Voz da Paróquia - Janeiro 2011

187 visualizações

Publicada em

Voz da Paróquia - Janeiro 2011

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
187
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Voz da Paróquia - Janeiro 2011

  1. 1. 41ª Edição, mês de Janeiro de 2011Mioma
  2. 2. INDICE Pág. 3 — Mensagem de Natal; Pág. 4 — Domingo Pág. 5, 6, 7 — Epifania do Senhor Pág. 7, 8 — Baptismo do Senhor; Pág. 9, 10 — II Domingo do Tempo Comum; Pág. 11, 12 — III Domingo do Tempo Comum; Pág. 13, 14 — IV Domingo do Tempo Comum; Pág. 15—Os três Reis Magos; Pág. 16 — Ofertas para o restauro do telhado da Igreja Matriz-Dezembro/2010 Pág. 17 — A Voz do Conselho Económico; Banco Alimentar Pág. 18 — Culinária Pág. 19 — Jogos de passatempos. Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ou testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espírito Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mes seguinte: Em mão ou por correio, até dia 15; Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia20. Visite-nos em:2
  3. 3. Mensagem de Natal A Mensagem de Natal do Bispo de Viseu, para o ano 2010, é especial-mente dirigida "àquelas e àqueles que estão a viver tempos difíceis".Transcrevemo-la na íntegra: Neste tempo tão especial, quero dirigir-me a todos os homens e mulheres desta nos-sa Igreja de Viseu, sobretudo àquelas e àqueles que estão a viver tempos difíceis. Quero,na comunhão amiga com todos, declarar-lhes os meus votos de paz, de justiça, de amor ede bem. Igualmente, quero dirigir-me aos homens e mulheres que melhor vivem, pedindo atodos que ajudemos a que o Natal seja a Festa e a Celebração sem fim da alegria, da frater-nidade e da solidariedade para todos. Faço apelo sincero a que ninguém fique indiferente à situação actual. O Natal é desa-fio à mudança pessoal e social. Celebrando o Natal, não podemos esquecer as causas deuma crise com tão graves consequências nem os seus efeitos que fazem sofrer tantas etantos, de todas as idades e de todas as condições sociais. O atropelo aos valores e aosprincípios éticos fundamentais - na política, na economia, nos mercados, nas empresas, naeducação, na cultura - cria injustiça, promove individualismo e exclusão social e fomentacorrupção, mentira e inversão de valores. O meu apelo é que vivamos o Natal como o sonhoa concretizar, o desafio a aceitar e o projecto a construir, para ajudarmos a realizar a paz eo bem universais. A par da crise, devemos reconhecer que, hoje, se afirmam valores muito nobres, taiscomo: generosidade, tolerância e globalização positiva e humanizadora em muitos aspectos.Apreciamos também o alargado acesso à educação e à cultura e a maior sensibilidade paraa liberdade, direitos e responsabilidades individuais. São bons os sinais de esperança para omelhor serviço a todos. Porém, a nossa sociedade está longe de ser justa e de praticar obem comum. Este nunca pode esquecer cada pessoa concreta. Pede-se, neste Natal em época de crise tão dura e tão difícil, uma maior correspon-sabilidade de todos e a favor de todos. Todos - individual, social e colectivamente - todossomos chamados a ser sujeitos activos e destinatários da esperança. Esta missão somenteserá cumprida se tivermos as pessoas no centro da nossa atenção e se elas, a começarpelas mais frágeis e pelas mais pobres, forem as mobilizadoras das nossas energias e dasnossas iniciativas. Na nossa Diocese de Viseu estamos a iniciar o Sínodo como uma oportunidade demudança, de renovação, de reorganização e de formação. A nossa Igreja quer lavar o rosto,quer rever-se em Jesus Cristo e na Sua Boa Nova e quer olhar, de frente e com o coração, omundo e as pessoas do nosso tempo. Quer ainda, em comunhão com todos - crianças ejovens, homens e mulheres, mais velhos e mais novos, em qualquer situação - acreditar,viver e anunciar Jesus Cristo. Ele é a Fonte da nossa esperança. Todos somos convidados aviver em comunhão para a missão.Para todos, um Santo Natal e um Feliz 2011, cheio de esperança.O vosso irmão e amigo bispo - Ilídio Leandro 3
  4. 4. DOMINGO — Paragem, descanso, família Numa segunda Nota do Pastor e a propósito da aproximação do Natal, D. Ilídio lembra a importância do Domingo, como Dia do Senhor para a Família. Aqui a deixamos reproduzida, para proveito dos leitores: Está próximo o Natal. Acontece em ordem e por causa da Páscoa - o Dia e a Hora do Senhor. O Messias vem, como Filho de Deus, tornado Homem em Jesus, para celebrar a Páscoa que se torna Festa da Libertação de todos os homens. O Natal anuncia, prepara e ordena-se para a Páscoa. Cada Domingo é a celebração do Senhor, no Seu Mistério de Natal, de Vida, de Morte, de Ressurreição e de Presença Sacramental - tudo celebrado e vivido na Eucaristia. O Domingo é, assim, o Dia do Senhor e de toda a Sua acção transformadora, em ordem à plenitude e à perfeição. Vive-se o Domingo como uma paragem do normal trabalho e das nor- mais preocupações dos outros dias. Vive-se o Domingo como um necessário descanso, retemperador e regenerador para um recomeço livre e feliz, na coo- preação com o Senhor Deus, Criador e Pai. Vive-se o Domingo como o dia da família, no encontro, na comunhão e no amor, sempre a precisar de se dizer, de se comunicar e de se celebrar. Ao jeito de "petição", de "protesto" e de "voto", que o Domingo não seja estragado por actividades que o espartilhem e o transformem em visitas, pas- seios e asfixias em catedrais de consumo e de dependências materialistas!... Que os apelos às necessárias poupanças ajudem as grandes superfícies e as grandes áreas comerciais a poupar-nos a todos a toda a pressão e manipula- ção, no sentido da criação de necessidades dispensáveis!... Seria um contributo muito importante para a saúde de todos, inclusive para a saúde da família, a precisar tanto de encontro, de comunhão e de amor! Seria um contributo tão bom para o Natal que deveria ser todos os dias, o que acontecerá, sempre que nós quisermos!... Para todos, desde já, um Santo e Feliz Natal!... Viseu, 14 de Dezembro de 2010 Ilídio Leandro - vosso irmão4
  5. 5. EPIFANIA DO SENHOR (2 de Janeiro de 2011)LEITURA I Is 60, 1-6 «Brilha sobre ti a glória do Senhor»Leitura do Livro de IsaíasLevanta-te e resplandece, Jerusalém, porque chegou a tua luz e brilha sobreti a glória do Senhor. Vê como a noite cobre a terra, e a escuridão os povos.Mas sobre ti levanta-Se o Senhor, e a sua glória te ilumina.As nações caminharão à tua luz, e os reis ao esplendor da tua aurora. Olha aoredor e vê: todos se reúnem e vêm ao teu encontro; os teus filhos vão chegarde longe, e as tuas filhas são trazidas nos braços. Quando o vires ficarásradiante, palpitará e dilatar-se-á o teu coração, pois a ti afluirão os tesourosdo mar, a ti virão ter as riquezas das nações. Invadir-te-á uma multidão decamelos, de dromedários de Madiã e Efá. Virão todos os de Sabá, trazendoouro e incenso e proclamando as glórias do Senhor.Palavra do Senhor.SALMO RESPONSORIAL 71 (72), 2.7-8.10-11.12-13 (R. cf. 11)Refrão: Virão adorar-Vos, Senhor, todos os povos da terra.Ó Deus, concedei ao rei o poder de julgare a vossa justiça ao filho do rei.Ele governará o vosso povo com justiçae os vossos pobres com equidade.Florescerá a justiça nos seus diase uma grande paz até ao fim dos tempos.Ele dominará de um ao outro mar,do grande rio até aos confins da terra.Os reis de Társis e das ilhas virão com presentes,os reis da Arábia e de Sabá trarão suas ofertas.Prostrar-se-ão diante dele todos os reis,todos os povos o hão-de servir.Socorrerá o pobre que pede auxílioe o miserável que não tem amparo.Terá compaixão dos fracos e dos pobrese defenderá a vida dos oprimidos. 5
  6. 6. LEITURA II Ef 3, 2-3a.5-6 Os gentios recebem a mesma herança prometida Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios Irmãos: Certamente já ouvistes falar da graça que Deus me confiou a vosso favor: por uma revelação, foi-me dado a conhecer o mistério de Cristo. Nas gerações passadas, ele não foi dado a conhecer aos filhos dos homens como agora foi revelado pelo Espírito Santo aos seus santos apóstolos e profetas: os gentios recebem a mesma herança que os judeus, pertencem ao mesmo corpo e participam da mesma promessa, em Cristo Jesus, por meio do Evangelho. Palavra do Senhor. ALELUIA Mt 2, 2 Refrão: Aleluia. Repete-se Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorar o Senhor. Refrão EVANGELHO Mt 2, 1-12 «Viemos do Oriente adorar o Rei» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está – perguntaram eles – o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Ao ouvir tal notícia, o rei Herodes ficou perturbado e, com ele, toda a cidade de Jerusalém. Reuniu todos os príncipes dos sacerdotes e escribas do povo e pergun- tou-lhes onde devia nascer o Messias. Eles responderam: «Em Belém da Judeia, porque assim está escrito pelo Profeta: ‘Tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as principais cidades de Judá, pois de ti sairá um chefe, que será o Pastor de Israel, meu povo’». Então Herodes mandou chamar secretamente os Magos e pedi- lhes informações precisas sobre o tempo em que lhes tinha aparecido a estrela. Depois enviou-os a Belém e disse-lhes: «Ide informar-vos cui- dadosamente acerca do Menino; e, quando O encontrardes, avisai me, para que também eu vá adorá-lO». Ouvido o rei, puseram-se a cami- nho. E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao ver a estrela, sentiram6
  7. 7. os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra. E, avi-sados em sonhos para não voltarem à presença de Herodes, regressaramà sua terra por outro caminho.Palavra da salvação. BAPTISMO DO SENHOR (9 de Janeiro de 2011)LEITURA I Is 42, 1-4.6-7 «Eis o meu servo, enlevo da minha alma»Leitura do Livro de IsaíasDiz o Senhor:«Eis o meu servo, a quem Eu protejo, o meu eleito, enlevo da minha alma.Sobre ele fiz repousar o meu espírito, para que leve a justiça às nações.Não gritará, nem levantará a voz, nem se fará ouvir nas praças; não que-brará a cana fendida, nem apagará a torcida que ainda fumega: proclama-rá fielmente a justiça. Não desfalecerá nem desistirá, enquanto não esta-belecer a justiça na terra, a doutrina que as ilhas longínquas esperam. FuiEu, o Senhor, que te chamei segundo a justiça; tomei-te pela mão, formei-te e fiz de ti a aliança do povo e a luz das nações, para abrires os olhosaos cegos, tirares do cárcere os prisioneiros e da prisão os que habitamnas trevas».Palavra do Senhor.SALMO RESPONSORIAL 28 (29), 1a.2.3ac-4.3b.9b-10 (R. 11b)Refrão: O Senhor abençoará o seu povo na paz.Tributai ao Senhor, filhos de Deus,tributai ao Senhor glória e poder.Tributai ao Senhor a glória do seu nome,adorai o Senhor com ornamentos sagrados.A voz do Senhor ressoa sobre as nuvens,o Senhor está sobre a vastidão das águas.A voz do Senhor é poderosa,a voz do Senhor é majestosa.A majestade de Deus faz ecoar o seu trovão,e no seu templo todos clamam: Glória!Sobre as águas do dilúvio senta-Se o Senhor,o Senhor senta-Se como rei eterno. 7
  8. 8. LEITURA II Actos 10, 34-38 «Deus ungiu-O com o Espírito Santo» Leitura dos Actos dos Apóstolos Naqueles dias, Pedro tomou a palavra e disse: «Na verdade, eu reconheço que Deus não faz acepção de pessoas, mas, em qualquer nação, aquele que O teme e pratica a justiça é-Lhe agradável. Ele enviou a sua palavra aos filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo, que é o Senhor de todos. Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Gali- leia, depois do baptismo que João pregou: Deus ungiu com a força do Esp rito Santo a Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem e curando todos os que eram oprimidos pelo Demónio, porque Deus estava com Ele». Palavra do Senhor. ALELUIA cf. Mc 9, 6 Refrão: Aleluia. Repete-se Abriram-se os céus e ouviu-se a voz do Pai: «Este é o meu Filho muito amado: escutai-O». Refrão EVANGELHO Mt 3, 13-17 «Depois de ter sido baptizado, Jesus viu o Espírito de Deus descer sobre Si» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus Naquele tempo, Jesus chegou da Galileia e veio ter com João Baptista ao Jordão, para ser baptizado por ele. Mas João opunha-se, dizendo: «Eu é que preciso de ser baptizado por Ti, e Tu vens ter comigo?». Jesus respondeu- lhe: «Deixa por agora; convém que assim cumpramos toda a justiça». João deixou então que Ele Se aproximasse. Logo que Jesus foi baptizado, saiu da água. Então, abriram-se os céus e Jesus viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pousar sobre Ele. E uma voz vinda do Céu dizia: «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência». Palavra da salvação.8
  9. 9. DOMINGO II (TEMPO COMUM) (16 de Janeiro de 2011)LEITURA I Is 49, 3.5-6 «Farei de ti a luz das nações, para que sejas a minha salvação»Leitura do Livro de IsaíasDisse-me o Senhor: «Tu és o meu servo, Israel, por quem manifestarei aminha glória». E agora o Senhor falou-me, Ele que me formou desde oseio materno, para fazer de mim o seu servo, a fim de Lhe reconduzirJacob e reunir Israel junto d’Ele. Eu tenho merecimento aos olhos doSenhor, e Deus é a minha força. Ele disse-me então: «Não basta quesejas meu servo, para restaurares as tribos de Jacob e reconduzires ossobreviventes de Israel. Vou fazer de ti a luz das nações, para que aminha salvação chegue até aos confins da terra».Palavra do Senhor.SALMO RESPONSORIAL 39 (40), 2 e 4ab.7-8a.8b-9.10-11ab (R. 8a e 9a)Refrão: Eu venho, Senhor, para fazer a vossa vontade.Esperei no Senhor com toda a confiança,e Ele atendeu-me.Pôs em meus lábios um cântico novo,um hino de louvor ao nosso Deus.Não Vos agradaram sacrifícios nem oblações,mas abristes-me os ouvidos;não pedistes holocaustos nem expiações,então clamei: «Aqui estou».«De mim está escrito no livro da Leique faça a vossa vontade.Assim o quero, ó meu Deus,a vossa lei está no meu coração».Proclamei a justiça na grande assembleia,não fechei os meus lábios, Senhor, bem o sabeis.Não escondi a vossa justiça no fundo do coração,proclamei a vossa fidelidade e salvação. 9
  10. 10. LEITURA II 1 Cor l, 1-3 «A graça e a paz de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo estejam convosco» Início da primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos: Paulo, por vontade de Deus escolhido para Apóstolo de Cristo Jesus, e o irmão Sóstenes, à Igreja de Deus que está em Corinto, aos que foram san- tificados em Cristo Jesus, chamados à santidade, com todos os que invo- cam, em qualquer lugar, o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: A graça e a paz de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo estejam convosco. Palavra do Senhor. ALELUIA Jo 1, 14a.12a Refrão: Aleluia. Repete-se O Verbo fez-Se carne e habitou entre nós. Àqueles que O receberam deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus. Refrão EVANGELHO Jo 1, 29-34 «Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Naquele tempo, João Baptista viu Jesus, que vinha ao seu encontro, e exclamou: «Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. É d’Ele que eu dizia: ‘Depois de mim vem um homem, que passou à minha frente, porque era antes de mim’. Eu não O conhecia, mas foi para Ele Se mani- festar a Israel que eu vim baptizar na água». João deu mais este testemu- nho: «Eu vi o Espírito Santo descer do Céu como uma pomba e permane- cer sobre Ele. Eu não O conhecia, mas quem me enviou a baptizar na água é que me disse: ‘Aquele sobre quem vires o Espírito Santo descer e perma- necer é que baptiza no Espírito Santo’. Ora, eu vi e dou testemunho de que Ele é o Filho de Deus». Palavra da salvação.10
  11. 11. DOMINGO III (TEMPO COMUM) (23 de Janeiro de 2011)LEITURA I Is 8, 23b – 9, 3 (9, 1-4) Na Galileia dos gentios o povo viu uma grande luzLeitura do Livro de IsaíasAssim como no tempo passado foi humilhada a terra de Zabulão e deNeftali, também no futuro será coberto de glória o caminho do mar, oAlém do Jordão, a Galileia dos gentios. O povo que andava nas tre-vas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam nas sombras damorte uma luz se levantou. Multiplicastes a sua alegria, aumentasteso seu contentamento. Rejubilam na vossa presença, como os que sealegram no tempo da colheita, como exultam os que repartem depojos. Vós quebrastes, como no dia de Madiã, o jugo que pesavasobre o povo, o madeiro que ele tinha sobre os ombros e o bastão doopressor.Palavra do Senhor.SALMO RESPONSORIAL 26 (27), 1.4.13-14 (R. 1a)Refrão: O Senhor é minha luz e salvação.Ou: O Senhor me ilumina e me salva.O Senhor é minha luz e salvação:a quem hei-de temer?O Senhor é protector da minha vida:de quem hei-de ter medo?Uma coisa peço ao Senhor, por ela anseio:habitar na casa do Senhor todos os dias da minha vida,para gozar da suavidade do Senhore visitar o seu santuário.Espero vir a contemplar a bondade do Senhorna terra dos vivos.Confia no Senhor, sê forte.Tem coragem e confia no Senhor. 11
  12. 12. LEITURA II 1 Cor 1, 10-13.17 «Falai todos a mesma linguagem e não haja divisões» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos: Rogo-vos, pelo nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mes- ma linguagem e que não haja divisões entre vós, permanecendo bem uni- dos, no mesmo pensar e no mesmo agir. Eu soube, meus irmãos, pela gen- te de Cloé, que há divisões entre vós, que há entre vós quem diga: «Eu sou de Paulo», «eu de Apolo», «eu de Pedro», «eu de Cristo». Estará Cristo divi- dido? Porventura Paulo foi crucificado por vós? Foi em nome de Paulo que recebestes o Baptismo? Na verdade, Cristo não me enviou para baptizar, ma para anunciar o Evangelho; não, porém, com sabedoria de palavras, a fim de não desvirtuar a cruz de Cristo. Palavra do Senhor. ALELUIA Cf. Mt 4, 23 Refrão: Aleluia. Repete-se Jesus proclamava o Evangelho do reino e curava todas as doenças entre o povo. Refrão EVANGELHO Forma breve Mt 4, 12-17 «Foi para Cafarnaum, a fim de se cumprir o que anunciara o profeta Isaías» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus Quando Jesus ouviu dizer que João Baptista fora preso, retirou-Se para a Galileia. Deixou Nazaré e foi habitar em Cafarnaum, terra à beira-mar, no território de Zabulão e Neftali. Assim se cumpria o que o profeta Isaías anunciara, ao dizer: «Terra de Zabulão e terra de Neftali, caminho do mar, além do Jordão, Galileia dos gentios: o povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam na sombria região da morte uma luz se levantou». Desde então, Jesus começou a pregar: «Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos Céus». Palavra da salvação.12
  13. 13. DOMINGO IV (TEMPO COMUM) (30 de Janeiro de 2011)LEITURA I Sof 2, 3; 3, 12-13 «Deixarei ficar no meio de ti um povo pobre e humilde»Leitura da Profecia de SofoniasProcurai o Senhor, vós todos os humildes da terra, que obedeceis aosseus mandamentos. Procurai a justiça, procurai a humildade; talvezencontreis protecção no dia da ira do Senhor. Só deixarei ficar nomeio de ti um povo pobre e humilde, que buscará refúgio no nome doSenhor. O resto de Israel não voltará a cometer injustiças, não torna-rá a dizer mentiras, nem mais se encontrará na sua boca uma línguaenganadora. Por isso, terão pastagem e repouso, sem ninguém queos perturbe.Palavra do Senhor.SALMO RESPONSORIAL 145(146),7.8-9a.9bc-10(R.Mt5,3ou Aleluia)Refrão: Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos Céus.Ou: Aleluia.O Senhor faz justiça aos oprimidos,dá pão aos que têm fomee a liberdade aos cativos.O Senhor ilumina os olhos dos cegos,o Senhor levanta os abatidos,o Senhor ama os justos.O Senhor protege os peregrinos,ampara o órfão e a viúvae entrava o caminho aos pecadores.O Senhor reina eternamente.O teu Deus, ó Sião,é rei por todas as gerações. 13
  14. 14. LEITURA II 1 Cor 1, 26-31 «Deus escolheu o que é fraco aos olhos do mundo» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos: Vede quem sois vós, os que Deus chamou: não há muitos sábios, naturalmente falando, nem muitos influentes, nem muitos bem-nascidos. Mas Deus escolheu o que é louco aos olhos do mundo, para confundir os sábios; escolheu o que é fra- co, para confundir o forte; escolheu o que é vil e desprezível, o que nada vale aos olhos do mundo, para reduzir a nada aquilo que vale, a fim de que nenhuma cria- tura se possa gloriar diante de Deus. É por Ele que vós estais em Cristo Jesus, o qual Se tornou para nós sabedoria de Deus, justiça, santidade e redenção. Deste modo, conforme está escrito, «quem se gloria deve gloriar-se no Senhor». Palavra do Senhor. ALELUIA Mt 5, 12a Refrão: Aleluia. Repete-se Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa. Refrão EVANGELHO Mt 5, 1-12a «Bem-aventurados os pobres em espírito» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus Naquele tempo, ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte e sentou-Se. Rodea- ram-n’O os discípulos, e Ele começou a ensiná-los, dizendo: «Bem aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos Céus. Bem aventurados os humildes, porque possuirão a terra. Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão miseri- córdia. Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus. Bem- aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus. Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça, porque deles é o reino dos Céus. Bem-aventurados sereis, quando, por minha causa, vos insulta- rem, vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós. Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa». Palavra da salvação.14
  15. 15. Os três Reis Magos Após o nascimento de Jesus, segundo o Evangelho de São Mateus,surgem os Reis Magos provenientes do Oriente, que o visitaram emBelém guiados por uma estrela. Esta denominação de «Mago», tem conotação de sapiência entreos Orientais ou designa ainda astrólogos, deduzindo-se inicialmenteque seriam Astrólogos eruditos. Isto pensa-se por se contar que terãoavistado uma estrela que os terá guiado até onde Jesus nasceu. Terãochegado até Cristo a 6 de Janeiro, data que actualmente se comemorao «Dia de Reis». O nome de «Reis» fora colocado com base na aplicação liberal doSalmo 71,10 realizada pela Igreja. Não há informação de quantos seriame os seus nomes, existem sim apenas suposições e algumas pinturas dosprimeiros séculos, aparecendo dois, quatro e doze «Magos». Após o Evangelho terão sido atribuídos os nomes dos «Reis»; Bal-tasar, representante da raça africana ; Belchior, representante da raçaeuropeia e Gaspar que representava a raça asiática, representandotodas as raças conhecidas até à data, simbolizando a homenagem detodos os Homens da Terra a Jesus. Pelo número de prendas deduziu-se quantos seriam, pois oferece-ram três presentes, ouro (Belchior), incenso (Gaspar) e mirra (Baltasar).As prendas têm uma simbologia, pois o ouro era somente oferecido aReis, perfazendo a sua nobreza; o incenso, representa a divindade e amirra, simboliza Jesus como Homem e o sofrimento que iria ter ao longoda sua vida. Sendo países tradicionalmente católicos, Espanha e Itália são ospaíses que maior importância e simbolismo atribuem a esta tradição.As crianças espanholas e italianas celebram o Natal como todas as outrasmas têm de esperar pelo dia de Reis, 6 de Janeiro, para receber as tãodesejadas prendas. 15
  16. 16. Ofertas para o restauro do telhado da Igreja Matriz Nome Localidade Quantia Transporte do mês anterior 9.640,00€ António Campos Costa Mioma 100,00€ Daniel Fernandes Gouveia(sacristão) Mioma 50,00€ Manuel Lopes Marinho (2.ªvez) Mioma 25,00€ Maria do Céu Silva Roque Mioma 30,00€ Armando Rodrigues Figueiredo Meã 100,00€ José Rodrigues de Sousa Lages 10,00€ Maria da Conceição R.S.Loureiro Lages 25,00€ Marcelino Fernandes da Fonseca Lages 20,00€ ta António Figueiredo Oliva Q. do Monte 20,00€ ta António Reis Oliva Q. do Monte 20,00€ João Rodrigues Afonsim 20,00€ Anónimo (Mioma) 300,00€ Anónimo 50,00€ Anónimo 40,00€ Anónimo 20,00€ Anónimo 10,00€ Errata: No mês de Novembro onde se lê Fernando Oliveira Machado,deve ler-se Fernando Machado Oliveira Total de Dezembro 840,00€ Trasporte para o mês seguinte 10.480,00 €16
  17. 17. A Voz do Conselho Económico Publicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de Novembro de 2010 Receita Despesas Dia/Evento Evento MontanteOfertórios Dominicais 438,57 € Vencimento do Pároco 600,00 €Missas Plurintencionais 725,20 € Evangelização 36,00 €Casamento 30,00 €Funeral 30,00 €Azeitona do Adro da Igreja 20,00 €Catecimos do 2.º Ano 55,00 €TOTAL 1.298,77€ 636,00 € Saldo (receita - despesa) 662,77 €Contributos a entregar na Diocese:• Missas Plurintencionais : 362,60 €• Para os Seminários 80,52 €Total a entregar : 443,12 €SALDO REAL = 219,12 € BANCO ALIMENTARA campanha de recolha de alimentos levada a cabo pelo Banco Alimen-tar Contra a Fome, de Viseu, nos dias 27 e 28 de Novembro, rendeu110 toneladas de alimentos. A recolha foi realizada na quase totalidade dos concelhos do Distrito erepresenta um acréscimo de 43%, em relação à campanha anterior. Os alimentos provenientes desta campanha irão ser entregues a mais de60 instituições apoiadas pelo Banco Alimentar de Viseu. Mensalmente, os géne-ros alimentares são-lhes enviados e, em forma de refeições confeccionadas, ouem forma de cabazes, estas instituições fazem-nos chegar a 4.000 beneficiá-rios carenciados. Em 28 e 29 de Maio de 2011, o Banco Alimentar Contra a Fome faránova recolha de alimentos, contando sempre com a generosidade daqueles quegostam de ajudar, repartindo com quem tem mais necessidades. E o alimentoé necessidade básica. 17
  18. 18. Bolo Rei Ingredientes: • 750 g de farinha • 30 g de fermento de padeiro • 150 g de margarina • 150 g de açúcar • 150 g de frutas cristalizadas • 150 g de frutos secas • 4 ovos • raspa de 1 limão • raspa de 1 laranja • 1 decilitro de vinho do Porto • 1 colher de sobremesa de sal • 1 brinde • 1 fava Confecção: Pique as frutas e deixe-as a macerar com o vinho do Porto (deixe algumas inteiras para enfeitar). Dissolva o fermento de padeiro em 1 decilitro de água morna, junte a 1 chávena de farinha e deixe a levedar em ambiente temperado durante 15 minutos. Entretanto bata a margarina, o açúcar, e as raspas de limão e laranja, junte os ovos (batendo um a um), e a massa de fermento. Quando tudo estiver bem ligado adicione o resto da farinha e o sal. Amasse até ficar elástica e macia e misture as frutas. Molde a massa numa bola, polvilhe com farinha e tape a massa com um pano, deixando levedar num ambiente temperado durante 5 horas. Depois da massa dobrar o volume, ponha sobre um tabuleiro e faça-lhe um buraco no meio. Introduza o brinde (embrulhado em papel vegetal) e a fava, e deixe levedar mais uma hora. Pincele o bolo com gema de ovo, enfeite com frutas cristalizadas inteiras, torrões de açúcar, pinhões, meias-nozes, etc, e leve a cozer em forno bem quente. Depois de cozido, pincele o bolo-rei com geleia diluída num pouco de água quente. Nota: O próximo a fazer o bolo-rei (ou a comprar), é o que tiver a fava na fatia.18
  19. 19. SUDOKU JOGO DAS DIFERÊNÇAS(Descobre as 9 diferenças entre as imagens) 19
  20. 20. 2011 = Lua cheia = Lua nova = Quarto crescente = Quarto Minguante Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro. Com a colaboração do JES jesmioma@hotmail.com20

×