Arquitectura suméria

753 visualizações

Publicada em

Este é um artigo académico destinado aos estudantes da disciplina de história.

Publicada em: Ciências
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Arquitectura suméria

  1. 1. UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ARQUITECTURA E PLANEAMENTO FÍSICO AS GRANDES CIVILIZAÇÕES Arquitectura Suméria HISTÓRIA DE ARQUITECTURA I Estudante: Jeremias Aminosse Docente: Jorge Campos MAPUTO 2015
  2. 2. ARQUITECTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUMÉRIASUMÉRIA ARQUITECTURATECTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUMÉRIA ARQUITEC RQUITECTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUMÉURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUMÉRIAARQUITEC ARQUITECTURA SUMÉRIAARQU MÉRIA UITECTURA SUMÉRIAARQUITECTUR ARQUITECTURA SUMÉ ARQUITECTU ARQUITECTURAUITECTURA SUMÉRIA QUITECTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SECTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUMÉRIA ECTURA SUMÉRIAARQUITECTURA S TURA SUMÉRIAARQUITECTURA SUM ARQUITECTURA SUMÉRIA UITECTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUMÉ QUITECTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUM TECTURA SUMÉRIA CTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUMÉRIA ITECTURA SUMÉRIAARQUITECTURA ARQUITECTURA SUMÉRIA ARQUITECTURA SUMÉRIA RQUITECTURA SUMÉRIA ARQUITECTUR ARQUITECTURA ARQUITECTUR URA SUMÉRIA ARQUITECTU UMÉRIA ARQUITECTUR
  3. 3. ÍNDICE 1. Prefácio 2. Localização geográfica da Suméria 3. Breve historial da Suméria 4. ARQUITECTURA SUMÉRIA 4.1. O zigurate 4.1.1. Funcionalidade 4.1.2. Forma 4.1.3. Material de construção 4.2. Outras edificações sumérias 5. Mini-vocabulário 6. Considerações finais 7. Bibliografia
  4. 4. 1.PREFÁCIO Os primeiros habitantes da Mesopotâmia viviam em tribos de origem *semitas. Mais tarde chegaram os elamitas. Não se sabe muito sobre os elamitas. Mas acredita-se que por volta de 3500 a.c. eles foram dominados por outro povo, os sumérios. É exactamente acerca deste povo, os sumérios, do Medio Oriente, mais precisamente na Mesopotâmia, que abordar-se-á neste documento, dando mais ênfase a sua arquitectura. O documento contém um anexo de mini-vocabulário, que auxiliará na compreensão de alguns termos usados neste. O mini-vocabulário contém os significados das palavras que estão sinalizados pelo símbolo de asterisco (*).
  5. 5. 2. Localização geográfica da Suméria Suméria foi uma região histórica situada no Sul da Mesopotâmia (entre os rios Tigre e Eufrates), o actual Sul de Iraque e Kuwait. A área da Mesopotâmia, sendo cercada po cadeias montanhosas ao Norte e a Oeste, pelo Golfo Pérsico ao Sudoeste, e pelo deserto da Síria a Sul e a Leste, se tornava um local protegido contra invasão de outros povos. Os rios Tigre e Eufrates tornavam a terra fértil sem depender da chuva. Fig. 1- Suméria HISTÓRIA DE ARQUITECTURA I Arquitectura Suméria Fig. 2 - Mesopotâmia ARQUITECTURA SUMÉRIA
  6. 6. 3. Breve historial da Suméria No início do século XX, mesmo os grandes estudioso não conheciam povo sumério. Em 1905, com a publicação da obra do grande *assiriólogo francês Thureau-Dangin, não restou dúvida alguma de que houve de facto uma brilhante civilização no local, que era desconhecida até então que tomou o nome de suméria. Essa descoberta veio confirmar a influência dessa civilização dos povos que tiveram contactos com eles, nas áreas da escrita, religiões, artes, cultura, ciências, comércio, agricultura, arquitectura, leis e esses povos copiaram o que os sumérios tinham de melhor, pois foi a primeira e a mais brilhante civilização da antiguidade. Habitaram na Mesopotâmia entre os anos 4000 a.c a 2000 a.C. Os sumérios foram responsáveis pelo surgimento dos primeiros templos e palácios monumentais e pela fundação das primeiras *cidades-estados como Ur, Uruk, Lagash, Eridu, entre outros. Uma enorme contrubuição cultural dos sumérios na história da humanidade foi a criação de um sistema de escrita, a *escrita cuneiforme, por volta de 3500 a. C. Fig. 3 – Escrita cuneiforme
  7. 7. 4. ARQUITECTURA SUMÉRIA A planície Tigre-Eufrates carecia de minerais e árvores. As edificações sumérias compreendiam estruturas planoconvexas feitas de tijolos de barro (tijolo burro), desprovidas de argamassa ou cimento. Uma vez que os tijolos planoconvexos são de composição relativamente instável, os pedreiros sumerianos adicionavam mão extras de tijolo, postos perpendicularmente a cada poucas fileiras. Aí então preenchiam as lacunas com betume, *engaço, cana e *cizânias. Construções feitas com tijolos de barro, entretanto, acabavam deteriorando-se, de forma que eram periodicamente destruídas, niveladas e reconstruidas no mesmo lugar. Essa constante reconstrução gradualmente elevou o nível das cidades, de modo que se ergueram acima da planície a sua volta. Os aterros resultantes são encontrados através do *antigo Oriente Próximo. Fig. 4 – Edificações sumérias com estruturas planoconvexas Fig. 5 - Tijolos de barro
  8. 8. 4.1. O zigurate O tipo mais famoso e impressionante dentre as edificações sumérias chamam-se ZIGURATE, uma edificação de largas amplas plataformas sobre postas cujo topo encontravam-se templos. Deriva-se do assírio, ziqqutaru que significa "topo da montanha" Esse maciço edifício de celsa estatura pode ter sido inspiração para a *Torre de Babel bíblica. Fig. 6 – Exemplo de um zigurate 4.1.1 Funcionalidade O Zigurate é uma construção arquitectónica de carácter religioso, pois os sumérios acreditavam que os deuses estariam mais perto da sociedade, razão pela qual cada cidade adorava seu próprio deus ou deusa. Além disso, apenas aos sacerdotes era permitida a entrada ao zigurate e, era deles a responsabilidade de cuidar da adoração aos deuses e fazer com que atendessem as necessidades da comunidade. Além disso, os zigurates servia também como armazém de produtos agrícolas, moradia de governantes, biblioteca e servia para a observação do céu e das estrelas e dos níveis das enchentes dos rios Tigre e Eufrates.
  9. 9. 1. Escadarias - levam directa ou indirectamente ao templo. 2. Contrafortes - servem para reforçar as paredes do zigurate. 3. Portão – antecâmera do *pináculo. 4. Buracos laterais – permitiam qua a água do interior evaporasse. 5. Drenos – serviam para retirar a água da chuva empossada. 6. Terraço – área plana coberta por tijolos. 7. Templo – onde eram realizados os rituais e culto dos deuses. Fig.10 - Representação do corte Fig.8 - Vista frontal Fig.9 – Vista superior areia Fig. 7 - Funções
  10. 10. 4.1.2. Forma O formato era de vários andares construídos um sobre o outro, com o diferencial de cada andar possuir área menor que a plataforma inferior sobre o qual foi construído. As plataforma variam de 2 a 7 andares. Santuário consagrado 3ª plataforma 2ª plataforma 1ª plataforma AcessoFig. 12 – Elementos de um zigurate 4.1.3. Material de construção O centro do zigurate era feito de tijolos queimados, muito mais resistentes, enquanto o exterior da construção mostrava adornos de tijolos cozidos ao sol, mais fáceis de serem produzidos, porem menos resistentes. Os *adornos normalmente eram envidraçados em cores diferentes, possivelmente contendo significação cosmológica. Fig. 13 - Tijolos de um zigurate
  11. 11. Um exemplo de um zigurate mais simples é o do Templo Branco de Uruk, que deve ter sido construído por volta de 400-300 a. C. O gigantesco zigurate media 64 metros de comprimento, 46 de largura e mais de 30 de altura. Selos cilíndricos sumerianos também descrevem casas construídas com cana, similares aquelas construídas pelos árabes das terras baixas da parte sul do Iraque até aos anos recentes. Fig. 16 - Mudhif ( Iraque) O zigurate de Ur, de século XXI a.C. (Também conhecido como Grande zigurate de Ur ). 5. OUTRAS EDIFICAÇÕES SUMÉRIAS Por outro lado, templos sumérios e palácios fizeram uso de materiais e técnicas mais avançadas como reforços (suporte para os tijolos), recessos (equipas), *pilastras e pregos de argila. Fig. 14 – Templo Branco de Uruk Fig. 15 – Zigurate de Ur
  12. 12. 5. MINI-VOCABULÁRIO *Semitas – provém do hebraico ‘’ Sem’’. Descendentes de Sem, filho mais velho Noé. Grupo de povos pastores nómados oriundos do Oriente próximo, que falavam a língua semita. Principais povos semitas: acadianos (caldeus e babilónicos), assírios, amoreus, arameus, fenícias, árabes, hebreus (judeus), etíopes e ugaríticos. *Escrita cuneiforme – sistema de escrita. Ideogramas, ou seja, símbolos que representam ideias e objectos que eram cunhados em blocos de argila, daí o nome cuneiforme. *Betume – massa artificial composta de pez, cal e outros ingredientes, utilizada para tapar juntas nas paredes. *Engaço – instrumento agrícola em forma de pente grande, usado para juntar estrumes, ervas; ancinho. *Cinzânia – nome femenino de joio. Planta que se desenvolve espontaneamente e com frequência nas searas, prejudicando o resultado destas culturas através dos seus frutos, que não sendo fáceis separar de outros sereais (especiamente do trigo). *Antigo Oriente Próximo – Ásia Ocidental ou Antigo Oriente. Refere-se a região geográfica que abrange diferentes do Sudoeste Asiático. Usado em contextos arqueológicos, históricos e geográficos, compreende
  13. 13. *Torre de Babel - zigurate construídopelos babilónicos. *Adornos – o que embeleza ou dá aspeto mais atraente, enfeite, ornamento, aparato. *Pilastras – pilar de quatro faces, isoladas ou em parte, aderentes a uma parede. *Pináculo - parte mais elevada de um edifício ou de um monte; parte superior de certos edifícios; cúpula; parte mais elevada de uma torre; coruchéu. *cidade-estado - cidade independente, com governo próprio e autónomo. *assiriólogo - aquele se se dedica à assiriologia. Assiriologia é o estudo arqueológico, histórico e linguístico da antiga Mesopotâmia e das culturas relacionadas a este território e que se utilizavam da escrita cuneiforme. a região de Ásia próximo do Mar Mediterrâneo,a Oeste do rio Eufrates incluindo Síria, Líbano, Israel, Plestina e Iraque.
  14. 14. 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS Aquando da dissertação do trabalho constata- se que, dum ponto de vista geral, a Arquitectura Suméria não estava somente ligada a religião, estava associada também a agricultura e a investigação (astronomia). O material mais usado nas edificações suméria é o tijolo de barro, pois a planície Tigre-Eufrates carecia de minerais e árvores. A arquitectura deste povo influenciou, duma forma significante, a arquitectura de outros que os sucederam , como os babilónicos, os caldeus e os assírios e outros povos.
  15. 15. 7. BIBLIOGRAFIA  pt.wikipedia.org/wiki/Sum%25C3%25ª9ria;  NHAMPULE, Tereza, MAVIE, Ana Maria, Historia 8ª classe, plural editores, Maputo, 2013, pags. 60-63;  imagohistoria.blogspot.com/2011/03/antiguidade_oriental _5_de_8_mesopotamia.html;  pt.m.wikipedia.org/wiki/zigurate_de_ur;  pt.wikipedia.org/wiki/Historia_da_Humanidade/Mesopota mia;  https://oldcivilizations.wordpress.com/2010/09/29/%C2% BFcuando-volveran-los-%E2%80%9Cdioses%E2%80%9D- de-sumer-introduccion/  http://www.ehowenespanol.com/tipos-templos-sumerios- info_224554/;  www.infopedia.pt/dicionario/lingua-portuguesa;  Umolharsobreaarte.blogs.sapo.pt/tag/arte+sumeria;  www.suggestkeyworld;  http://www.slideshare.net/ssclasstorremar/10-sumerian- achievements?related=1

×