SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Ciclo do ouro no Brasil
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE 
ALAGOAS – CAMPUS I 
DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA 
DISCIPLINA: HISTÓRIA DO BRASIL I 
PROFESSOR: ALDEMIR BARROS 
ALUNOS:Cristiano dos Santos 
José Helenildo 
Jeesiel Temóteo
Inicio do ciclo 
“Assim a exploração Brasileira do ouro 
nunca foi além, na verdade desta aventura 
passageira que mal tocava um ponto para 
abandona-lo em seguida passar adiante”. 
(Júnior, P. 166)
“Há exagero em dizer que a extração do 
ouro liquidou a economia açucareira do 
nordeste. Ela já estava em dificuldades vinte 
anos antes da descoberta do ouro e, como 
vimos, não morreu”. (Fausto, P.99)
“Outra preocupação da coroa foi estabelecer 
limites à entrada na região das minas. Nos 
primeiros tempos da atividade mineradora, a 
câmara de são Paulo reivindicou, junto ao rei 
de Portugal, que somente aos moradores da 
vila de são Paulo, a quem se devia a 
descoberta do ouro, fossem dadas 
concessões de exploração do metal”. 
(Fausto, P. 100)
Controle sobre o ouro 
Intendência das minas 
As casas de fundição 
Outros tipos de impostos: 
Capitação e derrama
Revolta de vila rica 
Felipe dos santos 
Formação 
Resposta do governo
Ciclo do ouro 
Ouro de aluvião e lavras; 
Regimento das minas de ouro; 
1919 criação das casas.
SOCIEDADE 
MINERADORA 
Os ricos; 
As camadas média; 
Os homens livres; 
Os escravos.
Fonte: FIGUEIRA, Garcia Divalte,Livro História Divalte, volume único, série 
novo ensino médio, ed. Ática, 2ª ed.- 2ª impressão, ano 2005, p.184.
Fonte: FIGUEIRA, Garcia Divalte,Livro História Divalte, volume único, série 
novo ensino médio, ed. Ática, 2ª ed.- 2ª impressão, ano 2005, p.184.
Referências 
BOULOS JÚNIOR, Alfredo. 
História: sociedade & cidadania 8º. ano. 
São Paulo: FTD, 2012. p. 50. 
COTRIM, Gilberto. História Global: Brasil e 
geral. São Paulo: Editora Saraiva, 2005. 
http://www.receita.fazenda.gov.br/Memoria/ad 
ministracao/reparticoes/colonia/casadefundica 
o.asp in. 05 do 11 de 2014.
PRADO JÚNIOR, Caio.Formação do Brasil 
Contemporâneo: colônia. 23.ª ed. São Paulo; 
Brasiliense,1997 
PADRO JUNIOR, Caio. História econômica do 
Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2006. 
FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: 
Editora da Universidade de São Paulo, 2008. 
FIGUEIRA, Garcia Divalte,Livro História Divalte, 
volume único, série novo ensino médio, ed. 
Ática, 2ª ed.- 2ª impressão, ano 2005, p.184.
FIM 
Produção: Jeesiel Temóteo 
Apoio: Cristiano dos Santos 
Orientador: Aldemir barros

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroRafael Vasco
 
5.ciclo do ouro no brasil
5.ciclo do ouro no brasil5.ciclo do ouro no brasil
5.ciclo do ouro no brasilvaldeck1
 
Do bandeirantismo à exploração aurífera.
Do bandeirantismo à exploração aurífera.Do bandeirantismo à exploração aurífera.
Do bandeirantismo à exploração aurífera.Privada
 
Aula 13 - Mineração no Brasil
Aula 13 - Mineração no BrasilAula 13 - Mineração no Brasil
Aula 13 - Mineração no BrasilNatalia Gruber
 
A era do ouro
A era do ouroA era do ouro
A era do ouroNBrunoFS
 
Cruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroCruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroTalita Barreto
 
Mineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colôniaMineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colôniaJoão Marcelo
 
G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroRafael Vasco
 
Mineração no Brasil - Século XVIII
Mineração no Brasil - Século XVIIIMineração no Brasil - Século XVIII
Mineração no Brasil - Século XVIIIValéria Shoujofan
 
Descoberta do Ouro e Interiorização do Brasil
Descoberta do Ouro e Interiorização do BrasilDescoberta do Ouro e Interiorização do Brasil
Descoberta do Ouro e Interiorização do BrasilFernando Peixoto
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIILú Carvalho
 
A descoberta de ouro
A descoberta de ouroA descoberta de ouro
A descoberta de ouroCarol Pereira
 

Mais procurados (20)

G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouro
 
A descoberta do ouro no brasil
A descoberta do ouro no brasilA descoberta do ouro no brasil
A descoberta do ouro no brasil
 
Ouro em minas gerais
Ouro em minas geraisOuro em minas gerais
Ouro em minas gerais
 
5.ciclo do ouro no brasil
5.ciclo do ouro no brasil5.ciclo do ouro no brasil
5.ciclo do ouro no brasil
 
Do bandeirantismo à exploração aurífera.
Do bandeirantismo à exploração aurífera.Do bandeirantismo à exploração aurífera.
Do bandeirantismo à exploração aurífera.
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
 
Aula 13 - Mineração no Brasil
Aula 13 - Mineração no BrasilAula 13 - Mineração no Brasil
Aula 13 - Mineração no Brasil
 
Mineração
MineraçãoMineração
Mineração
 
éPoca do ouro
éPoca do ouroéPoca do ouro
éPoca do ouro
 
A era do ouro
A era do ouroA era do ouro
A era do ouro
 
A exploração do ouro
A exploração do ouroA exploração do ouro
A exploração do ouro
 
Cruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroCruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouro
 
Mineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colôniaMineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colônia
 
G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouro
 
Mineração no Brasil - Século XVIII
Mineração no Brasil - Século XVIIIMineração no Brasil - Século XVIII
Mineração no Brasil - Século XVIII
 
Sociedade mineradora - Brasil Colonial
Sociedade mineradora - Brasil ColonialSociedade mineradora - Brasil Colonial
Sociedade mineradora - Brasil Colonial
 
O Ciclo do ouro
O Ciclo do  ouroO Ciclo do  ouro
O Ciclo do ouro
 
Descoberta do Ouro e Interiorização do Brasil
Descoberta do Ouro e Interiorização do BrasilDescoberta do Ouro e Interiorização do Brasil
Descoberta do Ouro e Interiorização do Brasil
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
A descoberta de ouro
A descoberta de ouroA descoberta de ouro
A descoberta de ouro
 

Destaque

Capítulo I:História e Fontes históricas (História, cultura e tempo).
Capítulo I:História e Fontes históricas (História, cultura e tempo).Capítulo I:História e Fontes históricas (História, cultura e tempo).
Capítulo I:História e Fontes históricas (História, cultura e tempo).PibidHistoriaUEPB
 
Conexoes com a Historia - EJA - Planejamento Interativo
Conexoes com a Historia - EJA - Planejamento InterativoConexoes com a Historia - EJA - Planejamento Interativo
Conexoes com a Historia - EJA - Planejamento InterativoEditora Moderna
 
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoasApresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoasJeesiel Temóteo
 
Algumas ferramentas usadas na Caldeiraria - SENAI
Algumas ferramentas usadas na Caldeiraria - SENAIAlgumas ferramentas usadas na Caldeiraria - SENAI
Algumas ferramentas usadas na Caldeiraria - SENAIJeesiel Temóteo
 
Calculo da tremonha excêntrica
Calculo da tremonha excêntricaCalculo da tremonha excêntrica
Calculo da tremonha excêntricamarcostmz
 
Cálculos em polias
Cálculos em poliasCálculos em polias
Cálculos em poliasCleber1965
 
Reduçao concentrica de vertice inacessivel ao compasso
Reduçao concentrica de vertice inacessivel ao compassoReduçao concentrica de vertice inacessivel ao compasso
Reduçao concentrica de vertice inacessivel ao compassomarcostmz
 
A historia-do-historiador
A historia-do-historiadorA historia-do-historiador
A historia-do-historiadordawdsoncangussu
 
Calculo do cone obliquo de boca excêntrica planilha (xls)
Calculo do cone obliquo de boca excêntrica planilha (xls)Calculo do cone obliquo de boca excêntrica planilha (xls)
Calculo do cone obliquo de boca excêntrica planilha (xls)marcostmz
 
Multimetro analógico
Multimetro analógicoMultimetro analógico
Multimetro analógicoCleber1965
 
APRESENTAÇÃO COMPLETA - CMMI CALDEIRARIA, MANUTENÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM ...
APRESENTAÇÃO COMPLETA - CMMI CALDEIRARIA, MANUTENÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM ...APRESENTAÇÃO COMPLETA - CMMI CALDEIRARIA, MANUTENÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM ...
APRESENTAÇÃO COMPLETA - CMMI CALDEIRARIA, MANUTENÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM ...CMMI CALDEIRARIA
 
Calculo do retangulo para redondo excentrico
Calculo do retangulo para redondo excentricoCalculo do retangulo para redondo excentrico
Calculo do retangulo para redondo excentricomarcostmz
 
Calculo da intersecçao do cilin
Calculo da intersecçao do cilinCalculo da intersecçao do cilin
Calculo da intersecçao do cilinmarcostmz
 
Calculo do quadrado_para_redondo_inclinado_45º
Calculo do quadrado_para_redondo_inclinado_45ºCalculo do quadrado_para_redondo_inclinado_45º
Calculo do quadrado_para_redondo_inclinado_45ºmarcostmz
 

Destaque (20)

Capítulo I:História e Fontes históricas (História, cultura e tempo).
Capítulo I:História e Fontes históricas (História, cultura e tempo).Capítulo I:História e Fontes históricas (História, cultura e tempo).
Capítulo I:História e Fontes históricas (História, cultura e tempo).
 
Conexoes com a Historia - EJA - Planejamento Interativo
Conexoes com a Historia - EJA - Planejamento InterativoConexoes com a Historia - EJA - Planejamento Interativo
Conexoes com a Historia - EJA - Planejamento Interativo
 
A história da mineração de ouro no Brasil
A história da mineração de ouro no BrasilA história da mineração de ouro no Brasil
A história da mineração de ouro no Brasil
 
Curso de março caldeiraria
Curso de março caldeiraria Curso de março caldeiraria
Curso de março caldeiraria
 
Ferro e ouro
Ferro e ouroFerro e ouro
Ferro e ouro
 
Cassio manual
Cassio manualCassio manual
Cassio manual
 
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoasApresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
 
História moderna i
História moderna iHistória moderna i
História moderna i
 
Algumas ferramentas usadas na Caldeiraria - SENAI
Algumas ferramentas usadas na Caldeiraria - SENAIAlgumas ferramentas usadas na Caldeiraria - SENAI
Algumas ferramentas usadas na Caldeiraria - SENAI
 
Calculo da tremonha excêntrica
Calculo da tremonha excêntricaCalculo da tremonha excêntrica
Calculo da tremonha excêntrica
 
Cálculos em polias
Cálculos em poliasCálculos em polias
Cálculos em polias
 
Reduçao concentrica de vertice inacessivel ao compasso
Reduçao concentrica de vertice inacessivel ao compassoReduçao concentrica de vertice inacessivel ao compasso
Reduçao concentrica de vertice inacessivel ao compasso
 
A historia-do-historiador
A historia-do-historiadorA historia-do-historiador
A historia-do-historiador
 
FORMARE VOITH /3M UMA ESCOLA PARA A VIDA
FORMARE  VOITH /3M   UMA ESCOLA PARA  A VIDA FORMARE  VOITH /3M   UMA ESCOLA PARA  A VIDA
FORMARE VOITH /3M UMA ESCOLA PARA A VIDA
 
Calculo do cone obliquo de boca excêntrica planilha (xls)
Calculo do cone obliquo de boca excêntrica planilha (xls)Calculo do cone obliquo de boca excêntrica planilha (xls)
Calculo do cone obliquo de boca excêntrica planilha (xls)
 
Multimetro analógico
Multimetro analógicoMultimetro analógico
Multimetro analógico
 
APRESENTAÇÃO COMPLETA - CMMI CALDEIRARIA, MANUTENÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM ...
APRESENTAÇÃO COMPLETA - CMMI CALDEIRARIA, MANUTENÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM ...APRESENTAÇÃO COMPLETA - CMMI CALDEIRARIA, MANUTENÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM ...
APRESENTAÇÃO COMPLETA - CMMI CALDEIRARIA, MANUTENÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM ...
 
Calculo do retangulo para redondo excentrico
Calculo do retangulo para redondo excentricoCalculo do retangulo para redondo excentrico
Calculo do retangulo para redondo excentrico
 
Calculo da intersecçao do cilin
Calculo da intersecçao do cilinCalculo da intersecçao do cilin
Calculo da intersecçao do cilin
 
Calculo do quadrado_para_redondo_inclinado_45º
Calculo do quadrado_para_redondo_inclinado_45ºCalculo do quadrado_para_redondo_inclinado_45º
Calculo do quadrado_para_redondo_inclinado_45º
 

Semelhante a História do brasil

ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfDenisBrito16
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilStephani Coelho
 
Goiás para concursos: século XVIII
Goiás para concursos: século XVIIIGoiás para concursos: século XVIII
Goiás para concursos: século XVIIIGabriel da Silva
 
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalAlinnie Moreira
 
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdfAndrei Rita
 
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptxBrasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptxMairaDeOliveiraPotri
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...Franciele Marques
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIILú Carvalho
 
32-_O_CONCEITO_DE_DECADE770NCIA__E_A_DECADE770NCIA_DO_CONCEITO__PAG_33-94.pdf
32-_O_CONCEITO_DE_DECADE770NCIA__E_A_DECADE770NCIA_DO_CONCEITO__PAG_33-94.pdf32-_O_CONCEITO_DE_DECADE770NCIA__E_A_DECADE770NCIA_DO_CONCEITO__PAG_33-94.pdf
32-_O_CONCEITO_DE_DECADE770NCIA__E_A_DECADE770NCIA_DO_CONCEITO__PAG_33-94.pdfKenned Pinheiro
 
43639_32c5dc04bd7eb861d0f72590e66ac8d6.pdf
43639_32c5dc04bd7eb861d0f72590e66ac8d6.pdf43639_32c5dc04bd7eb861d0f72590e66ac8d6.pdf
43639_32c5dc04bd7eb861d0f72590e66ac8d6.pdfDirleySantos2
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02marlete andrade
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanEliphas Rodrigues
 

Semelhante a História do brasil (20)

ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
 
Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
 
Goiás para concursos: século XVIII
Goiás para concursos: século XVIIIGoiás para concursos: século XVIII
Goiás para concursos: século XVIII
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Prova diagnostica historia 1 ano
Prova diagnostica  historia 1 anoProva diagnostica  historia 1 ano
Prova diagnostica historia 1 ano
 
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
 
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptxBrasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
 
03 - ECONOMIA AGRARIA III.pdf
03 - ECONOMIA AGRARIA III.pdf03 - ECONOMIA AGRARIA III.pdf
03 - ECONOMIA AGRARIA III.pdf
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
32-_O_CONCEITO_DE_DECADE770NCIA__E_A_DECADE770NCIA_DO_CONCEITO__PAG_33-94.pdf
32-_O_CONCEITO_DE_DECADE770NCIA__E_A_DECADE770NCIA_DO_CONCEITO__PAG_33-94.pdf32-_O_CONCEITO_DE_DECADE770NCIA__E_A_DECADE770NCIA_DO_CONCEITO__PAG_33-94.pdf
32-_O_CONCEITO_DE_DECADE770NCIA__E_A_DECADE770NCIA_DO_CONCEITO__PAG_33-94.pdf
 
43639_32c5dc04bd7eb861d0f72590e66ac8d6.pdf
43639_32c5dc04bd7eb861d0f72590e66ac8d6.pdf43639_32c5dc04bd7eb861d0f72590e66ac8d6.pdf
43639_32c5dc04bd7eb861d0f72590e66ac8d6.pdf
 
2º SEGUNDO REINADO.ppt
2º SEGUNDO REINADO.ppt2º SEGUNDO REINADO.ppt
2º SEGUNDO REINADO.ppt
 
Brasil Mineração (século XVIII)
Brasil  Mineração (século XVIII)Brasil  Mineração (século XVIII)
Brasil Mineração (século XVIII)
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
 
9 História da EP no Brasi1.pdf
9 História da EP no Brasi1.pdf9 História da EP no Brasi1.pdf
9 História da EP no Brasi1.pdf
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
 

Mais de Jeesiel Temóteo

Mais de Jeesiel Temóteo (6)

Métodos anticoncepcionais editado.
Métodos anticoncepcionais editado.Métodos anticoncepcionais editado.
Métodos anticoncepcionais editado.
 
Usinas geradoras de energia elétrica
Usinas geradoras de energia elétricaUsinas geradoras de energia elétrica
Usinas geradoras de energia elétrica
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Minhas frases
Minhas frasesMinhas frases
Minhas frases
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 

Último

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 

Último (20)

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 

História do brasil

  • 1. Ciclo do ouro no Brasil
  • 2. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS – CAMPUS I DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DISCIPLINA: HISTÓRIA DO BRASIL I PROFESSOR: ALDEMIR BARROS ALUNOS:Cristiano dos Santos José Helenildo Jeesiel Temóteo
  • 3. Inicio do ciclo “Assim a exploração Brasileira do ouro nunca foi além, na verdade desta aventura passageira que mal tocava um ponto para abandona-lo em seguida passar adiante”. (Júnior, P. 166)
  • 4. “Há exagero em dizer que a extração do ouro liquidou a economia açucareira do nordeste. Ela já estava em dificuldades vinte anos antes da descoberta do ouro e, como vimos, não morreu”. (Fausto, P.99)
  • 5. “Outra preocupação da coroa foi estabelecer limites à entrada na região das minas. Nos primeiros tempos da atividade mineradora, a câmara de são Paulo reivindicou, junto ao rei de Portugal, que somente aos moradores da vila de são Paulo, a quem se devia a descoberta do ouro, fossem dadas concessões de exploração do metal”. (Fausto, P. 100)
  • 6. Controle sobre o ouro Intendência das minas As casas de fundição Outros tipos de impostos: Capitação e derrama
  • 7. Revolta de vila rica Felipe dos santos Formação Resposta do governo
  • 8. Ciclo do ouro Ouro de aluvião e lavras; Regimento das minas de ouro; 1919 criação das casas.
  • 9. SOCIEDADE MINERADORA Os ricos; As camadas média; Os homens livres; Os escravos.
  • 10. Fonte: FIGUEIRA, Garcia Divalte,Livro História Divalte, volume único, série novo ensino médio, ed. Ática, 2ª ed.- 2ª impressão, ano 2005, p.184.
  • 11. Fonte: FIGUEIRA, Garcia Divalte,Livro História Divalte, volume único, série novo ensino médio, ed. Ática, 2ª ed.- 2ª impressão, ano 2005, p.184.
  • 12. Referências BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História: sociedade & cidadania 8º. ano. São Paulo: FTD, 2012. p. 50. COTRIM, Gilberto. História Global: Brasil e geral. São Paulo: Editora Saraiva, 2005. http://www.receita.fazenda.gov.br/Memoria/ad ministracao/reparticoes/colonia/casadefundica o.asp in. 05 do 11 de 2014.
  • 13. PRADO JÚNIOR, Caio.Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. 23.ª ed. São Paulo; Brasiliense,1997 PADRO JUNIOR, Caio. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2006. FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008. FIGUEIRA, Garcia Divalte,Livro História Divalte, volume único, série novo ensino médio, ed. Ática, 2ª ed.- 2ª impressão, ano 2005, p.184.
  • 14. FIM Produção: Jeesiel Temóteo Apoio: Cristiano dos Santos Orientador: Aldemir barros