Cena de 16 de dezembro – Amélia e Vitor dormem juntos / sem cortesAmélia sai com seu carro depois de conversar com Manu e ...
- Eu quero dizer que essa história tem que acabar por aqui, Vitor. Eu nãoconsigo mais. Meu medo está me consumindo toda ve...
Vitor segura o braço de Amélia:- Calma, eu acompanho você até a fazenda, vai dar tudo certo.- Não, Vitor, fica aqui, por f...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Extras emily

746 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
746
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
87
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Extras emily

  1. 1. Cena de 16 de dezembro – Amélia e Vitor dormem juntos / sem cortesAmélia sai com seu carro depois de conversar com Manu e lhe pedir um tempocom relação ao que vem se passando com sua vida e a de Max.Ela começa a pensar como tudo está difícil e na sua falta de coragem emcontar para os filhos sobre sua relação extraconjugal com Vitor. Só em pensarque o homem por quem se apaixonou é o ex-noivo de sua filha, a situaçãopiorava e Amélia sentia que já não havia mais saída. Foi então que seu carroseguiu inconscientemente para a estalagem.Terê estava terminando de arrumar a mesa para o dia seguinte junto comNeca, quando vê o carro de Amélia parar logo em frente.- Amélia, como vai?Amélia com um ar aflito quase não olha nos olhos de Terê e diz:- Oi, Terê, preciso falar com o...Terê logo pede para Neca ir para dentro e diz em seguida:- Calma, Amélia, você quer um chá, uma água antes? O que aconteceu?- Nada, Terê, ainda não aconteceu nada, mas pode acontecer – Diz Amélia,com as lágrimas querendo saltar de seus olhos.- Então vá falar com o Vitor. Ele está lá dentro, você sabe o caminho.Amélia bate na porta do quarto de Vitor, e ele sai correndo do banheiro apóstomar um banho, ainda sem camisa.- Já vai, um segundo.Ao abrir a porta ele depara com Amélia, pálida diante dele.- Amélia? O que foi? O que você tem? Entra...Amélia entra e se afasta:- Vitor, me perdoa chegar a essa hora sem avisar. É que a cada dia que passafica mais difícil. Eu não estou aguentando mais, me desculpa.Vitor se aproxima e a abraça forte:- Vem aqui.Entrelaçando os dedos entre seus cabelos, Vitor beija sua testa, e depois seurosto, suavemente, até que seus lábios se tocam e eles se entregam a um beijoapaixonado e desesperado.Amélia se afasta e toca o rosto de Vitor rapidamente, ainda com as mãos frias:- Vitor, a Manuela, o Max, todo mundo está desconfiado, eu não consigo maisesconder o que eu sinto por você. Não consigo tirar você da minha cabeça, eisso já está começando a se refletir no meu corpo, nos meus olhos, na minhavontade de ficar do seu lado... - Vitor a encara com os olhos e se aproxima, eela o repreende novamente - Eu já estou começando a me entregar pra todomundo sem nem ao menos perceber, Vitor. Isso não pode acontecer. Aspessoas não vão entender, não vão...Vitor pega seu rosto com as mãos e diz:- Amélia, você precisa contar pros seus filhos, pra Manuela pelo menos. Ela vaientender, ela sempre foi sua melhor amiga.- Não sei, Vitor, a Manuela tem um carinho muito especial pelo pai, eu tenhomedo que ela tome as dores do Max e acabe não aceitando. Afinal são váriascoisas que impedem que meus filhos compreendam o que sinto por você.- E o que você quer dizer com isso? - Vitor diz, tirando as mãos de Amélia e aolhando fixamente.
  2. 2. - Eu quero dizer que essa história tem que acabar por aqui, Vitor. Eu nãoconsigo mais. Meu medo está me consumindo toda vez que tenho queenfrentar o Max... os meus filhos.Vitor, categórico, diz a Amélia:- Você veio até aqui pra terminar tudo, pra me dizer isso?Amélia fica calada e Vitor se reaproxima segurando novamente o rosto deAmélia com suas mãos:- Diz, Amélia, diz olhando nos meus olhos, que você quer desistir de nós dois.Amélia começa a chorar e segura as mãos de Vitor:- Eu te amo tanto, meu Deus. Nunca pensei que fosse amar tanto uma pessoana vida...Vitor coloca seus dedos nos lábios de Amélia:- Não diz mais nada. Só me ama Amélia. – Vitor beija o rosto de Amélia e logoem seguida vai beijando levemente seu pescoço, se deixando envolver peloseu perfume:- Vamos viver esse amor, e o resto que se dane.Vitor segura firme na cintura de Amélia, novamente beijando seu pescoço, commais urgência e desejo.Amélia não consegue dizer mais nada e se entrega aos carinhos de Vitor,fechando seus olhos e deixando que ele tire, devagar, sua roupa.Os dois enfim, se deixam levar pelo desespero de um amor tão forte, queprecisa ser vivido ali, naquele instante, antes que alguma coisa os impeça.Depois de algum tempo Amélia e Vitor estão deitados na cama, e Vitor diz:- Foi maravilhoso. Juro pra você, Amélia, nunca senti nada parecido com outramulher. Minha vontade é parar esse tempo agora, e não te deixar ir emboramais. Ficar abraçado com você assim, pra sempre. – Vitor beija o pescoço deAmélia várias vezes.Amélia sorri:- Eu senti o mesmo. Por instantes eu esqueci todos os problemas, tudo que euvinha dizer pra você.- Então esquece. Olha pra mim. A gente vai ficar junto, eu não vou desistir devocê. Amélia, eu te amo, entendeu? Te amo.Ela então puxa Vitor pra si e o beija, e acariciando seu rosto devagar, dizolhando nos seus olhos:- Eu não consigo mais desistir de você. Eu não posso mais desistir de você.Acho que me dói mais... pensar em te deixar do que sofrer alguma retaliaçãode Max, dos meus filhos.... A gente vai encontrar uma saída, não vai?Vitor a segura forte:- Claro que sim. Não pensa mais nisso agora, hein. - Vitor sorri - Vem aqui...Vitor a beija novamente e nisso o celular de Amélia toca.- Ai, meu Deus, tenho que atender, cadê minha bolsa?Amélia sai enrolada no lençol, e alcança sua bolsa.- É a Manu. Alô, filha? Calma, calma...Vitor a olha preocupado.- Não, faz o seguinte, Manu, calma. Tenta achar o remédio no bolso da calçado seu pai. Eu já estou indo praí.Amélia desesperada começa a se vestir.- O Max...O Max está passando mal, eu preciso ir correndo pra fazenda, Vitor.
  3. 3. Vitor segura o braço de Amélia:- Calma, eu acompanho você até a fazenda, vai dar tudo certo.- Não, Vitor, fica aqui, por favor. Eu vou correndo.- Toma cuidado, Amélia, dirige com calma.- Sim. – Amélia termina de se vestir, olha nos olhos de Vitor e o beija,segurando seus lábios fortemente contra os seus. Vitor envolve Amélia emseus braços, retribuindo mais ainda seus beijos, não a deixando ir.Amélia se afasta e segura o rosto de Vitor:- Preciso ir. Te amo, te amo, te amo – ela diz, beijando várias vezes os lábiosdele.Vitor então, resistindo, solta a cintura de Amélia e a deixa ir.Cena de 15 de fevereiro - Amélia se encontra com Vitor na estalagemAmélia bate na porta do quarto de Vitor e ele abre já sabendo que ela estavado outro lado - ansioso e cheio de saudade.Os dois se olham por alguns instantes e enfim se abraçam e se beijam,intercalando em desespero e desejo. Vitor fecha a porta com os pés e guiaAmélia até o centro do quarto, a olhando com paixão. Os dois sorriem um parao outro até que Vitor a puxa novamente para seus braços com força, a beijandointensamente por longos minutos.Amélia se desprende de Vitor, sem fôlego, beijando seus lábios várias vezes.Vitor a segura pela cintura retribuindo seus beijos e depois a beija no pescoço,dizendo eufórico:- Amélia... que saudade. Da sua pele, do seu perfume, dos seus beijos – ele abeija novamente nos lábios – de você inteira aqui comigo...Amélia sorri e acaricia o rosto de Vitor com carinho:- Eu também, eu também... Eu nem acredito que consegui chegar até aqui...prate ver, te tocar...- Ela toca os lábios de Vitor olhando fixamente para eles.Os dois se beijam novamente e Vitor a leva até a cama. Ela se senta e seapóia no colchão e Vitor ainda a beija, até se encostarem na cabeceira.Amélia se solta de Vitor por alguns instantes, tirando seus sapatos. Vitor a puxanovamente para seu lado, a pegando pela nuca e a beijando lentamente,mordendo seus lábios com cuidado.Depois do beijo, ela sorri e toca o rosto de Vitor, fixando seu olhar no dele poralgum tempo até se ajeitar em seu peito e os dois ficam abraçados na camasem se falarem, de olhos fechados.

×