Voz nº107 - julho 2016
Santa Isabel de Portugal
Santo Tomé – 03/07 04/07 Santa Maria Goretti –06/07
Santa Santa Ana
Maria ...
2 Voz nº107 - julho 2016
INDICE
Pág. 3 — Papa Francisco: casamento não é um desfile de moda
Pág. 4, 5, 6 — Domingo XIV do ...
Voz nº107 - julho 2016 3
O Papa Francisco afirmou que o casamento na�o e� um desfile
de moda e que as celebraço�es na Igre...
4 Voz nº107 - julho 2016
DOMINGO XIV do Tempo Comum
(3 de julho de 2016)
LEITURA I Is 66, 10-14c
«Farei correr para Jerusa...
Voz nº107 - julho 2016 5
Todos os que temeis a Deus, vinde e ouvi,
vou narrar-vos quanto Ele fez por mim.
Bendito seja Deu...
6 Voz nº107 - julho 2016
Mas quando entrardes nalguma cidade e na�o vos receberem, sa�� a� praça pu� blica e di-
zei: ‘Ate...
Voz nº107 - julho 2016 7
Eu sou pobre e misera�vel:
defendei-me com a vossa protecça�o.
Louvarei com ca�nticos o nome de D...
8 Voz nº107 - julho 2016
LEITURA II Col 1, 15-20
«Por Ele e por Ele tudo foi criado»
Leitura da Epístola do apóstolo São P...
Voz nº107 - julho 2016 9
Mas um samaritano, que ia de viagem, passou junto dele e, ao ve�-lo, encheu-se de
compaixa�o. Apr...
10 Voz nº107 - julho 2016
SALMO RESPONSORIAL Salmo 14 (15), 2-3a.3cd-4ab.5 (R. 1a)
Refra�o: Quem habitará, Senhor, no voss...
Voz nº107 - julho 2016 11
ALELUIA cf. Lc 8, 15
Refra�o: Aleluia. Repete-se
Felizes os que recebem a palavra de Deus de cor...
12 Voz nº107 - julho 2016
Abraa�o insistiu: «Atrevo-me a falar ao meu Senhor, eu que na�o passo de po� e cinza:
talvez par...
Voz nº107 - julho 2016 13
A vossa ma�o direita me salvara�,
o Senhor completara� o que em meu aux��lio começou.
Senhor, a ...
14 Voz nº107 - julho 2016
Eu vos digo: Se ele na�o se levantar por ser amigo, ao menos, por causa da sua insiste�n-
cia, l...
Voz nº107 - julho 2016 15
Vo�s os arrebatais como um sonho,
como a erva que de manha� reverdece;
de manha� floresce e vice...
16 Voz nº107 - julho 2016
EVANGELHO Lc 12, 13-21
«O que preparaste, para quem será?»
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Crist...
Voz nº107 - julho 2016 17
O prefeito da Congregaça�o para a doutrina da Fe� (CDF) admi-
tiu hoje a necessidade de uma maio...
18 Voz nº107 - julho 2016
D. Gerhard Mu�ller sustenta que Deus pode “conceder a sua proximidade e a
sua salvaça�o” a�s pes...
Voz nº107 - julho 2016 19
20 Voz nº107 - julho 2016
Com a colaboração do JES
Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro.
O que se dev...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Voz da Paróquia Julho 2016

12 visualizações

Publicada em

Voz da Paróquia Julho 2016 Mioma Sátão Viseu - JES - Jovens do Espírito Santo

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Voz da Paróquia Julho 2016

  1. 1. Voz nº107 - julho 2016 Santa Isabel de Portugal Santo Tomé – 03/07 04/07 Santa Maria Goretti –06/07 Santa Santa Ana Maria Santo Joaquim Madalena 26/07 22/07 Santo Inácio de Loyola 31/07 INTENÇÕES DE ORAÇÃO DO SANTO PADRE PARA JULHO Universal: Respeito pelos povos indígenas Para que os povos indígenas, ameaçados na sua identidade e existência, sejam respeitados. Pela Evangelização: Missão na América Latina e Caraíbas Para que a Igreja na América Latina e Caraíbas, através da sua missão continental, anuncie o Evangelho com renovado vigor e entusiasmo. Mioma 107ª Edição julho de 2016
  2. 2. 2 Voz nº107 - julho 2016 INDICE Pág. 3 — Papa Francisco: casamento não é um desfile de moda Pág. 4, 5, 6 — Domingo XIV do Tempo Comum Pág. 6, 7, 8, 9 — Domingo XV do Tempo Comum Pág. 9, 10, 11 — Domingo XVI do Tempo Comum Pág. 11, 12, 13, 14 — Domingo XVII do Tempo Comum Pág. 14, 15, 16— Domingo XIII do Tempo Comum Pág. 17, 18 — Família: Responsável do Vaticano admite necessidade de «verificação da validade» nalguns casamentos Pág. 19 — Passatempos Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ou testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espíri- to Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mês seguinte: Em mão ou por correio, até dia 15; Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia 20. Se queres receber no teu correio eletrónico um exemplar da “A Voz da Paróquia” envia uma mensagem para o endereço jesmioma@hotmail.com com o assunto “Quero receber a Voz” Versão Digital: http://www.slideshare.net/jesmioma http://issuu.com/jesmioma
  3. 3. Voz nº107 - julho 2016 3 O Papa Francisco afirmou que o casamento na�o e� um desfile de moda e que as celebraço�es na Igreja na�o sa�o espeta�culos. “O espeta�culo! Nunca o Senhor diz que o Reino de Deus e� um espeta�culo. E� uma festa, mas e� diferente. E� festa, e� bela, e� uma grande festa, e o Ce�u e� uma festa, mas na�o um espeta�culo. A nossa fraqueza humana, no entanto, prefere o espeta�culo”. Muitas vezes – disse Francisco –, o espeta�culo e� uma celebraça�o, por exemplo um casamento, no qual as pessoas, ao inve�s de receber um Sa- cramento, “va�o para fazer uma exibiça�o de moda, para se mostrar… por vaidade”. Ao contra�rio, “o Reino de Deus e� silencioso, cresce dentro”. Em seguida, Francisco citou as palavras de Jesus: “tambe�m para o Reino chegara� o momento de manifestar a força, mas sera� somente no final dos tempos”. “O dia em que fara� barulho, o fara� como uma esquadrilha de avio�es que atravessa o ce�u de um lado ao outro. Assim fara� o Filho do homem no seu dia, no dia em que fara� barulho. E quando se pensa na perseverança de tantos crista�os – homens e mulheres – que levam adiante a fam��lia, que cuidam dos filhos, que cuidam dos avo�s, que chegam ao fim do me�s com meio euro [algumas moedas] no bolso mas rezam, ali esta� o Reino de Deus; escondido na santidade da vida cotidiana, na santidade de todos os dias, porque o Reino de Deus na�o esta� longe de no�s, esta� perto! Esta e� uma das suas caracter��sticas: proximidade, todos os dias”. Tambe�m quando descreve o seu retorno numa manifestaça�o de glo�ria e de poder, Jesus acrescentou que “antes e� necessa�rio que ele sofra muito e seja rejeitado por esta geraça�o”. Isto quer dizer que “o sofrimento, a cruz, a cruz cotidiana da vida – a cruz do trabalho, da fam��lia, de fazer bem as coisas – esta pequena cruz cotidi- ana e� parte do Reino de Deus”. Continua na pa�gina 16
  4. 4. 4 Voz nº107 - julho 2016 DOMINGO XIV do Tempo Comum (3 de julho de 2016) LEITURA I Is 66, 10-14c «Farei correr para Jerusalém a paz como um rio» Leitura do Livro de Isaías Alegrai-vos com Jerusale�m, exultai com ela, todos vo�s que a amais. Com ela enchei-vos de ju� bilo, todos vo�s que participastes no seu luto. Assim podereis beber e saciar-vos com o leite das suas consolaço�es, podereis deliciar- vos no seio da sua magnifice�ncia. Porque assim fala o Senhor: «Farei correr para Jeru- sale�m a paz como um rio e a riqueza das naço�es como torrente transbordante. Os seus meninos de peito sera�o levados ao colo e acariciados sobre os joelhos. Como a ma�e que anima o seu filho, tambe�m Eu vos confortarei: em Jerusale�m sereis consolados. Quando o virdes, alegrar-se-a� o vosso coraça�o e, como a verdura, retoma- ra�o vigor os vossos membros. A ma�o do Senhor manifestar-se-a� aos seus servos. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 65 (66), 1-3a.4-5.6-7a.16 e 20 (R.1) Refrão: A terra inteira aclame o Senhor. Aclamai a Deus, terra inteira, cantai a glo�ria do seu nome, celebrai os seus louvores, dizei a Deus: «Maravilhosas sa�o as vossas obras». A terra inteira Vos adore e celebre, entoe hinos ao vosso nome. Vinde contemplar as obras de Deus, admira�vel na sua acça�o pelos homens. Mudou o mar em terra firme, atravessaram o rio a pe� enxuto. Alegremo-nos n’Ele: domina eternamente com o seu poder.
  5. 5. Voz nº107 - julho 2016 5 Todos os que temeis a Deus, vinde e ouvi, vou narrar-vos quanto Ele fez por mim. Bendito seja Deus que na�o rejeitou a minha prece, nem me retirou a sua miserico�rdia. LEITURA II Gal 6, 14-18 «Trago no meu corpo os estigmas de Jesus» Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Gálatas Irma�os: Longe de mim gloriar-me, a na�o ser na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo esta� crucificado para mim e eu para o mundo. Pois nem a circunci- sa�o nem a incircuncisa�o valem alguma coisa: o que tem valor e� a nova criatura. Paz e miserico�rdia para quantos seguirem esta norma, bem como para o Israel de Deus. Doravante ningue�m me importune, porque eu trago no meu corpo os estigmas de Jesus. Irma�os, a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja com o vosso esp��rito. A� men. Palavra do Senhor. ALELUIA Col 3, 15a.16a Refra�o: Aleluia. Repete-se Reine em vossos corações a paz de Cristo, habite em vós a sua palavra. EVANGELHO Forma longa Lc 10, 1-12.17-20 «A vossa paz repousará sobre eles» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, designou o Senhor setenta e dois disc��pulos e enviou-os dois a dois a� sua frente, a todas as cidades e lugares aonde Ele havia de ir. E dizia-lhes: «A seara e� grande, mas os trabalhadores sa�o poucos. Pedi ao dono da seara que mande trabalhadores para a sua seara. Ide: Eu vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Na�o leveis bolsa nem alforge nem sanda�lias, nem vos demoreis a saudar algue�m pelo caminho. Quando entrardes nalguma casa, dizei primeiro: ‘Paz a esta casa’. E se la� houver gente de paz, a vossa paz repousara� sobre eles; sena�o, ficara� convosco. Ficai nessa casa, comei e bebei do que tiverem, que o trabalhador merece o seu sala�rio. Na�o andeis de casa em casa. Quando entrardes nalguma cidade e vos receberem, comei do que vos servirem, curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: ‘Esta� perto de vo�s o reino de Deus’.
  6. 6. 6 Voz nº107 - julho 2016 Mas quando entrardes nalguma cidade e na�o vos receberem, sa�� a� praça pu� blica e di- zei: ‘Ate� o po� da vossa cidade que se pegou aos nossos pe�s sacudimos para vo�s. No entanto, ficai sabendo: Esta� perto o reino de Deus’. Eu vos digo: Havera� mais tolera�ncia, naquele dia, para Sodoma do que para essa cida- de». Os setenta e dois disc��pulos voltaram cheios de alegria, dizendo: «Senhor, ate� os demo�nios nos obedeciam em teu nome». Jesus respondeu-lhes: «Eu via Satana�s cair do ce�u como um rela�mpago. Dei-vos o po- der de pisar serpentes e escorpio�es e dominar toda a força do inimigo; nada podera� causar-vos dano. Contudo, na�o vos alegreis porque os esp��ritos vos obedecem; alegrai -vos antes porque os vossos nomes esta�o escritos nos Ce�us». Palavra da salvação. DOMINGO XV do Tempo Comum (10 de julho de 2016) LEITURA I Deut 30, 10-14 «Esta palavra está perto de ti, para que a possas pôr em prática» Leitura do Livro do Deuteronómio Moise�s falou ao povo, dizendo: «Escutara�s a voz do Senhor, teu Deus, cumprindo os seus preceitos e mandamentos que esta�o escritos no Livro da Lei, e converter-te-a�s ao Senhor, teu Deus, com todo o teu coraça�o e com toda a tua alma. Este mandamento que hoje te imponho na�o esta� acima das tuas forças nem fora do teu alcance. Na�o esta� no ce�u, para que precises de dizer: ‘Quem ira� por no�s subir ao ce�u, para no-lo buscar e fazer ouvir, a fim de o pormos em pra�tica?’. Na�o esta� para ale�m dos mares, para que precises de dizer: ‘Quem ira� por no�s transpor os mares, para no-lo buscar e fazer ou- vir, a fim de o pormos em pra�tica?’. Esta palavra esta� perto de ti, esta� na tua boca e no teu coraça�o, para que a possas po�r em pra�tica». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 68 (69), 14.17.30-31.33-34.36ab.37 (R. cf. 33) Refra�o: Procurai, pobres, o Senhor e encontrareis a vida. A Vo�s, Senhor, elevo a minha su�plica, pela vossa imensa bondade respondei-me. Ouvi-me, Senhor, pela bondade da vossa graça, voltai-Vos para mim pela vossa grande miserico�rdia.
  7. 7. Voz nº107 - julho 2016 7 Eu sou pobre e misera�vel: defendei-me com a vossa protecça�o. Louvarei com ca�nticos o nome de Deus e em acça�o de graças O glorificarei. Vo�s, humildes, olhai e alegrai-vos, buscai o Senhor e o vosso coraça�o se reanimara�. O Senhor ouve os pobres e na�o despreza os cativos. Deus protegera� Sia�o, reconstruira� as cidades de Juda�. Os seus servos a recebera�o em herança, e nela ha�o-de morar os que amam o seu nome. Ou Salmo 18 B, 8-11 (R. 9a) Refra�o: Os preceitos do Senhor alegram o coração. A lei do Senhor e� perfeita, ela reconforta a alma. As ordens do Senhor sa�o firmes e da�o sabedoria aos simples. Os preceitos do Senhor sa�o rectos e alegram o coraça�o. Os mandamentos do Senhor sa�o claros e iluminam os olhos. O temor do Senhor e� puro e permanece eternamente. Os ju��zos do Senhor sa�o verdadeiros, todos eles sa�o rectos.
  8. 8. 8 Voz nº107 - julho 2016 LEITURA II Col 1, 15-20 «Por Ele e por Ele tudo foi criado» Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses Cristo Jesus e� a imagem de Deus invis��vel, o Primoge�nito de toda a criatura; porque n’Ele foram criadas todas as coisas no ce�u e na terra, vis��veis e invis��veis, Tronos e Dominaço�es, Principados e Potestades: por Ele e para Ele tudo foi criado. Ele e� anterior a todas as coisas e n’Ele tudo subsiste. Ele e� a cabeça da Igreja, que e� o seu corpo. Ele e� o Princ��pio, o Primoge�nito de entre os mortos; em tudo Ele tem o primeiro lugar. Aprouve a Deus que n’Ele residisse toda a plenitude e por Ele fossem reconciliadas consigo todas as coisas, estabelecendo a paz, pelo sangue da sua cruz, com todas as criaturas na terra e nos ce�us. Palavra do Senhor. ALELUIA cf. Jo 6, 63c.68c Refra�o: Aleluia. Repete-se As vossas palavras, Senhor, são espírito e vida: Vós tendes palavras de vida eterna. EVANGELHO Lc 10, 25-37 «Quem é o meu próximo?» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, levantou-se um doutor da lei e perguntou a Jesus para O experimen- tar: «Mestre, que hei-de fazer para receber como herança a vida eterna?». Jesus disse-lhe: «Que esta� escrito na Lei? Como le�s tu?». Ele respondeu: «Amara�s o Senhor teu Deus com todo o teu coraça�o e com toda a tua alma, com todas as tuas forças e com todo o teu entendimento; e ao pro�ximo como a ti mesmo». Disse-lhe Jesus: «Respondeste bem. Faz isso e vivera�s». Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus:«E quem e� o meu pro�ximo?». Jesus, tomando a palavra, disse:«Um homem descia de Jerusale�m para Jerico� e caiu nas ma�os dos salteadores. Roubaram-lhe tudo o que levava, espancaram-no e foram- se embora, deixando-o meio-morto. Por coincide�ncia, descia pelo mesmo caminho um sacerdote; viu-o e passou adiante. Do mesmo modo, um levita que vinha por aquele lugar, viu-o e passou tambe�m adiante.
  9. 9. Voz nº107 - julho 2016 9 Mas um samaritano, que ia de viagem, passou junto dele e, ao ve�-lo, encheu-se de compaixa�o. Aproximou-se, ligou-lhe as feridas deitando azeite e vinho, colocou-o so- bre a sua pro�pria montada, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. No dia seguinte, tirou duas moedas, deu-as ao estalajadeiro e disse: ‘Trata bem dele; e o que gastares a mais eu to pagarei quando voltar’. Qual destes tre�s te parece ter sido o pro�ximo daquele homem que caiu nas ma�os dos salteadores?». O doutor da lei respondeu:«O que teve compaixa�o dele». Disse-lhe Jesus: Enta�o vai e faz o mesmo». Palavra da salvação. DOMINGO XVI do Tempo Comum (17 de julho de 2016) LEITURA I Gen 18, 1-10a «Senhor, não passeis sem parar em casa do vosso servo» Leitura do Livro do Génesis Naqueles dias, o Senhor apareceu a Abraa�o junto do Carvalho de Mambre�. Abraa�o estava sentado a� entrada da sua tenda, no maior calor do dia. Ergueu os olhos e viu tre�s homens de pe� diante dele. Logo que os viu, deixou a entra- da da tenda e correu ao seu encontro; prostrou-se por terra e disse: «Meu Senhor, se agradei aos vossos olhos, na�o passeis adiante sem parar em casa do vosso servo. Man- darei vir a�gua, para que possais lavar os pe�s e descansar debaixo desta a�rvore. Vou buscar um bocado de pa�o, para restaurardes as forças antes de continuardes o vosso caminho, pois na�o foi em va�o que passastes diante da casa do vosso servo». Eles responderam: «Faz como disseste». Abraa�o apressou-se a ir a� tenda onde estava Sara e disse-lhe: «Toma depressa tre�s medidas de flor da farinha, amassa-a e coze uns pa�es no borralho». Abraa�o correu ao rebanho e escolheu um vitelo tenro e bom e entregou-o a um servo que se apressou a prepara�-lo. Trouxe manteiga e leite e o vitelo ja� pronto e colocou-o diante deles; e, enquanto comiam, ficou de pe� junto deles debaixo da a�rvore. Depois eles disseram- lhe: «Onde esta� Sara, tua esposa?». Abraa�o respondeu: «Esta� ali na tenda». E um deles disse: «Passarei novamente pela tua casa daqui a um ano, e enta�o Sara, tua esposa, tera� um filho». Palavra do Senhor.
  10. 10. 10 Voz nº107 - julho 2016 SALMO RESPONSORIAL Salmo 14 (15), 2-3a.3cd-4ab.5 (R. 1a) Refra�o: Quem habitará, Senhor, no vosso santuário? Ou: Ensinai-nos, Senhor: quem habitará em vossa casa? O que vive sem mancha e pratica a justiça e diz a verdade que tem no seu coraça�o e guarda a sua l��ngua da calu�nia. O que na�o faz mal ao seu pro�ximo, nem ultraja o seu semelhante, o que tem por desprez��vel o ��mpio, mas estima os que temem o Senhor. O que na�o falta ao juramento mesmo em seu preju��zo e na�o empresta dinheiro com usura, nem aceita presentes para condenar o inocente. Quem assim proceder jamais sera� abalado. LEITURA II Col 1, 24-28 «O mistério oculto ao longo dos séculos e agora manifestado aos seus santos» Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses Irma�os: Agora alegro-me com os sofrimentos que suporto por vo�s e completo na mi- nha carne o que falta a� paixa�o de Cristo, em benef��cio do seu corpo, que e� a Igreja. Dela me tornei ministro, em virtude do cargo que Deus me confiou a vosso respeito, isto e�, anunciar-vos em plenitude a palavra de Deus, o miste�rio que ficou oculto ao longo dos se�culos e que foi agora manifestado aos seus santos. Deus quis dar-lhes a conhecer em que consiste, entre os gentios, a glo�ria inestima�vel deste miste�rio: Cristo no meio de vo�s, esperança da glo�ria. E no�s O anunciamos, advertindo todos os homens e instruindo-os em toda a sabedo- ria, a fim de os apresentarmos todos perfeitos em Cristo. Palavra do Senhor.
  11. 11. Voz nº107 - julho 2016 11 ALELUIA cf. Lc 8, 15 Refra�o: Aleluia. Repete-se Felizes os que recebem a palavra de Deus de coração sincero e generoso e pro- duzem fruto pela perseverança EVANGELHO Lc 10, 38-42 «Marta recebeu Jesus em sua casa. Maria escolheu a melhor parte» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, Jesus entrou em certa povoaça�o, e uma mulher chamada Marta rece- beu-O em sua casa. Ela tinha uma irma� chamada Maria, que, sentada aos pe�s de Jesus, ouvia a sua palavra. Entretanto, Marta atarefava-se com muito serviço. Interveio enta�o e disse: «Senhor, na�o Te importas que minha irma� me deixe sozinha a servir? Diz-lhe que venha ajudar-me». O Senhor respondeu-lhe: «Marta, Marta, andas inquieta e preocupada com muitas coisas, quando uma so� e� necessa�ria. Maria escolheu a melhor parte, que na�o lhe sera� tirada». Palavra da salvação. DOMINGO XVII do Tempo Comum (24 de julho de 2016) LEITURA I Gen 18, 20-32 «Se o meu Senhor não levar a mal, falarei» Leitura do Livro do Génesis Naqueles dias, disse o Senhor: «O clamor contra Sodoma e Gomorra e� ta�o forte, o seu pecado e� ta�o grave, que Eu vou descer para verificar se o clamor que chegou ate� Mim corresponde inteiramente a�s suas obras. Se sim ou na�o, hei-de sabe�-lo». Os homens que tinham vindo a� reside�ncia de Abraa�o dirigiram-se enta�o para Sodoma, enquanto o Senhor continuava junto de Abraa�o. Este aproximou-se e disse: «Ira�s des- truir o justo com o pecador? Talvez haja cinquenta justos na cidade. Mata�-los-a�s a todos? Na�o perdoara�s a essa cidade, por causa dos cinquenta justos que nela resi- dem? Longe de Ti fazer tal coisa: dar a morte ao justo e ao pecador, de modo que o justo e o pecador tenham a mesma sorte! Longe de Ti! O juiz de toda a terra na�o fara� justiça?». O Senhor respondeu-lhe: «Se encontrar em Sodoma cinquenta justos, per- doarei a toda a cidade por causa deles».
  12. 12. 12 Voz nº107 - julho 2016 Abraa�o insistiu: «Atrevo-me a falar ao meu Senhor, eu que na�o passo de po� e cinza: talvez para cinquenta justos faltem cinco. Por causa de cinco, destruira�s toda a cida- de?». O Senhor respondeu: «Na�o a destruirei se la� encontrar quarenta e cinco justos». Abraa�o insistiu mais uma vez: «Talvez na�o se encontrem nela mais de quarenta». O Senhor respondeu: «Na�o a destruirei em atença�o a esses quarenta». Abraa�o disse ainda: «Se o meu Senhor na�o levar a mal, falarei mais uma vez: talvez haja la� trinta justos». O Senhor respondeu: «Na�o farei a destruiça�o, se la� encontrar esses trinta». Abraa�o insistiu novamente: «Atrevo-me ainda a falar ao meu Senhor: talvez na�o se encontrem la� mais de vinte justos». O Senhor respondeu: «Na�o destruirei a cidade em atença�o a esses vinte». Abraa�o prosseguiu: «Se o meu Senhor na�o levar a mal, falarei ainda esta vez: talvez la� na�o se encontrem sena�o dez». O Senhor respondeu: «Em atença�o a esses dez, na�o destruirei a cidade». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 137 (138), 1-3.6-8 (R. 3a) Refra�o: Quando Vos invoco, sempre me atendeis, Senhor. De todo o coraça�o, Senhor, eu Vos dou graças, porque ouvistes as palavras da minha boca. Na presença dos Anjos hei-de cantar-Vos e adorar-Vos, voltado para o vosso templo santo. Hei-de louvar o vosso nome pela vossa bondade e fidelidade, porque exaltastes acima de tudo o vosso nome e a vossa promessa. Quando Vos invoquei, me respondestes, aumentastes a fortaleza da minha alma. O Senhor e� excelso e olha para o humilde, ao soberbo conhece-o de longe. No meio da tribulaça�o Vo�s me conservais a vida, Vo�s me ajudais contra os meus inimigos.
  13. 13. Voz nº107 - julho 2016 13 A vossa ma�o direita me salvara�, o Senhor completara� o que em meu aux��lio começou. Senhor, a vossa bondade e� eterna, na�o abandoneis a obra das vossas ma�os. LEITURA II Col 2, 12-14 «Deus fez que, unidos a Cristo, voltásseis à vida e perdoou todas as faltas» Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses Irma�os: Sepultados com Cristo no baptismo, tambe�m com Ele fostes ressuscitados pela fe� que tivestes no poder de Deus, que O ressuscitou dos mortos. Quando esta�veis mortos nos vossos pecados e na incircuncisa�o da vossa carne, Deus fez que volta�sseis a� vida com Cristo e perdoou-nos todas as nossas faltas. Anulou o documento da nossa d��vida, com as suas disposiço�es contra no�s; suprimiu-o, cravan- do-o na cruz. Palavra do Senhor. ALELUIA Rom 8, 15bc Refra�o: Aleluia. Repete-se Recebestes o espírito de adopção filial; nele clamamos: «Abá, ó Pai». EVANGELHO Lc 11, 1-13 «Pedi e dar-se-vos-á» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, estava Jesus em oraça�o em certo lugar. Ao terminar, disse-Lhe um dos disc��pulos: «Senhor, ensina-nos a orar, como Joa�o Bap- tista ensinou tambe�m os seus disc��pulos». Disse-lhes Jesus: «Quando orardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o vosso nome; venha o vosso reino; dai-nos em cada dia o pa�o da nossa subsiste�ncia; perdoai-nos os nossos pecados, porque tambe�m no�s perdoamos a todo aquele que nos ofende; e na�o nos deixeis cair em tentaça�o’». Disse-lhes ainda: «Se algum de vo�s tiver um amigo, podera� ter de ir a sua casa a� meia-noite, para lhe dizer: ‘Amigo, empresta-me tre�s pa�es, por- que chegou de viagem um dos meus amigos e na�o tenho nada para lhe dar’. Ele pode- ra� responder la� de dentro: ‘Na�o me incomodes; a porta esta� fechada, eu e os meus filhos ja� nos deita�mos; na�o posso levantar-me para te dar os pa�es’.
  14. 14. 14 Voz nº107 - julho 2016 Eu vos digo: Se ele na�o se levantar por ser amigo, ao menos, por causa da sua insiste�n- cia, levantar-se-a� para lhe dar tudo aquilo de que precisa. Tambe�m vos digo: Pedi e dar-se-vos-a�; procurai e encontrareis; batei a� porta e abrir- se-vos-a�. Porque quem pede recebe; quem procura encontra; e a quem bate a� porta, abrir-se-a�. Se um de vo�s for pai e um filho lhe pedir peixe, em vez de peixe dar-lhe-a� uma serpente? E se lhe pedir um ovo, dar-lhe-a� um escorpia�o? Se vo�s, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Ce�u dara� o Esp��rito San- to a�queles que Lho pedem!». Palavra da salvação. DOMINGO XVIII do Tempo Comum (31 de julho de 2016) LEITURA I Co (Ecle) 1, 2; 2, 21-23 «Que aproveita ao homem todo o seu trabalho?» Leitura do Livro de Coelet Vaidade das vaidades diz Coelet vaidade das vaidades: tudo e� vaidade. Quem trabalhou com sabedoria, cie�ncia e e�xito, tem de deixar tudo a outro que nada fez. Tambe�m isto e� vaidade e grande desgraça. Mas enta�o, que aproveita ao homem todo o seu trabalho e a a�nsia com que se afadigou debaixo do sol? Na verdade, todos os seus dias sa�o cheios de dores, e os seus trabalhos cheios de cui- dados e preocupaço�es; e nem de noite o seu coraça�o descansa. Tambe�m isto e� vaida- de. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 89 (90), 3-6.12-14.17(R. 1) Refrão: Senhor, tendes sido o nosso refúgio através das gerações. Vo�s reduzis o homem ao po� da terra e dizeis: «Voltai, filhos de Ada�o». Mil anos a vossos olhos sa�o como o dia de ontem que passou e como uma vig��lia da noite.
  15. 15. Voz nº107 - julho 2016 15 Vo�s os arrebatais como um sonho, como a erva que de manha� reverdece; de manha� floresce e viceja, de tarde ela murcha e seca. Ensinai-nos a contar os nossos dias, para chegarmos a� sabedoria do coraça�o. Voltai, Senhor! Ate� quando... Tende piedade dos vossos servos. Saciai-nos desde a manha� com a vossa bondade, para nos alegrarmos e exultarmos todos os dias. Desça sobre no�s a graça do Senhor, nosso Deus. Confirmai, Senhor, a obra das nossas ma�os. LEITURA II Col 3, 1-5.9-11 «Aspirai às coisas do alto, onde está Cristo» Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses Irma�os: Se ressuscitastes com Cristo, aspirai a�s coisas do alto, onde Cristo esta� senta- do a� direita de Deus. Afeiçoai-vos a�s coisas do alto e na�o a�s da terra. Porque vo�s mor- restes, e a vossa vida esta� escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que e� a vos- sa vida, Se manifestar, tambe�m vo�s vos manifestareis com Ele na glo�ria. Portanto, fazei morrer o que em vo�s e� terreno: imoralidade, impureza, paixo�es, maus desejos e avareza, que e� uma idolatria. Na�o mintais uns aos outros, vo�s que vos des- pojastes do homem velho com as suas aço�es e vos revestistes do homem novo, que, para alcançar a verdadeira cie�ncia, se vai renovando a� imagem do seu Criador. A�� na�o ha� grego ou judeu, circunciso ou incircunciso, ba�rbaro ou cita, escravo ou livre; o que ha� e� Cristo, que e� tudo e esta� em todos. Palavra do Senhor. ALELUIA Mt 5, 3 Refra�o: Aleluia. Repete-se Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos Céus.
  16. 16. 16 Voz nº107 - julho 2016 EVANGELHO Lc 12, 13-21 «O que preparaste, para quem será?» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, algue�m, do meio da multida�o, disse a Jesus: «Mestre, diz a meu irma�o que reparta a herança comigo». Jesus respondeu-lhe: «Amigo, quem Me fez juiz ou a�rbitro das vossas partilhas?». Depois disse aos presentes: «Vede bem, guardai-vos de toda a avareza: a vida de uma pessoa na�o depende da abunda�ncia dos seus bens». E disse-lhes esta para�bola: «O campo dum homem rico tinha produzido excelente colheita. Ele pensou consigo: ‘Que hei-de fazer, pois na�o tenho onde guardar a minha co- lheita? Vou fazer assim: Deitarei abaixo os meus celeiros para construir outros maiores, onde guardarei todo o meu trigo e os meus bens. Enta�o poderei dizer a mim mesmo: Minha alma, tens muitos bens em depo�sito para longos anos. Descansa, come, bebe, regala-te’. Mas Deus respondeu-lhe: ‘Insensato! Esta noite tera�s de entregar a tua alma. O que preparaste, para quem sera�?’. Assim acontece a quem acumula para si, em vez de se tornar rico aos olhos de Deus». Palavra da salvação. Continuaça�o da pa�gina 3 "Peçamos ao Senhor a graça de zelar pelo Reino de Deus que esta� dentro de no�s com a oraça�o, a adoraça�o e o serviço da caridade, silenciosamente”. “O Reino de Deus e� humilde, como a semente: humilde; mas cresce, eh? Pela força do Esp��rito Santo. A no�s cabe deixa�-lo crescer em no�s, sem nos vangloriar; deixar que o Esp��rito venha, nos transforme a alma e nos leve avante no sile�ncio, na paz, na serenidade, na proximidade a Deus, aos ou- tros, na adoraça�o a Deus, sem espeta�culos." (Com Ra�dio Vaticano)
  17. 17. Voz nº107 - julho 2016 17 O prefeito da Congregaça�o para a doutrina da Fe� (CDF) admi- tiu hoje a necessidade de uma maior “verificaça�o da valida- de” dos matrimo�nios e reafirmou a posiça�o cato�lica sobre divorciados que voltam a casar. “Os matrimo�nios sa�o provavelmente inva�lidos com mais freque�ncia nos nossos dias de quanto o eram no passado, porque e� deficita�ria a vontade de se casar segundo o sentido da doutrina matrimonial cato�lica e tam- be�m a pertença a um contexto vital de fe� e� muito limitada”, escreve D. Gerhard Mu�ller, num artigo divulgado pela ediça�o online do jornal do Vaticano, ‘L’Osservatore Romano’. O arcebispo alema�o fala numa “mentalidade contempora�nea” contra�ria a� compreensa�o crista� do matrimo�nio, sobretudo “em relaça�o a� sua indisso- lubilidade e a� abertura a� vida”, considerando que muitos crista�os sa�o in- fluenciados por esse “contexto cultural”. “Portanto, uma verificaça�o da validade do matrimo�nio e� importante e pode levar a uma soluça�o dos problemas. Quando na�o e� poss��vel compro- var uma nulidade do matrimo�nio, e� poss��vel a absolviça�o e a Comunha�o eucar��stica se for seguida a aprovada pra�tica eclesial que estabelece que se viva juntos 'como amigos, como irma�o e irma�»”, destaca o responsa�vel pela CDF, em relaça�o a� situaça�o de cato�licos divorciados que se voltaram a casar civilmente. O prelado recorda aos padres que a decisa�o sobre a receça�o da comu- nha�o na�o deve ser deixada a� “conscie�ncia” dos fie�is divorciados e que se devem evitar as “be�nça�os de v��nculos irregulares”. “Se os divorciados recasados esta�o subjetivamente na convicça�o de cons- cie�ncia de que o precedente matrimo�nio na�o era va�lido, isso deve ser objetivamente demonstrado pela competente autoridade judicia�ria em mate�ria matrimonial”, explica.
  18. 18. 18 Voz nº107 - julho 2016 D. Gerhard Mu�ller sustenta que Deus pode “conceder a sua proximidade e a sua salvaça�o” a�s pessoas “por diversos caminhos, mesmo se elas vivem em situaço�es contradito�rias”. Os pastores e as comunidades crista�s esta�o chamados a acolher com abertu- ra e cordialidade as pessoas que vivem em situaço�es irregulares, para estar ao seu lado com empatia, com a ajuda concreta”, acrescenta. O artigo sublinha o “valor antropolo�gico” do matrimo�nio indissolu�vel, mas recorda que ha� situaço�es nas quais a “convive�ncia matrimonial se torna pra- ticamente imposs��vel”, como por exemplo em caso de viole�ncia f��sica ou ps��- quica. “Nestas dolorosas situaço�es a Igreja sempre permitiu que os co�njuges se pudessem separar e na�o vivessem mais juntos”, embora na�o sejam livres de contrair um novo matrimo�nio “enquanto o outro co�njuge for vivo”, desen- volve. Para o arcebispo alema�o, o ideal da fidelidade entre um homem e uma mu- lher, proposto pela Igreja Cato�lica, “nada perdeu do seu fasc��nio”, porque corresponde a um anseio das pessoas e “a� natureza espiritual e moral do ho- mem”. O texto foi publicado duas semanas apo�s anu�ncio de uma assembleia extra- ordina�ria do S��nodo dos Bispos em outubro de 2014, sobre o tema da fam��lia, decisa�o que provocou “muitas intervenço�es, em particular sobre a delicada questa�o dos fie�is divorciados recasados”, explica o jornal do Vaticano. Segundo D. Gerhard Mu�ller, o estudo da problema�tica dos que contra��ram um novo v��nculo civil depois de um divo�rcio “na�o e� novo e foi sempre condu- zido com grande seriedade pela Igreja”. OC—(Ecclesia)
  19. 19. Voz nº107 - julho 2016 19
  20. 20. 20 Voz nº107 - julho 2016 Com a colaboração do JES Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro. O que se deve semear: Agrio�es; Alface de outono e inverno; Bro�colos tardios; Cenoura; Trabalhos a não esquecer: As regas sa�o de grande importa�ncia neste per��odo; devem ser efetuadas no final da tarde e de acordo com as plantas. Se puder instale um sistema de rega gota a gota. O tratamento contra o m��ldio e outras doenças e pragas continua a mere- cer nesta e�poca grandes cuidados. Utilize produtos e doses adequados. Entregue as emba- lagens de produtos qu��micos em pontos de retoma Valorfito. Provérbios do mês: Em julho ceifo o trigo e o debulho, e com o vento soprando o vou limpando. Por todo o me�s de julho o celeiro atulho. Em julho, reina o gorgulho. Em julho eu o ceifo e o debulho. Julho, o verde e o maduro. Pelo S. Tiago pinta o bago e cada pinga vale um cruzado. Por muito que queira julho ser, pouco ha�-de chover.

×