Ano liturgico

19.709 visualizações

Publicada em

3 comentários
14 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.709
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
938
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.499
Comentários
3
Gostaram
14
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ano liturgico

  1. 1. Chama-se Ano Litúrgico o tempo em que a Igreja celebra todos os feitossalvíficos operados por Deus em Jesus Cristo. “Através do ciclo anual, a Igrejacomemora o mistério de Cristo, desdea Encarnação ao dia de Pentecostes eà espera da vinda do Senhor" (NUALC nº 43 e SC nº 102).
  2. 2. Quando se inicia o Ano Litúrgico• Diferente do ano civil, não contrário a ele, o Ano Litúrgico não tem data fixa de início e de término. Sempre se inicia no primeiro Domingo do Advento, encerrando-se no sábado da 34ª semana do Tempo Comum, antes das vésperas do domingo, após a Solenidade de Cristo Rei do Universo.• Mesmo sem uma data fixa de início, qualquer pessoa pode saber quando vai ter início o Ano Litúrgico, pois ele se inicia sempre no domingo mais próximo de 30 de novembro. Na prática, o domingo que cai entre os dias 27 de novembro e 3 de dezembro.
  3. 3. • O ano Litúrgico não apenas recorda as ações de Cristo, nem somente renova a lembrança de ações passadas, mas sua celebração tem força sacramental e especial eficácia para alimentar a vida cristã; e torna- se um caminho pedagógico-espiritual nos ritmos do tempo. • A liturgia se utiliza de 3 ritmos diferentes: Ritmo Diário, Ritmo Semanal e Ritmo Anual
  4. 4. 1 - Ritmo Diário• Acompanha o caminho do Sol, que é o símbolo de Cristo, o povo de Deus faz memória de Jesus Cristo, nas horas do dia, pela celebração do Ofício Divino – Daí o nome Liturgia das Horas.• De tarde o Sol poente evoca o mistério da morte. De manhã, o sol nascente evoca mistério da ressurreição. De noite, nas vigílias em especial no sábado, celebramos em espera vigilante o mistério da volta do Senhor.
  5. 5. • Os fiéis leigos também são convidados a celebrá-la , individual ou comunitariamente, seguindo um roteiro simples através do Oficio Divino das Comunidades, que conserva a teologia e a estrutura da Liturgia das Horas.• O dia litúrgico se estende da meia-noite à meia-noite. A Celebração do Domingo e das solenidades começa, porém, com as Vésperas do dia precedente. (NUALC nº3)
  6. 6. 2 - Ritmo Semanal• È marcado pelo Domingo, o dia em que o Senhor se manifestou ressuscitado (Mc 16,2: Lc 24,1 : Mt 28,1 : Jo 20,1) O dia de Pentecoste também aconteceu no domingo (At 2,1-11)• As outra celebrações não lhe sejam antepostas, a não ser as de máxima importância, porque o Domingo é o fundamento e o núcleo do ano litúrgico (SC 106)
  7. 7. • “Por causa da sua especial importância o Domingo só cede sua celebração às solenidades e festas do Senhor. Os Domingos do Advento, da Quaresma e da Páscoa gozam de precedência sobre todas as festas do Senhor e todas as solenidades. As que ocorrerem nestes domingos sejam antecipadas para o sábado”.(NUALC 5)• O Domingo exclui, por sua natureza própria a fixação definitiva de qualquer outra celebração.• São exceções: Festa da Sagrada Família, Batismo do Senhor, Santíssima Trindade, Cristo Rei; E no Brasil, São Pedro e São Paulo, Assunção de Nossa Senhora e Todos os Santos.ObS: A festa da Imaculada Conceição dia 08/12 quando cai num Domingo do Advento, permanece no Domingo, concessão feita pela Santa Sé a igreja do Brasil.
  8. 8. 3 - Ritmo Anual• O tempo litúrgico compreende 2 tempos fortes:a) O Ciclo Pascal - tendo como centro o Tríduo Pascal, a Quaresma como preparação e o Tempo Pascal como prolongamento).b) O Ciclo do Natal – com sua preparação no advento e o seu prolongamento até a festa do Batismo do Senhor. Além destes o Tempo Comum.
  9. 9. • O Ano Litúrgico passa por três ciclos, também chamado de anos A, B, C.• A cada ano tem uma sequência de leituras próprias, ou seja, leituras para o ano A, ano B e para o ano C.• Para saber de que ciclo é um determinado ano, parte-se deste princípio: o ano que é múltiplo de 3 é do ciclo C. Para saber se um número é múltiplo de 3, basta somar todos os algarismos, e se o resultado for múltiplo de 3, o número também o é.• Exemplo:• 1998 é 1+9+9+8 = 27 (é múltiplo de três) logo é ano C• 1999 é 1 + 9 + 9 + 9 = 28 (27+1) = ano A• 2000 é 2+0+0+0 = 2 = ano B• 2001 é 2+0+0+1 = 3 = ano C• 2002 é 2+0+0+2 = 4 (3+1) = Ano A
  10. 10. AS CORES DO ANO LITÚRGICOComo a liturgia é ação simbólica, também as cores nela exercem um papel de vital importância.
  11. 11. ROXO No Tempo do Advento e daQuaresma até a Quinta-feiraSanta pela manhã.Missa de Defuntos ( tambémse pode usar paramentos de corpreta).
  12. 12. BRANCO Tempo Pascal e Natal. Festas e memórias do Senhor (exceto noDomingo de Ramos e a Exaltação da Santa Cruz). Festas e memórias de Nossa Senhora, dos Anjose dos Santos não mártires. Festa de Todos os Santos (1 de Nov), donascimento de S. João Batista (24 de Jun),de S. JoãoEvangelista (27 de Dez), da Cadeira de S. Pedro (22de Fev) e da Conversão de S. Paulo (25 de Jan).
  13. 13. VERMELHO Domingo de Ramos Sexta-feira Santa Domingo de Pentecostes.Exaltação da Santa Cruz.Festas de Apóstolos e Evangelistas.Festas e Memórias dos Santos Mártires
  14. 14. ROSAPodem usar-se nos domingos Gaudete - (III do Advento) e Laetare - ( IV da Quaresma). Esses dois domingos são classificados, na liturgia, de "domingos da alegria", porcausa do tom jubiloso de seus textos.
  15. 15. VERDE Em todo o Tempo Comum.Nota explicativa: Se uma festa ou solenidadetomar o lugar da celebração do tempo litúrgico,usa-se então a cor litúrgica da festa ousolenidade.
  16. 16. AZULDesde o século passado que era a corda Solenidade da Imaculada Conceição. A IGMR não refere esta cor.
  17. 17. a)Tempo do Advento• Das primeiras vésperas do domingo que cai no dia 30 de novembro ou no domingo que lhe fica mais próximo.• O ano litúrgico, inicia-se com este tempo.• Ele possui duas características:- preparação para o Natal, em que se comemora a 1ª vinda do Cristo.- E também onde nossos corações se voltam com expectativa para a sua 2ª vinda no fim dos tempos.
  18. 18. b)Tempo do Natal• Das primeiras vésperas do Natal até a festa do Batismo do Senhor.• A oitavo do natal esta organizada do seguinte modo:- No domingo dentro da oitava, ou, em falta dele, no dia 30 de dezembro celebra-se a festa da Sagrada Família.- No dia 26 de dezembro a festa de Santo Estevão.
  19. 19. b)Tempo do Natal- No dia 27 de dezembro a festa de São João Apóstolo e Evangelista.- No dia 28 de dezembro a festa dos Santo Inocentes.- os dias 29, 30 e 31 são dias dentro da oitava.- No dia 1º de janeiro, no oitavo dia, celebra-se a solenidade de Santa Maria,Mãe de Deus.- A Epifania é celebrada no dia 6 de janeiro, a não ser que seja transferida para o domingo entre os dia 2 e 8 de janeiro. Nela celebramos a manifestação de Jesus Cristo, Filho de Deus, luz para iluminar todos os povos no caminho da salvação.- No domingo depois da Epifania celebra-se a festa do batismo do Senhor
  20. 20. c)Tempo da Quaresma• Da 4ª feira de Cinzas até a Missa da Ceia do Senhor, exclusive.• Do início da Quaresma até a Vigília Pascal não se canta o Glória e muito menos o Aleluia.• O 6º domingo com o qual se inicia a Semana Santa é chamado “Domingo de Ramos e da paixão do Senhor ”.• A semana Santa visa recordar a Paixão de Cristo, desde sua entrada messiânica em Jerusalém.
  21. 21. d) Tríduo Pascal • Começa na quinta-feira da Semana Santa com a missa vespertina na Ceia do Senhor. • Na sexta-feira Santa a Igreja não celebra a Eucaristia. Recorda a Morte de Cristo por uma celebração da Palavra de Deus, constando de leituras bíblicas, de preces solenes, adoração da cruz e comunhão sacramental.• A noite do Sábado Santo é a "mãe de todas as vigílias", a celebração central de nossa fé, nela a Igreja espera, velando, a ressurreição de Cristo, e a celebra nos sacramentos. Portanto, toda a celebração deste dia deve realizar-se a noite de modo que comece depois do anoitecer.
  22. 22. e) Tempo Pascal• Os 50 dias entre o domingo de ressurreição e o domingo de Pentecostes. São dias de Páscoa e não após a Páscoa. Os oito primeiros dias são celebrados como solenidades do Senhor.• No 40º dia da Páscoa, celebra-se a Ascensão do Senhor, porém aqui no Brasil este festa é transferida para o 7º domingo da Páscoa.• A semana seguinte até Pentecostes. Em sintonia com outras igrejas cristãs, no Brasil, realizamos a Semana de “Oração pela União dos Cristãos”
  23. 23. f) Tempo Comum• Além dos tempos que tem características próprias restam no ciclo anual 33 ou 34 semanas nas quais não se celebram nenhum aspecto especial do mistério de Cristo; comemora-se nelas o próprio mistério de Cristo em sua plenitude, principalmente aos domingos.• Começa no dia seguinte à celebração da festa do Batismo do Senhor e se estende até a terça-feira antes da Quaresma, inclusive. Recomeça na segunda- feira depois do domingo de Pentecostes e termina antes das vésperas do 1º Domingo de Advento (NUALC nº44).
  24. 24. Tenham uma boa noite e Muito obrigado! Fontes: • Normas Universais sobre Ano Liturgico e Calendário – NUALC • Diretório da Liturgia

×