UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
            ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES
DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS, PROPAGANDA E TURIS...
A palavra arte vem do latim ars e significa basicamente habilidade.

Porém a arte e ainda mais o conceito de arte é moldad...
a palavra pode ser utilizada pois o trabalho realizado pela Artelar incluí além

de reformas a criação de móveis doméstico...
Bibliografia:



HEGEL, G. W. F. Estética: a idéia e o ideal (vol. I). Trad. Orlando Vitorino.

Lisboa: Guimarães Editores...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Presença das palavras arte, design, moda e estética no cotidiano

2.051 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.051
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Presença das palavras arte, design, moda e estética no cotidiano

  1. 1. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS, PROPAGANDA E TURISMO ESTÉTICA EM PUBLICIDADE Prof. Emerson A presença das palavras arte, design, moda e estética no cotidiano Jean Michel Gallo Soldatelli Número USP - 6441052 SÃO PAULO, JUNHO/2008
  2. 2. A palavra arte vem do latim ars e significa basicamente habilidade. Porém a arte e ainda mais o conceito de arte é moldado seguindo os padrões e os ideais de uma época e das características de determinada sociedade. Na antiguidade por exemplo, é notável a diferença do conceito de arte para Platão e para Aristóteles. Platão, como o primeiro estudioso que se dedicou a compreender a arte, deixou várias lacunas em seus estudos, exploradas mais tarde por seus seguidores. Apesar destas lacunas, o autor de “A República” viu na arte uma dimensão social, e dentro dessa dimensão a encaixou em um contexto político, ameaçando um vínculo entre a arte e a filosofia. Já Aristóteles, diferentemente de seu predecessor, estudou a arte na sua relação com a natureza, com isso, ele retirou o compromisso desta com a imitação da realidade dado por Platão. Apesar de todos estudos e todas tentativas de definição, acho que a afirmação de Ernst Dombrich é uma das mais sensatas: “... nada existe realmente a que se possa dar o nome de Arte. Existem somente artistas.”. Hegel entretanto, fala que o objetivo final da arte não pode ser senão o de revelar a verdade (Hegel, 1969: 83). Apesar das divergências entre os teóricos da arte, grande parte concorda que a grande essência da arte e do artista é usar seus pensamentos e seus ideais para transformar ou recriar a realidade. A utilização da palavra “arte” no nome da marcenaria mostrada na foto pode parecer equívocada se vista por um ponto de vista em que a arte é a expressão de um sentimento, é algo que segue um movimento artístico, porém se pensarmos na arte vinculada a realidade, com um objetivo prático,
  3. 3. a palavra pode ser utilizada pois o trabalho realizado pela Artelar incluí além de reformas a criação de móveis domésticos, voltados também para a decoração da casa. Apesar de provavelmente possuírem muito pouco ou nenhum conhecimento de arte, seus trabalhos se encaixam perfeitamente na definição dada na maioria dos dicionários dita no início do texto: habilidade. A arte, antes de tudo, é a demonstração de uma habilidade, de um talento, portanto podemos concluir que a arte não depende de classe social, no local onde é feita, do modo como é feita, apenas depende da vontade ou da necessidade de se fazer arte.
  4. 4. Bibliografia: HEGEL, G. W. F. Estética: a idéia e o ideal (vol. I). Trad. Orlando Vitorino. Lisboa: Guimarães Editores, 1969. GOMBRICH, Ernst H. A história da arte; São Paulo: LTC. Editora, 2000

×