SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
NÃO CLASSIFICADO
GABINETE DO DIRETOR DE INTELIGÊNCIA NACIONAL (ODNI)
Relatório Anual de 2022 sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados
NÃO CLASSIFICADO
Índice
SUMÁRIO EXECUTIVO ................................................................................... 2
ESCOPO E
PREMISSAS.................................................................................................... 3
Alcance ........................................................................................................... 3
Suposições....................................................................................................... 3
MUDANÇAS GOVERNAMENTAIS PARA GERENCIAR QUESTÕES DE FENÔMENOS
AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS (UAP)............................................................. 4
Estabelecimento do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios
(AARO)......................................................................................................... 4
Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em coordenação com o Escritório
de resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e parceiros de várias agências,
buscando oportunidades para Auxiliar na coleta, geração de relatórios e análise de
incidentes de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) em todo o IC.................. 4
RELATÓRIOS CONTÍNUOS E ANÁLISES ROBUSTAS ESTÃO FORNECENDO
MELHOR FIDELIDADE EM EVENTOS DE FENÔMENOS AÉREOS NÃO
IDENTIFICADOS (UAP), MAS MUITOS CASOS PERMANECEM SEM
RESOLUÇÃO................................................................................................ 5
Relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)....................................... 5
Parcerias e Colaborações .............................. .................................................... 5
Preocupações de segurança de voo e implicações para a saúde ............................... 6
RESUMO E CAMINHO À FRENTE ...................................................................... 7
APÊNDICE A: RELATÓRIO ANUAL SOBRE FENÔMENOS AÉREOS NÃO
IDENTIFICADOS (UAP)—FY 2022 NDAA ......................................................... 8
APÊNDICE B: ESTABELECIMENTO DO ESCRITÓRIO E DEVERES DO ESCRITÓRIO
DE RESOLUÇÃO DE ANOMALIAS DE TODOS OS DOMÍNIOS (AARO) - FY 2022
NDAA.. 10
APÊNDICE C: ÍNDICE DE TERMOS-CHAVE ...................................................... 11
1
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
SUMÁRIO EXECUTIVO
A notificação de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) está aumentando,
permitindo uma maior consciência do espaço aéreo e maior oportunidade para resolver
eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Em adição a 144 relatórios de
Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) cobertos durante os 17 anos de relatórios de
Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) incluídos no Gabinete de Avaliação
preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI), houve 247 novos
relatórios e outros 119 que foram descobertos desde então ou relatados após o
preliminar período de avaliação. Isso totaliza 510 relatórios de Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP) em 30 de agosto de 2022. Informações adicionais são fornecidas na
versão classificada deste relatório.
Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e Gabinete do
Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) avaliam que o aumento observado na taxa de
reporte de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) é parcialmente devido a um
melhor entendimento das possíveis ameaças que os Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP) podem representar, seja como segurança de perigos de voo ou
como plataformas de coleta adversárias em potencial e parcialmente devido à redução
do estigma em torno do relatório de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Esse
aumento de relatórios permite mais oportunidades de inscrição análise rigorosa e
resolver eventos.
O estabelecimento da Resolução de Anomalias de Todos os Domínios do Departamento
de Defesa (DoD), Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO)
deve facilitar esforços de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) mais coordenados,
resultando em maior atribuição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Embora
os dados limitados sobre o Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) continuem a ser
um desafio, o estabelecimento do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os
Domínios (AARO) com seu amplo escopo de autoridades e responsabilidades, e sua
substituição da Força-Tarefa de Fenômenos Aéreos Não identificados (UAPTF) -
permitirá maior coordenação de esforços contra o conjunto de problemas Fenômenos
Aéreos Não Identificados (UAP). As autoridades do Escritório de Resolução de Anomalias
de Todos os Domínios (AARO) garantem que a detecção e identificação de Fenômenos
Aéreos Não Identificados (UAP) os esforços abrangerão o DoD e parceiros interagências
relevantes, bem como o Departamento de Inteligência Comunidade (IC), com o apoio e
coordenação do Gestor Nacional de Inteligência para Aviação (NIM-Aviação). Os
esforços de coordenação do Gerente Nacional de Inteligência para Aviação (NIM-
Aviation) e do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO)
melhorarão o desempenho dos EUA. Conscientização do governo sobre objetos no
espaço aéreo e resolução de eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)
(consulte o Apêndice B).
2
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
Eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) continuam a ocorrer em espaço
aéreo restrito ou sensível, destacando possíveis preocupações com a segurança de voo
ou atividade de coleta adversária. Continuamos avaliando que isso pode resultam de um
viés de coleta devido ao número de aeronaves e sensores ativos, combinado com
atenção focada e orientação para relatar anomalias. Escritório de Resolução de
Anomalias de Todos os Domínios (AARO), em conjunto com o Gerente Nacional de
Inteligência para Aviação (NIM-Aviation) e o CI, continuarão a investigar qualquer
evidência de possível envolvimento do governo estrangeiro participação em eventos de
Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP).
ESCOPO E PREMISSAS
Alcance
Este relatório anual é fornecido pelo Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI)
em resposta a um requisito estabelecido na Seção 1683 da Lei de Autorização de Defesa
Nacional (NDAA) para o ano fiscal (AF) 2022, Estabelecimento de Escritório, Estrutura
Organizacional e Autoridades para Endereços Não Identificados Fenômenos Aéreos. A
subseção (h) dessa seção declara que “o Diretor de Inteligência (DNI), em consulta com
o Secretário de Defesa (SECDEF), submeterá ao apropriado comitês do Congresso um
relatório sobre fenômenos aéreos não identificados” (Ver Apêndice A).
Para além de responder aos elementos obrigatórios delineados no NDAA, este relatório
detalha o estabelecimento e esforços de coordenação entre Gabinete do Diretor de
Inteligência Nacional (ODNI) e o recém-criado DoD, Escritório de Resolução de
Anomalias de Todos os Domínios (AARO). Este relatório fornece uma visão geral para os
formuladores de políticas de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UA) que foram
relatados desde a data limite de informação de 05 de março de 2021 para a avaliação
preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) sobre Fenômenos
Aéreos Não Identificados (UAP), publicado em 25 de junho de 2021. De acordo com o
NDAA, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) entrega
relatórios trimestrais sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) para
formuladores de políticas que contêm maiores detalhes sobre análise e atribuição de
eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP).
Este relatório foi elaborado pelo Gerente Nacional de Inteligência para Aviação (NIM-
Aviation) do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em conjunto com o
Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO).
3
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
Inclui informações do Subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança (USD
[I&S]), a Agência de Inteligência de Defesa (DIA), o Departamento Federal de
Investigação (FBI), o Escritório Nacional de Reconhecimento (NRO), a Agência Nacional
de Inteligência Geoespacial (NGA), a Agência de Segurança Nacional (NSA), o Exército
dos EUA, a Marinha dos EUA, o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, a Força Aérea dos
EUA (USAF), Administração Federal de Aviação (FAA), Administração Nacional de
Aeronáutica e Espaço (NASA), a Administração Oceanográfica e Atmosférica Nacional
(NOAA), o Departamento de Energia (DoE), Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional
(ODNI) /NIM-Tecnologia Emergente e Disruptiva (NIMEDT), Gabinete do Diretor de
Inteligência Nacional (ODNI) / Centro Nacional de Contra-Inteligência e Segurança
(NCSC) e Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) /NIC (Conselho Nacional
de Inteligência).
Suposições
Vários fatores afetam a observação ou detecção de Fenômenos Aéreos Não Identificados
(UAP), como clima, iluminação, efeitos atmosféricos ou a interpretação precisa dos
dados do sensor.
Sobre revisão ou análise de eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP),
Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) e Escritório de Resolução de
Anomalias de Todos os Domínios (AARO) operam sob a suposição de que os relatórios
de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) são derivados da lembrança precisa do
observador do evento e/ou sensores que geralmente operar corretamente e capturar
dados reais suficientes para permitir avaliações iniciais. No entanto, Gabinete do Diretor
de Inteligência Nacional (ODNI) e o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os
Domínios (AARO) reconhece que um número selecionado de incidentes de Fenômenos
Aéreos Não Identificados (UAP) pode ser atribuível ao sensor irregularidades ou
variações, como erro do operador ou do equipamento.
1 O FY 2022 NDAA expande a definição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)
para incluir objetos aéreos, marítimos e transmédios, e este relatório mantém essa
nomenclatura durante a fase de transição e levantamento do Escritório de Resolução de
Anomalias de Todos os Domínios (AARO).
MUDANÇAS GOVERNAMENTAIS PARA GERENCIAR QUESTÕES DE FENÔMENOS
AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS (UAP)
4
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
Estabelecimento do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO)
O Vice-Secretário de Defesa instruiu o USD/I&S) a estabelecer um escritório com
escopo, autoridades, responsabilidades e capacidades suficientes para continuar os
esforços dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAPTF e atender aos critérios
expandidos. O Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) foi
estabelecido como entidade sucessora da Força Tarefa para Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAPTF) em 20 de julho 2022. De acordo com seu mandato, o Escritório de
Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) tem autoridade para coordenar
os esforços dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) além do DoD e é autorizado
a desenvolver processos e procedimentos para sincronizar e padronizar a coleta,
relatórios e análises em todo não apenas o DoD, mas também o IC, com o apoio e
coordenação do NIM-Aviação. Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os
Domínios (AARO) coordenará com outras agências não pertencentes ao IC, como o FAA,
NASA, NOAA e os elementos não-IC do Departamento de Segurança Interna (DHS) e o
Departamento de Energia (DOE), conforme o caso. O amplo escopo de autoridade
concedido o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) deve
capacitá-los a alavancar uma abordagem multi-agência e de todo o governo para
compreensão, resolução e atribuição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) no
futuro.
Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em coordenação com o Escritório
de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e parceiros de várias
agências, buscando oportunidades para Auxiliar na coleta, geração de relatórios e
análise de incidentes de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) todo o IC.
Desde a publicação de junho de 2021 da avaliação preliminar do Gabinete do Diretor de
Inteligência Nacional (ODNI) sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), o
Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) desenvolveu orientação estratégica
para aprimorar ainda mais a coleta, que o Escritório de Resolução de Anomalias de
Todos os Domínios (AARO) e o Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) irá
alavancar para preparar, coletar e relatar sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados
(UAP) de forma abrangente para o IC. A NIM Aviation continuará sendo o ponto focal do
IC para questões de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), enquanto o Escritório
de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) é o ponto focal do DoD para
essas questões e atividades relacionadas. O Escritório de Resolução de Anomalias de
Todos os Domínios (AARO) representará o DoD no interagência, Congresso, mídia e
público, em coordenação com o Secretário Adjunto de Defesa para Assuntos Legislativos
e o Assistente do Secretário de Defesa para Assuntos Públicos (OSD [PA]). Missão do
Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e responsabilidades
estão contidas no Apêndice B.
5
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
RELATÓRIOS CONTÍNUOS E ANÁLISES ROBUSTAS ESTÃO FORNECENDO
MELHOR FIDELIDADE NOS EVENTOS DE FENÔMENOS AÉREOS NÃO
IDENTIFICADOS (UAP), MAS MUITOS CASOS PERMANECEM NÃO RESOLVIDOS.
Relatório Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)
A avaliação preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) sobre
Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) discutiu 144 relatórios de Fenômenos
Aéreos Não Identificados (UAP) e teve uma data limite de informação de 05 de março de
2021. Desde então, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios
(AARO) recebeu um total de 247 novos relatórios de Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP). Um adicional de 119 relatórios de Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP) sobre eventos que ocorreram antes de 05 de março de 2021, mas
foram não incluídos na avaliação preliminar, foram descobertos ou relatados após o
período de tempo da avaliação preliminar. Esses 366 relatórios adicionais, quando
combinados com 144 relatórios identificados na avaliação preliminar, trazem o total de
relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) catalogados para data de 510.
Desde a sua estabelecimento em julho de 2022, o Escritório de Resolução de Anomalias
de Todos os Domínios (AARO) formulou e começou a alavancar um processo analítico
robusto contra relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) identificados.
Depois de concluída, a versão final do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os
Domínios (AARO) resultados analíticos estarão disponíveis em seus relatórios trimestrais
para formuladores de políticas. Inicialmente do Escritório de Resolução de Anomalias de
Todos os Domínios (AARO) analisou a caracterização dos 366 relatórios recém-
identificados, informados por um processo julgado mais da metade como exibindo
características não dignas de nota:
Sistema de Aeronave não Tripulada (UAS) ou entidades
semelhantes à UAS;
;
desordem².
A caracterização inicial não significa positivamente resolvida ou não identificada. Esta
inicial a caracterização permite que o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os
Domínios (AARO) e a Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) aproveitem os
recursos de maneira eficiente e eficaz contra os restantes 171 relatórios Fenômenos
Aéreos Não Identificados (UAP) não caracterizados e não atribuídos.
6
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
Alguns desses Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) não caracterizados parece ter
demonstrado características ou desempenho de voo incomuns capacidades e requerem
uma análise mais aprofundada.
A maioria dos novos relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) se origina da
Marinha dos EUA e da Força Aérea dos EUA aviadores e operadores que testemunharam
Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) durante o exercício das suas funções
operacionais e relataram os eventos da Força Tarefa de Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAPTF) ou Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios
(AARO) por meio dos canais oficiais. Independentemente do método de coleta ou
relatório, muitos relatórios carecem de dados detalhados suficientes para permitir a
atribuição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) com alta certeza.
Parcerias e Colaboração
Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) e Escritório de Resolução de
Anomalias de Todos os Domínios (AARO) estão comprometidos com o compartilhamento
responsável das descobertas de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) com
parceiros interagências (como FAA e NASA), outras partes interessadas, supervisão do
Congresso, parceiros internacionais e o público. Escritório de Resolução de Anomalias de
Todos os Domínios (AARO) está trabalhando em estreita colaboração com o OSD (PA) e
missão parceiros para desenvolver uma estratégia de compartilhamento de informações
e mensagens que visa maximizar transparência, mantendo as proteções apropriadas de
fontes e métodos sensíveis.
²Por exemplo, pássaros, eventos climáticos ou detritos transportados pelo ar, como
sacolas plásticas.
Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) e o Escritório de Resolução de
Anomalias de Todos os Domínios (AARO) mantiveram comunicação com nossos
parceiros aliados em relação relatórios (UAP), mantendo-os informados sobre os
desenvolvimentos e iniciativas dos EUA. As empresas DoD e IC estão trabalhando em
colaboração para relatar, identificar e resolver ventos Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP). Agências em todo o IC estabeleceram procedimentos operacionais
padrão que simplificarão a resolução Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Para
Por exemplo, a metodologia analítica do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos
os Domínios (AARO) requer uma abordagem de todo o governo para resolver Eventos
Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), para incluir analistas e especialistas em
ciência e tecnologia, para ajudar a resolver Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)
eventos.
7
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
Preocupações de segurança de voo e implicações para a saúde
Os Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) representa um risco de segurança de voo e
colisão para ativos aéreos, exigindo potencialmente das aeronaves e operadores para ajustar os
padrões de voo em resposta à sua presença não autorizada no espaço aéreo, operando fora dos
padrões e instruções de controle de tráfego aéreo. Até hoje não houve colisões relatadas entre
aeronaves dos EUA e Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Em relação às preocupações
com a saúde, também não houve encontros com Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)
confirmados para contribuir diretamente para efeitos adversos relacionados à saúde do(s)
observador (es). Reconhecendo que os efeitos relacionados à saúde podem aparecer a qualquer
momento após um evento ocorrer, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os
Domínios (AARO) rastreará quaisquer implicações de saúde relatadas relacionadas aos
Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), caso emergir.
RESUMO E BEM À FRENTE
Os Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) continua a representar um perigo para a
segurança de voo e representa um possível adversário ameaça de cobrança. Desde a publicação
da avaliação preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em junho de
2021, os relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) relatórios aumentou, em
parte devido a um esforço concentrado para desestigmatizar o tema dos Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP) e, em vez disso, reconhecer os riscos potenciais que representam tanto
como um perigo para a segurança do voo quanto potencial atividade adversária. Considerando
que anteriormente havia 144 relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) cobertos
durante os 17 anos de relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) incluídos na
avaliação preliminar Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) sobre Fenômenos
Aéreos Não Identificados (UAP), houve mais 247 notificações de Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP) durante os 17 meses desde então. Combinado com outros 119 relatórios
descobertos ou relatados tardiamente que caíram dentro do período original de 17 anos, mas
não foram incluídos na avaliação preliminar, um total de 510 relatórios de Fenômenos Aéreos
Não Identificados (UAP) estão atualmente catalogados.
O Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) foi estabelecido como o
ponto focal do DoD para Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Em um esforço para
ganhar fidelidade sobre a natureza dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) e o possível
risco que os Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) representam, o Congresso exigiu a
estabelecimento de um escritório central para todos os assuntos dos Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP) no FY 2022 NDAA. Aquele escritório tornou-se formalmente operacional
como Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO), sob o USD (I&S), em
julho de 2022.
8
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) é a ponto focal
único para todos os esforços DoD Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), liderando
uma abordagem de todo o governo para coordenar os esforços de coleta, relatório e
análise de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) em todo o DoD, o IC e além,
incluir outros órgãos do governo que não fazem parte do CI, bem como aliados
estrangeiros e parceiros dos Estados Unidos.
Esforços coordenados entre o DoD, o IC e outras agências governamentais para coletar
e relatar eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) resultaram em
conjuntos de dados maiores, abrangendo vários domínios. O Escritório de Resolução de
Anomalias de Todos os Domínios (AARO), em coordenação com o IC, está focado na
identificação de soluções para gerir e aliviar o resultado do problema de dados, incluindo
a ingestão, indexação, visualização e análise de esses dados em vários domínios de
segurança. Estamos confiantes de que o contínuo envolvimento de várias agências as
atividades cooperativas de perseguição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)
provavelmente resultarão em maior consciência de objetos em e nos domínios aéreo,
espacial e marítimo, bem como a natureza e origem dos Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP) no futuro. O estabelecimento do Escritório de Resolução de
Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e a aplicação do novo processo analítico do
Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) a este relatórios
detalhados aumentarão a resolução de eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados
(UAP).
APÊNDICE A: RELATÓRIO ANUAL SOBRE Fenômenos Aéreos Não Identificados
(UAP)- FY 2022 NDAA
Subseção (h) da seção 1683 (Estabelecimento de Escritório, Estrutura Organizacional e
Autoridades Organizacionais para Enfrentar Fenômenos Aéreos Não Identificados) do FY
2022 NDAA (Lei Pública 117-81) listou requisitos para um Relatório Anual sobre
assuntos dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Na subseção, o termo “o
Diretor” refere-se ao Diretor de Inteligência Nacional (DNI), e o termo “o Secretário”
refere-se ao Secretário de Defesa (SECDEF). Segue abaixo o texto da subseção.
(1) Requisito. Até 31 de outubro de 2022, e anualmente até 31 de outubro de 2026, o
Diretor, em consulta com o Secretário, submeterá ao Congresso apropriado comitês um
relatório sobre fenômenos aéreos não identificados.
(2) Elementos. Cada relatório de acordo com o parágrafo (1) deve incluir, com relação
ao ano coberto pelo relatório, as seguintes informações:
(A) Todos os eventos relatados relacionados a fenômenos aéreos não identificados que
ocorreram durante o período de um ano.
9
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
(B) Todos os eventos relatados relacionados a fenômenos aéreos não identificados que
ocorreram durante um período diferente do período de um ano, mas não foram incluídos em um
relatório anterior.
(C) Uma análise de dados e informações recebidas por meio de cada relatório não identificado
evento relacionado a fenômenos aéreos.
(D) Uma análise de dados relativos a fenômenos aéreos não identificados coletados por meio
de:
(i) Inteligência geoespacial;
(ii) Inteligência de sinais;
(iii) Inteligência humana e;
(iv) Inteligência de medição e assinatura.
(E) O número de fenômenos aéreos não identificados relatados no espaço aéreo restrito dos
Estados Unidos durante o período de um ano.
(F) Uma análise de tais incidentes identificados no subparágrafo (E).
(G) Identificação de potencial aeroespacial ou outras ameaças representadas por aeronaves não
identificadas fenômenos para a segurança nacional dos Estados Unidos.
(H) Uma avaliação de qualquer atividade relativa a fenômenos aéreos não identificados que
podem ser atribuída a um ou mais governos estrangeiros adversários.
(I) Identificação de quaisquer incidentes ou padrões relativos a fenômenos aéreos não
identificados que indicam que um potencial governo estrangeiro adversário pode ter alcançado
uma capacidade aeroespacial inovadora.
(J) Uma atualização sobre a coordenação dos Estados Unidos com aliados e parceiros nos
esforços para rastrear, entender e abordar fenômenos aéreos não identificados.
(K) Uma atualização sobre os esforços em andamento sobre a capacidade de capturar ou
explorar fenômenos aéreos não identificados.
(L) Uma avaliação de quaisquer efeitos relacionados à saúde para indivíduos que tenham
encontrado fenômenos aéreos não identificados.
(M) O número de incidentes relatados, e suas descrições, de acidentes aéreos não identificados.
Fenômenos com ativos nucleares militares, incluindo armas nucleares estratégicas e navios e
submarinos movidos à energia nuclear.
10
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
(N) Em consulta com o Administrador de Segurança Nuclear, o número de incidentes e
descrições dos mesmos, de fenômenos aéreos não identificados associados com
instalações ou ativos associados à produção, transporte ou armazenamento de energia
nuclear armas ou seus componentes.
(O) Em consulta com o Presidente da Comissão Reguladora Nuclear, o número de
incidentes relatados e descrições dos mesmos, de fenômenos aéreos não identificados
ou drones de origem desconhecida associada a usinas geradoras de energia nuclear,
locais de armazenamento de combustível ou outros locais ou instalações
regulamentados pelo Regulador Nuclear Comissão.
(P) Os nomes das organizações de linha que foram designadas para executar as tarefas
específicas funções sob as subseções (c) e (d), e as funções específicas para as quais
cada uma dessas a organização de linha recebeu a responsabilidade primária.
Notas:
1. A subseção (c), referenciada na subseção (h) (P) acima, é intitulada Resposta a e
Campo Investigações de Fenômenos Aéreos Não Identificados.
2. A subseção (d), referenciada na subseção (h) (P) acima, é intitulada Científica,
Análises Tecnológicas e Operacionais de Dados de Fenômenos Aéreos Não Identificados.
APÊNDICE B: ESTABELECIMENTO DO ESCRITÓRIO E DEVERES DO ESCRITÓRIO
DE RESOLUÇÃO DE ANOMALIAS DE TODOS OS DOMÍNIOS (AARO) – FY 2022
NDAA
Subseção (a) da seção 1683 (Estabelecimento de Escritório, Estrutura Organizacional e
Autoridades para Enfrentar Fenômenos Aéreos Não Identificados) da Autorização de
Defesa Nacional A Lei (NDAA) para o Ano Fiscal de 2022 (Lei Pública 117-81)
estabeleceu um escritório designado para substituir a Força-Tarefa de Fenômenos
Aéreos Não Identificados (UAPTF), mais tarde identificado como: Escritório de Resolução
de Anomalias de Todos os Domínios (AARO). AARO foi criada em 20 de julho de 2022. A
subseção (b) da seção 1683 delineava as funções desse cargo. O texto dessas
subseções é como segue:
11
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
(a) Estabelecimento do Escritório. Até 180 dias após a data de publicação do desta Lei,
o Secretário de Defesa, em coordenação com o Diretor de Inteligência, deve estabelecer
um escritório dentro de um componente do Departamento de Defesa e o Gabinete do
Diretor de Inteligência Nacional, para desempenhar as funções da Força-Tarefa de
Fenômenos Aéreos Não Identificados, em vigor no dia anterior à data de promulgação
desta Lei, e outras obrigações exigidas por esta seção.
(b) Deveres. Os deveres do Escritório estabelecidos na subseção (a) incluirão o Segue:
(1) Desenvolver procedimentos para sincronizar e padronizar a coleção, relatórios e
análises de incidentes, incluindo efeitos fisiológicos adversos, sobre fenômenos aéreos
não identificados em todo o Departamento de Defesa e a Comunidade de Inteligência.
(2) Desenvolver processos e procedimentos para garantir que tais incidentes de cada
componente do Departamento e cada elemento da Comunidade de Inteligência são
relatados e incorporados em um repositório centralizado.
(3) Estabelecer procedimentos para exigir o relato oportuno e consistente de tais
incidentes.
(4) Avaliando as ligações entre fenômenos aéreos não identificados e adversários
governos estrangeiros, outros governos estrangeiros ou atores não estatais.
(5) Avaliar a ameaça que tais incidentes representam para os Estados Unidos.
(6) Coordenar com outros departamentos e agências do Governo Federal, conforme
apropriado, incluindo a Administração Federal de Aviação (FAA), a Administração
Nacional da Aeronáutica e do Espaço (NASA), o Departamento de Segurança Interna, o
Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), e o Departamento de Energia
(DoE).
(7) Coordenar com aliados e parceiros dos Estados Unidos, conforme apropriado, para
avaliar melhor a natureza e extensão de fenômenos aéreos não identificados.
(8) Preparar relatórios para o Congresso, tanto na forma classificada como não
classificada, inclusive na seção (i).
APÊNDICE C: ÍNDICE DE TERMOS-CHAVE
Este relatório usa os seguintes termos de definição:
12
NÃO CLASSIFICADO
NÃO CLASSIFICADO
Alcance Fouler: Definido por aviadores da Marinha dos EUA com base em
observações de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) interromperem o
treinamento pré-planejado ou outra atividade militar em áreas de operação militar ou
espaço aéreo restrito.
Objetos ou Dispositivos Transmeio: Objetos ou dispositivos que são observados
em transição entre o espaço e a atmosfera, ou entre a atmosfera e as massas de água,
que não são imediatamente identificáveis.
Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP): Objetos transportados pelo ar não
imediatamente identificável. A sigla Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)
representa a mais ampla categoria de objetos aerotransportados revistos para análise.
Evento Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP): Uma descrição holística de
uma ocorrência durante a qual um piloto ou tripulação testemunhou (ou detectou)
alguns Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP).
Incidente Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP): Uma parte específica do
evento.
Relatório Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP): Documentação de um
evento Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) para incluir cadeias de custódia
verificadas
e informações básicas como hora, data, local e descrição dos Fenômenos Aéreos Não
Identificados (UAP). Os relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) incluem
relatórios Range Fouler e outros relatórios.
13
NÃO CLASSIFICADO

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a RELATÓRIO ANUAL SOBRE FENÔMENOS AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS: 2022 EUA (Versão Português)

Acidente com a Aeronave PR-UUT 17 de Fevereiro de 2010
Acidente com  a Aeronave PR-UUT 17 de Fevereiro de 2010Acidente com  a Aeronave PR-UUT 17 de Fevereiro de 2010
Acidente com a Aeronave PR-UUT 17 de Fevereiro de 2010
Jeferson Espindola
 
Relatório final tam 3054
Relatório final tam 3054Relatório final tam 3054
Relatório final tam 3054
Carlos Carvalho
 
Relatório do Cenipa sobre tragédia do Airbus A320 da TAM, em 2007
Relatório do Cenipa sobre tragédia do Airbus A320 da TAM, em 2007Relatório do Cenipa sobre tragédia do Airbus A320 da TAM, em 2007
Relatório do Cenipa sobre tragédia do Airbus A320 da TAM, em 2007
alves_cintia
 
Acidente com a aeronave PR-HAZ 24 de Setembro de 2009
Acidente com a aeronave PR-HAZ  24 de  Setembro de 2009Acidente com a aeronave PR-HAZ  24 de  Setembro de 2009
Acidente com a aeronave PR-HAZ 24 de Setembro de 2009
Jeferson Espindola
 
Acidente com a Aeronave PT-PHK 20 de janeiro de 2001
Acidente com a Aeronave PT-PHK 20 de janeiro de 2001Acidente com a Aeronave PT-PHK 20 de janeiro de 2001
Acidente com a Aeronave PT-PHK 20 de janeiro de 2001
Jeferson Espindola
 
Acidente com a Aeronave PT-BJA 02 de Setembro de 2007
Acidente com a Aeronave PT-BJA 02 de Setembro de 2007Acidente com a Aeronave PT-BJA 02 de Setembro de 2007
Acidente com a Aeronave PT-BJA 02 de Setembro de 2007
Jeferson Espindola
 
Acidente com a Aeronave PT-UHB em 21 de Abril de 2001
Acidente com a Aeronave PT-UHB em 21 de Abril de 2001Acidente com a Aeronave PT-UHB em 21 de Abril de 2001
Acidente com a Aeronave PT-UHB em 21 de Abril de 2001
Jeferson Espindola
 

Semelhante a RELATÓRIO ANUAL SOBRE FENÔMENOS AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS: 2022 EUA (Versão Português) (12)

Acidente com a Aeronave PR-UUT 17 de Fevereiro de 2010
Acidente com  a Aeronave PR-UUT 17 de Fevereiro de 2010Acidente com  a Aeronave PR-UUT 17 de Fevereiro de 2010
Acidente com a Aeronave PR-UUT 17 de Fevereiro de 2010
 
Relatório final tam 3054
Relatório final tam 3054Relatório final tam 3054
Relatório final tam 3054
 
Relatório do Cenipa sobre tragédia do Airbus A320 da TAM, em 2007
Relatório do Cenipa sobre tragédia do Airbus A320 da TAM, em 2007Relatório do Cenipa sobre tragédia do Airbus A320 da TAM, em 2007
Relatório do Cenipa sobre tragédia do Airbus A320 da TAM, em 2007
 
Relatorio Final Acidente Aeronave da TAM - PR-MBK em 17 de julho de 2007
Relatorio Final Acidente Aeronave da TAM - PR-MBK em 17 de julho de 2007Relatorio Final Acidente Aeronave da TAM - PR-MBK em 17 de julho de 2007
Relatorio Final Acidente Aeronave da TAM - PR-MBK em 17 de julho de 2007
 
Vls 1 v03-relatorio_final
Vls 1 v03-relatorio_finalVls 1 v03-relatorio_final
Vls 1 v03-relatorio_final
 
PR-AFA
PR-AFAPR-AFA
PR-AFA
 
Acidente com a aeronave PR-HAZ 24 de Setembro de 2009
Acidente com a aeronave PR-HAZ  24 de  Setembro de 2009Acidente com a aeronave PR-HAZ  24 de  Setembro de 2009
Acidente com a aeronave PR-HAZ 24 de Setembro de 2009
 
Acidente com a Aeronave PT-PHK 20 de janeiro de 2001
Acidente com a Aeronave PT-PHK 20 de janeiro de 2001Acidente com a Aeronave PT-PHK 20 de janeiro de 2001
Acidente com a Aeronave PT-PHK 20 de janeiro de 2001
 
Acidente com a Aeronave PT-BJA 02 de Setembro de 2007
Acidente com a Aeronave PT-BJA 02 de Setembro de 2007Acidente com a Aeronave PT-BJA 02 de Setembro de 2007
Acidente com a Aeronave PT-BJA 02 de Setembro de 2007
 
Relatório Final - Acidente com a Aeronave PR-VAJ - Perda de Controle em voo -...
Relatório Final - Acidente com a Aeronave PR-VAJ - Perda de Controle em voo -...Relatório Final - Acidente com a Aeronave PR-VAJ - Perda de Controle em voo -...
Relatório Final - Acidente com a Aeronave PR-VAJ - Perda de Controle em voo -...
 
Relatório Final - Acidente com a Aeronave PT-HNL - Modelo HB-350B - Falha de ...
Relatório Final - Acidente com a Aeronave PT-HNL - Modelo HB-350B - Falha de ...Relatório Final - Acidente com a Aeronave PT-HNL - Modelo HB-350B - Falha de ...
Relatório Final - Acidente com a Aeronave PT-HNL - Modelo HB-350B - Falha de ...
 
Acidente com a Aeronave PT-UHB em 21 de Abril de 2001
Acidente com a Aeronave PT-UHB em 21 de Abril de 2001Acidente com a Aeronave PT-UHB em 21 de Abril de 2001
Acidente com a Aeronave PT-UHB em 21 de Abril de 2001
 

Mais de Jerbialdo

Mais de Jerbialdo (20)

INFLUÊNCIAS E CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA CIDADÃ NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
  INFLUÊNCIAS E CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA CIDADÃ NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO  INFLUÊNCIAS E CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA CIDADÃ NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
INFLUÊNCIAS E CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA CIDADÃ NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
 
PORTARIA MUNICIPAL N° 003 DE 18 DE JANEIRO DE 2023
PORTARIA MUNICIPAL N° 003 DE 18 DE JANEIRO DE 2023PORTARIA MUNICIPAL N° 003 DE 18 DE JANEIRO DE 2023
PORTARIA MUNICIPAL N° 003 DE 18 DE JANEIRO DE 2023
 
PORTARIA MUNICIPAL Nº 015, DE 17 DE MAIO DE 2023
PORTARIA MUNICIPAL Nº 015, DE 17 DE MAIO DE 2023PORTARIA MUNICIPAL Nº 015, DE 17 DE MAIO DE 2023
PORTARIA MUNICIPAL Nº 015, DE 17 DE MAIO DE 2023
 
PORTARIA MUNICIPAL Nº 001 DE 05 DE JANEIRO DE 2023
PORTARIA MUNICIPAL Nº 001 DE 05 DE JANEIRO DE 2023PORTARIA MUNICIPAL Nº 001 DE 05 DE JANEIRO DE 2023
PORTARIA MUNICIPAL Nº 001 DE 05 DE JANEIRO DE 2023
 
BOLETIM DE OCORRÊNCIA
BOLETIM DE OCORRÊNCIA BOLETIM DE OCORRÊNCIA
BOLETIM DE OCORRÊNCIA
 
OFFICE OF THE DIRECTOR OF NATIONAL INTELLIGENCE: Annual Report on Unidentifie...
OFFICE OF THE DIRECTOR OF NATIONAL INTELLIGENCE: Annual Report on Unidentifie...OFFICE OF THE DIRECTOR OF NATIONAL INTELLIGENCE: Annual Report on Unidentifie...
OFFICE OF THE DIRECTOR OF NATIONAL INTELLIGENCE: Annual Report on Unidentifie...
 
AAI - ALIANÇA ATEÍSTA INTERNACIONAL/ AGE (ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA): ...
AAI -  ALIANÇA ATEÍSTA INTERNACIONAL/ AGE (ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA): ...AAI -  ALIANÇA ATEÍSTA INTERNACIONAL/ AGE (ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA): ...
AAI - ALIANÇA ATEÍSTA INTERNACIONAL/ AGE (ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA): ...
 
AAI - ALLIANCE ATHEIST INTERNATIONAL: EGM (EXTRAORDINARY GENERAL MEETING): ...
AAI -  ALLIANCE ATHEIST INTERNATIONAL:  EGM (EXTRAORDINARY GENERAL MEETING): ...AAI -  ALLIANCE ATHEIST INTERNATIONAL:  EGM (EXTRAORDINARY GENERAL MEETING): ...
AAI - ALLIANCE ATHEIST INTERNATIONAL: EGM (EXTRAORDINARY GENERAL MEETING): ...
 
AAI - ALLIANCE ATHEIST INTERNATIONAL: EGM (EXTRAORDINARY GENERAL MEETING): ...
AAI -  ALLIANCE ATHEIST INTERNATIONAL:  EGM (EXTRAORDINARY GENERAL MEETING): ...AAI -  ALLIANCE ATHEIST INTERNATIONAL:  EGM (EXTRAORDINARY GENERAL MEETING): ...
AAI - ALLIANCE ATHEIST INTERNATIONAL: EGM (EXTRAORDINARY GENERAL MEETING): ...
 
INFLUÊNCIAS E CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA CIDADÃ NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (LAURA...
INFLUÊNCIAS E CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA CIDADÃ NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (LAURA...INFLUÊNCIAS E CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA CIDADÃ NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (LAURA...
INFLUÊNCIAS E CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA CIDADÃ NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (LAURA...
 
ANÁLISE DE COMPORTMENTO NÃO COOPERATIVO EM COMPUTAÇÃO VOLUNTÁRIA
ANÁLISE DE COMPORTMENTO NÃO COOPERATIVO EM COMPUTAÇÃO VOLUNTÁRIAANÁLISE DE COMPORTMENTO NÃO COOPERATIVO EM COMPUTAÇÃO VOLUNTÁRIA
ANÁLISE DE COMPORTMENTO NÃO COOPERATIVO EM COMPUTAÇÃO VOLUNTÁRIA
 
O EMPREGO DO APLICATIVO SCIHUB EM PROJETOS DE CIÊNCIA CIDADÃ
O EMPREGO DO APLICATIVO SCIHUB EM PROJETOS DE CIÊNCIA CIDADÃO EMPREGO DO APLICATIVO SCIHUB EM PROJETOS DE CIÊNCIA CIDADÃ
O EMPREGO DO APLICATIVO SCIHUB EM PROJETOS DE CIÊNCIA CIDADÃ
 
CIÊNCIA CIDADÃ E POLINIZADORES DA AMÉRICA DO SUL
CIÊNCIA CIDADÃ E POLINIZADORES DA AMÉRICA DO SULCIÊNCIA CIDADÃ E POLINIZADORES DA AMÉRICA DO SUL
CIÊNCIA CIDADÃ E POLINIZADORES DA AMÉRICA DO SUL
 
CARTA ABERTA DA REDE BRASILEIRA DE CIÊNCIA CIDADÃ (RBCC)
CARTA ABERTA DA REDE BRASILEIRA DE CIÊNCIA CIDADÃ (RBCC)CARTA ABERTA DA REDE BRASILEIRA DE CIÊNCIA CIDADÃ (RBCC)
CARTA ABERTA DA REDE BRASILEIRA DE CIÊNCIA CIDADÃ (RBCC)
 
PROTOCOLO DE CAPTURA DE IMAGENS DE MACROFUNGOS
PROTOCOLO DE CAPTURA DE IMAGENS DE MACROFUNGOSPROTOCOLO DE CAPTURA DE IMAGENS DE MACROFUNGOS
PROTOCOLO DE CAPTURA DE IMAGENS DE MACROFUNGOS
 
CONFERÊNCIAS & DEBATES INTERDISCIPLINARES: SOB A LENTE DA CIÊNCIA ABERTA OLH...
CONFERÊNCIAS & DEBATES INTERDISCIPLINARES:  SOB A LENTE DA CIÊNCIA ABERTA OLH...CONFERÊNCIAS & DEBATES INTERDISCIPLINARES:  SOB A LENTE DA CIÊNCIA ABERTA OLH...
CONFERÊNCIAS & DEBATES INTERDISCIPLINARES: SOB A LENTE DA CIÊNCIA ABERTA OLH...
 
LEPIDOPTEROLOGIA: NOVAS PERSPECTIVAS EM PESQUISA E CONSERVAÇÃO
LEPIDOPTEROLOGIA: NOVAS PERSPECTIVAS EM PESQUISA E CONSERVAÇÃOLEPIDOPTEROLOGIA: NOVAS PERSPECTIVAS EM PESQUISA E CONSERVAÇÃO
LEPIDOPTEROLOGIA: NOVAS PERSPECTIVAS EM PESQUISA E CONSERVAÇÃO
 
ANAIS DO II WORKSHOP DA REDE BRASILEIRA DE CIÊNCIA CIDADÃ
ANAIS DO II WORKSHOP DA REDE BRASILEIRA DE CIÊNCIA CIDADÃANAIS DO II WORKSHOP DA REDE BRASILEIRA DE CIÊNCIA CIDADÃ
ANAIS DO II WORKSHOP DA REDE BRASILEIRA DE CIÊNCIA CIDADÃ
 
PROCESSO Nº: 8000314-60.2022.8.05 - (Página 3)
PROCESSO Nº: 8000314-60.2022.8.05 -  (Página 3)PROCESSO Nº: 8000314-60.2022.8.05 -  (Página 3)
PROCESSO Nº: 8000314-60.2022.8.05 - (Página 3)
 
PROCESSO Nº: 8000314-60.2022.8.05 - Intimação (Página 2)
PROCESSO Nº: 8000314-60.2022.8.05 - Intimação (Página 2)PROCESSO Nº: 8000314-60.2022.8.05 - Intimação (Página 2)
PROCESSO Nº: 8000314-60.2022.8.05 - Intimação (Página 2)
 

Último

PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
SimoneDrumondIschkan
 

Último (7)

Direito tributário.pdf para alunos do curso de Direito
Direito tributário.pdf para alunos do curso de DireitoDireito tributário.pdf para alunos do curso de Direito
Direito tributário.pdf para alunos do curso de Direito
 
MAPA MENTAL Oab 40 DIREITO FILOSOFIA DO DIREITO
MAPA MENTAL Oab 40 DIREITO FILOSOFIA DO DIREITOMAPA MENTAL Oab 40 DIREITO FILOSOFIA DO DIREITO
MAPA MENTAL Oab 40 DIREITO FILOSOFIA DO DIREITO
 
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
 
Efeito doença nas férias na Administração Pública
Efeito doença nas férias na Administração PúblicaEfeito doença nas férias na Administração Pública
Efeito doença nas férias na Administração Pública
 
PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
 
Apresentação do Escritório - Mota Acunha Advocacia
Apresentação do Escritório - Mota Acunha AdvocaciaApresentação do Escritório - Mota Acunha Advocacia
Apresentação do Escritório - Mota Acunha Advocacia
 
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
 

RELATÓRIO ANUAL SOBRE FENÔMENOS AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS: 2022 EUA (Versão Português)

  • 1. NÃO CLASSIFICADO GABINETE DO DIRETOR DE INTELIGÊNCIA NACIONAL (ODNI) Relatório Anual de 2022 sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados NÃO CLASSIFICADO
  • 2. Índice SUMÁRIO EXECUTIVO ................................................................................... 2 ESCOPO E PREMISSAS.................................................................................................... 3 Alcance ........................................................................................................... 3 Suposições....................................................................................................... 3 MUDANÇAS GOVERNAMENTAIS PARA GERENCIAR QUESTÕES DE FENÔMENOS AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS (UAP)............................................................. 4 Estabelecimento do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO)......................................................................................................... 4 Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em coordenação com o Escritório de resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e parceiros de várias agências, buscando oportunidades para Auxiliar na coleta, geração de relatórios e análise de incidentes de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) em todo o IC.................. 4 RELATÓRIOS CONTÍNUOS E ANÁLISES ROBUSTAS ESTÃO FORNECENDO MELHOR FIDELIDADE EM EVENTOS DE FENÔMENOS AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS (UAP), MAS MUITOS CASOS PERMANECEM SEM RESOLUÇÃO................................................................................................ 5 Relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)....................................... 5 Parcerias e Colaborações .............................. .................................................... 5 Preocupações de segurança de voo e implicações para a saúde ............................... 6 RESUMO E CAMINHO À FRENTE ...................................................................... 7 APÊNDICE A: RELATÓRIO ANUAL SOBRE FENÔMENOS AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS (UAP)—FY 2022 NDAA ......................................................... 8 APÊNDICE B: ESTABELECIMENTO DO ESCRITÓRIO E DEVERES DO ESCRITÓRIO DE RESOLUÇÃO DE ANOMALIAS DE TODOS OS DOMÍNIOS (AARO) - FY 2022 NDAA.. 10 APÊNDICE C: ÍNDICE DE TERMOS-CHAVE ...................................................... 11 1 NÃO CLASSIFICADO
  • 3. NÃO CLASSIFICADO SUMÁRIO EXECUTIVO A notificação de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) está aumentando, permitindo uma maior consciência do espaço aéreo e maior oportunidade para resolver eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Em adição a 144 relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) cobertos durante os 17 anos de relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) incluídos no Gabinete de Avaliação preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI), houve 247 novos relatórios e outros 119 que foram descobertos desde então ou relatados após o preliminar período de avaliação. Isso totaliza 510 relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) em 30 de agosto de 2022. Informações adicionais são fornecidas na versão classificada deste relatório. Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) avaliam que o aumento observado na taxa de reporte de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) é parcialmente devido a um melhor entendimento das possíveis ameaças que os Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) podem representar, seja como segurança de perigos de voo ou como plataformas de coleta adversárias em potencial e parcialmente devido à redução do estigma em torno do relatório de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Esse aumento de relatórios permite mais oportunidades de inscrição análise rigorosa e resolver eventos. O estabelecimento da Resolução de Anomalias de Todos os Domínios do Departamento de Defesa (DoD), Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) deve facilitar esforços de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) mais coordenados, resultando em maior atribuição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Embora os dados limitados sobre o Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) continuem a ser um desafio, o estabelecimento do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) com seu amplo escopo de autoridades e responsabilidades, e sua substituição da Força-Tarefa de Fenômenos Aéreos Não identificados (UAPTF) - permitirá maior coordenação de esforços contra o conjunto de problemas Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). As autoridades do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) garantem que a detecção e identificação de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) os esforços abrangerão o DoD e parceiros interagências relevantes, bem como o Departamento de Inteligência Comunidade (IC), com o apoio e coordenação do Gestor Nacional de Inteligência para Aviação (NIM-Aviação). Os esforços de coordenação do Gerente Nacional de Inteligência para Aviação (NIM- Aviation) e do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) melhorarão o desempenho dos EUA. Conscientização do governo sobre objetos no espaço aéreo e resolução de eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) (consulte o Apêndice B). 2 NÃO CLASSIFICADO
  • 4. NÃO CLASSIFICADO Eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) continuam a ocorrer em espaço aéreo restrito ou sensível, destacando possíveis preocupações com a segurança de voo ou atividade de coleta adversária. Continuamos avaliando que isso pode resultam de um viés de coleta devido ao número de aeronaves e sensores ativos, combinado com atenção focada e orientação para relatar anomalias. Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO), em conjunto com o Gerente Nacional de Inteligência para Aviação (NIM-Aviation) e o CI, continuarão a investigar qualquer evidência de possível envolvimento do governo estrangeiro participação em eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). ESCOPO E PREMISSAS Alcance Este relatório anual é fornecido pelo Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em resposta a um requisito estabelecido na Seção 1683 da Lei de Autorização de Defesa Nacional (NDAA) para o ano fiscal (AF) 2022, Estabelecimento de Escritório, Estrutura Organizacional e Autoridades para Endereços Não Identificados Fenômenos Aéreos. A subseção (h) dessa seção declara que “o Diretor de Inteligência (DNI), em consulta com o Secretário de Defesa (SECDEF), submeterá ao apropriado comitês do Congresso um relatório sobre fenômenos aéreos não identificados” (Ver Apêndice A). Para além de responder aos elementos obrigatórios delineados no NDAA, este relatório detalha o estabelecimento e esforços de coordenação entre Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) e o recém-criado DoD, Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO). Este relatório fornece uma visão geral para os formuladores de políticas de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UA) que foram relatados desde a data limite de informação de 05 de março de 2021 para a avaliação preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), publicado em 25 de junho de 2021. De acordo com o NDAA, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) entrega relatórios trimestrais sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) para formuladores de políticas que contêm maiores detalhes sobre análise e atribuição de eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Este relatório foi elaborado pelo Gerente Nacional de Inteligência para Aviação (NIM- Aviation) do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em conjunto com o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO). 3 NÃO CLASSIFICADO
  • 5. NÃO CLASSIFICADO Inclui informações do Subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança (USD [I&S]), a Agência de Inteligência de Defesa (DIA), o Departamento Federal de Investigação (FBI), o Escritório Nacional de Reconhecimento (NRO), a Agência Nacional de Inteligência Geoespacial (NGA), a Agência de Segurança Nacional (NSA), o Exército dos EUA, a Marinha dos EUA, o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, a Força Aérea dos EUA (USAF), Administração Federal de Aviação (FAA), Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA), a Administração Oceanográfica e Atmosférica Nacional (NOAA), o Departamento de Energia (DoE), Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) /NIM-Tecnologia Emergente e Disruptiva (NIMEDT), Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) / Centro Nacional de Contra-Inteligência e Segurança (NCSC) e Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) /NIC (Conselho Nacional de Inteligência). Suposições Vários fatores afetam a observação ou detecção de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), como clima, iluminação, efeitos atmosféricos ou a interpretação precisa dos dados do sensor. Sobre revisão ou análise de eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) e Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) operam sob a suposição de que os relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) são derivados da lembrança precisa do observador do evento e/ou sensores que geralmente operar corretamente e capturar dados reais suficientes para permitir avaliações iniciais. No entanto, Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) e o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) reconhece que um número selecionado de incidentes de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) pode ser atribuível ao sensor irregularidades ou variações, como erro do operador ou do equipamento. 1 O FY 2022 NDAA expande a definição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) para incluir objetos aéreos, marítimos e transmédios, e este relatório mantém essa nomenclatura durante a fase de transição e levantamento do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO). MUDANÇAS GOVERNAMENTAIS PARA GERENCIAR QUESTÕES DE FENÔMENOS AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS (UAP) 4 NÃO CLASSIFICADO
  • 6. NÃO CLASSIFICADO Estabelecimento do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) O Vice-Secretário de Defesa instruiu o USD/I&S) a estabelecer um escritório com escopo, autoridades, responsabilidades e capacidades suficientes para continuar os esforços dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAPTF e atender aos critérios expandidos. O Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) foi estabelecido como entidade sucessora da Força Tarefa para Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAPTF) em 20 de julho 2022. De acordo com seu mandato, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) tem autoridade para coordenar os esforços dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) além do DoD e é autorizado a desenvolver processos e procedimentos para sincronizar e padronizar a coleta, relatórios e análises em todo não apenas o DoD, mas também o IC, com o apoio e coordenação do NIM-Aviação. Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) coordenará com outras agências não pertencentes ao IC, como o FAA, NASA, NOAA e os elementos não-IC do Departamento de Segurança Interna (DHS) e o Departamento de Energia (DOE), conforme o caso. O amplo escopo de autoridade concedido o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) deve capacitá-los a alavancar uma abordagem multi-agência e de todo o governo para compreensão, resolução e atribuição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) no futuro. Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em coordenação com o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e parceiros de várias agências, buscando oportunidades para Auxiliar na coleta, geração de relatórios e análise de incidentes de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) todo o IC. Desde a publicação de junho de 2021 da avaliação preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), o Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) desenvolveu orientação estratégica para aprimorar ainda mais a coleta, que o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e o Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) irá alavancar para preparar, coletar e relatar sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) de forma abrangente para o IC. A NIM Aviation continuará sendo o ponto focal do IC para questões de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), enquanto o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) é o ponto focal do DoD para essas questões e atividades relacionadas. O Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) representará o DoD no interagência, Congresso, mídia e público, em coordenação com o Secretário Adjunto de Defesa para Assuntos Legislativos e o Assistente do Secretário de Defesa para Assuntos Públicos (OSD [PA]). Missão do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e responsabilidades estão contidas no Apêndice B. 5 NÃO CLASSIFICADO
  • 7. NÃO CLASSIFICADO RELATÓRIOS CONTÍNUOS E ANÁLISES ROBUSTAS ESTÃO FORNECENDO MELHOR FIDELIDADE NOS EVENTOS DE FENÔMENOS AÉREOS NÃO IDENTIFICADOS (UAP), MAS MUITOS CASOS PERMANECEM NÃO RESOLVIDOS. Relatório Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) A avaliação preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) discutiu 144 relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) e teve uma data limite de informação de 05 de março de 2021. Desde então, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) recebeu um total de 247 novos relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Um adicional de 119 relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) sobre eventos que ocorreram antes de 05 de março de 2021, mas foram não incluídos na avaliação preliminar, foram descobertos ou relatados após o período de tempo da avaliação preliminar. Esses 366 relatórios adicionais, quando combinados com 144 relatórios identificados na avaliação preliminar, trazem o total de relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) catalogados para data de 510. Desde a sua estabelecimento em julho de 2022, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) formulou e começou a alavancar um processo analítico robusto contra relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) identificados. Depois de concluída, a versão final do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) resultados analíticos estarão disponíveis em seus relatórios trimestrais para formuladores de políticas. Inicialmente do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) analisou a caracterização dos 366 relatórios recém- identificados, informados por um processo julgado mais da metade como exibindo características não dignas de nota: Sistema de Aeronave não Tripulada (UAS) ou entidades semelhantes à UAS; ; desordem². A caracterização inicial não significa positivamente resolvida ou não identificada. Esta inicial a caracterização permite que o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e a Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) aproveitem os recursos de maneira eficiente e eficaz contra os restantes 171 relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) não caracterizados e não atribuídos. 6 NÃO CLASSIFICADO
  • 8. NÃO CLASSIFICADO Alguns desses Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) não caracterizados parece ter demonstrado características ou desempenho de voo incomuns capacidades e requerem uma análise mais aprofundada. A maioria dos novos relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) se origina da Marinha dos EUA e da Força Aérea dos EUA aviadores e operadores que testemunharam Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) durante o exercício das suas funções operacionais e relataram os eventos da Força Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAPTF) ou Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) por meio dos canais oficiais. Independentemente do método de coleta ou relatório, muitos relatórios carecem de dados detalhados suficientes para permitir a atribuição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) com alta certeza. Parcerias e Colaboração Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) e Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) estão comprometidos com o compartilhamento responsável das descobertas de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) com parceiros interagências (como FAA e NASA), outras partes interessadas, supervisão do Congresso, parceiros internacionais e o público. Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) está trabalhando em estreita colaboração com o OSD (PA) e missão parceiros para desenvolver uma estratégia de compartilhamento de informações e mensagens que visa maximizar transparência, mantendo as proteções apropriadas de fontes e métodos sensíveis. ²Por exemplo, pássaros, eventos climáticos ou detritos transportados pelo ar, como sacolas plásticas. Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) e o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) mantiveram comunicação com nossos parceiros aliados em relação relatórios (UAP), mantendo-os informados sobre os desenvolvimentos e iniciativas dos EUA. As empresas DoD e IC estão trabalhando em colaboração para relatar, identificar e resolver ventos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Agências em todo o IC estabeleceram procedimentos operacionais padrão que simplificarão a resolução Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Para Por exemplo, a metodologia analítica do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) requer uma abordagem de todo o governo para resolver Eventos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), para incluir analistas e especialistas em ciência e tecnologia, para ajudar a resolver Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) eventos. 7 NÃO CLASSIFICADO
  • 9. NÃO CLASSIFICADO Preocupações de segurança de voo e implicações para a saúde Os Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) representa um risco de segurança de voo e colisão para ativos aéreos, exigindo potencialmente das aeronaves e operadores para ajustar os padrões de voo em resposta à sua presença não autorizada no espaço aéreo, operando fora dos padrões e instruções de controle de tráfego aéreo. Até hoje não houve colisões relatadas entre aeronaves dos EUA e Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Em relação às preocupações com a saúde, também não houve encontros com Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) confirmados para contribuir diretamente para efeitos adversos relacionados à saúde do(s) observador (es). Reconhecendo que os efeitos relacionados à saúde podem aparecer a qualquer momento após um evento ocorrer, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) rastreará quaisquer implicações de saúde relatadas relacionadas aos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), caso emergir. RESUMO E BEM À FRENTE Os Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) continua a representar um perigo para a segurança de voo e representa um possível adversário ameaça de cobrança. Desde a publicação da avaliação preliminar do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em junho de 2021, os relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) relatórios aumentou, em parte devido a um esforço concentrado para desestigmatizar o tema dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) e, em vez disso, reconhecer os riscos potenciais que representam tanto como um perigo para a segurança do voo quanto potencial atividade adversária. Considerando que anteriormente havia 144 relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) cobertos durante os 17 anos de relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) incluídos na avaliação preliminar Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), houve mais 247 notificações de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) durante os 17 meses desde então. Combinado com outros 119 relatórios descobertos ou relatados tardiamente que caíram dentro do período original de 17 anos, mas não foram incluídos na avaliação preliminar, um total de 510 relatórios de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) estão atualmente catalogados. O Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) foi estabelecido como o ponto focal do DoD para Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Em um esforço para ganhar fidelidade sobre a natureza dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) e o possível risco que os Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) representam, o Congresso exigiu a estabelecimento de um escritório central para todos os assuntos dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) no FY 2022 NDAA. Aquele escritório tornou-se formalmente operacional como Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO), sob o USD (I&S), em julho de 2022. 8 NÃO CLASSIFICADO
  • 10. NÃO CLASSIFICADO Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) é a ponto focal único para todos os esforços DoD Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), liderando uma abordagem de todo o governo para coordenar os esforços de coleta, relatório e análise de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) em todo o DoD, o IC e além, incluir outros órgãos do governo que não fazem parte do CI, bem como aliados estrangeiros e parceiros dos Estados Unidos. Esforços coordenados entre o DoD, o IC e outras agências governamentais para coletar e relatar eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) resultaram em conjuntos de dados maiores, abrangendo vários domínios. O Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO), em coordenação com o IC, está focado na identificação de soluções para gerir e aliviar o resultado do problema de dados, incluindo a ingestão, indexação, visualização e análise de esses dados em vários domínios de segurança. Estamos confiantes de que o contínuo envolvimento de várias agências as atividades cooperativas de perseguição de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) provavelmente resultarão em maior consciência de objetos em e nos domínios aéreo, espacial e marítimo, bem como a natureza e origem dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) no futuro. O estabelecimento do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) e a aplicação do novo processo analítico do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO) a este relatórios detalhados aumentarão a resolução de eventos de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). APÊNDICE A: RELATÓRIO ANUAL SOBRE Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP)- FY 2022 NDAA Subseção (h) da seção 1683 (Estabelecimento de Escritório, Estrutura Organizacional e Autoridades Organizacionais para Enfrentar Fenômenos Aéreos Não Identificados) do FY 2022 NDAA (Lei Pública 117-81) listou requisitos para um Relatório Anual sobre assuntos dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Na subseção, o termo “o Diretor” refere-se ao Diretor de Inteligência Nacional (DNI), e o termo “o Secretário” refere-se ao Secretário de Defesa (SECDEF). Segue abaixo o texto da subseção. (1) Requisito. Até 31 de outubro de 2022, e anualmente até 31 de outubro de 2026, o Diretor, em consulta com o Secretário, submeterá ao Congresso apropriado comitês um relatório sobre fenômenos aéreos não identificados. (2) Elementos. Cada relatório de acordo com o parágrafo (1) deve incluir, com relação ao ano coberto pelo relatório, as seguintes informações: (A) Todos os eventos relatados relacionados a fenômenos aéreos não identificados que ocorreram durante o período de um ano. 9 NÃO CLASSIFICADO
  • 11. NÃO CLASSIFICADO (B) Todos os eventos relatados relacionados a fenômenos aéreos não identificados que ocorreram durante um período diferente do período de um ano, mas não foram incluídos em um relatório anterior. (C) Uma análise de dados e informações recebidas por meio de cada relatório não identificado evento relacionado a fenômenos aéreos. (D) Uma análise de dados relativos a fenômenos aéreos não identificados coletados por meio de: (i) Inteligência geoespacial; (ii) Inteligência de sinais; (iii) Inteligência humana e; (iv) Inteligência de medição e assinatura. (E) O número de fenômenos aéreos não identificados relatados no espaço aéreo restrito dos Estados Unidos durante o período de um ano. (F) Uma análise de tais incidentes identificados no subparágrafo (E). (G) Identificação de potencial aeroespacial ou outras ameaças representadas por aeronaves não identificadas fenômenos para a segurança nacional dos Estados Unidos. (H) Uma avaliação de qualquer atividade relativa a fenômenos aéreos não identificados que podem ser atribuída a um ou mais governos estrangeiros adversários. (I) Identificação de quaisquer incidentes ou padrões relativos a fenômenos aéreos não identificados que indicam que um potencial governo estrangeiro adversário pode ter alcançado uma capacidade aeroespacial inovadora. (J) Uma atualização sobre a coordenação dos Estados Unidos com aliados e parceiros nos esforços para rastrear, entender e abordar fenômenos aéreos não identificados. (K) Uma atualização sobre os esforços em andamento sobre a capacidade de capturar ou explorar fenômenos aéreos não identificados. (L) Uma avaliação de quaisquer efeitos relacionados à saúde para indivíduos que tenham encontrado fenômenos aéreos não identificados. (M) O número de incidentes relatados, e suas descrições, de acidentes aéreos não identificados. Fenômenos com ativos nucleares militares, incluindo armas nucleares estratégicas e navios e submarinos movidos à energia nuclear. 10 NÃO CLASSIFICADO
  • 12. NÃO CLASSIFICADO (N) Em consulta com o Administrador de Segurança Nuclear, o número de incidentes e descrições dos mesmos, de fenômenos aéreos não identificados associados com instalações ou ativos associados à produção, transporte ou armazenamento de energia nuclear armas ou seus componentes. (O) Em consulta com o Presidente da Comissão Reguladora Nuclear, o número de incidentes relatados e descrições dos mesmos, de fenômenos aéreos não identificados ou drones de origem desconhecida associada a usinas geradoras de energia nuclear, locais de armazenamento de combustível ou outros locais ou instalações regulamentados pelo Regulador Nuclear Comissão. (P) Os nomes das organizações de linha que foram designadas para executar as tarefas específicas funções sob as subseções (c) e (d), e as funções específicas para as quais cada uma dessas a organização de linha recebeu a responsabilidade primária. Notas: 1. A subseção (c), referenciada na subseção (h) (P) acima, é intitulada Resposta a e Campo Investigações de Fenômenos Aéreos Não Identificados. 2. A subseção (d), referenciada na subseção (h) (P) acima, é intitulada Científica, Análises Tecnológicas e Operacionais de Dados de Fenômenos Aéreos Não Identificados. APÊNDICE B: ESTABELECIMENTO DO ESCRITÓRIO E DEVERES DO ESCRITÓRIO DE RESOLUÇÃO DE ANOMALIAS DE TODOS OS DOMÍNIOS (AARO) – FY 2022 NDAA Subseção (a) da seção 1683 (Estabelecimento de Escritório, Estrutura Organizacional e Autoridades para Enfrentar Fenômenos Aéreos Não Identificados) da Autorização de Defesa Nacional A Lei (NDAA) para o Ano Fiscal de 2022 (Lei Pública 117-81) estabeleceu um escritório designado para substituir a Força-Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAPTF), mais tarde identificado como: Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO). AARO foi criada em 20 de julho de 2022. A subseção (b) da seção 1683 delineava as funções desse cargo. O texto dessas subseções é como segue: 11 NÃO CLASSIFICADO
  • 13. NÃO CLASSIFICADO (a) Estabelecimento do Escritório. Até 180 dias após a data de publicação do desta Lei, o Secretário de Defesa, em coordenação com o Diretor de Inteligência, deve estabelecer um escritório dentro de um componente do Departamento de Defesa e o Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional, para desempenhar as funções da Força-Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados, em vigor no dia anterior à data de promulgação desta Lei, e outras obrigações exigidas por esta seção. (b) Deveres. Os deveres do Escritório estabelecidos na subseção (a) incluirão o Segue: (1) Desenvolver procedimentos para sincronizar e padronizar a coleção, relatórios e análises de incidentes, incluindo efeitos fisiológicos adversos, sobre fenômenos aéreos não identificados em todo o Departamento de Defesa e a Comunidade de Inteligência. (2) Desenvolver processos e procedimentos para garantir que tais incidentes de cada componente do Departamento e cada elemento da Comunidade de Inteligência são relatados e incorporados em um repositório centralizado. (3) Estabelecer procedimentos para exigir o relato oportuno e consistente de tais incidentes. (4) Avaliando as ligações entre fenômenos aéreos não identificados e adversários governos estrangeiros, outros governos estrangeiros ou atores não estatais. (5) Avaliar a ameaça que tais incidentes representam para os Estados Unidos. (6) Coordenar com outros departamentos e agências do Governo Federal, conforme apropriado, incluindo a Administração Federal de Aviação (FAA), a Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço (NASA), o Departamento de Segurança Interna, o Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), e o Departamento de Energia (DoE). (7) Coordenar com aliados e parceiros dos Estados Unidos, conforme apropriado, para avaliar melhor a natureza e extensão de fenômenos aéreos não identificados. (8) Preparar relatórios para o Congresso, tanto na forma classificada como não classificada, inclusive na seção (i). APÊNDICE C: ÍNDICE DE TERMOS-CHAVE Este relatório usa os seguintes termos de definição: 12 NÃO CLASSIFICADO
  • 14. NÃO CLASSIFICADO Alcance Fouler: Definido por aviadores da Marinha dos EUA com base em observações de Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) interromperem o treinamento pré-planejado ou outra atividade militar em áreas de operação militar ou espaço aéreo restrito. Objetos ou Dispositivos Transmeio: Objetos ou dispositivos que são observados em transição entre o espaço e a atmosfera, ou entre a atmosfera e as massas de água, que não são imediatamente identificáveis. Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP): Objetos transportados pelo ar não imediatamente identificável. A sigla Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) representa a mais ampla categoria de objetos aerotransportados revistos para análise. Evento Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP): Uma descrição holística de uma ocorrência durante a qual um piloto ou tripulação testemunhou (ou detectou) alguns Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Incidente Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP): Uma parte específica do evento. Relatório Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP): Documentação de um evento Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) para incluir cadeias de custódia verificadas e informações básicas como hora, data, local e descrição dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP). Os relatórios Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP) incluem relatórios Range Fouler e outros relatórios. 13 NÃO CLASSIFICADO