dia/Evento Evento Montante
Ofertórios dominicais na igreja
matriz
302,75 € Venc. Pároco 600,00 €
Festa de Santa Eufémia—Lages 60,00 €
Lampadário 218,00 €
Cartório 10,00 €
TOTAL 1.215,75 € 933,65 €
Missas plurintencionais 455,00 € Material para a catequese 297,65 €
1 casamento 50,00 € Evang. Voz Paróquia 36,00 €
1 batizado 50,00 €
2 funerais 70,00 €
Receita Despesas
Freguesia 3.906,00 € Banda Filarmónica 800,00 €
Fontaínhas 2.570,00 € Grupos musicais 2.600,00 €
Prémios para os jogos 400,00 €
Sardinha 200,00 €
Restaurantes e outras despe-
sas com alimentação 980,00 €
TOTAL 8.621,00 € 7.814,00 €
Fora da Freguesia 345,00 € Eletricidade e som 900,00 €
Jogos tradicionais (Malha e sueca) 700,00 € Florista 550,00 €
Outros donativos 1.100,00 € Bebidas 958,00 €
Concerto de relógio da
Capela
80,00 €
Malgas para caldo verde 70,00 €
Cartazes 52,00 €
Pratos, papel de mesa
guardanapos e café
80,00 €
Apoio para eletricidade
da capela
70,00 €
Direitos de autor 74,00 €
Oferta para pagar a eucaristia 50,00 € SALDO 807,00 €
18
Pudim de abóbora:
Ingredientes
500 gramas de abóbora sem casca e sementes
300 gramas de açúcar
100 gramas de coco ralado
6 ovos
1 chávena (das de chá ) de leite
1 colher ( das de sopa) de farinha maisena
1 colher ( das de sopa ) de raspa da casca de laranja
1 pitada de sal
caramelo liquido que baste
Preparação
Corte a abóbora em pedaços e coza-os em água
temperada com o sal, durante 20 minutos. Estando cozida escorra bem e esprema se
necessário para retirar o Maximo de água e deixe arrefecer.Numa tigela reduza a
abóbora a purê com ajuda de uma varinha mágica, adicione o coco ralado, o açúcar e
a farinha maisena e mexa bem. À parte bata ligeiramente os ovos e misture com o
leite, juntando-lhe a raspa de laranja. Junte ao preparado da abóbora e mexa muito
bem. Ligue o forno a 180ºC e forre uma forma de pudim com caramelo liquido, verta-
lhe o preparado e leve ao forno em banho-maria durante 1 hora aproximadamente.
Retire do forno e deixe arrefecer dentro da forma em banho-maria, depois de
arrefecido leve ao frigorifico e desenforme só na altura de servir.
Bom Apetite
19
20
Com a colaboração do JES
Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro.
2013
Lua cheia Lua nova Quarto crescente Quarto Minguante
Novembro
AGRICULTURA. JARDINAGEM. ANIMAIS.
Pomares, estercá-los no Crescente e podá-los no Quarto Minguante; protegê-los
das geadas. Plantar cerejeiras, pessegueiros, pereiras e macieiras, no Quarto Cres-
cente.
Na Horta semear agrião, alface, cenoura, couves (com excepção da couve-flor) e
brócolos. Plantar batata (nas zonas secas), alho, couve temporã, tremoço.
Semear fava, ervilha e em camas quentes, alface, beterraba, cebola, nabiça, nabo,
rabanete e tomate.
Semear cereais de pragana, como a aveia, centeio, cevada e trigo.
Colher azeitona e beterraba.
Na adega, verificar as vasilhas do vinho novo.
Destilar bagulho para fazer a aguardente.
No Jardim estercar covas para a plantação.
Plantar bolbos de flores.
Podar as roseiras e plantar novas.
Animais: o gado transita para o regime seco com feno, palha e grão.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

O peregrino
O peregrinoO peregrino
O peregrino
 
1965 12-12-comunhao
1965 12-12-comunhao1965 12-12-comunhao
1965 12-12-comunhao
 
Casa eterna
Casa eternaCasa eterna
Casa eterna
 
Aula 5 substituição
Aula 5  substituiçãoAula 5  substituição
Aula 5 substituição
 
OFÍCIO DAS TREVAS.pdf
OFÍCIO DAS TREVAS.pdfOFÍCIO DAS TREVAS.pdf
OFÍCIO DAS TREVAS.pdf
 
8 porque não guardamos o sábado gary fisher
8 porque não guardamos o sábado   gary fisher8 porque não guardamos o sábado   gary fisher
8 porque não guardamos o sábado gary fisher
 
Voz da Paróquia Abril 2015
Voz da Paróquia Abril 2015Voz da Paróquia Abril 2015
Voz da Paróquia Abril 2015
 
Vicario
VicarioVicario
Vicario
 
Boletim PIB Joinville 04/08/2013
Boletim PIB Joinville 04/08/2013Boletim PIB Joinville 04/08/2013
Boletim PIB Joinville 04/08/2013
 
Licao7
Licao7Licao7
Licao7
 
licao7.pps
licao7.ppslicao7.pps
licao7.pps
 
Lição 14 hebreus (Final)
Lição 14   hebreus (Final)Lição 14   hebreus (Final)
Lição 14 hebreus (Final)
 
Sabados cerimoniais
Sabados cerimoniaisSabados cerimoniais
Sabados cerimoniais
 
Esperando a volta de Jesus - Lição 03 - 1º Trimestre 2016
Esperando a volta de Jesus - Lição 03 - 1º Trimestre 2016Esperando a volta de Jesus - Lição 03 - 1º Trimestre 2016
Esperando a volta de Jesus - Lição 03 - 1º Trimestre 2016
 
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
 
Tranformando pelo perdao
Tranformando pelo perdaoTranformando pelo perdao
Tranformando pelo perdao
 
O Outro Consolador e as Duas Naturezas de Jesus
O Outro Consolador e as Duas Naturezas de JesusO Outro Consolador e as Duas Naturezas de Jesus
O Outro Consolador e as Duas Naturezas de Jesus
 
Leituras: 20° Domingo Tempo Comum - Ano C
Leituras: 20° Domingo Tempo Comum - Ano CLeituras: 20° Domingo Tempo Comum - Ano C
Leituras: 20° Domingo Tempo Comum - Ano C
 
O que acontece quando oramos
O que acontece quando oramosO que acontece quando oramos
O que acontece quando oramos
 
Salvação eterna
Salvação eternaSalvação eterna
Salvação eterna
 

Destaque (20)

Boletín informativo Nº 12
Boletín informativo Nº 12Boletín informativo Nº 12
Boletín informativo Nº 12
 
Presentacion v512
Presentacion v512Presentacion v512
Presentacion v512
 
روش انقلاب (نجم آفندی) پارٹ نمبر 7
روش انقلاب (نجم آفندی) پارٹ نمبر 7روش انقلاب (نجم آفندی) پارٹ نمبر 7
روش انقلاب (نجم آفندی) پارٹ نمبر 7
 
Hhhc9801 gambar kreatif inovatif
Hhhc9801   gambar kreatif inovatifHhhc9801   gambar kreatif inovatif
Hhhc9801 gambar kreatif inovatif
 
Caso logrono
Caso logronoCaso logrono
Caso logrono
 
Casi sin llegada
Casi sin llegadaCasi sin llegada
Casi sin llegada
 
Cv pcc -março
Cv   pcc -marçoCv   pcc -março
Cv pcc -março
 
Diapositiva proyectoistoria uerra fria
Diapositiva proyectoistoria uerra friaDiapositiva proyectoistoria uerra fria
Diapositiva proyectoistoria uerra fria
 
Não importa o lugar onde se está
Não importa o lugar onde se estáNão importa o lugar onde se está
Não importa o lugar onde se está
 
Maturidade
MaturidadeMaturidade
Maturidade
 
INCORPORACION DE LAS NNT
INCORPORACION DE LAS NNTINCORPORACION DE LAS NNT
INCORPORACION DE LAS NNT
 
Fuente de poder
Fuente de poderFuente de poder
Fuente de poder
 
Web 2.0
Web 2.0Web 2.0
Web 2.0
 
Español exposición diplomado
Español exposición diplomadoEspañol exposición diplomado
Español exposición diplomado
 
NO A LA VIOLENCIA
NO A LA VIOLENCIANO A LA VIOLENCIA
NO A LA VIOLENCIA
 
Nuevas tecnologías prueva en talles 5 12
Nuevas tecnologías prueva en talles 5 12Nuevas tecnologías prueva en talles 5 12
Nuevas tecnologías prueva en talles 5 12
 
C donostia
C donostiaC donostia
C donostia
 
Presentación protocolo ceniza para blogs
Presentación protocolo ceniza para blogsPresentación protocolo ceniza para blogs
Presentación protocolo ceniza para blogs
 
Presentación mº ángeles y belén
Presentación mº ángeles y belénPresentación mº ángeles y belén
Presentación mº ángeles y belén
 
Para ser bom é preciso ter coragem
Para ser bom é preciso ter coragemPara ser bom é preciso ter coragem
Para ser bom é preciso ter coragem
 

Semelhante a Voz da Paróquia - Novembro 2013

Voz da Paróquia - Outubro 2013
Voz da Paróquia - Outubro 2013Voz da Paróquia - Outubro 2013
Voz da Paróquia - Outubro 2013jesmioma
 
Voz da Paróquia - Fevereiro 2011
Voz da Paróquia - Fevereiro 2011Voz da Paróquia - Fevereiro 2011
Voz da Paróquia - Fevereiro 2011Fernando Chapeiro
 
Fevereiro 2011
Fevereiro 2011Fevereiro 2011
Fevereiro 2011jesmioma
 
Voz da Paróquia - Outubro 2014
Voz da Paróquia - Outubro 2014Voz da Paróquia - Outubro 2014
Voz da Paróquia - Outubro 2014jesmioma
 
Voz da Paróquia - Novembro 2012
Voz da Paróquia - Novembro 2012Voz da Paróquia - Novembro 2012
Voz da Paróquia - Novembro 2012jesmioma
 
Voz da Paróquia Julho 2016
Voz da Paróquia Julho 2016Voz da Paróquia Julho 2016
Voz da Paróquia Julho 2016jesmioma
 
Voz da paróquia - maio 2014
Voz da paróquia - maio 2014Voz da paróquia - maio 2014
Voz da paróquia - maio 2014jesmioma
 
Voz da Paróquia - Setembro 2011
Voz da Paróquia - Setembro 2011Voz da Paróquia - Setembro 2011
Voz da Paróquia - Setembro 2011Fernando Chapeiro
 
Voz da Paróquia - Setembro 2011
Voz da Paróquia - Setembro 2011Voz da Paróquia - Setembro 2011
Voz da Paróquia - Setembro 2011jesmioma
 
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011jesmioma
 
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Fernando Chapeiro
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Fernando Chapeiro
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011jesmioma
 
Junho 2011
Junho 2011Junho 2011
Junho 2011jesmioma
 
Voz da Paróquia - Junho 2011
Voz da Paróquia - Junho 2011Voz da Paróquia - Junho 2011
Voz da Paróquia - Junho 2011Fernando Chapeiro
 
Voz da Paróquia Março 2015
Voz da Paróquia Março 2015Voz da Paróquia Março 2015
Voz da Paróquia Março 2015jesmioma
 
Voz da Paróquia - Dezembro 2013
Voz da Paróquia - Dezembro 2013Voz da Paróquia - Dezembro 2013
Voz da Paróquia - Dezembro 2013jesmioma
 
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014jesmioma
 

Semelhante a Voz da Paróquia - Novembro 2013 (20)

Voz da Paróquia - Outubro 2013
Voz da Paróquia - Outubro 2013Voz da Paróquia - Outubro 2013
Voz da Paróquia - Outubro 2013
 
Voz da Paróquia - Fevereiro 2011
Voz da Paróquia - Fevereiro 2011Voz da Paróquia - Fevereiro 2011
Voz da Paróquia - Fevereiro 2011
 
Fevereiro 2011
Fevereiro 2011Fevereiro 2011
Fevereiro 2011
 
Voz da Paróquia - Outubro 2014
Voz da Paróquia - Outubro 2014Voz da Paróquia - Outubro 2014
Voz da Paróquia - Outubro 2014
 
Voz da Paróquia - Novembro 2012
Voz da Paróquia - Novembro 2012Voz da Paróquia - Novembro 2012
Voz da Paróquia - Novembro 2012
 
Voz da Paróquia Julho 2016
Voz da Paróquia Julho 2016Voz da Paróquia Julho 2016
Voz da Paróquia Julho 2016
 
Voz da paróquia - maio 2014
Voz da paróquia - maio 2014Voz da paróquia - maio 2014
Voz da paróquia - maio 2014
 
Voz da Paróquia - Setembro 2011
Voz da Paróquia - Setembro 2011Voz da Paróquia - Setembro 2011
Voz da Paróquia - Setembro 2011
 
Voz da Paróquia - Setembro 2011
Voz da Paróquia - Setembro 2011Voz da Paróquia - Setembro 2011
Voz da Paróquia - Setembro 2011
 
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011
 
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
 
Junho 2011
Junho 2011Junho 2011
Junho 2011
 
Voz da Paróquia - Junho 2011
Voz da Paróquia - Junho 2011Voz da Paróquia - Junho 2011
Voz da Paróquia - Junho 2011
 
Voz da Paróquia Março 2015
Voz da Paróquia Março 2015Voz da Paróquia Março 2015
Voz da Paróquia Março 2015
 
Chamada e escolha
Chamada e escolhaChamada e escolha
Chamada e escolha
 
Voz da Paróquia - Dezembro 2013
Voz da Paróquia - Dezembro 2013Voz da Paróquia - Dezembro 2013
Voz da Paróquia - Dezembro 2013
 
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
 
Chamada E Escolha
Chamada E EscolhaChamada E Escolha
Chamada E Escolha
 

Último

Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoInsituto Propósitos de Ensino
 
Oração Alma De Cristo
Oração Alma De CristoOração Alma De Cristo
Oração Alma De CristoNilson Almeida
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoInsituto Propósitos de Ensino
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiamaysa997520
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 

Último (11)

Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
 
Oração Alma De Cristo
Oração Alma De CristoOração Alma De Cristo
Oração Alma De Cristo
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 

Voz da Paróquia - Novembro 2013

  • 1. Mioma 75ª Edição, novembro de 2013Mioma 75ª Edição, novembro de 2013Mioma 75ª Edição, novembro de 2013
  • 2. 2 INDICE Pág. 3 — Papa: Pede vigilância constante contra o mal e o demónio Pág. 4, 5, 6— domingo XXXI do tempo comum; Pág. 6, 7, 8 — domingo XXXII do tempo comum; Pág. 8, 9, 10 — domingo XXXIII do tempo comum; Pág. 10, 11, 12 — domingo XXXIV e último do tempo comum; Pág. 13 — Família é «o centro natural da vida humana» Pág. 14, 15 - Almoço Convívio Pág. 16 — Ato de entrega a Nossa Senhora de Fátima—Oração do Papa Francisco Pág. 17 — A Voz do Conselho Económico; Pág. 18 — Arranjos de outono; Culinária; Pág. 19 — Passatempos; Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ou testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espírito Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mês se- guinte: Em mão ou por correio, até dia 15; Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia 20. Se queres receber no teu correio eletrónico um exemplar da “A Voz da Paróquia” envia uma mensagem para o endereço jesmioma@hotmail.com com o assunto “Quero receber a Voz” Versão Digital: http://www.slideshare.net/jesmioma http://issuu.com/jesmioma
  • 3. 3 Papa: Pede vigilância constante contra o mal e o demónio O Papa Francisco na homília de 11 de outubro, depois do Evangelho, alertou para a presença das tentações do demónio, pediu vigilância e contrariou os sacerdotes que definem o milagre de Jesus como uma cura de problemas psíquicos. “Há alguns padres que quando lêem esta passagem do Evangelho [Lc 11,15-26] e outras, dizem: ‘Mas Jesus curou uma pessoa de uma do- ença psíquica.’ Mas que parte é que leram? É verdade que naquele tempo era possível confundir uma epilepsia com a possessão do demó- nio mas também é verdade que havia o demónio! E nós não temos o direito de fazer tão simples a coisa, como que dizendo: ‘Todos estes não eram endemoniados, eram doentes psíquicos’, assinalou o Papa Francisco na eucaristia, na capela da Casa de Santa Marta. “A presença do demónio está na primeira página da Bíblia e a Bíblia acaba também com a presença do demónio, com a vitória de Deus so- bre o demónio”, acrescentou. O Papa alertou para as investidas do maligno, por isso, pediu vigilância porque se o bem não for guardado “aparece o mal que é mais forte” através das “fraquezas e debilidades” porque o demónio “está sempre à espreita”. Inspirado no Evangelho, que revela a expulsão de um demónio mas que depois regressa, Francisco na homília explica a forma de pensar do demónio: “Tu fizeste-te cristão, contínua com a tua fé, eu deixo-te tranquilo mas depois quando estás habituado e não fazes tanta vigilân- cia e sentes-te seguro, eu volto.” O Papa explicou que existem três critérios para discernir a presença do mal na vida de cada um: “o primeiro é não confundir a verdade, Jesus luta contra o diabo; o segundo é que quem não é com Jesus é contra Jesus, não pode haver atitudes pela metade e o terceiro critério é a vigilância sobre o coração, porque o demónio é astuto e nunca é expul- so para sempre, pois só no último dia isso acontecerá!” “Por favor, não façamos negócios com o demónio! Ele tenta voltar para casa e tomar posse de nós. Não relativizar, vigiar!”, conclui Francisco assinalando que é Jesus é a salvação e venceu o demónio. RV/CB (Ecclesia)
  • 4. 4 DOMINGO XXXI do Tempo Comum (3 de novembro de 2013) LEITURA I Sab 11, 22 __ 12, 2 «De todos Vos compadeceis, porque amais tudo o que existe» Leitura do Livro da Sabedoria Diante de Vós, Senhor, o mundo inteiro é como um grão de areia na balança, como a gota de orvalho que de manhã cai sobre a terra. De todos Vos compadeceis, porque sois omnipotente, e não olhais para os seus peca- dos, para que se arrependam. Vós amais tudo o que existe e não odiais nada do que fizestes; porque, se odiásseis alguma coisa, não a teríeis criado. E como poderia sub- sistir, se Vós não a quisésseis? Como poderia durar, se não a tivésseis chamado à existência? Mas a todos perdoais, porque tudo é vosso, Senhor, que amais a vida. O vosso espíri- to incorruptível está em todas as coisas. Por isso castigais brandamente aqueles que caem e advertis os que pecam, recordando-lhes os seus pecados, para que se afas- tem do mal e acreditem em Vós, Senhor. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 144 (145), 1-2.8-9.10-11.13cd-14 (R. cf. 1) Refrão: Louvarei para sempre o vosso nome, Senhor, meu Deus e meu Rei. Quero exaltar-Vos, meu Deus e meu Rei, e bendizer o vosso nome para sempre. Quero bendizer-Vos, dia após dia, e louvar o vosso nome para sempre. O Senhor é clemente e compassivo, paciente e cheio de bondade. O Senhor é bom para com todos, e a sua misericórdia se estende a todas as criaturas. Graças Vos dêem, Senhor, todas as criaturas, e bendigam-Vos os vossos fiéis. Proclamem a glória do vosso reino e anunciem os vossos feitos gloriosos. O Senhor é fiel à sua palavra e perfeito em todas as suas obras. O Senhor ampara os que vacilam e levanta todos os oprimidos.
  • 5. 5 LEITURA II 2 Tes 1, 11 __ 2, 2 «O nome de Cristo será glorificado em vós, e vós n'Ele» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses Irmãos: Oramos continuamente por vós, para que Deus vos considere dignos do seu chamamento e, pelo seu poder, se realizem todos os vossos bons propósitos e se confirme o trabalho da vossa fé. Assim o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo será glorificado em vós, e vós n’Ele, se- gundo a graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo. Nós vos pedimos, irmãos, a propósito da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo e do nosso encontro com Ele: Não vos deixeis abalar facilmente nem alarmar por qualquer manifestação profética, por palavras ou por cartas, que se digam vir de nós, preten- dendo que o dia do Senhor está iminente. Palavra do Senhor. ALELUIA Refrão: Aleluia. Repete-se Deus amou tanto o mundo que lhe deu o seu Filho unigénito; quem acredita n’Ele tem a vida eterna. EVANGELHO Lc 19, 1-10 «O Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, Jesus entrou em Jericó e começou a atravessar a cidade. Vivia ali um homem rico chamado Zaqueu, que era chefe de publicanos. Procurava ver quem era Jesus, mas, devido à multidão, não podia vê-l’O, porque era de pequena estatura. Então correu mais à frente e subiu a um sicómoro, para ver Jesus, que havia de pas- sar por ali. Quando Jesus chegou ao local, olhou para cima e disse-lhe: «Zaqueu, desce depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa». Ele desceu rapidamente e recebeu Jesus com alegria. Ao verem isto, todos murmuravam, dizendo: «Foi hospedar-Se em casa dum peca- dor». Entretanto, Zaqueu apresentou-se ao Senhor, dizendo:
  • 6. 6 «Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens e, se causei qualquer prejuízo a alguém, restituirei quatro vezes mais». Disse-lhe Jesus: «Hoje entrou a salvação nesta casa, porque Zaqueu também é filho de Abraão. Com efeito, o Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido». Palavra da salvação. DOMINGO XXXII do Tempo Comum (10 de novembro de 2013) LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 «O Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida eterna» Leitura do Segundo Livro dos Macabeus Naqueles dias, foram presos sete irmãos, juntamente com a mãe, e o rei da Síria quis obrigá-los, à força de golpes de azorrague e de nervos de boi, a comer carne de por- co proibida pela lei judaica. Um deles tomou a palavra em nome de todos e falou as- sim ao rei: «Que pretendes perguntar e saber de nós? Estamos prontos para morrer, antes que violar a lei de nossos pais». Prestes a soltar o último suspiro, o segundo irmão disse: «Tu, malvado, pretendes arrancar-nos a vida presente, mas o Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida eterna, se morrermos fiéis às suas leis». Depois deste começaram a torturar o terceiro. Intimado a pôr fora a língua, apresentou-a sem demora e estendeu as mãos resolu- tamente, dizendo com nobre coragem: «Do Céu recebi estes membros, e é por causa das suas leis que os desprezo, pois do Céu espero recebê-los de novo». O próprio rei e quantos o acompanhavam estavam admirados com a força de ânimo do jovem, que não fazia nenhum caso das torturas. Depois de executado este último, sujeitaram o quarto ao mesmo suplício. Quando estava para morrer, falou assim: «Vale a pena morrermos às mãos dos homens, quando temos a esperança em Deus de que Ele nos ressuscitará; mas tu, ó rei, não ressuscitarás para a vida». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 16 (17), 1.5-6.8b.15 (R. cf. 15b) Refrão: Senhor, ficarei saciado, quando surgir a vossa glória. Ouvi, Senhor, uma causa justa, atendei a minha súplica. Escutai a minha oração, feita com sinceridade.
  • 7. 7 Firmai os meus passos nas vossas veredas, para que não vacilem os meus pés. Eu Vos invoco, ó Deus, respondei-me, ouvi e escutai as minhas palavras. Protegei-me à sombra das vossas asas, longe dos ímpios que me fazem violência. Senhor, mereça eu contemplar a vossa face e, ao despertar, saciar-me com a vossa imagem. LEITURA II 2 Tes 2, 16 __ 3, 5 «O Senhor vos torne firmes em toda a espécie de boas obras e palavras» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses Irmãos: Jesus Cristo, nosso Senhor, e Deus, nosso Pai, que nos amou e nos deu, pela sua graça, eterna consolação e feliz esperança, confortem os vossos corações e os tor- nem firmes em toda a espécie de boas obras e palavras. Entretanto, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague rapida- mente e seja glorificada, como acontece no meio de vós. Orai também, para que sejamos livres dos homens perversos e maus, pois nem todos têm fé. Mas o Senhor é fiel: Ele vos dará firmeza e vos guardará do Maligno. Quanto a vós, confiamos inteiramente no Senhor que cumpris e cumprireis o que vos mandamos. O Senhor dirija os vossos corações, para que amem a Deus e aguardem a Cristo com perseverança. Palavra do Senhor. ALELUIA Ap 1, 5a.6b Refrão: Aleluia. Repete-se Jesus Cristo é o Primogénito dos mortos. A Ele a glória e o poder pelos sécu- los dos séculos. EVANGELHO Forma longa Lc 20, 27-38 «Não é um Deus de mortos, mas de vivos» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns saduceus que negam a ressurreição e fizeram-Lhe a seguinte pergunta: «Mestre, Moisés deixou-nos escrito: ‘Se morrer a alguém um irmão, que deixe mu- lher, mas sem filhos, esse homem deve casar com a viúva, para dar descendência a seu irmão’.
  • 8. 8 Ora havia sete irmãos. O primeiro casou-se e morreu sem filhos. O segundo e depois o terceiro desposaram a viúva; e o mesmo sucedeu aos sete, que morreram e não deixaram filhos. Por fim, morreu também a mulher. De qual destes será ela esposa na ressurreição, uma vez que os sete a tiveram por mulher?». Disse-lhes Jesus: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento. Mas aqueles que forem dignos de tomar parte na vida futura e na ressurreição dos mortos, nem se casam nem se dão em casamento. Na verdade, já não podem morrer, pois são como os An- jos, e, porque nasceram da ressurreição, são filhos de Deus. E que os mortos ressus- citam, até Moisés o deu a entender no episódio da sarça ardente, quando chama ao Senhor ‘o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacob’. Não é um Deus de mortos, mas de vivos, porque para Ele todos estão vivos». Palavra da salvação. DOMINGO XXXIII do Tempo Comum (17 de outubro de 2013) LEITURA I Mal 3, 19-20a «Para vós nascerá o sol de justiça» Leitura da Profecia de Malaquias Há-de vir o dia do Senhor, ardente como uma fornalha; e serão como a palha todos os soberbos e malfeitores. O dia que há-de vir os abrasará diz o Senhor do Universo e não lhes deixará raiz nem ramos. Mas para vós que temeis o meu nome, nascerá o sol de justiça, trazendo nos seus raios a salvação. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 5-9 (R. cf. 9) Refrão: O Senhor virá governar com justiça. Cantai ao Senhor ao som da cítara, ao som da cítara e da lira; ao som da tuba e da trombeta, aclamai o Senhor, nosso Rei. Ressoe o mar e tudo o que ele encerra, a terra inteira e tudo o que nela habita; aplaudam os rios, e as montanhas exultem de alegria.
  • 9. 9 Diante do Senhor que vem, que vem para julgar a terra; julgará o mundo com justiça e os povos com equidade. LEITURA II 2 Tes 3, 7-12 «Quem não quer trabalhar, também não deve comer» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses Irmãos: Vós sabeis como deveis imitar-nos, pois não vivemos entre vós na ociosida- de, nem comemos de graça o pão de ninguém. Trabalhámos dia e noite, com esforço e fadiga, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não é que não tivéssemos esse direito, mas quisemos ser para vós exemplo a imitar. Quando ainda estávamos convosco, já vos dávamos esta ordem: quem não quer tra- balhar, também não deve comer. Ouvimos dizer que alguns de vós vivem na ociosidade, sem fazerem trabalho algum, mas ocupados em futilidades. A esses ordenamos e recomendamos, em nome do Se- nhor Jesus Cristo, que trabalhem tranquilamente, para ganharem o pão que comem. Palavra do Senhor. ALELUIA Lc 21, 28 Refrão: Aleluia. Repete-se Erguei-vos e levantai a cabeça, porque a vossa libertação está próxima. EVANGELHO Lc 21, 5-19 «Pela vossa perseverança salvareis as vossas almas» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, comentavam alguns que o templo estava ornado com belas pedras e piedosas ofertas. Jesus disse-lhes: «Dias virão em que, de tudo o que estais a ver, não ficará pedra sobre pedra: tudo será destruído». Eles perguntaram-Lhe: «Mestre, quando sucederá isto? Que sinal haverá de que está para acontecer?». Jesus respondeu: «Tende cuidado; não vos deixeis enganar, pois muitos virão em meu nome e dirão: ‘Sou eu’; e ainda: ‘O tempo está próximo’.
  • 10. 10 Não os sigais. Quando ouvirdes falar de guerras e revoltas, não vos alar- meis: é preciso que estas coisas aconteçam primeiro, mas não será logo o fim». Disse-lhes ainda: «Há-de erguer-se povo contra povo e reino contra reino. Haverá grandes terramotos e, em diversos lugares, fomes e epidemias. Haverá fenómenos espantosos e grandes sinais no céu. Mas antes de tudo isto, deitar-vos-ão as mãos e hão-de perseguir-vos, entregando- vos às sinagogas e às prisões, conduzindo-vos à presença de reis e governadores, por causa do meu nome. Assim tereis ocasião de dar testemunho. Tende presente em vossos corações que não deveis preparar a vossa defesa. Eu vos darei língua e sabedoria a que nenhum dos vossos adversários poderá resistir ou contradizer. Sereis entregues até pelos vossos pais, irmãos, parentes e amigos. Causarão a morte a alguns de vós e todos vos odiarão por causa do meu nome; mas nenhum cabelo da vossa cabeça se perderá. Pela vossa perseverança salvareis as vossas almas». Palavra da salvação. DOMINGO XXXIV e último do Tempo Comum Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo (24 de novembro de 2013) LEITURA I 2 Sam 5, 1-3 «Ungiram David como rei de Israel» Leitura do Segundo Livro de Samuel Naqueles dias, todas as tribos de Israel foram ter com David a Hebron e disseram lhe: «Nós somos dos teus ossos e da tua carne. Já antes, quando Saul era o nosso rei, eras tu quem dirigia as entradas e saídas de Israel. E o Senhor disse-te: ‘Tu apascentarás o meu povo de Israel, tu serás rei de Israel’». Todos os anciãos de Israel foram à presença do rei, a Hebron. O rei David concluiu com eles uma aliança diante do Senhor, e eles ungiram David como rei de Israel. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 121 (122), 1-2.4-5 (R. cf. 1) Refrão: Vamos com alegria para a casa do Senhor. Alegrei-me quando me disseram: «Vamos para a casa do Senhor». Detiveram-se os nossos passos às tuas portas, Jerusalém.
  • 11. 11 Jerusalém, cidade bem edificada, que forma tão belo conjunto! Para lá sobem as tribos, as tribos do Senhor. Para celebrar o nome do Senhor, segundo o costume de Israel; ali estão os tribunais da justiça, os tribunais da casa de David. LEITURA II Col 1, 12-20 «Transferiu-nos para o reino do seu Filho muito amado» Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses Irmãos: Damos graças a Deus Pai, que nos fez dignos de tomar parte na herança dos santos, na luz divina. Ele nos libertou do poder das trevas e nos transferiu para o reino do seu Filho muito amado, no qual temos a redenção, o perdão dos pecados. Cristo é a imagem de Deus invisível, o Primogénito de toda a criatura; Porque n’Ele foram criadas todas as coisas no céu e na terra, visíveis e invisíveis, Tronos e Domina- ções, Principados e Potestades: por Ele e para Ele tudo foi criado. Ele é anterior a todas as coisas e n’Ele tudo subsiste. Ele é a cabeça da Igreja, que é o seu corpo. Ele é o Princípio, o Primogénito de entre os mortos; em tudo Ele tem o primeiro lugar. Aprouve a Deus que n’Ele residisse toda a plenitude e por Ele fossem reconciliadas consigo todas as coisas, estabelecendo a paz, pelo sangue da sua cruz, com todas as criaturas na terra e nos céus. Palavra do Senhor. ALELUIA Mc 11, 9.10 Refrão: Aleluia. Repete-se Bendito O que vem em nome do Senhor! Bendito o reino do nosso pai David! EVANGELHO Lc 23, 35-43 «Lembra-Te de mim, Senhor, quando vieres com a tua realeza» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, os chefes dos Judeus zombavam de Jesus, dizendo: «Salvou os outros: salve-Se a Si mesmo, se é o Messias de Deus, o Eleito».
  • 12. 12 Também os soldados troçavam d’Ele; aproximando-se para Lhe oferece- rem vinagre, diziam: «Se és o rei dos Judeus, salva-Te a Ti mesmo». Por cima d’Ele havia um letreiro: «Este é o rei dos Judeus». Entretanto, um dos malfeitores que tinham sido crucificados insultava-O, dizendo: «Não és Tu o Messias? Salva-Te a Ti mesmo e a nós também». Mas o outro, tomando a palavra, repreendeu-o: «Não temes a Deus, tu que sofres o mesmo suplício? Quanto a nós, fez-se justiça, pois recebemos o castigo das nossas más ações. Mas Ele nada praticou de condená- vel». E acrescentou: «Jesus, lembra-Te de Mim, quando vieres com a tua realeza». Jesus respondeu-lhe: «Em verdade te digo: Hoje estarás comigo no Paraíso». Palavra da salvação. No dia 6 de outubro de 2013, cerca de 70 pessoas, estiveram a con- fraternizar com o grupo de jovens do Espirito Santo, em um almoço/ convívio, para dar inicio às atividades de 2013/2014. O convívio foi realizado na sede do grupo de jovens (antiga escola básica do 1.º ciclo de Mioma). Durante o convívio foram passadas as fotografias e vídeos de várias atividades realizadas em anos anteriores. A tarde foi preenchida com um animado jogo da malha. Tendo sido um dia em que a alegria esteve presente, o grupo de jo- vens agradece e apela à participação de todos os paroquianos em eventos futuros. JES O Papa Francisco recebeu os participantes da XXI assembleia plenária do Conselho Pontifício da Família e assinalou a impor-
  • 13. 13 tância da família na sociedade como lugar de crescimento e do testemunho de vida dos casais cristãos. "A família é o lugar onde se aprende a amar, o centro natural da vida humana onde cada um de nós constrói a sua personalidade. Na família aprende-se a arte do diálogo e da comunicação interpessoal ", disse o Papa Francisco. O Papa explicou aos participantes da XXI assembleia plenária do Conselho Pontifício da Família, que a família “funda-se no matrimónio através de um ato de amor livre e fiel” e acrescentou que os “esposos cristãos testemu- nham que o casamento, enquanto sacramento, é a base sobre a qual se funda a família e torna mais sólida a sua união e a sua entrega”. "Hoje, quando prevalece a proteção dos direitos individuais a família comuni- dade deve ser ainda mais reconhecida " defendeu durante a audiência, no Vaticano. Francisco destacou os dois polos da vida, a infância e a velhice, como os mais vulneráveis e “muitas vezes” os mais negligenciados. “Sempre que uma criança é abandonada e um idoso é deixado de la- do não se comete só uma injustiça como se pune o fracasso dessa sociedade. Dedicar atenção aos pequeninos e idosos demonstra civi- lização”, afirmou o Papa. O Papa explicou que a família tem um papel central na evangelização porque os cristãos comunicam através do seu testemunho de vida “o que já fazem nas sociedades secularizadas”. “Proponhamos a todos, com respeito e coragem, a beleza do matrimónio e da família iluminada pelo Evangelho”, desafiou e exortou aos participantes da assembleia plenária que é preciso aproximarem-se, “com atenção e afe- to”, das famílias que atravessam dificuldades”. VIS/CB/PR (Ecclesia)
  • 14. 14
  • 15. 15
  • 16. 16 Ato de entrega a Nossa Senhora de Fátima Oração do Papa Francisco No final da Missa celebrada frente à Basílica de S. Pedro, por ocasião do Ano da Fé, o Papa Francisco reza o Ato de Entrega a Nossa Senhora de Fátima perante a sua imagem que veio de Fátima Nossa Senhora de Fátima, com renovada gratidão pela tua presença materna, unimos a nossa voz à de todas as gerações que Te proclamam bem aventurada. Em Ti celebramos as grandes obras de Deus, que nunca se cansa de inclinar-se com misericórdia sobre a humanidade, afligida pelo mal e ferida pelo pecado, para a curar e salvar. Acolhe com benevolência de Mãe o ato de entrega que hoje fazemos com confiança, diante desta tua imagem que nos é tão querida. Estamos certos que cada um de nós é precioso aos teus olhos e que nada do que se encontra nos nossos corações Te é estranho. Deixamo-nos alcançar pelo teu dulcíssimo olhar e recebemos a consoladora carícia do teu sorriso. Guarda a nossa vida entre os teus braços: abençoa e robustece todo o desejo de bem; vivifica e alimenta a fé; ampara e ilumina a esperança; suscita e anima a caridade; guia a todos nós no caminho da santidade. Ensina-nos o teu amor de predileção com os pequenos e pobres, com os excluídos e sofredores, com os pecadores e os de coração perdido: reúne a todos sob a tua proteção e entrega a todos o teu amado Filho, Jesus nosso Senhor. Amen. (tradução: padre Manuel Morujão, SJ)
  • 17. 17 A Voz do Conselho Económico Publicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de setembro de 2013 Contributos a entregar na diocese • Missas Plurintencionais— 227,50€ • Ofertório 4.º domingo-Cadeira de São Pedro—54,35€ TOTAL— 281,85€ RESUMO FINAL Receita Total 1.215,75 € A entregar na diocese 281,85 € Saldo para o fundo paroquial 933,90 € Despesas da paróquia 933,65 € Saldo Final 0,25 € Contas da Festa de São Miguel/2013—Fontainhas Receita Despesas Dia/Evento Evento Montante Ofertórios dominicais na igreja matriz 302,75 € Venc. Pároco 600,00 € Festa de Santa Eufémia—Lages 60,00 € Lampadário 218,00 € Cartório 10,00 € TOTAL 1.215,75 € 933,65 € Missas plurintencionais 455,00 € Material para a catequese 297,65 € 1 casamento 50,00 € Evang. Voz Paróquia 36,00 € 1 batizado 50,00 € 2 funerais 70,00 € Receita Despesas Freguesia 3.906,00 € Banda Filarmónica 800,00 € Fontaínhas 2.570,00 € Grupos musicais 2.600,00 € Prémios para os jogos 400,00 € Sardinha 200,00 € Restaurantes e outras despe- sas com alimentação 980,00 € TOTAL 8.621,00 € 7.814,00 € Fora da Freguesia 345,00 € Eletricidade e som 900,00 € Jogos tradicionais (Malha e sueca) 700,00 € Florista 550,00 € Outros donativos 1.100,00 € Bebidas 958,00 € Concerto de relógio da Capela 80,00 € Malgas para caldo verde 70,00 € Cartazes 52,00 € Pratos, papel de mesa guardanapos e café 80,00 € Apoio para eletricidade da capela 70,00 € Direitos de autor 74,00 € Oferta para pagar a eucaristia 50,00 € SALDO 807,00 €
  • 18. 18 Pudim de abóbora: Ingredientes 500 gramas de abóbora sem casca e sementes 300 gramas de açúcar 100 gramas de coco ralado 6 ovos 1 chávena (das de chá ) de leite 1 colher ( das de sopa) de farinha maisena 1 colher ( das de sopa ) de raspa da casca de laranja 1 pitada de sal caramelo liquido que baste Preparação Corte a abóbora em pedaços e coza-os em água temperada com o sal, durante 20 minutos. Estando cozida escorra bem e esprema se necessário para retirar o Maximo de água e deixe arrefecer.Numa tigela reduza a abóbora a purê com ajuda de uma varinha mágica, adicione o coco ralado, o açúcar e a farinha maisena e mexa bem. À parte bata ligeiramente os ovos e misture com o leite, juntando-lhe a raspa de laranja. Junte ao preparado da abóbora e mexa muito bem. Ligue o forno a 180ºC e forre uma forma de pudim com caramelo liquido, verta- lhe o preparado e leve ao forno em banho-maria durante 1 hora aproximadamente. Retire do forno e deixe arrefecer dentro da forma em banho-maria, depois de arrefecido leve ao frigorifico e desenforme só na altura de servir. Bom Apetite
  • 19. 19
  • 20. 20 Com a colaboração do JES Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro. 2013 Lua cheia Lua nova Quarto crescente Quarto Minguante Novembro AGRICULTURA. JARDINAGEM. ANIMAIS. Pomares, estercá-los no Crescente e podá-los no Quarto Minguante; protegê-los das geadas. Plantar cerejeiras, pessegueiros, pereiras e macieiras, no Quarto Cres- cente. Na Horta semear agrião, alface, cenoura, couves (com excepção da couve-flor) e brócolos. Plantar batata (nas zonas secas), alho, couve temporã, tremoço. Semear fava, ervilha e em camas quentes, alface, beterraba, cebola, nabiça, nabo, rabanete e tomate. Semear cereais de pragana, como a aveia, centeio, cevada e trigo. Colher azeitona e beterraba. Na adega, verificar as vasilhas do vinho novo. Destilar bagulho para fazer a aguardente. No Jardim estercar covas para a plantação. Plantar bolbos de flores. Podar as roseiras e plantar novas. Animais: o gado transita para o regime seco com feno, palha e grão.