SAMU MACRO NORTE
SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA
DA MACRORREGIÃO NORTE DE MINAS
SAMU Macro Norte
nas Redes Sociais
Jerúsia Arruda
Assessoria de Comunicação Social
Montes Claros, 22 de novembro de 2013.
Comunicação Pública em Saúde
– A Comunicação tem caráter estratégico na
gestão da Saúde e a oferta de Informação
Qualifica...
Comunicação Pública em Saúde
– Produzir conteúdos que valorizem as ações e os
resultados obtidos,
– Promover e educar para...
• Tendência histórica de escandalização de tema.
Fato relevante
ocorre.
Imprensa corre
para divulgar.
Cidadãos ficam
infor...
Fato
relevante
ocorre.
A Imprensa corre
para divulgar.
Cidadãos
descobrem e
iniciam a corrida
para propagá-lo.
Efeito tele...
Comunicação SAMU Macro Norte
– Especificidade do serviço;
– Verticalização,
– Quem “pode” falar.
“Rede social é gente, é interação,
é troca social”
Redes Sociais
(Raquel Recuero)
SAMU nas Redes Sociais
SAMU nas Redes Sociais
SAMU nas Redes Sociais
Discursos indicados
• Tonalidade oficial: Tudo o que aparecer nos perfis
oficiais, sejam quais forem as redes, deve ser
co...
Diretrizes editoriais
• Utilize conteúdos simples, fáceis, diretos e com a
menor extensão possível. Em outras palavras,
pu...
Informações
relevantes, mas
simples de serem
entendidas.
Relacionamento com o usuário
• É preciso estar preparado:
– Os próprios servidores públicos podem falar
mais do que devem;...
Relacionamento com o usuário
• Práticas recomendadas :
– Modere comentários negativos de usuários apenas quando as
crítica...
Relacionamento com o usuário
• Práticas recomendadas :
– Se estiver errado, peça desculpas.
– Sempre agradeça críticas, su...
O relacionamento com o usuário não deve
jamais ser encarado como uma prática apenas
para combater eventuais crises. De man...
Gestor do perfil
– O Gestor de Comunidades deverá ser uma
personagem fictícia, desta forma, se conseguirá
criar uma person...
Réguas de Compartilhamento
– De forma geral, todo conteúdo no site oficial
deve ser passível de socialização, devendo
carr...
Ações de ativação
– As ações de ativação de determinadas
campanhas ou programas relacionados à
instituição devem sempre in...
Monitoramento
– O monitoramento deve ser feito sempre, mas
principalmente quando uma crise estiver em vigor. Em alguns
cas...
“É preciso diminuir a distância
entre o que se diz e o que se faz,
até que, num dado momento, a
sua fala seja a sua prátic...
Obrigada!
Jerúsia Arruda
Assessoria de Comunicação Social
SAMU Macro Norte
E-mail: jerusia@gmail.com
Telefone: (38) 9904-3...
Samu nas redes sociais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Samu nas redes sociais

279 visualizações

Publicada em

Palestra apresentada pela jornalista Jerúsia Arruda, assessora de comunicação social do SAMU Macro Norte, em 2013, durante a Semana da Comunicação, em seminário promovido pelo curso de Jornalismo das Faculdades Integradas Funorte, em Montes Claros. O objetivo foi discutir com os acadêmicos as melhores práticas no uso das redes sociais na comunicação pública, orientando na geração de conteúdo, interação com o usuário e atuação em casos de crise.

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
279
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Samu nas redes sociais

  1. 1. SAMU MACRO NORTE SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA DA MACRORREGIÃO NORTE DE MINAS
  2. 2. SAMU Macro Norte nas Redes Sociais Jerúsia Arruda Assessoria de Comunicação Social Montes Claros, 22 de novembro de 2013.
  3. 3. Comunicação Pública em Saúde – A Comunicação tem caráter estratégico na gestão da Saúde e a oferta de Informação Qualificada é essencial na política de promoção e prevenção no Sistema Único de Saúde. – É preciso superar a visão simplista da comunicação como um processo de transmissão de informação, o que o limita apenas às figuras do emissor para o receptor.
  4. 4. Comunicação Pública em Saúde – Produzir conteúdos que valorizem as ações e os resultados obtidos, – Promover e educar para a saúde; – Mobilizar as pessoas para práticas e comportamentos saudáveis; – A lógica da mídia comercial compromete e às vezes até atrapalha o alcance dessas políticas - de forma intencional ou não.
  5. 5. • Tendência histórica de escandalização de tema. Fato relevante ocorre. Imprensa corre para divulgar. Cidadãos ficam informados de forma direta (via mídia) ou indireta (via outros cidadãos). Desafio Modelo tradicional de formação de opinião FONTE: Manual de orientação para atuação em Redes Sociais / SECOM GOVERNO FEDERAL
  6. 6. Fato relevante ocorre. A Imprensa corre para divulgar. Cidadãos descobrem e iniciam a corrida para propagá-lo. Efeito telefone sem fio. Fato vira o que for mais propagado (e não necessariamente a realidade). • Expansão viral das notícias. Desafio FONTE: Manual de orientação para atuação em Redes Sociais / SECOM GOVERNO FEDERAL Processo contemporâneo de formação de opinião
  7. 7. Comunicação SAMU Macro Norte – Especificidade do serviço; – Verticalização, – Quem “pode” falar.
  8. 8. “Rede social é gente, é interação, é troca social” Redes Sociais (Raquel Recuero)
  9. 9. SAMU nas Redes Sociais
  10. 10. SAMU nas Redes Sociais
  11. 11. SAMU nas Redes Sociais
  12. 12. Discursos indicados • Tonalidade oficial: Tudo o que aparecer nos perfis oficiais, sejam quais forem as redes, deve ser considerado como verdade inconteste (a não ser que apontado como conteúdo enviado pelo usuário). • Proximidade: O conteúdo precisa ser feito para leigos, evitando-se termos inerentes à linguagem jurídica, dura.
  13. 13. Diretrizes editoriais • Utilize conteúdos simples, fáceis, diretos e com a menor extensão possível. Em outras palavras, publicar em mídias sociais deve privilegiar a simplicidade, e não a complexidade. • “Ser simples”, no entanto, não pode ser confundido com transmitir informações pela metade ou utilizando um tipo de linguagem excessivamente íntimo com o usuário.
  14. 14. Informações relevantes, mas simples de serem entendidas.
  15. 15. Relacionamento com o usuário • É preciso estar preparado: – Os próprios servidores públicos podem falar mais do que devem; – Alguém pode “inventar” ou “aumentar” algum problema e a instituição será possivelmente encarada como culpada.
  16. 16. Relacionamento com o usuário • Práticas recomendadas : – Modere comentários negativos de usuários apenas quando as críticas contiverem insultos pessoais a funcionários ou clientes ou quando o conteúdo for ilegal ou que fira, de maneira aberta, a credos ou raças – caso contrário, mantenha os comentários visíveis e, na medida do possível, responda-os. – Convide usuários com problemas a conversas privadas, buscando resolver cada uma de suas questões fora de ambientes públicos. – Seja sempre agradecido pela participação, com postura educada e evitando utilizar qualquer tipo de tonalidade jurídica.
  17. 17. Relacionamento com o usuário • Práticas recomendadas : – Se estiver errado, peça desculpas. – Sempre agradeça críticas, sugestões ou comentários – Lembre-se: É importante ter claro que quase nunca se está falando com apenas um usuário, mas que se está dialogando com ele em frente a uma plateia composta potencialmente de milhares de outros usuários.
  18. 18. O relacionamento com o usuário não deve jamais ser encarado como uma prática apenas para combater eventuais crises. De maneira geral, este item é essencial para manter a imagem de sua instituição o suficiente para que os próprios usuários tomem a iniciativa de agir como “primeira barreira de defesa”.
  19. 19. Gestor do perfil – O Gestor de Comunidades deverá ser uma personagem fictícia, desta forma, se conseguirá criar uma personalidade mais tangível para o público sem se correr o risco de vincular a imagem da marca a um servidor real (que pode eventualmente se desligar da instituição, o que levaria à perda do patrimônio de relacionamento criado).
  20. 20. Réguas de Compartilhamento – De forma geral, todo conteúdo no site oficial deve ser passível de socialização, devendo carregar, para tanto, uma régua de compartilhamento padrão. O link para a matéria será compartilhada em seu perfil, aumentando a audiência para o conteúdo.
  21. 21. Ações de ativação – As ações de ativação de determinadas campanhas ou programas relacionados à instituição devem sempre incluir as redes sociais. – Não se deve criar novos perfis em redes sociais exclusivamente para campanhas. – Os alvos de todas as campanhas devem ser trabalhados em seus perfis sociais, mesmo que, para isso, seja necessário se inserir abas ou construir aplicações no Facebook .
  22. 22. Monitoramento – O monitoramento deve ser feito sempre, mas principalmente quando uma crise estiver em vigor. Em alguns casos, no entanto, monitorar deve ser também a única atitude a ser tomada, quando ficar claro que qualquer reação terá como efeito único o aumento da crise em si. – A reação pública a uma determinada situação acabará fazendo com que a base de seguidores e fãs de uma marca, possivelmente desconhecedores da situação, acabe tomando ciência dela. Um dos efeitos colaterais de se reagir publicamente a qualquer crise é divulgar a sua existência e ampliar seu potencial viral. – Conversão / Visualização
  23. 23. “É preciso diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, até que, num dado momento, a sua fala seja a sua prática”. Paulo Freire
  24. 24. Obrigada! Jerúsia Arruda Assessoria de Comunicação Social SAMU Macro Norte E-mail: jerusia@gmail.com Telefone: (38) 9904-3014

×