negócios 
Jornal de 
Ano XX | # 247 | outubro de 2014 | www.sebraesp.com.br | 0800 570 0800 | radio.sebraesp.com.br facebo...
2 | jornal de negócios | Alto Tietê 
Foto: Anderson Prado Semana do Empreendedor 
movimenta o Alto Tietê 
SEG • 13/10 
19h...
edição 247 | outubro de 2014 | 3 
1001 Maneiras de Premiar 
seus Colaboradores 
(Editora Sextante) 
Reconhecer o trabalho ...
4 | jornal de negócios 
tecnologia lidera crescimento 
Empresas de tecnologia lideram o levantamento das PMEs que mais cre...
edição 247 | outubro de 2014 | 5 
cálculo do regime tributário 
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Est...
6 | jornal de negócios 
Coxinha 
inovadora Salgadinho tradicional ganha variações de tamanho e sabor, comprovando 
que é p...
edição 247 | outubro de 2014 | 7 
Uma parceria 
de sucesso 
Milton Luiz de Melo Santos 
é economista, presidente da Desenv...
8 | jornal de negócios 
maior participação no pib 
Os pequenos negócios respondem por mais de um quarto do Produto Interno...
edição 247 | outubro de 2014 | 9 
governo compra mais das mpes 
A participação da pequena e microempresa nas compras feder...
10 | jornal de negócios 
faturamento dos pequenos cresce 0,8% 
Aumento de 5,5% do setor de serviços sustentou a leve alta ...
edição 247 | outubro de 2014 | 11 
plano diretor incentiva comércio 
O novo Plano Diretor de São Paulo, aprovado no fim de...
12 | jornal de negócios 
Ig mercado de orgânicos em ascensão 
O mercado de orgânicos movimentou R$ 1,5 bilhão em 2013 e a ...
edição 247 | outubro de 2014 | 13 
D investidores de olho em tecnologia 
Pesquisa feita pelos Anjos do Brasil, organização...
14 | jornal de negócios 
franquia para pequenos 
Ambev quer alcançar 1,5 mil franqueados com a rede Nosso Bar, uma opção d...
edição 247 | outubro de 2014 | 15 
q solteiras são mais ambiciosas 
Pesquisa feita pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao...
16 | jornal de negócios 
Classificados o sebrae-sp não se responsabiliza pelas informações disponibilizadas neste espaço p...
edição 247 | outubro de 2014 | 17 
inventos 
organizacional 
CONTABILIDADE 
ABERTURA, Alteração e 
Encerramento de Empresa...
18 | jornal de negócios 
Para tornar a comunicação mais acessível ao cliente com deficiência auditiva, 
o SEBRAE-SP dispon...
edição 247 | outubro de 2014 | 19 
Quais critérios devo 
observar para definir 
o preço de venda 
de uma mercadoria? 
No p...
20 | jornal de negócios 
b 
site ajuda a encontrar parceiros 
Pelas redes 
sociais Atendimento ao cliente pelas plataforma...
edição 247 | outubro de 2014 | 21 
guia para microfranquias 
Cartilha lançada pela Associação Brasileira de Franchising (A...
22 | jornal de negócios 
finanças organizadas via web 
O ZeroPaper é o novo aplicativo que simplifica a vida de Microempre...
Alto Tietê | edição 247 | outubro de 2014 | 23 
pedro luiz garcia braga é conhe‑cido 
pelo trabalho inovador na 
região do...
24 | jornal de negócios | Alto Tietê 
Empreendedores 
se capacitam para 
atender turistas 
Ações promovidas pelo Sebrae‑SP...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Entrevista RH Sites ao Sebrae - Capa + Pág 20!

1.532 visualizações

Publicada em

Entrevista RH Sites ao Sebrae - Capa + Pág 20!

Publicada em: Carreiras
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Entrevista RH Sites ao Sebrae - Capa + Pág 20!

  1. 1. negócios Jornal de Ano XX | # 247 | outubro de 2014 | www.sebraesp.com.br | 0800 570 0800 | radio.sebraesp.com.br facebook.com/sebraesp youtube.com/sebraesaopaulo twitter.com/sebraesp Veja dicas para atender melhor os clientes pelas redes sociais Consumidores usam cada vez mais as plataformas digitais para interagir com empresas e reclamar sobre produtos e serviços. Tendência abre oportunidade para mostrar diferenciais, mas exige rapidez e conhecimento do público-alvo página 20 alto tietê Hora de empreender Negócio próprio atrai cada vez mais brasileiros, como Luís Machado, criador do iCasei. Faça o teste e confira se você está pronto para ser patrão | páginas 10 e 11 Empresários lucram com a reinvenção da coxinha Salgadinho tradicional ganha novos recheios, formatos e sabores, provando que a inovação pode ser simples e um bom negócio página 6 Cartilha ensina a economizar energia e a cortar custos medidas simples, como a troca de lâmpadas, reduzem a conta de luz página 8 Planejamento na palma da mão facilita o dia a dia metodologia em cinco passos permite acompanhamento mais eficaz página 15 edição especial de outubro Mês do Empreendedor 20 anos do Jornal de Negócios 500 mil exemplares 42 anos do Sebrae-SP 5 / 10 Dia Nacional do Empreendedor Empresários de Mogi criam academia para reabilitação Cecerfi inova com atendimento exclusivo a idosos e a pessoas com deficiência física página 23 Capacitação contribui para os negócios voltados ao turismo Escritório Regional do Sebrae-SP no Alto Tietê profissionaliza empresas no Circuito das Nascentes página 24
  2. 2. 2 | jornal de negócios | Alto Tietê Foto: Anderson Prado Semana do Empreendedor movimenta o Alto Tietê SEG • 13/10 19h às 21h | Palestra sobre o Empretec | Ferraz de Vasconcelos | PAE Ferraz | Av. Santos Dumont, 1.646 15h às 17h | Palestra Planejamento: O Primeiro Passo para Começar seu Negócio | Suzano | PAE Suzano R. Washington Luiz, 185 TER • 14/10 9h às 12h | Oficina SEI Controlar Meu Dinheiro | Mogi das Cruzes | Sebrae‑SP Alto Tietê | Av. Francisco Ferreira Lopes, 345 | evento pago 15h às 17h | Palestra Como se Tornar Microempreendedor Individual | Suzano | PAE Suzano| R. Washington Luiz, 185 TER • 14/10 18h às 22h | Oficina Transforme sua Ideia em Modelo de Negócios | Suzano | PAE Suzano | R. Washington Luiz, 185 | evento pago QUA • 15/10 15h às 17h | Palestra Empresa Organizada Tem Melhor Desempenho | Mogi das Cruzes | Sebrae‑SP Alto Tietê Av. Francisco Ferreira Lopes, 345 18h às 22h | Oficina Transforme sua Ideia em Modelo de Negócios | Mogi das Cruzes | Sebrae‑SP Alto Tietê Av. Francisco Ferreira Lopes, 345 | evento pago QUI • 16/10 19h às 21h | Palestra Por Dentro dos Custos, Despesas e Preço de Venda | Mogi das Cruzes | Sebrae‑SP Alto Tietê Av. Francisco Ferreira Lopes, 345 19h às 22h | Oficina Na Medida: Como Vender por Um Site de Comércio Online | Mogi das Cruzes | Sebrae‑SP Alto Tietê | Av. Francisco Ferreira Lopes, 345 | evento pago QUI • 16/10 18h às 22h | Oficina Transforme sua Ideia em Modelo de Negócios | Mogi das Cruzes | Sebrae‑SP Alto Tietê Av. Francisco Ferreira Lopes, 345 | evento pago A Semana do Empreendedor, promovida pelo Es‑critório Regional do Sebrae‑SP no Alto Tietê entre os dias 13 e 18 de outubro, levará conhecimento e oportunidades para os interessados em abrir ou melhorar seus negócios. No evento deste ano, os empreendedores poderão acompanhar palestras e oficinas com diversos focos. Além das capacitações, o Sebrae‑SP promoverá a Caravana do Empreendedor, que percorrerá todo o Estado. Ela estará na região do Alto Tietê nos dias 13 e 14 de outubro e contará com oito carros do Sebrae Móvel. Os empreendedores interessados podem so‑licitar informações sobre endereços e horários de atendimento, além de se inscreverem para as pa‑lestras e oficinas pelo telefone (11) 4722-8244. cloud tags Empreendedorismo Gestão Planejamento Gastos Cursos Negócios Inovação Atendimento Redes sociais Cenário Economia Equipe Investimento Capacitação
  3. 3. edição 247 | outubro de 2014 | 3 1001 Maneiras de Premiar seus Colaboradores (Editora Sextante) Reconhecer o trabalho bem- -feito é uma das maneiras mais eficientes de motivar sua equipe de trabalho. Bob Nelson mostra que a remuneração não é o único fator importante na satisfação. Sonho Grande (Editora Primeira Pessoa) Cristiane Correa apresenta a trajetória de Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira até construírem o maior império do capitalismo brasileiro, dono de marcas como Budweiser, Burger King e Heinz. expediente Publicação mensal do Sebrae-SP Tiragem 500 mil exemplares CONSELHO DELIBERATIVO Presidente: Alencar Burti ACSP, ANPEI, Banco do Brasil, Faesp, FecomercioSP, Fiesp, Fundação Parqtec, IPT, Desenvolve SP, SEBRAE, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Sindibancos-SP, Superintendência Estadual da Caixa Econômica Federal. DIRETORIA EXECUTIVA Diretor Técnico: Ivan Hussni Diretor de Administração e Finanças: Pedro Jehá Os desafios do empreender JORNAL DE NEGÓCIOS Unidade Inteligência de Mercado Gerente: Eduardo Pugnali Editora responsável: Marcelle Carvalho - MTB 00885 Editores - assistentes: Roberto Capisano Filho e Daniel Lopes Apoio comercial: Unidade Comercial Giulliano Antonelli (gerente) Projeto gráfico e produção Impressão: Plural Indústria Gráfica Inspiração na cabeceira Autores ensinam dicas de como melhorar e inovar no cotidiano de sua empresa ELOGIE. SUGIRA. CRITIQUE. RECLAME. Queremos ouvi-lo: 0800 570 0800 ouvidoria@sebraesp.com.br www.sebraesp.com.br > clique em OUVIDORIA. interior será motor do crescimento Estudo da consultoria americana Boston Consulting Group (BCG) aponta que famílias de classe média de municípios do interior do Brasil formarão um mercado superior a US$ 600 bilhões em 2020. Apesar do provável mercado crescente, segundo o estudo, poucas empresas estão preparadas para aproveitar as oportunidades. Muitas cidades não contam com lojas físicas que atendam adequadamente a essa demanda e infraestrutura (aeroportos, rodovias, ferrovias e portos) para impulsionar setores como o turismo. errata Na reportagem Pagamento do 13º começa bem antes do fim do ano, publicada na edição 246 do Jornal de Negócios, quando o texto menciona o salário de R$ 1,2 mil, o correto seria dizer o custo total do empregado no mês. Citando o mesmo exemplo, considerando o custo mensal de um funcionário para empresa de R$ 1,2 mil, a quantia a ser depositada é de 1/12 desse valor, ou seja, R$ 100 ao mês. A busca de realizar o sonho de empreen-der impulsiona, todos os anos, centenas de milhares de brasileiros. No País existem hoje 9 milhões de pequenos negócios e microem-preendimentos individuais, responsáveis por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) – cerca de R$ 600 bilhões – e por 16 milhões de empre-gos com carteira assinada. Somam-se a estes, inúmeros brasileiros que começam a pensar em sua entrada no mundo dos negócios. Esse é o cenário com o qual os colaborado-res do Sebrae-SP se deparam diariamente, nos mais diversos canais de atendimento da enti-dade. Com eles, chegam também as dúvidas que podem transformar o sonho em pesadelo. Pesquisa recente mostra que a falta de pla-nejamento prévio e as deficiências de gestão são os principais fatores que levam ao encerra-mento de suas atividades. De cada 10 empresá-rios, cinco não planejaram o mínimo necessário nem sabiam o número de clientes potenciais e seus hábitos de consumo. A conjugação desses fatores faz com que um quarto dos empreendi-mentos não complete um ano de atividade. Tais resultados são preocupantes e au-mentam nossa responsabilidade de colocar o conhecimento de especialistas a serviço dos empresários e futuros empreendedores por multicanais de forma mais ágil e criativa. Por tudo isso, Planejamento foi escolhi-do entre os temas-chave para estrear o novo Jornal de Negócios. Agora, mensalmente, 500 mil exemplares serão distribuídos gra-tuitamente em todo o Estado, levando orien-tação em administração, finanças, marketing, investimentos, inovação, entre outros. No mês em que se comemora o Dia da Peque-na Empresa (5/10), este é nosso presente para os paulistas que sonham em alcançar a autorre-alização por meio da atividade empreendedora. Trata-se de uma pequena amostra do universo de produtos e serviços que colocamos à sua dis-posição. É a nossa maneira de ajudar a concreti-zar seu sonho numa realidade de sucesso. Alencar Burti, Presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae‑SP SEBRAE-SP Rua Vergueiro, 1.117, Paraíso, CEP: 01504-001 Escritórios Regionais Sebrae-SP Alto Tietê 11 4722-8244 Araçatuba 18 3622-4426 Araraquara 16 3332-3590 Baixada Santista 13 3289-5818 Barretos 17 3323-2899 Bauru 14 3234-1499 Botucatu 14 3815-9020 Campinas 19 3243-0277 Capital Centro 11 3253-2121 Capital Leste I 11 2225-2177 Capital Leste II 11 2074-6601 Capital Norte 11 2976-2988 Capital Oeste 11 3832-5210 Capital Sul 11 5522-0500 Franca 16 3723-4188 Grande ABC 11 4990-1911 Guaratinguetá 12 3132-6777 Guarulhos 11 2440-1009 Jundiaí 11 4587-3540 Marília 14 3422-5111 Osasco 11 3682-7100 Ourinhos 14 3326-4413 Piracicaba 19 3434-0600 Pres. Prudente 18 3222-6891 Ribeirão Preto 16 3621-4050 São Carlos 16 3372-9503 S. J. da Boa Vista 19 3622-3166 S. J. do Rio Preto 17 3222-2777 S. J. dos Campos 12 3922-2977 Sorocaba 15 3224-4342 Sudoeste Paulista 15 3522-4444 Vale do Ribeira 13 3821-7111 Votuporanga 17 3421-8366
  4. 4. 4 | jornal de negócios tecnologia lidera crescimento Empresas de tecnologia lideram o levantamento das PMEs que mais crescem no Brasil. Segundo estudo produzido pela Deloitte junto com a Exame PME, entre as 250 empresas de maior crescimento no ano passado, 27% são de tecnologia, 19% operam em telecomunicações e 9% pertencem ao setor de construção. Jornal de Negócios ganha novo projeto editorial Em comemoração aos 20 anos, a publicação fica maior e passa a ter conteúdo específico de todas os Escritórios Regionais do Sebrae-SP utubro é um mês especial para o Sebrae-SP. É quando se come‑moram o Dia da Pequena Empresa O e o Dia Nacional do Empreendedor, ambos celebrados no dia 5. Também marca os 42 anos do Sebrae-SP e os 20 anos deste periódico. Em 2014, outu‑bro é ainda mais especial, porque é o mês escolhido para o lançamento do novo Jornal de Negócios. A publica‑ ção, que já é referência em empreen‑dedorismo, ganha a partir de agora novos projetos gráfico e editorial, feitos sob medida para mais de 30 regiões do Estado. Cada um dos 28 Escritórios Re‑gionais do Sebrae-SP, assim como os seis escritórios regionais da en‑tidade na capital paulista, passa a ser representado no Jornal de Ne-gócios, em edições regionalizadas, que acompanham mais de perto a realidade da qual faz parte a micro e pequena empresa. A publicação passa de 12 para 24 páginas, aumentando a riqueza de seu conteúdo. De forma clara e obje‑tiva, o empreendedor receberá orien‑tações que colaboram para o dia a dia dos negócios, com informações sobre gestão, marketing, finanças, entre outros temas. A tiragem do Jornal de Negócios também aumentou. Agora, são 500 mil exemplares distribuídos gratuita‑mente em todo o Estado. Considerando a média de três leitores por exemplar, como atestam pesquisas internacio‑nais, 1,5 milhão de pessoas serão im‑pactadas pelo conteúdo da publicação.
  5. 5. edição 247 | outubro de 2014 | 5 cálculo do regime tributário A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) criou uma calculadora para ajudar os empresários a escolher o regime tributário. A ferramenta compara Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional, indicando carga tributária e lucro em cada opção. Basta indicar a renda bruta mensal para que o sistema faça o cálculo. O programa pode ser acessado gratuitamente pelo site http://www.programarelaciona.com.br/planejamento-tributario.php. Rei das oportunidades CEO do Grupo Ornatus, Jae Ho Lee conta como construiu marcas que são referências em acessórios femininos e em fast-food o sul-coreano jae ho lee enxergou novas pos-sibilidades de negócios a partir da inserção das mulheres no mercado de trabalho bra-sileiro. ao prever a mudança cultural, ele construiu o grupo ornatus, uma referência no universo feminino (com as marcas mo-rana e balonè) e de alimentação (com jin jin wok, jin jin sushi, mysandwich e little tokyo). com mais de 20 anos de mercado, o conglomerado soma cerca de 400 lojas – en-tre próprias e franquias espalhadas por to-dos os estados –, fechando 2013 com fatura-mento de r$ 300 milhões. em entrevista ao jornal de negócios sebrae-sp, o ceo do grupo ornatus comenta as razões do seu sucesso. Qual é a importância de se preparar para empreender? Preparação é tudo. O medo é natural quando se começa, porém, a prepara‑ção ajuda a calcular os riscos. Errar faz parte do sucesso. Eu fiz Administra‑ção de Empresas na USP e foi durante minha graduação que percebi que o mercado brasileiro tinha uma opor‑tunidade para a culinária chinesa fast-food, que ainda não era forte no País. Preparar-se é uma parte da cons‑trução do empreendedor, mas ele tem de ser apaixonado pelo que faz e ficar sempre atento às oportunidades. Como faz para gerir segmentos tão diferentes? O ponto em comum entre os setores é a inserção da mulher no mercado de trabalho, que cresce ao ritmo de dois dígitos anualmente. Percebemos que existia uma forte demanda e, até hoje, o Grupo Ornatus tem essa vocação de entender as oportunidades no merca‑do e desenvolver algum produto ou serviço para atender à demanda. Por isso, nosso plano de negócios muda o tempo inteiro. O que deu certo e o que não funcio-nou na sua experiência de negócios? O sistema de franquia para expandir as marcas é fantástico, pois é um con‑trato comercial entre dois empresá‑rios. O franqueador está preocupado com a estratégia, a comunicação e o posicionamento. Já o franqueado, com a execução e o conhecimento de mer‑cado. Ambos os lados se dedicam e se desenvolvem. Um deslize ocorreu quando tenta‑mos a internacionalização, pois não estávamos no momento adequado. O mercado brasileiro exigia muita aten‑ção e não demos o suporte necessário para ingressar em novos mercados. Entretanto, o erro faz parte do proces‑so de evolução. O que aconselha que o empreendedor não faça? Um dos assuntos mais delicados ao abrir uma empresa é a questão so‑cietária. Você não deve se associar a alguém apenas pela necessidade financeira. O sócio deve ser capaz de agregar à empresa. Se for apenas in‑teresse, em algum momento essa re‑lação acabará. Isso se aplica também a empresas familiares: se ela estiver bem estruturada, é o melhor modelo que existe, porque há confiança, cum‑plicidade e velocidade nas decisões. Deu certo “Optei pelo sistema de franquias para expandir as marcas e foi um sucesso, pois é um contrato comercial entre dois empresários.” Não deu certo “Partimos para a internacionalização quando o mercado brasileiro ainda exigia muita dedicação e não demos a atenção necessária aos novos mercados.” Empresário recomenda aos empreendedores paixão pelo negócio e atenção às oportunidades Foto: Emiliano Hagge Jae Ho Lee
  6. 6. 6 | jornal de negócios Coxinha inovadora Salgadinho tradicional ganha variações de tamanho e sabor, comprovando que é possível inovar em produtos tradicionais A Com tradição de 18 anos na venda do famoso salgado, a padaria Panet‑teria ZN, na zona norte de São Pau‑lo, seguiu caminho contrário e ficou conhecida no ano passado pela pro‑moção da supercoxinha: ela tem um quilo e sai de graça para quem comer tudo em menos de dez minutos. Com a ação inovadora – e sem mudar a tradicional receita –, o estabeleci‑mento conseguiu atrair atenção do público e da mídia. A iniciativa dobrou as vendas da coxinha em tamanho tradicional. “Como não conseguem comer a su‑percoxinha, os clientes acabam ex‑perimentando a normal para pro‑var o sabor”, aponta a proprietária da padaria, Fátima Oliveira Dias. A qualidade reconhecida pelos clien‑tes rendeu à Panetteria ZN o primei‑ro lugar na enquete da revista Veja São Paulo para eleger a melhor coxi‑nha da cidade (edição 2014). O curioso é que todo o sucesso co‑meçou com o erro de uma das cozi‑nheiras, que fez o salgado grande demais. A falha virou piada entre os funcionários, que duvidaram se al‑guém seria capaz de comer o quitute. coxinha como é conhecida hoje tem mais de um século de exis‑tência e é praticamente unanimida‑de entre adultos e crianças. O fato de o salgadinho ser tão tradicional não impede muitas empresas de inovar na apresentação: produto gourmet, coxinha de um quilo, minicoxinhas servidas no copo, coxinha doce e até sabores pouco convencionais, como bife à parmegiana. Continua sendo coxinha, mas carrega a marca da inovação do estabelecimento. “O primeiro passo para se diferen‑ciar no setor é focar no público-alvo. Quem você pretende atingir?”, orien‑ta o consultor do Escritório Regional do Sebrae-SP em Presidente Pruden‑te, Wagner Moreira Lopes. Para os que buscam sabores diferentes, a Santa Coxinha, localizada na zona leste de São Paulo, oferece mais de 40 opções. Já a Coxinha Du Chef, com nove pontos espalhados pela capital paulista, criou dois sabores doces: brigadeiro e doce de leite. A decisão também pode ser baseada em aspec‑tos econômicos. Para ganhos de es‑cala, por exemplo, uma alternativa são as minicoxinhas no copo. Fátima gostou da reação de surpresa e apostou que aquilo poderia ser um diferencial. “Muitas vezes, grandes su‑cessos estão nas coisas simples e feitas com carinho”, explica. Para quem deseja inovar na receita, a dica é colocar os produtos diferentes aos poucos, sem eliminar os tradicio‑nais do cardápio. “A estratégia é espe‑rar o público aderir a um sabor para depois lançar outro. Às vezes você cria muitas opções, mas não se dedica como deveria e nenhuma delas empla‑ca, exatamente porque não teve tempo de obter o retorno”, aponta Lopes. Uma boa estratégia para testar a aceitação de novos produtos com os clientes, segundo o consultor, é investir em amostras grátis e em miniaturas a serem distribuídas na vizinhança em horários estratégicos entre as refeições. O empresário pode também investir em recheios dife‑rentes e caprichar no atendimento, o que fidelizará o cliente. Fátima, da Panetteria ZN, ficou conhecida pela supercoxinha Foto: Emiliano Hagge Pulo do gato Uma estratégia interessante para o setor de alimentação é oferecer um menu de degustação, que nada mais é do que apresentar vários produtos em miniatura para que o cliente possa conhecer os sabores. Além disso, o estabelecimento pode lucrar com a iniciativa: ao diminuir o tamanho e aumentar a variedade, é possível cobrar mais e gastar menos com a matéria-prima. Faça as contas e experimente. Lições rápidas: • Todo mundo adora promoções; • Uma simples mudança no tamanho dos produtos influencia na visão do cliente e no lucro; • Inovações acontecem quando se está disposto a tentar coisas diferentes. investimento em startups Estudo da organização Anjos do Brasil aponta que 58% das startups receberam até R$ 100 mil em investimentos. Outras 25% receberam entre R$ 100 mil e R$ 500 mil, enquanto 12% ganharam aporte entre R$ 500 mil a R$ 1 milhão. Apenas 5% dos investidores aplicaram mais de R$ 1 milhão nas startups brasileiras. Para quem deseja inovar na receita, a dica é colocar os produtos diferentes aos poucos, sem eliminar os tradicionais do cardápio
  7. 7. edição 247 | outubro de 2014 | 7 Uma parceria de sucesso Milton Luiz de Melo Santos é economista, presidente da Desenvolve SP e conselheiro do Sebrae-SP O crédito de longo prazo está dei-xando de ser um problema no Estado de São Paulo. Antes restrito a poucos em-presários, o financiamento sustentável que impulsiona o crescimento econômi-co está cada vez mais presente no dia a dia do empreendedor paulista, graças, principalmente, à sinergia de parcerias entre instituições como o Sebrae-SP e a Desenvolve SP – Agência de Desen-volvimento Paulista. O papel do Sebrae-SP na formação do empreendedor é fundamental para au-mentar a competitividade da economia paulista. Conceitos como planejamento, organização e gestão, tão brilhantemen-te difundidos pelo Sebrae-SP, são os ali-cerces para que os empreendedores te-nham acesso ao crédito de longo prazo da Desenvolve SP. Nos cinco anos de história da insti-tuição, criamos linhas especiais com juros a partir de zero; aumentamos os prazos de pagamento – que ago-ra chegam a até dez anos –; e apos-tamos na inovação do empreendedor paulista como forma de incentivar o crescimento da economia. Nesse pe-ríodo, mais de R$ 1,5 bilhão já foi fi-nanciado para mais de 1,2 mil empre-sas em 230 municípios paulistas. A parceria entre o Sebrae-SP e a Desenvolve SP oferece o apoio que o dono de pequena e média empre-sa precisa para fazer a economia paulista crescer. Afinal, capacitação profissional, inovação e crédito sus-tentável são as senhas para trans-formar o empreendedor em um em-presário de sucesso. cresce o número de franquias Dados da Rizzo Franchise mostram que 6.589 franquias foram criadas no Brasil no primeiro semestre, com uma média de cinco novas lojas por dia. Segundo o levantamento, 63 novas marcas franqueadoras entraram no mercado nacional no mesmo período e 80% dos futuros empresários pretendem começar um novo negócio em sociedade com algum familiar. NO VI DA DES sebrae móvel divulga produtos e serviços As unidades móveis do Sebrae-SP poderão ser adesivadas para promoção e divulgação de produtos ou serviços. O Sebrae Móvel é um escritório montado em uma van customizada para o atendimento gratuito ao público. Os veículos percorrem todo o Estado e ficam estacionados em pontos movimentados dos municípios, além de grandes eventos. Os interessados em divulgar sua marca ou produto no Sebrae Móvel devem procurar o escritório do Sebrae-SP na região ou ligar para 0800 570 0800. isenção fiscal para startups Tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei que pretende isentar dos impostos federais startups voltadas à tecnologia e informática que tenham faturamento trimestral de até R$ 30 mil e quatro funcionários. Analistas acreditam que a medida beneficiará principalmente os empreendedores que não encontraram um parceiro investidor. serviço de armazenamento nas nuvens A NET traz uma novidade para as pequenas empresas: o NET Cloud, serviço de armazenamento de documentos na nuvem. São três pacotes com valores de R$ 8,90, R$ 13,50 e R$ 18,40 por mês (variando de acordo com o conjunto de serviços contratados). As opções incluem backup online, hospedagem, construção de site e domínio personalizado. aplicativo para chamar motoboy Os empresários Alexandre Bazzi e Diego Nunes criaram um aplicativo para contratar serviço de entrega de motoboy. No site www. smartentrega.com.br, o cliente pode encontrar um dos 300 motoboys habilitados a realizar sua entrega. Para se cadastrar, o motoboy precisa ser um Microempreendedor Individual (MEI) e possuir um smartphone. O sistema cobra 20% de cada corrida.
  8. 8. 8 | jornal de negócios maior participação no pib Os pequenos negócios respondem por mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, ou 27%, segundo levantamento da Fundação Getulio Vargas realizado a pedido do SEBRAE. O País registra 9 milhões de micros e pequenas empresas em operação. O último dado era do IBGE, de 1985, e apontava participação de 21% para os pequenos negócios no PIB brasileiro. Cortar para ganhar Ações simples como trocar lâmpadas, telhas e pintar paredes com cores claras podem ajudar a economizar nas contas das empresas E Foto: Emiliano Hagge Dono de uma confecção, Roberto Lopes trocou as lâmpadas para economizar na conta de luz da companhia. “Uma simples troca de lâmpadas ou manutenção preventiva de equipamentos pode diminuir subs‑tancialmente a conta de luz no fim do mês”, afirma a consultora do Escritório Regional Capital Oeste do Sebrae-SP, Dorli Martins. Foi o que fez o empresário Roberto Lopes, proprietário da confecção infan‑tojuvenil Barrigudinhos, localizada na zona leste de São Paulo. “Troquei todas as lâmpadas por fluorescentes duplas e, no primeiro mês, a conta já caiu pela metade”, afirma. O ganho de Lopes deve-se ao fato de as lâmpadas fluores‑centes serem 60% mais eficientes do que as lâmpadas comuns de mercúrio. A economia foi ainda maior quan‑do o empresário resolveu investir tam‑bém na manutenção preventiva dos equipamentos. As máquinas de casear e pregar botões estavam sempre com problemas na parte elétrica e utiliza‑vam mais energia do que a necessária para a produção. A manutenção pre‑ventiva, além de acabar com o “roubo” de energia, ainda garantiu que a pro‑dução não sofresse interrupções. O primeiro passo para diminuir os custos com energia e água é identifi‑car em que parte a economia pode ser feita. “Se a empresa utiliza água em algum processo de produção, seria in‑teressante investir em uma cisterna para captar a água da chuva e utilizá‑ -la no processo”, declara Dorli. A me‑dida vale para qualquer setor: basta o empresário identificar os pontos nos quais pode economizar e buscar infor‑mações sobre as melhores maneiras de fazer isso. Para ajudar as indústrias na busca de eficiência energética, o Sebrae-SP e a Associação Brasileira de Serviços de Conservação de Energia (Abesco) lançaram uma cartilha com dicas sobre as vantagens e as possibi‑lidades de redução de custo e aumento da produtividade e competitividade a partir de ações sustentáveis. Na confecção de Lopes, por exem‑plo, a próxima ação de economia será a substituição das descargas dos ba‑nheiros por modelos que reservam a quantidade necessária em um depósi‑to – evitando, assim, o desperdício. m época de escassez de água, como a que vivemos em São Paulo, é importante que as empresas adotem ações que resultem em economia de recursos naturais e em impacto posi‑tivo sobre as finanças. Além de fazer valer os conceitos de sustentabilida‑de, é possível economizar energia e água a partir da adoção de pequenas mudanças que não custam muito, mas são capazes de aumentar o lucro
  9. 9. edição 247 | outubro de 2014 | 9 governo compra mais das mpes A participação da pequena e microempresa nas compras federais tem aumentado cerca de 10% a cada ano. Em 2013, do total das aquisições de bens e serviços feitas pelo governo federal, 30% (ou R$ 20,5 bilhões) correspondem às contratações de MPEs. Agora, o SEBRAE quer mapear as compras das MPEs nos Estados brasileiros. Os indicadores começam a ser medidos em quatro Estados – Ceará, Minas Gerais, Pará e Rio Grande do Sul. Mês do empreendedor tem programação especial Ivan Hussni, diretor técnico do Sebrae-SP O dia a dia do empreendedor en-volve uma série de desafios. É preciso vencer a burocracia, a carga tributária e as dificuldades de crédito – para ci-tar apenas algumas das provações a que são submetidos todos os dias ho-mens e mulheres que optam por con-duzir o próprio negócio. Há 42 anos, o Sebrae-SP apoia a mi-cro e pequena empresa, colaborando para a capacitação dos empresários e para o estímulo ao empreendedorismo, na certeza de que o desenvolvimento do Brasil depende da competitividade e da sustentabilidade dessas iniciativas. O Jornal de Negócios tem sido peça fundamental desse trabalho le-vado adiante pelo Sebrae-SP. Mensal-mente, a publicação leva a seus leito-res informações e dicas que ajudam os empreendedores a administrar melhor seus negócios. A partir deste mês, chegaremos a um universo bem maior, com o aumento da tiragem para 500 mil exemplares. Tão importante quanto falar de ne-gócios é falar de pessoas, motivo pelo qual as páginas do Jornal de Negó-cios são invariavelmente ocupadas por histórias de sucesso. Para outu-bro, mês do empreendedor, prepa-ramos uma edição especial, na qual destacamos também a programação do Sebrae-SP, criada especialmente para a data. São cursos, palestras e workshops sobre temas variados do universo da micro e pequena empre-sa. Esperamos que algum deles aten-da à sua necessidade. Participe! 12 passos para diminuir custos: 1 Troque lâmpadas de mercúrio por fluorescentes ou LED; 2 Pinte as paredes da empresa com cores claras que dão maior luminosidade; 3 Troque telhas normais por telhas translúcidas; 4 Realize manutenção preventiva nos equipamentos e nas máquinas; 5 Certifique-se de que as instalações elétricas sempre estejam em dia; 6 Verifique o contrato com a companhia de energia para identificar a tributação (comércio, indústria ou residencial); 7 Troque torneiras e descargas por modelos mais econômicos; 8 Se a empresa utiliza muita água na produção, invista em cisternas que captam a água da chuva; 9 Se possível, instale mais janelas para captar mais a luz do dia; 10 Inicie campanha de conscientização com os funcionários; 11 Substitua copos plásticos por recipientes de vidro ou louça; 12 Reveja a utilização de papel. Programe as impressões para frente e verso. Fonte: Cartilha de Eficiência Energética do Sebrae-SP para o setor industrial
  10. 10. 10 | jornal de negócios faturamento dos pequenos cresce 0,8% Aumento de 5,5% do setor de serviços sustentou a leve alta de 0,8% no faturamento semestral dos pequenos negócios no Estado de São Paulo. Segundo o levantamento do Sebrae-SP, foi o pior índice para o período desde 2009. O motivo é a desaceleração da atividade econômica, com inflação elevada, menores aumentos reais de salários e piora na confiança dos empresários e consumidores. A receita total dos pequenos no primeiro semestre ficou em R$ 285,4 bilhões, contra R$ 283 bilhões no mesmo período de 2013. Todos em busca de um sonho Brasileiros querem abrir o próprio negócio, mas sucesso depende da superação de obstáculos e do desenvolvimento de habilidades empreendedorismo nunca atraiu tanta gente no Brasil. Segundo dados da última pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor), de 2013, ter o negócio próprio é um dos prin‑cipais sonhos do brasileiro, superado apenas pelo desejo da compra da casa própria e o de viajar pelo País. Apesar desse sentimento tão forte, será que as pessoas estão preparadas? “Antigamente, em épocas de crise, o empreendedorismo era a única saí‑da para quem perdia o emprego. Mas o Brasil melhorou economicamente e, hoje, o principal motor do empreende‑dorismo é a oportunidade”, explica o consultor da área de Atendimento Se‑torial do Sebrae‑SP, Reinaldo Messias. A pesquisa GEM do ano passado com‑prova o cenário: a cada 100 pessoas que abriram um negócio, 71 o fizeram por oportunidade. O dado é um marco, configurando o melhor registro des‑de o começo do levantamento, há 12 anos. “Isso mostra que o interesse vai além de simplesmente ganhar mais di‑nheiro. É sobre ser independente e ter a liberdade de dar os rumos à própria vida”, esclarece. Segundo ele, é uma mudança cultural, como mostra nova‑mente a GEM: seguir carreira em uma companhia vem apenas em oitavo lu‑gar entre os desejos dos entrevistados. Apesar de a vontade de empreen‑der ter crescido no Brasil, os desafios continuam grandes em razão da bu‑rocracia, dos altos custos trabalhistas e dos impostos. Além das questões estruturais, ser o dono de um empre‑endimento exige o desenvolvimento O Em 2008, decidi abandonar o emprego porque acreditava que meu negócio podia dar certo. Senti medo, mas a vontade de empreender falou mais alto Foto: Emiliano Hagge Luís Machado montou o iCasei a partir da experiência do próprio casamento
  11. 11. edição 247 | outubro de 2014 | 11 plano diretor incentiva comércio O novo Plano Diretor de São Paulo, aprovado no fim de agosto, incentiva a instalação de espaços comerciais no saguão dos prédios residenciais e comerciais. A ideia é retomar o modelo que foi comum nos anos 60, a fachada ativa, que estimula o fluxo de pessoas pelas ruas e favorece empreendimentos de comércio e serviços. 1 No dia a dia, você produz ideias para aproveitar as oportunidades que surgem? a. Com frequência. (2 pontos) b. De vez em quando. (1 ponto) c. Raramente. (0 ponto) 2 Com relação aos problemas e imprevistos que surgem em sua trajetória, você: a. Desanima e abandona a iniciativa. (0 ponto) b. Enfrenta as dificuldades com intensidade e perseverança. (2 pontos) c. Sente-se enfraquecido, porém, procura a ajuda de outras pessoas para continuar. (1 ponto) 3 Você desperdiça tempo e outros recursos por falta de planejamento? a. Com frequência. (0 ponto) b. De vez em quando. (1 ponto) c. Raramente. (2 pontos) 4 Você age orientado para metas estabelecidas no tempo estipulado? a. Raramente. (0 ponto) b. De vez em quando. (1 ponto) c. Com frequência. (2 pontos) 5 Você lida bem com os riscos? a. Sim, os riscos são inerentes à atividade empreendedora e devem ser sempre avaliados. (2 pontos) b. Procuro enfrentar os riscos, mesmo quando tenho receio. (1 ponto) c. Não me sinto preparado, sou avesso ao risco. (0 ponto) 6 Você investe na formação e na manutenção da sua rede de contatos? a. Não acho importante ter uma rede de contatos. (0 ponto) b. Minha rede de contatos é densa e me apoia na realização de projetos. (2 pontos) c. Sei a importância da rede de contatos, mas preciso melhorá-la. (1 ponto) de habilidades e muita persistência. “Uma das mudanças é ter de trabalhar muito mais, às vezes até de fim de se‑mana. Se está dando certo, ninguém se incomoda, mas quando não dá di‑nheiro, as pessoas começam a ques‑tionar as escolhas”, diz Messias. Além disso, é necessário aprender a liderar, reter funcionários e, ainda, arcar com o peso de tomar todas as decisões. “To‑das as escolhas podem gerar prejuízos. Como empregado, você levaria apenas uma bronca ao errar, mas, como dono, isso resulta em perda financeira.” Foi o que aprendeu Luís Machado, criador do iCasei, plataforma online que permite ao casal a criação de um site personalizado para organizar o ca‑samento. O empreendedor paulistano se casou em 2006 com Priscila, de Pi‑racicaba, e teve a ideia de montar um site para facilitar a vida dos parentes da noiva no interior. O projeto foi tão elogiado que ele pensou em ganhar dinheiro com o conceito. “Virou sonho: ter um complemento de renda e ainda ajudar outras pessoas”, conta. O desejo foi realizado em 2007, com o lançamen‑to da plataforma. Na época, ele estava bem estabelecido em uma grande com‑panhia de softwares, mas, conforme o negócio próprio crescia, a esposa já não conseguia cuidar sozinha de tudo e Luís fazia jornada dupla noite adentro. “Em 2008, decidi abandonar o emprego, pois acreditava que meu negócio podia dar certo. Senti medo, mas a vontade de empreender falou mais alto”, lembra. Com o crescimento, Luís teve de aprender sobre todas as áreas da empre‑sa, desde o contato com o cliente até a parte tecnológica. “Aprendi muita coisa para não depender dos outros: o dono precisa ser generalista e saber se virar. Além disso, tomar decisões é uma gran‑de responsabilidade. Ao me confrontar com elas, sempre penso no que o cliente gostaria e nunca de forma apressada”, completa. Mas os desafios compensa‑ram. Atualmente, o iCasei tem 16 fun‑cionários e cria aproximadamente 3.500 sites para casamentos por mês, sendo pioneiro e referência no setor. Prova de sucesso para quem se arrisca por um sonho. Faça o quiz ao lado para avaliar suas características empreendedoras. Sou mesmo empreendedor? 7 As pessoas dizem que você é entusiasmado? a. Sim, ouço essa afirmação com frequência. (2 pontos) b. De vez em quando as pessoas se referem a mim dessa maneira. (1 ponto) c. Dificilmente ouço essa afirmação. (0 ponto) 8 Em busca de soluções inovadoras, você questiona as maneiras como as coisas são? a. Sim, faço isso com frequência. (2 pontos) b. De vez em quando. (1 ponto) c. Raramente. (0 ponto) 9 Você busca qualidade em tudo o que faz? a. Procuro sempre fazer o melhor que posso. (1 ponto) b. Sim, procuro garantir a qualidade nas atividades que me proponho a realizar. (2 pontos) c. Normalmente faço o esforço mínimo para finalizar a atividade, sem me preocupar com o resultado. (0 ponto) 10 Você é autoconfiante em relação ao que acredita? a. De vez em quando sou influenciado pelo que as outras pessoas dizem ou pensam. (1 ponto) b. Mudo a direção conforme a influência das outras pessoas. (0 ponto) c. Sim, tenho plena crença naquilo que faço. (2 pontos) Some os pontos e veja o resultado: De 0 a 8 pontos: Você precisa aprimorar suas características de empreendedor antes de correr riscos com uma empresa. De 9 a 14 pontos: Você apresenta algumas características de empreendedores de sucesso, mas é fundamental aprimorar sempre, atualizando e buscando novos e diferentes conhecimentos. De 15 a 20 pontos: Parabéns! Você mostra sinais de maturidade presentes em comportamentos empreendedores. Não deixe de buscar sempre inovações e atualizações. * Elaborado por Renato Fonseca de Andrade, consultor do Sebrae‑SP.
  12. 12. 12 | jornal de negócios Ig mercado de orgânicos em ascensão O mercado de orgânicos movimentou R$ 1,5 bilhão em 2013 e a expectativa é alcançar R$ 2 bilhões neste ano, segundo o Instituto de Promoção do Desenvolvimento (IPD). Cada vez mais presentes na mesa dos brasileiros, os alimentos orgânicos são livres de agrotóxicos, corantes e conservantes, o que garante maior valor nutricional para os produtos. Apesar do crescimento do mercado brasileiro, o País ainda está muito atrás de outras nações, que contabilizam faturamento anual de dois dígitos, como os Estados Unidos, onde o mercado de orgânicos faturou US$ 35 bilhões em 2013. qua • 1º/10 Aprender a Empreender: Sabor e Gestão 9h às 18h | Sebrae-SP Capital – Oeste | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | 11 3832-5210 Rua Clélia, 336/344 – Perdizes qui • 2/10 Encontro de Empresário das Ruas de Comércio de Santana 18h30 às 20h30 | Sebrae-SP Capital – Norte | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | 11 2976-2988 Rua Duarte de Azevedo, 280/282 – Santana seg • 6/10 Sebrae-SP Responde: Marketing para Setor de Beleza e Estética 14h30 às 16h30 | Sebrae-SP Capital – Sul | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | 11 5522-0500 Rua Adolfo Pinheiro, 712 – Santo Amaro seg • 13/10 Workshop Encontros sobre Inovação: Loja Organizada Vende Mais 9h30 às 11h30 | Sebrae-SP Capital – Sul | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 5522-0500 Rua Adolfo Pinheiro, 712 – Santo Amaro de 14 a 16/10 Transforme sua Ideia em Modelo de Negócios 9h às 13h | Local: Sebrae-SP Capital – Leste II | Informações e Inscrições: 0800 570 0800 | (11) 2074-6601 | evento pago Rua Victório Santim, 57 – Itaquera qua • 15/10 Como se Tornar Microempreendedor Individual 14h às 16h | Sebrae-SP Capital – Oeste | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 3832-5210 Rua Clélia, 336/344 – Perdizes seg • 20/10 Como Criar e Manter uma Equipe Motivada 14h às 16h | Sebrae-SP Capital – Oeste | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 3832-5210 | evento pago Rua Clélia, 336/344 – Perdizes ter • 21/10 Como Vender Mais e Melhor: Black Friday 14h às 16h | Sebrae-SP Capital – Centro | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 3253-2121 Rua José Getúlio, 89 – Aclimação sex • 24/10 Na Medida: Como Criar uma Página Empresarial no Facebook 9h às 12h | Sebrae-SP Capital – Oeste | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 3832-5210 | evento pago Rua Clélia, 336/344 – Perdizes
  13. 13. edição 247 | outubro de 2014 | 13 D investidores de olho em tecnologia Pesquisa feita pelos Anjos do Brasil, organização que reúne investidores interessados em startups, aponta que 60% deles buscam empresas voltadas à tecnologia, especialmente software e soluções de internet. Aplicativos para smartphones têm a atenção de 56% dos investidores, enquanto 54% olham para negócios na área de educação. Um mesmo investidor podia demonstrar interesse por mais de uma área. ter • 7/10 Sebrae-SP Responde: Planejando seu Portfólio de Produtos e Serviços 14h às 16h | Sebrae-SP Capital – Leste I | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 2225-2177 Rua Itapura, 270 – Tatuapé qua • 8/10 Como Importar da China com Segurança 15h às 17h | Sebrae-SP Capital – Centro | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 3253-2121 Rua José Getúlio, 89 – Aclimação qui • 9/10 Na Medida: Como Criar um Site de Sucesso 14h às 17h | Sebrae-SP Capital – Leste I | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 2225-2177 | evento pago Rua Itapura, 270 – Tatuapé qui • 16/10 Sebrae-SP Responde: Franquias e Aspectos Legais 9h30 às 11h30 | Sebrae-SP Capital – Sul | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 5522-0500 Rua Adolfo Pinheiro, 712 – Santo Amaro sex • 17/10 Empresa Organizada Tem Melhor Desempenho 9h30 às 11h30 | Sebrae-SP Capital – Leste I | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 2225-2177 Rua Itapura, 270 – Tatuapé sáb • 18/10 Planeja fácil 9h às 13h | Sebrae-SP Capital – Leste II Informações e Inscrições: 0800 570 0800 | (11) 2074-6601 Rua Victório Santim, 57 – Itaquera qua • 22/10 Sebrae-SP Responde: Como Planejar Oportunidades pela Inovação Tecnológica 14h às 16h | Sebrae-SP Capital – Leste I | Informações e Inscrições: 0800 570 0800 | (11) 2225-2177 Rua Itapura, 270 – Tatuapé qui • 23/10 Escolha os Melhores Caminhos para sua Empresa 14h30 às 16h30 | Sebrae-SP Capital – Sul | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 5522-0500 Rua Adolfo Pinheiro, 712 – Santo Amaro seg • 27/10 Planejamento: O Primeiro Passo para Começar seu Negócio 10h às 12h | Sebrae-SP Capital – Centro | Informações e inscrições: 0800 570 0800 | (11) 3253-2121 Rua José Getúlio, 89 – Aclimação ter • 28/10 Como Criar e Manter uma Equipe Motivada 14h às 16h | PA – Itaim Paulista | Informações e Inscrições: 0800 570 0800 | (11) 2074-6601 Rua Manuel Bueno da Fonseca, 129 – Itaim Paulista qui • 30/10 Na Medida: Plano de Marketing 9h às 18h | PA – Brasilândia | Informações e Inscrições: 0800 570 0800 | (11) 3991-4848 | evento pago Rua Parapuã, 491 – Freguesia do Ó
  14. 14. 14 | jornal de negócios franquia para pequenos Ambev quer alcançar 1,5 mil franqueados com a rede Nosso Bar, uma opção de franquia popular destinada a micros e pequenos estabelecimentos. O foco da ação são, principalmente, os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, onde a cervejaria já possui cerca de 860 bares em operação neste modelo. Quem aderir terá o benefício de comprar produtos subsidiados. Vencer a burocracia é possível Saiba o que fazer para se tornar um Microempreendedor Individual ou uma empresa optante pelo Simples Abrir empresa no Brasil sempre foi um desafio, mas, nos últimos anos, novas modalidades de regimes tributários, como o Simples, e a criação da categoria de Microempreendedor Individual, conhecida pela sigla MEI, colaboraram para reduzir a burocracia e cortar os custos. Para facilitar, o Jornal de Negócios explica como abrir uma empresa. Microempreendedor Individual (MEI) Simples O Microempreendedor Individual (MEI) é o profissional que trabalha por conta própria. Entre as vantagens estão o valor reduzido de contribuição, o direito à aposentadoria por idade, a pensão por morte, o salário-maternidade, a licença médica, entre outros. Quem pode – faturamento inferior a R$ 60 mil por ano; não ter participação em outra empresa como sócio ou titular; e possuir, no máximo, um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria; Despesas mensais – INSS (R$ 36,20) + ISS (R$ 5, no caso de prestadores de serviço) ou ICMS (R$ 1 para comércio ou indústria) – valores baseados no salário mínimo atual. Algumas taxas estaduais e/ou municipais devem ser pagas, dependendo do Estado/ município e da atividade exercida; Como se inscrever – acesse o Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov. br) e tenha em mãos o CPF, o recibo da última declaração do imposto de renda ou o título de eleitor. A inscrição de um CPF equivale a apenas um MEI. Se preferir, o MEI também pode procurar a assessoria de um contabilista. O serviço será gratuito caso o contabilista seja optante pelo Simples. No Portal do Empreendedor há uma lista desses profissionais dividida por município; Alvará – o Certificado da Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI) deve ser impresso e também funciona como alvará de licença e funcionamento provisório pelo prazo de até 180 dias. Caso o empreendedor não atenda às legislações estadual e municipal, o respectivo alvará poderá ser cancelado pelo município. Mais informações podem ser obtidas no Portal do Empreendedor. O Simples é um sistema de tributação diferenciado que unifica oito impostos em um só boleto aplicável às pessoas jurídicas consideradas como Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP). Quem pode – hoje, o regime beneficia vários tipos de negócios dos segmentos de comércio e indústria. A partir de janeiro do ano que vem, 142 atividades ligadas à área de serviços serão incluídas no regime tributário. O limite de faturamento é de R$ 360 mil por ano para microempresas e de R$ 3,6 milhões para empresas de pequeno porte; Despesas mensais – depende do ramo de atividade (tanto para comércio como para serviços ou indústria) e do valor do faturamento acumulado nos últimos 12 meses; Como se inscrever – a empresa deve registrar o contrato social na Junta Comercial. Ao mesmo tempo, é dada entrada no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) na Receita Federal. Tudo de maneira eletrônica. Há também a necessidade de efetuar inscrições estaduais e municipais; Alvará – alguns alvarás podem ser emitidos eletronicamente pelo Sistema de Licenciamento de Construções (SLC) na Prefeitura de São Paulo. Para outras cidades, informe-se na sua prefeitura. Em caso de dúvidas, o Sebrae-SP pode ajudar pelo telefone 0800 570 0800 ou pelo site www.sebraesp.com.br
  15. 15. edição 247 | outubro de 2014 | 15 q solteiras são mais ambiciosas Pesquisa feita pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) aponta que as mulheres solteiras são mais ambiciosas que as casadas. As últimas, por sua vez, tendem a priorizar a carreira no empreendedorismo pela possibilidade de flexibilizar horários para cuidar da família, enquanto as solteiras estão atentas ao aumento da renda. Na palma da mão O sucesso de uma ação depende do estabelecimento de metas e da garantia de meios e recursos necessários para alcançá-las O polegar representa a ação a ser to‑mada, como a contratação de pessoas, por exemplo. O indicador mostra as áreas a serem contempladas. O dedo médio define a quantidade de pessoas contratadas, enquanto o anular traz a lista de compromissos indispensáveis para isso, como anunciar as vagas e agendar as entrevistas. Por fim, o dedo mínimo estabelece o prazo para que a ação seja concluída. Para o consultor José Carmo Vieira de Oliveira, da Unidade de Desenvolvi‑mento e Inovação do Sebrae-SP, a falta de acompanhamento dos cinco itens é a maior razão para o fracasso das ações. “Muitos empreendedores não fazem o controle de todas as etapas. Os processos não ganham atenção em to‑dos os aspectos que merecem”, diz. O empreendedor interessado em montar sua empresa precisa pre‑ver ações, custos e faturamento e iden‑tificar potenciais consumidores para, então, validar sua ideia. São aspectos a serem considerados na formulação do plano de negócios. “O plano dá uma visão melhor do negócio e minimiza os riscos”, afirma o consultor financeiro do Sebrae-SP, João Carlos Natal. Uma vez estabelecida a empresa, o sucesso depende de planejamento, que pode ser resumido em duas ações básicas: prever metas e garantir meios e recursos necessários para alcançá‑ -las. Para facilitar o planejamento, o Sebrae-SP desenvolveu uma meto‑dologia em cinco passos, que podem ser acompanhados na palma da mão, como mostra a figura ao lado. 1 2 3 4 5 Perceber a realidade. Avaliar os caminhos a serem seguidos. Construir um horizonte, um referencial de futuro. Estruturar o passo a passo para executar as metas dentro dos parâmetros adequados. Poder e ter como reavaliar todo o processo ao perceber que os caminhos estão fora das metas traçadas. O que é planejamento? Fonte: Sebrae-SP
  16. 16. 16 | jornal de negócios Classificados o sebrae-sp não se responsabiliza pelas informações disponibilizadas neste espaço publicitário. o anunciante assume responsabilidade total por sua publicidade. SEU PRODUTO TEM DESIGN? Pode ter custo menor e mais aceitabilidade no mercado. Consulte a S-D design (19) 99195- 5182 - SAMY samy.selmi.dei@gmail.com Atacadistas Pizzarias Sistema e equipamentos para emissão de cupom fiscal. SERVIÇOS CONTÁBEIS Restaurantes Lojas de varejo Serviços Contábeis Alterações contratuais Abertura de empresas Departamento Pessoal Imposto de renda Escrituração Fiscal e contábil TODOS OS SERVIÇOS CONTÁBEIS SEM COBRANÇA DE 13º Não deixe de nos consultar! Agende uma visita sem compromisso! www.contbyte.com.br Fone: (11) 3360-3943 alimentícios CONSTRUÇÃO CIVIL CONSULtoria Resolva os problemas da sua empresa melhorando a sua Operação e Gestão GGeessttããoo EEmmpprreessaarriiaall em Gestão e Desempenho Organizacional (011) 2275 9178 contato@sconsultingsp.com.br www.sconsultingsp.com.br *Diagnóstico financeiro *Clarifica-ção de papéis *Descrição de pro-cessos *Gestão baseada em indi-cadores (financeiros e operacionais) *Etc. Automação Comercial PARA TODOS OS RAMOS: Resolvemos seu problema, com o melhor custo/benefício. Não deixe de nos consultar! Agende uma visita sem compromisso! www.autobyte.com.br Fone: (11) 2971-0102 informática diversos ANÚNCIOS: anuncie nos principais jornais e revistas (editais, comunicados, declarações, falecimentos etc.) 25 anos no ramo Tel.: (11) 2157-8484-www.ythajaci.com.br BRINDES: personalizados (cadernos, canetas, calendários, blocos, escalímetros, mouse pad, pen drive) direto da fábrica Tel.: (11) 2157-8484-www.ythajaci.com.br SACOLAS: personalizadas (plástico e papel), direto da fábrica, materiais tradicionais e ecológicos, excelentes preços. Tel.:(11) 2157-8484 - www.ythajaci.com.br Tel.: 11- 3562-1090 Cel.: 11- 96762-2560 |11-7914-5950 e-mail: contato@riajservicos.com.br www.riajservicos.com.br
  17. 17. edição 247 | outubro de 2014 | 17 inventos organizacional CONTABILIDADE ABERTURA, Alteração e Encerramento de Empresas; “CONSULTE-NOS” Primeiras orientações para Administrar sua empresa (controles, contas a pagar e receber etc.) Atendemos em todas as regiões Advogados Asses. Geral, Fiscal, Trabalhista etc. l l l l l Mais de 20 anos de profissão Fone/Fax: 3832-1079 Sr. David A solução completa em informática Manutenção de computadores Manutenção de notebooks Projetos de TI e cabeamento Atendimentos contratuais de segunda a segunda das 8:00 as 22:00 h Serviços avulsos e contratuais Não deixe de nos consultar! Agende uma visita sem compromisso! Resolvemos seu problema, com o melhor custo/benefício. www.autobyte.com.br Fone: (11) 2971-0102 móveis, design e decoração oferta de produtos e serviços
  18. 18. 18 | jornal de negócios Para tornar a comunicação mais acessível ao cliente com deficiência auditiva, o SEBRAE-SP disponibiliza o serviço de intérprete de Libras em seus eventos presenciais. A solicitação do serviço deverá ser comunicada no ato da inscrição e com antecedência de 5 (cinco) dias úteis à data de realização do evento. O cliente, ou seu representante, poderá se inscrever pessoalmente nos Escritórios Regionais, pelo portal do SEBRAE-SP ou pelo 0800 570 0800. GS1140-14 anuncio dia das criancas sebrae 255x130mm.pdf 1 8/13/14 3:25 PM LIBRAS Língua Brasileira de Sinais Quer anunciar? Ligue 0800 570 0800 ou procure um dos escritórios do SEBRAE-SP
  19. 19. edição 247 | outubro de 2014 | 19 Quais critérios devo observar para definir o preço de venda de uma mercadoria? No passo seguinte, a empresa deve ter um profundo conhecimento de mercado, uma vez que nesse momen‑to será definida qual classe econômi‑ca será atingida. Um preço mais alto atingirá os clientes de classe econô‑mica mais alta, já um valor popular atrairá a atenção das camadas mais populares. A empresa deverá buscar o equilí‑brio entre o preço de mercado e o valor calculado em função dos seus custos e despesas. Caso o preço de mercado seja menor do que o preço calculado, será preciso desenvolver alguma ação para diminuir custos ou despesas ou, então, aceitar um lucro líquido menor. É muito comum ter dúvidas sobre como chegar ao preço certo das mer‑cadorias. Para definir esse valor, é preciso estar atento a alguns critérios. O preço de venda deve cobrir o custo direto da mercadoria, as despesas va‑riáveis (como impostos e comissões), as despesas fixas do comércio (como aluguel, água, luz, telefone e salários) e, ainda, sobrar um lucro líquido ade‑quado, mantendo a competitividade diante dos concorrentes. Além disso, o valor precisa ser justo para o consu‑midor, ao mesmo tempo em que deve garantir a sobrevivência do negócio. Para resolver essa equação, o em‑preendedor deve considerar três cri‑térios: o custo da mercadoria, o preço da concorrência e as características do mercado. No primeiro item, é comum apli‑car o índice Mark Up. Esse índice tem a intenção de cobrir tributação e co‑missões sobre vendas, despesas admi‑nistrativas fixas, despesas de vendas fixas, custos indiretos de produção fixos e margem de lucro. Com esse sistema de marcação, é possível fixar preços para inúmeros produtos. Em seguida, o empresário deve comparar os valores da concorrência. Nesse momento, tente não se prender à lucratividade, pois nem sempre é possível saber se a concorrência está, de fato, obtendo lucros. JÚLIO TADEU ALENCAR, consultor de produção do Sebrae-SP
  20. 20. 20 | jornal de negócios b site ajuda a encontrar parceiros Pelas redes sociais Atendimento ao cliente pelas plataformas digitais exige rapidez e bom senso A agência de promoção de investimentos do Governo do Estado, Investe SP, colocou no ar o site Encontre um Sócio. No portal, as empresas se cadastram em busca de sócio, investidor, parceiro para transferência de tecnologia e representante/distribuidor em qualquer parte do Brasil ou do mundo. O portal funciona em mão dupla: empresas paulistas podem anunciar e buscar novos negócios, enquanto empresários de outros Estados e do exterior têm a possibilidade de encontrar oportunidades no maior mercado consumidor do País. A s redes sociais, como o Facebook, já dúvida apresentada. “A melhor coisa são largamente utilizadas por boa parte da população. O que as pessoas es‑tão descobrindo é que elas não servem apenas para compartilhar fotos e víde‑os, mas também para falar com as em‑presas. Para o consumidor, nada é pior do que ter sua mensagem ignorada quando busca atendimento pela web. Então, para as empresas que escolhe‑ram estar presentes nas redes sociais, a dica é prestar atenção no que o seu cliente está dizendo. Facebook, LinkedIn e Twitter são as redes sociais mais conhecidas e utilizadas. Independentemente da es‑colha, é importante saber como cada uma funciona, quem as usa e para quê. O consultor de marketing do Sebrae-SP Marcelo Sinelli recomenda definir quem é o cliente e descobrir qual canal ele utiliza na internet. “Muitas vezes, o empresário acha que porque todo mundo está no Facebook, ele também tem de estar.” O atendimento ao cliente deve ser focado na resolução do problema ou no retorno com uma resposta sobre a é resolver a questão, pedir desculpa e agir de forma simpática”, aconselha o consultor do Sebrae-SP. Ele orien‑ta o empresário a nunca se irritar ou contestar o cliente pela própria rede. “O problema ganhará uma dimensão muito maior”, explica. Outras opções incluem o envio de mensagem privada (a chamada men‑sagem inbox do Facebook) e a intera‑ção de forma direta e pessoal para mi‑nimizar a crítica. A constatação é que se o cliente for bem atendido e tiver seu problema resolvido, há inclusive boas chances de ele fazer elogios à empresa. atendimento direto Terceirizar o atendimento não é a me‑lhor solução para um pequeno em‑preendimento. O principal motivo é a ausência de comprometimento, além do custo extra. “A reputação demo‑ra para ser construída, mas pode ser destruída em pouco tempo na inter‑net”, diz Sinelli. O empresário tem de dedicar o tem‑po que for necessário ao atendimento ao cliente e responder o mais breve possível, informando que a reclama‑ção foi recebida e que retornará em determinado tempo com a resposta ou a solução para o caso. A RH Sites do Brasil, empresa que trabalha com recrutamento e seleção de profissionais via internet, possui clientes em todo o País e realiza aten‑dimento aos clientes pelas redes so‑ciais. Desde a inauguração, em 2009, Terceirizar o atendimento não é a melhor solução para um pequeno empreendimento já foram mais de 10 mil. “Em seis anos, nunca fomos citados no Reclame Aqui”, informa o gerente de relaciona‑mento da RH Sites do Brasil, Jefferson Silva, referindo-se ao portal de recla‑mações usado para registrar queixas contra empresas. A companhia concentra os aten-dimentos no Facebook e no LinkedIn para respostas às dúvidas sobre mer‑cado de trabalho ou vagas. Para tal, mantém uma equipe dedicada só a esse trabalho, que responde aos ques‑tionamentos de imediato ou, no má‑ximo, em 48 horas, dependendo da complexidade. Respostas mais longas são conce‑didas por telefone para evitar posts enormes na rede. “Quando o proble‑ma é solucionado, pedimos um re‑torno sobre a qualidade e o tempo do atendimento. Para 90% dos clientes, nosso diferencial é a maneira que nos comunicamos.” Estar nas redes sociais exige agili‑dade e implica riscos, pois as críticas à empresa também ficam visíveis. Em compensação, melhora a percepção da marca e fideliza o cliente. A me‑lhor rede para fazer atendimento é aquela que mais se liga ao seu negó‑cio. A escolha é sua.
  21. 21. edição 247 | outubro de 2014 | 21 guia para microfranquias Cartilha lançada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) dá dicas para quem deseja entrar no mundo das franquias, com orientações e cuidados sobre como abrir e gerenciar o negócio. A publicação foi elaborada com auxílio do Sebrae e pode ser baixada gratuitamente pelo link http://zip.net/bdphss. Na cartilha constam informações sobre avaliação financeira de uma microfranquia, responsabilidades do franqueador e do franqueado, vantagens de investir em uma franquia, dicas e cuidados para a assinatura do contrato, entre outras. Y Jefferson Silva, da RH Sites do Brasil, concentra os atendimentos no Facebook e no LinkedIn Seis dicas para atender melhor o cliente via redes sociais Escolha a rede social mais adequada ao perfil do cliente. Pinterest e Instagram, por exemplo, são mais visuais, enquanto no Twitter há um limite de 140 caracteres para a comunicação; Páginas que apenas promovam a empresa ou o produto geram frustração no cliente. Abra espaço para o atendimento; Não terceirize o atendimento. Quem está na empresa sabe como ela funciona; Não tenha medo de propaganda negativa, mas lide com ela de maneira inteligente. Reconheça o erro, corrija-o e procure não repeti-lo. Não conteste o cliente pela rede social; O cliente tem tolerância zero a erros. Seja sincero e procure resolver, em definitivo, o problema; Responda o mais rápido que puder. Ainda que seja para comunicar que a reclamação foi recebida e que a empresa entrará em contato dentro de determinado prazo com a solução/resposta. Quando o problema é solucionado, pedimos um retorno sobre a qualidade e o tempo do atendimento. Para 90% dos clientes, nosso diferencial é a maneira que nos comunicamos. Foto: Emiliano Hagge 1 2 3 4 5 6
  22. 22. 22 | jornal de negócios finanças organizadas via web O ZeroPaper é o novo aplicativo que simplifica a vida de Microempreendedores Individuais (MEIs), profissionais autônomos e microempresas. Com ele, o empresário pode gerir as finanças – com registro de contas a pagar e a receber, alertas sobre vencimentos e emissão de boletos bancários. A versão mais simples e gratuita permite o acesso de apenas um usuário e a inclusão de uma empresa. Com a versão paga, é possível habilitar o acesso para outros funcionários e obter mais serviços, como cadastro de clientes e fornecedores, regime por caixa e competência e importação de OFX e de arquivos dos demais sistemas. Outubro MEI 20/10 Recolhimento em valores fixos mensais. Último dia para o Pagamento do DAS referente a setembro de 2014. Simples Nacional (ME / EPP) 15/10 Diferença de Carga Tributária. Diferencial de alíquota de ICMS devido pelas empresas optantes pelo Simples referente às aquisições de produtos de outros Estados realizadas no mês de setembro de 2014. 20/10 Recolhimento do DAS. Tributos devidos e apurados na forma do Simples Nacional. INSS (Simples Nacional – anexo IV) – Contribuição Previdenciária calculada sobre o total da folha de pagamento, bem como dos valores retidos. Recolhimento referente à competência setembro de 2014. 31/10 IR – Ganho de capital das empresas optantes pelo Simples Nacional. Imposto de Renda incidente sobre os ganhos de capital (lucros) obtidos na alienação de ativos no mês de setembro de 2014. (DARF comum - duas vias - código 0507). Lucro Presumido 20/10 INSS – Calculada sobre o total da folha de pagamento, bem como dos valores retidos. Referente a setembro de 2014. 24/10 PIS/Pasep Faturamento – Contribuição com base no faturamento de setembro de 2014. Código Darf: 8109 Alíquota: 0,65% Cofins Faturamento – Base: faturamento desetembro de 2014. Código DARF das empresas em geral: 2172 - Alíquota: 3%. 31/10 IRPJ – Imposto de Renda da Pessoa Jurídica. Recolhimento trimestral. Meses de recolhimento: abril, julho, outubro e janeiro. CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Recolhimento trimestral. Meses de recolhimento: abril, julho, outubro e janeiro. Obrigações Diversas 06/10 Salários – Último dia para o pagamento do salário do mês de setembro. 07/10 FGTS – Recolhimento relativo à competência de setembro. Caged – Envio ao Ministério do Trabalho da relação de admissões, transferências e demissões de empregados ocorridas em setembro. 10/10 GPS – Guia de Recolhimento da Previdência Social. Entrega contra-recibo, da cópia da GPS, referente ao recolhimento do mês de setembro de 2014, ao Sindicato representativo da categoria profissional. 15/10 INSS – Contribuintes Individuais, facultativos e empregadores domésticos. INSS – Produtor Rural (pessoa física e jurídica) e Retenção de 11% na fonte (Cessão de mão de obra). 20/10 IRF – Imposto Retido na Fonte. Descontado dos pagamentos do trabalho assalariado, sem vínculo empregatício e a outras pessoas jurídicas. 31/10 Declaração de imposto de renda da pessoa física DIRPF. Último dia para a entrega da DIRPF sobre os rendimentos recebidos em 2014. Quinzenalmente Contribuições PIS/COFINS /CSLL retidas na fonte. Agenda Tributária Tabela complica o Simples A nova Lei Geral da Micro e Pe-quena Empresa, com a atualização do Supersimples, entrará em vigor no iní-cio de 2015. Mais de 140 novas ativida-des ligadas ao setor de serviços (cerca de 500 mil empresas) poderão aderir ao regime tributário que unifica impostos federais, estaduais e municipais. Em al-guns casos, haverá redução da substitui-ção tributária – uma melhoria conquis-tada, mas, também, uma pena, já que deveria ter sido eliminada por completo. O novo Simples traz avanços e re-presenta uma vitória. As menores em-presas representam 20% do PIB bra-sileiro, são responsáveis por 60% dos 94 milhões de empregos no País e constituem 99% dos seis milhões de estabelecimentos formais. Indiferente a essa importância, a equipe econômica do governo impede que a revisão do Simples tenha ampli-tude maior ao impor uma sexta tabela, variando de 16,93% a 22,45%. O go-verno prometeu enviar ao Congresso Nacional, em até 90 dias após a pro-mulgação da nova lei, proposta com re-dução das alíquotas, especialmente do anexo VI, criado no projeto sancionado. Se não houver uma revisão, será ne-cessário fazer e refazer contas, pois aderir ao Simples pode virar mau ne-gócio. Em alguns casos, é preferível pa-gar oito tributos a um só. Falta lógica. Há outras imperfeições: o anexo VI toma por base a lógica de lucro presu-mido. O governo pressupõe que indús-tria e comércio lucrem 4%; e o setor de serviços, 32%. Os empresários e profissionais con-tábeis sabem bem como são comple-xos os cálculos dos vários segmentos de serviços. E o governo não mudará o limite para enquadramento, de R$ 360 mil para microempresas e R$ 3,6 mi-lhões para pequenas. A ampliação des-se limite provocaria o aumento da base de arrecadação do governo ao tirar mi-lhares de empresas da informalidade. O caminho é longo e árduo, mas não vamos esmorecer. Uma vitória a ressal-tar é a criação de mecanismos facilita-dores para abertura e fechamento de micro e pequenas empresas. Menos burocracia é sempre bom. Depois, o importante é criar um am-biente de negócios em que micro e pe-quenas empresas possam sobreviver sem sobressaltos, crescer, produzir e criar mais empregos. Sérgio Approbato Machado Júnior, presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo (Sescon-SP)
  23. 23. Alto Tietê | edição 247 | outubro de 2014 | 23 pedro luiz garcia braga é conhe‑cido pelo trabalho inovador na região do alto tietê. especialista em envelhecimento pela usp e mes‑tre em engenharia biomédica, ino‑vou em 2006 no mercado fitness ao criar a academia com foco em rea‑bilitação de pessoas, a cecerfi, em mogi das cruzes. a escolha da área de atuação era, até então, exclu‑siva de clínicas de fisioterapia, mas o empreendedor sabia que ha‑via oportunidades para um negó‑cio com diferencial, já que maio‑ria dos seus clientes é idosa ou formada por pessoas com deficiên‑cia – o que exige cuidado e atenção especial ao cliente. com a ajuda das capacitações do sebrae‑sp, ele formatou e impulsionou a empre‑sa, aliando oferta inovadora com boa gestão. Por que decidiu abrir a empresa? Na faculdade, todo mundo queria ter sua própria academia, mas o conven‑cional não me atraía. Um professor identificou minha real vocação e su‑geriu um programa de pós-graduação que mudaria minha vida, focado na reabilitação de pacientes. Quais os desafios de empreender na região no seu segmento de negócios? Romper com o estigma de que a rea‑bilitação é apenas para as clínicas de fisioterapia. Hoje, eu tenho uma aca‑demia que possui a nomenclatura “reabilitação” e o foco é minha única fonte de faturamento. Como os cursos do Sebrae‑SP o ajuda-ram no seu negócio? O Aprender a Empreender me aju‑dou a derrubar a ideia de que os ido‑sos não faziam exercício físico. A mi‑nha visão de negócios também foi o Sebrae‑SP que ajudou a consolidar. Se eu só trabalhasse, ficaria atrás da con‑corrência, pois perderia a capacidade de inovar. Por outro lado, se só estu‑ “Trabalhar com minha mulher dá certo porque gostamos de compartilhar a companhia um do outro e estabelecer metas juntos.” “Na gestão do negócio, um dos principais problemas que tivemos foi a formação da equipe, e recorremos à consultoria do Sebrae‑SP em recursos humanos. Por isso, elaboramos um plano de carreira para os funcionários.” “o Sebrae‑SP ajudou a consolidar minha visão de negócios” Foto: Tina Andrade Inovação eficiente Empreendedor de Mogi das Cruzes cria academia focada em reabilitação de pacientes, diferenciando-se no mercado fitness Deu certo Não deu certo dasse ficaria fora do mercado. A solu‑ção foi fazer os dois. Outra razão para o meu sucesso é a parceria com a minha esposa, Thiene. É dela a competência para a administração do negócio, gra‑ças à participação em todos os mó‑dulos do programa Sebrae Mais, que ajuda empresas a implantar modelos avançados de gestão empresarial. Qual a vantagem e a desvantagem de ter o próprio negócio? Você tem sucesso e é feliz quando faz o que realmente quer. Para mim, a me‑lhor coisa é poder integrar tudo o que amo ao meu negócio. Pedro Luiz Garcia Braga bancos anunciam crédito para pequenas e médias Os bancos Santander e Bradesco anunciaram, cada um, a liberação de R$ 10 bilhões para linhas de crédito voltadas a pequenas e médias empresas, principalmente para formação de estoques, pagamento de 13º salário, capital de giro e desconto de cheques e duplicatas. Algumas linhas, como capital de giro e estoques, têm até 90 dias de carência para o primeiro pagamento. A intenção dos bancos é dar fôlego ao pequeno e médio empresário que pretende aproveitar a maior demanda no segundo semestre. As taxas variam a partir de 1,72%.
  24. 24. 24 | jornal de negócios | Alto Tietê Empreendedores se capacitam para atender turistas Ações promovidas pelo Sebrae‑SP visam aumentar lucratividade de empresários do Circuito Turístico das Nascentes Para espalhar as boas práticas, fo‑ram promovidos diversos eventos por toda a região, como fóruns, consulto‑rias tecnológicas e palestras. Um dos destaques do projeto foi a missão téc‑nica para o município de Bento Gon‑çalves, no Rio Grande do Sul. Uma das participantes foi Tayna Wuo, empre‑sária que administra a Hospedaria Solar da Serra, de Salesópolis. “Apren‑demos que o potencial empreendedor é maior quando realizamos parcerias com outras hospedarias e hotéis da re‑gião”, explica. Outro evento de destaque foi o Festival Gastronômico de Mogi das Cruzes – realizado em parceria com o Sebrae‑SP, a prefeitura e o Sindicato Rural – que envolveu mais de 30 res‑taurantes e lanchonetes da cidade. A empresária Maria Eduarda Forino Silva, proprietária do restaurante The Four Seasons, participou. Ela destaca que as capacitações promovidas pelo Sebrae‑SP já têm provocado trans‑formações positivas, mas, como toda mudança, o processo é de longo pra‑zo. “Essa cultura da excelência não é nada simples”, pondera. Para 2015, o foco será o segmento de alimentação fora do lar. A geren‑te Cristiane Rebelato explica que o setor se tornou tão significativo que, ara apoiar o setor de turismo, o Escritório Regional do Sebrae‑SP no Alto Tietê desenvolve uma série de ações para melhorar a gestão dos empreendimentos que atuam nos segmentos de alimentação fora do lar, hospedagem, artesanato e atrativos turísticos. Para 2015, a expectativa é atendimento a 120 empresas do tipo. Entre os anos de 2011 e 2013, o Sebrae‑SP atendeu a 210 empresas do segmento de turismo, nos setores ali‑mentação fora do lar, agências de turis‑mo, meios de hospedagem e atrativos turísticos. Para 2014, a meta é atender a mais de 100 empreendedores, sendo que os esforços do Sebrae‑SP estão con‑centrados na capacitação e adequação dos estabelecimentos inseridos no Cir‑cuito Turístico das Nascentes. “O Sebrae‑SP apoia o Circuito Tu‑rístico das Nascentes, projeto que tem buscado promover o desenvol‑vimento do turismo sustentável na região. Estamos preocupados em atender às especificidades de cada região e entendemos que o turismo é essencial para muitos de nossos mu‑nicípios, em especial os que possuem restrições em razão da lei de manan‑ciais”, destaca a gerente do Escritório Regional do Sebrae‑SP no Alto Tietê, Cristiane Rebelato. hoje, representa mais de 20% de todo o mercado de serviços na região. O Escritório Regional do Sebrae‑SP no Alto Tietê promoverá capacitações diversas, incluindo palestras, ofici‑nas e consultorias individuais, sem‑pre com o objetivo de melhorar a competitividade das empresas aten‑didas. Meios de hospedagem e atra‑ Proprietária da Hospedaria Solar da Serra, Tayna Wuo participou de missão técnica para o Rio Grande do Sul Foto: Tina Andrade P tivos turísticos que queiram atendi‑mento também serão apoiados. Empresários atuantes no setor de turismo no Alto Tietê que desejem re‑ceber orientações do Sebrae‑SP devem entrar em contato pelos telefones (11) 4722-8244 e 0800 570 0800. O atendi‑mento é gratuito e não há necessidade de agendamento prévio. salário mínimo deve subir para R$ 788,06 A proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) encaminhada ao Senado prevê um salário mínimo de R$ 788,06 para 2015. O valor, que serve de referência para mais de 48 milhões de pessoas, representa um aumento de 8,84% em relação ao atual, de R$ 724. O impacto para as contas públicas no próximo ano será de R$ 22 bilhões. Em abril, o governo havia estimado que o salário mínimo chegaria a R$ 779,79. Por lei, 2015 é o último ano em que será adotada a fórmula de correção do salário mínimo, que considera a variação da inflação do ano anterior e a taxa de crescimento da economia de dois anos antes.

×