Extras

627 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
627
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
112
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Extras

  1. 1. EXTRAS – Cenas cortadas23 de dezembro – Voltando do hospital de Juruanã (quando Fred diz paraa mãe voltar de carona com Vitor)Amélia e Vitor entram no carro e partem para Girassol. Ele ri e comenta:- Parece que o Fred quer ver você comigo...- Confesso que eu fiquei surpresa. Ainda mais depois da bandeira que eu deina lanchonete do hospital. Será que ele não percebeu nada?- Acho que ele percebeu sim... percebeu que eu te quero muito bem, queninguém vai cuidar melhor de você do que eu.- Convencido... - Amélia ri.- Sério, Amélia. O Fred sabe bem o pai que tem. Sabe que o Max não merececonsideração. Tenho certeza que seu filho quer ver você feliz. Ele não deve terse dado conta ainda, mas acho que lá no fundo já enxergou que você mereceser amada, e que é muito mais feliz ao meu lado do que com o pai dele. Aliás,nem sei como você conseguiu viver tanto tempo com o Max - diz Vitor, semdisfarçar o ódio.- Nem eu, Vitor, nem eu... mas por falar no Max, é ele seu suspeito, né? Vocêacha que foi ele quem sabotou seu avião?- Tenho certeza. Quem mais ia querer me matar?- Será que ele já estava desconfiando de alguma coisa? - questiona Amélia,preocupada.- Não, Amélia... - Vitor responde com doçura - fica tranquila, o problema doMax comigo é outro. Aquela história do frigorífico, você sabe. Além, claro, doque ele aprontou para a Manuela e eu acabei ajudando... como me arrependo.- Ah, Vitor, tenho tanto medo... só de pensar no que o Max pode fazer comvocê, fico apavorada - confessa Amélia, aflita.- Ele já viu que não é fácil me derrubar, Amélia... - Vitor ri - Acho que não vaitentar me matar de novo tão cedo.- Você ainda brinca com isso? - ela reclama.- Tá bom, não brinco mais... não quero ver você nervosa.Amélia acaricia os cabelos de Vitor e diz:- Você é muito importante pra mim...- E eu não sei mais viver sem você - ele devolve, olhando para ela eesquecendo do trânsito por alguns instantes.- Vitor, olha pra frente... esqueceu que está dirigindo?- É difícil concentrar na direção com uma mulher tão linda ao meu lado... - eleexplica com um sorriso travesso.Amélia apenas sorri e fica olhando para ele com olhar apaixonado.De repente, Vitor entra numa rua lateral e dirige até um beco sem saída.Quando chega no ponto mais escondido do beco, pára o carro.- Que foi, Vitor, aconteceu alguma coisa? - Amélia pergunta, preocupada.- Aconteceu - ele diz bem sério - preciso urgentemente de um beijo.Só depois de falar, Vitor sorri de um jeito malicioso. Amélia ri.- Você é louco... e se alguém nos ver?- Amélia, você está vendo alguém aí na rua? - ele questiona enquanto solta ocinto de segurança dos dois.- Não...
  2. 2. - Vem aqui - ele diz se aproximando dos lábios dela, e continua a falar como seestivesse sem forças - Estou tão fraquinho, sem forças pra continuar dirigindo...e o único remédio que funciona é um beijo seu.- Ah, é? - Amélia sorri e avisa com ternura - Então, deixa eu cuidar de você...Eles colam os lábios e trocam um beijo demorado.- Melhorou? - ela pergunta, acarinhando o rosto dele.- Acho que eu preciso de um pouco mais desse remédio...- Sei... - Amélia ri de novo - Vamos voltar para a estrada, senão o Fred vai searrepender ter deixando você me levar pra casa.- Tá bem, mas mais tarde eu preciso de uma nova dose... - Vitor concorda, seajeitando no carro e colocando o cinto de segurança.- A gente fala sobre isso depois - promete Amélia, sorrindo e olhando para ele.Antes de dar a partida no carro, Vitor rouba um selinho de Amélia e ri. Ela ficaobservando-o com um sorriso iluminado, enquanto ele recomeça a dirigir.24 de dezembro – Vitor invade o quarto de AméliaQuando Vitor tomou Amélia nos braços e a beijou intensamente, ela nãoconseguiu pensar em mais nada. Só nos lábios de Vitor colados aos seus, nocalor do corpo dele, em sentir aquele corpo cada vez mais junto do seu. Eletambém não pensava, apenas deixava seus sentimentos e desejoscomandarem. Os beijos foram ficando mais intensos, e sem perceber, eleschegavam cada vez mais perto da cama. Vitor foi debruçando seu corpo sobreo dela até estivessem deitados. Então suas mãos começaram a passear pelaspernas de Amélia, subindo sua camisola. De repente, foi como se ela tivessedespertado de um transe e percebido que estava indo longe demais.- Pára, Vitor... - ela pediu, ofegante.- Não, Amélia, não... - ele desceu com beijos pelo pescoço dela.- Por favor... - Amélia pediu de novo, empurrando Vitor, que girou o corpo edeitou ao lado dela. Ele fechou os olhos por alguns instantes e respirou fundo,tentando se acalmar. Só então virou a cabeça e olhou para Amélia, mas ficouem silêncio. Ela começou a falar:- Tenta entender, minha filha está aqui do lado... Imagina se ela vê você aqui,na minha cama? O que ela vai pensar de mim?- Desculpa, mas é tão difícil resistir...- Eu sei, acha que é fácil pra mim? Mas não pode ser desse jeito - ela explica,um tanto séria, quase triste.- Tudo bem, prometo que não vou mais fazer nada... hoje - ele sorri - Quero sódormir ao seu lado, não vou encostar em você.Ela olha para ele com jeito pensativo.- Deixa, Amélia... - ele pede com olhar suplicante.- Não sei... - ela responde, com jeito de quem está se segurando para não dizersim.Vitor desliza na cama e se ajeita bem na beiradinha:- Eu fico aqui, e você aí no outro lado - ele deita de lado, com o braço apoiandoa cabeça, e fica olhando para Amélia.Ela sorri e fala:- Tá bem... - Amélia também deita de lado, olhando para Vitor.Eles ficam olhando um para o outro, em silêncio, até adormecer.
  3. 3. 1° de janeiro – Amélia ajuda a preparar a festa da colheitaAmélia terminou o sanduíche de mortadela, limpou a boca com umguardanapo. Quase sem se dar conta, levantou os olhos na direção de Vitor.Ele ainda estava parado, olhando para ela. Tinha pego um sanduíche também,mas deu umas duas mordidas e esqueceu do lanche, o olhar ficou perdido emAmélia. Ela sorriu, achando graça, e também achando lindo o jeito com que elea olhava. Vitor também sorriu.- E então, vamos trabalhar? - perguntou Amélia.- Me ajuda aqui com as bandeirolas? - ele convidou sem tirar os olhos dela.- Claro...- Então vem aqui. Segura o cordão que eu vou colando as bandeirinhas.Vitor amarrou a ponta do cordão em uma cadeira, esticou uma parte e entregouo restante para Amélia. Foi colando as bandeirolas a partir da ponta. Quandochegou bem perto de Amélia, "sem querer" encostou um pouco de cola nascostas da mão dela.- Ah, desculpa... deixa que eu limpo - ele falou com um olhar travesso.Com carinho, ele passou os dedos na mão dela. Depois que tirou toda a cola,passou a mão inteira sobre a mão de Amélia, parando por um instante paraacarinhá-la com o polegar.Amélia sorriu, mas logo olhou para os lados, preocupada, e tirou sua mão damão de Vitor.- Alguém pode ver... - ela justificou baixinho.- E daí? Que vejam... - ele retrucou com um olhar apaixonado.Amélia ficou tensa com o jeito que Vitor a olhava, e pôs a mão no peito comose quisesse segurar o coração que estava disparando.- Vou ajudar as meninas com as flores - ela avisou e se afastou, antes que nãoconseguisse se controlar.Vitor ficou observando Amélia se afastar. Logo Nancy se aproximou com maisbandeirolas recortadas e as entregou para ele, que chamou Bruno para seguraro cordão. Nancy saiu para recortar mais, e Vitor continuou a colar. Enquantoisso, Amélia montava os arranjos de flores junto com as jóias.Depois de colar uma porção de bandeirolas, Vitor se aproximou para ver comoestavam as flores. Ametista foi logo perguntando:- Diz, Vitor, quem fez o arranjo mais bonito? Eu, a Safira ou a Esmeralda?- Deixa eu ver... - ele observou com atenção os arranjos, depois olhou paraAmélia, que tentava não olhar na direção dele - E o seu, Amélia? Tem queentrar na disputa também.- Ah, deixa essa brincadeira só entre as meninas - ela respondeu, encabulada.- Não, eu faço questão que você participe.Amélia estendeu o arranjo e Vitor o analisou.- Meninas, me desculpem, mas a Amélia ganhou - ele olhou para ela de cantode olho e com um leve sorriso.- Ah... - as três jóias lamentaram ao mesmo tempo.- Não fiquem tristes. É que a experiência faz com que uma mulher fique melhorem muitas coisas - ele olhou para Amélia com olhar de admiração - Até emfazer arranjos de flores.- Tá certo, você tem razão - ponderou Esmeralda.Enquanto isso, Amélia começou a fazer outro arranjo, tentando não olhar paraVitor, mas sorrindo, com jeito de quem estava pensando no que acabara de
  4. 4. ouvir. Ele olhou para Amélia de novo e percebeu que ela estava tentando seconcentrar no trabalho. Então, voltou o olhar para a mesa e disse:- Mas, ó, tá ficando tudo lindo, meninas. As quatro estão de parabéns...Vitor lançou um último olhar para Amélia e se afastou, voltando para sua tarefa.Mais tarde, Janaína se aproximou com mais uma bandeja de suco. Vitor seadiantou:- Deixa que eu te ajudo - ele pediu, já pegando a bandeja das mãos dela.Vitor levou o suco até a mesa onde estavam as jóias e Amélia. Tentandodisfarçar, entregou um copo em mãos para cada uma das meninas. DeixouAmélia por último. Quando passou o copo às mãos dela, Vitor aproveitou paratocar nos dedos da amada, discretamente. Ela sorriu, olhando para ele:- Obrigada.- Disponha - ele devolveu o sorriso e o olhar - Se quiser mais, é só pedir.- Já está ótimo - ela respondeu, e provou o suco, aproveitando para desviar oolhar para o copo - Humm, diz pra Janaína que este suco está delicioso.- Pode deixar - ele afirmou, ainda sorrindo.Vitor se afastou com a bandeja. Amélia olhou para as jóias, se assegurou deque elas estavam distraídas. Então olhou rapidamente na direção de Vitor, queconversava com Janaína. Ele percebeu e deu um olhar de volta, discretamente.Amélia sorriu e voltou ao trabalho, tentando conter o entusiasmo.Anoiteceu, e já estava tudo praticamente pronto. Vitor pediu atenção e avisou:- Acho que por hoje já trabalhamos bastante.As jóias se despedem e vão embora.- Também já vou indo - diz Amélia.- Obrigada pela ajuda, dona Amélia - agradece Janaína.- Que nada, adorei ter participado - ela responde, olhando rapidamente paraVitor de canto de olho. Ele dá um leve sorriso, tentando se conter, enquantoAmélia continua a falar com a futura nora - E esqueça o "dona", pode mechamar só de Amélia. Vou ser sua sogra, mas quero que sejamos amigas,certo?- Nossa, não sei nem se eu mereço ter uma amiga como a senhora... comovocê - diz Janaína, emocionada.- Claro que merece. Se meu filho a escolheu, é porque você é mulher de bem -Amélia abraça Janaína, já se despedindo - Até a próxima.Depois, ela vai se despedir de Vitor, que diz:- Te acompanho até o carro.- Tá bem - Amélia concorda, sorrindo.(Aí aconteceu o que a gente viu... quase um beijo.)7 de março – Amélia encontra Vitor em seu quartoAproveitando a distração de Veloso, Vitor consegue entrar na casa da fazenda.Lurdinha leva um susto ao vê-lo:- Vi-vitor! Que você tá fazendo aqui?- Preciso falar com a Amélia.- Ela saiu com a Manu, foi na casa da dona Pérola.- Vou esperar... lá em cima.- Ai, Jesus... sei o seu Max te pega aqui... não quero nem ver.
  5. 5. - Fica tranquila, Lurdinha, ele nem vai saber. É só você fazer de conta que nãome viu entrando aqui.- Tá, sobe logo, então - ela concorda, nervosa.Vitor dá dois passos e volta.- Ah, depois você ajuda a distrair o cão perdigueiro pra eu ir embora? Porfavor...- Ai, Vitor, como eu vou fazer isso? - Lurdinha fica ainda mais aflita.- Tenho certeza que você vai pensar num jeito. Posso contar com você?- Pode... - ela responde num fio de voz.Vitor sorri:- Valeu, Lurdinha, você é o máximo - ele dá um beijo no rosto dela e sai felizem direção à escada.Lurdinha põe a mão na bochecha, onde Vitor beijou, e fica paralisada poralguns instantes.Quando Vitor desce do quarto de Amélia, vai direto para cozinha.- E aí, Lurdinha, preparada?- Tomara que isso dê certo, senão eu tô perdida, aquele encosto vai contartudo pro seu Max. Ó, eu vou levar um pedaço de bolo pro Veloso e puxarconversa. Quando você ver que ele está distraído, corre, pelo amor de Deus...- Fico te devendo essa, viu? - ele avisa, enquanto Lurdinha vai saindo com abandeja.Lurdinha entra na cozinha e solta um suspiro de alívio:- Ufa, ainda bem que o perdigueiro não percebeu nada...Ela volta ao seu trabalho. Logo depois, Amélia entra e abraça a empregada,dizendo:- Lurdinha... Obrigada pela ajuda.- Vocês ainda me matam do coração - retruca Lurdinha.- Você não tem idéia do bem que me fez essa visita - confessa Amélia,sorrindo.- Dá pra ver por esse sorriso aí, que quase não cabe no seu rosto... aproveitoubem a visita, hein? - a empregada devolve com olhar malicioso.- Estou tão feliz que não vou te mandar moderar a língua - Amélia ri - Obrigadamais uma vez, viu?- Quando precisar distrair o encosto de novo, pode contar comigo. Estouficando boa nisso - Lurdinha responde com um ar convencido, que provocamais risos em Amélia.23/03 - Amélia vai de bicicleta encontrar com VitorAmélia abre devagarinho a porta do quarto de Vitor e vai entrando comcuidado. Ele está concentrado lendo alguns papéis, mas logo percebe apresença dela.- Amélia! - exclama, surpreso, e se aproxima - Como você conseguiu vir?- Vim de bicicleta, acredita? - ela conta, com um sorriso de quem feztravessura.- Não! Você pedalou da fazenda até aqui só pra me ver?- Mas é convencido... - ela ri.- Foi pra quê, então? - ele também ri, mexendo nos cabelos dela.
  6. 6. - Tá bem... foi pra te ver. Estava morrendo de saudade.Ele a puxa pela cintura:- Eu também... estava louco pra te beijar de novo, te abraçar... - os lábios seencontram em um beijo apaixonado e demorado.Ainda durante o beijo, Vitor começa a conduzir Amélia até a cama. Ela se soltae explica, ofegante:- Não, Vitor... senão eu vou esquecer do tempo, esquecer de tudo... e nãoquero nem pensar nas consequências.Ele solta um suspiro resignado:- Tudo bem, você tem razão.- E além disso, tenho uma coisa importante pra te contar - ela senta-se em umacadeira - Senta aqui.Ele senta na outra cadeira e Amélia conta o que aconteceu com Pérola.

×